Navegando Posts marcados como Castelão

Ceará 0 x 1 Santos

Data: 02/06/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Arena Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: 50.809 presentes
Renda: R$ 769.376,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG).
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (ambos de MG).
VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Cartões amarelos: Luiz Otávio e Fernando Sobral (C); Carlos Sánchez (S).
Gol: Eduardo Sasha (06-2).

CEARÁ
Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e Jean Lucas; Fabinho, Pedro Ken (Felipe Baixola), Fernando Sobral e Thiago Galhardo; Leandro Carvalho (Mateus Gonçalves) e Bergson (Ricardo Bueno).
Técnico: Enderson Moreira

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Jorge; Carlos Sánchez, Jean Lucas, Jean Mota e Copete (Felipe Jonatan); Eduardo Sasha (Marinho) e Uribe (Alison).
Técnico: Jorge Sampaoli



Sasha ofusca Uribe e faz gol da vitória do Santos contra o Ceará

O Santos venceu o Ceará por 1 a 0 neste domingo, no Estádio Castelão, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, e assumiu a liderança provisória.

Na estreia de Fernando Uribe, o tão sonhado centroavante por Jorge Sampaoli, foi Eduardo Sasha o destaque. O camisa 27 fez o gol da vitória, de cabeça, como um autêntico 9, aos seis minutos do segundo tempo. A alteração no intervalo, de Felipe Jonatan por Copete, foi decisiva para o resultado.

O Peixe foi a 14 pontos e aguarda pelo fechamento da rodada. Palmeiras enfrenta a Chapecoense e Internacional recebe o Avaí. Ambos podem ultrapassar o Alvinegro. O Ceará caiu para 11º, com nove pontos.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Atlético-MG, quinta-feira, no Pacaembu, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Na ida, as equipes empataram por 0 a 0.

O jogo

O primeiro tempo teve 66% de posse de bola para o Santos, mas o Ceará muito mais perigoso, dando trabalho em pelo menos três ocasiões para o goleiro Everson.

O Peixe teve a bola, mas a maioria dos toques foram de lado, sem profundidade. Uribe quase não foi acionado em seu primeiro tempo pelo Alvinegro.

A única chance real santista foi de Sánchez, aos 44. Jean Mota encontrou o uruguaio livre na área, mas, de costas, ele não conseguiu girar e foi interceptado pelo goleiro Diogo.

A etapa final teve um Santos mais incisivo, transformando a posse de bola em perigo ao gol de Diogo. A primeira chance, porém, foi do Ceará. Aos três, Thiago Carvalho cruzou e a bola sobrou para Bergson, com Everson caído. O atacante, porém, chutou torto.

E quando o placar marcava seis minutos jogados, saiu o primeiro gol. E um lindo gol. Jean Mota lançou Felipe Jonatan, o lateral-esquerdo tocou para trás, Sánchez cruzou bem e Eduardo Sasha fez de cabeça.

Aos 11, quase veio o segundo de Sasha. Sánchez lançou Felipe Jonatan, que tocou para trás. Depois do bate-rebate, Sasha bateu cruzado, rente à trave. A arbitragem assinalava falta de Uribe.

No minuto 16, a resposta do Ceará. Victor Ferraz não interceptou lançamento, Everson saiu de cabeça e a bola sobrou para Thiago Galhardo. O meia-atacante bateu bonito, de cobertura, e a bola bateu no travessão.

Aos 28, Sobral cruzou e a bola bateu entre o peito e o ombro de Aguilar. A arbitragem não marcou pênalti, mas acionou o VAR e deixou o jogo seguir.

O Ceará se lançou ao ataque nos minutos finais e deu mais espaço ao Santos. Aos 37, quase que o estreante Marinho marcou logo após entrar na vaga de Sasha. Depois do rebote, o atacante bateu forte, alto, para Diogo Silva espalmar.

Nos últimos instantes, o Santos se resguardou e só deixou Marinho à frente. O ferrolho funcionou e garantiu os três pontos em Fortaleza.

Bastidores – Santos TV:

Ceará 2 x 1 Santos

Data: 12/09/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio Governador Plácido Castelo, o Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: 23.374 pagantes
Renda: R$ 321.300,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (Fifa-PR) e Bruno Boschilia (PR).
Cartões amarelos: Heleno e Kempes (C); Durval, Roberto Brum e Arouca (S).
Gols: Magno Alves (29-1), Keirrison (31-1); Geraldo (24-2).

CEARÁ
Michel Alves; Oziel, Anderson, Fabrício e Ernandes; Heleno (Camilo), Michel, João Marcos e Geraldo; Kempes (Misael) e Magno Alves (Tony).
Técnico: Dimas Filgueiras

SANTOS
Rafael; Pará (Maranhão), Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Roberto Brum, Arouca, Zezinho (Marcel) e Marquinhos; Neymar e Keirrison (Madson).
Técnico: Dorival Júnior



Veteranos do Ceará brilham e garantem vitória contra o Santos

Geraldo e Magno Alves marcaram os gols do Ceará. Jogo terminou com confusão entre os jogadores e santista reclamando de agressão de policial

Os veteranos do Ceará brilharam neste domingo e venceram o Santos por 2 a 1, no Estádio Castelão, em Fortaleza, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os atacantes Geraldo e Magno Alves marcaram de cabeça os gols da equipe cearense e afundaram os Meninos da Vila na tabela de classificação.

Keirrison desencantou e marcou seu primeiro gol com camisa do Santos. Porém, o atacante foi substituído mais uma vez na segunda etapa e não conseguiu evitar a derrota dos santistas. Após o final do jogo, Neymar se desentendeu com os jogadores do Ceará e a Policia Militar teve que entrar em campo. O meia Marquinhos reclamou de agressão dos policiais.

Com a derrota para o Ceará, o Santos perdeu uma posição na tabela para o Internacional-RS e caiu para a sexta colocação, com 31 pontos ganhos. Já os cearenses pulam para a décima colocação, com 28 pontos ganhos.

Após visitar o Ceará neste domingo, o Santos enfrenta o Atlético-GO, na próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já os cearenses jogam contra o Vitória-BA, na próxima quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Estádio Barradão, em Salvador.

A partida começou com bastante marcação e velocidade das duas equipes. Apesar de repetir o mesmo esquema utilizado contra o Botafogo, reforçando o meio-campo, o Santos saía em velocidade ao ataque e tentava escapar da marcação do Ceará, principalmente com os dribles de Neymar.

O jogador recebia uma forte marcação dos defensores do Ceará. Em consequência disso, o volante Heleno recebeu o cartão amarelo logo aos nove minutos após fazer falta no camisa 11 do Santos. Na sequência, Kempes fez falta forte em Pará e também ficou pendurado no jogo.

Aos 27 minutos, Durval derrubou Kempes na entrada da área e recebeu o cartão amarelo. Entretanto, na primeira jogada de perigo das duas equipes, os dois alvinegros balançaram as redes. O primeiro gol foi do Ceará. Aos 30 minutos, Kempes cruzou da direita na cabeça de Magno Alves, que abriu o marcador. Os cearenses não tiveram tempo para comemorar. Um minuto depois, Neymar fez boa jogada pelo lado esquerdo e tocou para Keirrison, que chutou rasteiro de perna esquerda para empatar o jogo.

Aos 43 minutos, cansado de apanhar no jogo, Neymar tentou fazer mais uma jogada de efeito e deu um “chapéu de carretilha” no defensor cearense. O atacante reclamou que levou um tapa no rosto, mas o árbitro não marcou a falta. Dois minutos depois, Neymar recebeu a bola em velocidade no meio da zaga, invadiu a área, se livrou de Heleno e chutou para fora.

No segundo tempo, os dois times voltaram sem alterações. Aos três minutos, foi o Santos que criou a primeira jogada de perigo. Arouca lançou Keirrison, que foi travado pelos zagueiros. Na sobra, Marquinhos chutou na mão de Michel Alves. O jogo deu uma esfriada e os treinadores resolveram mexer nas equipes. No Ceará, entraram Camilo e Misael para as saídas de Heleno e Kempes. No Santos, entrou Madson na vaga de Keirrison.

Aos 24 minutos, o Ceará voltou a esquentar a partida. Magno Alves, que quase saiu para a entrada de Misael – o treinador mudou de ideia – fez boa jogada pela linha de fundo e cruzou na cabeça de Geraldo, que marcou o segundo gol dos cearenses. Após o gol dos donos da casa, Dorival gastou as duas últimas alterações: saíram Zezinho e Pará para as entradas de Marcel e Maranhão.

Aos 34 minutos, um dos destaques do jogo, o atacante Magno Alves deixou o campo para a entrada de Toni. Depois disso, o lateral-direito Maranhão quase empatou o jogo no final, mas o goleiro Michel Alves salvou o Ceará e garantiu a vitória por 2 a 1. Após o término da partida, Neymar se desentendeu com os jogadores cearenses. A Policia Militar entrou em campo para evitar a confusão. Porém, o meia Marquinhos reclamou que foi agredido pelos próprios policiais.


Fortaleza 0 x 0 Santos

Data: 19/06/2005, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Governador Plácido Castelo, o Castelão, Fortaleza, CE.
Público: 26.517 pagantes
Renda: R$ 272.586,00
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (RJ).
Auxiliares: José Cláudio Paranhos e Avelino Menezes Pimentel (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Flávio, Wendel, Bóvio, Fabiano e Ricardinho (S); Alan, Bosco, Mazinho Lima e Fumagalli (F).

FORTALEZA
Bosco; Amaral, Alan, Ronaldo Angelim e Mazinho Lima; Dude (Índio), Erandir, Igor (Fumagalli) e Lúcio; Clodoaldo e Rinaldo (Marcos Denner).
Técnico: Vágner Benazzi

SANTOS
Mauro; Flávio, Ávalos, Altair e Wendel (Carlinhos); Bóvio, Élton, Ricardinho e Giovanni; Luciano Henrique (Basílio) e Danilinho (Fabiano).
Técnico: Gallo



Desfalcado, Santos empata com Fortaleza

A eliminação na Copa Libertadores ainda não foi assimilada pelo Santos. Sem contar com sete jogadores considerados fundamentais no esquema do técnico Gallo, o Alvinegro ficou apenas no empate por 0 a 0 com o Fortaleza, nesta tarde de domingo, no estádio Castelão.

O placar diminui um pouco a diferença do time paulista para as primeiras colocações. Com mais um ponto, o Peixe chegou aos 14, em sexto, quatro a menos que o Botafogo, derrotado pelo São Paulo por 1 a 0, no Morumbi.

O Fortaleza também não vive grande momento. Este foi apenas o oitavo ponto conquistado pela equipe, que ainda ocupa a 16ª posição, bem próxima da zona do rebaixamento. Seu melhor momento no torneio foi a 12ª colocação obtida na quinta rodada.

Apesar de não vencer há cinco partidas, os santistas deixaram o gramado comemorando o resultado, principalmente por causa das ausências de Leonardo, Léo, Paulo César, Fabinho, Zé Elias, Robinho e Deivid.

Por outro lado, a situação do técnico Gallo ainda permanece instável. O treinador deixou de ser unanimidade no Litoral e, mesmo garantindo que não vai pedir demissão, já passa a conviver com a sombra de Emerson Leão.

Para o Tricolor cearense, era a chance de se recuperar depois de duas derrotas – Internacional e Paraná – fora de casa. O último triunfo foi obtido há três rodadas, quando bateu o Brasiliense por 2 a 0, novamente em casa.

O resultado, aliás, mantém um tabu do Santos de nunca ter perdido para o Fortaleza. Em nove partidas pelo Campeonato Brasileiro, o Alvinegro venceu cinco e empatou apenas três.

Na próxima rodada, o Peixe volta a campo para enfrentar o São Caetano, domingo, às 16h, no estádio Anacleto Campanella, no ABC. O Fortaleza vai até Curitiba enfrentar o Atlético-PR, no mesmo dia, às 18h10, na Arena da Baixada.

O jogo

Apesar de todos os problemas, o Santos começou o confronto dominando. Com bom toque de bola, o Alvinegro envolveu com facilidade a marcação adversária, mas não conseguia se infiltrar na área.

A primeira boa oportunidade surgiu aos 6min. Após jogada pelo meio, Giovanni chutou forte e a bola passou por cima da meta de Bosco.

Depois de um início apagado, o Fortaleza começou a se arriscar no campo de ataque a partir dos 20min. O time da casa, porém, sentia falta de uma melhor atuação dos meias Igor e Lúcio, que pouco criavam, e praticamente não acionavam os atacantes Clodoaldo e Rinaldo.

O Peixe voltou a assustar aos 33min e perdeu grande oportunidade para marcar. Danilinho fez boa jogada pela esquerda e foi à linha de fundo. Na saída do goleiro, o avante tocou para trás e Luciano Henrique, sem marcação, tentou de peixinho, mas mandou a bola à direita do gol.

A resposta do Tricolor veio aos 38min, e com a chegada de um jogador de defesa ao campo ofensivo. O zagueiro Ronaldo Angelim recebeu passe na entrada da área, pela esquerda, cortou para o meio e chutou forte. Mauro espalmou e salvou.

No minuto seguinte, o Santos quase abriu o placar. Luciano Henrique avançou pela esquerda, invadiu a área e bateu cruzado. Bosco defendeu parcialmente e a zaga afastou para escanteio.

Logo no primeiro minuto da etapa complementar, o Fortaleza quase fez em falha do goleiro Mauro. Após cobrança de escanteio, o camisa 1 santista não conseguiu segurar e a bola caiu nos pés de Ronaldo Angelim que, com um leve toque, acertou a trave direita da meta.

Aos 6min, foi a vez de Giovanni criar. O meia recebeu na área, driblou um marcador e chutou com estilo. A bola passou próxima ao ângulo superior direito de Bosco e foi pela linha de fundo.

Mais agressivo, o Fortaleza chegava com perigo ao ataque. Com Rinaldo jogando mais aberto pelas laterais, o time ganhou espaço para criar. Aos 33min, Mazinho Lima errou cruzamento e quase encobriu o goleiro Mauro, que se esticou todo para desviar para fora.


Fortaleza 0 x 0 Santos

Data: 30/08/2003, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 29ª rodada
Local: Estádio Governador Plácido Castelo, o Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: 27.995 pagantes
Renda: R$ 219.937,50
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (FIFA RS)
Auxliares: José Carlos da Silva Oliveira (FIFA RS) e Paulo Ricardo Conceição (RS)
Cartões amarelos: Rena, Erandir e Erivélton (F); Fabiano e Alex (S) .

FORTALEZA
Jéfferson; Chiquinho, Erivélton, Fernando e Sérgio; Dino, Erandir, Messias (Ricardinho) e Michel (Mazinho); Vinícius e Rena.
Técnico: Márcio Araújo

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo (William), Alex, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego; Fabiano (Val Baiano) e Marcelo (Jerri).
Técnico: Emerson Leão



Santos só empata com o Fortaleza e perde a liderança do Brasileirão

O Santos não foi bem em seu primeiro jogo defendendo a liderança do Campeonato Brasileiro. Jogando em Fortaleza, o time paulista ficou num empate por 0 a 0 com o Fortaleza, pela 29ª rodada do torneio.

Com o resultado, o Santos foi novamente superado pelo Cruzeiro. O time mineiro goleou o Guarani por 4 a 1, também neste sábado. As duas equipes estão empatadas com 55 pontos, mas o Cruzeiro fica na frente nos critérios de desempate. O São Paulo é o terceiro lugar com 53.

O time santista voltou a sentir falta de um artilheiro. O time paulista começou jogando com Marcelo, que não foi bem e não voltou para o segundo tempo. Jerri entrou em seu lugar. Ainda no segundo tempo, Val Baiano entrou, mas também não resolveu.

O Fortaleza, apesar da fraca campanha, chegou a pressionar no segundo tempo e perdeu boas chances para marcar. Com 27 pontos, o time cearense segue na zona de rebaixamento do Brasileirão.

Placar em branco

O primeiro tempo foi do Santos. O time paulista começou o jogo pressionando e buscando o primeiro gol. O Fortaleza, porém, fechou-se bem em sua defesa e contou bom boa atuação de seu goleiro Jéfferson.

Sem marcar, o Santos acabou cedendo espaços em seu campo de defesa e o Fortaleza passou a contra-atacar com perigo. Aos 28min, Rena recebeu livre pela esquerda e cruzou para Vinícius. O centroavante, porém, não alcançou a bola.

Dois minutos depois, o Santos esteve muito perto de marcar. André Luís cobrou falta de longa distância e acertou o travessão cearense. O Fortaleza respondeu na seqüência com Rena, que fez boa jogada mas finalizou muito mal.

Já no final do primeiro tempo, o time tricolor ainda chegou com muito perigo ao ataque. Aos 44min, Vinícius teve espaço para dominar e bater de fora da área. Fábio Costa espalmou para escanteio.

A etapa final começou da mesma maneira que a primeira, com o Santos pressionando. Aos 3min, Renato chutou também de fora da área e Jéfferson mandou para escanteio. A partir daí o Fortaleza dominou o jogo.

Aos 14min, Chiquinho bateu de longe e acertou o travessão de Fábio Costa. No minuto seguinte, foi a vez de Mazinho chutar da entrada da área e o goleiro santista novamente desviou para escanteio.

O Santos voltou a ameaçar aos 33min, numa nova cobrança de falta de André Luís. Jéfferson fez otima defesa e mandou para escanteio. Nos minutos finais, o time alvinegro ainda perdeu duas ótimas chances com Val Baiano e Diego para chegar à vitória.


Sampaio Corrêa 1 x 5 Santos

Data: 24/09/1998, quinta-feira, 20h30.
Competição: Copa Conmebol – Semifinais – Jogo de volta
Local: Estádio Castelão, em São Luís, MA.
Público: 95.720 (recorde do estádio)
Renda: R$ 957.200,00
Árbitro: Francisco Dacildo Mourão Albuquerque (CE).
Cartões amarelos: Carlos Henrique (SC); Eduardo Marques e Élder (S).
Gols: Ivan (32-1), Lúcio (39-1), Argel (49-1); Eduardo Marques (01-2), Adiel (20-2) e Viola (24-2).

SAMPAIO CORRÊA
Carlos Alberto; Paulinho, Remerson, Nei e Ivan; Toninho (Marcinho), Oliveira (Cal), Massei e Adãozinho; Junior (Carlos Henrique) e Paulo Roberto.
Técnico: Julio César

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Jean e Athirson (Gustavo Nery); Marcos Bazílio, Narciso, Eduardo Marques (Élder), Lúcio (Adiel); Alessandro e Viola.
Técnico: Émerson Leão



Santos goleia e vai à final da Conmebol

Equipe de Leão vence por 5 a 1 o Sampaio Corrêa

O Santos goleou ontem o Sampaio Corrêa por 5 a 1 no estádio Castelão, em São Luís (MA), e conseguiu se classificar para a final da Copa Conmebol.

O time do técnico Leão vai decidir o torneio sul-americano contra o Rosario Central, da Argentina, que anteontem venceu o Atlético-MG por 1 a 0 no Mineirão.

No primeiro confronto das semifinais contra o Sampaio Corrêa, o Santos não havia passado de um empate sem gols, mesmo jogando na Vila Belmiro.

A equipe maranhense montou uma promoção especial para atrair torcedores, na qual notas fiscais podem ser trocadas por ingressos, e obteve resultado, como já vem acontecendo no Campeonato Maranhense. O Castelão, que recebeu a seleção brasileira na quarta-feira, contou ontem com 95.720 pessoas, recorde do estádio.

Apoiado pela torcida, o Sampaio Corrêa tomou a iniciativa do jogo. O time dirigido pelo técnico Julio Espinosa conseguiu abrir o placar aos 32min, com um gol de Ivan.

O Santos, que até a abertura do placar não tinha se arriscado tanto no ataque, foi à frente e acabou empatando a partida com um gol do meia Lúcio, aos 39min.

Nos acréscimos do árbitro cearense Francisco Dacildo Mourão, aos 49min, o zagueiro Argel colocou o Santos em vantagem.

No segundo tempo, o time maranhense partiu para o ataque e cedeu mais espaços para os contra-ataques santistas.

O time de Leão se aproveitou desses espaços e ampliou a vantagem logo a 1min. Eduardo Marques foi o autor do gol.

O Sampaio Corrêa tentou ainda descontar o placar, mas o Santos, com a classificação quase garantida, soube tocar a bola e chegar à marcação de outros dois gols.

Aos 20min, Adiel anotou. Quatro minutos depois, foi a vez de Viola aumentar. Depois o Santos apenas administrou o resultado.

As partidas finais contra o Rosario estão marcadas para os dias 7 e 21 de outubro. O Santos terá problemas de calendário para o primeiro jogo, na próxima quinta-feira. Segundo a tabela original do Brasileiro, o Santos enfrentaria a Ponte Preta na quarta-feira.

Situações opostas

Enquanto o técnico Julio Espinosa, do Sampaio Corrêa, ficou com o cargo ameaçado após a desclassificação de sua equipe da Copa Conmebol, o técnico Leão mostrou-se muito satisfeito com o poder de reação de seu time.

Além de decidir pela primeira vez em sua história a Copa Conmebol, o Santos também faz grande campanha no Brasileiro -está em segundo lugar, com 28 pontos, mas com um jogo a menos que o líder Corinthians, que tem 32.

A equipe santista tem retorno marcado para hoje a São Paulo, devendo chegar apenas no final da tarde ao aeroporto de Cumbica, em Guarulhos.

A pedido dos próprios jogadores, a delegação retorna logo em seguida a Santos, pois o time não quer perder tempo. Amanhã pela manhã já será feito um treinamento na Vila Belmiro.

O motivo de tanta pressa é o jogo decisivo de domingo contra o Corinthians, marcado para as 17h, no estádio do Morumbi. Os jogadores santistas planejam manter “concentração máxima” para a partida, que opõe os dois melhores times da competição.

Os jogadores do Santos ficaram ainda mais animados após a derrota de 2 a 1 do Corinthians para o Cruzeiro, ontem à noite. A equipe voltou a depender apenas de si para terminar a primeira fase do Brasileiro com a melhor campanha do torneio e enfrentar assim, teoricamente, o pior time entre os classificados à próxima fase.



Santos tenta ir à final da Conmebol (Em 24/09/1998)

Temendo pane elétrica, equipe joga hoje contra o Sampaio Corrêa, no Maranhão

Além de se preocupar com os cerca de 70 mil torcedores que devem apoiar o Sampaio Corrêa, hoje, às 20h30, no Maranhão, o Santos torce para que a iluminação do estádio não o prejudique na tentativa de chegar à final da Conmebol, torneio sul-americano de clubes.

A preocupação com a iluminação é plenamente justificada pelo que aconteceu segunda-feira e terça-feira, quando primeiro o Brasil e depois a Iugoslávia treinaram no estádio Castelão para o amistoso de ontem à tarde.

Na segunda, assim que Wanderley Luxemburgo começou a treinar seus 21 jogadores, metade dos refletores do estádio se apagaram. Anteontem, na hora do treino da Iugoslávia, o problema voltou a acontecer. Sem luz no Castelão, os europeus tiveram de encerrar o treinamento após dez minutos.

“Espero que isso não aconteça na nossa partida, porque seria uma lástima ter que jogar em outra data, já que para chegar a São Luís são quase sete horas de viagem, e o calendário brasileiro já é apertado”, disse o atacante Viola.

O jogador afirmou que está ansioso pelo clássico de domingo, no Morumbi. “Vai ser um jogão.”

O técnico Leão e o goleiro Zetti não falam no Corinthians. “Minha cabeça está voltada para o Sampaio Corrêa”, afirmou o treinador.

“O empate na Vila (0 a 0 contra o time maranhense, no jogo de ida das semifinais) está atravessado na nossa garganta”, desabafou Zetti.

Leão, no entanto, afirmou não acreditar que o Santos terá tantos problemas em São Luís quanto os que enfrentou na Vila Belmiro.

“Lá, o Sampaio jogou todo atrás, não tinha a obrigação de atacar. E o juiz, para piorar, não marcou dois pênaltis para o Santos. Jogando em casa, eles abrirão espaço para a gente, e ficará mais fácil ganhar.”

Se houver empate na partida de hoje, a decisão será nos pênaltis. O vencedor da partida enfrentará na final o ganhador do confronto entre Atlético-MG e Rosario Central, da Argentina, que jogariam ontem à noite em Belo Horizonte.

Conquistando o título, Leão será bicampeão, já que, em 97, venceu a Conmebol com o Atlético-MG.

A psicóloga da seleção brasileira, Suzy Fleury, elogiou ontem o perfil de Leão. Para ela, treinadores autoritários e disciplinadores têm maior possibilidade de conseguir resultados positivos do que os que não sejam tão “durões”.

Ele tem um perfil parecido com o do Wanderley Luxemburgo”, disse ela. “Não se trata de uma simples observação, mas de uma afirmação com base científica. Uma pesquisa feita pela Universidade de São Paulo mostra que técnicos que pregam a disciplina costumam se sair melhor.”



Narciso em ação contra o Sampaio Corrêa pela Conmebol.