Navegando Posts marcados como Demétrios

Santos 4 x 0 XV de Piracicaba

Data: 11/06/1995, domingo, 15h30.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.101 pagantes
Renda: R$ 8.473,00
Árbitro: Alfredo dos Santos
Cartões amarelos: Marcelo Moura e Marcelo Passos (S); Celinho (XV).
Cartões vermelhos: Marcelo Passos (S) e Celinho (XV).
Gols: Marcelo Passos (37-1, de pênalti); Demétrios (08-2), Demétrios (18-2) e Carlinhos (24-2).

SANTOS
Edinho (Róbson); Ronaldo, Maurício Copertino, Marcelo Moura (Jean) e Silva; Cerezo, Carlinhos (Marcos Bazílio), Jamelli e Marcelo Passos (Marcos Paulo); Macedo e Demétrios.
Técnico: Joãozinho Rosa

XV DE PIRACICABA
Marcos; Jaime (Hélio), Luís Fernando e Nem (Rodnei); Cabrera (Wagner), Biluca, Alex, Almir e Ivanildo; Celinho e Carlos Alberto.
Técnico: Rubens Minelli



Santos goleia e XV cai para segunda divisão

O Santos venceu por 4 a 0 o XV de Piracicaba ontem à tarde, na Vila Belmiro, em Santos (SP). A equipe ficou na terceira colocação da primeira fase do Paulista.

Os gols foram marcados por Marcelo Passos, Demétrius (2) e Carlinhos.

A partida começou em ritmo lento, com muitos erros de passes dos santistas. A primeira jogada de perigo só aconteceu aos 16min, em um chute de Macedo para fora.

O XV chegou com perigo ao gol santista aos 17min, em uma cabeçada de Luís Fernando na trave.

O primeiro gol aconteceu aos 37min, de pênalti. Macedo foi derrubado pelo goleiro Marcos. O meia Marcelo Passos, artilheiro do time, com 16 gols, cobrou no canto direito: 1 a 0.

No segundo tempo, o time de Piracicaba voltou melhor armado, embora continuasse com falhas individuais. O Santos tirou proveito e ampliou logo aos 8min. O zagueiro Nem, do XV de Piracicaba, perdeu a bola para Demétrius, que tocou para Macedo e recebeu na corrida. Ele chutou forte no canto esquerdo: 2 a 0.

Aos 18min, nova falha de Nem. Ronaldo foi à linha de fundo e ajeitou para Demétrius chutar de pé direito, no canto direito do goleiro: 3 a 0.

O XV não esboçou reação. O técnico Rubens Minelli promoveu alterações que não surtiram efeito.

Aos 24min, Carlinhos marcou o gol mais bonito da partida. No rebote da zaga, o santista pegou na intermediária e desferiu o chute de perna direita. A bola entrou no ângulo direito.

Demétrius, Macedo e Marcelo Passos desperdiçaram chances de ampliar a goleada.

O técnico Joãozinho deu oportunidade para Róbson, Marcos Paulo, Marcos Basílio e Jean. O time manteve o bom ritmo.

No final do jogo, os jogadores reclamaram do estado ruim do gramado da Vila Belmiro.

Fontes:
Estadão
Vídeo: indicado por Danilo Barbosa.

Santos 3 x 5 Lazio

Data: 09/06/1995, sexta-feira, 20h45.
Competição: Amistoso – Troféu Barbuy
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.135 pagantes (3.459 total)
Renda: R$ 10.992,99
Árbitro: Osvaldo dos Santos Ramos (SP).
Cartões vermelhos: Maurício Copertino (S); Grandoni e Chamot (L).
Gols: Casiraghi (13-1), Jamelli (17-1), Casiraghi (27-1) e Signori (29-1); Marcelo Passos (13-2), Demétrios (14-2), Fuser (40-2) e Fuser (46-2).

SANTOS
Edinho; Silva (Batista), Marcelo Moura (Camilo), Maurício Copertino e Marcos Paulo (Ronaldo); Cerezo, Carlinhos, Jamelli e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Demétrios.
Técnico: Joãozinho Rosa

LAZIO (ITA)
Marchegiani; Negro, Grondone, Chamot e Favalli; Di Mateo (Fuser), Aron Winter (Venturini), Piovanelli e Rambaudi (Bonomi); Casiraghi (De Sio) e Signori (Colutti).
Técnico: Zdeněk Zeman



Santos joga hoje amistoso com a Lazio na Vila Belmiro

Depois de ser derrotado por 1 a 0 pelo Araçatuba, anteontem, o Santos faz hoje um amistoso contra a Lazio, da Itália, às 20h45, na Vila Belmiro.

A única dúvida do técnico Joãozinho é entre Camanducaia e Macedo, no ataque.

O Santos joga com: Edinho; Silva, Moura, Maurício Copertino e Marcos Paulo; Cerezo, Carlinhos, Jamelli e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Demétrios.

Anteontem, o time italiano empatou em 1 a 1 com o Atlético Mineiro, no Mineirão.

A notícia de que o argentino Diego Maradona não será mais contratado pelo Santos foi comemorada pelo goleiro Edinho. “O dinheiro que seria usado para a contratação de Maradona poderá ser usado para novas aquisições ou para a renovação de contratos de bons jogadores como Jamelli e Giovanni”, disse.

O meia Carlinhos afirmou que as notícias sobre a contratação de Maradona não foram responsáveis pela queda do rendimento do time no Campeonato Paulista. O time encerra sua participação no torneio, domingo, às 15h30, contra o XV de Piracicaba, no estádio da Vila Belmiro.

O volante Gallo, capitão da equipe, se contundiu na partida com o Araçatuba e deve ficar em tratamento durante dez dias.

Com 47 pontos ganhos, o Santos não tem mais chances de conquistar o ponto extra. Vantagem que é concedida ao primeiro colocado na fase de classificação da Série A-1.

O Trófeu Amílcar Barbuy homenageia ao centro médio ítalo-brasileiro que atuou pela Lazio em 1931-1932 e posteriormente tornou-se treinador do clube italiano.


Portuguesa Santista 0 x 2 Santos

Data: 26/01/1995, quinta-feira.
Competição: Amistoso
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: Portões abertos
Árbitro: Wilson Gauss (SP).
Gols: Macedo (31-1) e Demétrios (34-2).

PORTUGUESA SANTISTA
Serginho (Gustavo); Vilson, Varto, Ronaldo e Paulo Róbson; Edu, Arruda, Pita (André, depois Rodrigo) e Neumar; Essinho e Chuba (Isaías).
Técnico: Biro

SANTOS
Edinho (Robson); Ronaldo, Maurício Copertino (Marcelo Moura), Narciso e Marcos Paulo; Cerezo, Carlinhos, Giovanni (Pita, retornou Giovanni e depois Demétrios) e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Jamelli (Marquinhos).
Técnico: Joãozinho Rosa

Observação: Jogo amistoso em homenagem ao meia Pita, que jogou 20 minutos por cada equipe.



Santos ainda tenta renovar com 5 titulares

O primeiro desafio do Santos, que hoje anuncia a Unicór como seu novo patrocinador, é renovar o contrato de cinco titulares que ameaçam não jogar na estréia no Paulista.

Gallo, Ranielli, Silva, Júnior e Demétrius não querem jogar domingo, contra o União São João, sem contrato novo. Seus contratos terminam entre o final de janeiro e o início de fevereiro. Eles temem estrear pelo Santos e depois não chegar a um acordo com a diretoria.

O regulamento da competição proíbe transferências de jogadores que já tenham disputado pelo menos uma partida por seu antigo time.

O novo patrocínio não vai suspender a política de contenção de despesas proposta por Pelé, diretor para assuntos internacionais do clube. Por dois anos de contrato, o Santos receberá R$ 2 milhões. Além do dinheiro, o patrocinador construirá o centro de treinamento do clube.

A idéia do atual ministro extraordinário dos Esportes e do presidente do Santos, Samir Abdul Hak, é fazer com que o clube se reestruture financeiramente, para depois voltar a investir no futebol.

O técnico Joãozinho mostra-se preocupado com o time que terá de escalar para a estréia.

“Eu pedi um lateral-esquerdo, um meio-campista e um ponta esquerda, que até agora não foram contratados pela diretoria”, disse o treinador.

Para o treinador, faltam jogadores experientes ao time do Santos.

“O ideal seria mesclar os novos valores com outros mais tarimbados. Acho que a escalação definitiva sairá na véspera da estréia”, disse.

Vendas ajudam a pagar dívida

O Santos vai usar o dinheiro conseguido com a venda de jogadores para pagar dívidas acumuladas. O clube deve hoje R$ 1,3 milhão a diversos fornecedores.

Segundo o vice-presidente do Santos, o ex-jogador Clodoaldo Tavares Santana, as vendas de Índio para o Palmeiras (R$ 600 mil) e Dinho para o Grêmio (R$ 450 mil) podem ajudar a quitar os débitos.

“Aliado a isso, temos um novo patrocinador, que garantirá uma renda mensal de cerca de R$ 120 mil ao clube”, disse Clodoaldo.

Em razão das pendências financeiras e do projeto Pé no Chão, ele acredita que o Santos “entre um pouco enfraquecido no campeonato”.

Para Clodoaldo, “é o preço que se tem que pagar para que o Santos possa voltar a ser grande”. Ele disse que a torcida deve “compreender” o esforço da diretoria.

“De nossa parte, iremos apoiar a diretoria enquanto o time, dentro de campo, mostrar garra e determinação. Os torcedores não vão aceitar um time parado em campo”, disse o presidente da torcida Sangue Jovem, Ricardo Przygoda, 22.



Pelé anuncia patrocinador para o Santos ( Em 26/01/1995)

O Santos anuncia amanhã o nome de seu novo patrocinador, em uma cerimônia que contará com a presença do ministro extraordinário dos Esportes, Pelé. O contrato foi fechado com uma empresa nacional que cuida de planos de saúde e terá validade de dois anos.

O Santos receberá cerca de US$ 130 mil por mês e a prioridade deste novo patrocínio será a construção do centro de treinamento do clube no Conjunto Esportivo Chico Guimarães.

Pelé chegará amanhã ao local em um helicóptero pintado com as cores do novo patrocinador.

A estréia do Santos no Campeonato Paulista, domingo, contra o União de Araras, deverá ser no estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista, já que o gramado da Vila Belmiro ainda está em reformas.

Hoje, o time faz um amistoso contra a própria Portuguesa. O time está escalado com: Edinho; Ronaldo, Júnior, Maurício Copertino e Marcos Paulo; Cerezo, Carlinhos, Giovanni e Marcelo Passos; Macedo e Jamelli.


Fontes:
– Almanaque do Santos FC – Guilherme Nascimento
– Jornal Folha de SP

Santos 3 x 1 Chivas Guadalajara

Data: 14/12/1994, quarta-feira
Competição: Amistoso
Local: Coliseum, em Oakland, EUA.
Público: 10.000
Gols: Demétrios, Dinho e Giovanni – Misael Espinoza

SANTOS
Edinho; Índio (Ronaldo Marconato), Júnior, Marcelo Fernandes e Silva; Dinho, Gallo, Ranielli (Carlinhos) e Giovanni (Marcelinho Paraíba); Serginho Fraldinha e Demétrios (Paulinho Kobayashi).
Técnico: Joãozinho

CHIVAS GUADALAJARA (MEX)
Eduardo Fernández; Noé Zarate, Carlos Turrubiates, Guillermo Hernández e Camilo Romero; José De La Torre, Omar Arellano, Alberto García e Misael Espinoza; Ignácio Vázquez e Daniel Guzmán.
Técnico: Alberto Guerra López



Última partida do Santos na temporada. Edinho, filho do Rei Pelé, era a principal atração da partida amistosa, que rendeu US$ 50 mil ao clube.

Fontes:
Estadão
– Almanaque do Santos FC – Guilherme Nascimento

Corinthians 1 x 1 Santos

Data: 11/08/1994, quinta-feira, 16h00.
Competição: Copa Bandeirantes – Final – Jogo de volta
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 21.696 pagantes
Renda: R$ 63.997,50
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ).
Cartões vermelhos: Gralak (C) e Gallo (S).
Gols: Demétrios (08-1) e Gralak (21-1).

CORINTHIANS
Ronaldo; Wilson Mano (Marcelinho Paulista), Gralak, Henrique e Elias; Zé Elias, Ezequiel, Marcelinho Carioca e Souza; Viola e Marques (Leandro).
Técnico: Jair Pereira

SANTOS
Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino e Silva; Gallo, Cerezo e Paulinho Kobayashi (Neizinho); Serginho, Demétrios (Serginho Fraldinha) e Marcelinho Paraíba.
Técnico: Serginho Chulapa



Corinthians empata e é campeão

O Corinthians conquistou ontem a Copa Bandeirantes ao empatar com o Santos em 1 a 1. Foi o primeiro título da equipe desde 1990.

O título garante ao Corinthians uma das duas vagas paulistas na Copa do Brasil de 1995. A outra vaga já é do Palmeiras, por ser o campeão estadual de 1994.

O Corinthians jogava pelo empate, já que havia vencido a primeira partida da final, por 6 a 3, na última terça-feira.

O Santos começou melhor. Dominava o meio-campo, devido especialmente à fraca atuação de Marques. Não dava chances ao ataque corintiano.

Demorou pouco para a equipe santista abrir o marcador. Aos 8min, Demetrius completou na pequena área um cruzamento da direita de Paulinho Kobayashi.

Logo em seguida, o Corinthians teve sua melhor –e única– chance no primeiro tempo. Wilson Mano penetrou pela direita, driblou um marcador e chutou para boa defesa de Edinho.

Aos 21min, o Corinthians chegou ao empate, através de uma cobrança de falta do zagueiro Gralak. A bola resvalou na barreira e enganou o goleiro Edinho.

O Santos continuou dominando o jogo até os 30min, quando o meio-campista santista Gallo e o corintiano Gralak trocaram empurrões e foram expulsos.

O jogo foi bastante violento. Foram distribuídos oito cartões amarelos, cinco para o Santos e três para o Corinthians.

As expulsões favoreceram o Corinthians, que conseguiu equilibrar o meio-campo. A equipe passou a controlar a partida e não deu oportunidades ao Santos na etapa final. A entrada de Leandro no lugar de Marques e a melhor atuação de Souza contribuíram para isso.

As duas substituições realizadas pelo técnico Serginho, do Santos, não conseguiram dar ao time mais força ofensiva.

O Corinthians teve então duas boas chances. Numa delas, Souza entrou sozinho, mas seu chute acabou bloqueado. Na outra, Edinho soltou um cruzamento e Carlinhos salvou em cima da linha.

Ontem durante o jogo, foi usado pela primeira vez o carrinho-maca, para retirar jogadores machucados do gramado. O carrinho começou a ser utilizado na Copa dos EUA.

Serginho discute com corintiano

Logo após o jogo, o técnico Serginho teve uma discussão com o zagueiro Gralak, do Corinthians. Ele criticou o jogador pela falta em Carlinhos, que o levou a ser expulso.

“Você não precisa disso”, disse o técnico a Gralak. “Mas eu não bati, nem foi falta”, respondeu o zagueiro.

Quando o corintiano Henrique se aproximou dos dois, Serginho o empurrou e disse asperamente: “Você só sabe chutar moleque”.

Depois, mais calmo, Serginho disse que estava satisfeito com o desempenho do Santos no torneio.

Ele disse que domingo, estréia do time no Brasileiro, contra o Remo, o volante Dinho jogará e o meia Neto terá sua primeira participação na equipe.

“Também gostaria que o Guga (atacante) renovasse o contrato.”

A diretoria do Santos tenta contratar o meia Donizeti e o atacante Silvio, do Bragantino.

Para treinador, título dá moral

O técnico Jair Pereira disse que a conquista da Copa Bandeirantes dá moral ao time do Corinthians para a disputa do Campeonato Brasileiro.

“Estou satisfeito, porque fomos o único time que encarou com seriedade esta Copa”, disse.

Sobre a partida de ontem, ele disse que o time jogou com inteligência, já que o empate lhe garantiria o título.

O atacante Viola, que marcara dois gols na vitória de 6 a 3 contra o Santos na primeira partida das finais, não se incomodou com a sua atuação apagada.

“Estamos de parabéns, todos tiveram uma atuação importante. O Serginho (técnico do Santos) montou um esquema diferente e dificultou para o nosso ataque”. Wilson Mano, contundido no joelho esquerdo, está praticamente fora da estréia no Brasileiro, no sábado, contra o Criciúma.



Corinthians precisa só de um empate com o Santos ( Em 11/08/1994 )

O técnico Jair Pereira, do Corinthians, teme o otimismo exagerado na partida final contra o Santos, pela Copa Bandeirantes, hoje à tarde, no Morumbi.

Como goleou o adversário por 6 a 3 no primeiro jogo, anteontem, o Corinthians depende apenas de um empate para garantir o título.

É tal vantagem que preocupa o treinador corintiano. “O Santos mostrou que não é um adversário fácil. Conseguiu virar o resultado, empatou duas vezes e só perdeu porque o Corinthians foi implacável nos minutos finais.”

Jair Pereira pretende conversar com os jogadores hoje, minutos antes da partida.

O técnico corintiano preferiu fazer mistério sobre a equipe que vai escalar (“O Serginho também não divulgou o seu time”), mas deverá ser o mesmo que começou a partida de anteontem.

Os ingressos da final têm preço único de R$ 3 e estarão à venda das 9h às 11h na Federação Paulista de Futebol (av. Brigadeiro Luís Antônio, 913). À tarde, a venda será apenas nas bilheterias do Morumbi.

Santos joga no contra-ataque

O técnico Serginho Chulapa disse ontem que o Santos vai utilizar hoje a tática do “contra-ataque com cautela” para vencer o Corinthians.

Segundo o treinador, isso não significa que sua equipe vai atuar na defensiva. “Estamos preparados para um adversário mais prudente. Por isso, a ordem é aproveitar todos os contra-ataques”, afirmou.

O treinador acredita que, apesar da derrota na última terça-feira, o Santos tem todas as condições de derrotar o rival.

“Perdemos porque tivemos a chance de matar o adversário, não fizemos e acabamos morrendo. O Corinthians aproveitou nossas falhas e venceu a partida”, disse Serginho.

Para o técnico santista, o fato de os dois times terem exibido um “futebol aberto” pode ser um indicativo de que o Campeonato Brasileiro deste ano terá equipes bem mais ofensivas.

Serginho Chulapa não quis adiantar a escalação do Santos. “Dou os nomes dos jogadores alguns minutos antes de a partida começar”, disse.