Navegando Posts marcados como Ferroviária

Santos 0 x 1 Ferroviária

Data: 18/02/2017, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.655 pagantes
Renda: R$ 165.565,00
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Herman Brumel Vani
Cartões amarelos: Patrick, William Cordeio, Matheus (F); Cléber (S).
Cartões vermelhos: Cléber (S).
Gol: Leandro Amaro (28-2).

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Cleber, Yuri e Zeca; Leandro Donizete (Arthur Gomes), Thiago Maia e Léo Cittadini (Bruno Henrique); Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro).
Técnico: Dorival Junior

FERROVIÁRIA
Matheus; William Cordeiro, Leandro Amaro, Patrick e Léo Veloso; Flávio, Claudinei (Kelvin), Fábio Souza e Alan Mineiro (Raniele); Capixaba (Tiago Marques) e Elder Santana.
Técnico: PC Oliveira



Ex-Palmeiras marca e Ferroviária vence o Santos na Vila Belmiro

Na primeira partida de Ricardo Oliveira em 2017 e com a estreia para esquecer do zagueiro Cléber, o Santos pecou em criatividade e acabou derrotado pela Ferroviária por 1 a 0, gol de Leandro Amaro, zagueiro ex-Palmeiras. Cléber foi expulso no segundo tempo e abriu espaço para o defensor adversário subir mais alto na pequena área e mandar para as redes de cabeça.

A derrota foi a segunda seguida do Santos em sua casa, a Vila Belmiro, pelo Paulistão, já que o time foi derrotado pelo São Paulo por 3 a 1 no clássico da última quarta-feira.

Se a estreia de Cléber foi ruim, a volta de Ricardo Oliveira também não teve seus brilhos. O atacante até chegou a fazer um gol, mas o bandeira marcou posição irregular e o tento foi anulado.

Sem Lucas Lima, a equipe de Dorival Júnior teve muitos problemas no setor de armação e Léo Cittadini não conseguiu criar com eficiência. Usando muito lançamento direto, o Santos pecou nos impedimentos e falhou em vencer a zaga bem prostrada do time do interior.

Com a derrota, o Santos estacionou nos seis pontos, foi ultrapassado pela Ponte Preta (sete) e perdeu a segunda colocação do grupo D. A Ferroviária, por sua vez, chegou a quatro e ultrapassou RB Brasil e Linense, assumindo o segundo posto do grupo B, liderado pelo São Paulo.

O jogo

A primeira chegada da Ferroviária foi polêmica. O estreante Cléber tirou mal e Capixaba dominou a bola pela lateral esquerda. O atacante da Ferrinha infiltrou e caiu dentro da área pedindo pênalti, mas o juiz mandou seguir.

Aos 16, a Ferroviária chegou novamente com perigo pela lateral esquerda. Yuri tentou evitar um escanteio e deu a bola nos pés do adversário, que não conseguiu chutar com eficiência e a zaga alvinegra afastou.

Com o time visitante muito bem posicionado no setor defensivo, o Santos abusou dos lançamentos longos, sem eficiência. Para tentar furar o ferrolho grená, Victor Ferraz arriscou do meio da rua e a bola passou perto.

A grande quantidade de lançamentos do Peixe e o sistema bem prostrado de PC de Oliveira abriram espaço para um número muito elevado de impedimentos dos jogadores santistas.

Aos 36, o Santos chegou a abrir o placar com Ricardo Oliveira, mas o bandeira marcou posição irregular. O jogador não chegou a reclamar, mas a torcida alvinegra protestou muito na Vila.

Precisando da vitória, o alvinegro voltou melhor na segunda etapa. Nos primeiros minutos, Donizete fez boa jogada e cruzou para Copete, que perdeu uma grande chance de abrir o placar.

Aos 10, o lado esquerdo do Santos voltou a cochilar. Elder Santana deu uma meia lua em Yuri e ficou de cara a cara com Vladimir, que fechou o ângulo e impediu o primeiro gol da Ferroviária.

Para ter mais poder ofensivo, Dorival sacou o volante Leandro Donizete e colocou Arthur Gomes. Logo em sua primeira jogada, o jovem recebeu cruzamento de Victor Ferraz e cabeceou com força, levando perigo ao gol de Matheus.

Aos 22, a situação ficou pior para o Santos. Mal em sua estreia, o zagueiro Cléber entregou a bola no meio de campo e precisou fazer a falta. Já com um cartão amarelo, o jogador foi expulso de campo.

Poucos minutos mais tarde, a Ferroviária teve boa chance, mas parou novamente em Vladimir. Para se aproveitar da vantagem numérica, o técnico PC Oliveira tirou o volante Claudinei e colocou o meia-ofensivo Kelvin.

O balde de água fria veio aos 28. Após belo escanteio de Alan Mineiro, o ex-Palmeiras Leandro Amaro subiu mais alto que os zagueiros e mandou para o fundo das redes de Vladimir. 1 a 0 Ferroviária.

Dorival tentou mudar as peças do elenco santista, mas nem Bruno Henrique, que substituiu Cittadini, nem Thiago Ribeiro, que entrou no lugar do desgastado Ricardo Oliveira, resolveram o problema da criatividade e a derrota se concretizou.

Bastidores – Santos TV:

Thiago Maia quer foco para derrotas não acontecerem de novo

Em uma situação difícil de se ver, o Santos foi derrotado pela segunda vez seguida na Vila Belmiro. Desta vez, quem derrotou o alvinegro foi a Ferroviária de Araraquara, que garantiu três pontos importantes e subiu para a segunda colocação do grupo B. Frustrado com o resultado, Thiago Maia quer mais trabalho para resultados como esse não voltarem a acontecer.

“Acho que temos que estar preparados para tudo. Infelizmente perdemos. Temos de formar um pouco mais. O que aconteceu aqui não pode acontecer de novo”, afirmou o volante à reportagem da Premiere na saída de campo.

Com uma mescla de jogadores jovens e experientes, Thiago vê a equipe do Santos madura, mas precisando prestar mais atenção em campo. “Nosso time, apesar de ser novo, é maduro. Acho que só temos que focar mais e ver o que estamos errando para ver o que melhorar e vencer”, acrescentou.

Depois de ficar seis anos sem perder em casa pelo Paulistão, o Santos agora foi derrotado pela segunda vez na Vila. Insatisfeita, parte da torcida criticou muito o técnico Dorival Júnior, enquanto outro setor de torcedores mostrou apoio ao treinador.

“A torcida está na obrigação de cobrar, faz parte, eles têm que cobrar nosso resultado“, concluiu o volante rapidamente. Foi a primeira vitória da Locomotiva grená na edição de 2017 do Paulistão.

Agora com quatro pontos, a equipe de Araraquara assumiu a segunda colocação do grupo B, liderado pelo São Paulo, com sete. O Santos, por sua vez, ficou nos seis pontos e perdeu a segunda posição para a Ponte Preta, que empatou sem gols com o Red Bull e chegou a sete. Quem lidera o grupo D é o Mirassol, que arrancou um empate do São Paulo no Morumbi e chegou a dez tentos.

Torcida cobra Dorival no vestiário e treinador comenta turbulência

A segunda derrota do Santos seguida em casa pelo Campeonato Paulista trouxe muito protesto da torcida alvinegra na Vila Belmiro. Após o revés sofrido contra a Ferroviária por 1 a 0, torcedores do Peixe foram até o vestiário para protestar sobre a má sequência e a falta de qualidade apresentada em campo.

Sobre gritos de “time sem vergonha”, “não é mole não, Libertadores é mais do que obrigação”, “Dorival, vou te avisar, a panelinha tá na hora de acabar” e “a paciência acabou”, os alvinegros cobraram resultados de sua equipe, que não perdia duas seguidas em casa desde 2014.

Sem se preocupar com as críticas que começam a surgir nos bastidores, Dorival ressaltou a dificuldade que todas as equipes terão e afirmou que o Santos precisa enfrentar esse período turbulento com coragem.

“Nosso grupo é bem equilibrado, difícil. Fatalmente as equipes vão ter as dificuldades que estamos enfrentando. Pela primeira vez o Santos passa por turbulência. Temos que seguir trabalhando. Não tem caminho. Temos que enfrentar com peito aberto para reverter essa situação”, cravou o treinador durante a coletiva de imprensa após a partida.

Com as duas derrotas na Vila, o Santos caiu para a terceira colocação do grupo D, ficando fora da zona de classificação para a segunda fase do Paulistão. A equipe estacionou nos seis pontos e foi ultrapassada pela Ponte Preta, que empatou com o Red Bull Brasil e chegou a sete. Quem lidera o grupo é o Mirassol, com dez tentos.

Dorival mantém confiança em Cléber após expulsão contra a Ferroviária

A partida contra a Ferroviária marcava duas estreias no Santos: a volta de Ricardo Oliveira, que ainda não tinha entrado em campo em 2017, e a primeira partida do zagueiro Cléber, uma das grandes contratações do time na temporada. E o defensor foi parte chave da derrota alvinegra por 1 a 0 em casa, a segunda seguida no Paulistão, já que foi expulso no segundo tempo e abriu espaço para o gol grená. Para o técnico Dorival Júnior, a expulsão complicou a partida, mas a atuação do jogador não foi de todo o mal.

“A expulsão mudou um pouco até na maneira da equipe jogar. Em seguida a Ferroviária fez o gol e tivemos que nos expor mais. A postura e o jogo mudam a partir de que você tem um jogador a menos. O Cléber teve esse lance, mas foi muito bem na partida. Temos confiança nele”, afirmou Dorival na coletiva pós-partida.

Em sua estreia, Cléber vacilou em alguns momentos e entregou diversas bolas nos pés dos adversários. Foi em um lance assim, na metade do segundo tempo, que o zagueiro foi expulso. Após perder a bola sozinho no meio campo, o jogador precisou barrar o avanço do adversário e recebeu o segundo amarelo.

Dorival também pontuou a volta de Ricardo Oliveira, que chegou a marcar, mas teve seu gol anulado por posição irregular. Cansado, o atacante foi substituído na parte final do segundo tempo por Thiago Ribeiro. “Ele voltou muito bem, como sempre. Foi até o momento que deu, porque ele estava esgotado. O trabalho feito com ele não tem a mesma carga que os outros nesse começo”, comentou.

O técnico também preferiu não opinar sobre uma possível falha da arbitragem no lance de Ricardo no primeiro tempo. “Houve realmente um gol válido, mas não temos que ficar contestando, lamentando e jogando a nossa responsabilidade na arbitragem”, categorizou Dorival.

Sem perder duas seguidas em casa desde 2014, Dorival acha que a derrota para o São Paulo na quarta-feira desestruturou a equipe. “Causa sim, sem dúvida disso. Principalmente da maneira que ocorreu, com um primeiro tempo bom. Hoje foi diferente. A equipe vinha jogando bem, com confiança em campo”, analisou o treinador.

Por fim, o técnico também fez questão de elogiar a boa partida defensiva feita pela equipe de Araraquara e como isso afetou o elenco alvinegro. “A marcação foi muito forte. Temos que considerar tudo isso. De repente você vai tentando, vai gerando uma impaciência nos jogadores. Falamos muito sobre isso antes, que não se deixassem levar por essas dúvidas momentâneas em definições de jogadas. Que saiamos mais fortes”, completou o técnico do Peixe.

Dorival defende Cittadini para seguir substituindo Lucas Lima

Depois de perder duas partidas seguidas em casa, fato que não acontecia desde 2014, o Santos teve uma de suas fraquezas exposta mais uma vez na partida contra a Ferroviária deste sábado: a discrepância entre seus jogadores titulares e as peças de reposição do elenco. Sem conseguir desempenhar bem a função de armador no jogo, Léo Cittadini recebeu apoio do técnico Dorival Júnior.

“O Léo sempre fez bem a função e vai substituir bem o Lucas Lima. É um garoto, então temos que ter paciência e tranquilidade. Hoje, infelizmente, não saiu como queríamos”, comentou o técnico sobre o meia de 22 anos.

Outra opção para o setor criativo do meio campo santista, Bruno Henrique entrou no segundo tempo e também deixou a desejar. Além de Lucas, o Santos não contou com Renato, volante titular da equipe, que ainda se recupera de lesão. Leandro Donizete foi o substituto do ídolo alvinegro.

“A dependência é natural, são titulares. Os jogadores que entraram começam a ter uma assimilação mais rápida e um entendimento maior. O resultado pode não espelhar o que aconteceu nas partidas”, afirmou o treinador Dorival Júnior após o jogo de sábado.

Para a sequência do Paulistão, o Santos agora encara o Ituano, nesta terça-feira, em Itu, sem o camisa 10 confirmado, e tem o Botafogo-SP em casa, no sábado, antes do clássico contra o Corinthians no dia 5 de março, fora de casa. A equipe busca reencontrar a vitória e as atuações regulares antes da estreia da Libertadores, no dia 9 de março, contra o Sporting Cristal, no Peru.

“Internamente precisamos assimilar o mais rápido possível, mas não tem momento para derrota. A equipe sempre respondeu positivamente, é uma questão de tempo”, concluiu o comandante alvinegro.

Maia vê pressão com estranheza, mas diz: “Torcida tem seu direito”

O Santos está sob pressão. Após um começo arrasador no Campeonato Paulista, goleando o Linense por 6 a 2, no começo de fevereiro, o Peixe viu seu desempenho despencar, perdeu dentro da Vila Belmiro para São Paulo e Ferroviária, respectivamente, e saiu da zona de classificação para as quartas de final do torneio. Por conta disso, alguns torcedores do alvinegro ficaram revoltados e foram até a porta do vestiário santista para descarregarem seu ódio contra o time comandado por Dorival Júnior.

Entre os protestos, os torcedores gritaram frases como: “Ou joga por amor ou joga por terror”, “A paciência acabou” e “Dorival, vou te avisar, a panelinha está na hora de acabar”. Vale lembrar que antes mesmo do duelo contra a Ferrinha terminar, no último sábado, diversas vaias já eram ouvidas na Vila. O volante Thiago Maia acredita que os santistas têm o direito de reclamar, mas viu a cobrança antes do apito final com estranheza.

“Achei estranho. A torcida sempre foi paciente. O Dorival chegou em 2015 e fez milagres, subimos bem. A torcida tem seu direito, mas poderia ser mais paciente. Estamos falando do Santos, temos que estar sempre ganhando. Somos campeões paulistas. Cobrança sempre tem. Nossa torcida não merece duas derrotas em casa. Estamos treinando forte para corrigir os erros”, ressaltou o volante, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, no CT Rei Pelé.

Santos 4 x 1 Ferroviária

Data: 31/03/2016, quinta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 13ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.208 pagantes
Renda: R$ 104.570,00.
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho.
Auxiliares: Eduardo Vequi Marciano e Osvaldo Apipe de Medeiros Filho.
Cartões amarelos: Gabriel (S); Thallyson e Fernando Gabriel (F).
Gols: Thiago Marques (32-1); Zeca (17-2), Paulinho (26-2), Paulinho (30-2) e Gabriel (47-2, de pênalti).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Zeca; Alison (Lucas Lima), Thiago Maia e Rafael Longuine; Paulinho (Paulinho); Gabriel e Joel (Ronaldo).
Técnico: Dorival Júnior

FERROVIÁRIA
Rodolfo; Igor Julião, Luan, Marcão e Thallyson; Juninho, Matheus Rosseto (Luiz Gustavo) e Fernando Gabriel; Tiago Marques (Caíque), Samuel e João Paulo (Rafinha).
Técnico: Sérgio Vieira



Santos goleia a Ferroviária de virada e retoma a liderança do Grupo A

O Santos fez o dever de casa e, na noite desta quinta-feira, venceu a Ferroviária na Vila Belmiro em duelo válido pela 13ª rodada do Campeonato Paulista e já garantiu sua classificação de forma antecipada. Depois de um primeiro tempo desastroso, quando saiu atrás no placar graças a gol de Tiago Marques, Dorival Júnior recorreu a Lucas Lima, que iniciou a partida no banco por causa de uma indisposição, para acertar o time. Com gols de Zeca, dois de Paulinho e um de Gabriel, de pênalti, o Peixe decretou a vitória de virada por 4 a 1.

Os três pontos colocam o alvinegro praiano de novo na liderança do Grupo A, com 26 pontos, dois a mais que o São Bento, que só empatou com o Capivariano na quarta-feira. As duas equipes devem se enfrentar nas quartas de final e lutam pelo mando do jogo único na próxima fase. Já a Ferroviária estaciona nos 16 pontos, atrás de Osasco Audax, 21 pontos, e São Paulo, 19, no grupo C.

Agora, o Santos visita o Capivariano, na Arena Capivari, às 18h30 de domingo. No mesmo dia e horário, a Ferroviária recebe o Botafogo-SP, na Fonte Luminosa, em Araraquara. Na última rodada desta primeira fase do Estadual, o Peixe enfrentará o Audax, adversário direto da Ferrinha, na Vila Belmiro. Na briga com o Santos pela liderança do Grupo A, o São Bento terá pela frente Audax e São Paulo, ambos em Sorocaba.

O jogo

Depois de 20 anos, Santos e Ferroviária voltaram a se encontrar na Vila Belmiro pelo Campeonato Paulista. Apesar da importância da partida para o rumo das duas equipes na competição, o público mais uma vez decepcionou na Baixada na noite desta quinta-feira. E assim como a empolgação nas arquibancadas, o jogo deixou muito a desejar nos primeiros 45 minutos, principalmente pelo lado do Peixe.

Sem Ricardo Oliveira, poupado, e Lucas Lima, que iniciou no banco de reservas por causa de uma indisposição, Dorival Júnior apostou no trio Gabriel, Paulinho e Joel, com Rafael Longuine na armação. Mas a equipe não conseguiu encaixar e, diante de tanto espaço, a Ferroviária do técnico português Sérgio Vieira aproveitou para tocar bem a bola.

Foram poucos os lances de perigo. Primeiro, Fernando Gabriel assustou em um chute de longa distância, aos 15 minutos. A resposta dos donos da casa veio dois minutos depois, com Gabriel, que recebeu de Thiago Maia dentro da área e bateu para boa defesa de Rodolfo.

O jogo era sonolento até os 32 minutos, quando Thiago Marques aproveitou a falta de atenção de Gustavo Henrique em uma sobra de bola dentro da área e, de cabeça, deslocou Vanderlei para abrir o placar.

O gol deu mais tranquilidade para o time de Araraquara manter sua proposta de jogo e deixou os santistas nervosos e ansiosos, tanto dentro quanto fora de campo. Aos 41, Gabriel teve a oportunidade de empatar já dentro da área, mas finalizou para fora.
Ao apito do árbitro, os poucos torcedores presentes na Vila Belmiro não perdoaram a atuação alvinegra e vaiaram a equipe de Dorival Júnior.

Para tentar dar um jeito na falta de criatividade do seu meio de campo, Dorival Júnior recorreu a Lucas Lima no segundo tempo. Alison sequer voltou com a equipe. Mas quem teve a chance de marcar foi a Ferroviária, mais uma vez. Logo aos 3 minutos, Igor arrancou nas costas de Zeca e cruzou bola rasteira para Thiago Marques, que totalmente livre, finalizou para fora. Chance incrível desperdiçada pelos visitantes.

Na sequência, quase veio o castigo. Joel serviu Paulinho dentro da área, que limpou a marcação e bateu com perigo. O Santos tentava pressionar e, em nova investida pela esquerda, Zeca cruzou na cabeça de Joel, mas Rodolfo fez boa defesa. Tudo isso antes do relógio marcar dez minutos da etapa final.

Aos 14 minutos, a melhor chance do Peixe veio depois de lançamento longo de Thiago Maia no pé de Paulinho. O atacante ficou cara a cara com Rodolfo, mas tocou para fora. Aos 17, porém, não teve jeito de segurar a pressão santista. Zeca entrou na área pela esquerda, limpou a marcação e bateu cruzado, sem chance para o goleiro da Ferroviária: 1 a 1.

Apesar do treinador Sérgio Vieira até arriscar colocando Rafinha, artilheiro da equipe no Paulista, no lugar de João Paulo, a equipe de Araraquara encontrava dificuldade para passar do meio de campo, enquanto o Peixe crescia a cada minuto, fruto da entrada de Lucas Lima no jogo.

E como parecia inevitável, a virada veio aos 26 minutos. Gabriel recebeu linda bola de Joel e tocou para Paulinho marcar seu primeiro gol pelo Santos em bela triangulação. A Ferroviária sentiu o golpe e, aos 30, depois de saída de bola atrapalhada entre Rodolfo e Marcão, Joel roubou a bola e mais uma vez serviu de garçom para Paulinho marcar seu segundo gol, o terceiro do Peixe.

Dai em diante, o Santos precisou apenas administrar sua vantagem e deixar o tempo passar para confirmar os três pontos e a liderança do Grupo A depois de duas rodadas, enquanto a Ferroviária, sem forças nos minutos finais, amargou sua primeira derrota para um grande de São Paulo, depois de vencer o Palmeiras e empatar com o Corinthians.

Ainda deu tempo para Gabriel marcar seu gol e transformar a vitória em goleada. Já nos acréscimos, Ronaldo Mendes, que havia acabado de entrar no lugar de Joel, sofreu penalidade, convertida pelo camisa 10.

Vídeos no intervalo ajudaram Dorival a mudar a postura do Santos

Quem ficar sabendo apenas que o Santos goleou a Ferroviária por 4 a 1 na noite desta quinta sem ter visto o jogo não terá a real dimensão das dificuldades encontradas pelo alvinegro praiano nesta 13ª rodada do Campeonato Paulista. Para surpresa de muitos, o time de Dorival Júnior foi completamente dominado no primeiro tempo, quando sofreu o gol de Tiago Marques.

“A Ferroviária estava tomando conta e perdíamos possibilidades. As nossas linhas estavam muito distantes. A linha recolhida e acabou sendo um complicador. Equipe muito bem treinada, de posse de bola. Fico feliz, porque vi duas equipes jogando. A Ferroviária fez o primeiro e talvez pudesse ter feito mais dois ou três gols. Mas o resultado foi importante, porque precisávamos do resultado e precisávamos jogar bem”, comentou o treinador.

No intervalo, Dorival sacou Alison e colocou Lucas Lima na partida. Os jogadores comentaram, após o jogo, que não só a entrada do meia, mas a bronca e as observações do técnico com vídeos foram fundamentais para o time encaixar e virar o duelo para 4 a 1.

“Trabalho importante. Vem acontecendo há algum tempo. O Pirata, o Luquinhas e o Leonardo (funcionários do clube) nos entregam tudo mastigado, frisam alguns aspectos e, depois de tudo isso, é complementado com algumas observações. A partir dai, a gente tenta diminuir a margem de erro, que foi muito grande no primeiro tempo”, contou Dorival Júnior, reconhecendo a péssima atuação de sua equipe nos primeiros 45 minutos.

“Nós não conseguimos encontrar a marcação de uma equipe que joga semelhante a nossa, desde a saída de bola. Melhoramos o nosso posicionamento, nossa saída melhorou, começamos a jogar dentro do campo da Ferroviária”, analisou. “Começamos a tomar conta das segundas bolas, que foram todas do adversário no primeiro tempo. E, a partir do primeiro gol, a equipe começou a jogar com mais tranquilidade e os gols foram saindo”, resumiu o comandante santista.

Santos FC x Ferroviária S/A

Santos Futebol Clube x Ferroviária S/A


Retrospecto:

072 jogos
038 vitórias
018 empates
014 derrotas
134 gols pró
074 gols contra
060 saldo

Resultados:

07/09/1954 – Santos 5 x 2 Ferroviária – Amistoso – Fonte Luminosa
13/08/1958 – Santos 4 x 3 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
09/11/1958 – Santos 1 x 2 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
19/08/1959 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
06/12/1959 – Santos 5 x 2 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
04/09/1960 – Santos 0 x 4 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
07/12/1960 – Santos 5 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
24/09/1961 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
13/12/1961 – Santos 6 x 2 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
16/09/1962 – Santos 7 x 2 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
25/11/1962 – Santos 1 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
01/09/1963 – Santos 1 x 4 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
08/12/1963 – Santos 1 x 5 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
30/08/1964 – Santos 2 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
15/11/1964 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
18/07/1965 – Santos 3 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
22/09/1965 – Santos 4 x 2 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
07/09/1967 – Santos 2 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
13/09/1967 – Santos 1 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
03/03/1968 – Santos 4 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
01/05/1968 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
26/02/1969 – Santos 3 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
11/05/1969 – Santos 1 x 2 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
08/07/1970 – Santos 0 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
12/08/1970 – Santos 5 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
07/03/1971 – Santos 1 x 4 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
06/06/1971 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
25/04/1972 – Santos 2 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
06/08/1972 – Santos 3 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
21/03/1973 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
22/08/1973 – Santos 1 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
17/05/1975 – Santos 3 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
20/07/1975 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
03/07/1976 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
13/02/1977 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
20/07/1977 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
04/10/1978 – Santos 3 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
28/03/1979 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
12/08/1979 – Santos 2 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
26/09/1979 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
29/05/1980 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
03/09/1980 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
17/06/1981 – Santos 4 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
14/10/1981 – Santos 0 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
18/07/1982 – Santos 1 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
17/11/1982 – Santos 1 x 2 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
02/08/1983 – Santos 3 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
25/09/1983 – Santos 0 x 3 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
25/07/1984 – Santos 2 x 2 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
04/10/1984 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
03/07/1985 – Santos 1 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
10/11/1985 – Santos 0 x 1 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
11/05/1986 – Santos 2 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
14/06/1986 – Santos 0 x 3 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
24/05/1987 – Santos 4 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
05/07/1987 – Santos 3 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
09/03/1988 – Santos 3 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
09/03/1989 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
11/02/1990 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
31/07/1991 – Santos 0 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
03/11/1991 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
23/02/1994 – Santos 1 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
28/04/1994 – Santos 1 x 2 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
05/04/1995 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
21/05/1995 – Santos 1 x 0 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
17/02/1996 – Santos 3 x 0 Ferroviária – Paulista – Fonte Luminosa
28/04/1996 – Santos 6 x 2 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
04/07/2010 – Santos 3 x 0 Ferroviária – Amistoso – Fonte Luminosa
31/03/2016 – Santos 4 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro
18/02/2017 – Santos 0 x 1 Ferroviária – Paulista – Vila Belmiro



Galeria de fotos:

Ferroviária 0 x 3 Santos

Data: 04/07/2010 – 16h00
Competição: Amistoso
Local: Estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara, SP.
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP).
Auxiliares: Marcos Joel Alves (SP) e Marcelo Luis da Silva (SP).
Cartões amarelos: André e Fernando (F); Durval, Bruno Aguiar e Vinicius (S).
Gols: Neymar (36-1, de pênalti) e Alan Patrick (38-1); Breitner (43-2).

FERROVIÁRIA
Eduardo, André, Toninho e Ronaldo (PV); Geovani (Abuda), Fernando, Everson (Walker), Diego Perini (Felipe Recife), Fernando Luis (Tatá); Jean Carlo (Daniel) e Leandro Miranda.
Técnico: João Martins

SANTOS
Rafael (Felipe), Pará, Durval (Vinicius), Bruno Aguiar e Alex Sandro (Maranhão); Arouca (Roberto Brum), Alan Patrick (Breitner), Wesley (Zezinho) e Madson (Zé Eduardo); Neymar (Renan Mota) e André (Marcel).
Técnico: Dorival Júnior



Neymar cobra pênalti com cavadinha ao estilo “Loco Abreu” eSantos vence Ferroviária em amistoso

Sem inspiração e com muitas mudanças, time ganha amistoso, em Araraquara, por 3 a 0.

Ainda não foi um jogo oficial, mas a vitória por 3 a 0 sobre a Ferroviária, em Araraquara, neste domingo, ajudou os torcedores alvinegros a matarem a saudade do time do Santos. Os Meninos da Vila não entravam em campo havia quase um mês, quando golearam o Vasco por 4 a 0, na Vila Belmiro, pelo Brasileiro. Acostumado a dar show, o Peixe contou apenas com um lance bonito de Neymar, em cobrança de pênalti, com cavadinha, ao estilo Loco Abreu. Alan Patrick e Breitner, de falta, completaram o placar na Fonte Luminosa. E as mini-férias da equipe na parada para a Copa do Mundo estão perto do fim.

Ainda não foi um jogo oficial, mas a vitória por 3 a 0 sobre a Ferroviária, em Araraquara, neste domingo, ajudou os torcedores alvinegros a matarem a saudade do time do Santos. Os Meninos da Vila não entravam em campo havia quase um mês, quando golearam o Vasco por 4 a 0, na Vila Belmiro, pelo Brasileiro. Acostumado a dar show, o Peixe contou apenas com um lance bonito de Neymar, em cobrança de pênalti, com cavadinha, ao estilo Loco Abreu (assista aos gols no vídeo ao lado). Alan Patrick e Breitner, de falta, completaram o placar na Fonte Luminosa. E as mini-férias da equipe na parada para a Copa do Mundo estão perto do fim.

A próxima partida oficial que o time disputará acontece no dia 15 de julho, contra o Palmeiras, às 21h, no Pacaembu. O jogo é válido pela oitava rodada do Nacional. A equipe alvinegra é a quarta colocada da competição, com 12 pontos.

O jogo

Antes de a bola rolar, o técnico Dorival Júnior recebeu uma homenagem da diretoria da Ferroviária. O treinador iniciou a carreira de jogador no clube do interior de São Paulo exatamente contra o Santos. O ex-volante posou para fotos com a taça em que era exibido com orgulho o nome do clube, vice campeão da Série A3 do Campeonato Paulista, que garantiu o acesso para a Série A2.

Em campo, o técnico não contou com quatro jogadores. Paulo Henrique Ganso e o lateral-esquerdo Léo, vetados pelo departamento médico, além de Robinho, que disputou a Copa do Mundo com a seleção brasileira e se reapresenta nesta segunda-feira, ficaram fora. O desfalque de última hora foi Marquinhos, com um incômodo na coxa direita.

Coube então a Neymar a tarefa de comandar o show. Mas o futebol espetacular ficou adormecido durante 35 minutos. O lance mais perigoso durante este período foi de Jean Carlo. O atacante da Ferroviária escorou cruzamento da direita e Rafael fez boa defesa, com um minuto de jogo.

Depois disso, o que de mais interessante aconteceu foram os aplausos a cada toque de Neymar na bola e a comemoração quando o locutor do estádio anunciou que o atacante Kleber havia perdido pênalti a favor do Palmeiras contra o XV de Piracicaba.

Curiosamente, foi de pênalti também que o Santos despertou. Wesley foi derrubado na área por André e o árbitro assinalou. Neymar pegou a bola e, com personalidade, bateu no melhor estilo Loco Abreu, com cavadinha.

– Lembrei do Loco Abreu, o que ele fez na Copa e acabei fazendo igual – disse o atacante, referindo-se ao lance que deu a classificação ao Uruguai contra Gana, nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul.

Após o gol ao estilo uruguaio, a comemoração à la Meninos da Vila. Neymar puxou a dacinha “catucada no frango”, segundo palavras do próprio.

Aos 38, Madson dominou na frente do adversário e cruzou na medida para Alan Patrick ampliar de pé esquerdo. Um bonito arremate daquele que entrou de última hora na vaga de Marquinho.

Na volta do intervalo, o Peixe puxou o freio de mão. E o show que era esperado em campo deu lugar a outro show, o de substituições. Foram 15 ao todo. Dorival mexeu nove vezes no time e João Martins, seis.

André, já negociado com o Dínamo de Kiev, da Ucrânia, Wesley, Madson e Neymar, deixaram a partida. Com isso, os jovens Renan Mota e Zezinho e os mais experiente Marcel e Zé Eduardo entraram para formar a já quase toda equipe reserva – restaram apenas Pará e Bruno Aguiar.

A Ferroviária ainda tentou ao menos o gol de honra, mas o expressinho do Santos segurou o resultado na Fonte Luminosa, com boa defesa de Felipe aos 38 minutos. No fim, aos 43, Breitner “brigou” com Bruno Aguiar para cobrar falta da entrada da área. Bateu colocado, no ângulo de Eduardo. O zagueiro não teve outra alternativa: aplaudiu.

Santos 1 x 0 Ferroviária

Data: 09/03/1989
Competição: Campeonato Paulista – Grupo 2 – 1º turno – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.030 pagantes
Renda: NCz$ 2.184,00
Árbitro: Osvaldo dos Santos Ramos
Cartões amarelos: César Sampaio e César Ferreira (S); Wallace, Jorge Lima e Helinho (F).
Gol: Júnior (40-1).

SANTOS
Ferreira; Heraldo, Cássio, Davi e Wladimir; César Sampaio (César Pereyra), César Ferreira e Júnior; Aluísio, Leonardo e Tuíco.
Técnico: Nicanor de Carvalho

FERROVIÁRIA
Édson; Wallace, Paulão, Jorge Lima e Julimar; Helinho, Donato e Betão; Toquinho (Gérson), Chicão e Zé Roberto.
Técnico: Laone Luz