Navegando Posts marcados como Copa Bandeirantes

Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 11/08/1994, quinta-feira, 16h00.
Competição: Copa Bandeirantes – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 21.696 pagantes
Renda: R$ 63.997,50
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ).
Cartões vermelhos: Gralak (C) e Gallo (S).
Gols: Demétrios (08-1) e Gralak (21-1).

CORINTHIANS
Ronaldo; Wilson Mano (Marcelinho Paulista), Gralak, Henrique e Elias; Zé Elias, Ezequiel, Marcelinho Carioca e Souza; Viola e Marques (Leandro).
Técnico: Jair Pereira

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo e Paulinho Kobayashi (Neizinho); Serginho, Demétrios (Serginho Fraldinha) e Marcelinho Paraíba.
Técnico: Serginho Chulapa



Corinthians empata e é campeão

O Corinthians conquistou ontem a Copa Bandeirantes ao empatar com o Santos em 1 a 1. Foi o primeiro título da equipe desde 1990.

O título garante ao Corinthians uma das duas vagas paulistas na Copa do Brasil de 1995. A outra vaga já é do Palmeiras, por ser o campeão estadual de 1994.

O Corinthians jogava pelo empate, já que havia vencido a primeira partida da final, por 6 a 3, na última terça-feira.

O Santos começou melhor. Dominava o meio-campo, devido especialmente à fraca atuação de Marques. Não dava chances ao ataque corintiano.

Demorou pouco para a equipe santista abrir o marcador. Aos 8min, Demetrius completou na pequena área um cruzamento da direita de Paulinho Kobayashi.

Logo em seguida, o Corinthians teve sua melhor –e única– chance no primeiro tempo. Wilson Mano penetrou pela direita, driblou um marcador e chutou para boa defesa de Edinho.

Aos 21min, o Corinthians chegou ao empate, através de uma cobrança de falta do zagueiro Gralak. A bola resvalou na barreira e enganou o goleiro Edinho.

O Santos continuou dominando o jogo até os 30min, quando o meio-campista santista Gallo e o corintiano Gralak trocaram empurrões e foram expulsos.

O jogo foi bastante violento. Foram distribuídos oito cartões amarelos, cinco para o Santos e três para o Corinthians.

As expulsões favoreceram o Corinthians, que conseguiu equilibrar o meio-campo. A equipe passou a controlar a partida e não deu oportunidades ao Santos na etapa final. A entrada de Leandro no lugar de Marques e a melhor atuação de Souza contribuíram para isso.

As duas substituições realizadas pelo técnico Serginho, do Santos, não conseguiram dar ao time mais força ofensiva.

O Corinthians teve então duas boas chances. Numa delas, Souza entrou sozinho, mas seu chute acabou bloqueado. Na outra, Edinho soltou um cruzamento e Carlinhos salvou em cima da linha.

Ontem durante o jogo, foi usado pela primeira vez o carrinho-maca, para retirar jogadores machucados do gramado. O carrinho começou a ser utilizado na Copa dos EUA.

Serginho discute com corintiano

Logo após o jogo, o técnico Serginho teve uma discussão com o zagueiro Gralak, do Corinthians. Ele criticou o jogador pela falta em Carlinhos, que o levou a ser expulso.

“Você não precisa disso”, disse o técnico a Gralak. “Mas eu não bati, nem foi falta”, respondeu o zagueiro.

Quando o corintiano Henrique se aproximou dos dois, Serginho o empurrou e disse asperamente: “Você só sabe chutar moleque”.

Depois, mais calmo, Serginho disse que estava satisfeito com o desempenho do Santos no torneio.

Ele disse que domingo, estréia do time no Brasileiro, contra o Remo, o volante Dinho jogará e o meia Neto terá sua primeira participação na equipe.

“Também gostaria que o Guga (atacante) renovasse o contrato.”

A diretoria do Santos tenta contratar o meia Donizeti e o atacante Silvio, do Bragantino.

Para treinador, título dá moral

O técnico Jair Pereira disse que a conquista da Copa Bandeirantes dá moral ao time do Corinthians para a disputa do Campeonato Brasileiro.

“Estou satisfeito, porque fomos o único time que encarou com seriedade esta Copa”, disse.

Sobre a partida de ontem, ele disse que o time jogou com inteligência, já que o empate lhe garantiria o título.

O atacante Viola, que marcara dois gols na vitória de 6 a 3 contra o Santos na primeira partida das finais, não se incomodou com a sua atuação apagada.

“Estamos de parabéns, todos tiveram uma atuação importante. O Serginho (técnico do Santos) montou um esquema diferente e dificultou para o nosso ataque”. Wilson Mano, contundido no joelho esquerdo, está praticamente fora da estréia no Brasileiro, no sábado, contra o Criciúma.



Corinthians precisa só de um empate com o Santos ( Em 11/08/1994 )

O técnico Jair Pereira, do Corinthians, teme o otimismo exagerado na partida final contra o Santos, pela Copa Bandeirantes, hoje à tarde, no Morumbi.

Como goleou o adversário por 6 a 3 no primeiro jogo, anteontem, o Corinthians depende apenas de um empate para garantir o título.

É tal vantagem que preocupa o treinador corintiano. “O Santos mostrou que não é um adversário fácil. Conseguiu virar o resultado, empatou duas vezes e só perdeu porque o Corinthians foi implacável nos minutos finais.”

Jair Pereira pretende conversar com os jogadores hoje, minutos antes da partida.

O técnico corintiano preferiu fazer mistério sobre a equipe que vai escalar (“O Serginho também não divulgou o seu time”), mas deverá ser o mesmo que começou a partida de anteontem.

Os ingressos da final têm preço único de R$ 3 e estarão à venda das 9h às 11h na Federação Paulista de Futebol (av. Brigadeiro Luís Antônio, 913). À tarde, a venda será apenas nas bilheterias do Morumbi.

Santos joga no contra-ataque

O técnico Serginho Chulapa disse ontem que o Santos vai utilizar hoje a tática do “contra-ataque com cautela” para vencer o Corinthians.

Segundo o treinador, isso não significa que sua equipe vai atuar na defensiva. “Estamos preparados para um adversário mais prudente. Por isso, a ordem é aproveitar todos os contra-ataques”, afirmou.

O treinador acredita que, apesar da derrota na última terça-feira, o Santos tem todas as condições de derrotar o rival.

“Perdemos porque tivemos a chance de matar o adversário, não fizemos e acabamos morrendo. O Corinthians aproveitou nossas falhas e venceu a partida”, disse Serginho.

Para o técnico santista, o fato de os dois times terem exibido um “futebol aberto” pode ser um indicativo de que o Campeonato Brasileiro deste ano terá equipes bem mais ofensivas.

Serginho Chulapa não quis adiantar a escalação do Santos. “Dou os nomes dos jogadores alguns minutos antes de a partida começar”, disse.


Santos 3 x 6 Corinthians

Data: 09/08/1994, terça-feira, 16h00.
Competição: Copa Bandeirantes – Final – Jogo de ida
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público e Renda: N/D
Árbitro: Edmundo Lima Filho
Cartões amarelos: Índio (S); Gralak e Ezequiel (C).
Gols: Wilson Mano (11-1) e Cerezo (26-1); Macedo (11-2), Tupãzinho (20-2), Marcelinho Carioca (26-2), Neizinho (31-2), Viola (37-2), Marques (41-2) e Viola (46-2).

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo (Neizinho) e Paulinho Kobayashi; Demétrios e Marcelinho Paraíba (Macedo).
Técnico: Serginho Chulapa

CORINTHIANS
Ronaldo; Wilson Mano, Gralak, Henrique e Elias; Zé Elias (Tupãzinho), Ezequiel e Souza (Casagrande); Marcelinho Carioca, Viola e Marques.
Técnico: Jair Pereira



Corinthians goleia Santos; Viola volta e faz dois gols

Equipe conquista o título da Copa Bandeirantes se empatar amanhã

O Corinthians saiu na frente na decisão da Copa Bandeirantes ao golear o Santos por 6 a 3, ontem à tarde, no Morumbi. Os dois times voltam a se enfrentar amanhã. Um empate garante o título ao Corinthians.

“Foi a minha reestréia”, comemorou o centroavante Viola, autor de dois gols, que estava dois meses sem jogar.

“Estou melhor do que pensava: além de suportar o jogo inteiro (achava que só aguentaria 45 minutos), fiz um gol em que parei no ar”, brincou o atacante, referindo-se ao seu primeiro gol, o quarto do time, marcado de cabeça.

A boa atuação do centroavante corintiano foi reconhecida pelo técnico do Santos, Serginho. “Quando ele está com o diabo no corpo, não dá para fazer nada.”

Os jogadores santistas, porém, não creditavam apenas a Viola o motivo da derrota. “Deixamos de marcar pelas laterais”, reclamou o volante Gallo. “Com isso, o Corinthians tinha espaço para lançar para a área.”

O detalhe foi percebido pelo meia Marcelinho Carioca. Bem marcado no meio-campo, o jogador passou a ocupar as pontas no segundo tempo. “Assim ficou mais fácil para lançar.”

O Corinthians começou melhor o jogo, ao se impor no meio-campo. Aos 12min, Wilson Mano driblou três vezes o zagueiro Maurício Copertino antes de marcar o primeiro gol.

A vantagem acomodou o time. “Conseguimos assim nos espalhar melhor em campo”, observou o técnico Serginho. Com isso, o Santos empatou com Cerezo e virou, com Macedo.

O Corinthians voltou a empatar com uma cabeçada de Tupãzinho. “Foi quando o Viola se posicionou melhor em campo, mais à frente, e ajudou nosso ataque”, disse o técnico Jair Pereira.

Marcelinho Carioca aumentou, Neizinho fez o último do Santos, e Viola (2) e Marques completaram.

Resultado surpreende Santos

A goleada sofrida para o Corinthians surpreendeu o time do Santos. “A equipe se perdeu em campo, principalmente na marcação”, acredita o técnico Serginho.

Segundo o treinador, o time teve mais problemas nas laterais, setor em que o Corinthians aproveitou para criar suas jogadas. “Foi dali que o Corinthians venceu a partida.”

A igualdade de forças, segundo Serginho, era tamanha que os times se revezaram na frente do placar. O Corinthians marcou primeiro, com um gol de Wílson Mano, que driblou três vezes o zagueiro Maurício Copertino antes de chutar.

O Santos empatou com um gol de cabeça de Cerezo e virou com um chute rasteiro de Macedo. “Nesse momento, começamos a vacilar”, acredita o volante Gallo. “A marcação falhou muito.”

O resultado foi o empate de Tupãzinho e o novo avanço corintiano com Marcelinho Carioca. O Santos ainda empatou, com um gol de Neizinho.

“Foi um novo ânimo para o time. Era visível que o Corinthians não é um time superior ao nosso”, comentou Serginho.

O treinador santista lamentou, porém, que o atacante Viola revelasse seu talento. “Ele vinha enganando, com jogadas tímidas. Nem parecia o centroavante que todo mundo conhece. Foi só descuidar que fez dois gols.”

A derrota obriga o Santos a adotar uma tática agressiva para o jogo decisivo de amanhã. Como o empate favorece o Corinthians, Serginho acredita encontrar o adversário mais prudente.

“Claro que vão adotar o velho esquema de contra-ataque. Por isso, nosso dever é reverter a vantagem no começo do jogo e obrigar o Corinthians a se mostrar.”

Os jogadores também prometem não repetir os erros de marcação. “Os times foram ousados hoje (ontem). Mas agora nossa determinação vai ser maior”, disse o lateral Índio.

Viola marca 2 em jogo de 9 gols

“Foi uma volta triunfal, não foi?”, perguntava o atacante Viola, do Corinthians, ao comemorar, ontem à tarde, no Morumbi, os dois gols que fez na vitória contra o Santos, por 6 a 3, no primeiro jogo final da Copa Bandeirantes.

Viola estava fora da equipe corintiana fazia dois meses. “Nesse período, o único momento em que joguei foram os quinze minutos finais, no final da Copa”, contou.

O tempo inativo, porém, não comprometeu sua atuação –Viola fez o lançamento para Tupãzinho marcar o segundo gol do time, além da fazer outros dois.

Em seu primeiro (o quarto do time), em que fez de cabeça), Viola aproveitou para brincar. “Para provar que sou bom cabeceador, mostrei que posso até parar no ar”, disse, referindo-se ao ex-atacante Dario Maravilha, que dizia ter o mesmo poder.

“Eu pensei que suportaria só um tempo da partida, porque estava sem ritmo de jogo”, disse o atacante, que disputou até o final.

Viola também teve problemas de colocação. “Fiquei perdido no início do jogo, sem saber onde ficar para receber os passes.”

O detalhe foi percebido pelo técnico Jair Pereira, que orientou o jogador a se posicionar mais à frente. “Ficando no meio-campo, Viola não tinha chance de fazer gols como também não ajudava os lançamentos dos meias.”

A preocupação era ter outro atacante, além de Marques, que recebesse os lançamentos de Marcelinho Carioca, estrategicamente posicionado nas laterais.

Vitorioso, Viola sentiu o sucesso até no vestiário: entusiasmado, um grupo de jogadores japoneses que estagiam no Brasil fez fila para tirar foto com Viola, sem se importar com sua nudez.


Santos 2 x 1 Palmeiras

Data: 06/08/1994, sábado, 16h00.
Competição: Copa Bandeirantes – 1ª fase – Grupo B – 6ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.061 pagantes
Renda: R$ 37.722,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói (SP).
Gols: Cerezo (07-2), Demétrios (13-2) e Macula (22-2).

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo e Paulinho Kobayashi; Serginho Fraldinha, Demétrios e Marcelinho Paraíba (Neizinho).
Técnico: Serginho Chulapa

PALMEIRAS
Velloso; Gil Baiano, Wagner (Fábio), Moraes e Biro; Dênis, Juary (Beto), Sorato e Freddy; Magrão e Macula.
Técnico: Miltinho (interino)



Santos derrota Palmeiras e está na final da Copa Bandeirantes

Fonte: Estadão

Vídeo indicado por Danilo Barbosa.

Nacional-SP 0 x 1 Santos

Data: 02/08/1994, terça-feira
Competição: Copa Bandeirantes
Local: Estádio Anacleto Campanela, em São Caetano do Sul, SP.
Público: 630 pagantes
Renda: R$ 2.842,50
Árbitro: Edmundo de Lima Filho
Gol: Paulinho Kobayashi

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo, Paulinho Kobayashi e Marcelinho Paraíba; Serginho Fraldinha (Macedo) e Demétrios (Neizinho).
Técnico: Serginho Chulapa

NACIONAL (SP)
Haroldo; Zé Carlos, Juliano, Pedrinho e Paulo Marques, Edmilson, Ditinho, Zeomar e Dinei, Cocan (Dodô) e Roberto (César).
Técnico:


Neto é o novo reforço da equipe do Santos

O Santos anunciou ontem a contratação do jogador Neto junto ao Corinthians. O passe do meio-campista custou US$ 450 mil e será pago em nove prestações de US$ 50 mil. O Santos cederá ainda um jogador ao Atlético Mineiro.

Neto estava jogando no clube mineiro, que precisava pagar US$ 600 mil ao Corinthians para ficar em definitivo com o jogador.

No entanto, apenas US$ 150 mil foram pagos. Por essa quantia, o Santos deve repassar ao Atlético o passe do lateral-direito Dinho.

A diretoria do Santos disse que Neto deve se apresentar ao clube amanhã. A contratação foi uma indicação do técnico Serginho.

“Eu gosto muito do futebol do Neto. Acho que ele tem qualidades que podem decidir uma partida”, afirmou o treinador.

Segundo o Santos, a única coisa que falta é a rescisão do contrato do jogador com o Atlético.

Meia do Atlético acerta com Santos e chega hoje

O meia Neto disse na noite de ontem em Belo Horizonte que estava animado para se transferir do Atlético Mineiro para o Santos, onde se apresenta hoje.

“Estou bastante empolgado. O Santos é uma grande equipe, com uma torcida de massa”, disse.

O Santos assumiu a dívida do Atlético com o Corinthians (US$ 450 mil) pelo passe do jogador, pagando cinco parcelas de US$ 90 mil, além do lateral-direito Dinho.

Neto destacou o empenho do técnico Serginho para que o Santos o contratasse. “Agora é fazer os gols”, disse.

O meia disse que acompanhou o bom desempenho do Santos na 2ª fase do Paulistão e que o time tem boas chances no Brasileiro.

“Eu conheço quase todos os jogadores. Sem dúvida, é um grande time”, afirmou o meia, que temia não sair a negociação. “O mais difícil era o Corinthians aceitar.”

Torcida critica Santos por trazer Neto

Duas das principais torcidas uniformizadas do Santos, a Torcida Jovem e a Sangue Jovem, criticaram ontem a contratação do meio-campista Neto pelo clube.

O presidente da Torcida Jovem, Eucimar Vitor Novaes, disse que a diretoria “pagou muito dinheiro para quem só se destaca em cobranças de faltas e escanteios”.

O Santos pagou US$ 450 mil pelo passe de Neto ao Corinthians. Ao Atlético Mineiro, onde o jogador atuava, o clube cedeu em definitivo o passe do lateral-direito Dinho, avaliado em US$ 150 mil.

“É a última chance do Neto dar certo no futebol paulista”, diz Ricardo Przygoda, da Sangue Jovem.

O meia Neto se apresenta amanhã ao Santos. Neto foi para Campinas Segundo sua mulher, Ana Semeghini, ele vai a Santos escolher o apartamento onde vai morar e se apresenta amanhã ao clube.



Vídeo: ASSOPHIS, postado por Wesley Miranda

Santos 1 x 0 América-SP

Data: 30/07/1994, sábado
Competição: Copa Bandeirantes
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.726 pagantes
Renda: R$ 6.865,00
Árbitro: Amarcos Fábio Spironelli
Gol: Serginho Fraldinha

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo, Paulinho Kobayashi (Marcelo Fernandes) e Marcelinho Paraíba; Serginho Fraldinha e Neizinho (Macedo).
Técnico: Serginho Chulapa

AMÉRICA-SP
Neneca; Renato Cruz, Ivanildo, Renato Carioca e Cléber Pereira (Toninho). Serginho Carioca, Negão, Roberto Alves (Coutinho) e Edson Pezinho; Cléber e Cacaio.
Técnico: João Carlos


Vídeo: ASSOPHIS, postado por Wesley Miranda