Navegando Posts marcados como Chivas Guadalajara

Santos FC x CD Chivas Guadalajara






Santos Futebol Clube x Club Deportivo Chivas Guadalajara


Retrospecto:

12 jogos
08 vitórias
01 empate
03 derrotas
25 gols pró
15 gols contra
10 saldo

Resultados:

29/01/1959 – Santos 4 x 2 Chivas Guadalajara – Pentagonal – Ciudad de México
09/02/1961 – Santos 0 x 0 Chivas Guadalajara – Pentagonal – Ciudad de México
19/02/1961 – Santos 6 x 2 Chivas Guadalajara – Pentagonal – Guadalajara, México
20/09/1970 – Santos 2 x 1 Chivas Guadalajara – Amistoso – Los Angeles, EUA
01/06/1973 – Santos 1 x 0 Chivas Guadalajara – Amistoso – Oakland, EUA
03/06/1973 – Santos 2 x 1 Chivas Guadalajara – Amistoso – Los Angeles, EUA
12/08/1982 – Santos 1 x 2 Chivas Guadalajara – Amistoso – Guadalajara, México
26/03/1986 – Santos 1 x 0 Chivas Guadalajara-MEX – Amistoso – Ciudad de México
28/08/1994 – Santos 2 x 3 Chivas Guadalajara – Amistoso – Guadalajara, México
14/12/1994 – Santos 3 x 1 Chivas Guadalajara – Amistoso – Oakland, EUA
04/03/2008 – Santos 1 x 0 Chivas Guadalajara – Libertadores – Vila Belmiro
09/04/2008 – Santos 2 x 3 Chivas Guadalajara – Libertadores – Guadalajara, México

Chivas Guadalajara 3 x 2 Santos

Data: 09/04/2008
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara, México.
Árbitro: José Buitrago (COL)
Assistentes: Wilson Berrio e Javier Camargo (ambos da COL)
Cartões amarelos: Domingos, Evaldo e Wesley (S); Solis, Pineda, Araújo e Reynoso (C).
Gols: Arellano (12-1), Rodriguez (34-1) e Kleber Pereira (38-1); Santana (01-2) e Kleber (10-2).

CHIVAS GUADALAJARA
Luís Michel; Reynoso, Rodriguez e Magallon; Solis, Pineda, Ávila, Morales (Araújo) e Medina; Santana (Esparza) e Arellano (Bravo).
Técnico: Efraín Flores

SANTOS
Fábio Costa; Fabão, Domingos (Evaldo) e Betão; Denis (Quiñonez), Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro, Molina (Tiago Luís) e Kléber; Wesley e Kléber Pereira
Técnico: Emerson Leão



Santos cai no México, adia vaga às oitavas e vê Chivas encostar

O Santos entrou em campo necessitando de um empate para assegurar vaga às oitavas, montou esquema defensivo, mas não resistiu à pressão do Chivas, que venceu por 3 a 2, em Guadalajara, e encostou no time da Vila na disputa pela classificação na Libertadores.

Com esta derrota, o Santos não tem mais chance de ser líder do grupo 6. O Cúcuta tem 11 pontos, seguido pelo Santos, com sete. Chivas tem seis pontos e o San José quatro pontos. A equipe da Vila precisa vencer o Cúcuta, na Baixada, dia 16, para assegurar vaga às oitavas sem depender do resultado de San José x Chivas.

Irritado com o desempenho santista em campo, Leão “elegeu” a zaga alvinegra como a vilã no duelo no México. “Se eu tiver que listar tudo o que erramos, ficarei um longo tempo citando aqui. Não pode se apaixonar pela bola e sair correndo”, disparou o treinador à TV Tribuna.

Ciente de que o Chivas viria desesperadamente para cima do Santos, pois só a vitória interessava ao time da casa, Emerson Leão optou por uma formação cautelosa, usando três zagueiros, em vez de três no ataque.

Como previu Leão, o Chivas investiu fortemente no ataque. Travado em campo, o Santos não incomodou a defesa mexicana, permitindo avanços seguidos do rival. E o gol do Chivas não demorou a ocorrer. Após errar duas chances boas de gol, Arellano abriu o marcador, aos 12 min.

Mesmo atrás no placar, o Santos continuou apresentando sérias dificuldades em articular jogadas ofensivas. Melhor organizado, o Chivas criou inúmeras oportunidades de ampliar o placar. Irreconhecível, a equipe paulista apenas assistia ao Chivas em seu campo.

O convite ao ataque mexicano custou caro. Rodriguez, de cabeça, fez o segundo gol do time de Guadalajara. “Vítima” da blitz mexicana, Domingos cedeu lugar a Evaldo ainda na etapa inicial.

Em rara investida ofensiva, o Santos diminuiu o placar, com Kléber Pereira, que se enroscou com zagueiro mexicano em cobrança de escanteio.

O Chivas iniciou a etapa complementar imprimindo o mesmo ritmo dos 45 min iniciais. Logo no primeiro minuto, Santana aumentou a vantagem no placar, cabeceando sem qualquer marcação.

Sem criatividade, o Santos explorou jogadas de bola parada e voltou a encostar. De falta, Kléber cobrou bem, dando novo ânimo ao time da Vila. Na frente, o Chivas passou a se segurar na defesa, sem ser ameaçado pela equipe alvinegra.

Santos 1 x 0 Chivas Guadalajara

Data: 04/03/2008
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.083 pagantes
Renda: R$ 98.910,00
Árbitro: Carlos Amarilla
Gol: Molina (22-1).

SANTOS
Fábio Costa; Adriano, Domingos, Betão e Carleto; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto e Molina (Anderson Salles); Wesley (Quiñones), Trípodi (Thiago Luís) e Kléber Pereira.
Técnico: Emerson Leão

CHIVAS GUADALAJARA
Luis Michel; Báez, Magallón, Reynoso e Francisco Javier Rodríguez; Solís (Hernandez), Pineda Nava), Morales (Fabián) e Fabián; Bravo e Santana
Técnico: Efraín Flores



Santos vence o Chivas e assume liderança do Grupo 6 da Libertadores

Buscando diminuir a cobrança pela campanha ruim no Campeonato Paulista, o Santos derrotou o Chivas Guadalajara por 1 a 0, nesta terça-feira, na Vila Belmiro, em jogo do Grupo 6 da Taça Libertadores. O único gol foi marcado pelo colombiano Molina.

A equipe de Emerson Leão entrou em campo buscando se reabilitar da derrota sofrida para o Sertãozinho (1 a 0) pela última rodada do Campeonato Paulista. Atingiu o objetivo, e assumiu a liderança de sua chave na Libertadores, com quatro pontos.

Buscando sua primeira vitória no torneio –estreou empatando com o Cúcuta–, o técnico Emerson Leão manteve o esquema com três atacantes, Tripodi, Kléber Pereira e Wesley. No meio, o colombiano Molina armava as jogadas protegido pelos volantes Marcinho Guerreiro e Rodrigo Souto.

Ajudado por seus torcedores, o Santos chegou ao ataque com perigo aos 4min. Após cobrança de falta da esquerda, o zagueiro Domingos chegou a marcar o gol, mas o lance foi invalidado por impedimento pelo árbitro Carlos Amarilla (Paraguai).

Aos 9min, outra boa jogada santista. Kléber Pereira recebeu a bola na área, se livrou de um defensor e chutou forte, mas parou na defesa do goleiro Luis Michel.

Depois do bom começo, o Santos diminuiu o ritmo e começou a ter dificuldade para entrar na defesa adversária. Já o Chivas buscava uma oportunidade para o contra-ataque.

No entanto, aos 23min, o Santos conseguiu furar o bloqueio adversário. Molina protegeu a bola de um adversário e chutou forte de fora da área, por cima do goleiro mexicano, abrindo o placar do jogo.

Aos 38min, o Chivas quase empatou a partida. Após cobrança de escanteio, Rodriguez ganhou no alto da defesa santista e cabeceou com perigo. A bola passou perto da trave de Fábio Costa, que só olhou.

Depois de uma boa defesa de Fábio Costa logo no início, o Santos desperdiçou uma ótima oportunidade para ampliar o resultado aos 9min da etapa final. Kléber Pereira deixou Tripodi livre na cara do gol, mas a conclusão foi ruim, fora do gol mexicano.

Poucos minutos depois de perder um gol, Tripodi foi substituído por Thiago Luís. Aos 20min, Fábio Costa voltou a salvar o Santos ao defender uma cabeçada.

O Santos ainda perdeu uma ótima chance com Kléber Pereira –também levou alguns sustos–, mas conseguiu segurar o resultado.

No próximo domingo, o Santos –13º colocado com 14 pontos– volta a campo pelo Estadual, quando recebe o Noroeste na Vila Belmiro.

Chivas Guadalajara 0 x 1 Santos

Data: 26/03/1986
Competição: Amistoso
Local: Estádio Atlante, na Cidade do México, México.
Público e renda: N/D
Árbitro: Raymond Renner
Gol: Celso (14-1).

CHIVAS GUADALAJARA
Ledesma; Lugo, Dias, Madeiro e Ibarra; Lopes, Arelane (Garcia), Rodrigues (Gonzalez), DeLa Torre, Arias (Hector) e Torres.
Técnico: Alberto Guerra

SANTOS
Rodolfo Rodríguez; Gilberto Sorriso, Davi, Toninho Carlos e Paulo Róbson; Dunga, Celso e Junior (Carlos Alberto Borges); Mazinho Oliveira, Serginho Chulapa (Gerson) e Zé Sérgio (Kazu).
Técnico: Júlio Espinosa


Cansado, mas com um lucro de 20 mil dólares (Cr$ 277.000), o Santos retorna da miniexcursão aos Estados Unidos (onde empatou com a Seleção do México por 0 x 0) e Cidade do México, palco da vitória sobre o Deportivo Guadalajara, três dias depois. O Chivas foi o campeão mexicano em 86-87.

Fonte: Almanaque do Santos FC

Santos 6 x 2 Chivas Guadalajara

Data: 19/02/1961
Competição: Torneio Pentagonal de Guadalajara – 1ª rodada
Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara, México.
Público e renda: N/D
Árbitro: Fernando Buergo
Gols: Mellone (04-1), Mengálvio (09-1), Coutinho (24-1) e Pepe (30-1); Pagão (03-2), Pepe (07-2, de pênalti), Dorval (18-2) e Héctor Hernández (19-2).

SANTOS
Laércio; Fioti, Mauro (Ney) e Dalmo; Calvet e Zito (Formiga); Dorval (Sormani), Mengálvio, Coutinho, Pagão (Pelé) e Pepe (Tite).
Técnico: Lula

CHIVAS GUADALAJARA
Jaime Gómez; Arturo Chaires, Guillermo Sepúvelda e José Villegas; Juan Jasso e Pancho Flores; Francisco Jara, Salvador Reyes, Mellone, Sabás Ponce e Raúl “Pina” Arellano (Héctor Hernández).
Técnico: Javier de la Torre