Navegando Posts marcados como David Braz

Santos 3 x 1 Atlético-MG

Data: 04/11/2017, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.418 pagantes
Renda: R$ 337.480,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO/FIFA)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires (GO/FIFA) e Leone Carvalho Rocha (GO).
Cartões amarelos: Daniel Guedes (S); Otero, Fábio Santos e Elias (A).
Gols: Arthur Gomes (45-1); Fred (05-2), David Braz (15-2) e Ricardo Oliveira (34-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Caju; Alison, Renato (Yuri) e Lucas Lima; Arthur Gomes (Daniel Guedes), Bruno Henrique (Rodrygo) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Elano Blumer

ATLÉTICO-MG
Victor; Marcos Rocha, Leo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adílson, Elias, Cazares (Valdívia) e Otero (Luan); Robinho e Fred (Rafael Moura).
Técnico: Oswaldo Oliveira



Santos muda postura, vence Atlético-MG e segue vivo na briga pelo título

Logo em sua primeira entrevista como técnico do Santos após a demissão de Levir Culpi, Elano afirmou que iria recuperar o ‘DNA ofensivo’ do clube. Pelo menos no primeiro tempo do duelo contra o Atlético-MG, neste sábado, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, o novo comandante conseguiu. Agressivo, o Peixe abriu o placar com Arthur Gomes. Na segunda etapa, porém, a equipe voltou a recuar e levou o empate, com Fred. Porém, os santistas alcançaram a vitória após gols de David Braz e Ricardo Oliveira, e seguem vivos na luta pelo título do torneio nacional.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos 56 pontos, assumiu a segunda colocação e encostou no líder Corinthians, que tem 59 e encara o Palmeiras neste domingo, em Itaquera. Já o time mineiro, por sua vez, parou nos 42 e segue na 10ª posição.

O jogo

O jogo começou elétrico na Vila Belmiro. Com menos de dois minutos, o Santos perdeu duas boas oportunidades, com Arthur Gomes e Bruno Henrique, respectivamente. O Atlético, por sua vez, respondeu na sequência em rápido contra-ataque. Robinho avançou sozinho pelo lado direito e cruzou para Fred, que não alcançou. No rebote, Cazares entrou na área e chutou na rede pelo lado de fora.

Ao contrário do que acontecia com Levir Culpi, o Santos de Elano propunha o jogo na Vila. O Galo, por sua vez, buscava o contra-ataque. Aos 14 minutos, Ricardo Oliveira driblou dois atleticanos na lateral esquerda e rolou para Arthur Gomes. O jovem mandou uma bomba de fora da área e a bola passou muito perto do gol de Victor.

Aos 17, o goleiro do Galo cortou escanteio de forma errada e a redonda sobrou para Renato dentro da área. Porém, o volante chutou para fora e desperdiçou ótima oportunidade.

O Peixe não conseguiu converter o domínio em gols. Tanto que o lance mais comemorado pela torcida foi uma caneta de Alison em Robinho. O drible do volante em cima do Rei das Pedaladas foi comemorado como um gol na Vila.

Quem quase abriu o placar, por sinal, foi o Atlético-MG. Aos 32 minutos, Cazares avançou em velocidade pela direita, entortou Alison e tocou para dentro da área. Victor Ferraz afastou o perigo antes da chegada de Robinho.

A boa chegada do Galo não assustou o Santos, que seguiu melhor. Aos 36, Bruno Henrique cruzou na área, Gabriel cortou mal, e bola sobrou para Ricardo Oliveira. O centroavante, porém, mandou por cima de Victor.

Já aos 39, Bruno Henrique tentou o drible e a bola bateu na mão de Fábio Santos fora da área. Após muita reclamação e pedidos de pênalti pelos santistas, o árbitro Wilton Pereira Sampaio anotou a falta. Na cobrança, Lucas Lima bateu fraquinho, nas mãos de Victor.

E quando parecia que o duelo iria para o intervalo empatado, Bruno Henrique fez linda jogada pela direita e cruzou para Arthur Gomes. O jovem de 19 anos, que não era utilizado por Levir Culpi, testou firme para vencer Victor e abrir o placar para o Peixe na Vila.

Ao contrário da etapa inicial, o duelo voltou mais lento do intervalo, beneficiando o futebol mais cadenciado do Atlético-MG. Aos 4 minutos, Otero avançou pela direita e bateu por cima de Vanderlei. No lance seguinte, Robinho avançou também pelo lado direito e cruzou na cabeça de Fred, que apenas escorou para empatar a partida.

O tento logo no início voltou a animar o confronto. Aos 12, Bruno Henrique fez fila na zaga atleticana e tocou para Ricardo Oliveira. O camisa 9 tentou driblar Victor e perdeu a bola para o goleiro.

Três minutos depois, Lucas Lima cobrou escanteio no segundo pau, David Braz desviou e a bola foi devagarzinho até morrer no fundo da rede e colocar o Peixe em vantagem mais uma vez na Vila Belmiro.

Em desvantagem no marcador, o Atlético-MG passou a buscar mais o ataque e dominar o meio de campo. Aos 26 minutos, o time mineiro quase empatou em jogada bem parecida com a do primeiro gol. Robinho recebeu pela direita e cruzou na cabeça de Fred. Desta vez, porém, o centroavante testou fraco e Vanderlei pegou.

O jogo voltou a ficar elétrico na Vila. Aos 32, Robinho avançou na entrada da área e mandou uma bomba na trave. No lance seguinte, Leonardo Silva ganhou de todo mundo em cobrança de escanteio e testou na trave.

E o velho ditado “quem não faz toma” atacou novamente. Após perder duas boas chances, o Galo viu Bruno Henrique avançar em contra-ataque, aos 34 minutos, deixar Luan no chão e cruzar para Ricardo Oliveira testar firme e decretar o triunfo santista.

Com a vitória garantida, o técnico Elano aproveitou para promover a estreia de Rodrygo. Principal promessa das categorias de base, o jovem de 16 anos entrou na vaga de Bruno Henrique, mas não teve tempo para mostrar muita coisa.

Bastidores – Santos TV:

‘Estreante’ na Vila, Elano valoriza treinos e vibra com vitória do Santos: “Especial”

O torcedor do Santos se acostumou a ver Elano atuar na Vila Belmiro. Como treinador, porém, ele fez sua estreia neste sábado, em vitória do Peixe por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Substituindo o demitido Levir Culpi, o ex-jogador comemorou bastante o triunfo e fez questão de valorizar a semana livre de treinos antes do embate com o Galo.

“Treinamos muitas coisas durante a semana e se os jogadores não compram a ideia, não se dá para colocar em prática. A entrega no jogo é o espírito deles. São caras que chegam na frente, colaboram, são o alicerce do time. Temos uma base muito positiva. A gente sabe que a tática é boa se ela ganha. Fui feliz hoje, mas o mérito é dos atletas. Tive uma semana inteira de trabalho, ajudou bastante. Acabou de sair um treinador, se a gente coloca alguma coisa, parece que estamos apontando erros, mas não é isso, respeito muito o Levir. Eu saio em uma noite especial, é a primeira vez que sou treinador na Vila Belmiro. É especial”, disse Elano em entrevista coletiva.

O triunfo fez o alvinegro chegar aos 56 pontos, assumindo a segunda colocação e encostando no líder Corinthians, que tem 59 e encara o Palmeiras neste domingo, em Itaquera. Por conta disso, o técnico santista mantém vivo o sonho de conquistar a taça.

“Hoje pedi para eles (jogadores) irem para casa, comemorar como eles acharem melhor. Eles merecem. Temos folga no domingo e reapresentação na segunda. O campeonato está aberto. Independentemente do clássico entre Corinthians e Palmeiras amanhã. Vamos continuar nosso trabalho e a entrega tem que ser como a de hoje. Um time experiente e de muita qualidade”, concluiu Elano.

Arthur Gomes entra bem no Santos e agradece Elano: “Me deu a chance”

Arthur Gomes viveu uma tarde mágica neste sábado. Após receber um voto de confiança do técnico Elano, o jovem de 19 anos mostrou personalidade, jogou bem e fez o primeiro gol da vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“É o melhor sentimento que todo o ser humano pode ter. Tinha certeza que eu iria fazer gol. Elano me deu a chance e eu estou muito feliz”, disse o atacante na saída do gramado.

‘Revelado’ por Dorival Júnior, Arthur quase não foi utilizado no período que Levir Culpi ficou no comando do Peixe. Tanto que a última atuação do jovem havia sido no dia 19 de julho, em vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, na Vila, quando jogou por apenas 15 minutos. Antes, ele só entrou em campo por poucos minutos contra o Vitória, Atlético-GO e São Paulo, respectivamente.

Vale lembrar que quando Elano assumiu a equipe interinamente pela primeira vez no ano, em junho, Arthur Gomes também ganhou uma oportunidade e foi titular na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, no Pacaembu, no primeiro turno do Brasileirão.

E com o gol deste sábado, o jovem espera ganhar uma sequência no time titular, afinal, o colombiano Jonathan Copete, que ficou fora contra o Galo por uma conjuntivite, não vive boa fase.

Oliveira se vê em ‘uma crescente’ e valoriza coletivo do Santos: “Foi impecável”

Quem costumava assistir aos jogos do Santos de Levir Culpi deve ter até estranhado a apresentação da equipe neste sábado, em vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Propondo o jogo, principalmente no primeiro tempo, o Peixe não ficou satisfeito apenas em se defender e buscar o contra-ataque, que era comum com o antigo treinador.

Para o atacante Ricardo Oliveira, autor do último gol santista, o alvinegro mostrou um trabalho em equipe que pode fazer a diferença na reta final do Brasileirão.

“Nós temos de ressaltar o trabalho coletivo, que foi impecável. Outro fator positivo é o nosso torcedor, que gritou, nos apoiou. É o momento de unir forças”, disse o centroavante na saída do gramado.

Com o tento deste sábado, Oliveira alcançou a marca de 11 gols no ano, sendo que cinco foram anotados nos últimos sete jogos. “Meu momento é legal. Normalmente no final da temporada é quando começa a perder a potência. E eu estou em uma crescente. Fico feliz de contribuir hoje de novo”, concluiu o camisa 9.

O triunfo fez o alvinegro chegar aos 56 pontos, assumindo a segunda colocação e encostando no líder Corinthians, que tem 59 e encara o Palmeiras neste domingo, em Itaquera.

Vaias, caneta e derrota: Robinho volta a se dar mal em reencontro com o Santos

Robinho voltou a ser hostilizado por boa parte da torcida do Santos na vitória dos donos da casa por 2 a 1 sobre o Atlético-MG neste sábado, na Vila Belmiro. O atacante foi vaiado, driblado e derrotado.

Campeão brasileiro pelo Peixe em 2002 e 2004 e do Paulistão e da Copa do Brasil em 2010, o agora jogador do Galo se deu mal mais uma vez contra o time que o revelou. Foi a terceira derrota. Antes, perdeu por 3 a 0 na Vila, em 2016, e 1 a 0 no Horto, no primeiro turno.

Robinho foi vaiado desde o aquecimento. A torcida o chamou de mercenário e disse que o Santos não precisa dele. A cada domínio, os santistas lembravam da chateação por ele ter ido para o Atlético-MG no começo de 2016.

O momento de êxtase foi a caneta do volante Alison em Robinho, ainda no primeiro tempo. Acostumado a driblar, o atacante foi driblado e viu a torcida comemorar como um gol.

Depois de pouco tocar na bola na primeira etapa, Robinho tentou ajudar o Atlético a reagir. Ele deu ótimo cruzamento para Fred empatar o jogo, mas viu David Braz desempatar logo na sequência e Ricardo Oliveira matar o jogo.

Após a assistência, Robinho parou e olhou para a torcida do Peixe. Os atleticanos gritaram o seu nome. A retribuição veio com palmas. O Rei das Pedaladas ainda acertou a trave em chute de fora da área.

Antes de ir para o vestiário depois do apito final, ele ouviu ofensas e abaixou a cabeça, sem responder. Robinho é um dos alvos da atual diretoria do Santos para 2018. O contrato com o Atlético-MG se encerra no dia 31 de dezembro.

Robinho comentou a partida e disse que a torcida do Santos o ama.

“Infelizmente algumas bolas nossas bateram na trave e as deles entraram. Agora é levantar a cabeça e tentar vencer os próximos jogos. Eles me amam tanto (torcida do Santos) que é assim. O amor e o ódio estão sempre muito próximos”, disse o atacante.

Canal oficial do Santos no Youtube promove “cinco minutos de caneta” em Robinho. E depois tira do ar

Cinco minutos do Alison dando caneta no Robinho”. Este era o título de um vídeo postado pelo canal oficial do Santos no Youtube na noite deste sábado, após a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Atlético-MG.

Poucas horas depois, porém, o vídeo foi retirado do ar do canal oficial do Santos. Mas aí já era tarde: ele já havia sido compartilhado em outros canais e redes sociais por torcedores.

O vídeo provocativo a Robinho mostra o quanto o torcedor santista se ressente pelo fato de ele ter preferido ir para o Galo no ano passado, após rápida passagem pelo futebol chinês.

O Rei das Pedaladas, criado e revelado pelo Santos, acabou sendo muito hostilizado pelos torcedores santistas na Vila Belmiro. Foi o terceiro jogo dele contra o Peixe. E a terceira derrota. Veja abaixo o vídeo da caneta de Alison:


Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 30/07/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 32.251
Renda: R$ 1.059.399,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Neuza Ines Back (ambos de SC).
Cartões amarelos: Edílson, Geromel, Maicon e Ramiro (G); David Braz, Yuri, Vanderlei, Thiago Ribeiro e Lucas Lima (S).
Cartões vermelhos: Edílson (G).
Gols: David Braz (44-1) e Fernandinho (47-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon, Ramiro, Fernandinho, Everton (Arroyo, 29’/2ºT; Jailson, 44’/2ºT) e Pedro Rocha; Luan.
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes, 46’/2ºT), Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Yuri, Alison (Leandro Donizete, 35’/2ºT) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro, 25’/2ºT).
Técnico: Levir Culpi



Santos segura pressão do Grêmio e arranca empate em Porto Alegre

Grêmio e Santos fizeram um típico duelo de ataque contra defesa neste domingo, em Porto Alegre. O Peixe, atuando fora de casa, até começou bem a partida, mas passou a ser completamente dominado após os minutos iniciais. Mesmo assim, o time comandado por Levir Culpi abriu o placar com David Braz ainda no primeiro tempo. Porém, a alegria dos santistas durou pouco, afinal, Fernandinho empatou na sequência. Já na segunda etapa, mesmo sem fazer um jogo brilhante, o alvinegro conseguiu segurar o ímpeto gremista e arrancou um empate na Arena.

Com a igualdade, Tricolor e Peixe seguem em segundo e terceiro, respectivamente. Porém, as duas equipes não conseguiram diminuir a diferença para o líder Corinthians, que apenas empatou com o Flamengo em Itaquera e parou nos 41 pontos.

O jogo:

Apesar de entrar com Alison no lugar do lesionado Vecchio, o Santos não limitou-se a ficar somente na defesa e até chegou a ter um pequeno domínio do jogo nos primeiros minutos. Porém, após o bom início, o Peixe viu o Grêmio ‘acordar’ e passou a ser completamente dominado na Arena.

Mesmo impondo seu toque de bola com facilidade, a equipe gaúcha só assustou de verdade aos 23 minutos, quando Ramiro soltou uma bomba e Vanderlei defendeu. No rebote, Everton isolou.

Após a chance perdida, o tricolor cresceu de vez e começou a colocar o Santos ‘na roda’. Aos 27, Geromel deu belo lançamento para Pedro Rocha, que deixou escapar. Porém, Everton seguiu na jogada e caiu após divida com Jean Mota. Os gremistas pediram pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

Sufocante, o Grêmio quase abriu o placar no lance seguinte, quando Luan bate cruzado, a bola desviou na zaga santista e passou perto da trave direita de Vanderlei.

Três minutos depois, os gaúchos desperdiçaram mais uma oportunidade clara com Everton, que pegou rebote de Lucas Veríssimo dentro da área, mas mandou para fora.

Mas como dizem no futebol, quem não faz, toma. Apesar da enorme pressão gremista, quem abriu o placar na Arena foi o Santos. Após cobrança de escanteio de Jean Mota, Bruno Henrique desviou e David Braz cabeceou firme para fazer 1 a 0 aos 44 minutos.

Porém, a alegria santista durou pouco. No último lance do primeiro tempo, Pedro Rocha bateu forte de dentro da área e Vanderlei operou um milagre. Mas no rebote, Fernandinho apareceu completamente livre para cabecear e empata o jogo.

A segunda etapa começou do mesmo jeito que a primeira terminou: com o Grêmio dominando. Logo aos sete minutos, Pedro Rocha mandou de fora da área e Vanderlei salvou mais uma. Depois, foi a vez de Everton tentar o chute, mas parar em cima do zagueiro Lucas Veríssimo.

O Santos, por sua vez, seguia tendo muita dificuldade para avançar ao ataque. Sofrendo com a ‘marcação pressão’ dos gremistas, o Peixe não assustou Marcelo Grohe.

Porém, apesar se continuar sendo ineficiente na parte ofensiva, a equipe comandada por Levir conseguiu segurar um pouco o ímpeto do Grêmio com o passar da segunda etapa e ‘esfriou’ o jogo até o apito final de Braulio da Silva Machado.

Lucas Lima vê Santos ‘muito recuado’, mas comemora empate

Apesar de ter começado o duelo arriscando algumas jogadas no ataque, o Santos foi completamente dominado pelo Grêmio em grande parte do duelo deste domingo, em Porto Alegre, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, a equipe comandada por Levir Culpi conseguiu arrancar o empate em 1 a 1.

O meia Lucas Lima admitiu que o Peixe entrou em campo com a proposta de atuar mais recuado, porém, ele lamentou as falhas na marcação.

“A gente veio muito recuado, mas tivemos dificuldade na marcação. Eu, particularmente, joguei muito atrás. Tentamos nos adaptar ao jogo deles. Mas conseguimos segurar a pressão e esse pontinho pode fazer muita diferença lá na frente”, explicou o camisa 10 na saída do gramado.

Santistas acreditam em queda do Corinthians no Brasileiro: “Vamos lutar”

Após a eliminação na Copa do Brasil, o Santos concentra suas forças apenas no Campeonato Brasileiro e na Libertadores. E como o Peixe volta a jogar pelo torneio mata-mata apenas no próximo dia 10, quando encara o Atlético-PR, na Vila Belmiro, os santistas terão três rodadas para encostarem no Corinthians, líder da competição nacional.

Atualmente, o Alvinegro da Vila, que ocupa a terceira posição no Brasileiro, está a 10 pontos de distância para o rival na tabela. A distância, porém, não preocupa os comandados de Levir Culpi, que acreditam na queda de rendimento do Timão nos próximos jogos.

“São 10 pontos, o equivalente a quatro jogos, contando com tropeços deles. Nem terminou o primeiro turno ainda. O Brasileiro é muito disputado, complicado. Respeitamos os adversários. Futebol é dinâmico, as coisas podem mudar e talvez não sejam tão favoráveis a eles. Nós temos uma única convicção: vamos lutar até o final. Temos capacidade no elenco. E depois vemos o que está reservado para a gente. Vamos brigar pelo título, com certeza”, decretou o capitão Ricardo Oliveira.

O camisa 9, inclusive, será titular do Peixe no duelo decisivo contra o Grêmio, neste domingo, às 19h (de Brasília), em Porto Alegre, pela 17ª do Brasileirão. Caso vença o Tricolor Gaúcho, o Santos alcança a vice-liderança do torneio.

“Jogo contra o Grêmio é confronto direto, equipe muito bem qualificada. Vamos usar todo o nosso poderio ofensivo, poderio como equipe, para buscarmos um ótimo resultado lá dentro. Vamos nos preparar nesses poucos dias”, concluiu o centroavante.

Gremistas reclamam de retranca do Santos; Arroyo se machuca

O discurso dos jogadores do Grêmio após o empate por 1 a 1 com o Santos na noite desse domingo foi no mínimo repetitivo. A retranca santista irritou os atletas do Tricolor Gaúcho, que tentaram valorizar o ponto conquistado, mas não deixaram de condenar a estratégia da equipe de Levir Culpi.

“O time deles só se defendeu, não chutaram no gol praticamente. Tivemos muitas chances, mas infelizmente não conseguimos ganhar o jogo”, comentou Geromel. “A equipe tentou de todas as maneiras, equipe deles ficou com os 11 dentro da área praticamente. No segundo tempo eles se fecharam de uma maneira que era quase impossível entrar. Tentamos com tabelas, cruzamentos, chutes de longa distância. Dominamos os 90 minutos”, reforçou Ramiro, que foi ainda mais longe.

“Foi o time que veio mais fechado desde que estou no Grêmio, e olha que cheguei em 2013. Tentamos de todas as maneiras e não teve jeito da bola entrar”, comentou o atacante.

O capitão Maicon foi outro a lamentar o empate, mas evitou disparar críticas sobre a arbitragem, alvo de muitos questionamentos durante o jogo, inclusive do volante, um dos mais irritados no gramado.

“Deixar que a diretoria tome as providências, reclame do jeito que tem que reclamar. Valeu pelo nosso empenho. A equipe ficou em cima e o Santos fez o gol em uma bola parada. Paciência”, disse. “Se uma equipe merecia ganhar o jogo era a nossa”, completou Fernandinho.

Suspeita de fratura

Michael Arroyo estreou pelo Grêmio nesse domingo e já se tronou uma preocupação para a comissão técnica. O atacante equatoriano de 30 anos substituiu Jailson aos 44 minutos do segundo tempo e, em sua primeira jogada, levou a pior na dividida com Victor Ferraz. Com o rosto sangrando, o atleta foi levado ao hospital com suspeita de fratura no local.

Renato Gaúcho poupa árbitro, mas avisa: “Não quero padre em campo”

O árbitro catarinense Braulio da Silva Machado teve muito trabalho na Arena do Grêmio na noite desse domingo. O jovem juiz foi muito questionado tanto por gremistas quanto por santistas durante o confronto em Porto Alegre, precisou dar dez minutos de acréscimo e acabou expulsando o lateral Edílson nos minutos finais, quando ainda disparou cartões amarelos para tentar conter as reclamações.

Após o apito final, o clima continuou quente, com os jogadores brigando entre si. Renato Gaúcho entrou no gramado para afastar seus atletas da confusão e cumprimentou Braulio normalmente. Posteriormente, em entrevista coletiva, o treinador mandou seu recado.

“Sobre arbitragem eu não gosto de comentar, não falo, deixo para vocês, diretoria, não cabe a mim. Tenho de analisar minha equipe dentro de campo. Não falo de arbitragem. Procuro treinar minha equipe”, disse, sem deixar, porém, de comentar o lance que gerou o cartão vermelho a Edilson.

“Não quero que minha equipe seja freira, não quero padre em campo. Na hora de chegar junto, tem de chegar junto. Meu time é de homens, não vai aceitar tudo, cabisbaixo, mãozinha para trás. Eu falo para ter respeito com árbitros e adversários. O Edílson queria bater rápido (a falta), empurrou o jogador (Thiago Ribeiro), o juiz quis dar o cartão vermelho, isso eu não comento, foi escolha dele, mas meu time vai chegar junto, sim. Sempre com respeito, mas vai chegar junto”, avisou.

Sobre o jogo em si, Renato Gaúcho mais uma vez disparou elogios a sua equipe e evitou lamentar o fato do Grêmio ter desperdiçado a chance de ficar a seis pontos do líder Corinthians na tabela de classificação. A vantagem dos paulistas segue em oito pontos.

“Normal no futebol, nem sempre você vai ganhar, mas o que me deixa feliz é que minha equipe jogou bem de novo, criou, o Vanderlei estava em uma noite feliz, faz parte. A gente cria para fazer os gols, mas nem sempre consegue. Enfrentamos uma grande equipe, terceira colocada, mas o Grêmio foi bem superior, jogou o tempo todo no campo do Santos. Infelizmente tomamos um gol no fim do primeiro tempo, empatamos, mas a bola não entrou mais”, analisou.

Para o próximo duelo, quarta-feira, contra o Atlético-GO, fora de casa, Renato não poderá contar com Geromel, Arroyo, Edílson e ainda pode perder Barrios mais uma vez. Mesmo assim, nada de lamentações. “É um grupo. Confio em todos. Vamos com o que temos de melhor”.


Santos 4 x 0 Sporting Cristal

Data: 23/05/2017, terça-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.632 pagantes
Renda: R$ 234.160,00
Árbitro: Jose Mendez (PAR)
Auxiliares: Juan Zorrilla e Carlos Caceres (ambos do PAR).
Cartões amarelos: Victor Ferraz (S) e Revoredo (SC).
Gols: David Braz (19-1), Ricardo Oliveira (22-1); Vitor Bueno (21-2) e David Braz (26-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca (Thiago Ribeiro); Renato, Thiago Maia (Léo Cittadini) e Vladimir Hernández (Kayke); Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

SPORTING CRISTAL
Mauricio Viana; Revoredo, Cazulo, Luis Abram e Céspedes; Pedro Aquino, Ballón, Alexis Rojas (Ortíz), Lobatón (Calcaterra) e Fernando Pacheco (Gabriel Costa); Írven Ávila.
Técnico: José Del Solar



Santos goleia Sporting Cristal com facilidade e confirma liderança

O duelo do Santos contra o Sporting Cristal, nesta terça-feira, na Vila Belmiro, pela Libertadores, pode ser definido com apenas uma palavra: facilidade. Já classificado e encarando o lanterna do grupo 2, o Peixe não encontrou qualquer dificuldade para fazer 4 a 0. Desde os primeiros minutos, a equipe comandada por Dorival Júnior aproveitou-se da baixa qualidade técnica dos peruanos, se impôs, e não precisou se esforçar para alcançar a goleada. Na primeira etapa, Ricardo Oliveira e David Braz marcam. Após o intervalo, Vitor Bueno anotou o terceiro e o próprio zagueiro fechou o marcador.

Com o triunfo e a liderança confirmada, o Peixe agora terá um ‘descanso’ no torneio continental. Afinal, as oitavas de final começam apenas a partir de 4 de julho. Antes disso, no dia 14 de junho, acontece o sorteio para a definição do adversário dos santistas, que será alguma equipe que se classificou em segundo.

O jogo

Como era de se esperar, o Santos começou controlando todas as ações do duelo. Aproveitando-se da fragilidade do Sporting Cristal, o Peixe não encontrava nenhum empecilho para chegar ao ataque. Aos 11 minutos, a equipe comandada por Dorival Júnior montou uma pequena ‘blitz’ e quase abriu o placar. Victor Ferraz fez bela jogada pela direita e lançou Ricardo Oliveira, que dominou e soltou uma bomba na trave. No rebote, Copete cruzou na área e o próprio camisa 9 cabeceou para o fundo das redes. Arbitragem marcou impedimento.

Porém, não demorou muito para a superioridade do alvinegro se converter em gols. Logo aos 19 minutos, Ricardo Oliveira cobrou falta com perfeição, o goleiro Viana até conseguiu defender, mas a bola caiu nos pés de David Braz. Completamente sozinho, o defensor só teve o trabalho de tocar para o fundo da meta e fazer 1 a 0 na Vila.

Estava fácil demais! Após o goleiro Viana sair jogando errado, Vitor Bueno interceptou e bola ficou livre para Ricardo Oliveira. O artilheiro teve tempo de dominar e soltar o pé de fora da área para ampliar.

Mesmo com a vantagem, os comandados de Dorival Júnior mantiveram o ritmo intenso. Aos 28 minutos, Victor Ferraz achou Thiago Maia livre. O volante até balançou as redes, mas pelo lado de fora. No lance seguinte, Bueno avançou em velocidade pelo lado direito, entrou na área e chutou forte, mas parou no zagueiro Abram.

Antes do intervalo, aos 38, ainda sobrou tempo para Ricardo Oliveira receber ótimo passe de Hernández e parar no goleiro Viana, desperdiçando a chance do terceiro.

Com a vitória praticamente garantida, o Santos começou o segundo tempo apenas administrando o resultado. Mesmo assim, o Sporting Cristal não apresentava qualquer perigo ao goleiro Vanderlei. Na base da tranquilidade, o alvinegro foi tocando, tocando e tocando até ampliar o marcador.

Aos 21 minutos, Vitor Bueno recebeu na entrada da área, deu um drible da vaca no Cazulo, passou pelo goleiro Mauricio Viana e tentou tocar para Kayke, livre. Bola, porém, foi desviada por defensor peruano e voltou nos pés do camisa 7, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes, anotando o terceiro do Peixe na Vila.

A partida seguia com uma facilidade impressionante. Aos 26, David Braz aproveitou desvio de Renato após cobrança de escanteio e anotou o quarto do Santos, transformando a vitória em goleada. Depois disso, o duelo ficou ainda mais calmo na Vila e o Peixe apenas tocou a bola até o apito final de Jose Mendez.

O Santa Fe só precisava vencer o The Strongest em casa para se classificar às oitavas de final da Copa Libertadores da América. E com o estádio El Campín, em Bogotá, completamente lotado, a equipe colombiana saiu na frente aos 26 minutos da primeira etapa com Ceter. O que ninguém esperava era um gol contra. Mas ele aconteceu aos 39. López desviou de cabeça contra a própria meta após cobrança de escanteio fechada.

Dessa forma, o segundo tempo foi de pressão total dos donos da casa. Aos 18, Pérez até chegou a marcar, mas o lance foi corretamente anulado por impedimento. Aos 26, no entanto, o auxiliar errou ao invalidar gol de Stracqualursi. E tal gol fez falta, porque depois disso, os bolivianos conseguiram ser melhores na defesa até o apito final.

Com o empate, o The Strongest fechou a primeira fase na segunda colocação do Grupo 2 e vai às oitavas de final com apenas nove pontos. O Santa Fe dá adeus ao torneio com oito pontos, na terceira posição.

Bastidores – Santos TV:

Dorival vê Santos confiante e com ‘cara de Libertadores’ após goleada

Após o início de ano arrasador, com goleada de 6 a 2 sobre o Linense, pelo Paulistão, o Santos ‘murchou’ na temporada, virou alvo de críticas da torcida e foi eliminado do Estadual. Porém, a equipe comandada por Dorival Júnior parece vir retomando o bom futebol aos poucos, tanto que voltou a vencer por um placar elástico nesta terça-feira, quando fez 4 a 0 no Sporting Cristal, na Vila Belmiro, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores.

Com o resultado, o Peixe garantiu o primeiro lugar da chave e está classificado para as oitavas de final do torneio. Para Dorival, o alvinegro vem retomando a confiança gradativamente e também ganhou uma ‘cara de Liberta’.

“Durante toda a Libertadores a equipe tem postura agressiva, buscando o gol sempre. Tivemos 15 minutos fortes hoje e isso nos deu a possibilidade de encontrarmos os gols. Temos visto isso ao longo de todos os jogos, esse espírito. Por isso conseguimos a classificação antecipada e a confirmação do primeiro lugar de um grupo difícil pela qualidade das equipes. Chegamos para as oitavas com uma confiança resgatada em razão do nosso início. A equipe vem recuperando e acima de tudo, aprendendo a sofrer e guerreando”, explicou o comandante em entrevista coletiva.

Herói da noite, Braz encosta em Alex e vibra: “Trabalho bem feito”

O Santos não encontrou qualquer dificuldade para golear o Sporting Cristal por 4 a 0, nesta terça-feira, na Vila Belmiro, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores. E o grande herói da noite foi David Braz. Autor de dois tentos diante dos peruanos, o camisa 14 diminuiu a diferença para o ídolo Alex e está próximo de alcançar o posto de maior zagueiro artilheiro da história do clube.

“A gente procura ficar bem posicionado, mas também tem que lembrar que a batida de falta do Ricardo foi muito boa no primeiro gol, ficou difícil para o goleiro e eu procurei aproveitar a oportunidade que tive. Estou sentindo a equipe confiante. Mostra que o trabalho vem sendo bem feito”, disse o santista na saída do gramado.

Vale lembrar que foi o terceiro tento anotado por Braz nas últimas duas partidas. No sábado passado, o defensor anotou o gol da vitória sobre o Coritiba, na Vila, pela segunda rodada do Brasileirão.

Em 152 jogos pelo Santos, o defensor tem 15 gols marcados. Atualmente, ele é o terceiro zagueiro que mais balançou as redes, empatado com Márcio Rossini. Na frente dele estão Edu Dracena (com 17 gols) e Alex (20).

Oliveira releva críticas ao Santos e afirma: “Aqui tem qualidade”

Atual vice-campeão brasileiro, o Santos segurou seus principais jogadores e ainda trouxe seis reforços em janeiro. Apesar disso, o Peixe ainda não encantou a torcida na temporada e foi alvo de críticas no começo do ano. Aos poucos, porém, a equipe comandada por Dorival Júnior vai alcançando seus objetivos. O principal deles, que é a continuidade na Copa Libertadores, foi confirmado nesta quarta-feira, após s vitória de 4 a 0 sobre o Sporting Cristal, na Vila Belmiro.

Com o triunfo, os santistas avançaram para as oitavas de final do torneio continental, que começam a partir de 4 de julho. Para Ricardo Oliveira, autor do segundo gol do Santos diante do peruanos, as críticas são normais, já que se esperava muito do Peixe no início do ano.

“Acho que para nós era importante terminar em primeiro lugar do nosso grupo. São muito normais as críticas, nós recebemos elas porque vocês estão acostumados com o futebol bonito que a gente vem fazendo no Brasil. Vocês mesmos (imprensa) tem falado isso e nós nos cobramos muito, mas o mais importante é que nós conseguimos a classificação em primeiro lugar do grupo, e pouco a pouco a gente vai retomando aquele bom futebol, porque aqui tem muita qualidade”, explicou o camisa 9 na saída do gramado.

Ferraz volta a sentir dores no joelho e vira dúvida contra o Cruzeiro

Na goleada de 4 a 0 sobre o Sporting Cristal, nesta terça-feira, na Vila Belmiro, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores, Victor Ferraz foi um dos grandes destaques do Santos. Bem no ataque e pouco incomodado na defesa, o lateral-direito distribuiu diversos passes para os companheiros. Aos 30 minutos do segundo tempo, porém, ele começou a sentir dores no joelho direito, recebeu atendimento médico e só voltou ao campo pois o Peixe já tinha realizado as três alterações no jogo.

Por conta disso, Ferraz será avaliado nesta quarta-feira e pode ser desfalque do alvinegro contra o Cruzeiro, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), na Vila, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Vale lembrar as dores no joelho já fizeram com que o lateral fosse poupado no triunfo sobre o Coritiba, no último sábado.

“É difícil saber logo após a partida. Teremos que ter tempo. Teremos certeza quando tivermos o retorno no CT para sabermos a posição definida. Agora seria arriscar uma situação sem que tenhamos uma sequência do que possa ter acontecido”, disse Dorival Júnior após o duelo contra os peruanos.


Santos 1 x 0 Coritiba

Data: 20/05/2017, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.921 pagantes
Renda: R$ 175.450,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Auxiliares: Rodrigo F. Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos de RJ).
Cartões amarelos: Vladimir Hernández, Thiago Maia, Leandro Donizete, Rafael Longuine e Copete (S); Neto Berola, Jonas e Matheus Galdezani (C).
Gols: David Braz (07-1).

SANTOS
Vanderlei; Matheus Ribeiro (Copete), Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Leandro Donizete, Thiago Maia e Lucas Lima (Rafael Longuine); Vladimir Hernández (Jean Mota), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

CORITIBA
Wilson; Dodô, Werley, Walisson Maia (Marcio) e William Matheus; Jonas, Matheus Galdezani e Tomas Bastos; Henrique Almeida (Alecsandro), Kleber e Neto Berola (Getterson).
Técnico: Pachequinho



Vanderlei faz partida milagrosa, Santos segura pressão e vence Coxa

Após o empate heroico contra o The Strongest, na última quarta, pela Libertadores, os quase 6 mil torcedores que foram até a Vila Belmiro na tarde deste sábado, no duelo contra o Coritiba, esperavam um show de Bruno Henrique, Lucas Lima e cia. Porém, quem brilhou (e muito) foi Vanderlei. Inspirado, o goleiro santista teve uma atuação de gala, ‘fechou’ a meta durante toda a partida, fez pelo menos cinco defesas milagrosas e ainda defendeu um pênalti de Alecsandro, garantindo a primeira vitória do Peixe no Campeonato Brasileiro. O único tento do jogo foi marcado por David Braz, logo no início do primeiro tempo.

O jogo

O Santos começou o duelo com um motivo para comemorar e outro para lamentar. A notícia boa foi que logo aos sete minutos, Bruno Henrique escorou cruzamento de cabeça e a bola ficou livre para David Braz empurrar para o fundo da rede e abrir o placar na Vila Belmiro.

O problema é que logo na sequência, Lucas Lima precisou ser substituído por Rafael Longuine. O camisa 10 começou a sentir dores antes mesmo do Peixe marcar o primeiro e não aguentou ficar no gramado.

Atrás no placar, o Coxa se lançou ao ataque e passou a pressionar o alvinegro mesmo dentro da Vila Belmiro. O empate só não veio porque Vanderlei estava inspirado. Aos 12 minutos, o goleiro salvou o chuta de Kleber à queima roupa dentro da área.

Cinco minutos depois, o camisa 1 se esticou todo para defender o chute de William Matheus. No lance seguinte, o arqueiro apareceu mais uma vez e pegou cobrança de falta de Tomas Bastos.

Apesar do Coritiba estar bem melhor dentro de campo, foi o Santos que perdeu a chance mais clara do primeiro tempo. Aos 25 minutos, Vladimir Hernández fez bela jogada e deixou Ricardo Oliveira na cara do gol. O centroavante, porém, chutou em cima do goleiro Wilson e desperdiçou uma oportunidade inacreditável na Vila.

Após o tento perdido, o Peixe equilibrou as ações e jogo ficou aberto, com chances para os dois lados. Porém, o primeiro tempo terminou mesmo no 1 a 0 para o alvinegro.

A segunda etapa começou em um ritmo mais lento na Vila Belmiro. Porém, a tônica seguiu parecida com a do primeiro tempo, já que o Coxa seguia em cima e Vanderlei continuava salvando. Logo aos sete minutos, Matheus Galdezani fez fila na defesa santista e só parou no camisa 1, que teve seu nome gritado em todo o estádio.

Aos 11, porém, o Santos quase chegou ampliou em um contra-ataque. Ricardo Oliveira avançou pelo lado direito e cruzou para Bruno Henrique. Em velocidade, o atacante bateu no contrapé de Wilson, mas errou o alvo.

A chance perdida não melhorou o ímpeto do time santista, que seguiu sendo bastante pressionado pelo Coxa durante o segundo tempo. Aos 30 minutos, o alviverde finalmente conseguiu bater Vanderlei. Porém, após driblar o camisa 1 e sair na cara do gol, Matheus Galdezani foi travado por Zeca na hora do chute.

E quando parecia que Vanderlei não poderia brilhar mais na Vila, David Braz cometeu um pênalti infantil em Alecsandro. O próprio atacante foi para a cobrança a parou no goleiro santista, que decretou a vitória do Peixe na Vila.

Bastidores – Santos TV:

Vanderlei chora após atuação de gala e diz: “Se me convocar, estarei pronto”

Os torcedores do Santos que foram até a Vila Belmiro na tarde desta sábado ainda devem estar perplexos com a atuação de Vanderlei no embate contra o Coritiba. Impenetrável, o arqueiro santista teve uma atuação de gala, ‘fechou’ a meta durante toda a partida, fez pelo menos cinco defesas milagrosas e ainda defendeu um pênalti de Alecsandro, garantindo a primeira vitória do Peixe no Campeonato Brasileiro.

Ovacionado por toda a Vila Belmiro, inclusive pelos torcedores do Coxa, seu ex-time, o camisa 1 não segurou a emoção na saída do gramado e chorou após o triunfo do alvinegro.

“A gente sempre sonha em fazer uma grande partida, ainda mais contra a minha ex-equipe. Tenho muitos amigos ali, um carinho grande. Estou muito feliz. Toda defesa para o goleiro é importante. O Coritiba valorizou muito a nossa vitória. Felizmente deu tudo certo”, falou o goleiro.

Após a atuação de Vanderlei, os companheiros de Santos fizeram questão de ‘cobrarem’ uma convocação do arqueiro para a Seleção Brasileira. Sempre comedido com as palavras, o camisa 1 pregou respeito ao técnico Tite, mas mandou um recado.

“A Seleção é o ápice de todo atleta, mas temos que respeitar os outros goleiros que estão lá. Não acho que falta marketing para mim. Acredito que para o atleta ser convocado, ele tem que fazer o melhor em campo. É difícil falar se esse é o meu melhor momento, mas se eu fosse o Tite me convocaria, pois tenho que acreditar no meu trabalho. Se ele me convocar algum dia, eu estarei pronto”, concluiu Vanderlei na saída do gramado.

Santistas clamam por Vanderlei na Seleção: “Merece ser titular”

Inevitavelmente, Vanderlei foi o nome mais comentado pelos jogadores do Santos na saída do gramado da Vila Belmiro após a vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba, neste sábado, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Inspirado, o goleiro fez belas defesas durante a partida e ainda defendeu um pênalti de Alecsandro, garantindo o triunfo santista.

Após a partida, os atletas do alvinegro rasgaram elogios ao camisa 1 e praticamente cobraram uma convocação dele para a Seleção Brasileira. Quem puxou a fila foi Ricardo Oliveira.

“Ele está jogando assim há anos no Brasil. É nível de Seleção Brasileira. Não sei porque não é convocado. Não estou dizendo que os outros goleiros que estão na lá não merecem, mas vocês viram o que o Vanderlei fez hoje aqui. Merece demais estar na seleção”, comentou o centroavante.

O zagueiro David Braz, que cometeu o pênalti em Alecsandro e foi ‘salvo’ por Vanderlei, foi além e disse que o camisa 1 merece a titularidade na amarelinha.

“Nós respeitamos a opinião do Tite. Já trabalhei com ele e é um grande treinador. Tenho certeza que está olhando tudo. Um dia ele vai perceber que o Vanderlei merece uma oportunidade. Mostrou que pode ser titular da Seleção”, bradou o defensor santista, autor do único gol diante do Coxa.

Dorival minimiza má atuação do Santos na Vila e enaltece Vanderlei

Quando o goleiro é o principal destaque da sua equipe, isso significa que alguma coisa está errada. Neste sábado não foi diferente. Na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Coritiba, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, o grande destaque foi Vanderlei, que fez várias defesas milagrosas durante o jogo e ainda pegou um pênalti de Alecsandro no fim.

O técnico Dorival Júnior admitiu que o alvinegro não teve uma boa apresentação contra o Coxa. O comandante, porém, vê a atuação ruim como normal, já que o Peixe vem de uma maratona de três jogos fora de casa (diante de Paysandu, Fluminense e The Strongest) e cerca de 13 mil quilômetros percorridos em apenas uma semana.

“O que esses jogadores se doaram e se dedicaram em busca do resultado… Eu só tenho que enaltecer. Eu não tenho como cobrar uma equipe que teve a semana e o desgaste que tivemos. Semana passada, contra o Fluminense, o Santos não deixou nada a desejar. Foi injusto o resultado, pois perdemos diversas oportunidades. Hoje realmente o Coritiba dominou. Tínhamos a consciência de que o Coritiba estava inteiro na partida. O Santos estava preparado para contra-atacar. Foi um jogo de uma entrega excepcional. Não tem como deixar de enaltecer o espírito que a equipe teve. O importante é a resposta que os jogadores tem dado, para que melhores resultados aconteçam”, explicou Dorival em coletiva na Vila Belmiro.

O comandante também aproveitou a entrevista para rasgar elogios ao ‘paredão’ Vanderlei. Além disso, o treinador também enalteceu o trabalho do reserva Vladimir e de Arzul, o preparador de goleiros do Peixe.

“Não é uma injustiça (ele não ter sido convocado). Dentro do país tem inúmeros goleiros com muitas qualidades. Vanderlei está entre esses e está muito regular. Fico feliz pelo esforço e trabalho. Temos um excelente profissional. O Arzul é um dos grandes profissionais que eu conheci dentro do futebol e tem feito um trabalho brilhante com os goleiros. Vladimir quando entra sempre dá uma resposta muito positiva. Muito do mérito é dos profissionais por trás disso também”, concluiu Dorival.

Braz admite pênalti em Alecsandro, mas diz: “Fui empurrado antes”

Mesmo sem fazer um bom jogo, o Santos segurava a pressão do Coritiba e conquistava a vitória parcial por 1 a 0, na tarde deste sábado, na Vila Belmiro. Porém, aos 45 minutos do segundo tempo, o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães marcou pênalti de David Braz em Alecsandro. E quando o empate parecia certo, Vanderlei coroou sua bela apresentação e defendeu a cobrança do atacante do Coxa, garantindo o primeiro triunfo santista no Campeonato Brasileiro.

Antes de cometer a penalidade, David Braz estava sendo apontado como um dos heróis do alvinegro neste sábado, já que anotou o único tento do jogo, ainda no primeiro tempo. Aliviado após a defesa do arqueiro, o defensor do Peixe admitiu que cometeu a infração dentro da área, mas alertou que sofreu uma falta antes.

“Foi pênalti sim. Esses tipos de lance acontecem umas 100 vezes na partida. Ali o árbitro viu e marcou. Mas antes de ter segurado o Alecsandro, eu fui empurrado. Só que o Vanderlei foi lá e fez uma grande defesa”, comentou o zagueiro na saída do gramado.

Lucas Lima sente lesão, passará por exames e vira dúvida na Liberta

Os quase 6 mil santistas que foram até a Vila Belmiro no último sábado puderam ver Lucas Lima em campo por apenas quatro minutos. Na vitória do Santos por 1 a 0 sobre o Coritiba, o camisa 10 disputou um lance no meio de campo, se machucou sozinho e precisou ser substituído por Rafael Longuine.

A saída repentina do meia, que sentiu dores na parte posterior da coxa direita, preocupa a comissão técnica do Peixe. Ele passará por exames nesta segunda-feira para saber da gravidade da lesão e virou dúvida para o duelo contra o Sporting Cristal, na próxima terça, às 21h45 (de Brasília), na Vila, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores.

“Ele deu um tranco na chão. Espero que não seja nada”, disse o volante Renato na saída de campo.

Principal garçom do Santos no ano, com 11 assistências, Lucas Lima foi convocado na última sexta-feira para a Seleção Brasileira. Lembrado pelo técnico Tite, o camisa 10 foi chamado para os amistosos contra Argentina e Austrália, que serão disputado nos dias 9 e 13 de junho, respectivamente, na cidade de Melbourne, na Austrália.


Santos 1 x 0 Ponte Preta – 4 x 5 pênaltis

Data: 10/04/2017, segunda-feira, 20h00.
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas de final – Jogo de volta
Público: 37.145 presentes (33.236 pagantes e 3.909 não pagantes)
Renda: R$ 1.515.650,00
Árbitro: Rafael Gomes Felix da Silva
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis.
Cartões amarelos: Vitor Bueno, Victor Ferraz (S); Clayson, Reynaldo e William Pottker (PP).
Gol: David Braz (15-1).
Pênaltis:

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique (Copete), Vitor Bueno (Jean Mota) e Ricardo Oliveira (Kayke).
Técnico: Dorival Junior

PONTE PRETA
Aranha; Nino Paraíba (Jeferson), Marllon, Yago e Reynaldo; Jádson, Elton e Wendel (Naldo); Clayson, Lucca (Ravanelli) e Pottker.
Técnico: Gilson Kleina



Braz vai de herói a vilão e Ponte despacha o Santos nos pênaltis

O Santos entrou no Pacaembu, na noite desta segunda-feira, disposto a reverter a vantagem da Ponte Preta e avançar para as semifinais do Campeonato Paulista. Empurrado por mais de 37 mil torcedores, o Peixe deixou de lado a apatia demonstrada no duelo de ida, em Campinas, pressionou a Macaca desde os primeiros minutos e venceu por 1 a 0, com um golaço marcado por David Braz.

Porém, como a equipe comandada por Dorival Júnior perdeu pelo mesmo placar no Moisés Lucarelli, o confronto foi decidido nos pênaltis. Ironicamente, Braz foi único jogador que perdeu uma penalidade, defendida pelo goleiro Aranha, e a Ponte ficou com a vaga na semifinal do Estadual.

Com a classificação, a Macaca terá pela frente o Palmeiras na semifinal do Paulistão. Como o Verdão ostenta a melhor campanha do torneio, o primeiro duelo será em Campinas e a confronto decisivo acontece na casa do alviverde.

O jogo

Como já era esperado, o duelo começou quente no Pacaembu. Precisando de dois gols para avançar, o Santos começou em cima da Ponte. Logo aos cinco minutos, Ricardo Oliveira recebeu lançamento, avançou para dentro da área e bateu cruzado. A bola passou raspando a trave direita do goleiro Aranha.

No lance seguinte, Lucas Lima mandou uma bomba de longe e assustou novamente o arqueiro da Macaca. Mostrando um futebol diferente das últimas partidas, o Peixe abandonou a lentidão e pressionava a saída de bola da Ponte. Acuado, o time de Campinas tentava colocar morosidade na partida, pensando na vantagem de ter vencido o primeiro jogo por 1 a 0.

Os minutos foram passando, a equipe comandada por Dorival Júnior continuou pressionando e foi premiada aos 15 da primeira etapa. E foi em grande estilo. Após cobrança de falta de Lucas Lima, Bruno Henrique desviou de cabeça para dentro da área. Lucas Veríssimo tentou uma bicicleta e bola sobrou para David Braz. Mesmo sendo zagueiro, ele mostrou extrema categoria para emendar um lindo voleio e abrir o placar no Pacaembu. Golaço!

Após a abertura do marcador, o Santos diminuiu um pouco o ímpeto inicial e deixou a Macaca ‘respirar’ um pouco na partida. Mesmo assim, o time comandado por Gilson Kleina não conseguia incomodar o goleiro Vanderlei, que não fez uma defesa sequer durante todo o primeiro tempo.

Antes do intervalo, ainda sobrou tempo para os santistas reclamarem de um pênalti em cima de Bruno Henrique. O atacante foi empurrado dentro da área, mas o árbitro Rafael Gomes Felix da Silva, o mesmo daquela polêmica vitória do Peixe sobre o Red Bull Brasil, mandou o lance seguir, revoltando torcedores e atletas do Peixe.

Ao contrário do que aconteceu na etapa inicial, a equipe comandada por Dorival Júnior voltou do intervalo com um ritmo mais tranquilo. A Ponte, por sua vez, não se mostrava disposta a arriscar e apenas apostava nos contra-ataques. Porém, não demorou muito para o Santos retomar as rédeas do jogo e ter a primeira oportunidade.

Aos 9 minutos, Victor Ferraz cruzou na área e a defesa da Macaca afastou. No rebote, Zeca dominou, cortou para a perna direita e soltou uma bomba, obrigando o goleiro Aranha a fazer boa defesa e salvar o time de Campinas. Logo depois, aos 12, Vitor Bueno cobrou falta para dentro da área, a bola passou por todo mundo e assustou o arqueiro pontepretano.

A pressão continuou. Aos 17 minutos, Zeca recebeu de Lucas Lima, avançou na entrada da área e arriscou mais um chute. A bola foi no cantinho esquerdo de Aranha, mas bateu na trave.

Após sofrer novamente com a pressão santista, a Ponte finalmente ‘acordou’ aos 26 minutos e teve sua primeira grande oportunidade com Ravanelli. O meia bateu falta direto para o gol e Vanderlei salvou o Peixe. No lance seguinte, Elton cruzou na área e Yago mandou para o fundo das redes. Porém, o defensor estava impedido e o empate da Macaca foi anulado.

A pequena pressão da Ponte parou por aí. Porém, o Santos também ‘pregou’ no gramado e pouco assustou Aranha. No último suspiro, aos 47 minutos, o colombiano Jonathan Copete recebeu fora da área, dominou no peito e mandou um vôlei. A bola passou muito perto da trave direita. Após a chance perdida, o árbitro Rafael Gomes Felix da Silva apitou o fim da partida, decretando a decisão por pênaltis no Pacaembu.

Na primeira cobrança, Kayke marcou para o Santos. Ravanelli empatou. David Braz, autor de um golaço no primeiro tempo, parou em Aranha. Depois, Yago venceu Vanderlei e colocou a Ponte em vantagem. Jean Mota, que entrou na reta final da partida, bateu com categoria e marcou o segundo do alvinegro.

A Macaca, porém, seguia mostrando categoria nas penalidades. Clayson tirou Vanderlei e manteve o time de Campinas na frente. Na sequência, Copete também deslocou Vanderlei. Jadson anotou mais um para a Ponte.

Já Lucas Lima, por sua vez, bateu no ângulo e manteve o Peixe vivo. Porém, William Pottker marcou o último e confirmou a Macaca na semifinal do Campeonato Paulista.

Bastidores – Santos TV:

Zeca destaca bom jogo e defende técnico após queda nos pênaltis

Após apatia e lentidão na primeira partida, em Campinas, o Santos ‘acordou’ contra a Ponte Preta, no duelo desta segunda-feira, no Pacaembu, alcançou a vitória por 1 a 0 e igualou a vantagem construída no confronto de ida. Porém, a boa apresentação não foi suficiente para o Peixe conquistar a classificação, já que a Macaca venceu nos pênaltis e conquistou a vaga na semifinal do Campeonato Paulista.

Apesar da eliminação precoce, o lateral-esquerdo Zeca, que acertou uma bola na trave no segundo tempo, valorizou a partida feita pela equipe comandada por Dorival Júnior.

“Fizemos uma boa partida e não merecíamos sair daqui eliminados. Infelizmente perdemos, mas a equipe jogou bem”, ressaltou.

A derrota coloca mais pressão em cima do técnico Dorival Júnior, que vem sendo criticado por parte da torcida alvinegra. No duelo desta segunda, inclusive, o comandante foi vaiado e chamado de ‘burro’ após tirar Bruno Henrique para promover a entrada de Copete. Apesar das cobranças, Zeca defendeu o técnico santista.

“O treinador levantou esse time, tirou a gente da zona de rebaixamento em 2015. Essa pressão é criada pela mídia. Estou bem chateado pela derrota, mas agora é levantar a cabeça e pensar na Libertadores”, concluiu o lateral-esquerdo.

Dorival se diz tranquilo com pressão e mira vaga na Libertadores

O Campeonato Paulista já é passado para o Santos. Pelo menos é o que acredita o técnico Dorival Júnior. Após a derrota nos pênaltis para a Ponte Preta, nesta segunda-feira, no Pacaembu, que culminou com a eliminação no Estadual, o comandante santista mostrou ter certeza de que o Peixe conseguirá se reerguer e buscará a classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores.

“Nós vamos buscar nossa classificação. Hoje nós não temos somente uma equipe. Temos um grande elenco, montado e preparado. Tivemos algumas derrotas no Paulistão em que dificilmente fomos envolvidos. Vejo o Santos muito bem encaminhado e pronto para grandes conquistas. O time vai corresponder. Eu não tenho dúvidas”, ressaltou o treinador, em entrevista coletiva após a partida desta segunda.

Apesar de acreditar na classificação santista no torneio continental, Dorival conviverá com uma intensa pressão até o próximo compromisso pela Liberta, no próximo dia 19, contra o Independiente Santa Fe, em Bogotá, na Colômbia. O comandante, porém, não se vê ameaçado no cargo.

“Estou muito tranquilo em relação ao que venha acontecer futuramente. Esse tipo de pressão existe a partir do momento que você não faça um momento de um resultado ou outro. Na primeira derrota contra o São Paulo já aconteceu uma manifestação. Isso faz parte. Meu trabalho está sendo desenvolvido. Diretoria mantém até ter confiança no trabalho”, concluiu Dorival.

Modesto banca Dorival e dispara contra árbitro: “Incompetente”

Logo após o pênalti anotado por William Pottker, na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, que decretou a eliminação do Santos no Campeonato Paulista, muitas especulações quanto ao futuro do técnico Dorival Júnior no clube já começaram a surgir.

Porém, o presidente Modesto Roma Júnior nem esperou o ‘calor do jogo’ terminar e já tratou de garantir a permanência do treinador. O mandatário, inclusive, demonstrou muita irritação quando foi perguntado sobre uma possível saída do comandante.

“O Dorival não vai sair do Santos. Não se ganha título com treinador ping-pong”, resumiu Modesto, em entrevista após o duelo desta segunda.

Se estava demonstrando alguma irritação com a pergunta sobre Dorival, o presidente santista se revoltou de vez ao comentar a atuação ao árbitro Rafael Felix. Segundo Modesto, a Federação Paulista errou ao escalá-lo para a partida.

Ainda no primeiro tempo, Bruno Henrique foi empurrado dentro da área. Porém, a arbitragem não​ anotou o pênalti e deixou o jogo seguir. Vale lembrar que Rafael também apitou a polêmica vitória santista sobre o Red Bull Brasil, na primeira fase do Paulistão.

“O lance do Bruno foi pênalti. Ele reconheceu a agressão e não marcou como deveria. Juiz incompetente. Disseram que escolheram entre os oito melhores árbitros. Esse aí está entre os oito piores. Não digo que é má pessoa, mas não tinha competência para o jogo mais complicado das quartas de final. Mesmo que o Santos tivesse marcado 11 gols, o árbitro seria no máximo nota 8”, esbravejou o mandatário.

Capitão revela profecia e Aranha se emociona com classificação

A Ponte Preta suportou mais de 30 mil santistas no estádio do Pacaembu, muita pressão do veloz ataque do Peixe, viu a trave salvar a equipe no segundo tempo para, só após os pênaltis, ‘cair na real’ e comemorar a classificação à semifinal do Campeonato Paulista. Emocionados, os atletas valorizaram a campanha e a força psicológica do grupo, mas, no meio de tanta euforia, o capitão Wendel revelou uma profecia sua feita poucos minutos antes da bola rolar contra o Santos.

“Falei para o Aranha que a gente iria levar para os pênaltis e que ele daria a classificação à Ponte. Agora é ir em frente, concentrar e contar com a torcida para lotar mais uma vez o Moisés Lucarelli e nos ajudar na busca da vaga à final do Estadual”, contou o próprio volante.

E, no fim, o camisa 1 da Macaca acabou mesmo sendo decisivo ao defender a cobrança de David Braz, o único a desperdiçar entre todos os atletas das duas equipes. Após o apito final, Aranha intercalava o sentimento de emoção e de companheirismo com o grupo do time campineiro.

“A gente fez um campeonato muito bom, poderia ter até se classificado com uma certa facilidade, acabamos nos complicando em casa, mas a gente lutou bastante, tivemos competência, não fomos desleais, e todo mundo colaborou da maneira que pôde. O pessoal me passou todas as cobranças de pênalti. Até na hora eu tive ajuda ali de trás, isso influencia”, comentou, antes de lembrar da semifinal de 2008, quando também foi crucial para colocar a Ponte na decisão do Estadual depois do duelo com o Guaratinguetá.

“Estou muito feliz, não tinha como ser diferente, mas o mérito não é apenas meu. Todos os jogadores tiveram a competência para fazer os gols aqui dentro, com o estádio lotado e uma pressão imensa. Eu pensei naquela decisão (de 2008) a todo momento. Eu não estou aqui à toa. Tudo tem seu tempo. Hoje era para eu estar aqui. Aonde vamos chegar eu não sei, mas vamos lutar bastante pela Ponte”, concluiu.

Talvez o jogador mais empolgado e eufórico após a confirmação da classificação da Ponte Preta, William Pottker, responsável por converter a última cobrança e acabar com qualquer esperança santista, valorizou o poder de superação do time sobre um adversário mais forte e melhor, tecnicamente.

“Garra, garra, pensamento positivo, a força está na cabeça. O que diferencia é só a camisa, a força está na cabeça”, disse.

Agora, a partir do próximo fim de semana, o desafio da Macaca será contra o Palmeiras, líder da primeira fase do Campeonato Paulista. O primeiro confronto será no Moisés Lucarelli, em Campinas, enquanto o duelo da volta deve ocorrer no Allianz Parque, na Capital, uma semana depois.