Navegando Posts marcados como Douglas

Santos 3 x 0 Figueirense

Data: 21/08/2002, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.132 pagantes
Renda: R$ 46.040,00
Árbitro: Valdomiro Matias da Silva (PE)
Cartões amarelos: Paulo Almeida (S); Marcinho, Carlinhos, Adriano e André Luís (F)
Gols: Léo (41-1); Renato (02-2) e Douglas (41-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Maurinho, Preto, Bernardi e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Willian) e Diego (Wellington); Robinho e Alberto (Douglas).
Técnico: Emerson Leão

FIGUEIRENSE
Gustavo; Márcio Goiano, Carlinhos (Fernandes) e André Luis; Adriano, Marcinho, Marcelinho (Simplício), William e Paulo Sérgio; Mendes e Edu Manga (Selmir).
Técnico: Roberval Davino



Santos vence o Figueirense por 3 a 0 na Vila Belmiro

Os jovens jogadores do Santos mantiveram os nervos sob controle, dominaram inteiramente a partida e se reabilitaram da derrota para o Juventude (2 a 1) com um triunfo por 3 a 0 sobre o Figueirense, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro.

Com lances de efeito e dribles desconcertantes, os meias-atacantes Diego, 17, e Robinho, 18, destaques do jogo, fizeram vibrar os torcedores santistas, que ovacionaram a equipe ao final da partida.

A vitória foi a segunda consecutiva na Vila Belmiro -na estréia no Brasileiro, o time superou o Botafogo-RJ por 2 a 1.

No início, devido aos erros de passe e de finalização, o Santos teve dificuldades para transformar em gols sua predominância. A equipe criou pelo menos cinco oportunidades na primeira etapa, mas, em todas, as falhas de conclusão impediram a abertura do placar.

As melhores jogadas resultavam dos lances individuais de Robinho e Diego -o primeiro, responsável pela articulação das jogadas ofensivas pelo lado esquerdo e o segundo, pelo meio.

De posse da bola, os dois jogadores frequentemente partiam sobre os marcadores para tentar o drible. Quando não eram parados com faltas, produziam os lances mais perigosos do Santos.

Em um deles, aos 24min, Robinho enganou a defesa do Figueirense com um lance de habilidade e rolou levemente a bola para Leo penetrar na área e chutar em cima do goleiro Gustavo. Aos 27min, após iniciar uma tabela de calcanhar com Robinho, Diego chutou forte, por cima do travessão.

O Santos ainda explorava as opções de jogada pela ala direita, por meio do lateral Maurinho, que ganhava a maioria dos lances sobre seu marcador e fazia cruzamentos perigosos na área adversária.

No melhor desses lances, o lateral arrancou do meio do campo, passou por dois marcadores, cruzou, mas Robinho concluiu de primeira para fora.

Retraído em seu campo, o Figueirense sequer conseguia contra-atacar. O primeiro chute a gol da equipe catarinense só aconteceu aos 33min, mas o goleiro Júlio Sérgio neutralizou.

A insistência do Santos deu resultado somente aos 42min, em outra jogada individual de Diego. Ele lançou Elano por cima da zaga. O meia invadiu a área e chutou no travessão. No rebote, de cabeça, Leo fez o gol.

No segundo tempo, devido à desvantagem, o técnico do Figueirense, Roberval Davino, arriscou trocar o esquema 3-5-2 pelo 4-4-2, a fim de tornar o time mais ofensivo.

Para isso, ele fez duas substituições no intervalo, numa das quais sacou o veterano Edu Manga, que estreou, mas se movimentou pouco e não conseguiu criar jogadas.

No entanto, não houve tempo para reação. Logo aos 2min, de fora da área, Renatinho acertou um chute forte no canto direito e fez 2 a 0.

Com o resultado, o Santos diminuiu o ritmo, mas mesmo assim manteve o domínio do jogo. Aos 21min, o técnico Emerson Leão trocou o meia Elano pelo atacante William, a fim de forçar o terceiro gol.

Com a substituição, o Santos passou a ter dois jogadores altos -Alberto e William- na área adversária. O terceiro gol, porém, só saiu aos 41min, por intermédio de Douglas, que havia entrado minutos antes no lugar de Alberto. Livre de marcação, ele completou para o gol após jogada individual de Robinho pela esquerda.

Data: 30/03/2002
Competição: Torneio Rio SP
Local: estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público e Renda: N/D
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Gol: Douglas (05-1) e Romário (45-2).
Cartões amarelos: Donizete e Euller (V); André Luís, Michel, Odvan, Douglas e Diego (S).
Cartões vermelhos: Robert (S) e Alex Oliveira (V)

VASCO
Hélton ; Leonardo, João Carlos e Alex Oliveira; Jamir (Rodrigo), Donizete Oliveira (Ely Thadeu), André Leone, Léo Lima (André) e Felipe; Euller e Romário
Técnico: Evaristo de Macedo

SANTOS
Fábio Costa; Odvan, Preto e André Luís; Michel (Esquerdinha), Marcelo Silva, Renato, Diego (Paulo Almeida) e Léo ; Douglas (William) e Robert
Técnico: Celso Roth



Romário salva Vasco da derrota para o Santos ao marcar no final

No último minuto, Romário salvou o Vasco de uma derrota para o Santos em pleno São Januário, no Rio. Sob um calor de 35ºC, os dois times empataram em 1 a 1, gols de Douglas, logo aos cinco minutos do primeiro tempo, e de Romário, aos 45min do segundo, pelo torneio Rio-São Paulo.

Com o empate, o time santista passa a somar 19 pontos ganhos, chegando à nona colocação na classificação, mas reduzindo muito suas chances de ir à semifinal. O Vasco, que não vence há cinco jogos, agora tem 21 e ainda na briga por uma das quatro vagas.

Devido ao forte calor, os dois times iniciaram a etapa inicial procurando tocar a bola e cadenciando o ritmo da partida. O Santos teve apenas duas chances no primeiro tempo. Em uma delas, conseguiu marcar. Michel desceu pela direita e cruzou na medida para a conclusão de primeira de Douglas.

O Vasco, por sua vez, só teve uma boa oportunidade. Aos 10min, Léo Lima recebeu de Felipe, driblou seu marcador na área e soltou uma bomba, que explodiu no travessão e saiu pela linha de fundo.

No início da etapa complementar, os paulistas perderam o meia e atacante Robert, que fez duas faltas violentas seguidas e acabou expulso de campo. Em vantagem numérica, a equipe vascaína pressionou em busca do empate, mas sem muita objetividade.

Romário, João Carlos e André, que entrou no segundo tempo, desperdiçaram as melhores chances para empatar. Aos 30min, no entanto, o time de São Januário também perdeu um jogador expulso -Alex Oliveira deu pontapé em Michel e recebeu corretamente o vermelho.

A partir daí, a partida voltou a ficar equilibrada. No lance mais emocionante, William arrancou de sua intermediária defensiva, ganhou na corrida de um marcador e, ao tentar o drible no goleiro vascaíno, permitiu que a bola ficasse com Hélton.

No último minuto, Romário empatou em um lance de sorte e oportunismo. Euller escapou pela esquerda e cruzou rasteiro. Fábio Costa, ao tentar cortar, desviou fraco para a pequena área e o artilheiro vascaíno, que não marcava há dois jogos, tocou para o gol escancarado.

All Star Chicago 1 x 5 Santos

Data: 04/08/1971, quarta-feira.
Competição: Amistoso
Local: Soldier Field, em Chicago, EUA.
Público: 13.675
Renda: Cr$ 350.675,00
Árbitro: Myat Samardjic
Gols: Pelé (11-1), Douglas (14-1), Léo Oliveira (27-1); Pelé (02-2) e Jader (41-2) – Sean Tracy.

All Star Chicago (NASL)
Foltyn (Roy); Balys, Mastronicolas, Kawulla e Baczyaski; Ivezic e Crisopuli; Getzinger, Gouskos, Tracy e Piecyk.
Técnico:

SANTOS
Cejas (Joel Mendes); Orlando Lelé (Lima), Oberdan, Marçal e Turcão (Rildo); Léo Oliveira e Dicá (Fito); Jader, Douglas (Mazinho), Pelé (Davi) e Edu.
Técnico: Mauro Ramos



Créditos:
Vídeo: Wesley Miranda

Santos 4 x 0 Bolívar

Data: 16/01/1971, sábado.
Competição: Amistoso
Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz, Bolívia.
Público: 20.000 pessoas
Árbitro: Oscar Ortube
Gols: Pelé (20-2), Pelé (26-2), Douglas (31-2) e Edu (35-2).

BOLÍVAR
Calarza; Cayo, Jujuan, Achi e Gojas; Costa e Rada (Raez); Blacutt, Gonzales, Coutinho (Garay) e Gomes.
Técnico:

SANTOS
Cejas (Edevar); Lima, Ramos Delgado (Paulo), Orlando Lelé (Oberdan) e Rildo (Turcão); Léo Oliveira (Marçal) e Nenê; Arlem (Abel), Picolé (Douglas), Pelé e Edu.
Técnico: Antoninho



Fontes:
– Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/1971/01/18/2/4628501
– Almanaque do Santos FC

Guarani 2 x 5 Santos

Data: 19/07/1970, domingo.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, SP.
Público: 17.130
Renda: Cr$ 85.499,00
Árbitro: Alberto Zanferrari
Cartão vermelho: Joel Camargo (S).
Gols: Pelé (11-1, de pênalti), Pelé (12-1), Vanderlei (39-1); Lima (06-2), Douglas (09-2), Ladeira (17-2) e Edu (20-2).

GUARANI
Tobias; Wilson, Cidinho (Guassi), Tininho e Ferrari; Hélio e Milton; Vagner, Ladeira, Vanderlei e Caravetti.
Técnico: Armando Renganeschi

SANTOS
Edevar; Carlos Alberto, Djalma Dias, Joel Camargo e Rildo; Lima e Léo Oliveira (Negreiros); Manoel Maria, Douglas (Abel), Pelé e Edu.
Técnico: Antoninho



Fonte: Jornal Folha de SP – http://acervo.folha.com.br/fsp/1970/07/20/2//4351188