Navegando Posts marcados como Carlos Sánchez

Santos 6 x 1 Goiás

Data: 04/08/2019, domingo, 11h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 13ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.462 pagantes
Renda: R$ 510.020,00
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil e Johnny Barros de Oliveira (ambos de SC).
VAR: Rodrigo D’alonso Ferreira (SC)
Cartões amarelos: Jorge, Soteldo e Uribe (S); Kevin, Yago, Marlone e Kayke (G).
Gols: Carlos Sánchez (08-1), Lucas Veríssimo (14-1) e Gustavo Henrique (36-1); Eduardo Sasha (06-2), Soteldo (26-2) e Soteldo (35-2) e Kayke (45-2).

SANTOS
Éverson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez e Felipe Jonatan (Evandro); Derlis González (Marinho), Soteldo e Eduardo Sasha (Uribe).
Técnico: Jorge Desio

GOIÁS
Tadeu; Kevin (Yago Rocha), Yago, Rafael Vaz e Jefferson; Geovane, Léo Sena e Marlone (Giovanni Augusto); Michael (Marcinho), Leandro Barcia e Kayke.
Técnico: Claudinei Oliveira



Santos amassa o Goiás na Vila Belmiro e garante liderança do Brasileirão

O Santos goleou o Goiás por 6 a 1 a manhã deste domingo, na Vila Belmiro, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Carlos Sánchez, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique, Eduardo Sasha e Soteldo (2). O de honra foi de Kayke.

Com a vitória, o Peixe garantiu mais uma rodada na liderança, agora com 32 pontos, e jogou a pressão para o vice-líder Palmeiras. O rival enfrentará o Corinthians também neste domingo, às 19h (de Brasília), na arena em Itaquera. A vantagem atual é de cinco pontos.

O Alvinegro não sentiu a falta de Jorge Sampaoli, suspenso, e dominou os 90 minutos na Vila Belmiro. Diferentemente de outros compromissos, os donos da casa comandados pelo auxiliar Jorge Desio aproveitaram as chances criadas e pouco sofreram na defesa. Aos 14 minutos de jogo, já estava 2 a 0.

O jogo

O Santos amassou o Goiás durante todo o primeiro tempo. O cenário foi o mesmo por 46 minutos: o Peixe criando chances com facilidade; o Esmeraldino tentando, sem sucesso, contra-atacar.

O primeiro gol saiu logo aos 8 minutos, quando Soteldo passou como quis por Kevin e cruzou na entrada da área. Sánchez fez um golaço de voleio.

O segundo saiu na seguida, no minuto 14. Sánchez cobrou falta e Lucas Veríssimo cabeceou no primeiro pau. O gol foi validado depois da consulta no VAR.

Com 2 a 0 no placar, o Alvinegro seguiu em cima e teve oportunidades com Eduardo Sasha e Derlis González, mas o terceiro saiu de outro zagueiro: Gustavo Henrique. Victor Ferraz cruzou, Sasha acertou a trave e o defensor estufou a rede no rebote para encaminhar a vitória.

A situação foi a mesma na etapa final. E não demorou para virar goleada. Sánchez deu linda assistência para Eduardo Sasha passar por Tadeu e marcar o quarto do Santos, aos 6.

O Peixe, insaciável, seguiu em cima do Goiás e o quinto veio com Soteldo, em mais uma pintura na Vila Belmiro, no minuto 26. O camisa 10 aproveitou erro na saída da defesa, conduziu e chutou de fora da área, na lateral da rede. Tadeu nada pôde fazer.

E ainda cabia mais. Quando o placar marcava 35, Marinho arrancou em contra-ataque, contou com o erro na defesa do Goiás e só rolou para Soteldo marcar o segundo dele e o sexto do Santos.

Nos minutos finais, o Goiás torceu para o tempo acabar, fez cera e viu ola” e “olé” na Vila Belmiro, mas ainda fez o de honra, com Kayke, aos 45. Nada suficiente para abalar a atuação quase perfeita do Santos, líder do Campeonato Brasileiro.

Bastidores – Santos TV:

Auxiliar de Sampaoli destaca seriedade do Santos em goleada: “Jogamos até o fim”

Jorge Desio, auxiliar Jorge Sampaoli, destacou a seriedade do Santos na goleada de 6 a 1 sobre o Goiás neste domingo, na Vila Belmiro. O Peixe não teve o técnico, suspenso, na área técnica.

O Alvinegro atacou durante os 90 minutos e parecia a todo momento precisar desesperadamente do gol. A manutenção da intensidade foi um dos pedidos da comissão técnica no intervalo.

“Eu creio que se pode fazer em alguns aspectos, como motivar, nunca se dar por vencido, alta intensidade em todos os minutos. Tivemos um bom jogo, falamos sobre nunca diminuir a intensidade no intervalo. Jogamos até o fim e eles também, descontaram nos acréscimos. Jogadores jogaram como pedimos, concentrados, sérios, fazendo o que planejamos durante a semana”, disse Jorge Desio, em entrevista coletiva.

Desio também comentou sobre o desafio de ver o Santos com essa intensidade também quando o momento não for positivo como o atual.

“Creio que viver os 90 minutos com concentração e manter a intensidade é bom para o Santos e qualquer equipe. É o que o treinador sempre busca. Não quero que interpretem mal, Santos está em posição boa e nós estamos motivados. Temos que fazer essa crença aumentar, que os jogadores participem, peçam a bola… Desafio é ter a mesma aderência se não estivermos nesse bom momento. Que jogadores vivam os 90 minutos com intensidade mesmo que o momento não seja bom”, avaliou.

O Santos abriu cinco pontos de vantagem para o Palmeiras na liderança do Campeonato Brasileiro e aguarda pelo clássico do rival contra o Corinthians, também neste domingo, às 19h (de Brasília), em Itaquera.

Exigente, Marinho cita intensidade e grupo unido no Santos

Líder do Campeonato Brasileiro, o Santos teve um grande desempenho na manhã deste domingo e venceu o Goiás na Vila Belmiro por 6 a 1. No entanto, mesmo com a goleada, o atacante Marinho fez questão de dizer que a partida não foi fácil.

Na saída do gramado, o jogador exaltou a importância da torcida e da união do grupo santista, e destacou sobretudo a entrega da equipe dentro de campo.

“A torcida tem comprado nossa briga. O momento é de união no grupo. Temos criado isso no nosso dia a dia. O resultado foi largo, mas não quer dizer que foi fácil. Fizemos valer nossa força dentro de campo”, disse, em entrevista ao Premiere.

Exigente, Marinho ainda disse que a equipe demorou a acordar, e lembrou da intensidade que o técnico Jorge Sampaoli pede aos jogadores.

“É o que ele (Sampaoli) pede (intensidade). Assim que treinamos e assim que jogamos. Demoramos um pouco para acordar no segundo tempo, mas conseguirmos fazer um resultado bom”, completou.

Lucas Veríssimo fala sobre chegada de Luan e diz ter certeza do Santos na briga pelo título

O zagueiro Lucas Veríssimo, autor de um dos gols na vitória do Santos por 6 a 1 sobre o Goiás neste domingo, na Vila Belmiro, tem a certeza da briga pelo título.

Após 13 rodadas, o Peixe tem 32 pontos, cinco pontos à frente do Palmeiras. O rival enfrentará o Corinthians também neste domingo, às 19h, em Itaquera.

“Tenho certeza que no final vamos brigar pelo título. Passo a passo, jogo a jogo, temos de reservar nossas forças no Brasileiro. É dar a vida, dar o 100% que vamos brigar”, disse Veríssimo.

O defensor também comentou sobre a chegada de Luan Peres, mais um jogador para a defesa, e destacou a possibilidade de ser lateral-direito.

“Estou satisfeito, tem zagueiros bons, o Luan chegou e vai ajudar. A gente vai jogar junto, brigar junto para conquistar o título. Eu treino na lateral também, hoje quem fez foi o Jorge (função de centra-lateral). Se ele precisar, também vou ajudar”, concluiu.


Santos 3 x 1 Avaí

Data: 28/07/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.787 pagantes
Renda: R$ 461.520,00
Árbitro: Wagner Reway (PB)
Auxiliares: Fabio Pereira (TO) e Ivan Carlos Bohn (PR).
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Alison e Uribe (S); Marquinhos Silva e Léo (A).
Gols: Derlis González (08-1), João Paulo (27-1) e Carlos Sánchez (32-1); Felipe Jonatan (32-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Felipe Jonatan), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Derlis González (Jean Mota), Soteldo (Marinho) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli

AVAÍ
Lucas Frigeri; Léo, Betão, Marquinhos Silva e Igor Fernandes (Julinho); Pedro Castro, Richard Franco, Lourenço, João Paulo e Gustavo Ferrareis (Caio Paulista); Bruno Sávio (Gegê).
Técnico: Alberto Valentim



Com estrela de Sampaoli, Santos vence o Avaí na Vila e é líder do Brasileirão

O Santos venceu o Avaí por 3 a 1 na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, e assumiu a liderança isolada do Campeonato Brasileiro, com dois pontos à frente do Palmeiras após 12 rodadas. É a primeira vez na liderança desde agosto de 2016.

O Peixe construiu a vitória com gols de Derlis González, Carlos Sánchez e Felipe Jonatan. O gol dos catarinenses foi de João Paulo. O técnico Jorge Sampaoli mostrou que tem estrela: Derlis foi a surpresa na escalação e Felipe entrou no intervalo, no lugar de Alison, improvisado no meio-campo.

O Alvinegro não teve vida fácil para vencer o lanterna. Os donos da casa abriram o placar, sofreram o empate e desempataram ainda no primeiro tempo. Na etapa final, o jogo ficou aberto, com chances para os dois lados.

O jogo

O Santos foi para cima desde o primeiro minuto, empurrando o Avaí no campo de defesa. E o gol não demorou a sair. Aos 8 minutos, Sánchez cruzou, a zaga afastou mal e a bola sobrou no pé de Derlis. O uruguaio bateu forte e abriu o placar.

Empurrado pela torcida, o Peixe seguiu na pressão e teve duas chances com Sasha. Na sequência, porém, diminuiu o ritmo e o Avaí equilibrou as ações.

No minuto 23, Aguilar salvou em chute de Ferrareis. E aos 27, o Avaí se aproveitou do atendimento médico a Diego Pituca, tocou bem a bola e encontrou João Paulo, livre, para deslocar Everson e empatar.

O Alvinegro “acordou” e logo desempatou. Soteldo, melhor em campo na primeira etapa, entortou a defesa e cruzou na cabeça de Sánchez na pequena área. O uruguaio deslocou Lucas Frigeri e colocou os donos da casa de volta à frente quando o placar marcava 32′ jogados.

O Santos passou a ter maior controle do jogo no segundo tempo e o Avaí ofereceu menos perigo nos contra-ataques. A primeira chance real, porém, só veio aos 23 minutos.

Felipe Jonatan arriscou de fora da área, Lucas Frigeri rebateu e Sasha, sozinho, bateu na trave depois do goleiro tocar na bola. Após dois minutos, Felipe deu um chapéu e deixou Marinho sozinho. O atacante chutou nova grande defesa de Frigeri.

No minuto 25, o Avaí respondeu. Pedro Castrou lançou Gegê e o atacante girou e bateu para intervenção providencial de Everson, a primeira do goleiro santista.

E depois de dar emoção ao jogo, o Santos garantiu a vitória e liderança do Brasileirão aos 32 minutos. E foi um golaço de Felipe Jonatan. O lateral-esquerdo deu um chapéu em Betão e chutou, com desvio em Pedro Castro, para encobrir o goleiro Lucas.

Nos minutos finais, o Avaí esteve entregue. O Santos seguiu no ataque e poderia até ter construído uma goleada. O Peixe é líder pela primeira vez desde agosto de 2016.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli contém euforia após liderança do Santos e diz: “Nosso maior adversário é a gente”

O técnico Jorge Sampaoli tenta conter a euforia após o Santos assumir a liderança do Campeonato Brasileiro com a vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro. Sampaoli vê a dificuldade de lidar com a liderança como maior adversário do Santos na sequência do Brasileirão.

“Nosso maior adversário é a gente mesmo. Se não entendermos isso nesse bom momento, não melhoraremos. Talvez em duas semanas o assunto seja outro. Temos que estar concentrados para melhorarmos, aprofundar o conceito e a ideia. Que joguemos como no segundo tempo hoje, sem se importar com o resultado. Temos que usar esse estado de ânimo a favor”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“É o que veremos daqui para frente. Se podemos gerar superioridade mesmo com a pressão da liderança. O mais difícil é manter, atrás da gente há equipes com jogadores muito conhecidos, com processos de maior tempo. Sabemos que nosso desafio é o que vem. Pode durar muito pouco. Nosso maior desafio é contra nós mesmos no próximo domingo”, completou.

Jorge Sampaoli vê a “confusão” e durante o primeiro tempo contra o lanterna Avaí como exemplo para a dificuldade de se manter líder.

“O que eu disse naquela coletiva eu sigo pensando. Veremos onde estaremos em novembro. Tudo custa muito para gente. No primeiro tempo custou, empataram e tivemos uma pequena confusão. Temos que tratar de ver como hierarquizamos o funcionamento da equipe para lidar também com a adversidade. Depois de 12 jornadas, nos consolidamos na briga contra equipes de grandes contratações. Cada partida vai ser mais difícil, ainda mais pela pressão do primeiro lugar”, concluiu.

Soteldo “raro” e Felipe Jonatan bem como volante: Sampaoli analisa dupla do Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, vê poucos jogadores como Yeferson Soteldo no mundo. O argentino se impressiona com a facilidade do venezuelano no um contra um.

O camisa 10 foi um dos destaques do Peixe na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro, com a liderança do Campeonato Brasileiro após 12 rodadas.

“Tamanho não é referência. Soteldo é um extremo que eu não conheço muitos que proponham tanto no 1×1. Importante que esteja bem. Não estava 100% por causa de uma pancada, mas a jogada do segundo gol é de um jogador desequilibrante e raro. Temos que fazer ele melhorar, é jovem. Se não fosse pelo físico, talvez não fosse tão rápido. Brasil tem muitos extremos baixos e hábeis”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli também analisou Felipe Jonatan e vê chance do lateral-esquerdo ser utilizado mais vezes no meio-campo. Ele fez o terceiro gol diante do Avaí.

“Ele tem muita força, segura bem a bola e Jorge por dentro gerou muito dano com um extremo como Soteldo e Marinho. Felipe pode nos dar muito mais nessa posição. É um lateral mais profundo e agudo que Jorge, com características mais internas”, completou.

Sampaoli chama Sasha de “incrível” e cobra maior “sintonia” de Marinho no Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está entusiasmado com o momento de Eduardo Sasha. O atacante chama a atenção não apenas pela produção na área, mas principalmente pelo entendimento de jogo e chances criadas desde trás.

Sasha ganhou a disputa com Uribe e deixou o colombiano no banco de reservas na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí, neste domingo, na Vila Belmiro.

“Treinamos com os dois (Sasha e Uribe) e eu precisava escolher um. Sasha vive grande momento, é difícil tirá-lo. Equipe funciona muito bem com ele, quando ele volta, nos faz jogador. É incrível para mim. Sasha gera muitas situações. Joga muito bem para o companheiro. Quando jogarmos só com um 9, Uribe vai esperar”, disse Sampaoli.

O treinador santista também comentou sobre Marinho e quer maior sintonia do atacante com os companheiros para que se firme como titular – atualmente, tem sido opção no banco de reservas.

“Marinho tem muitas condições, temos que trabalhar muito com ele e disse pessoalmente. Ele é incisivo, profundo, e tem que jogar mais para a equipe. Ele precisa aprender, jogar mais com os do redor atrás e na frente, com triangulações e ultrapassagens. Hoje fez segundo tempo muito bom, outro dia nos deu a vitória (contra o Botafogo). Ele tem o gol, explosão, individualmente muito bom. Precisa entender a sintonia da equipe e trabalhamos isso todos os dias”, completou o técnico.

Líder, Sampaoli mantém pedido por reforços no Santos: “Diretoria sabe”

O Santos é líder do Campeonato Brasileiro, mas o técnico Jorge Sampaoli mantém o pedido por reforços. A prioridade é um volante para substituir Jean Lucas – um lateral-direito e outro ponta seriam bem-vindos.

Sampaoli pediu as contratações à diretoria e aguarda respostas. A maior dificuldade é o encerramento da janela de transferências na próxima quarta-feira.

“Avaliamos o elenco e diretoria sabe das necessidades. Depende deles. Torneio será largo, seria bom que chegassem, mas depende mais da diretoria do que de mim”, disse Jorge Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli vê “exagero” no carinho da torcida do Santos e diz que precisa se controlar

O técnico Jorge Sampaoli vê “exagero” no carinho da torcida do Santos desde a sua chegada. O argentino virou um ídolo e é o mais aplaudido em todos os jogos na Vila Belmiro ou Pacaembu.

O treinador ainda destacou a Vila lotada na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí neste domingo, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“O carinho do torcedor é um pouco exagerado. Futebol gera autopressões pela exigência. Torcida tem muita ilusão. Hoje enchemos o estádio, algo pendente entre torcida e a gente. Que tenhamos a possibilidade de desfrutar a equipe. No próximo jogo certamente lotaremos também. Isso depende do que fazemos no campo e sustentar isso. Fico feliz pela aceitação da torcida, em um país que não é o meu”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli também comentou sobre os excessos na área técnica. O técnico recebeu o terceiro cartão amarelo e não poderá dirigir o Santos contra o Goiás no domingo, às 11h, novamente na Vila.

“Terei que aprender a me cuidar. Receber o terceiro me deixa fora do jogo e é incômodo. Tenho que controlar minhas emoções”, concluiu.

Soteldo diz que pode fazer muito mais pelo Santos: “Agora vou mostrar meu futebol”

Soteldo ganhou a camisa 10 do Santos, se firmou como titular e fez quatro gols e cinco assistências na temporada. Mesmo assim, o venezuelano promete muito mais.

O meia-atacante foi um dos destaques do Peixe na vitória por 3 a 1 sobre o Avaí neste domingo, na Vila Belmiro. O Alvinegro assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro.

“Todos acabam tendo confiança. Estamos fazendo as coisas bem com o Sampaoli. Falei que os primeiro seis meses foram de adaptação. Agora vou mostrar meu futebol”, disse Soteldo.


Bahia 0 x 1 Santos

Data: 13/07/2019, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 10ª rodada
Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador, BA.
Público: 18.853 torcedores
Renda: R$ 258.374,00
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza e Michael Stanislau (ambos do RS).
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Elton e Moisés (B). Felipe Aguilar, Soteldo, Diego Pituca e Eduardo Sasha (S).
Gol: Carlos Sánchez (41-2).

BAHIA
Douglas Friedrich; Ezequiel, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Élton, Ramires e Shaylon (Guerra); Artur, Arthur Caíke (Élber) e Fernandão (Gilberto).
Técnico: Roger Machado

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Gustavo Henrique (Luiz Felipe); Victor Ferraz (Jean Mota), Carlos Sánchez, Diego Pituca e Jorge; Eduardo Sasha, Soteldo e Uribe (Marinho).
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos melhora no 2º tempo e vence o Bahia com gol no fim em Salvador

O Santos venceu o Bahia por 1 a 0 na noite deste sábado, no Pituaçu, na 10ª rodada, na retomada do Campeonato Brasileiro depois da pausa para a Copa América. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, aos 41 minutos da etapa final, em rebote de pênalti defendido pelo goleiro Douglas.

Após primeiro tempo morno, o Peixe melhorou na etapa final com alterações de Jorge Sampaoli. O técnico sacou Victor Ferraz e Uribe para as entradas de Jean Mota e Marinho. Com Lucas Veríssimo na lateral direita e Sasha de centroavante, a equipe passou a ser perigosa.

Com a vitória, o Alvinegro segue na vice-liderança, mas agora a três pontos do líder Palmeiras. O Bahia é o oitavo, com 15. Na rodada 11, o Santos enfrentará o Botafogo, dia 21, no Engenhão. O Tricolor receberá o Cruzeiro, na Fonte Nova, no sábado.

O jogo

É difícil falar sobre o primeiro tempo de Bahia 0 x 0 Santos. Não houve chance clara e apenas um susto ou outro para os goleiros Douglas Friedrich e Everson.

O Peixe teve 67% de posse de bola, mas pouco agrediu. Com três zagueiros e três atacantes, o meio-campo não funcionou e houve apenas duas chegadas: um chute de Victor Ferraz de fora da área e uma cobrança de falta de Sánchez perto da trave.

O Tricolor não fez valer o fator casa e só teve um lance de perigo, quando Arthur Caíke recebeu na pequena área e Gustavo Henrique fez corte providencial.

A primeira oportunidade importante do segundo tempo ocorreu aos 12 minutos, quando Shaylon aproveitou rebote e chutou para Everson espalmar. Aos 15, Jorge Sampaoli mexeu duas vezes e desmontou a linha de três zagueiros: saíram Victor Ferraz e Uribe para as entradas de Jean Mota e Marinho. Com isso, Lucas Veríssimo passou a ser lateral-direito e Sasha o centroavante.

As alterações surtiram efeito e o Santos teve as melhores chances da partida. Na primeira, aos 22, Soteldo cruzou e Sasha cabeceou para linda defesa de Douglas. Na segunda, no minuto 22, Lucas Veríssimo cabeceou no travessão depois de lançamento de Jean Mota.

Aos 37, foi a vez do Bahia assustar. Élber avançou pela direita e cruzou para Gilberto, de peito, finalizar por cima do gol. E na sequência… Gol do Santos.

Sánchez finalizaria após bate-rebate e foi derrubado por Guerra. O próprio uruguaio bateu o pênalti, Douglas defendeu, mas no rebote o gol do Peixe saiu.

Nos minutos finais, o Santos só administrou a importantíssima vitória no Pituaçu. O Peixe agora está a três pontos do Palmeiras por causa do empate do rival diante do São Paulo, no Morumbi.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli destaca postura do Santos em vitória contra o Bahia: “Sem se importar com o local”

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, vê a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia como exemplo do principal objetivo para o segundo semestre: atuar com a mesma proposta dentro e fora de casa.

O Peixe teve quase 70% de bola e pouco sofreu diante do Tricolor no Pituaçu. O gol foi marcado por Carlos Sánchez, aos 41 minutos da etapa final.

“Primeiro tempo foi parelho, depois mudamos o sistema. Não sofremos no primeiro tempo. Terminamos muito bem, aqui é difícil ganhar”, disse Sampaoli.

“Vamos jogar cada partida como se fosse em casa, sem se importar para o local. Veremos no futuro (sobre título), mas ideia é ter a mesma proposta de casa”, completou.

Sánchez destaca “grande trabalho” e sorte no gol da vitória do Santos contra o Bahia

Carlos Sánchez foi fundamental na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Bahia neste sábado, no Pituaçu, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O uruguaio sofreu o pênalti e bateu. O goleiro Douglas defendeu, mas o meia fez no rebote.

Sánchez destacou o trabalho feito pelo Peixe e admitiu a sorte depois de errar a penalidade.

“Fizemos grande partida, time se entregou ao máximo. Perdi o pênalti, mas por sorte fiz no rebote. Buscávamos os três pontos, não o empate. Nossa torcida incentivou ao máximo e nós jogamos o que tínhamos que jogar. Fizemos um grande trabalho”, disse Sánchez, ao Premiere.

Marinho elogia mentalidade do Santos e vê “encaixe perfeito” com Sampaoli

Marinho, uma das opções de Jorge Sampaoli no segundo tempo da vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Bahia, no Pituaçu, destacou a mentalidade do time.

O atacante segue o coro do treinador e quer o Peixe sem se importar com o local das partidas.

“Time que quer ser campeão tem que jogar bem dentro e fora de casa. Jogamos muito bem, contra equipe qualificada, que vem numa crescente, que foi bem contra o Grêmio. Mostramos a força da nossa equipe”, disse Marinho, ao Esporte Interativo.

“Temos que pensar jogo a jogo. Palmeiras faz a parte dele, nós temos que fazer a nossa. Não tenho nada a falar (sobre gente que cravava o Palmeiras campeão)”, afirmou o agora camisa 11.

Por fim, Marinho destacou o “match” entre seu estilo de jogo e a estratégia de Sampaoli no Santos.

“Sampaoli usa muito a beirada do campo. Encaixei certinho no time e na forma de jogar. Para mim foi algo muito bom. Renato não usava muito (os pontas no Grêmio), mas aqui eu tenho encaixe perfeito no sistema de jogo. Combinação perfeita”, concluiu.


Santos 3 x 1 Atlético-MG

Data: 09/06/2019, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.794 pagantes
Renda: R$ 199.730,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA).
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e (PA).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Jorge Sampaoli e Lucas Veríssimo (S); Fábio Santos e José Welison (A).
Gols: Eduardo Sasha (38-1), Jean Mota (49-1, de pênalti); Alerrandro (25-2) e Carlos Sánchez (36-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Aguilar, Lucas Veríssimo e Jorge; Diego Pituca, Jean Lucas e Jean Mota (Felipe Jonatan); Marinho (Carlos Sánchez), Soteldo e Eduardo Sasha (Uribe).
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO-MG
Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Nathan), Elias, Cazares e Luan; Chará (Geuvânio) e Ricardo Oliveira (Alerrandro).
Técnico: Rodrigo Santana



Após protesto, Santos bate Atlético e assume vice-liderança do Brasileiro

A torcida cobrou, e o time atendeu. Após protesto na Vila Belmiro e a exigência pelo título do Campeonato Brasileiro, o Santos tratou de dominar e vencer o Atlético-MG por 3 a 1, na noite deste domingo, em duelo válido pela oitava rodada da competição nacional. Eduardo Sasha, Jean Mota e Carlos Sánchez marcaram para o Peixe, enquanto Alerrandro descontou para o Galo.

Com a vitória, além de dar o troco ao Atlético pela eliminação na Copa do Brasil, o Santos assume a vice-liderança do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem o triunfo sobre o Botafogo em julgamento. O clube mineiro, por sua vez, cai para o terceiro lugar, com 15 pontos.

O jogo

O primeiro tempo foi de um time só. Empurrado e cobrado por sua torcida, o Santos começou ligado desde o primeiro minuto, quando Jorge cruzou na área para Jean Lucas bater forte e exigir boa defesa de Victor. No rebote, Soteldo mandou para fora.

O time de Sampaoli não deixava o rival jogar. Após boa triangulação entre Marinho, Sasha e Victor Ferraz, o mais novo reforço soltou a bomba de longe e acertou o poste de Victor. Aos 17, Jean Mota bateu falta e quase encobriu o goleiro atleticano, que se recuperou a tempo de mandar para escanteio.

Justamente quando havia diminuído seu ritmo, o Peixe abriu o placar. Aos 38, Jean Mota cobrou falta na área do Galo, e Sasha, de costas para o gol, desviou de cabeça. A bola foi no canto direito de Victor, que não alcançou. Havia tempo para mais um antes do intervalo. Aos 49, Jean Mota converteu pênalti flagrado pelo VAR, após Fábio Santos tocar a bola com o braço dentro da área.

Após não finalizar nem uma vez sequer no gol de Everson na primeira etapa, o Atlético enfim levou perigo o Peixe. Aos cinco minutos do segundo tempo, Luan avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Patric, que viu Soteldo fazer o corte. O Santos respondeu de imediato: Sasha recebeu do venezuelano e ficou frente a frente com Victor, mas mandou para fora.

Aos 13, Éverton operou um milagre para evitar a lei do ex: após cruzamento da esquerda, Ricardo Oliveira subiu livre na área do Santos e testou firme para ótima defesa do arqueiro. O Santos quase ampliou aos 24 minutos, quando Jean Lucas tocou de cavadinha para Jean Mota invadir a área, tirar de Victor e chutar na trave.

Como quem não faz toma, o Atlético tratou de diminuir o seu prejuízo. No lance seguinte ao gol perdido por Jean Mota, Alerrandro entrou nas costas de Lucas Veríssimo e bateu cruzado, sem chances para Everson. Mas, quando o Galo mais pressionava em busca do empate, Carlos Sánchez marcou um golaço em cobrança de falta frontal, dando números finais à partida e amenizando a bronca da torcida.

Ferraz celebra vitória após eliminação e avisa: “A casa do Santos é a Vila”

O Santos conseguiu uma breve recuperação da eliminação da Copa do Brasil na noite deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro. Diante do mesmo Atlético-MG, que três dias antes ganhara a partida no Pacaembu, o Peixe, do lateral direito Victor Ferraz, conseguiu uma vitória por 3 a 1. O triunfo foi motivo de celebração e exaltação do local do jogo, uma das mudanças com relação ao meio da semana.

“Acho que somos os vice-líderes momentâneos, temos mais uma partida em casa para seguir. Muitas das vezes as coisas que eu falo viram um “mimimi” muito grande. Essa é uma opinião minha. Mas eu adoro jogar na Vila, a casa do Santos é a Vila Belmiro”, comentou o defensor.

O tema rendeu certa polêmica após mais uma eliminação do Peixe jogando na capital paulista, dessa vez no mata-mata nacional. Antes de sucumbir diante do Galo, o Santos já havia sido eliminado pelo River-URU, na primeira fase da Copa Sul-Americana, e pelo rival Corinthians, na semifinal do Campeonato Paulista.

O técnico Jorge Sampaoli foi um defensor de jogar mais em Santos, enquanto o presidente José Carlos Peres defendeu a medida de mais jogos no Pacaembu. “A gente conseguiu recuperar rápido, nós somos profissionais e nós temos que nos acostumar tanto com críticas quanto com elogio. Merecemos as críticas porque fomos eliminados mais uma vez não dentro da nossa casa, mas dentro do nosso domínio”, observou Ferraz, antes de sentenciar.

“Gosto de jogar no Pacaembu, a nossa torcida vai em massa lá. Mas a casa do Santos é a Vila”, concluiu o atleta, um dos grandes líderes do elenco santista.

Com a vitória, além de dar o troco ao Atlético pela eliminação na Copa do Brasil, o Santos assume a vice-liderança do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem o triunfo sobre o Botafogo em julgamento.

“Vai ser difícil de alcançar o Palmeiras”, diz Sampaoli, do Santos

Mesmo com a boa vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o técnico Jorge Sampaoli admitiu que será muito difícil para o Santos alcançar o Palmeiras na liderança do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado da noite deste domingo, conquistado na Vila Belmiro, o Santos assumiu o segundo lugar do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o rival alviverde – que ainda tem os três pontos da vitória sobre o Botafogo em julgamento.

“Muito difícil. Não é impossível porque há ainda muito tempo. Cruzeiro e Grêmio não estão em bom momento, mas vão se recuperar. Palmeiras vem em um bom ritmo e vai ser muito difícil de alcançar”, avaliou o argentino, em entrevista coletiva.

“Estamos muito atrás. Lamento dizer que não vejo facilidade. Aguentar um torneio tão longo e exigente tem que ter um plantel convencido da ideia”, concluiu.

Sampaoli critica protesto da torcida do Santos: “Parece injusto”

Apesar da vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o técnico do Santos, Jorge Sampaoli, foi de semblante fechado para a entrevista coletiva após o duelo deste domingo, na Vila Belmiro. O que fez o treinador sair do sério foi comentar os protestos realizados pela torcida do Peixe antes, durante e após o confronto válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

“Eu vim aqui ao futebol brasileiro para tentar mostrar minha forma de jogar. Não se pode jogar com pressão ou trocar a realidade estabelecida. Temos uma equipe extremamente jovem. Se as pessoas não têm paciência, que se termine”, esbravejou o argentino.

Após o apito final, a Torcida Jovem exigiu a vitória no clássico contra o Corinthians: “Se quarta-feira não ganhar, olê olê olá, o pau vai quebrar”. O tom da cobrança não agradou Sampaoli, ciente das críticas que a equipe sofreu após a eliminação para o Galo na Copa do Brasil.

“Não sei como ganhar de qualquer jeito. Só sei ganhar jogando, como foi hoje. No Pacaembu, nós quisemos passar de qualquer jeito. Lamentavelmente a necessidade e a ansiedade atentam contra o jogo. Simples”, disse.

“Se vamos tentar ganhar de qualquer jeito, viremos com revólveres e mataremos os rivais. Santos vai jogar com a mesma dignidade que jogou no Pacaembu, hoje. Tentando jogar com a bola, sem pressão, e com esse caminho vamos. Se a proposta se instala dessa forma (de pressão), não tem sentido eu estar aqui”, acrescentou.

Além de jogar pressão sobre os jogadores, a torcida também fez cobranças à diretoria, especialmente ao presidente José Carlos Peres. Na entrevista, Sampaoli disse não concordar com os protestos, que exigiram a conquista do Brasileirão, e citou a influência política por trás deles.

“O protesto pela falta de empenho dos jogadores me parece injusto. Totalmente. Eles jogam o que podem. O que mais gera entusiasmo nas pessoas é a polêmica. E por esse caminho vamos. Há muita mescla da política no futebol através de grupos políticos dentro de cada clube. Assim fica difícil instalar uma ideia”, lamentou.

Ferraz entende protestos no Santos e aposta em pausa por evolução

Um dos líderes do elenco do Santos, Victor Ferraz disse entender os protestos realizados pela torcida antes, durante e após a vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, no último domingo, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

A torcida, além de criticar a gestão do presidente José Carlos Peres, tratou o título brasileiro como obrigação para o time que foi eliminado das outras competições na temporada – Copa Sul-Americana, Campeonato Paulista e Copa do Brasil.

“Jogamos numa equipe gigante, e quando somos eliminados temos que ser criticados mesmo. Quem não quiser isso, tem que procurar outro clube. Fico muito feliz de jogar com essa camisa, voltar a vencer e ser vice-líder”, afirmou o lateral direito, na saída de campo.

Como disse Ferraz, o Santos assumiu a segunda colocação do Brasileiro após o triunfo sobre o Galo. Agora, o time de Jorge Sampaoli soma 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem a vitória sobre o Botafogo em julgamento.

“Sobre buscar o Palmeiras, temos que fazer nossa parte. Estamos fazendo um grande campeonato. Eles que estão num nível anormal”, explicou o jogador, que vê a pausa para a Copa América como oportunidade de o time se entrosar mais.

“O Santos tem que chegar nas finais de todas as competições, mas temos uma nova filosofia, novos jogadores. No último jogo [derrota para o Atlético na Copa do Brasil], jogamos com Marinho e Uribe, que são caras que mal conheço”, disse.

“Não sei se o Uribe gosta de uma bola em profundidade, se o Marinho bate de perna direita… E jogamos uma decisão dessa forma. Vamos ter a parada da Copa América para conhecer os novos jogadores, para eles conhecerem o estilo do Sampaoli e brigarmos pelo título do Brasileiro”, concluiu.


Santos 2 x 1 Fluminense

Data: 02/05/2019, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.564 pagantes
Renda: R$ 294.075,00
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires e Leone Carvalho Rocha (ambos de GO).
VAR: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Cartões amarelos: Soteldo, Rodrygo e Diego Pituca (S); Airton e Allan (F).
Gols: Eduardo Sasha (19-2) e Carlos Sánchez (27-2) e Pedro (42-2).

SANTOS
Vanderlei; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Victor Ferraz) e Gustavo Henrique; Carlos Sánchez (Cueva), Diego Pituca e Jorge; Rodrygo, Jean Mota (Jean Lucas), Eduardo Sasha e Soteldo.
Técnico: Jorge Sampaoli

FLUMINENSE
Rodolfo; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Airton (Pedro), Bruno Silva e Allan (Pablo Dyego); Everaldo, Luciano e Yony (Léo Artur).
Técnico: Fernando Diniz



Santos leva susto, mas vence o Fluminense na Vila e segue 100% no Brasileirão

O Santos venceu o Fluminense por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O gols foram marcados por Eduardo Sasha e Carlos Sánchez, na etapa final. Pedro descontou no fim.

Com 100% de aproveitamento após dois jogos, o Peixe ocupa a terceira colocação, atrás de São Paulo e Atlético-MG por causa dos critérios de desempate. O Tricolor das Laranjeiras é o penúltimo, depois de duas derrotas.

O jogo

No duelo de duas equipes na busca por um futebol bem jogado e com a posse de bola, faltou o gol no primeiro tempo.

O Santos foi melhor, mas desperdiçou chances e sofreu nos contra-ataques. Tanto o Peixe quanto o Fluminense erraram nas tomadas de decisão e desperdiçaram os espaços encontrados.

Sánchez e Eduardo Sasha tiveram as melhores chances do Alvinegro. Aos 7, o uruguaio recebeu lançamento de Gustavo Henrique e cabeceou torto. No minuto 45, o atacante perdeu tempo de bola após cruzamento de Sánchez.

A melhor oportunidade do Flu veio com Luciano. Gilberto chutou cruzado, mas o atacante chegou atrasado no segundo pau.

O segundo tempo começou morno, mais truncado, com cara de zero a zero. Mas Rodrygo, o melhor do Santos, seguia tentando tirar o zero do placar. E conseguiu, aos 19 minutos.

Depois de boa jogada do camisa 11 pelo lado direito, a bola sobrou para Eduardo Sasha bater de primeira, no ângulo, para fazer o primeiro no jogo e o segundo no Campeonato Brasileiro.

O Peixe não parou de atacar. Aos 26, Jean Lucas acertou a trave de fora da área. No minuto 27, Pituca também acertou a trave, mas Sánchez aproveitou o rebote e fez o segundo.

Insaciável, o Alvinegro quase fez o terceiro com Jorge, em chute colocado para boa defesa de Rodolfo, aos 32, e novamente com Rodrygo, no minuto 37, em outra grande intervenção do goleiro tricolor.

E quando o cenário parecia de uma goleada, Pedro apareceu. O centroavante do Flu voltou a marcar depois de grave lesão no joelho, e colocou fogo no jogo aos 39. Everaldo cruzou, Gustavo Henrique vacilou e o centroavante guardou.

Nos minutos finais, a partida ficou aberta. Aos 43, Jean Lucas chutou para nova defesa de Rodolfo. Na sequência, o Santos administrou o resultado e voltou a conseguir três pontos.

Sampaoli explica rodízio no Santos e elogia Jorge, Rodrygo e Sasha

O técnico Jorge Sampaoli é adepto do rodízio no Santos. A ideia é mudar os jogadores a cada partida para não perder a intensidade.

Na vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, nesta quinta-feira, o argentino deixou Victor Ferraz, Alison e Jean Lucas. no banco de reservas.

“Estamos em formação. Não planejamos nada. Campeonato é exigente, temos viagem de cinco, seis horas. Temos que ver quem estão melhores. Quem estão 100%. Quem não estiver 100% não pode jogar. Verão modificações porque vejo a intensidade”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador aproveitou para elogiar três dos titulares: Jorge, Rodrygo e Eduardo Sasha.

Jorge

“Jorge é de seleção, pela carreira, qualidade. Precisamos do seu compromisso, que nos ofereça o que ofereceu hoje. Ir e voltar, pensar no corredor rival e não só no próprio. Jogador que pode nos dar muita coisa nesse talento normal de um lateral do futebol brasileiro”.

Rodrygo

“Rodrygo nos dá muito, mesmo jovem. Teremos que encontrar um substituto, que nos dê essa refrescância no um contra um. Encontrar dentro ou fora um extremo assim”.

Eduardo Sasha

“Sasha teve dois grandes jogos. Vinha treinando bem, custou um pouco no começo a forma de treinar e entender o jogo de posse, mas hoje nos dá muita satisfação. Mais do que o gol, nos coloca de frente, é generoso, pressiona. Nos ajuda muito”.

Sampaoli cita Pelé e Neymar para agradecer apoio dos santistas

A torcida do Santos ovacionou Jorge Sampaoli na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, durante a vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense.

Antes e depois do jogo, os santistas gritaram o nome do treinador. Ele agradeceu em coletiva de imprensa.

“É uma alegria, gosto muito dessa cidade, me sinto muito bem. Torcida do Santos gritar meu nome é ótimo. Gritam Pelé, Neymar e agora gritam a mim. É uma alegria muito grande”, disse Sampaoli.

Sampaoli também falou sobre a vocação ofensiva do time. O Peixe abriu 2 a 0, mas seguiu atacando e acabou levando um susto com o gol do Pedro no fim.

“Futebol tem que ser maneira de viver. Coincidir com que o torcedor quer. Mais do que ganhar ou perder, que saibamos quem somos. Sem modificar essa forma. Com 2 a 0, seguimos atacando, tivemos oito chances e Pedro converteu. E poderia ter sido 2 a 2. Mas é isso o que somos. Nos reconhecemos assim. Não podemos renunciar o que somos”, completou o comandante.

Victor Ferraz fala sobre assumir uma responsabilidade de Renato no Santos: “Termômetro”

Victor Ferraz assumiu uma responsabilidade de Renato, ex-capitão e hoje executivo de futebol afastado no Santos.

O lateral-direito diz que precisa saber quando acalmar o time em campo, assim como ocorreu na vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro. Ele entrou no intervalo e fez a equipe melhorar.

“Eu, além de jogar, tenho responsabilidade de fazer o que Renatinho fez por muito tempo. Ser um termômetro também. Não precisamos atacar sempre. Procurei fazer isso, rodar a bola. Participei no primeiro gol, acho que foi bom. Sampaoli tem adotado esse rodízio, eu não ficava fora há muito tempo. Acho que 10. Descansei um pouco e entrei na minha melhor forma”, disse Victor Ferraz.

Jorge Sampaoli explicou o rodízio como forma de manter a intensidade no elenco.

“Estamos em formação. Não planejamos nada. Campeonato é exigente, temos viagem de cinco, seis horas (para Maceió, contra o CSA). Temos que ver quem estão melhores. Quem estão 100%. Quem não estiver 100% não pode jogar. Verão modificações porque vejo a intensidade”, explicou Sampaoli.

Pituca revela apoio de Sampaoli para acabar com novela e renovar com o Santos

Diego Pituca, enfim, acertou sua renovação de contrato com o Santos. O polivalente jogador recebeu um reajuste salarial e estendeu seu vínculo até 2023 com o Alvinegro Praiano. As negociações, porém, se arrastaram por cerca de nove meses.

“Fico feliz de poder estar renovando. Eu falei que não me via com outra camisa a não ser do Santos. Tira um peso das costas, jogar mais leve. É continuar nesta pegada e que possamos conquistar coisas boas”, disse, em entrevista coletiva na tarde dessa sexta-feira.

É inegável a influência de Jorge Samapoli para o fim da novela. Titular seja no meio ou na lateral, Pituca recebeu o apoio de seu técnico nos bastidores para convencer o presidente José Carlos Peres.

“Quando ele chegou, a gente teve uma conversa sobre a renovação. Ele falou que ia me apoiar, ia me ajudar. Acho que ele ajudou um pouco, fico feliz por isso”, contou, antes de dar mais detalhes.

“Foi no começo, ele sabia que tinha essa novela. Ele chegou para mim e disse que tentaria me ajudar, que viu meus vídeos e todos estavam comentando sobre isso. Ele disse que me ajudaria o mais rápido possível. Demorou um pouco, mas ainda bem que já acabou isso”, concluiu o jogador, ainda tímido diante das câmeras.