Navegando Posts marcados como Club Guaraní

Santos Futebol Clube x Club Guaraní

Santos FC x C Guarani
Retrospecto:

02 jogos
01 vitória
01 empate
00 derrota
04 gols pró
03 gols contra
01 saldo

Resultado:

18/02/2004 – Santos 2 x 2 Guaraní – Libertadores – Vila Belmiro, Santos, Brasil
25/03/2004 – Santos 2 x 1 Guaraní – Libertadores – Manuel Ferreira, Assunção, Paraguai

Data: 25/03/2004
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Manuel Ferreira, em Assunção, Paraguai.
Renda e público: N/D
Árbitro: Sergio Pezzota (ARG)
Cartões amarelos: Cabrera e Pablo Giménez (G); Alcides, André Luis, Paulo Almeida, Preto Casagrande e Robson (S).
Cartão vermelho: Velázquez (G).
Gols: Basílio (05-2), Robson (19-2) e Manzur (26-2).

GUARANÍ-PAR
Bernal, Velázquez, Pérez, Manzur, Torres, Edgar González, Irala, Gustavo Arce (Almirón), Cabrera (Kenji Fukuda), Osvaldo Díaz (Mendieta) e Pablo Giménez.
Técnico: Mario Jacquet

SANTOS
Doni; Marco Aurélio (Alcides), Alex, André Luis (Pereira) e Léo; Paulo Almeida (Preto Casagrande), Claiton, Renato e Luis Augusto; Basílio e Robson.
Técnico: Émerson Leão.



Santos vence o Guaraní e garante 1º lugar no Grupo 7 da Libertadores

Com boa atuação de Basílio, o Santos venceu o Guaraní por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, em Assunção, no Paraguai, e garantiu a classificação para as oitavas-de-final da Taça Libertadores e o primeiro lugar do Grupo 7 do torneio com uma rodada de antecipação.

A equipe da Baixada chegou a 13 pontos ganhos em cinco jogos, contra seis do time paraguaio, que é o vice-líder. Agora, pode até perder o último compromisso, no próximo dia 14, contra o Jorge Wilstermann.

Nas oitavas-de-final, o time do técnico Emerson Leão irá enfrentar o melhor segundo colocado dentre todos os grupos da competição e terá a vantagem de fazer o segundo jogo em casa. O único inconveniente para os santistas é que times fortes, como Cruzeiro e São Paulo, podem ser o adversário.

Na partida desta quinta, o Santos superou o desfalque de dois de seus principais jogadores, Diego (contundido) e Robinho (suspenso), para vencer a equipe paraguaia.

Fora de casa, o técnico Leão optou por um esquema cauteloso, com três volantes: Claiton, Paulo Almeida e Renato.

Após um começo de partida truncado, o Guaraní assustou a defesa santista. Aos 20min, Pablo Gimenez recebeu na entrada da grande área e chutou forte. A bola resvalou na trave direita do goleiro Doni, mas saiu em tiro de meta.

A resposta santista só aconteceu no final da primeira etapa, quando Basílio foi lançado e, na velocidade, ganhou dos zagueiros, mas chutou para fora, com perigo para o goleiro Nelson Bernal.

No segundo tempo, com um jogador a mais em campo (Velazques foi expulso), o Santos saiu na frente. Aos 4min, Léo lançou Basílio, que, da entrada da área, chutou na saída do goleiro paraguaio para marcar. Foi o nono gol do atacante com a camisa do Santos na temporada 2004. O jogador agora é também co-artilheiro da Libertadores, com quatro gols.

Superior, a equipe paulista não encontrou dificuldades para marcar o segundo gol. Aos 17min, Basílio sofreu pênalti. Na cobrança, Róbson bateu no ângulo, sem chances para o goleiro Bernal.

Oito minutos após o gol santista foi a vez de os paraguaios reagirem. Aos 25min, o zagueiro Manzur recebeu na entrada da área e chutou forte para vencer o goleiro Doni. A bola desviou no zagueiro André Luís.

Depois do gol, os paraguaios se lançaram de maneira desorganizada ao ataque e coube ao Santos apenas administrar o resultado.

Com a classificação assegurada, o Santos volta suas atenções para o Campeonato Paulista, em que irá enfrentar o São Caetano, na Vila Belmiro, no próximo final de semana. A equipe da Baixada não vence esta competição desde 1984.

Data: 18/02/2004
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: R$ 97.420,00
Público: 8.587 pagantes
Árbitro: Sérgio Komjetan (URU)
Cartões amarelos: Doni, André Luís (S) González, Velázquez (G)
Gols: Róbson (02-1); Díaz (20-2), Díaz (40-2) e Lopes (45-2).

SANTOS
Doni; Paulo César, Alex (Pereira), André Luís e Léo; Claiton, Renato e Diego (Paulo Almeida); Robinho, Basílio e Robson (Lopes)
Técnico: Emerson Leão

GUARANÍ
Bernal; Velasquez, Pérez, Manzur e Torres; Irala, González, Gustavo Arce (Diaz) e Cabrera (Filippini); Giménez e Fukuda (Fábio Nunes).
Técnico: Mario Jacquet



Nervoso, Santos fica no 2 a 2 com o Guaraní pela Libertadores

Contra um adversário com seis jogadores que ajudaram o Paraguai a se classificar para a Olimpíada de Atenas, o Santos de Diego e Robinho sofreu para empatar nesta quarta por 2 a 2, na Vila Belmiro, pela Libertadores da América.

A igualdade com o Guaraní deixou o Santos na vice-liderança de sua chave, mas apenas o campeão de cada grupo avança com segurança ao mata-mata. Barcelona de Guayaquil e Santos têm quatro pontos, mas os equatorianos levam vantagem no saldo de gols. O Guaraní soma dois pontos.

O jogo até começou bem fácil para o Santos. Renato deu excelente lançamento para Robson, atacante que vinha tendo dificuldades para marcar. O “Robgol” tocou livre, de cabeça, no canto direito do goleiro Bernal, abrindo o placar logo no segundo minuto.

“Fizemos o gol em um lançamento no começo do jogo e insistimos nesse tipo de jogada. Mas nosso jogo é toque de bola, saída com rapidez para o ataque, fechar os espaços. Não precisa entender muito de futebol para saber no que erramos”, disse o técnico Leão ainda no intervalo.

O Santos chegou a criar chances para ampliar na primeira etapa, mas, quando não falhava na conclusão, a zaga paraguai salvava –foi assim em lance de Léo em que ele driblou o goleiro e tocou para o gol certo de que marcaria.

Na segunda etapa, o Santos caiu de ritmo, e o Guaraní ameaçou seguidamente o gol de Doni. Leão tirou o meia Diego e colocou o volante Paulo Almeida –Diego se converteu no alvo preferencial das broncas disparadas da beira do gramado pelo treinador.

De tanto insistir, o Guaraní chegou ao empate aos 20min. Diaz cobrou falta de longa distância e surpreendeu Doni, que estava adiantado e foi encoberto. O nervosismo santista aumentou. Robinho e André Luis agrediram adversários, mas só o zagueiro foi punido (com cartão amarelo).

Aos 40min, Diaz tabelou com Nunes e de pé esquerdo bateu Doni com um chute cruzado, virando o marcador. A derrota só não aconteceu porque Lopes, que entrou no final da partida no lugar de Robson, marcou de cabeça, após um escanteio, aos 45min.

Agora, fica a expectativa sobre o retorno de Elano ao time. O meio-campista se recupera de contusão, mas Leão já declarou que ele voltará como titular.

Até então, os principais candidatos a deixar o time eram os atacantes Basílio e Robson. Diego, que sucumbiu diante dos paraguaios no Pré-Olímpico, passa a ficar ameaçado após o jogo com o Guaraní. Outro que não agradou foi Doni. A torcida pede a saída dele do time.