Navegando Posts marcados como Diego Pituca

Santos 3 x 1 Mirassol

Data: 07/03/2020, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.762 pagantes
Renda: R$ 275.792,50
Árbitro: Ilbert Estevam da Silva
Auxiliares: Fabrini Bevilaqua Costa e Risser Jarussi Corrêa.
Cartões amarelos: Madson, Diego Pituca, Soteldo e Everson (S); Matheus Rocha e Luiz Otávio (M).
Gols: Diego Pituca (03-1), Yuri Alberto (18-1), Sasha (22-1) e Rafael Silva (31-1).

SANTOS
Everson; Madson (Pará), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Yuri Alberto (Kaio Jorge), Soteldo e Eduardo Sasha (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

MIRASSOL
Kewin; Daniel Borges, Luiz Otávio, Reniê e Ernandes; Luís Oyama, Neto Moura (André Castro) e Camilo; Matheus Rocha (Maranhão), Chico (Dellatorre) Rafael Silva.
Técnico: Ricardo Catalá



Santos vence Mirassol na Vila Belmiro e embala no Campeonato Paulista

O Santos embalou pela primeira vez na temporada. O Alvinegro recebeu o Mirassol neste sábado e venceu por 3 a 1, em duelo válido pela 9ª rodada do Campeonato Paulista. Após vitória de meio de semana pela estreia na Libertadores, o triunfo pelo Estadual consolida a melhor fase da equipe sob comando de Jesualdo Ferreira.

Com facilidade para criar espaços e chegar ao ataque, o Peixe amassou a equipe do interior no primeiro tempo, abrindo 3 a 0 de vantagem em 22 minutos. Os visitantes diminuíram em lance de bola parada ainda antes do intervalo.

No segundo tempo, o time da casa voltou pior; reduziu a velocidade, criou menos, mas fez o suficiente para manter o resultado e sair com a vitória.

Com a vitória, o Santos abriu vantagem na liderança do grupo A, com 15 pontos, contra o nove do 2º colocado Água Santa, que ainda joga na rodada. Em caso de tropeço da 3ª colocada Ponte Preta, o Peixe só precisará de uma vitória nos últimos três jogos para assegurar uma vaga para as quartas de final.

Já o Mirassol se manteve na vice-liderança do grupo C com 13 pontos, dois a menos que o São Paulo e quatro acima do 3º colocado Inter de Limeira.

O jogo

Embalado com a vitória de meio de semana sobre o Defensa y Justicia na Argentina, o Santos não demorou para achar o caminho das redes.

Na primeira chance do jogo, logo aos três minutos, Felipe Jonatan recuperou bola do adversário, deixou com o Soteldo e correu para receber em profundidade pelo corredor esquerdo. O lateral então tocou para Pituca, que cortou o marcador na entrada da área e bateu com perfeição no ângulo esquerdo. Golaço do volante.

Os mandantes seguiram pressionando e tiveram nova chance aos cinco minutos. Soteldo cruzou da esquerda, a bola acabou desviando no zagueiro do Mirassol e atrapalhou Yuri Alberto, que cabeceou para fora. O atacante, porém, teria nova chance aos 18. Sánchez abriu para Pituca na esquerda. O volante cruzou, a defesa do Mirassol cortou mal e a bola se ofereceu para Yuri Alberto. O atacante dominou e bateu firme no contrapé para ampliar.

O terceiro saiu ainda antes da primeira meia hora de jogo. Aos 22 minutos, Yuri Alberto encontrou Sasha na meia-lua. O atacante fez o domínio já girando o corpo e bateu firme, entre dois marcadores, para acertar o canto esquerdo da meta. 3 a 0 e monólogo santista.

Os visitantes descontaram aproveitando o ponto fraco da equipe de Jesualdo neste sábado: a bola parada. Aos 31, Camilo cobrou falta pela esquerda e Rafael Silva subiu sozinho entre quatro santistas. O atacante testou para baixo no canto direito de Everson, que até chegou na bola, mas não conseguiu fazer a defesa.

Na segunda etapa, menos emoção para os dois lados. Na primeira meia hora, o Mirassol foi para cima em busca do empate e foi o responsável pelas melhores chances, embora nenhuma muito clara. Aos 13, Camilo dominou na entrada da área e bateu com perigo, para boa defesa de Everson.

Sem conseguir reduzir o placar, os visitantes viram o time da casa retomar o controle do jogo nos minutos finais, aproveitando as entradas de Arthur Gomes e Kaio Jorge. Aos 36, Arthur Gomes recebeu na área, girou e cruzou para Sánchez empurrar para as redes. O uruguaio, porém, estava impedido e o lance foi anulado.

Ainda antes do fim, o goleiro Everson tentou aproveitar a noite artilheira da equipe para guardar o seu. O goleiro cobrou falta da entrada da área aos 43 minutos, mas o chute ficou na barreira. No último lance, Kaio Jorge recebeu com muito espaço, avançou para dentro da área, mas ao invés de rolar para Soteldo livre, tentou mais um corte e a batida para o gol. A bola subiu e passou por cima da meta.

Bastidores – Santos TV:

Felipe Jonatan comenta evolução do Santos e desentediamento de Pituca e Soteldo

O Santos venceu o Mirassol neste sábado pelo Campeonato Paulista. Em boa atuação, o time de Jesualdo Ferreira mostrou evolução em relação às primeiras rodadas e anotou três gols pela primeira vez no ano.

“A gente está feliz pelos três pontos, que era o mais importante no momento. A gente vem de uma sequência boa desde o clássico contra o Palmeiras, a gente vem evoluindo, crescendo com o trabalho do professor Jesualdo”, contou Felipe Jonatan aos canais Premiere na saída de campo.

O lateral ainda comentou sopre o desentendimento entre Soteldo e Pituca, na saída do time para o vestiário ao fim do primeiro tempo.

“Em questão do Soteldo e do Pituca, é cobrança normal de time. Time grande tem que ter cobrança. Mas está tudo resolvido, dentro do vestiário mesmo apaziguamos tudo e fizemos uma ótima atuação. Sabemos que tem que mudar muito ainda, mas aos poucos a gente vai evoluindo”, concluiu.

Jesualdo elogia poder ofensivo de Madson em estreia no Santos

Um dos poucos reforços para a temporada de 2020, o lateral direito Madson estreou pelo Santos neste sábado, pela 9ª rodada do Campeonato Paulista, na vitória contra o Mirassol, na Vila Belmiro. Apesar de ter começado a partida como titular, o jogador de 28 anos ainda se adapta ao trabalho do técnico Jesualdo Ferreira, que relatou estar conhecendo o atleta.

“Vocês conhecem o Madson melhor que eu. Conheço pouco, com todo respeito. Em dois dias de trabalho ele sentiu, e decidi que deveria fazer recuperação adequada. É um lateral diferente do Pará, que tem mais experiência. Ele entrou e nada ocorreu, é mais jovem, tem a profundidade que às vezes é necessária. Está com ele, no corpo e na cabeça, a resposta necessária da lesão que teve”, afirmou.

Mesmo assim, o treinador português comentou sobre as características do lateral-direito e elogiou o desempenho do elenco santista, assim como o poder ofensivo de Madson.

“(Ele é um) lateral para frente, que vai e vem, para trás é mais difícil. Na frente vai muito bem. É preciso tirar vantagens disso. Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo. Temos tido respostas dentro do elenco, é uma das coisas que mais têm me dado prazer. Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. Vamos chegar lá”, concluiu.

Madson chegou ao Santos no início de 2020, mas ainda não havia atuado, já que não possuía as melhores condições físicas para entrar em campo. O lateral-direito chegou ao Peixe após uma troca com o Grêmio por Victo Ferraz, mas foi jogador do Athletico-PR em 2019.

Jesualdo exalta Pituca no Santos: “Qualidade física e força mental”

O técnico Jesualdo Ferreira deu sequência para Diego Pituca no meio-campo do Santos mesmo em meio a atuações irregulares. E deu certo.

Pituca demorou a se adaptar à função mais ofensiva, mais próximo do gol adversário e às vezes até como ponta. Jesualdo explicou a mudança tática depois da vitória sobre o Mirassol, com o primeiro gol marcado pelo meio-campista, em bonito chute de fora da área.

“Pituca é curioso. Como é possível jogar com três volantes falaram…. E eu não entendi. O meio era esse ano passado. Santos jogava no ano passado com três volantes e era ofensivo? Querem ser um pouco treinador e me explicar isso? Sempre pensei no Pituca como interior, médio interior de características ofensivas. Box to box em 90 minutos, qualidade física e força mental. Por que volante? Tinha que estar mais posicional (no ano passado). Mas gosto dele assim, até na direita como na parte final do jogo (contra o Mirassol). É um jogador que gosto muito, tem vantagem de fazer ala esquerda no 4-4-2, lateral como fez se tiver problema… Quando é para jogar só um (volante), também joga”, explicou Jesualdo.

Pituca é meia de origem, mas se acostumou a atuar como primeiro ou segundo volante no Peixe nos últimos anos. Jesualdo Ferreira enxerga o esquema tático 4-3-3, seu preferido, com um camisa 5, um 8 e um 10, à moda antiga, com um meia pela esquerda e outro pela direita. Nesse desenho, Pituca foi à frente.

Jesualdo vê Alison e Jobson como o 5, Diego Pituca e Jobson como o 8 e Sánchez e Evandro como o 10. Diante da instabilidade nas últimas semanas e a ausência do capitão, o português fez algumas trocas, como Pituca ao lado de Jobson e Evandro de 5.

O treinador tem conversado com Diego Pituca para que resgate as características de armador do início da carreira e use sua força física pelo lado do campo. O jogador, antes desanimado com as críticas do torcedor, tem se sentido mais à vontade e espera por desempenho ainda melhor na sequência da temporada.

Jesualdo pede reforço, mas relata prazer em “achar respostas” no elenco do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira reforçou o pedido pela contratação de um lateral-esquerdo no Santos. Ao mesmo tempo, porém, falou em “prazer” por encontrar “respostas” dentro do próprio clube.

“Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo, vamos chegar se Deus quiser. Temos tido respostas dentro do elenco. É uma das coisas que mais têm me dado prazer. Muitos jovens, como o (Anderson) Ceará hoje (no banco). Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. E vamos chegar lá”, disse o técnico, em entrevista coletiva depois da vitória sobre o Mirassol.

Jesualdo tem avaliado diversos jogadores da base e do time B de perto. Anderson Ceará e Ivonei, meio-campistas, foram inscritos no Campeonato Paulista e devem ganhar oportunidade em breve.

Yuri Alberto e Kaio Jorge, desprestigiados em 2019, têm atuado com frequência, assim como Arthur Gomes, “reforço” depois do empréstimo à Chapecoense.

A diretoria do Santos busca uma “sombra” para Felipe Jonatan, mas a falta de dinheiro e a janela internacional de transferências fechada na maior parte dos países da Europa dificulta a contratação.

Jesualdo avalia trabalho após dois meses no Santos: “Nunca tive dúvida”

Jesualdo Ferreira avaliou o trabalho da comissão técnica após dois meses no Santos – o português foi apresentado oficialmente em 8 de janeiro e tem cinco vitórias, três empates e duas derrotas.

O treinador faz avaliação positiva e diz nunca ter duvidado de estar no caminho certo, mesmo em meio à pressão por melhor desempenho.

“Temos 50% de vitórias, gostaríamos de ter mais. Não há forma de conseguir sem tempo e trabalho. Fui claro no início quando falei sobre isso. Nunca tive dúvida sobre nosso trabalho, a cada dia sabia que esse é o caminho. Críticas aqui são normais, talvez aqui mais cedo do que estou acostumado. Equipe acreditou no que está a fazer. Quando olham para as imagens e veem o nível que não esperavam, percebem evolução, fica difícil olhar para trás. São passos para frente. É como defender, quando se perde a bola tem que pensar em passo à frente, não atrás, sem medo. São passos à frente para dar”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

“São 10 jogos, tempo de trabalho é pouco e jogos foram muitos. É preciso analisar o treino, melhorar, e espaço é curto. Jogador dificilmente consegue estar no 100%, limite sem recuperar, mas é a tônica do futebol brasileiro. Jogadores sabem o que existe e o que é futuro. Estou habituado, joguei a cada três dias com frequência. É preciso encontrar os equilíbrios da equipe para que o rendimento seja mais ou menos alto independentemente dos jogadores utilizados. É a nossa tarefa agora”, emendou.

Jesualdo cita Ceni ao falar de Everson como cobrador do Santos: “Brasil tem grande exemplo”

Everson chegou ao Santos no início de 2019 com status de bom goleiro e também com a fama de bom cobrador de faltas no Ceará. E a primeira tentativa só ocorreu no último sábado, contra o Mirassol, depois de um ano.

A falta parou na barreira, mas o goleiro “quebrou o gelo” e deve ter novas oportunidades. O técnico apoia e cita Rogério Ceni como argumento.

“Ele bate bem… Foi uma pena a falta não ser do outro lado (esquerdo). Se fosse na esquerda poderia ter entrado. Brasil tem grande exemplo como Ceni, ele bate bem e tem que continuar treinando. Alguns batem bem, como Soteldo e Sánchez também, mas está tudo no princípio. Não é fácil tirarmos conclusões”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

Aos 29 anos, Everson tem três gols na carreira: dois de pênalti e um de falta. O de falta foi marcado contra o Corinthians, em 2018, pelo Vozão.


Santos 4 x 1 Cruzeiro

Data: 23/11/2019, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.905 pagantes
Renda: R$ 266.944,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: José Eduardo Calza e Lucio Beiersdorf Flor (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Marinho (S); Egídio (C).
Gols: Orejuela (13-1), Eduardo Sasha (22-1); Marinho (14-2), Soteldo (19-2) e Diego Pituca (44-2).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan (Luan Peres); Alison, Carlos Sanchez e Evandro; Marinho, Soteldo (Kaio Jorge) e Eduardo Sasha (Diego Pituca).
Técnico: Jorge Sampaoli

CRUZEIRO
Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Éderson, Robinho (Ezequiel) e Thiago Neves (Marquinhos Gabriel); David e Sassá (Joel).
Técnico: Abel Braga



Santos vira sobre o Cruzeiro e está na fase de grupos da Libertadores

O Santos assegurou sua classificação à fase de grupos da Copa Libertadores 2020 na noite deste sábado. No Estádio da Vila Belmiro, o time da casa chegou a sair em desvantagem contra o Cruzeiro, mas tomou o controle da partida e ganhou por 4 a 1.

Com 68 pontos, o Santos dorme na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, uma vez que supera o Palmeiras pelo número de vitórias. O time alviverde pega o Grêmio às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Allianz Parque. Já o Cruzeiro, com 36 pontos, fica no 16º lugar e pode terminar na zona de rebaixamento.

O jogo

O Cruzeiro conseguiu inaugurar o marcador na Vila Belmiro logo aos 13 minutos do primeiro tempo. Orejuela recebeu de Thiago Neves, invadiu a área, carregou para o meio e, aproveitando a passividade da marcação, finalizou de canhota para superar o goleiro Everson.

O Santos equilibrou rapidamente as ações e chegou ao empate aos 22 minutos da etapa inicial. Em boa trama do ataque, Sanchez cruzou forte e rasteiro da direita. Evandro dominou dentro da área e só ajeitou para chute de primeira de Eduardo Sasha.

Animado pelo gol de empate, o time alvinegro passou a mandar na partida e desperdiçou boas chances com Sanchez e Soteldo. Em jogada pelo lado direito, Marinho levou a melhor sobre Egídio e acertou a trave. Gustavo Henrique chegou a marcar de cabeça, mas o assistente assinalou impedimento.

Após criar uma série de oportunidades no primeiro tempo, o Santos conseguiu a virada aos 14 minutos da etapa complementar. Marinho arrancou pela direita, recebeu de Sanchez e não teve dificuldade para limpar a marcação de Egídio antes de bater com precisão.

Dono da partida, o time da casa converteu seu terceiro gol aos 19 minutos do segundo tempo. Em jogada pela direita, Sanchez recebeu de Marinho e cruzou rasteiro. Eduardo Sasha não chegou a tempo de completar, mas Soteldo apareceu para marcar.

O ritmo da partida diminuiu na parte final, mas o Santos ainda anotou o quarto gol aos 44 minutos do segundo tempo. Em cobrança de falta, Sanchez bateu direto para o gol. Após rebote do goleiro Fabio, Evandro cruzou da direita na medida para Diego Pituca completar.

Bastidores – Santos TV:

Após 1.000º do Santos nos pontos corridos, Soteldo quer conhecer Pelé

O Santos começou em desvantagem, mas goleou o Cruzeiro na noite deste sábado. Na semana em que ganhou uma camisa autografada de Pelé, o venezuelano Soteldo marcou o 1.000º gol do clube na história do Campeonato Brasileiro por pontos corridos e manifestou o sonho de conhecer o Rei.

Antes do jogo, com Edinho em campo, o Santos homenageou Pelé pelos 50 anos de seu 1.000º gol, completados na terça-feira. Com a bola rolando, já no segundo tempo, Soteldo marcou o terceiro sobre o Cruzeiro, coincidentemente o 1.000º do clube no Brasileiro desde 2003

“Estou bastante contente, porque o Santos é um time muito grande e aqui jogou o melhor da história do futebol. Também gostaria agradecer pela camisa que me deu e dizer-lhe que quero conhecê-lo pessoalmente. Vamos contentes para a casa e descansar, porque temos outro jogo em breve”, disse Soteldo ao Premiere.

Curiosamente, o Cruzeiro chegou a sair na frente por meio de Orejuela logo no começo da partida. O Santos empatou rapidamente com Eduardo Sasha e, no segundo tempo, construiu a goleada sobre o ameaçado Cruzeiro através de Marinho, Soteldo e Diego Pituca.

“Fui defender minha seleção e, graças a Deus, ganhamos. Depois, já estava pensando nesse jogo e sabia que tinha que chegar para contribuir com meu time. Acho que consegui ajudar um pouco, porque estava muito desgastado pela viagem e pela mudança de horário. Pude marcar o gol e o time fez um jogo espetacular”, declarou.

Com 68 pontos ganhos, o Santos dorme na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, uma vez que supera o Palmeiras pelo número de vitórias. O time alviverde ainda pega o Grêmio às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Allianz Parque. Pela 35ª rodada, a equipe praiana enfrenta o Fortaleza às 20 horas de quinta-feira, no Castelão.

Sampaoli lamenta saída de Autuori e mira recorde nos pontos corridos

O técnico Jorge Sampaoli ficou chateado com a decisão do superintendente de futebol Paulo Autuori de deixar o Santos. Com futuro incerto, o argentino traçou o objetivo de estabelecer a melhor campanha do time praiano no Campeonato Brasileiro por pontos corridos de 20 clubes.

Na última terça-feira, Autuori anunciou o plano de sair em dezembro, mas o Santos já comunicou seu desligamento imediato. Sutilmente, o superintendente de futebol mostrou descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres.

“Foi uma grande perda. Era uma relação que me gerava confiança, muito apego”, disse Sampaoli, sobre a saída de Autuori. “Ele tem bastante experiência e conhece mais o futebol daqui do que eu. Essa saída é difícil de substituir, não sei o que o clube fará”, completou o treinador.

Com mais quatro jogos por disputar no Campeonato Brasileiro, o clube dirigido por Jorge Sampaoli contabiliza 68 pontos ganhos. Fora da briga pelo título, o técnico argentino deseja bater o recorde do Santos no formato por pontos corridos de 20 clubes.

“Queremos superar os 71 pontos e estar na história do clube”, disse Sampaoli, citando a performance do clube na edição de 2016 do torneio nacional. “Só pensamos no jogo de quinta, difícil, e precisamos que ganhar para manter. Tenho muita expectativa pela partida do Palmeiras”, completou.

Quarteto dá liga e domina os gols do Santos no 2º turno do Brasileirão

O Santos tem 23 gols no segundo turno do Campeonato Brasileiro. E 19 deles (82%) foram marcados por Carlos Sánchez, Marinho, Soteldo ou Eduardo Sasha. Os números são do Footstats.

O quarteto superou o rodízio costumeiramente feito por Jorge Sampaoli e se tornou praticamente intocável. Evandro tem sido o “quinto elemento” do sistema ofensivo nas últimas rodadas, mas com patamar ainda diferente dos demais.

“A possibilidade dos extremos serem pulsantes e agudos tem a ver com jogo posicional do Sánchez e Evandro e os movimentos do Sasha. Sasha nos dá muito volume do jogo. A altura que joga a equipe é difícil de controlar, porque esperam a bola e não vão buscar, Sánchez e Evandro nunca recuam e sempre estão esperando para atacar. E isso faz com que os laterais tenham confusão para marcar Sánchez ou Marinho, e aí a velocidade de quem desnivela tanto, como Marinho e Soteldo, faz diferença”, explicou Jorge Sampaoli, orgulhoso, em entrevista coletiva.

Gustavo Henrique (2), Diego Pituca e Tailson fizeram os outros quatro gols do Peixe no segundo turno do Brasileirão. O artilheiro do Alvinegro é Sasha, com 13 anotados.

O quarteto ofensivo do Santos não estará completo na próxima rodada, contra o Fortaleza, quinta-feira, no Castelão. Marinho está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Tailson e Derlis González brigam pela vaga.

Santos anuncia saída imediata de Autuori e define substituto

Paulo Autuori não trabalha mais no Santos Futebol Clube. Após a goleada sobre o Cruzeiro, aplicada na noite deste sábado, o clube publicou nota em seu site oficial para anunciar o desligamento imediato do superintendente de futebol e definir William Thomas como sucessor.

Na entrevista em que comunicou a decisão de deixar o Santos ao final desta temporada, concedida na última terça-feira, Autuori sutilmente mostrou descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres. No sábado, o clube avisou que o profissional já está oficialmente desligado.

“O Santos FC informa que Paulo Autuori não faz mais parte do seu quadro de funcionários. O clube agradece os serviços prestados e deseja sorte no seguimento de sua carreira. William Thomas assume a função de superintendente de futebol, dando prosseguimento ao planejamento e projetos para 2020”, diz a nota oficial.

Entenda por que o 1º gol do Santos contra o Cruzeiro foi “mais comemorado” pela comissão técnica

O Santos fez quatro gols contra o Cruzeiro no último sábado, na Vila Belmiro, mas o primeiro da goleada foi “mais comemorado” pela comissão técnica em relação aos demais.

O técnico Jorge Sampaoli e os demais membros da comissão técnica enxergam a construção do gol como bom exemplo do trabalho realizado diariamente no CT Rei Pelé.

Lucas Veríssimo erra um passe vertical e rapidamente o time se posiciona a partir dos 22 minutos para roubar a bola. A interceptação de Eduardo Sasha faz com que Pará recupere e o ataque se inicia. De Marinho para Alison e Evandro recebe. O meia aciona Marinho e já se posiciona como um atacante. Marinho tabela por Pará por dentro enquanto Sánchez abre como ponta. O uruguaio encontra Evandro, já dentro da área. Sasha recua para receber a assistência e chuta com categoria.

Seis jogadores participaram em 30 segundos de um lance com sete no campo ofensivo e cinco dentro da área da Raposa.

“A possibilidade dos extremos serem pulsantes e agudos tem a ver com jogo posicional do Sánchez e Evandro e os movimentos do Sasha. Sasha nos dá muito volume do jogo. A altura que joga a equipe é difícil de controlar, porque esperam a bola e não vão buscar, Sánchez e Evandro nunca recuam e sempre estão esperando para atacar. E isso faz com que os laterais tenham confusão para marcar Sánchez ou Marinho, e aí a velocidade de quem desnivela tanto, como Marinho e Soteldo, faz diferença”, explicou Sampaoli, orgulhoso, na entrevista coletiva.

Felipe Araya Soto, um dos analistas de desempenho do Peixe, publicou um vídeo do gol e destacou o resgate do futebol antigo no clube.

“Dominar a bola, se organizar a partir dela, mover, desorganizar, desanimar com a posse de qualidade. O jogo desta equipe vem de tempos distantes”, escreveu o chileno.


Santos 3 x 0 Vasco

Data: 12/05/2019, domingo, 16h00.
Competiçao: Campeonato Brasileiro – 4ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 12.952 pessoas (11.411 pagantes e 1.541 não pagantes)
Renda: R$ 343.355,00
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia e Rafael Trombeta
VAR: Adriano Milczvkski
Cartões amarelos: Jean Lucas e Alison (S); Rossi, Ricardo Graça e Maxi López (V).
Cartão vermelho: Danilo Barcelos (V).
Gols: Diego Pituca (18-1) e Rodrygo (32-1); Soteldo (27-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca (Derlis González), Jean Lucas (Alison) e Carlos Sánchez; Rodrygo, Soteldo e Eduardo Sasha (Jean Mota).
Técnico: Jorge Sampaoli

VASCO
Sidão; Yago Pikachu, Luiz Gustavo (Andrey), Ricardo e Danilo Barcelos; Bruno Silva, Raul (Bruno César) e Lucas Mineiro; Marrony, Rossi (Valdívia) e Maxi López.
Técnico: Marcos Valadares



Com Sidão como mãe, Santos vence o Vasco com facilidade no Pacaembu

O Santos venceu o Vasco por 3 a 0 na tarde deste domingo de Dia das Mães no Pacaembu, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Diego Pituca, Rodrygo e Soteldo.

Sidão foi “uma mãe” para o Peixe. O goleiro falhou nos dois primeiros gols e teve o nome gritado pelo torcedor alvinegro, em tom irônico, ao longo de todo o jogo.

O Santos não parou de atacar, fez três e poderia ter feito vários mais. O Vasco até assustou e obrigou Vanderlei a fazer algumas defesas, mas nunca esteve perto do empate.

Com a vitória, o Peixe pulou para a segunda colocação, com 10 pontos, atrás do Palmeiras pelos critérios de desempate. O Vasco segue na lanterna, com um ponto. Na próxima rodada, o Alvinegro enfrentará o Verdão, sábado, no Allianz Parque. Antes, medirá forças com o Atlético-MG, quarta-feira, em Belo Horizonte, pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O Cruzmaltino receberá o Avaí, domingo, em São Januário.

O jogo

O Santos dominou o Vasco desde o primeiro minuto. Com linhas altas e oito jogadores no campo de ataque, as chance surgiram naturalmente.

Aos 2 minutos, Rodrygo, inspirado, recebeu na esquerda, driblou e cruzou forte. O goleiro Sidão espalmou. No rebote, Jorge chutou para fora.

Aos 12, o Peixe quase abriu o placar. Sánchez rolou para trás e Rodrygo chegou batendo. Pikachu tirou em cima da linha. Seis minutos depois, o Vasco não resistiu à pressão.

Sidão saiu jogando errado, Rodrygo ajeitou e Diego Pituca chutou bonito, no ângulo, para abrir o placar. A partir daí, o goleiro passou a ter o nome gritado pela torcida santista.

No minuto 22, veio a resposta do Cruzmaltino. Pikachu tabelou com Marrony pelo meio e a bola sobrou para Maxi López balançar as redes. Após revisão, o VAR anulou o gol por impedimento do argentino.

A partir daí, só deu Santos. Aos 27, Sidão fez boa defesa em chute de Sánchez. Aos 32, o Alvinegro ampliou. Rossi saiu jogando errado, Jorge tocou para Rodrygo e o camisa 11 driblou dois antes de bater no canto de Sidão.

Ainda deu tempo para Sidão protagonizar dois lances bizarros em sequência. Quando o placar marcava 42, o goleiro se complicou com Bruno Silva e Sánchez quase fez o terceiro. No escanteio, o camisa 44 saiu caçando borboleta e Lucas Veríssimo acertou a trave.

Marcos Valadares colocou Andrey e Bruno César no segundo tempo, para as saídas de Luiz Gustavo e Raul. E o Vasco se lançou ao ataque. No segundo minuto da etapa final, Lucas Mineiro quase abriu o placar depois de cobrança de escanteio.

Jorge Sampaoli percebeu o esboço de reação do Vasco e mexeu. Primeiro colocou Alison e tirou Jean Lucas. Depois Jean Mota entrou na vaga de Sasha. O Peixe equilibrou o jogo e quase fez o terceiro, aos 19.

Rodrygo tocou para Soteldo na marca do pênalti. O venezuelano foi caprichoso, tentou o drible e bateu fraco, para Sidão espalmar. No rebote, Sánchez chutou para fora na pequena área.

Aos 24, nova chance para o Santos. Soteldo recebeu na entrada da área e bateu por cobertura. A bola encobriu Sidão e bateu no travessão antes de sair para a linha de fundo. Na sequência, no minuto 25, Jean Mota cruzou e Sánchez, sozinho, acertou o travessão novamente.

Quando o placar marcava 27, não deu mais para o Vasco aguentar. Rodrygo, de novo ele, tabelou com Jean Mota e rolou para Soteldo deslocar Sidão e matar o jogo.

Aos 29, o Vasco voltou a assustar, mas parou por aí. Andrey finalizou e Vanderlei espalmou. No rebote, sem ângulo, Marrony chutou e o goleiro santista defendeu novamente.

Insaciável, o Alvinegro ficou perto do quarto gol por várias oportunidades. Aos 35, Jean Mota finalizou de fora da área, perto do ângulo. Um minuto depois, Rodrygo chutou colocado e a bola raspou a trave de Sidão. No minuto 42, Jean ficou perto do gol novamente.

Nos instantes finais, sob os gritos de olé da torcida, o Santos administrou a vitória tranquila, que poderia ter sido uma histórica goleada.




Santos 2 x 0 Red Bull Brasil

Data: 23/03/2019, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 20.615 presentes (18.475 pagantes e 2.140 não pagantes).
Renda: R$ 527.047,50
Árbitro: Douglas Marques Flores
Auxiliares: Anderson Coelho e Marco Antonio Andrade.
Cartões amarelos: Carlos Sánchez, Diego Pituca e Victor Ferraz (S); Ligger, Rafael Carioca, Osman e Jobson (RB).
Gols: Carlos Sánchez (10-1) e Diego Pituca (33-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Jean Mota; Carlos Sánchez, Rodrygo (Kaio Jorge) e Eduardo Sasha (Copete).
Técnico: Jorge Sampaoli

RED BULL BRASIL
Julio Cesar; Aderlan, Leo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca; Jobson (Pio), Uillian Correia e Osman; Claudinho (Bruno Tubarão), Ytalo e Léo Castro (Rodrigo Angelotti).
Técnico: Antonio Carlos Zago



Santos volta a jogar bem, vence o Red Bull por 2 a 0 e fica perto da semifinal do Paulista

O Santos retomou o bom nível, venceu o Red Bull por 2 a 0 na noite deste sábado, no Pacaembu, e agora tem boa vantagem por uma vaga na semifinal do Campeonato Paulista. Os gols foram marcados por Carlos Sánchez e Diego Pituca, um em cada tempo.

As equipes fizeram uma etapa inicial frenética, com diversas chances e 1 a 0 barato no placar – o Peixe teve mais chances e poderia ter ido para o intervalo com vantagem maior. Diego Pituca ainda teve gol bem anulado por impedimento depois do auxílio do VAR.

No segundo tempo, o Red Bull rondou a área santista, mas sem criar. O Alvinegro diminuiu o ritmo, atacou menos e ainda ampliou o resultado na metade final.

A partida de volta será na próxima terça-feira, às 20h (de Brasília), no Estádio Moisés Lucarelli. O Santos joga por um empate para avançar.

O jogo

Diferentemente dos últimos jogos, o Santos demonstrou a intensidade da primeira rodada logo nos minutos iniciais e empurrou o Red Bull em sua defesa.

Na primeira chance, Sánchez demorou para tocar para Sasha, sozinho na pequena área. Na segunda, Rodrygo puxou contra-ataque e rolou para Pituca, impedido, marcar, aos cinco. A arbitragem anulou por meio do VAR.

A pressão, porém, não diminuiu e o primeiro gol saiu logo em seguida, aos 10 minutos. Sánchez bateu falta venenosa, a bola passou por todo mundo e venceu Julio Cesar. 1 a 0 Peixe.

O Alvinegro seguiu em cima e quase ampliou no minuto 12, em chute perigoso de Jean Mota. E na sequência, veio o susto. Osman cruzou, Victor Ferraz vacilou e Ytalo, completamente sozinho, perdeu chance inacreditável. Vanderlei já estava caído.

Depois do “gelo” por esse lance, o Red Bull passou a ficar mais perto do gol. Aos 28, Ytalo finalizou (dessa vez bem) e Vanderlei espalmou. No minuto 31, Victor Ferraz cruzou e Rodrygo cabeceou por cima.

Aos 32, Sánchez cobrou outra falta, Julio Cesar afastou e Rodrygo bateu forte. No minuto 35, as duas equipes ficaram perto de balançar as redes.

Primeiro foi Rodrygo quem entortou a defesa e bateu bem. Julio Cesar espamou e Sánchez perdeu o rebote. No contra-ataque Ytalo, sempre ele, chutou de fora da área e Vanderlei quase frangou. Para sorte do goleiro, a bola bateu na trave.

E ainda deu tempo de Pituca também perder uma chance clara. Sasha cruzou e Pituca, livre no segundo pau, bateu na rede pelo lado de fora.

O ritmo caiu completamente para a etapa final. Melhor no segundo tempo, O Red Bull rondou a área do Santos, só que sem levar real perigo por vários minutos. A primeira chance importante veio novamente com Ytalo, em cabeceio por cima do gols aos 31.

Na sequência, veio o castigo. Sánchez foi à linha de fundo e cruzou, a defesa afastou mal e a bola caiu no pé de Rodrygo. O camisa 11 rolou para Diego Pituca finalizar bonito e ampliar o placar.

O Red Bull tentou correr atrás do gol e ficou perto em cobrança de falta de Pio, aos 42 minutos, para boa defesa de Vanderlei. Pituca ainda ficou perto de fazer o terceiro no minuto 46. E parou por aí. Vantagem merecida do Santos em busca da semifinal do Paulistão.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli vê “Santos à altura” e destaca Pituca, Sánchez e Eduardo Sasha

O técnico Jorge Sampaoli ficou muito feliz com a vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Red Bull Brasil na noite deste sábado, no Pacaembu, pela ida das quartas de final do Campeonato Paulista. Com o resultado, o Peixe pode até perder por um gol de diferença na próxima terça-feira, no Moisés Lucarelli, para avançar à semifinal.

“Foi uma das nossas melhores partidas. O rival fez com que fosse uma boa partida. Um rival que vinha sem perder há nove partidas, que nunca nos perdeu de vista na tabela. Não perdeu contra nenhuma grande equipe. O Santos esteve à altura. Agora é esperar a segunda partida, que com certeza será mais difícil”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador deu destaque para três atletas: Diego Pituca, Carlos Sánchez e Eduardo Sasha.

“Nós conhecemos um Pituca um pouco desorganizado, pouco voluntarioso, mas conosco está rendendo muito, é um jogador muito completo. Ele disputa o jogo inteiro com a mesma intensidade. Ele é o único jogador que jogou a partida anterior inteira e jogou essa. Vejo um jogador com um potencial enorme”, avaliou.

“É muito importante (Sánchez). É um jogador que nos ajuda muito na pressão inicial, na elaboração do jogo pela direita e se entende muito bem com Victor Ferraz e Rodrygo. O Sasha fez uma partida, posicionalmente, incrível. Nos deixa feliz que o Sasha tenha feito isso, nos faz pensar que erramos em não dar mais partidas para ele”, completou.

O Santos se reapresenta neste domingo, no CT Rei Pelé. Depois da boa atuação e o mea culpa de Sampaoli, Sasha deve seguir como titular.

Victor Ferraz diz que todos se pilharam antes de decisão: “O melhor Santos”

Em entrevista coletiva na última sexta-feira, o capitão Victor Ferraz chamou a responsabilidade e prometeu “a melhor versão do Santos” contra o Red Bull neste sábado, no Pacaembu, pela ida das quartas de final do Campeonato Paulista. O camisa 4 garantiu que o atraso de salário não seria preponderante. E deu certo.

O Peixe apagou as más atuações recentes e, com bom futebol e muita dedicação, conseguiu 2 a 0 e ficou perto da semifinal.

“Ainda não (pagaram o salário), mas eu não quero entrar nesse mérito. É o que menos importa nesse momento. O que mais importava era jogar bem, encaminhar a classificação. A gente entende que não tem nada resolvido. Temos que entrar na terça com a mesma postura que tivemos hoje. Quando eu me referi a ser o melhor Santos, eu sabia da necessidade de ser o melhor Santos para a gente poder vencer o RB Brasil. Se mesmo a gente jogando bem foi difícil, se não jogássemos nesse nível fatalmente teríamos perdido”, disse Ferraz.

“Como falei, a necessidade de jogar muito bem por ser uma eliminatória. Não teve um algo a mais. Deixamos a desejar em alguns jogos da fase de grupos. Sabíamos que se jogássemos como estávamos jogando não passaríamos pelo RB Brasil. Todo mundo se pilhou. Ouvi muita cobrança não só dos jogadores, mas também da comissão técnica, para que pudéssemos fazer um grande jogo e levar uma vantagem importante”, completou.


Altos-PI 1 x 7 Santos

Data: 06/02/2019, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa do Brasil – 1ª fase
Local: Estádio Albertão, em Teresina, PI.
Público 4.407
Renda: R$ 84.940,00
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Cartões amarelos: Renato Santos (A).
Gols: Luizão (05-1), Luiz Felipe (11-1), Derlis González (24-1), Alison (25-1), Carlos Sánchez (28-1), Carlos Sánchez (40-1); Soteldo (27-2) e Diego Pituca (37-2).

ALTOS
Andrade; Caíque, Renato Santos (Netinho), Ramon Baiano e Tiaguinho; Dos Santos, Jorginho, Júnior Paraíba, Ancelmo (Wesley) e Eder Guerreiro; Luizão (Raphael Freitas).
Técnico: Leandro Campos

SANTOS
Vanderlei; Luiz Felipe, Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Alison, Diego Pituca, Jean Mota (Soteldo), Carlos Sánchez (Eduardo Sasha) e Copete; Derlis González (Sandry).
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos goleia o Altos em ritmo de treino e avança na Copa do Brasil

O Santos se reabilitou depois de perder para o Ituano por 5 a 1, pelo Campeonato Paulista, e goleou o Altos por 7 a 1 nesta quarta-feira, no Estádio Albertão, no Piauí. Com o resultado, o Peixe avançou para a segunda fase da Copa do Brasil.

Os gols foram marcados por Carlos Sánchez (2), Luiz Felipe, Derlis González, Alison, Soteldo e Diego Pituca. Luizão descontou para o Altos.

Na próxima fase da Copa do Brasil, o Peixe enfrentará o América-RN. A eliminatória será, mais uma vez, com jogo único, com mando do Alvinegro e decisão nos pênaltis em caso de empate.

O jogo

O Santos sofreu um susto logo aos cinco minutos, quando Ancelmo cobrou falta na área, Sánchez furou e Luizão marcou na pequena área. O Peixe, porém, não se abalou.

O Alvinegro reagiu rápido, logo aos 11, com Luiz Felipe, e depois passeou. Ainda na primeira etapa, Derlis, Alison e Carlos Sánchez, duas vezes, marcaram.

Na segunda etapa, os visitantes mantiveram o ritmo, mas pecaram na pontaria e, em ritmo de treino, “só” fizeram mais dois, com Soteldo e Diego Pituca. No fim do jogo, o Santos administrou a goleada e o Altos torceu para o jogo acabar.

Bastidores – Santos TV: