Navegando Posts marcados como Copa do Brasil


Gols e melhores momentos

Paysandu 1 x 3 Santos

Data: 10/05/2017, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio do Mangueirão, em Belém, no Pará.
Público: 13.548
Renda: R$ 251.370,00
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro
Auxiliares: Cristhian Passos Sorence e Leone Carvalho Rocha
Cartões amarelos: Cleber Reis (S).
Gols: Bruno Henrique (26-1); Diogo Oliveira (03-2), Bruno Henrique (15-2) e Kayke (33-2).

PAYSANDU
Emerson; Ayrton, Gilvan, Perema e Hayner; Augusto Recife, Wesley (Alfredo), Rodrigo Andrade e Diogo Oliveira; Leandro Carvalho e Bérgson (Wil).
Técnico: Marcelo Chamusca

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cleber Reis e Jean Mota; Renato (Leandro Donizete), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique (Thiago Ribeiro) e Ricardo Oliveira (Kayke).
Técnico: Dorival Junior



Santos ‘mata’ Paysandu no início e avança na Copa do Brasil

O Santos vê em Ricardo Oliveira sua grande fonte de gols desde 2015. O centroavante, porém, foi discreto e passou em branco na noite desta quarta-feira, no duelo contra o Paysandu. Coube aos outros atacantes da equipe brilharem e garantirem a vitória por 3 a 1, no estádio do Mangueirão, em Belém, no Pará, fazendo o Peixe avançar com facilidade para as quartas de final da Copa do Brasil. Bruno Henrique, com dois gols, e Vitor Bueno, com duas assistências, foram os grandes destaques. Na reta final, ainda sobrou tempo para Kayke, substituto do camisa 9, decretar o triunfo santista.

Com a classificação, o Santos agora vai ter um ‘descanso’ da Copa do Brasil. A equipe comandada por Dorival Júnior assistirá de camarote a definição dos outros confrontos das oitavas de final e só voltará a se preocupar com a competição no início de junho, quando acontece o sorteio das quartas.

Apesar disso, o Peixe segue uma maratona durante esta semana. Após o duelo contra o Papão em Belém, o alvinegro terá pela frente o Fluminense, no próximo domingo, às 11h (de Brasília), no Rio de Janeiro, na estreia do Campeonato Brasileiro. Três dias depois, os santistas viajam até La Paz, onde encaram o The Strongest, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores.

O jogo

Jogando com a vantagem debaixo do braço, o Santos começou o primeiro tempo esperando o Paysandu. Podendo perder por até um gol de diferença, o Peixe não arriscou nos minutos iniciais e apenas esperava o momento certo para dar o ‘bote’.

O Papão, por sua vez, apostava na velocidade para chegar na defesa santista e tentar igualar o placar agregado do duelo. A primeira boa oportunidade surgiu aos 15 minutos, quando Diogo Oliveira entortou Lucas Veríssimo e bateu forte, obrigando Vanderlei a fazer bela defesa.

Dez minutos depois, foi a vez de Cleber ser entortado por Wesley. Mas após passar pelo defensor, o volante bicolor não conseguiu vencer o arqueiro do Peixe, que foi buscar no cantinho e salvou a equipe comandada por Dorival Júnior mais uma vez.

E aquela famosa frase “quem não faz, toma” deu o ar da graça no Mangueirão. Depois de desperdiçar as duas ótimas oportunidades, o Paysandu viu o Santos abrir o placar aos 26 minutos. Lucas Lima dominou a bola no meio de campo e fez lançamento primoroso para Vitor Bueno. O camisa 7 tocou de primeira para Bruno Henrique. Livre dentro da área, o atacante apenas empurrou para o fundo das redes e ampliou a vantagem do alvinegro.

Com o tento santista, o Papão deu uma ‘murchada’ no jogo, afinal, a equipe de Belém agora precisava de quatro gols para avançar. Com isso, o Peixe controlou os últimos minutos da primeira etapa com facilidade.

Precisando de um ‘milagre’ para avançar, o Paysandu voltou de forma arrasadora após o intervalo. Logo aos 3 minutos, Rodrigo Andrade avançou com tranquilidade pelo lado direito e cruzou para Diogo Oliveira pegar de primeira e deixar tudo igual no Mangueirão.

O gol logo no início deixou o duelo aberto em Belém. Ainda necessitante de mais três tentos para ficar com a vaga na quartas de final, o Papão seguiu em cima do Santos. Por conta disso, a equipe comandada por Marcelo Chamusca deixava a defesa aberta para o Peixe chegar nos contra-ataques.

E foi justamente em uma jogada de velocidade que o alvinegro matou de vez o confronto. Aos 15 minutos, a dupla Vitor Bueno e Bruno Henrique funcionou mais uma vez. O camisa 7 driblou Hayner com facilidade no lado esquerdo e rolou para o atacante, que teve tempo de dominar e escolher o canto para colocar a equipe santista novamente em vantagem.

Com a classificação praticamente definida, já que o Paysandu precisaria fazer quatro gols para avançar, o técnico Dorival Júnior pensou na maratona de jogos e sacou Ricardo Oliveira, Renato e Bruno Henrique do time. Kayke, Leandro Donizete e Thiago Ribeiro entraram na reta final do confronto.

O Papão, por sua vez, viu que não conseguiria mais operar o ‘milagre’ e diminuiu completamente o ritmo. Tanto que ainda sobrou tempo para o Santos ampliar o marcador. Aos 33 minutos, Jean Mota deu lindo cruzamento da esquerda para Kayke. O atacante chutou de primeira para fazer 3 a 1 e definir de vez a classificação santista.

Bastidores – Santos TV:

Bruno Henrique vibra com ‘parceria’ de Bueno: “Treinamos essa jogada”

O Santos novamente teve Bruno Henrique como seu principal destaque. Contra o Paysandu, na noite desta quarta-feira, o atacante marcou duas vezes e foi decisivo na vitória do Peixe por 3 a 1, no Mangueirão, em Belém, no Pará, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Desta vez, porém, Bruno Henrique não foi a ‘estrela solitária’ do alvinegro. Isso porque Vitor Bueno superou a má fase e foi fundamental no triunfo sobre o Papão, que garantiu a equipe santista nas quartas do torneio mata-mata. Com duas assistências, o camisa 7 foi muito elogiado pelo artilheiro da partida.

“Agradeço ao Bueno pelos dois passes. O professor (Dorival) sempre frisa e nós treinamos muito essa jogada, com a bola atravessada. E recebi outro bom passe do Vitor no segundo gol. Pude ser feliz no lance. Fico feliz pelos dois gols. Quando a gente estava vindo para o estádio, minha esposa disse que eu faria um gol. Pude fazer dois e dedico à ela”, comemorou Bruno Henrique na saída do gramado.

Com a classificação, o Santos agora vai ter um ‘descanso’ da Copa do Brasil. A equipe comandada por Dorival Júnior assistirá de camarote a definição dos outros confrontos das oitavas de final e só voltará a se preocupar com a competição no início de junho, quando acontece o sorteio das quartas.

Dorival elogia tranquilidade do Santos e critica gramado do Mangueirão

O Santos passou com facilidade pelo Paysandu, na noite desta quarta-feira, no Mangueirão, em Belém, no Pará, e avançou sem grandes problemas para as quartas de final da Copa do Brasil. Com a vantagem de ter vencido por 2 a 0 no duelo de ida, o Peixe conseguiu suportar a pressão do Papão no início e praticamente ‘matou’ o confronto aos 26 minutos do primeiro tempo, com o gol de Bruno Henrique.

Após o intervalo, o alvinegro viu o time bicolor empatar a partida. Porém, segundo o técnico Dorival Júnior, seus comandados souberam administrar o jogo com tranquilidade mesmo após sofrer o gol.

“Destaco o crescimento da equipe. Principalmente porque tivemos dois jogos distintos. Lá em Santos tivemos de propor a partida. As penetrações foram poucas, mas nós conseguimos administrar a partida e fazer um resultado importante. Aqui, trabalhamos com a marcação mais adiantada deles, esperando. Tivemos tranquilidade para trabalhar a bola, conseguimos triangulações. Foi um resultado fundamental. Até nos encontrarmos, o Vanderlei foi muito feliz. O Paysandu se aproveitou da nossa ansiedade. Era uma armadilha preparada. A partir do momento que conseguimos sair para o jogo, trabalhar mais a bola, conseguimos furar a primeira linha de marcação”, destacou Dorival Júnior, em entrevista coletiva logo após o duelo no Mangueirão.

O gramado do estádio de Belém, inclusive, foi alvo de críticas do comandante santista. “Acho que os jogadores souberam administrar as dificuldades de um gramado ruim, horrível para se jogar. Procuramos trabalhar a bola e conseguimos fazer com condições. Conseguimos penetrações para que as triangulações acontecessem pelos lados”, concluiu o treinador.

Artilheiro, Bruno Henrique é elogiado por Dorival: “Pode crescer”

Contratação mais cara da gestão Modesto Roma, Bruno Henrique vem justificando os R$ 14 milhões pagos pelo Santos ao Wolfsburg, da Alemanha. Após um começo de temporada discreto, o atacante assumiu o posto de protagonista e assumiu a artilharia da equipe comandada por Dorival Júnior, com seis gols marcados.

Na noite da última quarta-feira, no Mangueirão, Bruno Henrique brilhou mais uma vez, anotou dois tentos e foi fundamental para o triunfo santista por 3 a 1 sobre o Paysandu, que garantiu a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil.

Após a boa atuação, o camisa 27 foi elogiado pelo técnico Dorival Júnior. O comandante, porém, acredita que o atacante pode render ainda mais com a camisa do Peixe.

“Ele não vinha atuando com sequência lá fora e até readquirir o ritmo demora um pouco. É um grande jogador, ainda tem muito pra evoluir e amadurecer. Se ele mantiver o interesse, o crescimento será gradativo ao longo do ano e que tenhamos em 2018 um jogador mais completo, maduro e em condições de fazer grandes jogos no nível que possa manter”, comentou o técnico.

Após gentilezas, Santos estuda troca de atletas com o Paysandu

O clima de cordialidade entre Santos e Paysandu não acabou com a classificação da equipe paulista às quartas de final da Copa do Brasil. Após as gentilezas que marcaram o confronto, os clubes estudam trocar jogadores para a sequência da temporada.

“O Marcelo (Chamusca, treinador do Paysandu) me conhece. Estamos à disposição. Caso precise de um ou outro atleta que o Santos possa disponibilizar, não tenho dúvidas de que acontecerá”, avisou Dorival Júnior, técnico santista.

O comandante do Santos chegou ainda a destacar os jogadores do Paysandu que conseguiram aproveitar as derrotas por 2 a 0, na Vila Belmiro, e por 3 a 1, Mangueirão, como vitrine.

“O volante (Rodrigo Andrade) me chamou a atenção. É muito bom jogador esse menino de 20 anos. O atacante que jogou pelo lado direito (Leandro Carvalho) também é um jogador de potencial. E o Bergson, que vive outro momento na carreira. O Paysandu tem um grande time. Com certeza, veremos brigando com uma possibilidade real de subida”, elogiou Dorival, referindo-se ao fato de o clube paraense estar na Série B do Campeonato Brasileiro.

Para reforçar o Paysandu, o Santos poderia ceder o goleiro Gabriel Gasparotto, o volante Alison e o atacante Lucas Crispim, que retornaram de empréstimos e não deverão ter espaço no time da Vila Belmiro. O meia Serginho, que também seria cotado a fazer parte da parceria com o Paysandu, já acertou com o Figueirense, enquanto o volante Fernando Medeiros está próximo do Vila Nova.

Santos e Paysandu estreitaram os laços mesmo na condição de adversários na Copa do Brasil. O time paulista abriu as portas do CT Rei Pelé para treinar ao lado do paraense no jogo de ida e foi muito bem recepcionado na partida de volta.

“Gostaria de fazer um agradecimento especial à diretoria do Paysandu e à torcida, que nos recebeu muito bem em Belém. O futebol é isso. Temos que ressaltar esse lado. É uma satisfação poder viver um momento como esse”, discursou Dorival Júnior.



Gols e Melhores momentos

Santos 2 x 0 Paysandu

Data: 26/04/2017, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.266 pagantes
Renda: R$ 154.805,00
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Auxiliares: Celso Luiz da Silva e Felipe Alan Costa de Oliveira (ambos de MG).
Cartões amarelos: Thiago Maia, Lucas Lima, David Braz e Victor Ferraz (S). Rodrigo Andrade e Bergson (P).
Gols: Bruno Henrique (03-2) e Copete (44-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Matheus Ribeiro (Copete); Renato, Thiago Maia e Lucas Lima (Vladimir Hernández); Vitor Bueno (Arthur Gomes), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior

PAYSANDU
Emerson; Ayrton, Gilvan, Perema e Hayner; Augusto Recife, Rodrigo Andrade (Diogo Oliveira) e Wesley; Leandro Carvalho (Jhonnatan), Bergson e Alfredo (Leandro).
Técnico: Marcelo Chamusca



Bruno Henrique e colombianos brilham e Santos faz 2 a 0 no Paysandu

O Santos novamente não encantou seu torcedor. Apostando mais uma vez na posse de bola, o Peixe foi lento e irritou parte dos mais de 6 mil santistas que estiveram na Vila Belmiro na noite desta quarta-feira. Porém, a equipe comandada por Dorival Júnior contou com o brilho de Bruno Henrique e de dois colombianos para largar na frente contra o Paysandu nas oitavas de final da Copa do Brasil. Buscando o jogo desde o início, o atacante titular anotou um golaço no início do segundo tempo e abriu a contagem. Já na reta final, Copete aproveitou cruzamento de Vladimir Hernández e decretou o triunfo santista por 2 a 0.

As duas equipes voltam a se enfrentar apenas no próximo dia 10 de maio, uma quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Mangueirão, em Belém, no Pará. Com a vantagem de ter marcado duas vezes na Vila, o Peixe pode perder por até um gol de diferença na volta que mesmo assim avança para as quartas do torneio mata-mata.

O jogo

Mesmo atuando fora de casa e contra uma das equipes mais ‘badaladas’ do Brasil, o Paysandu mostrou nos primeiros minutos que não ficaria apenas se defendendo na Vila Belmiro. Logo aos 4 minutos, Wesley aproveitou escanteio e cabeceou firme. A bola passou perto da trave e assustou o goleiro Vanderlei.

A resposta do Santos veio seis minutos depois. Após belo lançamento de Lucas Lima, Bruno Henrique dominou já driblando a marcação e tocou para Ricardo Oliveira dentro da área. O centroavante pegou na veia, mas Hayner desviou e salvou o Papão.

Como a equipe de Belém não limitava-se apenas a ficar no campo de defesa, o Peixe até conseguia encontrar espaços, porém, sofria com os contra-ataques. Aos 18 minutos, Victor Ferraz encontrou David Braz livre na entrada da área. O tentou bater de primeira, mas pegou mal e o goleiro Emerson pegou sem dificuldade.

O Paysandu não deixou barato e perdeu duas grande oportunidades em sequência. Na primeira, aos 24, Bergson soltou uma bomba de fora da área e assustou Vanderlei. Logo depois, Leandro Carvalho recebeu longo lançamento, aproveitou falha de Matheus Ribeiro e David Braz, e saiu na cara no goleiro santista. Porém, o camisa 1 operou um milagre e livrou o Peixe de começar atrás na Vila.

Após os dois sustos, a equipe comandada por Dorival Júnior se lançou ao ataque e fez uma pequena ‘blitz’ nos minutos finais da primeira etapa. Porém, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira perderam boas chances e não conseguiram tirar o zero do marcador antes do intervalo.

Mesmo após receber vaias da torcida no final da primeira etapa, o Santos voltou com a mesma proposta para o segundo tempo: manter a posse de bola e buscar os espaços com tranquilidade. Porém, Bruno Henrique, o melhor em campo pelo lado santista, anotou uma verdadeira pintura logo aos 3 minutos e acabou com o ‘marasmo’ do jogo.

Após receber lançamento de Lucas Lima, o atacante avançou pelo lado esquerdo, colocou a bola no chão e arriscou de muito longe. O chute até pareceu despretensioso, porém, a redonda foi parar no ângulo do goleiro Emerson. Golaço que colocou o alvinegro em vantagem.

O tento animou o Peixe, que chegou a ‘acuar’ o Paysandu nos primeiros momentos após o intervalo. Aos 10 minutos, Vitor Bueno recebeu na entrada da área e tocou para Ricardo Oliveira. O atacante bateu firme, mas teve o chute desviado pela zaga.

Porém, após a pressão inicial, o Santos diminuiu o ritmo e só foi atacar novamente aos 32 minutos, quando Victor Ferraz cruzou da direita, Ricardo Oliveira antecipou o goleiro, mas não conseguiu empurrar para o fundo da rede.

Quando parecia que o duelo terminaria com a vantagem mínima para o alvinegro, o técnico Dorival Júnior decidiu sacar Matheus Ribeiro e Lucas Lima para promover a entrada de Copete e Vladimir Hernández.

Em poucos minutos dentro de campo, os colombianos corresponderam logo de cara e foram decisivos para o Peixe levar uma vantagem bem melhor para Belém. Após cobrança de falta de Hernández, Copete antecipou-se aos zagueiros do Papão e anotou o segundo tento santista na Vila Belmiro no apagar das luzes.

Bastidores – Santos TV:

Bruno Henrique pede união com torcida e defende Bueno: “Pode render mais”

Bruno Henrique foi o principal nome do Santos nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Partindo para cima e buscando o jogo desde o início contra o Paysandu, o atacante coroou a boa apresentação com um golaço de fora da área logo aos três minutos da segunda etapa e ajudou o Peixe a abrir boa vantagem de 2 a 0 sobre o Papão no duelo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Em contrapartida, Vitor Bueno novamente ficou devendo. Apagado e inseguro, o camisa 7 pouco produziu durante a partida e foi vaiado por boa parte da torcida quando foi substituído por Arthur Gomes, aos 16 minutos do segundo tempo. Bruno Henrique, por sua vez, admitiu que o colega não vive boa fase, mas o defendeu das vaias e ainda cobrou uma união maior entre torcedores e atletas.

“Eu entendo o lado do torcedor, pois o Vitor tem um potencial grande. A torcida cobra pois sabe que ele pode render mais. Ele está se esforçando e vem trabalhando nos treinamentos. Acho que nós (jogadores) e a torcida temos que nos unir para conquistarmos grandes coisas lá na frente”, resumiu o atacante santista na saída do gramado.

Com a vantagem de ter marcado duas vezes na Vila, o Peixe pode perder por até um gol de diferença na volta que mesmo assim avança para as quartas do torneio mata-mata. As duas equipes voltam a se enfrentar apenas no próximo dia 10 de maio, uma quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio Mangueirão, em Belém, no Pará.

“Jogar lá no Mangueirão é muito difícil. Eu já tive a oportunidade de atuar lá algumas vezes. O estádio complicado, torcida comparece em peso. Temos que ter tranquilidade para trabalhar durante as próximas semanas e ir bem no jogo de volta”, concluiu Bruno Henrique.

Braz admite ‘não jogar como a torcida quer’, mas valoriza vantagem

O Santos novamente não mostrou um futebol vistoso. Apostando na posse de bola, o Peixe foi lento e irritou parte dos mais de 6 mil torcedores que estiveram na Vila Belmiro na noite desta quarta-feira. Mesmo assim, o alvinegro conquistou a vitória por 2 a 0 sobre o Paysandu e abriu boa vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O zagueiro David Braz, por sua vez, admitiu que a equipe comandada por Dorival Júnior não vem fazendo boas apresentações nas últimas partidas. Porém, o defensor destacou a força defensiva do Papão e valorizou o triunfo santista.

“Eu acho que nem sempre a gente vai conseguir fazer o que os torcedores e a imprensa querem. Não vamos vencer sempre por 4 a 0. O Paysandu veio muito fechado, com duas linhas de quatro. Tivemos dificuldade, mas conseguimos fazer os dois gols em um chute longe e em uma bola parada. A gente não esta vencendo de goleada, que é o que o torcedor espera, mas conseguimos um bom resultado para o jogo de volta”, explicou Braz na saída do gramado.

Para o zagueiro, inclusive, o Santos tem hoje um dos melhores elencos do Brasil e tem totais condições de conquistar Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão.

“No primeiro semestre não conseguimos o Paulista e vamos ser cobrados por isso, ainda mais que nossa equipe é qualificada para disputar todos os títulos que disputar. Temos a oportunidade de conquistar os outros objetivos e pouco a pouco vamos conseguindo os resultados. Estreamos bem na Copa do Brasil. É um desejo conquistá-la”, concluiu Braz.

Dorival banca Bueno e lamenta baixo público na Vila: “Só tinha o ônibus”

Apenas 6.266 torcedores estiveram na Vila Belmiro na vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Paysandu, nesta quarta-feira, pelo confronto de ida das oitavas de final da Copa Brasil. Jogadores e comissão técnica do Peixe ficaram frustrados com o baixo público, ainda mais por conta da promoção que o clube fez, deixando os ingressos de graça para sócios adimplentes.

O técnico Dorival Júnior lamentou basante ver o estádio com poucos santistas e acredita que o desempenho do time pode estar influenciando na ausência do torcedores.

“A expectativa era grande para que tivéssemos nossa casa tomada para o torcedor. Quando saímos do Canal 2 e entramos na rua frontal, sabemos mais ou menos o público que teremos. Mas quando viramos hoje, só tinha o nosso ônibus. É uma situação difícil. Todos sabem o que o Santos pode produzir e estejam aguardando de repente isso acontecer”, explicou o treinador em entrevista coletiva após o triunfo sobre o Papão.

Mesmo sendo poucos, os mais de 6 mil santistas não gostaram nada da atuação do Peixe, principalmente no primeiro tempo. Antes do intervalo, diversas vaias foram ouvidas na Vila Belmiro. Um dos mais cobrados foi Vitor Bueno. Apagado e inseguro, o camisa 7 pouco produziu durante a partida e foi bastante criticado quando foi substituído por Arthur Gomes, aos 16 minutos do segundo tempo. Dorival, por sua vez, defendeu o jogador e relativizou os protestos na Vila Belmiro.

“Ele (Bueno) já foi muito aplaudido. É normal, acontece. É quando o profissional busca forças para se recuperar. Confio muito e continuei acreditando depois do primeiro tempo. Voltou relativamente bem, criando duas ou três oportunidades, mas caiu um pouco em razão daquilo que vinha produzindo. Temos que tentar fazer com que ele readquira a confiança, é fator importante. Temos que estar ao lado dele pra que volte a jogar como sempre atuou. A torcida do Santos, aquela que ajuda e participa, tem se mostrado presente, sempre ao lado. Temos que nos apoiar nesses. Os demais vão entrando no mesmo ritmo e percebendo que os campeonatos estão difíceis”, concluiu o comandante santista.


Internacional 2 x 0 Santos

Data: 19/10/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 15.065 pagantes.
Renda: R$ 188.390,00.
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Andrigo (I).
Gols: Aylon (09-1) e Eduardo Sasha (42-2).

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; Eduardo (Ceará), Alan, Ernando e Geferson; Fabinho, Eduardo Henrique, Alex, Andrigo (Valdívia) e Eduardo Sasha; Aylon (Vitinho).
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz (Rafael Longuine), Luiz Felipe e Zeca (Rodrigão); Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Paulinho (Joel), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Apático, Santos perde para reservas do Inter e dá adeus à Copa do Brasil

Quando o técnico Celso Roth anunciou que o Internacional viria com um time praticamente reserva para encarar o Santos, na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio, nem o mais fanático torcedor colorado apostava fielmente em uma classificação para as semifinais da Copa do Brasil. Porém, mesmo entrando em campo com força máxima e levando vantagem de ter vencido o duelo de ida por 2 a 1, na Vila Belmiro, o Peixe foi apático em Porto Alegre e perdeu por 2 a 0, sendo eliminado do torneio mata-mata.

E a classificação colorada foi garantida com gols de dois atacantes reservas. No começo do primeiro tempo, Aylon marcou de cabeça. Já no final da partida, Eduardo Sasha bateu com categoria e garantiu a vaga na semifinal da Copa do Brasil, onde irá encarar o Atlético-MG, que perdeu do Juventude por 1 a 0 em Caxias do Sul, mas avançou em decisão por pênaltis.

Eliminados, os santistas voltam suas forças apenas para o Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o Peixe visita a Chapecoense, às 19h30 (de Brasília). Com 55 pontos e na quarta colocação, o alvinegro segue vivo na briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

Já no Internacional, o foco agora é total no clássico diante do Grêmio, também no domingo, às 17h (de Brasília), na arena do rival. Com 36 pontos e lutando contra o rebaixamento, os colorados seguem tendo como prioridade a reta final do Brasileirão, mesmo conquistando a vaga na Copa do Brasil.

O jogo

Apesar de entrar com apenas três titulares, o Internacional começou massacrando o Santos no Beira-Rio. Forçando a saída de bola do alvinegro, o Colorado chegava com facilidade e apostava nas bolas aéreas. De tanto insistir, os gaúchos foram premiados aos nove minutos de jogo. O meia Alex cobrou escanteio e Aylon apareceu livre dentro da área. Sem precisar pular, o atacante escorou de cabeça e abriu o placar em Porto Alegre.

Como perdeu por 2 a 1 no duelo de ida, na Vila Belmiro, a vitória mínima garantia na classificação ao Inter. Por conta disso, o Santos ‘acordou’ no jogo e partiu pra cima. Aos 13 minutos, Lucas Lima bateu colocado de fora da área e obrigou o goleiro Danilo Fernandes a fazer boa defesa.

Com a desvantagem no marcador, os comandados de Dorival Júnior passaram a ter a posse de bola e dominavam o meio-campo. Porém, o Peixe esbarrava na força defensiva do Colorado e não encontrava espaços para acertar o último passe.

Apesar de ficar com a bola nos pés, o Santos não assustava e sofria com as boas chegadas do Inter. Aos 34 minutos, Gefferson mandou na área e após confusão defensiva, Eduardo Sasha apareceu sozinho e bateu pro gol, mas foi travado por Luiz Felipe.

Lento na saída de jogo, o Peixe parecia alheio à eliminação momentânea e praticamente não correu atrás do empate. Tanto que a única boa chance desperdiçada foi aos 43 minutos. Após cruzamento de Lucas Lima, Ricardo Oliveira escorou de cabeça e viu Danilo Fernandes fazer grande defesa, garantindo a vantagem colorada antes do intervalo.

O segundo tempo começou praticamente igual ao que foi visto na primeira etapa. O Santos, apesar ter a bola dominada no meio de campo, seguia apático e ainda sofria com os contra-ataques do Inter. Aos 10 minutos, Fabinho apareceu como homem surpresa no ataque, arriscou de longe e quase ampliou para os gaúchos.

Aos 17 minutos, o Peixe chegou bem pela primeira vez após o intervalo e arriscou em bola lançada para Copete. Antes dela chegar no colombiano, Alan Costa e Eduardo brigaram por espaço para impedir a jogada e se chocaram. O jovem lateral levou a pior e precisou ser substituído por Ceará.

Mesmo jogando contra o relógio, o Peixe continuou mostrando pouca vontade para empatar. Tanto que as melhores oportunidades continuaram sendo para o Internacional. Aos 28 minutos, Alex levantou na área e a bola fica com Ernando. O zagueiro pegou de primeiro e mandou no travessão, quase ampliando o marcador.

Precisando do empate para continuar na Copa do Brasil, o técnico Dorival Júnior sacou o zagueiro David Braz e colocou o meia Rafael Longuine em campo. Logo depois, o comandante trocou Paulinho e Zeca por Joel e Rodrigão, respectivamente.

Apesar das mudanças, o Santos seguiu sem mostrar nenhuma vontade de conquistar a vaga. E o castigo veio no apagar das luzes. Aos 42 minutos do segundo tempo, Eduardo Sasha avançou dentro da área e tocou por cima de Vanderlei. Golaço que fechou o caixão santista e garantiu a classificação do Inter para as semifinais da Copa do Brasil.

Bastidores – Santos TV:

Dorival culpa pane inicial por eliminação na Copa do Brasil

Apesar de entrar com apenas três titulares contra o Santos, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, o Internacional começou massacrando o Peixe. De tanto insistir, os gaúchos foram premiados logos aos nove minutos de jogo e abriram o placar com Aylon, após cobrança de escanteio. No final da partida, Eduardo Sasha ainda marcou mais um e garantiu a classificação do Colorado para as semifinais da Copa do Brasil.

Para o técnico Dorival Júnior, a desatenção no início do duelo foi determinante para a eliminação do alvinegro no torneio mata-mata.

“Tivemos alguns minutos iniciais que nos custaram muito caro na partida. Trouxemos a equipe do Internacional desnecessariamente para cima. E em uma jogada de bola parada, eles acabaram abrindo o marcador. Tiveram uma proposta de jogo e foram felizes. Eles se fecharam, marcaram com intensidade. A equipe do Santos tentou jogar, mas estava complicado para criar. Buscamos movimentações. Tivemos algumas oportunidades, mas não conseguimos com aquela clareza que sempre criamos e em razão disso nós tivemos dificuldades”, justificou-se o comandante santista em entrevista coletiva após a eliminação.

Dias antes da partida desta quarta-feira, o Internacional deixou claro que seu foco segue sendo a fuga do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Por conta disso, o técnico Celso Roth poupou seus titulares para o duelo, como já havia feito no jogo de ida, no dia 28 de setembro, na Vila Belmiro, vencido pelo Peixe por 2 a 1.

Mesmo com a superioridade técnica em relação aos reservas do Colorado, Dorival reconheceu os méritos dos gaúchos e não demonstrou irritação com a apresentação do Santos no Beira-Rio.

“Não existe essa conotação de time reserva. Jogamos contra Inter e Grêmio (no domingo). Tivemos uma equipe forte hoje. O Santos também se doou, foi ao limite, teve intensidade. O Inter se fechou bem, tivemos um bom tempo com a bola nos pés. Tentamos, fomos para cima, não nos acovardamos. Natural que se jogue contra duas equipes que não vinham atuando e tenha uma conotação diferente. Mas não subestimamos. Enfrentamos com todas as nossas forças”, concluiu o comandante santista.

Lucas Lima não encontra explicação para eliminação do Santos

Enquanto o Internacional deixou claro seu foco no Campeonato Brasileiro e veio com reservas nesta quarta-feira, no Beira-Rio, o Santos entrou em campo com força máxima e tinha tudo para sair de Porto Alegre classificado para as semifinais da Copa do Brasil. Porém, como o futebol não é uma ciência exata, os santistas foram derrotados por 2 a 0 e acabaram eliminados do torneio mata-mata.

E além da partida desta quarta, o Colorado já havia entrado com um time alternativo no jogo de ida, disputado na Vila Belmiro, no dia 28 de setembro. No primeiro embate, o Peixe chegou a abrir 2 a 0. Mas o gol de Seijas fora de casa fez a diferença no confronto em Porto Alegre.

“Não temos como explicar. Pecamos no começo do jogo e pagamos por isso. Tomamos o gol de bola parada. Não conseguimos segurar e sofremos outro no fim. Agora é levantar a cabeça”, afirmou o meia Lucas Lima na saída do gramado.

Após a eliminação na Copa do Brasil, o elenco santista não volta para a Baixada Santista. Os comandados de Dorival Júnior viajam direto para Chapecó, onde o time enfrenta a Chapecoense neste domingo, às 19h30 (de Brasília), na Arena Índio Condá, em jogo válido pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fora do torneio mata-mata, o Peixe mira todas suas atenções no Brasileirão. Com 55 pontos e na quarta colocação, o alvinegro ainda tem chances matemáticas de título. Porém, a distância de nove pontos para o líder Palmeiras, faz os santistas pensarem principalmente em garantir a vaga para a Copa Libertadores da próxima temporada.

Após queda, Oliveira pede para santistas ‘esfriarem a cabeça’

Como venceu o duelo de ida por 2 a 1, na Vila Belmiro, no dia 28 de setembro, o Santos começou a partida contra o Internacional, nesta quarta-feira, momentaneamente classificado para as semifinais da Copa do Brasil. Porém, logo aos nove minutos de jogo, Aylon apareceu livre na pequena área após cobrança de escanteio e pulverizou a vantagem santista.

Precisando de um empate para ficar com a vaga, o Peixe até teve a posse de bola no meio-campo, mas não conseguiu criar e foi castigado no fim, após gol de Eduardo Sasha, que fechou o caixão santista e determinou a eliminação do alvinegro no torneio mata-mata. O atacante Ricardo Oliveira reconheceu a superioridade dos gaúchos, mas disse que o Santos lutou até o fim do duelo.

“Agora é momento de esfriar a cabeça, a gente procurou o jogo a todo momento. Tentamos e não conseguimos ser eficientes na hora de finalizar e criar jogadas de perigo. Paciência. Méritos a equipe adversária que marcou dois gols”, afirmou o centroavante na saída do gramado do Beira-Rio.

Presidente do Santos viaja para cobrar elenco após eliminação

A derrota por 2 a 0 para os reservas do Inter, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, não foi digerida por parte da torcida a até mesmo pelo presidente Modesto Roma Júnior. Após o revés, que causou a eliminação do Peixe nas quartas de final da Copa do Brasil, o mandatário alterou sua agenda de compromissos e viaja nesta quinta-feira para Porto Alegre.

A ideia é reunir os atletas e o técnico Dorival Júnior para cobrar explicações e motivar o grupo para o restante da temporada. A forma como o alvinegro atuou diante do Colorado não agradou a diretoria. Apáticos, os santistas sofreram um gol logo no início, com Aylon, e mesmo com a eliminação iminente, criaram poucas oportunidades e não assustaram o Inter, que ainda marcou mais um no fim do segundo tempo, com Eduardo Sasha, e fechou o caixão santista.

Mesmo não concordando com algumas escolhas da comissão técnica durante a partida desta quarta-feira, Modesto não cogita a possibilidade de demitir o comandante Dorival Júnior.

A queda na Copa do Brasil fez a pressão aumentar no Peixe. Além de um grupo de conselheiros ter enviado uma carta pedindo a saída de Dorival, uma das principais organizadas do clube declarou nesta quarta-feira, após a eliminação, ser a favor da troca no comando técnico da equipe.

Apesar disso, Modesto pretende mostrar que está do lado do elenco e também do treinador, pensando na sequência da temporada.

Santos 2 x 1 Internacional

Data: 28/09/2016, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.592
Renda: R$ 239.880,00
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Auxiliares: Alessandro A. Rocha de Matos (BA) e Fabiano da Silva Ramires (ES).
Cartões amarelos: Paulinho (S); Artur e Fernando Bob (I).
Gols: Copete (03-2), Rodrigão (10-2) e Seijas (29-2).

SANTOS
Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia (Rafael Longuine), Lucas Lima e Vecchio (Paulinho); Copete e Rodrigão (Joel).
Técnico: Dorival Junior

INTERNACIONAL
Danilo; Fabinho, Eduardo, Ernando e Artur; Fernando Bob, Eduardo Henrique, Seijas (Ceará), Marquinhos (Vitinho) e Valdívia; Nico López (Rodrigo Dourado).
Técnico: Celso Roth



Santos abre pequena vantagem contra o Inter na Copa do Brasil

Jogando contra a equipe “mista” do Internacional, a torcida esperava o Santos amassando o Colorado nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Por 10 minutos, o alvinegro conseguiu esse feito e abriu 2 a 0 no marcador, com Copete e Rodrigão. Porém, os gaúchos contaram com a estrela de Vitinho e Seijas, diminuíram o placar e seguem vivos na disputa para avançar no torneio mata-mata.

Agora, as duas equipes se enfrentam só no próximo dia 19 de outubro, às 21h45, no Beira-Rio. E apesar da derrota, o Colorado precisa vencer por apenas um gol de diferença para chegar na semifinal da Copa do Brasil, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa.

O jogo

Apesar de vir com os reservas e estar em um momento difícil, o Inter teve a primeira grande chance na Vila Belmiro. Logo com um minuto de jogo, Nico López roubou a bola de Thiago Maia, partiu para cima da zaga e chutou para fora, perto do gol de Vanderlei. Mas o Santos não deixou barato e respondeu na sequência, em chute de fora da área de Lucas Lima, defendido por Danilo Fernandes.

Após as oportunidades iniciais, o Santos passou a dominar o meio de campo e buscava espaços para abrir o placar. Já o Colorado limitava-se a apostar nos contra-ataques. Porém, quem assustou novamente foi a equipe gaúcha. Aos 18 minutos, o meia Valdívia arriscou de longe. A bola passou muito perto da trave de Vanderlei.

Com o decorrer do primeiro tempo, o Peixe continuava com a bola, trocava diversos passes, mas não conseguia entrar na área adversária. A dificuldade era tanta que os santistas passaram a arriscar de longa distância. Os chutes, porém, passaram longe da meta de Danilo Fernandes. A melhor das oportunidades saiu dos pés de Rodrigão. Após bela jogada de Vecchio, a bola sobrou para o atacante, que chutou de primeira. A bola desviou na zaga e saiu para escanteio.

Antes do apito final, Marquinhos ainda perdeu uma boa chance para o Colorado e Lucas Lima desperdiçou outra para o Santos. Mas nada que mudasse o placar na Vila.

Assim como na primeira etapa, o Inter voltou do intervalo perdendo boa oportunidade logo no primeiro minuto. Após cruzamento de Valdívia, Ernando conseguiu a cabeçada e assustou o goleiro Vanderlei. Porém, quem abriu o placar foi o Santos.

Aos quatro minutos, Lucas Lima deu belo passe para Zeca. O lateral-esquerdo entrou na área e achou Copete. O colombiano apareceu entre os zagueiros colorados e tocou para o fundo das redes.

Com o placar adverso, o Inter recuou ainda mais e chamou o Santos para o seu campo. E a equipe santista não perdoou. Logo aos 10 minutos, Victor Ferraz e Lucas Lima fizeram linda tabela. O camisa 10 deixou o lateral-direito livre dentro da área, que apenas rolou para Rodrigão. De primeira, o atacante soltou uma bomba, ampliando o marcador para o Peixe.

Mesmo vencendo por 2 a 0, os comandados de Dorival Júnior continuaram apertando o Colorado, que não demonstrava reação. Para tentar mudar o quadro da partida e diminuir o placar, Celso Roth colocou Vitinho no lugar de Marquinhos. Deu certo!

Aos 29 minutos, após falta duvidosa marcada pelo árbitro Gilberto Rodrigues Castro Junior, Vitinho cruzou rasteiro dentro da área. O meia Seijas desviou de letra e a bola ainda bateu na trave esquerda de Vanderlei antes de morrer no fundo da rede, diminuindo o prejuízo do Inter na Vila.

O Santos sentiu o gol marcado pelo Inter. Apesar de seguir em vantagem no placar, a equipe santista perdeu o ímpeto que teve no começo da segunda etapa. Mesmo dominando o meio de campo, o Peixe encontrou dificuldades para chegar dentro da área adversária e não assustou mais o goleiro Danilo Fernandes até o apito final.

Bastidores – Santos TV:

Dorival destaca vantagem do Santos e cobra mais público na Vila

Os 10 minutos do segundo tempo entre Santos e Internacional foram animadores para o lado alvinegro. Pressionando os reservas do Colorado, o Peixe abriu 2 a 0 e seguia firme para abrir uma boa vantagem nas quartas de final da Copa do Brasil. Porém, o gol de letra marcado por Seijas reanimou o Inter no confronto.

Com o 2 a 1 no marcador, os gaúchos precisam vencer por um gol de diferença no jogo de volta, no Beira-Rio, no próximo dia 19 de outubro, para eliminar o alvinegro e chegar na semifinal do torneio mata-mata, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa. Apesar disso, o técnico Dorival Júnior preferiu destacar o triunfo santista.

“Saímos daqui com vitória, isso é o mais importante. Se é por uma margem pequena, não importa. Ganhamos de grande time e fizemos bom resultado. Fizemos um resultado e num torneio de mata-mata, em que você tem duas partidas, num primeiro momento foi feito o resultado. Agora, o Inter precisa construir o resultado em sua casa. Temos uma vantagem considerável. É natural que o Santos vai jogar em Porto Alegre buscando o resultado também. Não vamos apenas nos defender e apenas contra-atacar”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após a partida desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Além da disputa nas quartas de final da Copa do Brasil, o Santos está no G4 do Campeonato Brasileiro e brigando na parte de cima da tabela, com 45 pontos. Apesar do momento da equipe, o público decepcionou na Vila Belmiro. No duelo contra o Inter, nesta quarta, somente 6.592 pessoas estiveram no estádio do Peixe. Para Dorival, o apoio dos torcedores pode fazer a diferença na reta final da temporada.

“Poderíamos ter tido um público melhor. Um público que tomasse a Vila. Com uma condição melhorada, teríamos uma pressão maior”, comentou o comandante.

Lucas Lima rechaça gol sofrido e afirma: “Sempre marcamos fora”

Após pouca inspiração na etapa inicial, o Santos começou o segundo tempo fulminante contra o Internacional, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Em menos de 10 minutos, o Peixe marcou duas vezes, com Copete e Rodrigão, e dava impressão de que iria golear a equipe ‘mista’ do Colorado. Porém, aos 29 minutos, Seijas mandou uma letra e diminuiu o placar.

Com o 2 a 1 no marcador, a equipe gaúcha precisa vencer por apenas um gol de diferença no jogo de volta, no Beira-Rio, para eliminar o alvinegro e chegar na semifinal do torneio mata-mata, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa.

Apesar do gol sofrido na Vila Belmiro, o meia Lucas Lima preferiu comemorar a vitória e a vantagem conquistada pelo Peixe.

“A gente não queria tomar gol, mas tomamos. O importante é o resultado positivo. Nossa equipe jogou bem, nosso time sempre faz gol fora. Vamos focar agora no Brasileiro”, afirmou o meia, na saída de campo após a vitória desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O duelo de volta entre as duas equipes acontece só no próximo dia 19 de outubro, às 21h45, no Beira-Rio. Por conta disso, o Santos volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro.

No G4 e brigando na parte de cima da tabela, com 45 pontos, o Peixe recebe o Atlético-PR, no próximo sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Brasileirão.

Santistas lamentam gol sofrido na Vila, mas confiam em classificação

Mesmo com a vitória sobre o Internacional, na noite desta quarta-feira, os torcedores santistas saíram da Vila Belmiro sentindo um gosto amargo. Após abrir 2 a 0 com Copete e Rodrigão, o Peixe viu Seijas diminuir o placar e manter o Colorado vivo nas quartas de final da Copa do Brasil.

Os próprios jogadores do alvinegro lamentaram o tento sofrido dentro de casa, mas seguem confiantes na classificação do Santos para as semifinais do torneio mata-mata. “Acho que poderia ter sido mais. Deixamos escapar, mas ganhamos. É um resultado bom para a gente”, afirmou o volante Thiago Maia, na saída do gramado.

Autor do primeiro gol nesta quarta-feira na Vila Belmiro, o colombiano Copete admitiu a maior dificuldade no confronto por conta do gol cedido em casa. “Agora se torna mais complicado com gol deles, mas fizemos bom trabalho. Nada está decidido e teremos que lutar”, destacou o atacante.

Com o 2 a 1 na Vila Belmiro, os gaúchos precisam vencer por um gol de diferença no jogo de volta, no Beira-Rio, para eliminar o alvinegro e chegar na semifinal do torneio mata-mata, pois tem a vantagem do tento marcado fora de casa. Agora, as duas equipes se enfrentam só no próximo dia 19 de outubro, às 21h45 (de Brasília), em Porto Alegre.

Após boa partida contra o Inter, Lucas Lima recebe elogios de Dorival

Com 10 minutos do segundo tempo da partida contra o Internacional, nesta quarta-feira, o Santos abriu 2 a 0 no marcador, com Copete e Rodrigão. Apesar das assistências terem sido de Zeca e Victor Ferraz, respectivamente, o que chamou a atenção foi a participação de Lucas Lima. As jogadas para os dois gols saíram dos pés do camisa 10 do Peixe.

Mesmo com o gol marcado por Seijas, o Peixe conseguiu sair da Vila Belmiro com a vantagem, pois venceu por 2 a 1, no duelo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Para o técnico Dorival Júnior, a boa apresentação de Lucas Lima foi um dos pontos mais importantes do triunfo sobre o Colorado.

“É nítido que o Lucas vem alcançando uma melhor condição, até o momento que ele fatalmente vai buscar uma regularidade que ele já teve em outros momentos”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após a partida contra o Inter.

Titular absoluto com Dorival, o meia já estava tendo sua condição na equipe questionada por alguns torcedores, por conta das apresentações ruins na temporada.

Em 16 jogos pelo Peixe no Campeonato Brasileiro, Lucas Lima deu apenas uma assistência, na partida contra o Sport, no dia 15 de junho, e marcou somente um gol, no clássico diante do São Paulo, no dia 26 daquele mês, no Pacaembu. Já na Copa do Brasil, o camisa 10 deixou sua marca uma vez e deu um passe para gol, todos na vitória por 3 a 1 sobre o Vasco, no dia 24 de agosto.

Segundo Dorival, o meia precisa de uma boa sequência de jogos para recuperar a boa fase no Santos. “Tudo é questão de tempo. O Lucas teve duas lesões muito sérias. Uma na final do Paulista e outra na sequência, o que dificulta para que o profissional alcance suas condições. Ele vinha jogando sem treinar praticamente”, completou.

Titular contra o Inter, Vecchio se diz pronto para assumir vaga de Bueno

Atuando improvisado pelo lado direito do ataque, o meia Emiliano Vecchio agradou o técnico Dorival Júnior na vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Internacional, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Como Vitor Bueno sofreu uma lesão na coxa esquerda e vai seguir fora por, pelo menos, um mês, o argentino pode seguir entre os titulares do Peixe.

Porém, Vecchio terá um oponente de peso na disputa pela vaga. O meia Jean Mota, que ficou fora contra o Inter, pois já atuou na Copa do Brasil pelo Fortaleza, está à disposição de Dorival para o próximo compromisso no Campeonato Brasileiro, contra o Atlético-PR, no sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro. Mesmo assim, o argentino afirmou ter se adaptado bem jogando pela lateral de ataque e espera seguir entre os titulares.

“Foi a primeira vez que joguei nessa posição, mas me senti muito bem. É muito fácil jogar com Lucas Lima, Victor Ferraz, são muito inteligentes. Me senti muito bem, capacitado para jogar nessa posição. No meio do jogo fomos trocando um pouco, joguei por dentro, e o Lucas caiu nas pontas. Me senti muito bem nessa posição”, afirmou o meia.

Apesar de pretender seguir atuando pelos lados, Vecchio admitiu que prefere jogar como meia centralizado. “Quando joga por fora, você é obrigado a fazer muito movimento, mas a bola não chega tanto. Tenho que ter mais paciência, conforme passar do tempo, vou melhorando. No meio tem mais posse de bola, mas me adapto em qualquer posição no campo”, completou.

Com a dúvida entre Jean Mota e Vecchio, o técnico Dorival Júnior elogiou a atuação do argentino nesta quarta-feira, mas desconversou sobre quem será o titular no jogo contra o Furacão. “Vou pensar agora, porque ainda é muito cedo. O importante é que o Vecchio entrou, vinha trabalhando muito forte e deu uma resposta. Fico muito satisfeito de poder estar ganhando um profissional em condições de manter o mesmo nível que a equipe está”, disse o comandante.

Thiago Maia culpa maratona por queda de rendimento: “Ninguém é robô”

A última vez que o Santos teve uma semana livre de treinamentos foi entre o dia 28 de agosto, quando perdeu para o Figueirense por 1 a 0, na Vila Belmiro, e o dia 8 de setembro, na derrota por 2 a 1 para o Internacional, no Beira-Rio. De lá pra cá, os comandados de Dorival Júnior tiveram uma sequência de seis partidas, entre Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, sempre jogando no final de semana e na quarta-feira. E nos últimos jogos, as atuações do Peixe viraram alvo de críticas da torcida. Para o volante Thiago Maia, a queda de rendimento da equipe está sendo causada por conta dessa maratona.

“Ninguém é robô. Somos jovens, mas não robôs. Tivemos um jogo no Rio de Janeiro e fomos para Recife. Aí voltamos, concentramos, e isso desgasta muito. Complica a gente, mas não é desculpa. Temos que nos concentrar e lutar pelo que a gente quer”, disse o jogador nesta quinta-feira, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

Convocado para a Olimpíada no Rio de Janeiro e cobiçado fortes clubes europeus, Thiago Maia caiu de rendimento justamente após a conquista do ouro olímpico. O próprio jogador admitiu o mau momento vivido na temporada e credita isso a rotina de treinos na Seleção.

“Peguei o campeonato do ano passado no meio do ano. Agora, estou desde o início e está diferente. Fui pra Seleção ainda e voltei muito abaixo. Agora, aos poucos, estou me recuperando. Preciso de um pouco mais. Estava fazendo físico a parte, fora do CT, mas sinto meu peso no jogo, canso muito rápido durante o jogo. Mas ainda temos mais 10 rodadas, e podemos melhorar isso aí. Todo mundo voando, e estou ficando para trás. Mas vou melhorar, buscar esse ritmo”, disse o volante.

Apesar do desgaste, a rotina do Santos não deve mudar muito nas próximas semanas. Afinal, o alvinegro ainda disputa a Copa do Brasil (está nas quartas de final) e o Campeonato Brasileiro. Por conta disso, Thiago Maia admite que existe a possibilidade do elenco “escolher” uma das competições.

“Conversaremos com os fisiologistas e vamos ver o que podemos fazer para dosar essas competições, que são muito diferentes. Tem de ver os jogadores, se vamos abrir mão de alguma, se aguentamos as duas. Mas acho que vamos subir de produção e agradar muita gente”, completou.

Recuperado, Ricardo Oliveira treina e deve voltar contra o Atlético-PR

O técnico Dorival Júnior ganhou uma boa notícia na tarde desta quinta-feira. Após ficar três jogos afastado por conta de uma lesão de grau um na coxa, o atacante Ricardo Oliveira participou normalmente do treino no CT Rei Pelé e deve voltar ao time titular do Santos no duelo contra o Atlético-PR, no próximo sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela 28ª rodada da competição.

Foi a primeira atividade do camisa 9 em campo após se lesionar na vitória por 3 a 2 sobre o Santa Cruz, no último dia 18, no Pacaembu. O treinamento desta quinta-feira reuniu apenas os reservas e os atletas que não entraram em campo na partida contra o Inter, nesta quarta, na Vila Belmiro, vencida pelo Peixe por 2 a 1, pelo confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Durante o treino, Ricardo Oliveira participou normalmente de um tipo de coletivo, mas em campo reduzido. Caso o centroavante tenha condições de jogo, Rodrigão deve voltar para o banco de reservas na partida contra o Furacão.

Mesmo com o possível retorno do camisa 9, o técnico Dorival Júnior segue com a ausência de Gustavo Henrique e Vitor Bueno. Enquanto o zagueiro rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e não defende mais o Santos neste ano, o meia sentiu uma lesão na coxa esquerda e vai seguir fora por, pelo menos, um mês.

Para a vaga do defensor, David Braz deve entrar na equipe titular. Já no lugar Bueno, Dorival segue em dúvida entre Jean Mota e Emiliano Vecchio.

Com isso, o alvinegro deve encarar o Atlético-PR com: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Jean Mota (Vecchio), Copete e Ricardo Oliveira (Rodrigão).

Vasco 2 x 2 Santos

Data: 21/09/2016, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa do Brasil – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 17.393 pagantes
Renda: R$ 469.245,00
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Auxiliares: Leirson Peng Martins e Mauricio Coelho Silva Penna (ambos do RS).
Cartões amarelos: Diguinho e Douglas (V); Rodrigão e Zeca (S).
Cartão vermelho: Andrezinho (V)
Gols: Copete (11-1), Nenê (24-1); Ederson (24-2) e Rodrigo (37-2, contra)

VASCO
Martin Silva; Yago Pikachu, Rodrigo, Luan e Julio Cesar (Allan); Diguinho (Madson), Douglas, Andrezinho e Nenê; Éderson e Júnior Dutra.
Técnico: Jorginho

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Elano), Copete e Rodrigão (Joel).
Técnico: Dorival Junior



Santos empata com Vasco e avança para as quartas da Copa do Brasil

Em uma partida muito movimentada, o Santos conquistou a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil ao empatar por 2 a 2 com o Vasco, nesta quarta-feira, em São Januário. Como venceu o duelo de ida, os paulistas avançaram na competição de mata mata e vai conhecer seu adversário após sorteio na CBF.

O Santos sacramentou a classificação no início do jogo, com gol de Copete. O Vasco ainda empatou na etapa inicial com Nenê. No segundo tempo, os donos da casa viraram com Ederson, mas viram os paulistas empatarem em gol contra de Rodrigo, em jogada controversa.

As duas equipes voltam a campo no sábado. Pela Série A, o Santos vai até Recife para enfrentar o Sport. Já o Vasco terá o confronto direto pela liderança da Série B contra o Atlético-GO, novamente em São Januário.

O jogo

O Vasco tentou pressionar o Santos nos primeiros minutos em busca do gol. No entanto, os santistas logo impuseram seu toque de bola e em um contra-ataque rápido abriu o placar aos 11 minutos. Thiago Maia cruzou pela esquerda, Martín Silva saiu mal e viu Copete finalizar para a rede.

Os cruzmaltinos buscaram o empate depois do revés e por pouco não marcaram aos 13 minutos. Ederson foi lançado na área, mas finalizou na rede pelo lado de fora. O lance animou os donos da casa, que aumentaram a pressão e conseguiram o gol aos 24 minutos. Junior Dutra fez boa jogada pela direita e cruzou para Nenê chutar cruzado, sem chance para Vanderlei.

A partida seguiu movimentada após o empate do Vasco, mas o Santos quase ficou a frente no marcador aos 26 minutos. Vitor Bueno foi lançado na área, mas acabou travado por Rodrigo antes de finalizar. Depois disso, os vascaínos assustaram em dois chutes de fora da área. Primeiro, Douglas obrigou Vanderlei a fazer boa defesa. Depois, Junior Dutra quase acertou o canto do goleiro santista.

Com o passar do tempo, o Santos conseguiu segurar as boas jogadas do Vasco. Os cruzmaltinos continuavam tendo mais posse de bola, mas erravam muitos passes e quase buscavam as jogadas aéreas viam a zaga paulista tirar o perigo. Assim, o duelo foi para o intervalo com a igualdade no placar em São Januário.

No segundo tempo, o Vasco continuou tendo mais posse de bola, mas sem levar perigo ao Santos, principalmente pelo excesso de passes errados. Quase tinha a bola, os visitantes trocavam muitos passes para diminuir o ritmo da partida.

O Santos conseguiu equilibrar o jogo e desperdiçou grande chance aos 23 minutos. Os paulistas aproveitaram roubada de bola no meio e chegaram na área com facilidade. Copete recebeu passe na pequena área, mas Martín Silva se esticou para salvar os cruzmaltinos, que responderam em grande estilo no minuto seguinte. Nenê cruzou pela direita, Gustavo Henrique não cortou o perigo e viu Thalles dar de cabeça ara Ederson colocar na rede.

O gol fez a torcida inflamar em São Januário. Com isso, o Vasco voltou a pressionar e desperdiçou grande chance aos 30 minutos. Nenê lançou Yago Pikachu na área. O lateral tocou para Ederson na pequena área, mas o atacante finalizou para fora.

Quando o Vasco buscava o terceiro, tomou uma ducha de água fria aos 37 minutos. Em contra-ataque rápido, Joel cruzou rasteiro e o zagueiro Rodrigo, ao tentar cortar a bola, colocou na própria rede. Os vascaínos reclamaram muito de falta em Allan no início da jogada.

O revés desanimou torcida e jogadores do Vasco, que não teve mais força de buscar o resultado. Para piorar, nos minutos finais, Andrezinho foi expulso após entrada dura. Assim, o Santos passou a administrar o jogo até o apito final.

Bastidores – Santos TV:

Dorival vê mais acertos do que falhas em classificação contra o Vasco

O Santos conquistou a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil ao empatar por 2 a 2 com o Vasco, nesta quarta-feira, em São Januário. Porém, engana-se quem pensa que foi um duelo fácil para o Peixe. Mesmo com a vantagem de ter vencido o jogo de ida por 3 a 1, o Alvinegro paulista abriu o placar no começo, mas levou a virada do Cruz-Maltino e sofreu para conseguir igualar o marcador e sair com a vaga.

Após perder uma chance clara aos 24 minutos da etapa final, o Santos viu o Vasco sair em contra-ataque e fazer 2 a 1, com Éderson. Logo em seguida, o próprio atacante vascaíno teve uma chance incrível na cara do goleiro Vanderlei e desperdiçou. Se a bola entrasse, o duelo iria para os pênaltis.

Apesar de sofrer dois gols e ser pressionado pelos cariocas, o técnico Dorival Júnior acredita que a atuação do Alvinegro Praiano foi boa em São Januário. “No somatório, fizemos muito mais coisas positivas do que negativas. Fomos infelizes em alguns momentos. Sofremos o segundo gol e não perdemos o equilíbrio em campo”, afirmou o comandante, em entrevista coletiva após o jogo desta quarta-feira.

Após se garantir nas quartas da Copa do Brasil, o Santos volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro. No próximo sábado, o Peixe enfrentará o Sport, às 18h30 (de Brasília), na Ilha do Retiro, pela 27ª rodada da competição.

“A equipe busca uma recuperação dentro do Brasileiro. Vamos ver a sequência, o que vamos alcançar. Confio muito no grupo. Espero que melhoremos ainda mais para que possamos estar numa posição ainda melhor na competição”, concluiu Dorival.

Como o duelo contra o Sport também será longe de São Paulo, o Peixe não voltará a Santos. A delegação treinará em General Severiano nesta quinta-feira e depois embarcará para Pernambuco. Os santistas só retornarão para casa no domingo, após o jogo diante do Leão.

Lucas Lima reclama de “maldade” dos vascaínos e já pensa no Brasileirão

O Santos arrancou um empate em 2 a 2 contra o Vasco, em São Januário, na noite desta quarta-feira, e conquistou a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil. Após abrir o placar, o Peixe levou a virada e buscou a igualdade em um lance polêmico. Aos 38 minutos do segundo tempo, Lucas Lima trombou em Andrezinho e armou a jogada que terminou com o gol contra do zagueiro Rodrigo. Os vascaínos pediram falta do meia santista, que não concorda com a reclamação.

“Não sei do que estão reclamando. Eles foram muito maldosos desde o começo do jogo e o juiz estava deixando seguir. Quem decide é a arbitragem. Não tem do que reclamar”, afirmou o camisa 10 do Alvinegro praiano, na saída do gramado.

Antes do lance polêmico no segundo gol, o Santos chegou a ter a classificação ameaçada, mesmo após abrir o placar no início do duelo. Aos 24 minutos da etapa final, o Peixe saiu na cara do gol com quatro jogadores contra o goleiro Martín Silva. Porém, o atacante Joel demorou para chutar e perdeu a chance claríssima. No contra-ataque, o alvinegro acabou levando a virada do Cruz-Maltino, após Éderson empurrar para o fundo das redes.

Logo após a virada, o Santos foi pressionado pelo Vasco e quase levou o terceiro gol. Porém, o alvinegro conseguiu empatar o duelo no fim e garantir a classificação. Para Lucas Lima, a pressão foi causada por falhas dos próprios santistas.

“Sofremos por culpa do nosso time, poderíamos ter matado a partida antes. Agora é descansar e pensar no Brasileiro”, completou.

Gustavo Henrique comemora classificação, mas admite “vacilos”

Logo aos 10 minutos de jogo, quando Copete empurrou a bola para o fundo das redes e abriu o placar contra o Vasco, em São Januário, a classificação do Santos para as quartas de final já era dada como certa. Afinal, os santistas haviam vencido o confronto de ida por 3 a 1, na Vila Belmiro, e os vascaínos precisavam marcar três vezes para levar a decisão para os pênaltis. Porém, mesmo com a larga vantagem, o Peixe sofreu no Rio de Janeiro.

Ainda no primeiro tempo, o Vasco buscou o empate. Já na segunda etapa, os torcedores do Santos certamente tiveram um déjà vu. Após perder uma chance clara com Joel, o Peixe viu o Vasco sair em contra-ataque fazer 2 a 1, com Éderson. O lance foi bem parecido com o segundo gol de Keno contra o alvinegro, no último domingo, no Pacaembu, na vitória santista por 3 a 2 sobre o Santa Cruz, pela 26ª rodada do Brasileirão.

Na saída de São Januário, o zagueiro Gustavo Henrique admitiu as falhas da equipe. “Vacilamos muito. Um time como o nosso, que joga junto há tempos, não pode deixar isso acontecer. Mas é bom para amadurecermos “, disse o defensor.

Mesmo após levar a virada do Cruz-Maltino, o Santos conseguiu arrancar o empate e saiu de campo classificado para as quartas de final da Copa do Brasil.

Copete vibra com gol importante e diz que Santos ‘ainda não ganhou nada’

Com a vantagem de ter vencido o confronto de ida por 3 a 1, na Vila Belmiro, o Santos praticamente garantiu a classificação às quartas de final da Copa do Brasil logo aos 10 minutos do primeiro tempo, quando Copete empurrou a bola para o fundo das redes e abriu o placar contra o Vasco, na noite desta quarta-feira, em São Januário. Para o colombiano, o tento foi importante para diminuir a pressão vascaína no início do duelo.

“Sabíamos que se marcássemos um logo cedo, nós teríamos uma grande diferença e eles teriam que vir pra cima, a torcida ia se desesperar, dando a possibilidade da gente jogar com calma e ter mais a bola”, afirmou o atacante santista.

Porém, mesmo com a vantagem e a vitória parcial, o Santos sofreu para sair do Rio de Janeiro classificado. O Cruzmaltino empatou o jogo ainda no primeiro tempo, com Nenê, e virou a partida na segunda etapa, após gol de Éderson. Logo em seguida, o próprio atacante vascaíno teve uma chance incrível na cara do goleiro Vanderlei e desperdiçou. Se a bola entrasse, o duelo iria para os pênaltis. Depois de suportar a pressão da equipe carioca, o Alvinegro Praiano arrancou a igualdade e garantiu a vaga.

“Acabou complicando um pouco no final, mas sabíamos que não seria fácil. Sabemos que é uma equipe que briga e que sempre está dando o melhor. Nós tivemos que controlar isso e também nossas emoções. Fizemos uma boa partida no geral e estamos felizes com a classificação. Agora é virar a página e seguir adiante”, disse Copete.

Agora, o Peixe muda o foco e volta suas atenções ao Brasileirão. No próximo sábado, os santistas enfrentam o Sport, às 18h30 (de Brasília), na Ilha do Retiro, pela 27ª rodada do torneio. Para Copete, o Santos tem condições de conquistar os dois campeonatos, mas precisa manter os pés no chão.

“Temos que ir passo a passo e tratar cada partida como uma final. Ainda não ganhamos nada, mas com essa sequência positiva nós demonstrando que podemos chegar nos primeiros lugares”, completou.