Navegando Posts marcados como Casa Blanca

LDU 2 x 1 Santos

Data: 17/03/2005, quinta-feira, 18h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 3ª rodada
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito, Equador.
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR).
Auxiliares: Atilio Invernizi e Manuel Bernal (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Mora e Aguinaga (L)
Gols: Graziani (08-1), Salas (13-1) e Ricardinho (27-1).

LDU
Mora; Reasco, Espínola, Espinoza e Ambrossi; Obregón, Mendez (Aguinaga), Urrutia e Palacios (González); Salas (Murillo) e Graziani.
Técnico: Juan Carlos Oblitas

SANTOS
Mauro; Hallison, Ávalos e Leonardo; Flávio, Bóvio (Rossini), Tcheco (Fernando Baiano), Ricardinho e Fernando Diniz (Basílio); Robinho e Deivid.
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Santos remendado sucumbe no Equador

Opção de Oliveira por 3 zagueiros fracassa e time toma dois gols em 13 minutos

A LDU confirmou a fama de “asa negra” do Santos nesta quarta-feira. Jogando em Quito, a equipe equatoriana aproveitou um excelente início para fazer 2 a 1 sobre os brasileiros.

Esta é a quarta derrota do Santos em sete confrontos com a LDU. O time brasileiro só se saiu vitorioso duas vezes e ainda coleciona um empate. No ano passado, os equatorianos eliminaram a equipe da Vila Belmiro da Copa Sul-Americana com uma vitória por 2 a 1 em Santos.

No ano passado, uma derrota por 4 a 2 para a LDU, em Quito, ocasionou a demissão do técnico Emerson Leão (que havia levado o Santos ao título do Campeonato Brasileiro em 2002).

Agora, uma nova derrota para a LDU aumenta a pressão sobre Oswaldo de Oliveira. O comandante do Santos não vive boa fase e muitas de suas posições têm sido muito criticadas.

Nesta quarta-feira, ele apostou nas entradas do zagueiro Halisson e do meia Fernando Diniz, que atuou como lateral-esquerdo. No entanto, as alterações não funcionaram e a LDU aproveitou.

Longe de casa, o Santos ainda é o pior brasileiro na Copa Libertadores de 2005. Nenhuma das equipes nacionais venceu como visitante, mas apenas o clube do litoral paulista perdeu os dois confrontos fora de seus domínios no torneio sul-americano.

Atuando como visitante, o melhor brasileiro é o São Paulo. O time do Morumbi empatou as duas partidas que disputou longe de casa. O Palmeiras, que jogou somente um jogo fora, também voltou com uma igualdade. Atlético-PR e Santo André têm campanhas semelhantes (uma derrota e um empate), mas um dos confrontos da equipe do ABC fora de seus domínios foi contra o Palmeiras.

Com este resultado, o Danubio segue na liderança do Grupo 2 da Libertadores. A equipe uruguaia somou seis pontos nas três partidas que disputou. A única derrota aconteceu na Vila Belmiro, 3 a 2 para o Santos.

E a LDU, que venceu o Santos, salta para a segunda posição da chave. A equipe equatoriana tem os mesmos seis pontos do Danúbio, mas perde no quesito saldo de gols (-1 contra 4).

As duas equipes voltam a jogar pela Copa Libertadores no dia 6 de abril de 2004. Na abertura do segundo turno do Grupo 2, o Santos recebe a LDU na Vila Belmiro, em Santos.

Antes disso, o Santos encara o América pela 13ª rodada do Campeonato Paulista. O confronto acontecerá no próximo domingo, às 18h, também na Vila Belmiro.

O jogo

Com forte marcação sobre a saída de bola do Santos, a LDU pressionou desde os minutos iniciais. O time equatoriano conseguiu manter a posse de bola e expôs a fragilidade do sistema defensivo brasileiro.

O Santos estava atônito com a pressão da LDU. Extremamente mal postada em campo, a equipe brasileira deu espaço para os donos da casa criarem e trabalharem a bola no setor ofensivo.

Prova disso é que a LDU teve a primeira grande oportunidade logo aos 2min. Palacios carregou a bola e chutou de longe, no meio do gol. Mauro falhou e soltou nos pés de Graziani, que dividiu com o camisa 1 do Santos e quase conseguiu empurrar para as redes.

Aos 8min, a LDU chegou ao primeiro gol. O zagueiro Carlos Espínola aproveitou um escanteio da esquerda e tocou de cabeça. A bola encontrou o centroavante Graziani, colado à trave esquerda de Mauro, e ele apenas completou para inaugurar o marcador.

Se a situação do Santos era desesperadora, ficou ainda pior aos 13min. Reasco levou para a linha de fundo pela direita e cruzou para trás. Méndez dominou e ajeitou para Salas, que chutou de bico. A bola entrou no canto esquerdo de Mauro, que nem se moveu.

Parecia o início de uma tranqüila goleada da LDU. Parecia, porque o Santos acordou em campo. O time brasileiro adiantou a marcação e acertou a saída de bola. Com isso, Ricardinho começou a ser acionado e distribuiu bastante as jogadas no meio.

Assim, em pouco tempo, o Santos assumiu o comando da partida. No entanto, com lançamentos rasteiros no meio da defesa da LDU, a equipe brasileira não conseguiu fazer a bola chegar a seus atacantes.

Quando acertou um lançamento, o Santos diminuiu a vantagem dos donos da casa. Fernando Diniz recebeu na esquerda aos 26min e levantou para a área com muita precisão. Completamente livre de marcação, Ricardinho cabeceou forte e acertou o canto esquerdo do goleiro Mora.

Com domínio territorial e animado pelo gol, o Santos dava sinais de que conseguiria o empate. Porém, a grande chance neste momento foi criada pela LDU. Aos 37min, Salas recebeu na meia direita, girou o corpo e chutou forte. Mauro espalmou no ângulo esquerdo e mandou para a linha de fundo.

Ainda no primeiro tempo, aos 44min, Deivid poderia ter empatado. O camisa 9 recebeu lançamento na direita, passou pelo goleiro Mora e chutou forte. A bola passou perto do travessão da LDU.

Ao contrário do início da partida, o Santos não permitiu a pressão da LDU no segundo tempo. A equipe equatoriana até tentou sair para o jogo, mas os brasileiros encaixaram os contra-ataques.

Robinho criou um grande lance logo aos 3min. O camisa 7 carregou a bola pela meia direita e arriscou de fora da área. A bola passou muito perto da trave esquerda de Mora.

O bom início do Santos, porém, não se confirmou no restante da segunda etapa. O rendimento da equipe brasileira caiu muito, assim como o nível técnico da partida.

Com atuações apagadas de Robinho e Deivid, o Santos viu no atacante Salas, da LDU, a única figura criativa no gramado do estádio Casa Blanca.

E quando Salas deixou o gramado, o técnico José Carlos Oblitas proporcionou a entrada de outro atacante bastante habilidoso. O colombiano Murillo deu seqüência aos lances de efeito e fez com que a LDU permanecesse grande parte do tempo com a bola dominada.

Assim, a LDU deixou o tempo passar e apenas administrou a vantagem construída nos minutos iniciais da partida.


LDU 3 x 2 Santos

Data: 03/11/2004
Competição: Copa Sul-Americana – Quartas de Final – Jogo de ida
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito, Equador.
Renda e público: N/D.
Árbitro: René Ortubé (BOL).
Cartões: Reasco, Murillo, Aguinaga (L), André Luís, Mauro, Márcio (S).
Cartão vermelho: Zé Elias (S).
Gols: Murillo (14-1), William (20-1), Ambrosi (37-1); Basílio (06-2) e Salas (39-2).

LDU
Jacinto Espinoza; Reasco, Giovanny Espinoza, Espínola, Ambrosi; Obregón, Urrutia, Aguinaga, Luis Gómez (Castillo); Murillo (Montoya) e Salas.
Técnico: Juan Carlos Oblitas.

SANTOS
Mauro; Leonardo, Antônio Carlos, André Luís; Flávio (Domingos), Márcio, Zé Elias, Preto Casagrande, Luís Augusto; Basílio e William (Marcinho).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.



Santos leva gol no fim e perde da LDU

Faltou pouco para o Santos voltar do Equador com um bom resultado pela Copa Sul-Americana. No entanto, a equipe brasileira não resistiu à pressão da LDU e acabou derrotada por 3 a 2, nesta quarta-feira à noite, pelas quartas-de-final do torneio.

O gol da vitória da LDU foi marcado aos 40min do segundo tempo por Salas, após muita pressão da equipe equatoriana. William, ainda no primeiro tempo, e Basílio, no início da etapa final, fizeram os gols santistas.

O jogo da volta está marcado para a próxima quarta-feira, na Vila Belmiro. Para avançar à semifinal, o Santos precisa de uma vitória por dois gols de diferença. Vitória por um gol leva a decisão para os pênaltis. A LDU se classifica com um empate.

Disputando o título do Campeonato Brasileiro, enfrenta o Criciúma no próximo domingo, o Santos mais uma vez utilizou uma equipe B na competição continental. Em Quito, a equipe santista contou apenas com 15 jogadores. Tanto que Júlio Sérgio, terceiro goleiro do Santos, ficou como opção no banco para jogar no ataque.

Pressão inicial

Como sempre faz em seus jogos diante da sua torcida, a LDU pressionou o Santos nos primeiros minutos da partida. Aos 4min, Murillo deu o primeiro susto na equipe brasileira, chutando de fora da área. A bola passou perto do gol de Mauro.

Sempre arriscando no ataque, o time equatoriano abriu o placar aos 15min. Novamente Murillo recebeu, desta vez pela esquerda do ataque da LDU. O jogador cruzou a bola, que foi direto para o gol, surpreendendo o goleiro santista.

Com a vantagem no placar, os donos da casa continuaram melhor em campo, atuando sempre no campo de ataque. O Santos, acuado, pouco conseguiu sair de seu campo de defesa para buscar o empate.

Porém, em uma de suas primeiras boas chegadas ao ataque, o time da Vila Belmiro buscou o empate. Aos 21min, a zaga da LDU marcou mal, William recebeu livre e marcou na saída do goleiro Espinosa.

Depois de empatar a partida, o Santos conseguiu manter as ações ofensivas equilibradas, evitando a pressão da LDU. Tanto que o time do Equador só voltou a ameaçar aos 30min. Obregon chutou de fora da área e a bola passou perto do gol santista.

Saindo mais para o ataque, o Santos acabou abrindo espaço em sua zaga. E, perdendo a bola no meio campo, o time alvinegro levou o segundo gol. Aguinaga deu ótimo passe para Ambrossi. Dentro da área, o jogador da LDU cortou Antônio Carlos e marcou.

No início do segundo tempo, a LDU tentou buscar logo o terceiro gol. Mas permitiu o contra-ataque santista. Assim, aos 7min, o Santos novamente empatou. Basílio avançou sem marcação, driblou o goleiro Espinosa e deixou tudo igual.

Os anfitriões voltaram a pressionar. Neste momento, o Santos contou com seu goleiro e com a trave para evitar o gol. Em duas ótimas defesas, aos 7min e aos 8min, Mauro salvou sua equipe. Aos 9min, foi a vez da bola tocar a trave santista, após cabeçada de Reasco.

Com o Santos todo recuado e buscando apenas os contra-ataques com Basílio, a LDU seguiu pressionando durante todo o segundo tempo. As principais tentativas, porém, foram em chutes de fora da área. Mauro, goleiro santista, continuou mostrando segurança.

Após tanto insistir, os donos da casa finalmente conseguiram chegar ao terceiro gol, aos 40min. Salas aproveitou uma sobra de bola na meia-lua da área santista e bateu de primeira. Mauro ainda desviou a bola, que tocou na trave, mas acabou entrando.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro

Data: 05/05/2004
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Casa Blanca, em Quito, Equador.
Árbitro: Oscar Ruíz (COL)
Cartões: Jácome, Espíndola, Obregón e Salas (L); André Luis, Paulo César e Clainton (S).
Gols: Robinho (02-1), Elano (04-1) e Ambrossi (17-1); Urrutia (02-2), Ambrossi (27-2) e Salas (39-2).

LDU
J. Espinoza; Jácome, Espíndola, G. Espinoza e Reasco; Obregón, Urrutia, Ambrossi, Aguinaga; Salas e Paredes (González).
Técnico: Carreño

SANTOS
Julio Sérgio; Marco Aurélio, André Luis, Pereira (Paulo César) e Léo; Paulo Almeida, Claiton (Luis Augusto), Preto Casagrande e Diego; Robinho e Elano (Daniel).
Técnico: Émerson Leão



Santos perde de virada e se complica na Libertadores

Depois de um começo empolgante, com dois gols em apenas quatro minutos, o Santos não conseguiu segurar o resultado e perdeu por 4 a 2 para a LDU (Liga Deportiva Universitária), em Quito, no Equador, em jogo de ida das oitavas-de-final da Taça Libertadores, na madrugada desta quinta-feira.

O resultado deve aumentar a pressão dos torcedores santistas em relação ao trabalho do técnico Emerson Leão, duramente criticado após a derrota em casa para o Cruzeiro, por 3 a 1, na última rodada do Campeonato Brasileiro.

O Santos mostrou muita competência e oportunismo no começo da partida. Logo aos 2min, Robinho arriscou de fora da área e marcou um bonito gol. Dois minutos depois, Elano fez boa jogada individual e aumentou.

Depois da vantagem, o Santos recuou e deu espaço para o adversário. O meio-campista Paul Ambrosi diminuiu aos 18min. Apesar da pressão, a LDU não conseguiu chegar ao empate na etapa inicial.

O time equatoriano empatou aos 3min da etapa final, com Patrício Urrutia, aproveitando um passe de cabeça, completamente livre dentro da área.

Com apenas Robinho isolado no ataque, o Santos não teve força para pressionar o adversário, que chegou ao gol da virada aos 27min, novamente com Ambrosi, completando um cruzamento da direita. Aos 40min, Franklin Salas marcou de cabeça e assegurou a boa vantagem de sua equipe.

O jogo de volta será disputado na próxima terça-feira, na Vila Belmiro. Para ficar com a vaga evitando os pênaltis, o Santos precisa vencer por três gols de diferença.

Leão cai: queda no Paulista e Diego puseram fim a passagem do técnico

Até o ano passado Leão era intocável na Vila Belmiro, tinha poder para indicar contratações à diretoria e dispensar jogadores.

O processo de fritura começou quando não foi capaz de levar o time, que mantém praticamente o mesmo grupo que há dois anos ganhou o Brasileiro, ao título paulista, prioridade da diretoria.

Ele foi criticado pela forma como montou a equipe que foi eliminada depois de humilhante goleada sofrida diante do São Caetano.

Na ocasião expodiu outra crise. Como havia feito em quase todo o Estadual, Leão substituiu o meia Diego, que saiu reclamando. O treinador já havia entrado em atrito com o jogador ao se queixar dos rumos dado aà carreira do astro por seu pai, que também é empresário do camisa 10. Depois das seguidas queixas de Diego, teve fim a sina de substituições.

Por fim, o treinador teve que suportar a interferência do presidente do clube, Marcelo Teixeira, em questões técnicas.

O cartola, sem avisar o treinador, decidiu afastar o goleiro Doni e o atacante Robson (Robgol), do elenco. Os dois, especialmente o primeiro, eram apostas fortes de Leão.

A era Leão:

Quando assumiu: 05/2002
Títulos: Brasileiro 2002
Jogos oficiais: 127
Aproveitamento: 61%
Vitórias: 67
Empates: 31
Derrotas: 29

Colocação por campeonato:

Brasileiro 02: Campeão
Brasileiro 03: Vice-campeão
Libertadores 03: Vice-campeão
Paulista 03: Eliminado na 1ª fase
Sulamericana 03: Eliminado nas Quartas-de-final
Paulista 04: Eliminado na Semifinal