Navegando Posts marcados como Douglas

Goiás 3 x 4 Santos

Data: 10/07/2005, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 11ª rodada
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia,GO.
Público: 6.450 pagantes
Renda: R$ 75.790,00
Árbitro: Alicio Pena Junior (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG).
Cartões amarelos: Cléber Gaúcho, Romerito, Aldo, Roni (G); Fabinho e Wendell (S).
Cartão vermelho: Cléber Gaúcho (G).
Gols: Douglas (06-1), Aldo (09-1), Souza (37-1), Douglas (39-1), Basílio (45-1); Ricardinho (11-2), Jorge Mutt (26-2).

GOIÁS
Harlei; Paulo Baier (Vitor), Aldo, André Leone e Jadílson; Cléber Gaúcho, Marcelo Silva (Thiago), Romerito e Rodrigo Tabata; Roni e Souza (Jorge Mutt).
Técnico: Édson Gaúcho

SANTOS
Mauro; Paulo César, Ávalos, Altair e Carlinhos; Fabinho (Halison), Bóvio, Ricardinho e Giovanni; Douglas (Wendell) e Basílio (Danilo).
Técnico: Gallo



Santos ‘ignora’ ausência de estrelas e bate Goiás

Os substitutos do Santos, ao menos provisoriamente, deram conta do recado. Neste domingo, com grande atuação de Douglas e Basílio, o time alvinegro bateu o Goiás por 4 a 3, fora de casa, e retornou “aos eixos” no Campeonato Brasileiro.

Douglas, autor de dois gols, era o reserva de Deivid, enquanto Basílio, que marcou uma vez, vivia à sombra de Robinho. A antiga dupla de ataque santista fizera 44 dos 80 gols do time até este domingo. A marca correspondia a 55% do total de bolas na rede.

Porém, atuando nos contra-ataques, o time paulista foi efetivo e conseguiu derrotar pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro o Goiás como mandante. Anteriormente, o clube da região centro-oeste tinha o retrospecto de três vitórias e dois empates.

O bom resultado leva o time comandado por Gallo aos 21 pontos e o aproxima dos líderes da competição. Os quatro gols marcados também deixaram o Santos com o melhor ataque da competição, com 22 gols. A vitória ameniza também o clima na Vila Belmiro, que nos últimos dias andou tenso por causa da iminente saída de grandes pilares.

Além do imbróglio Robinho-Real Madrid, o atacante Deivid está à espera de uma decisão do Bordeaux, da França, sobre o seu futuro. Já o lateral-esquerdo Léo anunciou sexta-feira que está deixando a Vila.

Em contrapartida, o atacante Denílson, do Bétis, pode ser anunciado como novo reforço nesta semana. Outros que interessam são o atacante Nilmar e o lateral-esquerdo Kléber.

Com 17 pontos, o Goiás, que vinha de duas vitórias, segue na faixa intermediária da tabela. A derrota em casa deteriorou um pouco a relação entre a torcida e o técnico Edson Gaúcho. Neste domingo, ele foi constantemente vaiado e chamado de “burro” durante parte do segundo tempo do duelo.

A próxima rodada será de clássicos para ambos. Sábado, o Goiás faz o duelo da região centro-oeste contra o Brasiliense, às 16h, no estádio Serra Dourada. Domingo, no mesmo horário, o Santos enfrentará o São Paulo, na Vila Belmiro.

O jogo

O Goiás começou superior, apostando nos avanços do lateral-esquerdo Jadílson. Porém, em um contragolpe, os visitantes abriram o placar. Aos 6min, Carlinhos encontrou Basílio livre na ponta esquerda. O atacante recebeu e rolou para Douglas, livre, tocar para o gol.

Três minutos depois, o time alviverde empatou. Jadílson cruzou da esquerda, Souza escorou e Aldo, de cabeça, marcou. Após os dois gols, a partida caiu bruscamente de ritmo.

Apenas aos 34min, Roni esteve perto de marcar, mas a bola passou por cima do travessão. No mesmo minuto, André Leone cabeceou livre na entrada da pequena área e Mauro defendeu.

De tanto insistir, o Goiás conseguiu a virada. Aos 37min, Romerito rolou para dentro da área, Rodrigo Tabata deu lindo toque de calcanhar e Souza completou de primeira para o gol.

A vantagem do clube do centro-oeste só durou dois minutos. Aos 39min, Douglas recebeu na ponta direita e encobriu Harlei. Antes de a bola entrar, Cléber Gaúcho ainda tentou salvar, mas ele acabou colocando-a para dentro do gol.

No último lance do primeiro tempo, o Santos ficou novamente à frente no placar. Carlinhos avançou pela esquerda e passou para Giovanni. O meia encontrou Basílio, livre, na entrada da área e o atacante recebeu e bateu na saída de Harlei.

Logo nos segundos iniciais da segunda etapa, o Goiás assustou. Roni foi ao fundo e chutou cruzado. Souza tentou desviar, mas a cabeçada foi para fora.

Enquanto os anfitriões apertavam, o Santos assustou aos 5min. Ricardo Bóvio entrou driblando na área e chutou com perigo. A situação dos goianos ficou ainda mais complicada aos 9min. Cléber Gaúcho fez falta em Basílio, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou o Goiás com um jogador a mais.

Logo na seqüência, aos 11min, Douglas chutou e Harlei defendeu. No rebote, o mesmo Douglas cruzou e Ricardinho pegou de primeira e marcou um belo gol. Desestruturado, o Goiás quase sofreu o quinto aos 18min. Basílio recebeu cara-a-cara com Harlei, mas o camisa 1 goiano fez a defesa.

Quando o quinto gol santista parecia questão de tempo, o Goiás diminuiu. Aos 26min, Jorge Mutt recebeu na entrada da área e acertou o ângulo direito de Mauro.

O gol reacendeu o Goiás, que pressionou. Aos 38min, Rodrigo Tabata cobrou falta na trave esquerda de Mauro. Três minutos depois, Roni desviou de cabeça, Mauro falhou, mas a bola foi para fora.

Aos 44min, Roni chutou, Fabinho cortou com a mão dentro da área, mas o árbitro Alicio Pena Júnior não marcou o pênalti.

Sem Robinho, Santos continua sem perder

Depois que o craque se apresentou à seleção brasileira e não atuou mais pelo Peixe, a equipe não perdeu mais no Brasileiro.

Apesar de não contar com sua maior estrela nas últimas partidas, o Santos se mantém invicto no Brasileirão. Sem Robinho no elenco, em cinco partidas, o Alvinegro conquistou duas vitórias e três empates.

Na única derrota do Santos na competição sem a presença do atacante, 2 a 1 para o Palmeiras, o jogador foi poupado para a primeira partida das quartas-de-final da Copa Libertadores da América, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada. Após esse jogo, Robinho se apresentou à seleção brasileira e não voltou a jogar pelo Alvinegro.

Mesmo com a saída de seu craque, o Peixe continua fazendo muitos gols. Com os quatro gols marcados neste domingo, a equipe chega a oito gols sem Robinho. Somente em duas ocasiões, nos empates por 0 a 0 com Fortaleza e Juventude, o time não marcou.

Um dos responsáveis pela boa fase do Peixe é o meia-atacante Giovanni. Recém contratado do futebol grego, ele acredita que a equipe tem a obrigação de manter o bom desempenho, mesmo sem Robinho.

“Não só eu, mas toda a equipe tem que encarar essa responsabilidade. É sempre bom mantermos a regularidade, mesmo sem ele”, afirmou Giovanni.

A situação de Robinho continua indefinida. Apesar das ordens da diretoria do Santos, o jogador faltou a todos os treinamentos da equipe nesta última semana e deve ser punido.

Segundo o jornal espanhol Marca, o presidente do Real Madrid, Florentino Peres, deve embarcar para o Brasil para acertar, junto aos dirigentes do Peixe, a transferência do atacante.

Mogi Mirim 2 x 4 Santos

Data: 27/01/2005, quinta-feira, 20h30
Competição: Campeonato Paulista – Turno único – 3ª rodada
Local: Estádio Wilson Fernandes de Barros, em Mogi Mirim, SP.
Público e renda: N/D
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (SP)
Auxiliares: Evandro Luiz Silveira e Paulo Sérgio Breghiroli Garcia (ambos de SP)
Cartões amarelos: Fábio Brás (M)
Gols: Fábio Baiano (09-1) e Fábio Brás (39-1); Deivid (04-2), Douglas (45-2), Douglas (46-2) e Ânderson (47-2).

MOGI MIRIM
João Gabriel; Fábio Brás, Marcelo Miguel e Zé Roberto; Tiago Matos, Tozo, Diguinho, Marcelo Rosa (Ânderson) e Marcelinho (Gabriel); Fábio Costa (Mendes) e Neto.
Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS
Mauro; Flávio, Ávalos, Domingos e Luís Augusto; Fabinho, Fábio Baiano (Bóvio), Ricardinho e Elano (Tcheco); Robinho (Douglas) e Deivid.
Técnico: Oswaldo de Oliveira



“Em casa”, Santos vence e segue 100%

O Santos realmente leva sorte quando atua no estádio Wilson Fernandes de Barros, em Mogi Mirim. No ano passado, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro (a Vila Belmiro estava interditada), goleou o Figueirense por 4 a 1. Nesta quinta-feira, pelo Paulistão, venceu o Mogi Mirim por 4 a 2.

O duelo foi bastante movimentado, com duas equipes bastante ofensivas. Entretanto, os visitantes mostraram mais eficiência e conseguiram construir o placar positivo.

Esta foi a primeira derrota do Mogi Mirim no Paulistão. O time do interior estreou com uma vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, em pleno Pacaembu, e também bateu o União Barbarense por 2 a 1. Com seis pontos, cai da quarta para a sexta colocação no Estadual.

O Santos, em contrapartida, segue com 100% de aproveitamento. O time da Vila Belmiro venceu os três jogos que disputou e ainda tem o melhor ataque do Paulistão. Foram 11 gols marcados, média de quase quatro por partida.

Com nove pontos ganhos e saldo positivo de sete gols, o Santos lidera o Campeonato Paulista. Palmeiras e São Paulo, com a mesma pontuação, aparecem logo na seqüência.

O grande destaque do Santos foi o garoto Douglas. Ele entrou no segundo tempo, no lugar de Robinho, tocou duas vezes na bola e marcou os dois últimos gols do time comandado por Oswaldo de Oliveira.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo. Às 17 horas, o Mogi Mirim joga fora de casa contra a Internacional. Uma hora depois, na Vila Belmiro, o Santos disputa o clássico do litoral contra a Portuguesa Santista.

O jogo

Mesmo dentro de casa, o Mogi Mirim apresentou uma postura bastante defensiva no início do confronto com o Santos. Com forte marcação individual sobre Robinho e Deivid, o time do interior conseguiu impedir os avanços dos visitantes e apostou no contra-ataque.

Foi assim, aos 4min, que Diguinho criou a primeira oportunidade de gol. O meia do Mogi Mirim conduziu a bola pelo meio e arriscou de fora da área. A bola passou à direita de Mauro, sem perigo para o camisa 1 do Santos.

Em outro contra-ataque, o Mogi Mirim quase inaugurou o marcador. Aos 8min, Fabinho perdeu a bola para Fábio Costa, que invadiu a área e foi travado por Domingos antes de conseguir concluir.

Mais eficiente, o Santos conseguiu aproveitar a primeira falha da defesa adversária e abriu o placar. Aos 9min, Robinho dominou na direita e passou por dois marcadores. Com rara precisão, o camisa 7 lançou para Fábio Baiano dentro da área. O meia bateu de primeira, de pé direito, e acertou o ângulo esquerdo do goleiro João Gabriel.

Este foi o primeiro gol marcado pelo meio-campista Fábio Baiano com a camisa do Santos. O jogador defendeu o Corinthians no ano passado e chegou à Vila Belmiro no início desta temporada. Ele disputou apenas três partidas (todas pelo Campeonato Paulista), duas delas como titular (foi reserva apenas na estréia, na goleada por 5 a 1 sobre a Portuguesa).

Era tudo que o Santos precisava para estabelecer sua superioridade técnica sobre o Mogi Mirim. Depois do gol, o Mogi Mirim saiu mais e deu espaços para a equipe da Vila Belmiro, que melhorou a qualidade dos passes e deu a impressão de que conseguiria um massacre sobre os donos da casa.

Entretanto, os visitantes insistiram muito em jogadas pelo meio. Nem tanto porque encontraram espaços na defesa do Mogi Mirim, mas porque os laterais do Santos pouco ajudaram. Na esquerda, o meia Luís Augusto foi improvisado para suprir a ausência do titular Léo, lesionado. E Flávio, novo dono da ala direita, teve atuação bastante apagada.

Com o jogo concentrado na faixa central do gramado, o Santos só assustou em lances individuais. Aos 26min, por exemplo, Robinho fez novo lançamento para a área. Desta vez, João Gabriel saiu bem e cortou a bola antes da chegada de Deivid.

O Santos voltou a levar perigo somente aos 36min. Fábio Baiano carregou a bola pelo meio e, sem opções de passe, resolveu arriscar a conclusão. No entanto, o chute saiu muito fraco e completamente sem direção.

Sem criatividade, o Santos não conseguiu levar perigo ao gol do Mogi Mirim. Com isso, permitiu o avanço da equipe da casa, que começou a ganhar espaço. Tanto que, aos 39min, o zagueiro Fábio Brás aproveitou uma sobra de bola e chutou da entrada da área, de pé esquerdo. A bola entrou no canto direito do goleiro Mauro, que não conseguiu alcançar.

Mais disposto depois do intervalo, o Santos marcou logo aos 4min do período complementar. Fábio Baiano carregou a bola até a linha de fundo pela direita e cruzou na medida para Deivid. Completamente livre de marcação, o camisa 9 tocou de cabeça e acertou o canto direito de João Gabriel.

O inusitado é que esta foi a primeira finalização de Deivid durante a partida. Em todo o primeiro tempo, isolado, o atacante pouco tocou na bola. Na etapa final, com mais participação de Fábio Baiano, Elano e Ricardinho, a atuação do camisa 9 também cresceu.

Prova da evolução do Santos é que o clube visitante quase ampliou aos 5min. Deivid fez linda jogada pela direita e cruzou para trás. Fabinho bateu de primeira e a bola passou à esquerda do goleiro João Gabriel.

O segundo tempo estava realmente movimentado. Prova disso é que, aos 9min, o Mogi Mirim quase empatou. Marcelinho cruzou da esquerda, a zaga falhou e a bola sobrou com o centroavante Neto. Ele dominou na coxa e chutou de pé esquerdo, muito perto da trave.

No lance seguinte, o Santos mostrou ao Mogi Mirim que tinha o controle do jogo. Deivid foi derrubado na direita e conseguiu uma falta perigosa. Na cobrança, Ricardinho rolou para Robinho, que chutou de primeira e quase acertou o canto esquerdo de João Gabriel.

Depois disso, porém, o ritmo da partida caiu muito. O Santos não conseguia acertar a saída de bola da defesa e o Mogi Mirim não encaixou nenhum contra-ataque. Com isso, o placar não teve qualquer alteração até o término da partida.

O técnico José Carlos Serrão ainda tentou alterar a formação tática do Mogi Mirim. Avançou a marcação e aumentou o número de jogadores no ataque. Com isso, o time da casa cresceu e teve muitas chances para empatar.

A melhor delas aconteceu aos 31min, em um cruzamento de Marcelo Miguel da esquerda. A bola passou por toda a área e chegou no segundo pau para o centroavante Mendes, que tocou de cabeça. Mauro esticou o braço esquerdo e conseguiu fazer uma defesa incrível.

Quando tudo parecida definido, aos 45min, apareceu a genialidade de Ricardinho. O camisa 8 deu um lindo toque de calcanhar e deixou o atacante Douglas na cara do gol. Com tranqüilidade, ele tocou de pé esquerdo e acertou o canto direito do arqueiro João Gabriel.

Douglas ainda teve tempo para marcar mais um. Aos 46min, ele recebeu lançamento de Deivid na esquerda, invadiu a área com a bola dominada e tocou por cima do goleiro João Gabriel, que saiu mal do jogo.

Aos 47min, depois de uma troca de passes na área do Santos, o Mogi Mirim descontou. A bola sobrou para Ânderson, que chutou de pé esquerdo e marcou o segundo jogo dos donos da casa.

Santos 4 x 0 Bahia

Data: 28/06/2003
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Árbitro: Jorge Fernando Rabello (RJ)
Auxliares: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e José Cláudio Ramos (RJ)
Cartões amarelos: Marcelo Souza, Fabiano (B), Alexandre, Pereira (S)
Gols: Douglas (15-1), William (17-1) e Jerri (45-1); Fabiano (29-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Reginaldo Araújo, Pereira (Preto), André Luís e Rubens Cardoso; Alexandre, Daniel, Wellington (Fabiano) e Jerri; Douglas e Willian (Nenê)
Técnico: Emerson Leão

BAHIA
Emerson; Fabiano, Luiz Fernando, Marcelo Souza e Lino; Otacílio, Jair, Neto e Danilo (Chiquinho); Nonato e Marcelo Nicácio (Gilberto)
Técnico: Evaristo de Macedo

Guarani 1 x 2 Santos

Data: 07/06/2003, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, SP.
Público e renda: não divulgados
Árbitro: Cleber Wellington Abade (SP)
Auxiliares: Carlos Donizetti Pianosqui (SP) e Nilson de Souza Monção (SP).
Cartões amarelos: Simão (G); Pereira e Paulo Almeida (S).
Cartão vermelho: Emerson (G)
Gols: Wagner (31-1); Douglas (30-2) e Elano (32-2).

GUARANI
Jean; Paulão, Bruno Quadros e Juninho; Simão, Emerson, Reinaldo (Esquerdinha), Marquinhos (Rinaldo) e Alex; Wagner e Rodrigão (Leandro Guerreiro)
Técnico: Pepe

SANTOS
Fábio Costa; André Luís, Pereira e Preto (Reginaldo Araújo); Elano, Paulo Almeida (Rubens Cardoso), Renato, Diego e Léo; Robinho (Douglas) e Nenê
Técnico: Emerson Leão



Santos vira e vence o Guarani em Campinas

Com muito sofrimento e sem apresentar um grande futebol no primeiro tempo, o Santos virou para cima do Guarani e venceu o adversário por 2 a 1, na tarde deste sábado, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado deixa o Santos com 24 pontos, empatado com o Cruzeiro na liderança, mas em desvantagem no saldo de gols (10 contra 15 dos mineiros). Já o Guarani, que ainda não havia perdido em Campinas no Brasileiro (eram quatro vitórias e um empate), permanece com 15 pontos ganhos e é o 11º na tabela de classificação.

Douglas, que entrou no intervalo no lugar de Robinho, marcou o milésimo gol do Santos na história do Campeonato Brasileiro. Elano, em seguida, anotou o gol de número 1001.

O técnico Emerson Leão não pôde contar com o zagueiro Alex e o meia-atacante Fabiano, ambos suspensos. Com isso, o treinador optou por escalar o Santos com três zagueiros, André Luís, Pereira e Preto, e Nenê no ataque ao lado de Robinho.

No Guarani, depois do mistério, o técnico Pepe colocou Reinaldo no meio-campo e Alex na ala-esquerda, deixando Gilson e o experiente Esquerdinha como opções no banco de reservas.

No primeiro tempo, quem levou a melhor foi o Guarani. A equipe não teve um bom começo, mas cresceu depois dos 10min e abriu o placar aos 31min, com um golaço de Wagner, que encobriu Fábio Costa em um chute de fora da área.

Já o Santos teve um bom começo, mas caiu de produção e foi abaixo da média no primeiro tempo. Na saída para os vestiários, os jogadores santistas demonstraram total descontentamento com o desempenho da equipe.

No intervalo, Leão sacou Preto e Robinho, colocando em campo Reginaldo Araújo e Douglas. Com as mudanças, a equipe santista voltou a jogar com dois zagueiros. Já o Guarani voltou a campo com a mesma formação.

Com as alterações, o Santos cresceu em campo e dominou toda a segunda etapa. Além disso, a expulsão de Emerson, aos 7min, facilitou as coisas para a equipe santista. Aos 30min, Douglas, de cabeça, marcou o gol de empate, o milésimo do Santos na história do Brasileiro. Dois minutos depois, foi a vez de Elano contar com a sorte para marcar o gol da virada.

As duas equipes voltam a campo no próximo fim de semana, para a disputa da 13ª rodada do Brasileiro. No sábado, às 16h, o Guarani enfrenta a Ponte Preta, no dérbi campineiro, no estádio Moisés Lucarelli. Já o Santos recebe o São Caetano, domingo, às 16h, na Vila Belmiro.

O jogo

O Guarani começou a partida tocando a bola, enquanto o Santos tentava mais o ataque. Aos 9min, Robinho avançou livre pela esquerda, invadiu a área e bateu cruzado. A bola passou raspando ao travessão.

Depois do susto inicial, o Guarani passou a dominar a partida e criar boas chances de gol, mas não conseguia acertar a portaria. Rodrigão, aos 12min, da entrada da área, e Wagner, aos 14min, se livrou de André Luís e bateu para fora.

A partida ganhou em velocidade a partir dos 20min, com o time de Campinas buscando mais o gol e encontrando espaços na zaga do Santos, que tinha dificuldade em conseguir sair jogando.

E foi assim que, aos 29min, o time campineiro quase abriu o placar. Depois de bobeira de Léo na saída de jogo, Wagner roubou a bola e, já dentro da área, mandou por cima.

Mas aos 31min, a equipe alviverde acertou o alvo. Wagner recebeu lançamento longo e, ainda na intermediária, observou Fábio Costa adiantado. O atacante do Guarani colocou por cobertura e marcou um golaço, abrindo o placar para o time de Campinas.

O Santos quase chegou ao empate aos 36min. Diego cobrou falta da direita, Nenê subiu livre de cabeça e tocou com violência na bola. Jean fez bela defesa e espalmou para escanteio.

O Santos voltou melhor para o segundo tempo e foi beneficiado com a expulsão de Emerson, logo aos 7min. O volante do Guarani recebeu cartão amarelo aos 5min e, dois minutos depois, fez falta por trás em Léo e acabou deixando sua equipe com 10 jogadores.

Mesmo com um jogador a mais, o Santos passou a dominar, mas encontrava dificuldades em chegar ao ataque e finalizar com perigo. Aos 8min, Douglas tentou de cabeça, mas Jean fez defesa fácil no meio do gol. Léo, aos 10min, arriscou de fora da área, mas o goleiro alviverde fez outra boa defesa.

Aos 22min, o time santista perdeu grande oportunidade de empatar. Depois de boa troca de passes, a bola chegou para Nenê, na risca da pequena área. O atacante chutou rasteiro, mas Jean operou um milagre e salvou o Guarani.

Dois minutos depois, Nenê cruzou rasteiro e Bruno Quadros tentou afastar, mas acertou as pernas de Paulão. A bola ia entrando no gol, mas o goleiro bugrino teve reflexo e fez mais uma boa defesa.

Aos 30min, o Santos chegou ao empate. Reginaldo Araújo ganhou dividida na direita e a bola sobrou para Elano, dentro da área. O meia bateu para o gol, a bola explodiu na zaga e subiu. Douglas cabeceou para o chão e colocou no canto direito, matando o goleiro Jean.

A torcida santista ainda comemorava quando o time alvinegro fez o segundo. Depois de bate-rebate, a bola sobrou para Rubens Cardoso, que cruzou rasteiro. Elano chutou para o gol e acertou o travessão. A bola voltou em cima de Elano e, com Jean caído, foi para o gol vazio.

Depois do gol, o Guarani ainda tentou o empate, mas o Santos continuava melhor em campo. Nos minutos finais, o time santista administrou bem a vantagem e garantiu importante vitória fora de casa.

Santos 4 x 0 Fortaleza

Data: 27/04/2003, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.280 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Auxiliares: Villi Tissot (RS) e Paulo Ricardo Conceição (RS)
Cartões amarelos: André Luís, Diego, Robinho (S); Dude e Dino (F).
Cartão vermelho: Ricardo Oliveira (S) e Erandir (F).
Gols: Renato (35-1); Nenê (06-2), Douglas (36-2) e Renato (41-2).

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo, Alex (Preto), André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Diego (Alexandre) e Nenê; Robinho (Douglas) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Emerson Leão

FORTALEZA
Jefferson; Erandir, Marcio Geovanini, Ronaldo Angelim e Sérgio; Dude (Dino), Wendell, Alysson (Wesley) e Marcos Paulo; Clodoaldo e Fabrício (Macedo).
Técnico: Ferdinando Teixeira



Santos faz 4 a 0 no Fortaleza pelo Brasileirão

Empolgado pelas convocações de Diego e Robinho para a Seleção Brasileira e pela presença de Pelé na Vila Belmiro, o Santos chegou a mais uma vitória no Brasileirão. Jogando em casa, a equipe goleou o Fortaleza por 4 a 0 e continua entre os líderes do torneio, agora na quarta colocação, com 11 pontos.

O grande destaque do jogo foi o volante Renato, que marcou dois gols. O Santos voltou a apresentar um futebol envolvente, com toque de bola. Mesmo com a boa apresentação do Fortaleza, a equipe soube se defender e chegar aos gols.

Como todo time em boa fase, o Santos contou ainda com um pouco de sorte. Com 2 a 0 no placar, o Fortaleza teve um pênalti a seu favor, mas chutou a bola na trave.

Até mesmo os reservas Alexandre e Douglas, que entraram no final do jogo em substituição a Diego e Robinho, deram conta do recado. Douglas, inclusive, fez o terceiro gol da equipe na partida.

O time, entretanto, tem dois desfalques importantes para o seu próximo compromisso no Brasileirão, no domingo, contra o Criciúma, em Santa Catarina. Diego, que levou seu terceiro amarelo, e Ricardo Oliveira, expulso, não jogam.

O Fortaleza entra em campo novamente no domingo, pela sétima rodada do torneio, quando recebe o Corinthians em casa.

O jogo

Logo aos 2min, Reginaldo Araújo recebeu bola da defesa do Fortaleza e partiu para a área do time cearense. Com o espaço aberto, o lateral arriscou com chute forte da intermediária, mas o goleiro Jefferson defendeu.

O Santos atacava mais e deixava espaços para os contra-golpes do Fortaleza. Aos 11min, numa das poucas descidas do time cearense, Clodoaldo arriscou de fora da área. A bola passou à direita de Fábio Costa.

Na sequência, Robinho recebeu a bola e chutou de perna esquerda, de fora da área. O goleiro da equipe cearense espalmou para fora da área.

Mas a melhor oportunidade foi do Fortaleza. A equipe desperdiçou uma chance incrível aos 14min. Após contra-ataque, a defesa santista falhou e o time do Ceará teve dois lances seguidos para abrir o placar.

No primeiro chute, Reginaldo Araújo, caído, evitou o gol do atacante do time cearense. Na sequência, Fabrício perdeu gol em cima da linha ao pegar embaixo da bola, que subiu muito e bateu na trave superior.

O Fortaleza melhorou no jogo e passou a pressionar o time santista. O Santos não conseguia se acertar em campo e tinha dificuldade em penetrar na área adversária.

Aos 25min, porém, Robinho fez boa jogada pela direita e tocou para Diego, que chutou para a boa defesa de Jefferson.

O goleiro do Fortaleza voltou a salvar seu time aos 30min, após cobrança de falta de Ricardo Oliveira da entrada da área. Jefferson espalmou para escanteio. Na sequência, Renato, de frente para o gol, não alcançou cruzamento de Diego.

O Santos havia voltado a dominar o jogo. Sem epaço para jogar, o Fortaleza apenas se defendia. Em uma das muitas cobranças de escanteio a seu favor, a equipe santista fez o primeiro gol, aos 35min. Após cobrança de Diego pela esquerda, Renato subiu mais do que a defesa cearense e abriu o marcador.

Fábio Costa evitou o gol de empate do Fortaleza aos 41min. Alysson deixou Marcos Paulo na cara do goleiro santista, que saiu bem para fechar o ângulo do atacante da equipe cearense. Foi a última boa oportunidade da primeira etapa.

O Santos voltou para a etapa final em busca do segundo gol. Aos 2min, Ricardo Oliveira tocou de calcanhar para Diego, que chutou forte para a defesa de Jefferson.

Num ataque rápido da equipe santista, aos 5min, Robinho recebeu a bola pela esquerda e chutou longe da meta do gol cearense. Um minuto depois, o Santos conseguiu ampliar a vantagem.

Nenê, que ganhou a vaga no time titular em lugar de Elano, que cumpria suspensão, arrancou pela esquerda, driblou Erandir e chutou forte, sem chance para Jefferson: 2 a 0.

Aos 10min, Clodoaldo entrou na área santista e foi derrubado por Nenê. Wesley, que havia entrado no lugar de Alysson, chutou na trave.

Aos 16min, Diego quase ampliou para o Santos, após ver o goleiro Jefferson adiantado. Mas o camisa 1 do Fortaleza ainda conseguiu mandar a bola para escanteio.

Aos 18min, Marcos Paulo entrou na área e chutou forte para a defesa de Fábio Costa. Três minutos depois, Erandir faz falta violenta em Robinho e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso.

Diego perdeu a chance de aumentar a diferença santista ao tentar fazer um golaço, aos 24min. Na frente do defensor da equipe cearense, ele levantou a bola e tentou encobrir Jefferson. A bola, entretanto, foi muito fraca e ficou fácil para a defesa do goleiro do Fortaleza.

A fim de poupar a dupla Diego e Robinho, que iria viajar com a delegação da Seleção Brasileira para o amistoso na quarta-feira, contra o México, após o jogo, o treinador Emerson Leão colocou Douglas e Alexandre, aos 28min.

O goleiro Jefferson evitou mais um gol santista aos 31min, após Paulo Almeida acertar um chute forte de fora da área. No rebote, Ricardo Oliveira ficou com a bola e simulou pênalti: cartão amarelo. Um minuto depois, o atacante fez falta sem necessidade no defensor do time cearense e foi expulso.

Aos 36min, em mais uma bola parada, Nenê cobrou escanteio e Douglas, de cabeça, fez o terceiro gol do Santos na partida.

O quarto gol foi questão de tempo. Aos 41min, após boa troca de passe entre Nenê, Léo e Paulo Almeida, o lateral-esquerdo Léo recebeu bola em posição irregular e cruzou para a área. Renato apareceu para fazer seu segundo gol no jogo, ampliar a vantagem santista e dar números finais à partida.