Navegando Posts marcados como Estádio Nacional de Santiago

Universidad de Chile 0 x 0 Santos

Data: 22/08/2012, quarta-feira, 22h00 (Horário de Brasília).
Competição: Recopa Sul-Americana – Final – Jogo de Ida
Local: Estádio Nacional, em Santiago, Chile.
Árbitro: Nelson Pitana (ARG).
Auxiliares: Ricardo Casas e Hernán Maidana (ambos da ARG).
Cartões amarelos: Roberto Cereceda e Gustavo Lorenzetti (U); Arouca e Ganso (S).

UNIVERSIDAD DE CHILE
Johnny Herrera; Albert Acevedo, Roberto Cereceda, José Rojas e Eugenio Mena; Matías Rodríguez (Christian Bravo), Sebastián Martínez, Charles Aránguiz e Guillermo Marino (Ezequiel Videla); Enzo Gutiérrez e Gustavo Lorenzetti.
Técnico:Jorge Sampaoli

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André (Miralles).
Técnico: Muricy Ramalho



Neymar erra pênalti e Santos empata com a La U na final da Recopa Sul-Americana

Agora, na partida de volta, dia 26 de setembro, no Pacaembu, o time brasileiro precisa conquistar uma vitória simples para conquistar o título

Pela segunda partida seguida, o Santos foi beneficiado pela arbitragem. Porém, diferentemente do clássico contra o Corinthians, o time da Vila Belmiro não conquistou a vitória. Nesta quarta-feira, pela final da Recopa Sul-Americana, a equipe de Muricy Ramalho empatou com a Universidad do Chile por 0 a 0, no estádio Nacional, em Santiago.

No começo do primeiro tempo, Neymar criou uma linda jogada, sofreu falta fora da área e o árbitro marcou o pênalti. Na cobrança, o craque santista escorregou e isolou a bola por cima do gol defendido por Johnny Herrera.

De qualquer forma, apesar da infelicidade do camisa 11, o resultado não foi ruim para a equipe brasileira. Agora, na partida de volta, dia 26 de setembro, o Santos precisa de uma vitória simples para conquistar o caneco do torneio que reúne os campeões da Copa Libertadores da América e Sul-Americana do ano passado.

O jogo

Debaixo de chuva e muito frio, o Santos começou melhor na partida e quase abriu o placar logo aos oito minutos. Neymar recebeu ótimo lançamento de Paulo Henrique Ganso e driblou o goleiro Johnny Herrera. Porém, na hora de marcar o gol, o atacante se atrapalhou com a bola e a defesa chilena afastou o perigo.

Dominando o jogo, o time da Vila Belmiro criou outra chance clara aos 14 minutos. Em rápido contra-ataque, Neymar foi acionado por Patito Rodríguez e cruzou na medida para Ganso. O camisa 10 dominou com estilo na entrada da área, limpou a marcação e chutou por cima do gol.

Dois minutos depois, em bela jogada individual, Neymar passou pela marcação de Cereceda e Martínez e sofreu falta fora da área. No entanto, o árbitro resolveu dar uma força para o time brasileiro e marcou o pênalti. Na cobrança, Neymar escorregou e isolou a bola.

Após o susto, o time chileno acertou a marcação e conseguiu equilibrar a partida. Aos 37 minutos, na melhor chance do time da casa no primeiro tempo, Aránguiz soltou a bomba, a bola desviou em Druval e tirou tinta da trave do goleiro Rafael.

No segundo tempo, a La U foi com tudo para o ataque e por pouco não tirou o zero do placar aos cinco minutos. Mena escapou pela esquerda e levantou na área para Gutiérrez. O atacante testou com estilo, mas a bola caiu na rede por cima do gol.

Preocupado com o melhor momento do time adversário, o técnico Muricy Ramalho resolveu mexer na equipe da Vila Belmiro. Aos 19 minutos, ele sacou André para a entrada do atacante Miralles.

Com as duas equipes errando muitos passes a partida ficou sem emoção até os 35 minutos, quando o time chileno sofreu falta quase na entrada da área de Rafael. Porém, na cobrança, Aránguiz chutou por cima do gol.

No fim do jogo, aos 43 minutos, Neymar recebeu passe de Felipe Anderson e, mesmo sem ângulo, o atacante chutou por cobertura. A bola bateu no travessão, assustando o goleiro Johnny Herrera.

Bastidores:

Neymar lamenta escorregão em pênalti perdido: “Isso é do futebol”

Atacante perdeu um pênalti no primeiro tempo e Santos empatou com a La U por 0 a 0

Principal esperança do Santos para ajudar a equipe a conquistar o título da Recopa Sul-americana, Neymar teve a melhor chance para dar a vitória ao time da Vila Belmiro diante da Universidad do Chile, na noite desta quarta-feira, no Estádio Nacional de Santiago. Mas o atacante desperdiçou uma cobrança de pênalti, aos 18 minutos do primeiro tempo. O camisa 11 escorregou na hora de chutar e mandou a bola por cima do gol de Johnny Herrera.

“Choveu muito e o gramado estava escorregando. No pênalti foi isso o que aconteceu. É do futebol”, lamentou Neymar, chateado pelo fato de ter perdido a chance de dar a vitória ao seu time.

Indagado sobre o resultado da partida, o craque alvinegro, que ainda acertou o travessão de Herrera aos 43 minutos do segundo tempo, evitou classificar o empate como positivo para o Santos. “Tivemos a grande chance de sairmos vitoriosos no pênalti, mas ficamos no empate. Acontece. Agora vamos buscar o título no Pacaembu”, comentou.

Vale destacar que o duelo de volta envolvendo Santos e La U está agendado para o dia 26 de setembro, no Pacaembu. Novo empate em São Paulo leva o jogo para prorrogação e pênaltis, isto porque não há critério de gol fora de casa para definir o campeão da Recopa.

Ganso nega acerto com o São Paulo e diz que espera disputar título da Recopa

Camisa 10 comentou que pretende conquistar mais um caneco pela equipe da Vila Belmiro

Após o empate sem gols do Santos contra a Universidad do Chile, nesta quarta-feira, em Santiago, o meia Paulo Henrique Ganso negou que esteja acertado com o São Paulo. De quebra, o camisa 10 disse que pretende jogar a partida de volta da decisão da Recopa Sul-Americana, dia 26 de setembro, no Pacaembu.

“Estou jogando pelo Santos, bem tranquilo e com a cabeça boa. Espero que continue assim. Quero estar presente na final e conquistar mais um título pelo Santos”, disse Ganso, na saída do gramado, em entrevista ao Fox Sport.

“São apenas sondagens. Fico feliz de saber que grandes clubes estão interessados no meu futebol, mas o presidente falou que não estou à venda. É bom saber a posição dele”, acrescentou.

Após explicar sua situação, o craque analisou o empate contra o time chileno. Agora, na partida de volta, o Santos precisa de uma vitória simples para garantir o caneco do torneio que reúne os campeões da Copa Libertadores da América e Sul-Americana do ano passado.

“As melhore chances foram do Santos, a maioria no primeiro tempo. Comigo e o pênalti do Neymar. Tivemos muitas oportunidades, mas agora é buscar no Brasil. Precisamos vencer por 1 a 0 no Pacaembu”, comentou.

Universidad de Chile 2 x 1 Santos

Data: 19/05/2005
Competição: Copa Libertadores – Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio Nacional, em Santiago, Chile.
Público e renda: N/D
Árbitro: Oscar Ruiz (COL)
Cartões amarelos: Adrián Rojas, Pinto (UC); Fabinho, Zé Elias e Ricardinho (S).
Gols: Rivarola (06-2), Ricardinho (12-2) e Galaz (28-2).

UNIVERSIDAD DE CHILE
Herrera; Ibarra (Figueroa), Ponce, Adrián Rojas e José Rojas; Iturra, Ormazábal, Pinto e Riveros (Droguett); Rivarola (Martinez) e Galaz.
Técnico: Héctor Pinto

SANTOS
Henao; Paulo César (Fabiano), Ávalos, Hallison e Léo; Fabinho, Zé Elias (Basílio), Bóvio e Ricardinho; Robinho e Deivid.
Técnico: Gallo



Santos perde no Chile e sai em desvantagem nas oitavas da Libertadores

O Santos começou mal o confronto que vale vaga nas quartas-de-final da Taça Libertadores-2005. Nesta quinta-feira, em Santiago, o time da Baixada perdeu por 2 a 1 para o Universidad de Chile.

Na próxima quarta-feira, na Vila Belmiro, a equipe chilena precisará de um empate para avançar à próxima fase. O Santos se classifica vencendo por 1 a 0 (pelo critério de gols marcados no campo do adversário) ou com vantagem de dois gols.

A primeira chance de gol foi do Santos, aos 12min. O volante Bóvio fez jogada individual, avançou pela direita e chutou forte, assustando o goleiro Herrera.

Embora não criasse muitas jogadas ofensivas, o Santos fazia uma forte marcação e dificultava o trabalho da equipe chilena.

O Universidad só conseguiu chegar com perigo aos 40min, quando Rivarola recebeu a bola na direita, passou por Léo e tentou encobrir Henao. A zaga do Santos, no entanto, conseguiu aliviar o perigo.

Um minuto depois, o Santos desperdiçou grande chance. Léo recebeu a bola na esquerda e tocou para Robinho, dentro da área, de frente para o gol. Porém o chute do atacante foi bloqueado pela defesa chilena.

No início da etapa final, a equipe chilena abriu vantagem no placar. Após lançamento longo, Galaz ajeitou no peito para Rivarola, que chutou forte e venceu Henao.

Aos 11min, o Santos marcou com Léo, que estava impedido –o gol foi anulado pela arbitragem. Aos 12min, numa jogada ensaiada, Ricardinho recebeu passe de Paulo César e empatou a partida.

Aos 21min, após ótima jogada de Robinho pela esquerda, a bola sobrou para Bóvio, que acertou o travessão de Herrera.

Mas aos 28min o Universidad voltou a ficar em vantagem. Galaz recebeu a bola dentro da área e tocou por cima de Henao, que ficou no meio do caminho e só olhou a bola entrar.

Antes da partida de volta pela Libertadores, no entanto, o Santos volta a campo no domingo, contra o Atlético-MG, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. O objetivo é se reabilitar da derrota por 2 a 1 sofrida para o Flamengo na última rodada.

Data: 05/02/1968
Competição: Torneio Octogonal de Futebol Nicolau Moran
Local: Estádio Nacional, Santiago, Chile.
Público: 80.000 (lotação máxima)
Gols: Toninho (07-2), Negreiros (20-2), Negreiros (33-2) e Joel (45-2, contra).

SANTOS
Claudio; Carlos Alberto (Negreiros), Ramos Delgado, Rildo e Joel; Clodoaldo e Douglas; Wilson, Lima, Toninho e Edu.

ALEMANHA ORIENTAL
Walgang; Urbancyk, Wruk, Bransch e Kokener; Fraesdorf e Hoge; Noelder, Franzel, Irsmeher e Voge.

Universidad de Chile 1 x 5 Santos

Data: 13/02/1965
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 1ª rodada
Local: Estádio Nacional, em Santiago, Chile.
Público: 49.218
Renda: Cr$ 77.888.950,00
Árbitro: Romualdo Arppi Filho (BRA).
Gols: Pelé (12-1), Mengálvio (28-1); Pepe (15-2), Pelé (19-2, de pênalti), Pelé (32-2) e Araya (39-2).

UNIVERSIDAD DE CHILE
Astorga; Donoso, Villanueva, Rodríguez, Contreras, Araya, Alvarez, Clivares (Oleniak), Marcos e Sanchez.

SANTOS
Gilmar; Lima, Joel e Geraldino; Zito e Haroldo; Dorval, Mengálvio, Toninho, Pelé e Pepe.
Técnico: Lula

Universidad de Chile 4 x 3 Santos

Data: 06/02/1963
Competição: Amistoso
Local: Estádio Nacional de Santiago, Chile.
Público: 80.000 pessoas
Gols: Campos (27-2), Pelé (31-1, de pênalti), Sepúlveda (43-1); Coutinho (02-2), Musso (10-2), Leonel Sánchez (27-2) e Pelé (34-2).

UNIVERSIDAD DE CHILE
Manuel Astorga; Luis Eyzaguirre, Humberto Donoso e Sergio Navarro; José Moris e Alfonso Sepúlveda, Braulio Musso, Ernesto Alvarez, Carlos Campos (Carlos Verdejo, 46′), Rubén Marcos e Gomez.
Técnico: Luis Alamos

SANTOS
Gilmar; Dalmo, Mauro, Hamilton; Mengálvio e Calvet; Dorval, Tite, Coutinho (Pagão, 60′), Pelé e Pepe.
Técnico: Lula