Navegando Posts marcados como Cicero

Goiás 2 x 2 Santos

Data: 22/05/2014, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 6ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 6.190 pagantes
Renda: R$ 167.840,00
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Auxiliares: Marcio Eustáquio Santiago (MG-FIFA) e Fabio Pereira (TO-FIFA).
Cartões amarelos: Thiago Mendes e David (G); David Braz (S).
Gols: Geuvânio (08-1), Alex Alves (25-1) e Cícero (38-1); Erick (23-2).

GOIÁS
Renan; Thiago Mendes, Jackson, Alex Alves e Juliano (Lima); Amaral, David, Ramon, Tiago Real (Assuério) e Esquerdinha (Erick); Danilo.
Técnico: Ricardo Drubscky

SANTOS
Aranha; Cicinho, David Braz, Jubal, Zé Carlos; Arouca, Renato (Leandrinho), Cícero e Lucas Lima; Geuvânio (Vitor Andrade) e Gabriel (Stéfano Yuri).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Santos cede empate para o Goiás e pressão em cima de Oswaldo aumenta

Equipe paulista esteve à frente no placar em duas oportunidades, mas o time da casa chegou ao 2 a 2

O Santos mais uma vez vacilou no Campeonato Brasileiro. Após ficar à frente no placar por duas vezes, cedeu o empate ao Goiás em 2 a 2, no Serra Dourada, pela 6ª rodada do torneio nacional. Geuvânio, no início do jogo, e Cícero, já no fim da primeira etapa, marcaram para o Santos, enquanto Alex Alves e Erick decretaram a igualdade.

A partida também marcou a reestreia de Renato dez anos depois de deixar o clube. O volante de 35 anos atuou como primeiro volante, mas acabou falhando no segundo gol do Goiás e por fim deixou o campo com cãibra.

Com apenas uma vitória no Brasileirão, o técnico Oswaldo de Oliveira complica sua situação no clube, que já não parece muito confortável após uma semana de ataques ao seu trabalho e de cobrança por parte do treinador à diretoria.

O jogo:

Logo aos 2 minutos, a reestreia de Renato com a camisa do Santos por pouco não foi abrilhantada com um gol. Após cobrança de escanteio pela esquerda, a bola passou por todo mundo e sobrou limpa para o volante, praticamente da marca penal, bater de primeira, mas a bola subiu demais e foi para fora.

Em seguida, Geuvânio puxou contra-ataque e quase deixou Gabriel livre, na cara do gol, não fosse o carrinho salvador do zagueiro esmeraldino.

Com tanta pressão, o Santos abriu o placar já aos 8 minutos. Cicinho arrancou pela lateral direita e cruzou, Gabriel dominou, girou bonito e carimbou a trave. No rebote, Geuvânio não perdoou e balançou a rede do Serra Dourada.

Após levar o gol, o time da casa partiu em busca da reação imediata e teve uma grande chance com uma falta bem próxima ao gol de Aranha, mas a cobrança ficou na barreira, para alívio dos santistas, que mais uma vez entraram em campo com o uniforme número 3, amarelo e preto.

À frente do placar, o Santos passou a explorar em saídas rápidas e perigosas. Aos 16 minutos, após o Goiás perder a bola no meio de campo, Cícero carregou até a entrada da área adversária e bateu forte. A bola passou rente a trave de Fernando Henrique.

Aos 25 minutos, mesmo sem merecer pelo futebol que vinha apresentado, o Goiás chegou ao empate em lance de bola parada. Após cobrança de escanteio pela direita e um desvio no primeiro pau, o zagueiro Alex Alves foi oportuno e pegou de primeira, sem chance para Aranha.

Com o gol, o Esmeraldino se empolgou e tentou sufocar o Peixe na base da correria e da vontade, mas aos poucos o jogo ficou morno, sem muitos lances de perigo. Até que Thiago Mendes colocasse pilha na partida novamente, infelizmente para o torcedor local, já que o lateral cometeu pênalti infantil já no fim do primeiro tempo.

No lance, David Braz se aventurou no ataque, fez fila e a bola sobrou para Arouca, que devolveu para o zagueiro santista, que só não fez o gol porque o lateral do Goiás o atropelou pelas costas. Pênalti assinalado e convertido por Cícero, que deslocou o goleiro rival na cobrança.

Na frente do placar novamente, a notícia ruim para o alvinegro praiano foi a saída de Gabriel precocemente do jogo após sentir uma lesão. Antes de descer para o vestiário, o volante Renato falou rapidamente sobre sua reestreia com a camisa do Santos após 10 anos. “Emoção grande, como da primeira vez. Agora é fazer o melhor para saírmos com os três pontos”, disse.

Os 15 primeiros minutos da etapa complementar foram bastante conservadores. As duas equipes voltaram dos vestiários mais cautelosas, principalmente os comandados por Oswaldo de Oliveira, que conquistavam a vitória parcial.

Na tentativa de pressionar o Peixe, o técnico Ricardo Drubscky colocou dois atacantes rápidos no jogo, Erick e Assuério. Pouco depois, a substituição já fez efeito. Renato saiu jogando errado, perdeu a bola no meio de campo e viu Assuério partir em direção ao gol. Desarrumado, o Peixe deu espaço para Erick receber passe sozinho e bater na saída de Aranha para empatar o jogo.

O Peixe sentiu o gol e viu o time da casa crescer junto com a torcida, que passou a se inflamar nas arquibancadas. Autor do gol de empate, Erick levava perigo sempre que recebia a bola. Em um rápido contra-ataque, o atacante esmeraldino entortou Cicinho e quase marcou um golaço.

No fim, Stéfano Yuri quase deu a vitória aos santistas, mas o placar não foi mais alterado, sem comemoração de nenhuma das equipes.

Bastidores – Santos TV:




Santos 1 x 2 Atlético-MG

Data: 18/05/2014, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá, MT.
Público: 15.600 pagantes
Renda: R$ 706.000,00
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ-FIFA).
Auxiliares: Eduardo de Souza Couto e Michael Correia (ambos do RJ).
Cartões amarelos: David Braz e Neto (S); Emerson Conceição, Victor e Leonardo Silva (A).
Gols: Cícero (37-1); André (29-2) e André (35-2).

SANTOS
Aranha; Bruno Peres (Zé Carlos), Neto, David Braz e Mena; Alan Santos (Leandrinho), Arouca, Cícero e Lucas Lima (Geuvânio); Gabriel e Thiago Ribeiro.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ATLÉTICO-MG
Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Otamendi e Emerson Conceição; Pierre (Eduardo), Leandro Donizete e Rosinei (Carlos); Marion, Fernandinho (Dátolo) e André.
Técnico: Levir Culpi



Desfalcado, Atlético-MG vence de virada e encerra série positiva do Santos

Arena Pantanal viu o ex-santista André marcar duas vezes e derrubar o time que o revelou. Cícero marcou para os paulistas

Jogando na Arena Pantanal, em Cuiabá, o Santos foi superado pelo Atlético-MG neste domingo, terminando sua série de quatro vitórias. Desfalcado de quase um time inteiro, o Galo jogou melhor e venceu a equipe da Baixada Santista por 2 a 1, com dois gols de André, ex-jogador do Peixe. Cícero descontou para o time paulista.

O Atlético-MG alcançou os cinco pontos, ocupando a 14ª colocação. Já o Santos, fica com sete pontos, na 11ª posição.

O jogo

O Santos começou melhor. Aos três minutos da primeira etapa, Mena cruzou da esquerda e encontrou Gabriel, que escorou para Cícero chegar batendo. O goleiro Victor fez ótima defesa para salvar o Atlético-MG.

O Galo acordou e começou a pressionar o Santos na zona defensiva. As melhores chances dos mineiros vieram pelo alto, após cobranças de escanteio. Aos 30, Leonardo Silva testou forte e obrigou Aranha a fazer uma grande defesa.

Em jogada similar, o Atlético-MG novamente chegou com perigo. Escanteio cobrado e Otamendi subiu e cabeceou para baixo. A bola quicou na frente de Aranha e foi para fora, passando por cima da baliza santista.

Apesar da pressão atleticana, quem chegou ao gol primeiro foi o Santos. Aos 37 minutos, Alan Santos lançou Cícero, que tocou com tranquilidade para os fundos das redes dos mineiros.Na volta do intervalo, o Atlético-MG criou boa oportunidade aos nove minutos. Emerson Conceição cruzou da esquerda e Carlos chegou cabeceando. A bola passou rente à trave do goleiro Aranha.

Melhor no jogo, o Atlético-MG chegou ao empate aos 29 minutos. Alex Silva invadiu a área pela esquerda, perdeu o domínio, mas insistiu e armou uma bicicleta. O lindo passe encontrou André, que apenas teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

Minutos depois, o Galo virou o marcador da partida. Marion armou um bom contra-ataque e tocou para André. O atacante chutou de bico e acertou o canto inferior esquerdo de Aranha, marcando seu segundo gol no jogo.

Para piorar a situação santista, Thiago Ribeiro se lesionou, mas a equipe já havia feito as três alterações, ficando com um a menos no jogo.

Técnico do Santos lamenta chances perdidas, mas admite Atlético-MG superior

Equipe de Oswaldo de Oliveira saiu na frente na Arena Pantanal, mas levou a virada diante do desfalcado time de Belo Horizonte

O Santos saiu na frente contra o Atlético-MG e tinha tudo para confirmar a vitória no segundo tempo, diante de um adversário bastante desfigurado. Aconteceu exatamente o oposto e o Peixe levou a virada na Arena Pantanal . Oswaldo de Oliveira lamentou algumas chances perdidas no segundo tempo.

“Foram detalhes, jogadas de contra-ataque. Tivemos duas chances, até melhores que eles, mas eles fizeram, e nós, não”, declarou.

Outro fator apontado pelo técnico santista para a derrota foi o cansaço e a sequência de jogos. Na última quinta-feira, enquanto o Galo descansou, o Peixe encarou o Princesa de Solimões-AM, em duelo válido pela Copa do Brasil.

“Sabíamos que teríamos muitas dificiuldades. Tivemos o jogo da Copa do Brasil (contra o Princesa do Solimões-AM) no meio da semana, viagem, desfalques… Sentimos muito. A saída do Cicinho (suspenso) e do Alison e do Jubal (na seleção sub-21) foram sentidas. Os que entraram voltavam de contusão, acabou sendo um peso grande”, completou.


Rio Claro 3 x 3 Santos

Data: 16/03/2014, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 14ª rodada
Local: Estádio Augusto Schimidt, em Rio Claro, SP.
Público: 8.754 pagantes
Renda: R$ 247.780,00
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Cartões amarelos: Nando Carandina, Robson (RC); Cicinho, David Braz e Stéfano Yuri (S).
Gols: Geuvânio (21-1), Renan Diniz (42-1); Gabriel (06-2), Renan Diniz (24-2), Léo Costa (26-2) e Cícero (29-2).

RIO CLARO
Cléber; Carlinhos, Marllon, Renan Diniz e Henrique; Nando Carandina, Patrik Silva, Léo Costa e Rafael Costa; Robson (Wendell) (Alex Afonso) e André Luiz.
Técnico: Fahel Júnior

SANTOS
Vladimir; Cicinho, David Braz, Jubal e Emerson Palmieri; Arouca, Cícero e Gabriel (Alison); Rildo (Diego Cardoso), Geuvânio e Leandro Damião (Stéfano Yuri).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Santos empata com o Rio Claro por 3 a 3 e perde a melhor campanha no Paulista

Em jogo movimentado, time santista conseguiu buscar a igualdade, mas agora está atrás do Palmeiras na classificação geral por pontos ganhos no estadual

Em um movimentado jogo disputado no estádio Augusto Schmidt neste domingo, válido pela 14ª rodada do Campeonato Paulista , Rio Claro e Santos empataram por 3 a 3. Geuvânio, Gabriel e Cícero marcaram para o Alvinegro, enquanto os donos da anotaram seus gols com Renan Diniz (dois) e Léo Costa.

Com o resultado, o Santos, líder do Grupo C, chegou aos 33 pontos – dois a menos que o Palmeiras , líder do Grupo D e melhor equipe da competição. O Rio Claro segue na terceira colocação da chave D, agora com 20 pontos.

O jogo

Aos 15 minutos, uma jogada individual de Rildo quase resultou na abertura do placar. O atacante santista recebeu na ponta esquerda, invadiu a área, livrou-se de três jogadores do Rio Claro, mas, no momento da finalização, chutou torto, para longe da meta.

A pressão do Santos na saída de bola surtiu efeito aos 21. Gabriel roubou a bola pelo lado direito e passou para Rildo, que lançou Leandro Damião. O camisa 9 santista ajeitou de calcanhar para Geuvânio, que finalizou com força e contou com a colaboração do goleiro Cléber.

Em rápida jogada de contra-ataque, puxada por Arouca, aos 30 minutos, o Santos quase fez o segundo. Gabriel recebeu do volante santista e finalizou com força da entrada da área. O goleiro Cléber rebateu mal, Carlinhos falhou na saída e Gabriel, novamente, chutou para boa defesa do goleiro adversário.Dois minutos mais tarde, o Rio Claro assustou a torcida santista. Rafael Costa recebeu perto da meia-lua e finalizou rasteiro, com força. A bola passou rente à trave esquerda defendida por Vladimir.

Aos 38 minutos, Vladimir evitou o que seria o gol de empate do Rio Claro. Nando Carandina arriscou de longe e o goleiro santista teve de se esticar para cair no canto direito e ceder escanteio aos anfitriões.

Quatro minutos depois, o Vladimir se tornou vilão. Após escanteio pela direita, o goleiro santista saiu mal do gol e Renan Diniz, livre de marcação, só precisou empurrar a bola para o fundo das redes, decretando o empate.

Logo aos dois minutos da segunda etapa, o Rio Claro perdeu a chance de virar o placar. Carlinhos cruzou para área, Cicinho falhou e André Luiz dominou a bola de frente para Vladimir. Com a perna esquerda, o camisa 11 do Galo Azul finalizou para fora.

Pressionado no início da etapa complementar, o Santos se aproveitou de uma falha da defesa do Rio Claro para marcar o segundo. Marllon errou na saída, Damião recuperou a bola e passou para Geuvânio, que cruzou na medida para Gabriel. Com uma cabeçada precisa, o camisa 7 santista acertou o ângulo esquerdo de Cléber.

Leandro Damião quase marcou o terceiro do Peixe aos 11 minutos. Após escanteio cobrado pela direita, o centroavante acertou cabeçada no travessão.

Novamente em bola parada e com o zagueiro Renan Diniz, o Rio Claro empatou a partida. Após escanteio cobrado pelo lado direito, Renan Diniz subiu livre e cabeceou com força.

Dois minutos depois, Emerson foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Cícero, que mandou a bola por cima do gol.

No lance seguinte, o Rio Claro virou o placar. Com um passe preciso, Patric colocou Léo Costa na cara do gol. Um dos artilheiros do Campeonato Paulista, o meia-atacante finalizou com categoria, no canto direito de Vladimir.

O Santos deixou a partida empatada de novo aos 29 minutos. Rildo fez jogada individual pela esquerda e sofreu falta. Na cobrança, Geuvânio cruzou na cabeça de Cícero, que mandou a bola no canto direito de Cléber.


Santos 5 x 0 Bragantino

Data: 27/02/2014, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 11ª rodada
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.424 pagantes
Renda: R$ 56.457,00
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Rogerio Pablos Zanardo e Gustavo Rodrigues de Oliveira.
Cartões amarelos: Jubal e Rildo (S); André Astorga e Gustavo (B).
Cartão vermelho: Yago (B).
Gols: Cícero (41-1); Gabriel (01-2), Geuvânio (06-2), Geuvânio (23-2) e Leandro Damião (32-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Jubal, Neto (David Braz) e Mena (Bruno Peres); Arouca e Cícero; Gabriel, Geuvânio (Lucas Lima), Rildo e Leandro Damião.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

BRAGANTINO
Rafael Defendi; Guilherme Mattis, Yago e Alexandre; Robertinho, Gustavo, Francesco, Magno (Wagner), Leo Jaime e Cesinha (Renatinho); Tássio (André Astorga).
Técnico: Marcelo Veiga



Santos volta a apresentar bom futebol e goleia o Bragantino na Vila Belmiro

Com a vitória por 5 a 0, time retoma o posto de dono da melhor campanha do Campeonato Paulista, com 26 pontos

O Santos voltou a apresentar um bom futebol e não deu chances para o Bragantino , nesta noite chuvosa de quinta-feira, na Baixada Santista. Em partida válida pela décima primeira rodada do Campeonato Paulista, o time venceu por 5 a 0, com gols de Cícero, Gabriel, Geuvânio, duas vezes, e Leandro Damião.

Cerca de três horas antes do início da partida, um dilúvio atingiu a cidade de Santos, e a partida por pouco não foi suspensa. A drenagem do Estádio da Vila Belmiro mostrou ser de primeira linha, e o campo se mostrava em condições perfeitas para a prática do futebol. Ao entrar na Vila Belmiro, jogadores dos dois lados carregavam bandeiras brancas, em uma forma de pedir o fim da violência dentro e fora dos estádios.

Após algumas má exibições, o Santos voltou a convencer na Vila Belmiro e retomou o posto de melhor campanha do Campeonato Paulista, com 26 pontos. Já o Bragantino perdeu a sua primeira partida para os considerados “grandes”, após duas vitórias por 2 a 0, contra São Paulo e Corinthians. O time de Bragança é o segundo do Grupo D (Chave do Palmeiras), com 16 pontos, e segue firme na luta pela classificação para segunda fase.

O jogo:

O primeiro grande lance da partida aconteceu aos 10 minutos do primeiro tempo, em cobrança de falta de Cícero. O número oito santista chutou forte e obrigou o goleiro do Bragantino a espalmar para escanteio.

A tarefa do Bragantino em conquistar um bom resultado ficou complicada, quando o zagueiro Yago foi expulso, após o segundo cartão amarelo, em falta em cima de Cicinho. Tentando arrumar o time, o treinador Marcelo Veiga tirou o atacante Tássio e colocou o zagueiro André Astorga, porém a superiodade do Santos só aumentou.

Aos 26 minutos, o Santos quase inaugurou o placar. Damião e Cícero bombardearam o goleiro do Braga, com duas finalizações seguidas. A primeira, depois de um cruzamento na área, a bola sobrou para Damião, porém a zaga travou o chute, mas a bola ficou limpa para Cícero, que tentou de voleio e obrigou Defendi a fazer a terceira grande defesa na partida.

O Bragantino descontou no ataque seguinte. Na verdade, nos pés de Léo Jaime o time de Bragança teve a sua única grande chance na partida. O meia dominou na entrada da área e soltou a bomba cruzada. A Bola quase entrou no ângulo do goleiro Aranha. Aos 31 minutos, Damião recebeu cruzamento de Mena e e livre na pequena área, encheu o pé e a bola acabou explodindo no travessão.

Após muito pressionar, o Santos abriu o marcador aos 41 minutos do primeiro tempo, através de Cícero em chute longo de fora da área. O meio-campista dominou a bola e soltou uma bomba rasteira no canto do goleiro Rafael Defendi, que mesmo se esticando todo, não conseguiu alcançar a redonda.

No segundo tempo, logo no primeiro minuto, a surpresa do treinador, Oswaldo de Oliveira, o atacante Rildo avançou pela esquerda e cruzou na medida para Gabriel, outra novidade e atuando mais como meio-campista, completar com classe para o gol do Bragantino. O Peixe fazia 2 a 0 na partida.

Aos seis minutos, o Santos ampliou o marcador. Geuvânio tocou para Cicinho e recebeu de volta livre na área, e com muita classe bateu para o gol, deixando sua marca na Vila Belmiro. Aos 21, o atacante marcou o seu segundo gol na partida, após nova troca de passes da equipe alvinegra praiana. O número do Peixe, mais uma vez foi um dos destaques da partida.

Aos 32 minutos, virou goleada. O estreante da noite, Lucas Lima, fez sua primeira assistência com a camisa do Santos. Em jogada na linha de fundo, o meia cruzou na pequena área, e Damião se antecipou à zaga para fazer de carrinho. Na comemoração, o tradicional bigode grosso.

Bastidores – Santos TV:

Artilheiro, Geuvânio comemora renovação com beijo no escudo

Atacante se iguala a Gabriel e Cícero como goleador do Santos no Paulistão e diz que renovação de seu vínculo, agora válido até 2017, o deixou mais tranquilo

O atacante Geuvânio marcou duas vezes na vitória do Santos sobre o Bragantino por 5 a 0, na Vila Belmiro, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Após a partida, o jogador celebrou a fase goleadora – ele é o artilheiro do time na competição com cinco gols, ao lado de Cícero e Gabriel – e a renovação de seu contrato com o Peixe, agora válido até dezembro de 2017.

Vale ressaltar que, ao ser substituído por Lucas Lima aos 26 do segundo tempo, quando o jogo já estava 4 a 0, Geuvânio foi aplaudido pelos pouco mais de 3 mil torcedores na Vila e retribuiu o carinho com beijos no escudo do Santos na camisa.

– O melhor mesmo é a equipe sair vencedora. Estou muito feliz. O contrato renovado deu ainda mais tranquilidade – comemorou Geuvânio, elogiando a aposta do técnico Oswaldo de Oliveira em uma formação ofensiva, com três atacantes e o apoio de Gabriel e Cícero.

– A gente ficou bem ofensivo, com um ataque forte. Deu certo. O professor (Oswaldo) mexeu certinho e está de parabéns – destacou.

Oswaldo, por sua vez, aprovou o desempenho de Geuvânio, revelando que o jogador não andava satisfeito com as próprias atuações.

– O Geuvânio é um garoto muito sensível. Ele estava um pouco chateado com as últimas atuações dele. Ele não me disse, mas eu percebi. Fiquei muito feliz que tenha restabelecido alegria dos primeiros jogos. Dei um abraço de irmão mais velho – comentou.


Santos 2 X 1 Atlético de Sorocaba

Data: 20/02/2014, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 9ª rodada
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.353 pagantes
Renda: R$ 124.053,00
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: João Edilson de Andrade e Maiza Teles Paiva.
Cartões amarelos: Thiago Ribeiro, Rildo e Jubal (S); Danilo Alves (AS).
Gols: Leandro Damião (01-2), Danilo Almeida (25-2) e Cícero (46-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Jubal, Neto e Mena; Arouca, Leandrinho (Gabriel) e Cícero; Geuvânio (Rildo), Thiago Ribeiro e Leandro Damião (Stéfano Yuri).
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ATLÉTICO SOROCABA
Deola; Ivan, Thiago Costa, Danilo, João Paulo e Matheus; Fernando, Marcinho (Anderson Costa) e Douglas Packer (Boquita); Michel e Danilo Almeida (Ewerthon).
Técnico: Roberto Cavalo



Atacante fez seu primeiro gol pelo novo clube diante do Atlético Sorocaba, na Vila Belmiro

Em uma Vila Belmiro bastante esvaziada, a torcida, enfim, viu a sua principal contratação, Leandro Damião, marcar pela primeira vez com a camisa do Santos , e no sufoco comemorou o gol de Cícero de cabeça, já nos acréscimos, na vitória de 2 a 1 diante do Atlético Sorocaba, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Paulista. O atacante Danilo Alves descontou para os visitantes, que tem uma das piores campanhas da competição.

O goleiro Deola foi um dos destaques do primeiro tempo, com pelo menos três ótimas defesas, que impediram o Santos de abrir o marcador, logo na primeira parcial. O time da casa voltou melhor no intervalo, com a entrada de Gabriel no lugar de Leandrinho, mas pecou nas finalizações e viu o time de Sorocaba empatar a partida. Porém, nos acréscimos, novamente o meia Cícero apareceu e livrou a equipe de vaias na Vila Belmiro. Foi o quarto gol dele na competição.

O Santos, sob o comando de Oswaldo de Oliveira, chegou à sétima vitória na competição, subiu aos 22 pontos e mantém a liderança isolada do Grupo C do Campeonato Paulista.

Já o Atlético de Sorocaba, dirigido pelo técnico Roberto Cavalo, segue na lanterna do Grupo A com apenas cinco pontos. O time do interior possui apenas uma vitória na competição, além de um empate e seis derrotas. Desde o comando do novo treinador, tem crescido na competição e na próxima rodada tem confronto direto na luta pela permanência na série A.

Na próxima rodada, o Santos terá pela frente o clássico diante do São Paulo, no próximo domingo, 23, às 16h (de Brasília), no Morumbi. Já o Atlético Sorocaba viaja até Jundiaí para enfrentar o Paulista, no Estádio Jaime Cintra, também no domingo, só que às 18h30, em confronto direto pela fuga do rebaixamento.

A partida começou truncada, porém com um domínio maior do Santos, que não recebia um bom público na Vila Belmiro. A primeira grande oportunidade aconteceu logo aos dois minutos de jogo. Após cruzamento da direita de Thiago Ribeiro, o atacante Leandro Damião apareceu sozinho e cabeceou firme no canto do gol. O goleiro Deola fez uma boa defesa, impedindo o primeiro gol do camisa 9.

O Santos era melhor e continuava pressionando. Aos cinco minutos, com o lateral-direito Cicinho novamente quase abriu o placar. Ele invadiu a área e bateu forte, só que na rede do lado de fora. A resposta do Atlético Sorocaba veio aos oito, com o lateral-esquerdo Matheus, que na tentativa de cruzar, quase acabou surpreendendo Aranha e iria fazer um golaço na Vila.

Aos 27 minutos, Geuvânio achou Thiago Ribeiro sozinho na área. O atacante santista girou em cima do zagueiro, porém bateu fraco e a bola saiu a esquerda das traves defendidas por Deola. Depois aos 35, o goleiro emprestado pelo Palmeiras salvou novamente o time visitante, após espalmar uma cabeçada “a queima roupa” do meia Cícero.

Nos cruzamentos longos, o Santos chegava com perigo ao gol do Atlético Sorocaba. Aos 43 minutos, mais um lançamento, desta vez de Leandrinho para área sorocabana. Cícero subiu mais alto que os defensores rivais e cabeceou raspando na bola, para mais uma excelente defesa de Deola, que de longe era o melhor jogador da partida.

Na volta do intervalo, Oswaldo de Oliveira colocou o time para frente e tirou Leandrinho e colocou Gabriel. E a mudança fez efeito, logo no primeiro ataque, Cicinho cruzou da direita, Geuvânio pegou mal na orelha da bola, e a mesma acabou sobrando para Leandro Damião, que completou de cabeça para o gol vazio.

Novamente pela direita, o Santos chegou com perigo. Aos 18 minutos, Cicinho cruzou na medida para Thiago Ribeiro, que meio de canela e tornozelo pegou sem jeito e a bola acabou passando raspando a trave de Deola. O Peixe dominava a segunda parcial e não dava chances para o Atlético Sorocaba reagir na partida, porém não concretizava as finalizações em gol.

Aos 24 minutos, mais uma oportunidade desperdiçada pelo ataque do Santos, desta vez nos pés de Gabriel, que recebeu livre na entrada da área e chutou com perigo no canto esquerdo de Deola. O castigo veio no minuto seguinte com Danilo Alves. O centroavante recebeu a bola, driblou a zaga santista e bateu forte no gol, e após desvio do zagueiro Neto, viu a bola entrar lentamente nas traves defendidas por Aranha.

O gol motivou o Atlético Sorocaba, que perdeu uma chance incrível de ampliar o marcador. O lateral direito Ivan, aproveitou nova falha defensiva do Santos e apareceu livre na entrada da área, o jogador driblou Aranha, porém se precipitou e chutou para fora, com a bola ainda batendo na parte de fora da trave direita.

Aos 35 minutos, rápido contra-ataque do time visitante. O atacante Anderson, que entrou bem na partida, fez fila na zaga defensiva do Santos, e só parou após boa defesa de Aranha com os pés, que impediu a virada do Atlético Sorocaba, em plena Vila Belmiro.

Já nos acréscimos, quando a torcida santista vaiava o time, a equipe do Peixe chegou ao gol da vitória, após cabeçada de Cícero, que se tornou o artilheiro da equipe com quatro gols marcados.