Navegando Posts marcados como Coutinho

Peñarol 3 x 2 Santos

Data: 28/03/1965
Competição: Copa Libertadores – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio Centenário, em Montevidéu, Uruguai.
Renda: 3.140.270,00 pesos / Cr$ 195.000.000,00
Árbitro: Luís Ventre (ARG)
Gols: Silva (08-1), Ledesma (23-1, contra), Coutinho (12-2), Sacia (34-2, de pênalti) e Silva (44-2).

PEÑAROL
Maidana; Forlán, Perez, Varela e Caetano; Gonçalves e Rocha; Ledesma, Silva, Sacia e Joya.
Técnico: Máspoli

SANTOS
Laércio; Olavo, Mauro, Joel e Geraldino; Zito e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe.
Técnico: Lula

Grêmio Maringá 1 x 11 Santos

Data: 16/05/1965, domingo
Competição: Amistoso – Aniversário de Maringá
Local: Estádio Willie Davies, em Maringá, Paraná.
Renda: Cr$ 36.321.000,00
Árbitro: José Batista dos Santos
Gols: Peixinho (22-1), Pelé (24-1), Edgar (39-1) e Lima (44-1); Coutinho (04-2), Pelé (09-2), Toninho Guerreiro (28-2), Peixinho (35-2), Coutinho (36-2), Toninho Guerreiro (43-2), Abel (44-2) e Toninho Guerreiro (45-2).

Grêmio Maringá (PR)
Maurício (Evir); Nico (Ditão)(Oliveira II), Pinduca e Édson; Haroldo (Macario) e Roderlei; Danubio (Célio), Aurélio, Edgar, Zuringue e Luis Roberto (Valter Prado).
Técnico:

SANTOS
Laércio; Carlos Alberto, Mauro (Modesto), Haroldo e Geraldino; Lima (Rossi) e Mengálvio; Peixinho, Coutinho, Pelé (Toninho Guerreiro) e Pepe (Abel).
Técnico: Lula



O Santos goleia de 11 e Pelé marca apenas 2

Fonte: Jornal Folha de SP

Remo 4 x 9 Santos

Data: 29/04/1965, quinta-feira.
Competição: Amistoso
Local: Estádio Antonio Baena, em Belém, PA.
Renda: Cr$ 50.000.000,00
Árbitro: Sena Muniz
Gols: Pelé (08-1), Valter (17-1), Zezé (24-1), Coutinho (27-1), Carlos Alberto (34-1), Pelé (38-1), Pelé (40-1) e Pelé (44-1); Pelé (10-2), Zezé (17-2), Toninho (28-2), Zezé (31-2) e Peixinho (33-2).

REMO
Arlindo; Sergio, Faustino (Casemiro), Zeca e Jorge; Amaral e Valter; Zé Luis, Zezé, Rangel e Chaminha.
Técnico: Sávio Ferreira

SANTOS
Cláudio; Carlos Alberto (Dé), Mauro (Modesto), Haroldo e Geraldino; Rossi e Mengálvio (Lima); Peixinho, Coutinho (Toninho), Pelé (Santana) e Abel.
Técnico: Lula



Santos deu de nove com cinco gols de Pelé

Carlos Alberto Torres fez sua estréia no Santos e marcou gol.



Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/1965/04/30/2//4987754

Santos 4 x 1 Flamengo

Data: 16/12/1964
Competição: Taça Brasil
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Renda: Cr$ 21.500 mil
Árbitro: Armando Marques
Gols: Pelé (20-1); Pelé (16-2), Paulo Chôco (28-2), Coutinho (33-2) e Pelé (38-2).

SANTOS
Gilmar; Ismael, Modesto, Haroldo e Lima; Zito (Geraldino) e Mengálvio; Toninho, Coutinho, Pelé e Pepe.

FLAMENGO
Marcial; Murilo, Ditão, Ananias e Paulo Henrique; Carlinhos e Evaristo; Amauri, Airton, Berico (Paulo Chôco) e Carlos Alberto.



Pelé brilhou, fez três e Santos derrotou Fla por 4 a 1

O Santos venceu o Flamengo por 4 a 1 à noite, no Pacaembu, na primeira partida das finais da Taça Brasil, numa partida em que Pelé voltou a luzir como figura maior, marcando três gols, e em que o Flamengo jogou bem, só se descontrolando quando sofreu o terceiro gol no final.

O primeiro tempo terminou com 1 a 0 e o campo muito encharcado prejudicou demais o desenvolvimento das ações no segundo tempo, influindo inclusive em dois gols, o de Coutinho sofrido por Marcial e o tento do Flamengo.

Um gol de Pelé
Num início em que os dois times se equivaliam, coube ao Flamengo fazer a primeira jogada de perigo, quando o ataque trocou passes e lançou Amauri em profundidade, para o ponteiro penetrar e chutar com violência para fora. A esta altura, Pelé já marcava a sua presença e deu um lindo drible de corpo em Evaristo, sendo aplaudido e perdendo na seqüência para o armador do Flamengo. Mengálvio dava o ritmo ao time do Santos, jogando solto, enquanto Pelé recuava e caia para a esquerda buscando abrir uma brecha na linha de zagueiros rubro-negra.

Aos 20-1, Pelé, que hpa poucos instantes dera um chute surpreendente mesmo cercado por três adversários, penetrou e livrou-se de Evaristo, marcando 1 a 0 para o Santos.

Daí para frente o Flamengo tentou o ataque, com o Santos procurando lançamentos longos. O Flamengo trocou Berico por Paulo Chôco, que se entende melhor com Airton, e o ataque melhorou, pondo a defesa do Santos em dificuldade algumas vezes. Quase no final do primeiro tempo, Zito saiu passando Lima para o meio e entrando Geraldino na lateral esquerda.

Muitos gols
O segundo tempo mostrou-se com o Santos firmando-se mais ainda para impor uma larga superioridade, mesmo que o Flamengo (que conseguiu além do gol, duas bolas nas traves de Gilmar) jogasse mal, a não ser nos últimos 12 minutos.

Pelé aumentou para 2 a 0 aos 16′, batendo uma falta de fora da área com um chute fortíssimo. Marcial chegou a agarrar, mas patinando na lama e com a bola encharcada, soltou-a e ela foi às redes.

Aos 28′ Evaristo encobriu bem a barreira batendo com absoluta perfeição uma falta e Gilmar chegou a agarrar a bola, mas, como Marcial no gol anterior, soltou-a, de tão escorregadia, e Paulo Chôco entrou com raiva e marcou.

Aos 33′, Pelé faz uma de suas jogadas excepcionais, cobrindo Ditão e dando meio gol a Coutinho que não teve outro trabalho senão entrar e dar um leve toque de pé para fazer o terceiro gol, quando Marcial soltou a bola. Aos 38′, Coutinho dá um bom lançamento a Pelé, que chutou rasteiro, de fora da área, no canto esquerdo de Marcial, fazendo o quarto e último gol.

Santos 6 x 0 São Bento

Data: 09/12/1964
Competição: Campeonato Paulista – 29ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: Cr$ 4.938.800
Árbitro: Albino Zanferrari.
Gols: Pelé (29-1), Pelé (36-1), João Carlos (08-2, contra), Coutinho (26-2), Pelé (30-2) e Mengálvio (31-2).

SANTOS
Gilmar; Ismael, Modesto e Lima; Zito e Haroldo; Toninho, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.
Técnico: Lula

SÃO BENTO
Chicão; João Carlos, Julião e Salvador; Nestor e Gibe; Raimundinho, Norberto, Bira, Nei e Gilson.
Técnico: