Navegando Posts marcados como Cleber Santana

Juventude 0 x 2 Santos

Data: 17/06/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, RS.
Árbitro: Willian Marcelo Souza Nery (RJ)
Auxiliares: Hilton José Moutinho e Jorge Luiz Campos Roxo (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Alessandro (S), Lauro (J), Adriano (S) e Cláudio (J)
Gols: Cléber Santana (01-1) e Marcos Aurélio (31-1).

JUVENTUDE
Michel Alves, Ricardo, Leonardo Silva, Cedrola e Márcio Azevedo (Wescley); Marcão, Lauro, Beto e Bruno (Éber); Michel e Alex Alves (Cláudio)
Técnico: Flávio Campos

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Domingos e Carlinhos; Rodrigo Souto, Adriano, Cléber Santana e Pedrinho (Rodrigo Tabata); Renatinho (Moraes) e Marcos Aurélio (Marcelo).
Técnicos: Nei e Serginho Chulapa



Santos vence Juventude em Caxias e supera mau momento

O Santos deu o primeiro passo para superar o seu mau momento na temporada. Em meio à turbulência posterior à eliminação da Copa Libertadores, o time da Vila Belmiro visitou, neste domingo, o Juventude em Caxias do Sul, venceu por 2 a 0 e conseguiu se livrar da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Santos chegou aos sete pontos e pulou para a 14ª posição na tabela da Serie A, beneficiado pelos maus resultados de Grêmio, Náutico, Flamengo, Sport e América-RN na rodada. Já para o Juventude, o revés significou a permanência na casa dos seis pontos, na 15ª colocação, fora da área do perigo apenas pelos critérios de desempate (saldo de gols).

Para o Santos, mais importante que a vitória em si foi recuperar a auto-estima perdida nos últimos tempos. Desde a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR fora de casa, há três rodadas, o time alvinegro não conseguia ter bons resultados.

Logo depois do confronto diante dos paranaense veio o primeiro jogo da semifinal da Copa Libertadores, que terminou 2 a 0 para o Grêmio, em Porto Alegre. Na seqüência veio o empate por 1 a 1 com o Corinthians na Vila Belmiro e a vitória em casa por 3 a 1 sobre o time gaúcho, que marcou a eliminação do Santos do torneio continental.

Depois disso, além de perder para o Internacional no Beira-Rio por 1 a 0, o time alvinegro ainda viu Zé Roberto, seu principal astro, anunciar sua transferência para o futebol europeu e a torcida viver a expectativa de um possível desmanche.

Para o confronto em Caxias, os problemas não eram poucos. Maldonado, lesionado, Kléber, servindo a seleção brasileira, e até Vanderlei Luxemburgo (que chegou a indicar alterações para o seu auxiliar Serginho Chulapa pelo telefone), recuperando-se de cirurgia no apêndice, desfalcaram o Santos. O triunfo sobre o Juventude, então, pode significar uma reviravolta na temporada alvinegra.

Um dos motivos para acreditar nisso é a quebra de um tabu recente contra gaúchos. A última vitória do Santos no Rio Grande do Sul havia sido no Brasileiro de 2005, quando a equipe alvinegra venceu o Internacional por 1 a 0. De lá para cá, haviam sido cinco jogos, com quatro derrotas e apenas um empate.

E conseguir o feito não foi tão complicado assim. O passo inicial para o triunfo foi dado logo no primeiro minuto de jogo. Cléber Santana, em um chute de fora da área, abriu o placar e quebrou um jejum pessoal de mais de dois meses sem marcar gols (a última vez havia sido no dia 8 de abril, contra o Noroeste, ainda pela primeira fase do Campeonato Paulista).

O gol pegou o Juventude de surpresa, e a equipe da casa tentou partir para o ataque com tudo na tentativa igualar o marcador. Em um contra-ataque, porém, os visitantes fizeram o segundo com um belo voleio do atacante Marcos Aurélio.

Daí em diante, uma virada parecia algo distante para a equipe alviverde, e o Santos conseguiu dominar as ações no seu campo de defesa, mesmo quando o time gaúcho ameaçava fazer uma pressão. O resultado, então, acabou ficando 2 a 0 para os paulistas.

Na próxima rodada, o Santos fará o clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro, tentando consolidar sua reação no Campeonato Brasileiro com a primeira vitória em casa. Já o Juventude receberá o Figueirense buscando se manter longe da zona do rebaixamento.

Noroeste 1 x 4 Santos

Data: 08/04/2007, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Alfredo de Castilho, em Bauru, SP.
Público: 3.107 pagantes
Renda: R$ 70.410,00
Árbitro: Claudinei Forati Silva
Auxiliares: Gustavo Henrique Dantas de Miranda e Fábio Aparecido Gomes Ribeiro
Cartões amarelos: Fábio, Leandrinho, Deda e Hernani (N); Leonardo, Marcelo, Zé Roberto, Rodrigo Tiuí, Kléber, Pedro e Pedrinho (S).
Gols: Cléber Santana (06-1); Edno (17-2), Rodrigo Tabata (33-2), Marcos Aurélio (37-2) e Jonas (43-2).

NOROESTE
Fabiano; Éder (Márcio Gabriel), Fábio, Bonfim e Edno; Toninho, Leandrinho, Hernani e Luciano Bebê; Deda e Otacílio Neto (Bruno Mineiro).
Técnico: Paulo Comelli

SANTOS
Fábio Costa; Antônio Carlos, Leonardo e Marcelo (Marcos Aurélio); Pedro, Maldonado, Cléber Santana, Zé Roberto (Pedrinho) e Kléber; Rodrigo Tabata e Rodrigo Tiuí (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos goleia Noroeste e assegura liderança do Estadual

O Santos foi até Bauru neste domingo e derrotou o Noroeste por 4 a 1. A vitória, a sétima consecutiva do time de Vanderlei Luxemburgo – entre Campeonato Paulista e Copa Libertadores -, levou a equipe da Vila Belmiro a 47 pontos e garantiu ao clube a primeira posição da fase inicial do Estadual. Além disso, o time assegurou a vantagem de jogar por dois empates nas semifinais e decidir a vaga para uma eventual final em seus domínios.

Mesmo com o triunfo do vice-líder São Paulo sobre o Grêmio Barueri por 5 a 0, também neste domingo, a equipe da Baixada mantém-se quatro pontos à frente do rival tricolor, restando apenas uma rodada para o fim da primeira etapa do certame.

“Entrar em campo com a vantagem é sempre legal. Jogamos com a vantagem do empate e isso é importante. Apesar disso, temos de ter o pensamento de buscar sempre a vitória”, declarou o meia Cléber Santana, autor do primeiro gol do Santos neste domingo.

Para o Noroeste, o revés acabou com qualquer chance matemática de a equipe garantir uma vaga na fase decisiva do Paulista – o time estacionou nos 27 pontos, e agora está na nona posição.

A equipe santista foi a campo disposta a esperar o adversário na defesa e explorar as jogadas de contra-ataques. E a estratégia deu resultado logo nos primeiros instantes do duelo.

Aos 3min, Zé Roberto avançou com liberdade pela direita e, dentro da área, chutou em cima do goleiro adversário, perdendo uma boa oportunidade. Três minutos depois, entretanto, Rodrigo Tiuí recebeu belo lançamento de Kléber e foi derrubado pelo goleiro do Noroeste.

Cléber Santana cobrou o pênalti no meio do gol e marcou o primeiro da equipe da Vila Belmiro – o seu 11° no campeonato. Mesmo em desvantagem, o Noroeste passou a dominar o jogo, mas não levava muito perigo à meta de Fábio Costa. Por outro lado, o Santos continuava construindo boas jogadas, mas o ataque não aproveitava as oportunidades para ampliar.

O jogo mudou no segundo tempo, e a equipe de Vanderlei Luxemburgo passou a atuar mais no campo de ataque. Mesmo assim, já não produzia com a mesma intensidade da etapa inicial, e quem acabou marcando primeiro foi o time anfitrião.

Aos 17min, Edno aproveitou indecisão dos zagueiros Leonardo e Antônio Carlos, que não conseguiram afastar a bola, e, de dentro da área, chutou no canto esquerdo de Fábio Costa.

O Santos só voltou a ter a vantagem 16 minutos depois, quando Rodrigo Tabata recebeu passe de Kléber e, cara a cara com Fabiano, tocou por cima do goleiro, com categoria.

A equipe alvinegra ainda faria mais dois gol antes do apito final. Aos 37min, Marcos Aurélio recebeu passe de Rodrigo Tabata e só teve o trabalho de concluir. Jonas, seis minutos depois, dominou a bola dentro da área e chutou forte, no canto direito do goleiro, decretando o triunfo santista.

Na próxima quarta-feira, o Noroeste enfrenta o Guaratinguetá, fora de casa. Também na quarta, o time da Baixada joga com o Juventus em São José dos Campos, pela última rodada do Paulista. A partida acontece na região do Vale do Paraíba porque o Santos perdeu um mando de campo em razão do confronto entre torcedores alvinegros e do São Paulo no clássico disputado na Vila Belmiro, dia 11 de março.

A equipe do Morumbi, aliás, também classificada para próxima fase do Estadual, já sabe quem enfrentará nas semifinais. O time tricolor joga com o São Caetano, que garantiu sua vaga depois de vencer o São Bento, neste sábado, por 2 a 1. O Santos ainda não conhece o seu adversário, que pode ser o Bragantino – atualmente na quarta colocação – o Palmeiras ou o Paulista.

Ponte Preta 2 x 4 Santos

Data: 01/04/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 17ª rodada
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, SP.
Público: 8.992 pagantes
Renda: R$ 117.884,00
Árbitro: Milton Etsuo Bellerini
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Roger, Aranha, João Marcos (P) e Adaílton (S)
Gols: Rodrigo Tabata (12-1) e Gabriel (40-1); Marcelo (14-2), Finazzi (21-2), Cléber Santana (35-2) e Moraes (42-2).

PONTE PRETA
Aranha; Gabriel, Anderson e Émerson; André Cunha, Ricardo Conceição, Pingo, João Marcos e Rafael Fusca (Castor); Finazzi e Roger.
Técnico: Nelsinho Baptista

SANTOS
Fábio Costa; Marcelo, Adaílton e Leonardo (Rodrigo Souto); Pedro, Adriano, Cléber Santana, Pedrinho (Marcos Aurélio), Rodrigo Tabata e Kléber; Jonas (Moraes).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos supera Ponte Preta e mantém vantagem sobre o São Paulo

O Santos segue na liderança isolada do Campeonato Paulista. Neste domingo, em Campinas, uma equipe mista comandada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo fez 4 a 2 na Ponte Preta e manteve-se quatro pontos à frente do arqui-rival São Paulo, segundo colocado do certame.

“A vitória de hoje [domingo] foi difícil, apesar de termos ganhado de quatro. Mas ela foi muito importante para o cronograma que traçamos para os próximos jogos”, analisou o treinador alvinegro.

Além de assegurar a vantagem na ponta da tabela, o time da Baixada praticamente eliminou a equipe campineira da competição. Com o revés, a Ponte caiu para a oitava posição, com 26 pontos – seis a menos que o Bragantino, quarto colocado -, restando apenas duas rodadas para o fim da primeira fase do torneio.

Para esta partida, o Santos contou com os reforços de Kléber e Cléber Santana, que ficaram fora da vitória sobre o Corinthians, na última quarta-feira, por 2 a 1, na Vila Belmiro.

Em campo, o time santista mostrou força logo aos 12min do primeiro tempo. Rodrigo Tabata avançou pelo lado esquerdo da área da Ponte e, mesmo sem ângulo, acertou o canto do gol de Aranha, em chute cruzado, colocando os visitantes em vantagem no marcador.

Após o gol, a Ponte Preta lançou-se ao ataque, mas não conseguiu chegar ao empate em razão das boas defesas do goleiro Fábio Costa e da precisão de Pedro e Kléber. Os laterais tiraram, cada um deles, uma bola de cima da linha e impediram o gol da Ponte.

Aos 40min, no entanto, os donos da casa finalmente conseguiram superar Fábio Costa. Gabriel desviou cobrança de falta de Roger e igualou o placar no Moisés Lucarelli, resultado mantido até o final da primeira etapa.

No segundo tempo, a Ponte não conseguiu manter o ritmo forte, e a partida ficou equilibrada. Aos 14min, porém, o Santos recuperou a vantagem com Marcelo. O zagueiro aproveitou cruzamento de Rodrigo Tabata e cabeceou, para fazer seu primeiro gol como profissional.

A Ponte chegou a empatar novamente, com Finazzi, que aproveitou sobra de escanteio e fez seu 11° gol no Campeonato Paulista. Aos 35min, entretanto, Marcos Aurélio aproveitou falha da zaga adversária e foi derrubado pelo goleiro Aranha dentro da área. Cléber Santana cobrou o pênalti com perfeição e pôs o time da Baixada de novo na frente do placar. O Santos ainda ampliou aos 42min, quando Moraes cabeceou livre, dentro da área, sem chances de defesa. Assim como Marcelo, este foi seu primeiro gol como atleta profissional.

Santos 3 x 0 Gimnasia y Esgrima

Data: 14/03/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.955 pagantes
Renda: R$ 62.110,00
Árbitro: Ricardo Grance (PAR)
Auxiliares: Atilio Invernizzi e Manuel Bernal (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Semino, San Esteban, Kletnicki (G); Antônio Carlos, Fábio Costa, Adaílton, Rodrigo Tiuí (S).
Gols: Marcos Aurélio (06-1), Cléber Santana (07-2) e Zé Roberto (25-2).

SANTOS
Fábio Costa; Denis, Adaílton, Antônio Carlos e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Cléber Santana (Pedrinho) e Zé Roberto; Marcos Aurélio (Rodrigo Tabata) e Rodrigo Tiuí (Ávalos)
Técnico: Wanderley Luxemburgo

GIMNASIA Y ESGRIMA
Kletnicki; Semino, San Esteban, Gentiletti e Basualdo; Ormeño, Escobar (Romero), Cornejo (Dubarbier) e Pacheco; Leal (Silva) e Piergüidi
Técnico: Pedro Troglio



Santos vence e mantém 100% de aproveitamento na Libertadores

O Santos conquistou nesta quarta-feira sua terceira vitória (100% de aproveitamento) na fase de grupos da Taça Libertadores-2007 ao vencer o Gimnasia y Esgrima (Argentina) por 3 a 0, na Vila Belmiro.

O time da Baixada lidera o Grupo 8, que tem ainda o Defensor (Uruguai) e o Deportivo Pasto (Colômbia).

Logo aos 6min, o Santos abriu o placar. Marcos Aurélio recebeu lançamento longo e tocou na saída do goleiro Kletnicki e a bola ainda tocou em Basualdo antes de entrar.

Com a vantagem no placar logo no início da partida, o Santos teve mais tranqüilidade para tocar a bola e procurar espaços na defesa argentina.

Aos 32min, o Santos quase ampliou. O lateral Denis recebeu a bola dentro da área, completamente livre, e chutou para fora, por cima do travessão.

“Precisamos de um pouco mais de concentração no momento da finalização. Dominamos o primeiro tempo”, disse o meio-campista Zé Roberto, na saída para o intervalo.

Logo no início da etapa final, aos 7min, o Santos ampliou. Zé Roberto fez ótima jogada pela esquerda e tocou para Cléber Santana, que, dentro da área, chutou forte, no canto, sem defesa para o goleiro do Gimnasia.

Aos 25min, o Santos chegou ao terceiro gol, de muita categoria. Zé Roberto arrancou pela esquerda, ganhou na velocidade do zagueiro e tocou por cobertura na saída do goleiro.

O Santos quase ampliou aos 48min, mas Rodrigo Tabata desperdiçou uma cobrança de pênalti, Kletnicki defendeu.

Líder do Campeonato Paulista com 32 pontos, o Santos volta a campo no domingo, quando enfrenta o Ituano, fora de casa.

Rio Branco 0 x 3 Santos

Data: 08/03/2007, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 12ª rodada
Local: estádio Décio Vitta, em Americana, SP.
Público: 3.307 pagantes
Renda: R$ 62.995,00
Árbitro: Rodrigo Amaral
Auxiliares: Marcelino Tomáz de Brito Neto e Alex Alexandrino
Cartões amarelos: Éder, Adriano Sella e Rossini (RB); Cléber Santana Jonas, e Adriano (S).
Gols: Cléber Santana (45-1); Rodrigo Tabata (22-2) e Rodrigo Tabata (37-2).

RIO BRANCO
Éder; Adriano Sella (Jajá), Paulão, Marcelo Heleno e Vainer; Felipe, Rodrigo Pontes, Leonel e Rafael Chorão (Rodrigo Batata), Rossini e Bachin (Eraldo).
Técnico: Ruy Scarpino

SANTOS
Fábio Costa, Marcelo, Ávalos e Leonardo; Dênis, Cléber Santana (Dionísio), Adriano, Pedrinho (Marcos Aurélio) e Carlinhos; Rodrigo Tabata e Jonas (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com dois de Tabata, Santos vence Rio Branco e mantém liderança

Mesmo com uma equipe repleta de jogadores reservas, o Santos cumpriu seu papel e manteve a liderança do Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira, o time da Baixada superou o Rio Branco por 3 a 0, em Americana, com dois gols de falta do meia Rodrigo Tabata (Cléber Santana marcou o primeiro). De quebra, ganhou motivação para o clássico contra o São Paulo do próximo domingo.

“Nunca tinha marcado dois de falta em um só jogo. É uma ocasião muito especial para mim. Foi muito importante manter essa vantagem na reta final do campeonato, pois é um momento de decisão”, comemorou Tabata, que não tinha feito nenhum gol no Estadual até esta noite.

Com o resultado, o Santos chegou aos 31 pontos da tabela. Como o São Paulo venceu o Guaratinguetá por 2 a 1, também nesta quinta, o time alvinegro permaneceu com a vantagem de um ponto sobre a equipe do Morumbi. O Rio Branco, por sua vez, fica com os mesmos oito pontos, na vice-lanterna.

Para evitar o desgaste de grande parte dos seus principais jogadores, o técnico Vanderlei Luxemburgo começou a partida com apenas três atletas considerados titulares: o goleiro Fábio Costa, o lateral-direito Dênis e o meia Cléber Santana. Rodrigo Tiuí e Marcos Aurélio também entraram no segundo tempo.

Quando a bola rolou, o Santos tentou imprimir um forte ritmo de jogo, mas encontrou dificuldades para criar chances reais de gol. Aos poucos, o clube anfitrião também subiu ao ataque e arriscou bastante de fora da área, sem sucesso. Com pouca criatividade, o time praiano se aproveitou do pênalti convertido por Cléber Santana, aos 45min, para terminar a primeira metade do duelo na frente do placar.

“A equipe deles estava marcando em cima, o que dificultou para nós. Tomara que, com esse um a zero, nós tenhamos mais tranqüilidade para tocar a bola e marcar mais gols”, disse Santana no intervalo. Com o lance, ele se tornou o vice-artilheiro isolado do Estadual, após ter marcado nove vezes, uma a menos que o atacante Somália do São Caetano.

Na etapa final, a equipe da casa até esboçou uma reação. No entanto, Rodrigo Tabata ampliou para o Santos aos 22min, com belo gol de falta. Depois, o time de Luxemburgo se segurou no campo de defesa e ainda conseguiu ampliar novamente em cobrança de falta do meio-campista, aos 37min.