Navegando Posts marcados como Eduardo Sasha

Santos 1 x 0 Corinthians

Data: 12/06/2019, quarta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.831 pagantes
Renda: R$ 438.955,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Carlos Berkenbrock (SC).
VAR: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Cartões amarelos: Felipe Aguilar, Eduardo Sasha, Gustavo Henrique e Victor Ferraz (S); Danilo Avelar, Bruno Méndez, Clayson e Fabio Carille (C).
Gol: Eduardo Sasha (13-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Carlos Sánchez), Diego Pituca e Jean Lucas (Felipe Jonatan); Marinho (Luiz Felipe), Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli

CORINTHIANS
Walter; Bruno Méndez, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Júnior Urso (Sornoza); Ramiro (Gustagol), Jadson (Everaldo) e Clayson; Vagner Love.
Técnico: Fábio Carille



Artilheiro Sasha decide, Santos vence o Corinthians na Vila e pula para 1º

O Santos venceu o Corinthians por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi de Eduardo Sasha, artilheiro da competição com cinco marcados.

O Peixe foi melhor durante quase todo o tempo e pecava na finalização. O gol de Sasha começou em boa jogada de Pituca e Soteldo e terminou com furada de Jorge que virou “assistência”.

Com a vitória, o Alvinegro foi a 20 pontos e assumiu a liderança provisória do Campeonato Brasileiro. O Palmeiras, com 19, enfrentará o Avaí nessa quinta-feira. O Corinthians seguiu em 10º, com 12.

O Campeonato Brasileiro só será retomado no dia 14 de julho, por causa da pausa para a Copa América. O Santos terá folga de 11 dias e voltará a treinar em 24 de junho. O Corinthians treinará nesta quinta.

O jogo

Diferentemente do habitual, o Santos teve as linhas baixas no início do jogo. O Corinthians ficava mais com a bola e o Peixe oferecia perigo nas escapadas de Diego Pituca e Jean Lucas.

O Alvinegro teve boas oportunidades, mas nenhuma clara. Finalizações de Jean Lucas e Marinho fora da área, chute travado de Eduardo Sasha… Enquanto isso, o Timão não finalizou uma vez sequer.

Nos minutos finais, o Santos melhorou ainda mais quando adiantou o time e passou a pressionar os zagueiros do Corinthians. O Peixe, porém, não aproveitou a “blitz” dos últimos lances antes do intervalo, momento de homenagem para Rodrygo, com vídeo no telão de ex-companheiros, Elano e Robinho. O atacante atuará pelo Real Madrid no segundo semestre.

Aos 10 minutos, Soteldo chutou, a bola bateu em Henrique e resvalou na barriga de Manoel dentro da área. O árbitro acionou o VAR e, corretamente, não marcou pênalti. Na sequência, Soteldo cruzou, Marinho cabeceou para o meio e Ralf tirou.

E no minuto 13, o Corinthians não pôde mais resistir. Marinho tocou para Pituca, a bola passou por Jorge e Soteldo cruzou. Jorge não dominou e a bola sobrou limpa para Eduardo Sasha, de canhota, deixar Walter parado e balançar as redes. O lance do gol santista ocorreu quando Ralf estava fora do campo, atendido pelo departamento médico após pancada de Jean Lucas.

O jogo perdeu em emoção depois do gol do Santos e o Corinthians só criou algo aos 32 minutos, quando Clayson teve falta frontal, na meia-lua, e chutou para fora. Nos minutos finais, o Peixe soube se defender, ainda teve bola na trave de Eduardo Sasha e garantiu a vitória e a liderança provisória do Brasileirão.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli exalta a Vila e diz que Santos foi “muito superior” ao Corinthians

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, exaltou a Vila Belmiro e a superioridade na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro.

O treinador diz que atuações assim atraem o torcedor e classificou a Vila como “cômoda”. O objetivo é atuar como em Santos em qualquer estádio.

“Ganhamos a partida sendo muito superiores ao Corinthians. Quando jogamos dessa forma, certamente vamos atrair mais gente do que jogando de outra maneira”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Imbatível não. Simplesmente digo que temos que aprender a jogar assim em todos os estádios ou fora de casa. Não podemos perder esse desfrute. Ganhando ou não, há uma comodidade na nossa casa, sem viajar e concentração. Essa comodidade não tem preço. Santos tem que deixar essa imagem onde jogue. Trabalhamos para isso”, completou.

Líder momentâneo do Campeonato Brasileiro, o Santos voltará a campo só no dia 14 de julho, para enfrentar o Bahia pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O elenco terá 11 dias de folga e se reapresentará em 24 de junho para a intertemporada.

Sampaoli minimiza jogo a menos do Palmeiras e diz que nunca imaginou o Santos líder

O técnico Jorge Sampaoli disse que nunca imaginou ver o Santos líder do Campeonato Brasileiro. Com a vitória sobre o Corinthians, o Peixe assumiu a ponta e espera por um tropeço do Palmeiras diante do Avaí nesta quinta-feira, na arena.

Sampaoli minimizou a vantagem do Palmeiras de jogar em casa e valorizou dormir na primeira colocação da competição.

“Palmeiras tem muita força, ainda mais de mandante, mas vamos dormir como líderes. Nunca pensei nisso, é um dos campeonatos mais difíceis do mundo”, disse Sampaoli.

O elenco agora terá 11 dias de folga e voltará a treinar em 24 de junho. O Peixe voltará a jogar diante do Bahia, apenas no dia 24 de julho, pela 10ª rodada do Brasileirão.

“Sobre o descanso, é necessário para voltar a focar. Jogadores têm direito de poder descansar, ainda mais com a Copa América. Descanso para nós nos faz voltar com força, trabalhando em vários turnos. Importante o jogador chegar com stress mais baixo que agora”, afirmou o técnico.

Sasha celebra artilharia do Brasileiro e “volta por cima” no Santos

O atacante Eduardo Sasha, do Santos, decidiu o clássico com o Corinthians marcando o gol da vitória por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado faz o Peixe assumir a liderança da competição de forma provisória, com 20 pontos, um a mais que o Palmeiras, que joga nesta quinta, contra o Avaí, no Allianz Parque.

“A gente vem em uma sequência boa no Brasileiro. Voltamos para a casa, com o estádio lotado, e isso faz a diferença. O time está todo de parabéns”, celebrou Sasha, em entrevista ao canal Premiere.

Ao balançar as redes corintianas aos 13 minutos do segundo tempo, Sasha se manteve na artilharia do Brasileirão, agora com cinco gols, empatado com Gabriel, do Flamengo. Depois de quase deixar o Santos no começo do ano, o atacante comemora o bom momento.

“Quando aconteceu isso, eu vi que era mais um desafio para mim, entre outros que tive na carreira. Estou feliz por essa volta por cima e por ter terminado esse momento antes do descanso com o time brigando pelas primeiras colocações”, comemorou.

Sampaoli chama Vanderlei de “incrível” e explica opção por Everson no Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, optou por Everson como goleiro titular na reta final do primeiro semestre. Depois da vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, na última quarta-feira, ele explicou a decisão.

Após o rodízio entre Campeonato Paulista e Copa do Brasil, Sampaoli quer um goleiro definitivo no Campeonato Brasileiro. E, pelo jeito, Vanderlei continuará no banco de reservas.

“A decisão técnica tem a ver com o desenrolar do jogo. Iniciar bem para terminar bem. Everson nos deu um pouco mais de decisão como jogador. Como goleiro Vanderlei segue incrível, mas para o funcionamento do jogo escolhemos Everson por agora por fazer a gente jogar de trás”, disse Sampaoli.

Os números dos goleiros são equilibrados. O diferencial de Everson é ter a bola nos pés naturalmente, enquanto Vanderlei não estava acostumado a repor rápido, arriscar lançamentos e atuar como um líbero na defesa.

Vanderlei fez seis jogos no Brasileirão e pode ser negociado com outra equipe da Série A. A princípio, porém, a ideia é ficar. Flamengo, Grêmio e São Paulo procuraram o goleiro em 2018.

Corinthians finaliza só uma vez e é massacrado pelo Santos nos números

O filme foi o mesmo do jogo de volta da semifinal do Campeonato Paulista, só que desta vez a partida era válida pelo Brasileirão 2019. O Santos dominou completamente o Corinthians na vitória por 1 a 0 da noite desta quarta-feira na Vila Belmiro. As estatísticas foram totalmente favoráveis ao time da Baixada.

As finalizações provam a superioridade santista. Foram 11 finalizações da equipe de Jorge Sampaoli, sendo que 5 delas foram na direção da meta do goleiro Walter. O Corinthians teve 1 arremate no jogo, sendo que não foi no alvo.

Na posse de bola, domínio do Santos por 53% a 47%. Substituto de Cássio, o goleiro Walter fez três intervenções decisivas durante o jogo, evitando uma diferença maior em favor dos donos da casa.

Santos tem suas melhores nove rodadas do Brasileirão de pontos corridos

O Santos teve em 2019 as melhores nove rodadas de Campeonato Brasileiro desde 2003, quando foi iniciada a era dos pontos corridos no Brasil.

O Peixe soma 20 pontos e está na liderança momentânea do Brasileirão. O Palmeiras enfrenta o Avaí nesta quinta-feira, em São Paulo, e pode retomar a primeira colocação.

O Alvinegro fez 17 pontos em 2006 e 2007. No ano passado, por exemplo, os santistas computaram 10 pontos, 10 a menos que nessa edição.

O bom início surpreendeu o técnico Jorge Sampaoli. Ele não imaginava o primeiro lugar.

“Palmeiras tem muita força, ainda mais de mandante, mas vamos dormir como líderes. Nunca pensei nisso, é um dos campeonatos mais difíceis do mundo”, disse Sampaoli.

Veja o desempenho nas nove primeiras rodadas desde 2003:

2003 = 15 pontos
2004 = 10 pontos
2005 = 17 pontos
2006 = 17 pontos
2007 = 8 pontos
2008 = 6 pontos
2009 = 13 pontos
2010 = 12 pontos
2011 = 12 pontos
2012 = 9 pontos
2013 = 12 pontos
2014 = 14 pontos
2015 = 10 pontos
2016 = 13 pontos
2017 = 16 pontos
2018 = 10 pontos
2019 = 20 pontos

Sampaoli explica nenhuma chance a Jobson em quase dois meses

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, explicou na noite da última quarta-feira a falta de chances para Jobson, destaque do Campeonato Paulista pelo Red Bull.

O volante foi anunciado em 16 de abril e não jogou um minuto sequer pelo elenco profissional. A “estreia” ocorreu em vitória por 3 a 1 sobre o Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro de Aspirantes, em 30 de maio.

“Chegou há pouco tempo, de equipe do Campeonato Paulista e outros têm mais trabalho de jogo. É bom jogador, tem bom passe, mas para entender o jogo ainda custa. Chegou há pouco tempo. Entendimento tem a ver com o tempo”, disse Sampaoli.

Jobson deve ter mais chances no segundo semestre. O meio-campista terá tempo de treinamentos até a próxima partida, em 14 de julho, contra o Bahia, em Salvador, pela 10ª rodada do Brasileirão e depois da pausa da Copa América.

Jobson tem 23 anos e foi contratado por R$ 4 milhões. O contrato vai até 2024.


Santos 3 x 1 Atlético-MG

Data: 09/06/2019, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.794 pagantes
Renda: R$ 199.730,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA).
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e (PA).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Jorge Sampaoli e Lucas Veríssimo (S); Fábio Santos e José Welison (A).
Gols: Eduardo Sasha (38-1), Jean Mota (49-1, de pênalti); Alerrandro (25-2) e Carlos Sánchez (36-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Aguilar, Lucas Veríssimo e Jorge; Diego Pituca, Jean Lucas e Jean Mota (Felipe Jonatan); Marinho (Carlos Sánchez), Soteldo e Eduardo Sasha (Uribe).
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO-MG
Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Nathan), Elias, Cazares e Luan; Chará (Geuvânio) e Ricardo Oliveira (Alerrandro).
Técnico: Rodrigo Santana



Após protesto, Santos bate Atlético e assume vice-liderança do Brasileiro

A torcida cobrou, e o time atendeu. Após protesto na Vila Belmiro e a exigência pelo título do Campeonato Brasileiro, o Santos tratou de dominar e vencer o Atlético-MG por 3 a 1, na noite deste domingo, em duelo válido pela oitava rodada da competição nacional. Eduardo Sasha, Jean Mota e Carlos Sánchez marcaram para o Peixe, enquanto Alerrandro descontou para o Galo.

Com a vitória, além de dar o troco ao Atlético pela eliminação na Copa do Brasil, o Santos assume a vice-liderança do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem o triunfo sobre o Botafogo em julgamento. O clube mineiro, por sua vez, cai para o terceiro lugar, com 15 pontos.

O jogo

O primeiro tempo foi de um time só. Empurrado e cobrado por sua torcida, o Santos começou ligado desde o primeiro minuto, quando Jorge cruzou na área para Jean Lucas bater forte e exigir boa defesa de Victor. No rebote, Soteldo mandou para fora.

O time de Sampaoli não deixava o rival jogar. Após boa triangulação entre Marinho, Sasha e Victor Ferraz, o mais novo reforço soltou a bomba de longe e acertou o poste de Victor. Aos 17, Jean Mota bateu falta e quase encobriu o goleiro atleticano, que se recuperou a tempo de mandar para escanteio.

Justamente quando havia diminuído seu ritmo, o Peixe abriu o placar. Aos 38, Jean Mota cobrou falta na área do Galo, e Sasha, de costas para o gol, desviou de cabeça. A bola foi no canto direito de Victor, que não alcançou. Havia tempo para mais um antes do intervalo. Aos 49, Jean Mota converteu pênalti flagrado pelo VAR, após Fábio Santos tocar a bola com o braço dentro da área.

Após não finalizar nem uma vez sequer no gol de Everson na primeira etapa, o Atlético enfim levou perigo o Peixe. Aos cinco minutos do segundo tempo, Luan avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Patric, que viu Soteldo fazer o corte. O Santos respondeu de imediato: Sasha recebeu do venezuelano e ficou frente a frente com Victor, mas mandou para fora.

Aos 13, Éverton operou um milagre para evitar a lei do ex: após cruzamento da esquerda, Ricardo Oliveira subiu livre na área do Santos e testou firme para ótima defesa do arqueiro. O Santos quase ampliou aos 24 minutos, quando Jean Lucas tocou de cavadinha para Jean Mota invadir a área, tirar de Victor e chutar na trave.

Como quem não faz toma, o Atlético tratou de diminuir o seu prejuízo. No lance seguinte ao gol perdido por Jean Mota, Alerrandro entrou nas costas de Lucas Veríssimo e bateu cruzado, sem chances para Everson. Mas, quando o Galo mais pressionava em busca do empate, Carlos Sánchez marcou um golaço em cobrança de falta frontal, dando números finais à partida e amenizando a bronca da torcida.

Ferraz celebra vitória após eliminação e avisa: “A casa do Santos é a Vila”

O Santos conseguiu uma breve recuperação da eliminação da Copa do Brasil na noite deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro. Diante do mesmo Atlético-MG, que três dias antes ganhara a partida no Pacaembu, o Peixe, do lateral direito Victor Ferraz, conseguiu uma vitória por 3 a 1. O triunfo foi motivo de celebração e exaltação do local do jogo, uma das mudanças com relação ao meio da semana.

“Acho que somos os vice-líderes momentâneos, temos mais uma partida em casa para seguir. Muitas das vezes as coisas que eu falo viram um “mimimi” muito grande. Essa é uma opinião minha. Mas eu adoro jogar na Vila, a casa do Santos é a Vila Belmiro”, comentou o defensor.

O tema rendeu certa polêmica após mais uma eliminação do Peixe jogando na capital paulista, dessa vez no mata-mata nacional. Antes de sucumbir diante do Galo, o Santos já havia sido eliminado pelo River-URU, na primeira fase da Copa Sul-Americana, e pelo rival Corinthians, na semifinal do Campeonato Paulista.

O técnico Jorge Sampaoli foi um defensor de jogar mais em Santos, enquanto o presidente José Carlos Peres defendeu a medida de mais jogos no Pacaembu. “A gente conseguiu recuperar rápido, nós somos profissionais e nós temos que nos acostumar tanto com críticas quanto com elogio. Merecemos as críticas porque fomos eliminados mais uma vez não dentro da nossa casa, mas dentro do nosso domínio”, observou Ferraz, antes de sentenciar.

“Gosto de jogar no Pacaembu, a nossa torcida vai em massa lá. Mas a casa do Santos é a Vila”, concluiu o atleta, um dos grandes líderes do elenco santista.

Com a vitória, além de dar o troco ao Atlético pela eliminação na Copa do Brasil, o Santos assume a vice-liderança do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem o triunfo sobre o Botafogo em julgamento.

“Vai ser difícil de alcançar o Palmeiras”, diz Sampaoli, do Santos

Mesmo com a boa vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o técnico Jorge Sampaoli admitiu que será muito difícil para o Santos alcançar o Palmeiras na liderança do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado da noite deste domingo, conquistado na Vila Belmiro, o Santos assumiu o segundo lugar do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o rival alviverde – que ainda tem os três pontos da vitória sobre o Botafogo em julgamento.

“Muito difícil. Não é impossível porque há ainda muito tempo. Cruzeiro e Grêmio não estão em bom momento, mas vão se recuperar. Palmeiras vem em um bom ritmo e vai ser muito difícil de alcançar”, avaliou o argentino, em entrevista coletiva.

“Estamos muito atrás. Lamento dizer que não vejo facilidade. Aguentar um torneio tão longo e exigente tem que ter um plantel convencido da ideia”, concluiu.

Sampaoli critica protesto da torcida do Santos: “Parece injusto”

Apesar da vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o técnico do Santos, Jorge Sampaoli, foi de semblante fechado para a entrevista coletiva após o duelo deste domingo, na Vila Belmiro. O que fez o treinador sair do sério foi comentar os protestos realizados pela torcida do Peixe antes, durante e após o confronto válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

“Eu vim aqui ao futebol brasileiro para tentar mostrar minha forma de jogar. Não se pode jogar com pressão ou trocar a realidade estabelecida. Temos uma equipe extremamente jovem. Se as pessoas não têm paciência, que se termine”, esbravejou o argentino.

Após o apito final, a Torcida Jovem exigiu a vitória no clássico contra o Corinthians: “Se quarta-feira não ganhar, olê olê olá, o pau vai quebrar”. O tom da cobrança não agradou Sampaoli, ciente das críticas que a equipe sofreu após a eliminação para o Galo na Copa do Brasil.

“Não sei como ganhar de qualquer jeito. Só sei ganhar jogando, como foi hoje. No Pacaembu, nós quisemos passar de qualquer jeito. Lamentavelmente a necessidade e a ansiedade atentam contra o jogo. Simples”, disse.

“Se vamos tentar ganhar de qualquer jeito, viremos com revólveres e mataremos os rivais. Santos vai jogar com a mesma dignidade que jogou no Pacaembu, hoje. Tentando jogar com a bola, sem pressão, e com esse caminho vamos. Se a proposta se instala dessa forma (de pressão), não tem sentido eu estar aqui”, acrescentou.

Além de jogar pressão sobre os jogadores, a torcida também fez cobranças à diretoria, especialmente ao presidente José Carlos Peres. Na entrevista, Sampaoli disse não concordar com os protestos, que exigiram a conquista do Brasileirão, e citou a influência política por trás deles.

“O protesto pela falta de empenho dos jogadores me parece injusto. Totalmente. Eles jogam o que podem. O que mais gera entusiasmo nas pessoas é a polêmica. E por esse caminho vamos. Há muita mescla da política no futebol através de grupos políticos dentro de cada clube. Assim fica difícil instalar uma ideia”, lamentou.

Ferraz entende protestos no Santos e aposta em pausa por evolução

Um dos líderes do elenco do Santos, Victor Ferraz disse entender os protestos realizados pela torcida antes, durante e após a vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, no último domingo, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

A torcida, além de criticar a gestão do presidente José Carlos Peres, tratou o título brasileiro como obrigação para o time que foi eliminado das outras competições na temporada – Copa Sul-Americana, Campeonato Paulista e Copa do Brasil.

“Jogamos numa equipe gigante, e quando somos eliminados temos que ser criticados mesmo. Quem não quiser isso, tem que procurar outro clube. Fico muito feliz de jogar com essa camisa, voltar a vencer e ser vice-líder”, afirmou o lateral direito, na saída de campo.

Como disse Ferraz, o Santos assumiu a segunda colocação do Brasileiro após o triunfo sobre o Galo. Agora, o time de Jorge Sampaoli soma 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem a vitória sobre o Botafogo em julgamento.

“Sobre buscar o Palmeiras, temos que fazer nossa parte. Estamos fazendo um grande campeonato. Eles que estão num nível anormal”, explicou o jogador, que vê a pausa para a Copa América como oportunidade de o time se entrosar mais.

“O Santos tem que chegar nas finais de todas as competições, mas temos uma nova filosofia, novos jogadores. No último jogo [derrota para o Atlético na Copa do Brasil], jogamos com Marinho e Uribe, que são caras que mal conheço”, disse.

“Não sei se o Uribe gosta de uma bola em profundidade, se o Marinho bate de perna direita… E jogamos uma decisão dessa forma. Vamos ter a parada da Copa América para conhecer os novos jogadores, para eles conhecerem o estilo do Sampaoli e brigarmos pelo título do Brasileiro”, concluiu.


Ceará 0 x 1 Santos

Data: 02/06/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 7ª rodada
Local: Arena Castelão, em Fortaleza, CE.
Público: 50.809 presentes
Renda: R$ 769.376,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG).
Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira e Ricardo Junio de Souza (ambos de MG).
VAR: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Cartões amarelos: Luiz Otávio e Fernando Sobral (C); Carlos Sánchez (S).
Gol: Eduardo Sasha (06-2).

CEARÁ
Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e Jean Lucas; Fabinho, Pedro Ken (Felipe Baixola), Fernando Sobral e Thiago Galhardo; Leandro Carvalho (Mateus Gonçalves) e Bergson (Ricardo Bueno).
Técnico: Enderson Moreira

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar e Jorge; Carlos Sánchez, Jean Lucas, Jean Mota e Copete (Felipe Jonatan); Eduardo Sasha (Marinho) e Uribe (Alison).
Técnico: Jorge Sampaoli



Sasha ofusca Uribe e faz gol da vitória do Santos contra o Ceará

O Santos venceu o Ceará por 1 a 0 neste domingo, no Estádio Castelão, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, e assumiu a liderança provisória.

Na estreia de Fernando Uribe, o tão sonhado centroavante por Jorge Sampaoli, foi Eduardo Sasha o destaque. O camisa 27 fez o gol da vitória, de cabeça, como um autêntico 9, aos seis minutos do segundo tempo. A alteração no intervalo, de Felipe Jonatan por Copete, foi decisiva para o resultado.

O Peixe foi a 14 pontos e aguarda pelo fechamento da rodada. Palmeiras enfrenta a Chapecoense e Internacional recebe o Avaí. Ambos podem ultrapassar o Alvinegro. O Ceará caiu para 11º, com nove pontos.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Atlético-MG, quinta-feira, no Pacaembu, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Na ida, as equipes empataram por 0 a 0.

O jogo

O primeiro tempo teve 66% de posse de bola para o Santos, mas o Ceará muito mais perigoso, dando trabalho em pelo menos três ocasiões para o goleiro Everson.

O Peixe teve a bola, mas a maioria dos toques foram de lado, sem profundidade. Uribe quase não foi acionado em seu primeiro tempo pelo Alvinegro.

A única chance real santista foi de Sánchez, aos 44. Jean Mota encontrou o uruguaio livre na área, mas, de costas, ele não conseguiu girar e foi interceptado pelo goleiro Diogo.

A etapa final teve um Santos mais incisivo, transformando a posse de bola em perigo ao gol de Diogo. A primeira chance, porém, foi do Ceará. Aos três, Thiago Carvalho cruzou e a bola sobrou para Bergson, com Everson caído. O atacante, porém, chutou torto.

E quando o placar marcava seis minutos jogados, saiu o primeiro gol. E um lindo gol. Jean Mota lançou Felipe Jonatan, o lateral-esquerdo tocou para trás, Sánchez cruzou bem e Eduardo Sasha fez de cabeça.

Aos 11, quase veio o segundo de Sasha. Sánchez lançou Felipe Jonatan, que tocou para trás. Depois do bate-rebate, Sasha bateu cruzado, rente à trave. A arbitragem assinalava falta de Uribe.

No minuto 16, a resposta do Ceará. Victor Ferraz não interceptou lançamento, Everson saiu de cabeça e a bola sobrou para Thiago Galhardo. O meia-atacante bateu bonito, de cobertura, e a bola bateu no travessão.

Aos 28, Sobral cruzou e a bola bateu entre o peito e o ombro de Aguilar. A arbitragem não marcou pênalti, mas acionou o VAR e deixou o jogo seguir.

O Ceará se lançou ao ataque nos minutos finais e deu mais espaço ao Santos. Aos 37, quase que o estreante Marinho marcou logo após entrar na vaga de Sasha. Depois do rebote, o atacante bateu forte, alto, para Diogo Silva espalmar.

Nos últimos instantes, o Santos se resguardou e só deixou Marinho à frente. O ferrolho funcionou e garantiu os três pontos em Fortaleza.

Bastidores – Santos TV:

Grêmio 1 x 2 Santos

Data: 28/04/2019, domingo, 11h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre, RS.
Público: 32.318 pagantes (34.291 presentes)
Renda: R$ 1.371.049,00
Árbitro: Bruno de Araújo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Corrêa (Fifa) e Thiago Henrique Neto (RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda, auxiliado por Marcelo de Lima Henrique e Michael Correia (todos do RJ).
Cartões amarelos: Kanemmann e Maicon (G); Alison, Diego Pituca e Derlis Gonzáles (S).
Cartão vermelho: Derlis Gonzáles (S).
Gols: Eduardo Sasha (05-1); Felipe Jonatan (34-1); Everton (47-2).

GRÊMIO
Paulo Victor; Léo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez, Maicon, Matheus Henrique, Alisson (Diego Tardelli) e Jean Pyerre (Luan), Everton e André.
Técnico: Renato Portaluppi

SANTOS
Vanderlei; Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo; Victor Ferraz, Diego Pituca, Jean Lucas (Carlos Sánchez), Felipe Jonatan; Jean Mota (Alison); Soteldo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Jorge Sampaoli



Vanderlei brilha, Santos vence Grêmio e inicia Brasileiro com pé direito

O Santos derrotou neste domingo o Grêmio por 2 a 1 na Arena pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Usando o esquema 3-5-2, o técnico Jorge Sampaoli impôs muitas dificuldades ao Tricolor Gaúcho, que não soube marcar a boa movimentação de Soteldo e Eduardo Sasha. Apesar das mudanças, o time da casa não teve forças para reagir e parou nas mãos do goleiro Vanderlei. Sasha e Felipe Jonatan fizeram para o Peixe, enquanto Everton descontou para os gaúchos.

O jogo

Antes do jogo uma homenagem do Grêmio ao superintendente do clube, Antônio Carlos Verardi, que faleceu nessa semana. Houve aplausos de pé da torcida gremista ao dirigente que trabalhou por 54 anos no Tricolor Gaúcho.

Um começo de partida muito truncado na Arena. Na sua primeira chegada ao ataque o Peixe surpreendeu os donos da casa, aos 5, o ex-atacante do Internacional, Eduardo Sasha, marcou um lindo gol em uma finalização sem chance para Paulo Victor.

O Peixe teve domínio das ações do jogo e continuou chegando com perigo ao gol de Paulo Victor. Aos 10, Jean Mota arriscou de fora da área e o arqueiro defendeu. Por sua vez, os donos da casa não conseguiram se encontrar em campo. Sasha e Soteldo se movimentaram muito no setor ofensivo e confundiram a marcação gremista.

Na tentativa de buscar o empate, o Tricolor Gaúcho levantou muita bola na área, porém a defesa do Santos se portou bem. Finalmente o Grêmio fez o goleiro Vanderlei trabalhar. Aos 25, Jean Pyerre mandou uma bomba de área e o arqueiro santista faz linda defesa. Dois minutos depois a resposta do Peixe, Soteldo driblou Maicon e finalizou rasteiro. Paulo Victor segurou firme. Aos 29, Léo Gomes chutou na grande área, e Vanderlei defendeu. Felipe Jonatan mandou para escanteio.

Se aproveitando de uma bobeira do sistema defensivo dos mandantes, aos 34, Soteldo cobrou escanteio, Paulo Victor saiu de soco, e Felipe Jonatan pegou o rebote e finalizou para o fundo da rede. O ataque gremista está bem vigiado pelos defensores do Peixe. Aos 44, André marcou para o Grêmio, mas o impedimento foi marcado. Avisado pelo árbitro de vídeo, Bruno Araújo confirmou anulação do gol.

A etapa inicial mostrou um Santos que jogou de forma ofensiva principalmente através de Sasha e Soteldo que deram trabalho a Geromel e Kannemann. O Peixe soube controlar o ímpeto gremista anulando as suas principais jogadas.

Com objetivo de reagir no confronto, o Grêmio avançou a marcação nesse retorno do segundo tempo. Apesar disso, os visitantes se mostram perigosos quando chegam à frente. Aos 06, Felipe Jonatan aproveitou o rebote e mandou uma bomba de fora da área. Paulo Victor defendeu com tranquilidade.

Para ganhar mais força ofensiva o técnico Renato Portaluppi sacou Alisson para a entrada de Diego Tardelli. No contra-ataque, aos 13, Tardelli cobrou escanteio, Jean Pyerre se atrapalhou e Soteldo acionou Jean Lucas que finalizou por cima, perdendo a chance de ampliar.

Liso e rápido, Soteldo levou vantagem pelo direito de defesa do Grêmio. Aos 16, Tardelli finalizou de fora da área e Vanderlei fez ótima defesa. Passado mais de 20 minutos, o Santos conseguiu controlar as ações ofensivas do Grêmio. Aos 26, Luan finalizou da entrada da área e fez ótima intervenção. Renato partiu para o tudo ou nada sacou o lateral-esquerdo Cortez para a entrada do centroavante Felipe Vizeu.

Não conseguindo entrar na área santista, o Tricolor Gaúcho apostou nas cobranças de falta e bola parada. Aos 29, Luan cobrou falta e Vanderlei espalmou. Aos 30, cruzamento na área, Lucas Veríssimo cortou para trás e quase fez contra.

Com espaços generosos no contra-ataque por pouco o Peixe não fez o terceiro, aos 36, Felipe Jonatan recebeu de Alison e finalizou. A bola passou por cima do gol e levou muito perigo para Paulo Victor. Realmente hoje não está sendo o dia do Grêmio, aos 37, Everton finalizou e Vanderlei segurou firme. Aos 38, Felipe Vizeu cabeceou na pequena área, mandou para fora. Aos 39, sensacional o arqueiro do Santos. Três defesas sem sequência nos chutes de Tardelli e André(duas vezes).

Mesmo com a insistência a bola não entrou em favor do Grêmio. Aos 43, André dá uma bicicleta, a bola bateu na trave. Na sequência, Tardelli chutou e Vanderlei defendeu. Assim o Peixe segurou o resultado estreando com pé direito na competição. No apagar das luzes o atacante Everton passou por Gustavo Henrique, finalizou cruzado e bateu sem chance para Vanderlei.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli explica estratégia contra o Grêmio e elogia atuação do Santos

Jorge Sampaoli se mostrou bastante satisfeito com a atuação do Santos na vitória sobre o Grêmio, em Porto Alegre, na estreia do Campeonato Brasileiro. Depois de promover uma mudança no time e entrar em campo com três defensores, o treinador argentino não só elogiou a atuação, principalmente no primeiro tempo, como rasgou elogios ao time do Grêmio.

“Nós nos adiantamos no jogo, primeiro tempo tivemos controle do jogo, não sofremos. Fomos contundentes na hora de atacar. Se eles tivessem feito o gol antes, nos obrigaria a dar espaço, mas jogamos dentro da nossa ideia”, disse. “Feliz por eles e porque começamos com uma vitória num lugar muito difícil contra o melhor time do Brasil”, completou Sampaoli.

“O Santos tem mostrado que possui um grande grupo e grande jogadores em todas as posições. Hoje tivemos mudanças e todos que entraram em campo deram conta do recado. A gente propôs, fizemos um grande jogo. Acho que poderíamos ter sofrido menos até, porque tivemos chances de matar o jogo. Mas o importante é somar os três pontos e começar bem o campeonato fora de casa”, disse Vanderlei.

Escolhido por Sampaoli para ser o titular na estreia do Brasileiro, depois de um rodízio com Everson entre Campeonato Paulista e Copa do Brasil, Vanderlei desconversou sobre a titularidade. “A gente faz o nosso melhor dia a dia e trabalha muito”, completou.

Após vitória do Santos, Sampaoli fala em “romper paradigmas” no futebol

“Romper paradigmas”. Esse é o objetivo de Jorge Sampaoli no Santos e no futebol brasileiro. Neste domingo, após a vitória do Peixe sobre o Grêmio por 2 a 1 pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro, o treinador argentino explicou suas motivações para trabalhar em solo brasileiro e exaltou o alto nível do duelo com o Tricolor Gaúcho, considerado pelo próprio o melhor time do Brasil.

“Chegamos ao Santos e não importa que jogadores venham, nossa característica é ser um time valente, onde quer que seja e em qualquer circunstância. Nós sabíamos com que equipe iríamos jogar hoje. Demos um passe importante. Ganhar aqui torna possível ganhar em todos os lados”, disse Sampaoli.

“Temos que seguir insistindo (na ideia). Não quero renunciar a um estilo que me fez vir ao Brasil. A ideia é de muito tempo atrás, quero repetir e aproveitar o futebol brasileiro para submeter o rival. Todo o tempo tem de ser para aliviar a pressão e pensar no gol adversário para ter êxito. Romper paradigmas é o que me traz aqui”, completou o treinador do Santos.

Sasha comemora primeiro gol no ano contra o “velho conhecido” Grêmio

Grande novidade de Jorge Sampaoli na escalação do Santos que venceu o Grêmio por 2 a 1 pela estreia do Campeonato Brasileiro, Eduardo Sasha desencantou em 2019 justamente contra o Tricolor Gaúcho, seu velho conhecido dos tempos em que vestia a camisa do Internacional. Ainda na Arena, o atacante comemorou o reencontro com as redes depois de ser preterido no início da temporada.

“Fazer gol sempre é bom, sempre positivo. Fico feliz de voltar a marcar. O professor (Sampaoli) viu bastante vídeos deles e fez uma estratégia para a gente anular. A gente vem sendo feliz e aproveitando as oportunidades”, disse Sasha, que marcou seu primeiro gol em 12 jogos que foi escalado na atual temporada.

E o gol de Sasha saiu justamente contra um time que o próprio conhece muito bem: o Grêmio. Com passagem pelo Internacional e com um histórico de polêmicas com o Tricolor, o atacante teve seu nome vaiado quando anunciado pelo sistema de som e teve de sobreviver com as provocações vindas das arquibancadas até abrir o placar ainda no primeiro tempo.

O estopim para a relação conturbada entre o Grêmio e o agora atacante do Santos começou em 2016, na conquista do Campeonato Gaúcho pelo Internacional. Na época, Sasha comemorou um dos gols na decisão, contra o Juventude, dançando valsa com a bandeira de escanteio, em alisão ao jejum que o Tricolor vivia na época de 15 anos sem conquistar um título nacional.

“Com certeza a gente ouve vaias, xingamentos. Pelo jeito eles ficaram magoados até hoje com o que aconteceu”, brincou Sasha.

Sampaoli confirma Vanderlei como titular no Brasileiro

A indefinição quanto ao goleiro titular do Santos para o Campeonato Brasileiro permaneceu até a escalação divulgada por Jorge Sampaoli para o confronto com o Grêmio, no último domingo, que terminou com vitória do Peixe por 2 a 1. E Vanderlei, o escolhido do treinador, fez valer a titularidade, sendo o herói do triunfo ao ponto de ser confirmado como o dono da meta no restante da competição.

Após a partida, em sua entrevista coletiva, Sampaoli elogiou muito a atuação e confirmou a escolha por Vanderlei em relação a Everson, mas anunciou a permanência do rodízio, com o recém-chegado atuando nas partidas da Copa do Brasil.

“Temos de tomar decisões todo tempo. Seguramente Everson seguirá na Copa do Brasil, e Vanderlei estará no Brasileirão. Vanderlei teve uma atuação que ajudou muito o time. Isso o consolida como o goleiro de sua história”, disse o treinador argentino.

No duelo em Porto Alegre, o Santos teve um primeiro tempo de domínio sobre o Grêmio, controlando as principais ações ofensivas e abrindo 2 a 0. Na segunda etapa, no entanto, os donos da casa melhoraram, principalmente depois das mudanças promovias por Renato Portaluppi, e passaram a assustar. Foi aí que Vanderlei deu início a sua atuação de gala, fazendo no mínimo cinco grandes intervenções.

“A gente tentou situar os jogadores que estavam com mais capacidade, vinculado ao esforço do jogo anterior. Não sei se o Renato se surpreendeu pelos jogadores ou pelo sistema. A ideia era jogar a partida com a valentia que fez o time, mas fizeram ainda melhor”, analisou Sampaoli, que ainda explicou as mudanças na equipe e a entrada com três zagueiros.

“Sobre as mudanças, tem de ver os atletas preparados para cada partida. O plantel que a gente tem, temos 25 jogadores preparados para jogar. Hoje o Felipe Jonatan jogou porque precisávamos dessa característica. Hoje descobri que posso contar com todos”, finalizou.