Navegando Posts marcados como Danubio

Santos Futebol Clube x Danubio Fútbol Club

Retrospecto:

02 jogos
02 vitórias
00 empate
00 derrota
05 gols pró
03 gols contra
02 saldo

Resultados:

03/03/2005 – Santos 3 x 2 Danubio – Libertadores – Vila Belmiro, Santos
20/04/2005 – Santos 2 x 1 Danubio – Libertadores – Luis Franzini, Montevidéu

Danubio 1 x 2 Santos

Data: 20/04/2005, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 5ª rodada
Local: Estádio Luis Franzini, em Montevidéu, Uruguai.
Árbitro: Héctor Baldassi (ARG)
Cartões amarelos: Risso (D); Henao, Leonardo e Zé Elias (S).
Cartão vermelho: Cafu (D)
Gols: Pouso (07-2), Deivid (20-2) e Risso (40-2, contra).

DANUBIO
Barbat; Cafu, Vieira, Melo e Pouso; Silva (Pellejero), Lima, Gargano e González; Risso e Salgueiro (Ortiz).
Técnico: Gerardo Pelusso

SANTOS
Henao; Paulo César, Leonardo, Ávalos e Léo; Zé Elias (Basílio), Fabinho, Bóvio e Ricardinho; Robinho (Halisson) e Deivid (William).
Técnico: Gallo



Santos vence de virada e assume liderança do Grupo 2 da Libertadores

O Santos venceu o Danúbio, do Uruguai, por 2 a 1 fora de casa e derrubou uma regra do grupo 2 da Copa Libertadores da América 2005. Até o jogo desta noite, nenhuma equipe da chave havia marcado pontos jogando como visitante. Com a vantagem, o time brasileiro ficou perto da classificação à próxima fase.

Sofrendo muita pressão durante toda a partida, o Santos chegou a ficar atrás no placar, e só conseguiu a virada depois que o atacante Basílio entrou no lugar de Zé Elias. Os dois gols santistas saíram de cruzamentos feitos pelo atacante.

Com o resultado, o Santos assumiu a liderança isolada do grupo com nove pontos. Bolívar e LDU, que se enfrentam em La Paz apenas na próxima quarta-feira, e o próprio Danúbio dividem a segunda posição do grupo com seis pontos.

A partida desta quarta-feira foi marcada por muita tensão, principalmente no início. Com a realização do jogo em um estádio acanhado e com o gramado em más condições, a direção do Danúbio tentou desestabilizar os santistas.

No primeiro jogo entre as duas equipes pela Libertadores, na Vila Belmiro, o Santos não permitiu que o Danúbio fizesse o reconhecimento do gramado, provocando muitas reclamações por parte dos uruguaios.

Em Montevidéu, preocupados com as condições dos vestiários do estádio Luís Franzini, os santistas já chegaram ao local do jogo uniformizados.

A próxima partida do Santos pela Libertadores acontece apenas no dia 11 de maio. No estádio da Vila Belmiro, em Santos, a equipe alvinegra enfrenta o Bolívar, da Bolívia, na penúltima rodada da primeira fase da competição.

Contudo, antes desse jogo o time comandado pelo técnico Gallo joga três vezes pelo Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o Santos estréia na competição nacional contra o Paysandu. E nas rodadas seguintes enfrenta Coritiba e Atlético-PR.

Os uruguaios do Danúbio voltam a jogar pela Copa Libertadores também no dia 11 de maio e enfrentam, em Quito, no Equador, a Liga Deportiva Universitária (LDU).

O jogo

A partida começou com muitas faltas e nos primeiros minutos a bola não chegou perto das áreas de Santos e Danúbio. Aos 7min, já haviam sido marcadas oito faltas no jogo, sete delas cometidas pela equipe santista.

Com isso, o Santos não conseguiu avançar ao seu campo de ataque e os donos da casa dominaram os quinze primeiros minutos de jogo. Contudo, o Danúbio não chegou ao ataque com perigo real contra o gol de Henao.

As principais ameaças da equipe uruguaia saíram de cruzamentos na área brasileira, principalmente em cobranças de escanteios e faltas de longa distância. Contudo, as tentativas do Danúbio não conseguiram superar a defesa santista, que afastou todas as bolas alçadas na área.

Aos 10min, o atacante Risso perdeu boa chance de abrir o placar. Depois de jogada pela direita, Salgueiro invadiu a área e cruzou forte para o atacante, que tentou chutar mas foi travado pelo zagueiro Leonardo.

Somente aos 14min o Santos conseguiu se aproximar da área uruguaia pela primeira vez. O meia Bóvio dominou fora da área, passou pelo marcador levando a bola para a direita do ataque e tentou fazer o cruzamento, mas a defesa tirou antes que qualquer jogador santista aparecesse.

Três minutos depois, os visitantes voltaram a fazer boa jogada de ataque. O lateral-direito Paulo César fez cruzamento e o atacante Deivid apareceu na pequena área para tocar para o fundo do gol. Contudo, o lateral-esquerdo estava à frente do último homem da defesa do Danúbio e o impedimento foi marcado contra o Santos.

Aos 20min, o lance pareceu se repetir, e mais uma vez a equipe visitante teve um gol anulado. O atacante Robinho ganhou a bola no meio e fez passe para Ricardinho na direita. O meia chutou e, depois de desvio do goleiro, Deivid mais uma vez apareceu para completar. Desta vez, porém, o impedimento marcado foi do próprio Deivid.

A partir da segunda metade do primeiro tempo, o Santos voltou a encontrar dificuldades para criar bons lances de ataque. E o Danúbio, apesar de controlar a posse de bola, não conseguia concluir com perigo contra o gol de Henao.

Aos 36min, o Danúbio conseguiu criar sua melhor oportunidade para abrir o placar no primeiro tempo. Depois de cruzamento longo feito da esquerda, o atacante Risso subiu e cabeceou sozinho a queima roupa. O goleiro Henao, no entanto, estava bem posicionado e conseguiu defender.

Nos minutos finais, o jogo voltou a ficar muito parado por conseqüência da grande quantidade de faltas cometidas pelos dois times e, assim, o intervalo chegou sem que o placar saísse do 0 a 0.

A segunda etapa voltou pouco movimentada, e o panorama do jogo continuou sem mudanças. Enquanto o Danúbio apostou nas bolas cruzadas, o Santos se postou defensivamente, esperando a oportunidade de armar um contra-ataque.

Contudo, apesar de a atitude das duas equipes permanecer inalterada, o primeiro gol não demorou a sair. Aos 7min, o meia Pablo Lima cobrou falta da direita do ataque do Danúbio com o pé esquerdo.

O zagueiro Ávalos desviou de cabeça dentro da área do Santos e acabou tirando a bola do alcance do goleiro Henao. Com isso ela já ia entrando quando Pouso apareceu em cima da linha para definir o lance.

Já no lance seguinte, o Santos ficou muito perto do empate. Em jogada armada pelo centro do campo de ataque santista, a bola sobrou para Bóvio chutar bem da entrada da área. Mas o lance parou na boa defesa do goleiro Barbat, que conseguiu tirar o chute rasteiro com os pés.

O empate veio apenas aos 21min. Ávalos tocou para o atacante Basílio, que havia acabado de entrar no lugar do volante Zé Elias. O atacante fez cruzamento da esquerda e, depois de passar pelo goleiro Barbat e por Robinho a bola encontrou a cabeça de Deivid, que fez o gol.

Com o empate, o Danúbio voltou a se concentrar nas jogadas de bola aérea na área, mas sem sucesso. E aos 39min, o Santos chegou ao gol da vitória em outro lance de Basílio.

Desta vez, o atacante dominou a bola depois de cobrança de escanteio da esquerda do ataque e cruzou novamente na pequena área. O atacante Risso tentou tirar e acabou desviando para dentro do gol.


Santos 3 x 2 Danubio

Data: 03/03/2005, quinta-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.270 pagantes
Renda: R$ 89.801,00
Árbitro: Gabriel Brazenas (ARG)
Auxiliares: Oscar Sequeira e Claudio Rossi (ambos da ARG).
Cartões amarelos: Flávio, Basílio e Deivid (S); Cafu, Melo, Lima e Pouso (D).
Gols: González (16s) e Léo (38-1); Robinho (26-2), Vieira (42-2) e Ricardinho (44-2).

SANTOS
Mauro; Paulo César (Flávio), Domingos, Ávalos e Léo; Bóvio, Tcheco (Basílio), Ricardinho e Fabio Baiano (Fernando Diniz); Deivid e Robinho.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

DANUBIO
Barbat; Cafu, Vieira, Melo e Lima; Pellejero (Silva), Pouso, Gargano e González; Risso e Salgueiro (Ortiz).
Técnico: Gerardo Peluzzo



De virada, Santos vence e mantém tabu da Vila

O Santos recebeu o Danúbio, do Uruguai, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, e após um susto logo aos dezesseis segundos de jogo, conseguiu a virada, que garantiu à equipe a primeira vitória na Copa Libertadores 2005, por 3 a 2.

Com a vitória, o Santos foi a três pontos e empatou com o próprio Danúbio e com o Bolívar, da Bolívia, na liderança do grupo 2 da competição. O time boliviano, no entanto, realizou apenas uma partida até agora. Na próxima terça-feira, enfrenta a LDU, do Equador.

O resultado garantiu ao Santos a manutenção de um tabu que se iniciou em 2003, ano da primeira participação do clube na Libertadores no século XXI. Desde que voltou à competição internacional, o Santos jamais foi derrotado jogando na Vila Belmiro.

Na noite desta quinta-feira, mais uma vez o herói santista foi o atacante Robinho. No primeiro tempo, além de dar muita criatividade ao setor ofensivo da equipe, ele foi o responsável pelas melhores chances criadas antes do gol de empate. No segundo tempo, quando o jogo ainda estava 1 a 1, foi Robinho que marcou o gol de empate.

Contudo, já no final da partida, um outro herói da torcida santista também mostrou ser predestinado. Após o segundo gol do Danúbio, Basílio criou o lance do gol decisivo, ao sofrer pênalti, depois convertido por Ricardinho.

Apesar de sofrida, a vitória sobre o Danúbio pode dar um novo ânimo ao time comandado por Oswaldo de Oliveira, que havia sido derrotado pelo Bolívar por 4 a 3 na estréia da Libertadores, e, após alguns resultados inesperados, ficou a quatro pontos de distância do São Paulo no Campeonato Paulista.

O próximo jogo do Santos na Libertadores acontece no dia dezessete de março, no Equador, contra a LDU. Neste domingo, o time do técnico Oswaldo de Oliveira volta a campo pelo Campeonato Paulista, no clássico contra o Palmeiras.

O jogo

Contrariando a expectativa de que o Danúbio fosse jogar de forma cautelosa contra o campeão brasileiro, o time uruguaio foi para cima do Santos logo no primeiro lance. E com menos de vinte segundos de jogo, os visitantes conseguiram abrir o placar na Vila.

Na saída de bola, o Danúbio avançou tocando a bola pelo centro do campo de ataque e a bola acabou dominada pelo meia Gonzalez, na entrada da área santista. Ele driblou o lateral Paulo César e carregou para a esquerda, de onde chutou cruzado para marcar.

Somente aos 3min o Santos conseguiu se aproximar do gol uruguaio. Ricardinho cobrou falta pela esquerda do ataque, alcançando Domingos, dentro da área. O zagueiro, no entanto, cabeceou para fora.

Quatro minutos depois foi a vez de o Danúbio atacar também em cobrança de falta. De frente para o gol de Mauro, o lateral Lima chutou forte, mas a bola foi para fora, à esquerda do gol. No lance seguinte, o Santos finalmente ameaçou com perigo. O atacante Deivid chutou bem de fora da área, mas o goleiro defendeu com segurança no canto direito.

Aos 10min, Robinho começou a aparecer na partida. Ele recebeu passe de Paulo César e invadiu a área uruguaia, mas, na hora do chute, a bola desviou na defesa e saiu para escanteio.

Com a desvantagem no placar, o Santos se lançou ao ataque e passou a pressionar insistentemente a defesa adversária. No entanto, os chutes dos jogadores brasileiros acabaram todos na defesa dos visitantes ou nas mãos do goleiro Barbat.

Contudo, apesar do domínio santista, o Danúbio não abdicou do ataque, e seguiu criando chances, principalmente em chutes de longa distância e bolas alçadas na área. Aos 22min, Robinho perdeu grande chance de empatar a partida. Depois de bate rebate na área, ele chutou da marca do pênalti, mas a bola subiu muito, saindo sem perigo.

Dois minutos depois, os donos da casa tiveram suas duas melhores oportunidades na mesma jogada. Robinho avançou pelo meio, se livrando dos marcadores do Danúbio e, depois de invadir a área, chutou em cima do goleiro. No rebote, Léo cruzou para Deivid, que cabeceou para defesa do goleiro uruguaio.

Aos 31min, novamente com Deivid, o Santos voltou a ficar perto do gol. O atacante recebeu a bola na esquerda do ataque, cortou para dentro e chutou no canto esquerdo de Barbat. O goleiro espalmou e a bola ainda triscou na trave antes de sair para escanteio.

A sete minutos do fim do primeiro tempo, o Santos finalmente conseguiu igualar o marcador, em grande jogada iniciada por Ricardinho. Da esquerda do ataque santista, o meia fez passe para Tcheco, do lado direito. Ele lançou Fábio Baiano, que cruzou para Léo, no segundo pau. O lateral cabeceou sem muita força e fez o gol santista.

Na segunda etapa, o jogo voltou mais equilibrado. Apesar da pressão santista, o Danúbio continuou acreditando na vitória e seguiu atacando, com menos volume que o Santos, mas sem se preocupar exlucisvamente em defender.

Aos 4min, Gonzalez, autor do primeiro gol, bateu de fora da área. O chute, no entanto, saiu fraco e Mauro defendeu com facilidade. Dois minutos depois, o Santos ameaçou com Fábio Baiano, que cabeceou de dentro da área, mas a bola saiu por cima do gol.

Ainda antes de completados os dez primeiros minutos, o Danúbio voltou a chegar com perigo. Depois de cruzamento da direita, o lateral Lima pegou de primeira e exigiu grande defesa de Mauro. O goleiro do Santos espalmou para o meio da área e a zaga afastou.

Dez minutos depois, os uruguaios voltaram a assustar. Da risca da grande área, Salgueiro chutou e Mauro se esticou para fazer mais uma boa defesa. No rebote, o atacante do Danúbio chutou em cima do zagueiro Ávalos.

Após os vinte minutos da segunda etapa, o Santos voltou a atacar com força, em busca do gol da vitória. As principais tentativas aconteceram em lances de bola aérea e em cobranças de faltas e escanteios.

E foi justamente em um lance desses que o time brasileiro chegou ao gol da virada. Aos 25min, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Robinho, que dominou sozinho dentro da área e chutou no ângulo direito do Danúbio.

Aos 41min, veio a última tentativa do Danúbio. Após cobrança de falta na área, o zagueiro brasileiro Vieira cabeceou bola indefensável para o goleiro Mauro.

No minuto seguinte ao gol de empate, quando o empate parecia ser o resultado final, o Santos ainda conseguiu reagir. Depois de invadir a área, Robinho foi derrubado pelo goleiro Barbat e o juiz argentino Gabriel Brazenas marcou o pênalti. Na cobrança, Ricardinho marcou o terceiro.