Navegando Posts marcados como Flamengo

Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 14/09/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1º turno – 19ª rodada – (última)
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 62.510 pagantes (68.243 total)
Renda: R$ 3.328.050,95
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil e Henrique Neu Ribeiro (ambos de SC).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Marinho, Jorge Sampaoli, Cueva e Soteldo (S); Gabriel, Bruno Henrique e Jorge Jesus (F).
Gol: Gabriel (43-1).

FLAMENGO
Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis (Renê); Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta (Berrio); Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Jorge Jesus

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Lucas Peres (Uribe) e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Alison, Carlos Sánchez (Felipe Jonatan) e Jorge; Marinho, Eduardo Sasha (Cueva) e Soteldo.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos sofre com Gabigol e Flamengo disparara na ponta do Brasileirão

Gabriel Barbosa ganhou o apelido de Gabigol ainda nas categorias de base do Santos. Na tarde/noite desse sábado, o atacante colocou toda sua categoria em prática para reforçar a fama de matador justamente contra o clube que o criou para o futebol.

Com uma batida cavada, de fora da área, a la Ronaldo Fenômeno contra o mesmo Santos, o artilheiro do Campeonato Brasileiro encobriu Everson, chegou a 16 gols na competição – 30 no ano – e garantiu a vitória do Flamengo por 1 a 0 frente a 68.243 pessoas no estádio do Maracanã.

O triunfo também deu ao Rubro-Negro o título simbólico do primeiro turno. Com 42 pontos, os cariocas deixaram o Santos para trás, agora estacionados com 37 pontos depois de 19 rodadas e com a segunda colocação a perigo.

No próximo sábado, o líder do Brasileirão visita o Cruzeiro, no Mineirão, às 17h (de Brasília), enquanto os santistas recebem o Grêmio na Vila Belmiro no mesmo dia, mas às 21 horas.

O triunfo flamenguista nesse sábado saiu de um confronto marcado pelo equilíbrio. A etapa inicial teve os donos da casa com mais posse de bola, mas os visitantes com contra-ataques perigosos. Em oportunidades claras de gol, porém, os dois ficaram devendo.

O intervalo se aproximava quando Sasha deu a bola de presente para Éverton Ribeiro ainda no meio de campo. O meia rapidamente ligou Gabriel na ponta direita. Sem muita companhia e com Gustavo Henrique na marcação, o camisa 9 limpou para a canhota e bateu por cima de Everson, que estava adiantado no lance. Caprichosamente, a bola ainda tocou o travessão antes de balançar as redes.

“É uma vergonha tomar um gol desse. A gente tem que ter mais atenção no jogo”, cobrou o lateral Jorge, logo após acusar seu xará, técnico do Flamengo de lhe ter dado tapas no rosto. O princípio de confusão foi resolvido na sequência, com Jorge Jesus se desculpando e explicando que não teve má intenção.

Com os ânimos quentes, mas sem exageros dessa vez, o segundo tempo teve cartões para os dois técnicos gringos, muitas substituições, mas pouco a se falar sobre lances de gol. Uma jogada de futsal de Bruno Henrique em cima de Victor Ferraz e que acabou com a defesa de Everson foi o máximo que se viu de brilho nesse sentido.

O último apito do árbitro surgiu para pôr fim ao jogo e dar de vez a liberação para uma enorme festa dos flamenguistas, tanto dentro quanto fora de campo. O Santos, restou lamentação pelo resultado negativo em uma das ‘finais’ do Campeonato Brasileiro.

Everson atribui gol por cobertura a estilo de jogo do Santos

Everson levou um dos gols mais bonitos do Campeonato Brasileiro nesse sábado. Adiantado, o goleiro do Santos foi surpreendido por Gabigol, que de fora da área encobriu o arqueiro e, assim, deu a vitória ao Flamengo no Maracanã.

Famoso pela capacidade em jogar com os pés, Everson reconheceu que poderia defender o arremate, caso estivesse posicionado sem se preocupar em ter de sair.

“Se eu tivesse debaixo do gol, com certeza seria defensável, mas temos um estilo de jogo. Eu tenho que jogar adiantado pelo nosso estilo de jogo, tinha um jogador deles fazendo o facão e que poderia receber (a bola), mas se eu tivesse debaixo do gol seria defensável, sim. Mas mérito do Gabigol”, disse, ao Premiere, na saída do campo.

“Agora é colocar as coisas no lugar, sabíamos que seria difícil aqui, tomamos um gol no detalhe, viemos de dois empates na Vila, sabemos que somos fortes na Vila, nada melhor que descansar e voltar à Vila contra o Grêmio para retomar as vitórias”, concluiu, já projetando a próxima rodada do Campeonato Brasileiro.

Jorge Sampaoli aprova atitude do Santos em derrota para o Flamengo

O técnico do Santos concedeu uma tranquila entrevista coletiva após perder para o Flamengo em um confronto direto na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. A postura do treinador argentino teve total relação com o que a equipe alvinegra apresentou no Maracanã, apesar da derrota.

“Enfrentamos um rival com muita moral, fora de casa. Não nos apequenamos, não tivemos medo, tentamos jogar. Competimos de maneira intensa. A forma que a equipe se portou me deixa tranquilo. Existem formas de perder, mas a de hoje não me preocupa. Santos perdeu o jogo, mas não perdeu sua identidade”, analisou, reforçando a tese de que o Peixe não teve um resultado melhor no Rio de Janeiro por causa do poder de decisão individual.

“Diante da igualdade que se deu hoje, apareceu um jogador que fez um gol que ninguém esperava. Foi muito equilibrado. Existem individualidades que resolvem, não tínhamos muito o que fazer. Nosso time foi valente, não teve medo. Fizemos o que correspondia. Faltou mais pensar na última jogada para tentar um resultado melhor. Viemos buscar a ponta do campeonato e não conseguimos. Foi um jogo igual contra uma equipe que vive um grande momento”, concluiu.

Capitão do Santos já projeta reencontro com Flamengo: “Na Vila o bicho pega”

O Santos saiu de campo derrota pelo Flamengo nesse sábado. O revés causou um distanciamento da liderança justamente na última rodada do primeiro turno. Ainda assim, o capitão santista, Victor Ferraz, preferiu enxergar o lado positivo que o confronto direto apresentou para os paulistas no Maracanã.

“Foi um grande jogo. Eles jogaram muito bem, estão confiantes, com ritmo forte. A gente veio com a proposta de atacar bastante também, pode ver que eles não tiveram muitas chances claras, foi um jogo parelho, de líderes”, analisou o lateral, ao Premiere.

“A gente sai chateado, porque queria ganhar, mas vamos melhorar. Claro que nosso objetivo era acabar (o primeiro turno) em primeiro. Deixamos alguns ‘pontos ganhos’, mas foi um grande primeiro turno e o torcedor pode ficar tranquilo, porque vamos fazer um grande segundo turno e, quem sabe, a gente não pode encontrar o Flamengo na última rodada de novo, e a gente sabe que lá na Vila o bicho pega também”, avisou.

Santos faz melhor turno no Campeonato Brasileiro desde 2016

Com a derrota para o Flamengo, o Santos não conseguiu terminar a primeira metade do Campeonato Brasileiro na liderança. No entanto, o clube ainda alcançou uma marca importante. Com 37 pontos conquistados nas 19 rodadas iniciais, este foi o melhor turno do Peixe desde o Brasileirão de 2016, vencido pelo Palmeiras.

Na ocasião, o Alvinegro Praiano somou 38 pontos no segundo turno da competição, em campanha que culminou no vice-campeonato. Em relação apenas à pontuação do primeiro turno, o desempenho do Santos é o melhor desde 2004, quando a equipe conseguiu 41 pontos. No entanto, o Brasileirão da época era composto por 24 times na primeira divisão, com 23 rodadas por turno.

Desse modo, o aproveitamento nas 19 rodadas iniciais do Campeonato Brasileiro de 2019 é o melhor do Peixe na primeira metade da competição em toda a história dos pontos corridos. Com 64,91% de eficiência, a equipe comandada por Jorge Sampaoli ultrapassou os 59,42% de 2004 e os 63,76% de 2003, quando o Alvinegro Praiano fez 44 pontos nas 23 primeiras rodadas.


Flamengo 1 x 0 Santos

Data: 15/11/2018, quinta-feira, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 46.067
Renda: R$ 1.136.024
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Luciano Roggenbaun e Luiz H Souza Santos Renesto
Cartões amarelos: Rodinei (F); Yuri, Alison, Gabriel, Jean Mota e Gustavo Henrique (S).
Gol: Henrique Dourado (27-2).

FLAMENGO
César, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Pará; Cuellar, Rômulo (Jean Lucas), Diego e Everton Ribeiro; Vitinho (Berrío) e Uribe (Henrique Dourado).
Técnico: Dorival Júnior

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Yuri, Gustavo Henrique e Dodô (Renato); Alison (Eduardo Sasha), Pituca e Arthur Gomes (Jean Mota); Rodrygo, Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Cuca



Gabigol vacila, e Santos perde para o Flamengo no Maracanã

O Flamengo venceu o Santos por 1 a 0 na tarde desta quinta-feira, no Maracanã, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol foi marcado por Henrique Dourado, ex-Peixe, no segundo tempo.

O maior “vilão” foi Gabigol. Pouco antes do Rubro-Negro abrir o placar, Gabigol vacilou ao desperdiçar chance incrível na pequena área para defesa de César. E no fim, aos 43, o camisa 10 teve pênalti defendido pelo goleiro flamenguista.

Com a vitória, o Flamengo ainda sonha com o título. Os cariocas pulam para a segunda colocação, com 63 pontos, sete atrás do Palmeiras, a quatro rodadas do fim. O Peixe estaciona nos 46 depois de três derrotas seguidas e agora é o nono, mais longe da Libertadores de 2019.

O jogo

O cenário do primeiro minuto foi o mesmo do último: Flamengo com a posse de bola e o controle do jogo. O Santos todo no campo de defesa, à espera do contra-ataque.

O Rubro-Negro, porém, não conseguiu infiltrar na defesa do Peixe e só levou perigo em finalizações de fora da área, principalmente com Vitinho e Diego. O Alvinegro não encaixou um bom contra-ataque sequer.

Antes da bola rolar, o técnico Cuca falou sobre a expectativa de um “jogão”. Na prática, a etapa inicial deu sono.

O segundo tempo foi diferente. Sem Arthur Gomes e com Jean Mota no meio-campo, o Santos passou a ser mais organizado, com maior participação no campo de ataque.

O Peixe foi ganhando campo, “gostando do jogo” e teve a melhor chance da partida aos 20. Diego Pituca encontrou Bruno Henrique livre pela esquerda, o atacante cruzou bem e Gabigol, sozinho na pequena área, chutou em cima do goleiro César.

E, na sequência, duas máximas do futebol entraram em ação: “o quem não faz toma” e a “Lei do Ex”. O Flamengo aproveitou a primeira grande oportunidade, quando Diego quebrou o sistema defensivo com lançamento para Berrío aos 27. Jean Mota e Victor Ferraz cochilaram antes de Henrique Dourado, ex-Santos, abrir o placar.

E aos 43, Gabigol teve a chance de se redimir. O atacante sofreu e bateu pênalti, mas parou no goleiro César. O Flamengo venceu o Santos em dia ruim do artilheiro do Campeonato Brasileiro.

Gabigol minimiza erros em derrota do Santos: “Joguei bem”

Gabigol minimizou seus erros decisivos para a derrota do Santos por 1 a 0 para o Flamengo neste sábado, no Maracanã, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mesmo com uma chance clara na pequena área e um pênalti desperdiçados, o camisa 10 entende que fez um bom jogo.

“Ao meu ver joguei bem, tentei ajudar meus companheiros. Infelizmente a bola não entrou, tem dias que não entra. Bati como sempre treino (o pênalti), há mérito dos dois lados”, disse Gabigol, ao Premiere.

O artilheiro do Campeonato Brasileiro não vê a Libertadores de 2019 mais distante, mesmo com o Santos perdendo três jogos consecutivos e agora na nona colocação.

“Creio eu que não (ficou mais difícil a Libertadores), temos quatro jogos. Podemos e temos totais condições de vencer dentro e fora de casa. Temos jogo muito perto no domingo. É descansar e trabalhar bem para conseguir a vitória”, completou.

Cuca valoriza atuação do Santos em derrota e mira “quatro decisões”

O técnico Cuca gostou da atuação do Santos, principalmente no segundo tempo da derrota por 1 a 0 para o Flamengo, neste sábado, no Maracanã, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Cuca diz que o tropeço serve de aprendizado e tira a responsabilidade de Gabigol – o artilheiro perdeu chance clara e um pênalti no segundo tempo.

“Tem 12 meninos (relacionados) e jogaram seis, sete. É um aprendizado em jogo decisivo. Dos males, pelo menos tirar lição do que aconteceu. Que sirva de aprendizado e experiência. Jogaram muito bem mesmo na derrota, controlaram no segundo tempo, mas infelizmente perdemos as chances. No fundo, se torcedor ver atuação com meia dúzia da base, estarão satisfeitos”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Não é ele (Gabigol) o culpado, somos nós. Nessa hora temos que entender que o jogador não perde pênalti porque quer, nem o gol antes, tão fácil quanto o pênalti pela distância. Hoje não era o dia dele, tem que levantar a cabeça e trabalhar ainda mais para dar a volta por cima. Não é todo dia que vai ser fácil, fazer gol… Hora ruim vem, agora é a hora do grande homem e goleador. Se preparar ainda melhor e terminar o ano goleador, fazendo gols que precisamos para ir à Libertadores. Que sirva de aprendizado”, completou.

Cuca agora mira os próximos quatro jogos do Brasileirão em busca da vaga na Libertadores da América em 2019.

“Quero muito classificar. Jogamos bem contra o Palmeiras e perdemos, assim como hoje, e no detalhe também. Poderíamos ter empatado ou vencido, mas temos quatro jogos e não penso em qualquer coisa a não ser ganhar domingo. Depois fazer quarta e sábado com tudo que pudermos em casa. Depois levar as coisas para Recife (contra o Sport), não sei se vai ter se salvado ou não. São quatro decisões e vamos tentar de tudo pelo objetivo. Para quem estava em 17º, estar em oitavo não é de todo ruim. Ruim é chegar no 17º”, concluiu.

Caso perca para o América-MG, Santos pode ter pior sequência de derrotas no ano

O Santos vive momento complicado no Campeonato Brasileiro. Mesmo ocupando a nona colocação, com 46 pontos, e a apenas quatro pontos do Atlético-MG, primeira equipe na zona de classificação para a Libertadores, o clube foi derrotado nas últimas três partidas, algo inédito na temporada. Caso perca novamente no final de semana, para o América-MG, o Peixe irá conhecer o quarto revés consecutivo. Pior marca no ano.

Depois de perder por 3 a 2 para o Palmeiras, no Allianz Parque, o clube da Baixada Santista foi derrotado para a Chapecoense pelo placar de 1 a 0, no Pacaembu, e, na última rodada, por 1 a 0 para o Flamengo, no Maracanã.

Mesmo quando viveu um jejum de cinco partidas sem vitória, com o técnico Jair Ventura, o Peixe não foi derrotado tantas vezes de forma consecutiva. Naquela ocasião, o Santos perdeu para o Luverdense e São Paulo, empatou com o Real Garcilaso, e voltou a ser derrotado pelo Cruzeiro e Atlético-PR.

Para não se distanciar do G6 e atingir o pior retrospecto negativo no ano, os comandos do técnico Cuca terão a missão de vencer o América-MG, fora de casa.


Santos 1 x 1 Flamengo

Data: 25/07/2018, quarta-feira, 21h45.
Competiçao: Campeonato Brasileiro – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.843 pagantes
Renda: R$ 292.847,00
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA).
Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira e Jucimar dos Santos Dias (ambos da BA).
Cartões amarelos: Luiz Felipe (S) e Diego (F).
Gols: Éverton Ribeiro (02-1) e Rodrygo (33-1).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo (Luiz Felipe), Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca (Léo Cittadini) e Eduardo Sasha (Renato); Rodrygo, Bruno Henrique e Gabriel.
Técnico: Serginho Chulapa (interino)

FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá, Éverton Ribeiro, Diego (Henrique Dourado) e Matheus Sávio (Geuvânio); Guerrero (Uribe).
Técnico: Maurício Barbieri



Santos reage com show de Rodrygo e empata com o Flamengo na Vila

O Santos mostrou poder de reação e um melhor futebol do que com o técnico Jair Ventura para empatar em 1 a 1 com o Flamengo na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o ponto conquistado, o Peixe subiu para a 13ª colocação e pode ajudar o São Paulo. O Rubro-Negro se manteve líder, mas pode ser ultrapassado pelo Tricolor, que enfrentará o Grêmio, em Porto Alegre, nesta quinta-feira.

O Flamengo abriu o placar aos 2 minutos, em erro de Bruno Henrique num escanteio e gol de Éverton Ribeiro no segundo pau. O time dirigido por Serginho Chulapa não sentiu o susto e propôs o jogo, com certa desorganização, mas muita raça e pressão na saída de bola carioca, algo que não vinha ocorrendo.

Depois de martelar os visitantes, Rodrygo mostrou que o Real Madrid-ESP acertou e deu um show na Vila. Ele passou por três marcadores e tocou para Gabigol empatar. A jogada foi tão bonita que os companheiros comemoraram com o raio, enquanto Gabriel, ao desencantar, correu para o outro lado.

No segundo tempo, o Santos criou menos e o Flamengo acertou a marcação. O Peixe deu esperança ao torcedor, enquanto o Rubro-Negro terminou mais uma rodada sem perder.

O jogo:

O Santos, com o técnico interino Serginho Chulapa e na 15ª colocação, sofreu um gol do líder Flamengo aos 2 minutos, em casa. Motivos de sobra para desespero, mas o Peixe mostrou força e conseguiu reagir.

O Rubro-Negro abriu o placar com Éverton Ribeiro, após Bruno Henrique perder o tempo da bola e desviar para trás. Na origem do lance, Alison, em uma tentativa de demonstração de raça, deu um bico na bola para a linha de fundo.

O alvinegro demorou poucos minutos para responder ao gol sofrido e passou a tentar, de certa forma desorganizado e muito dependente do lado direito com Victor Ferraz e Rodrygo, empatar. E deu certo. Depois de assustar, o raio decidiu. Recebeu pela direita em um lance que parecia morto, passou por três e cruzou para Gabigol desencantar.

O Santos ainda teve chances para virar e reclamou de um pênalti após toque no braço de Léo Duarte em finalização de Bruno Henrique. O camisa 11, o pior em campo, ainda desperdiçou chance de cabeça depois de cruzamento de Dodô.

O Santos, confiante depois do empate, foi para cima do Flamengo, adiantou as linhas e buscou a virada. O Flamengo, com postura um pouco mais conservadora, adotou a cautela nos primeiros minutos da segunda etapa.

O Peixe não criou chances claras e depois sentiu o cansaço. O Rubro-Negro, então, passou a ter a posse de bola. O goleiro Vanderlei não foi exigido e o contra-ataque alvinegro não encaixou.

Nos minutos finais, a única chance criada foi do Flamengo, em chute do ex-santista Geuvânio para o goleiro Vanderlei espalmar. Empate merecido na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Chulapa elogia o Santos, cobra Gabigol e Bruno Henrique e diz: “Sede de cerveja”

O auxiliar e interino Serginho Chulapa gostou da atuação do Santos no empate em 1 a 1 com o Flamengo nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O ponto não altera muito a posição do Peixe, 13º, mas demonstra força diante do líder da competição.

“Disputamos um jogo contra o primeiro colocado. Time muda um e o nível é o mesmo. Time mostrou determinação, foi um jogo igual. Primeiro tempo muito bom, Vanderlei só fez uma defesa no segundo tempo, no chute do Geuvânio, e tivemos mais oportunidades. Sai satisfeito porque não empatamos com qualquer time, foi com o líder. Tivemos uma evolução boa”, disse Chulapa.

“Passei confiança desde segunda, quando me avisaram… Não tenho vaidade, qualquer hora eu embarco. Acho que passei confiança. Importante porque o time vinha de resultados ruins com o Jair, lamentei muito a saída dele, e estavam querendo buscar um resultado positivo aqui. Empate foi dos males o menor. E motivação. Cobrar, que é o mais importante. Conversei com um por um e depois em conjunto na preleção. Acho que o time fez um bom jogo”, completou o auxiliar.

Chulapa admitiu a má atuação de Bruno Henrique e prometeu cobrar Gabigol, autor do gol de empate do Santos contra o Flamengo.

“Ele (Bruno Henrique) sabe que é o jogador que esperamos muito. Hoje não esteve bem, mas com essa sequência vai ser o Bruno Henrique de antes. Marcou, lutou. Se não joga bem, tem que correr. Esperamos muito dele. Não é o jogador de hoje, a gente conhece, mas teve entrega”, explicou.

“Procuro passar para ele que não é um centroavante, é um meia. Com Ricardo Oliveira, caia pelas laterais e fazia gol que dói. Tem hora que quer enfeitar muito e dei uma dura, mas fez gol, se entregou. Entrega do time foi muito legal. Ele devagarzinho vou pôr na linha. Fez o gol muito importante e dá muita moral”, concluiu.

E para terminar, Serginho Chulapa agradeceu à imprensa e arrancou gargalhadas dos jornalistas: “Estou com uma sede de cerveja que vocês nem imaginam”.

Capitão, Ferraz diz que Santos não pode comemorar empate: “Ganhar todas”

Sem David Braz (suspenso) e Renato (no banco de reservas), Victor Ferraz foi capitão do Santos pela primeira vez na temporada. E o lateral-direito não gostou do empate em 1 a 1 com o Flamengo na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O lateral-direito diz que o elenco não tem o direito de comemorar o ponto conquistado, nem que tenha sido contra o líder do Campeonato Brasileiro.

“Santos não pode comemorar empate na Vila. Se comemorar, está tudo errado. Temos que ganhar todas e essa vai ser a cobrança no vestiário. Enfrentamos uma grande equipe, mas queríamos ganhar. Temos que fazer os três pontos para pensar na decisão pela Copa do Brasil”, disse o camisa 4.

Mauricio Barbieri acusa Chulapa, que adota bom-humor: “Passado me condena”

O técnico interino do Santos, Serginho Chulapa, e o treinador do Flamengo, Mauricio Barbieri, se estranharam no empate em 1 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Barbieri diz que Chulapa o xingou, enquanto o veterano, com bom-humor, afirma que o flamenguista “fugiu” dele e lamenta o histórico negativo enquanto atleta polêmico.

“Ele disse que eu estava falando muito. No intervalo foi falar comigo com palavras de baixo calão, me xingou e eu falei pro bandeira que ele tinha visto. Deveria ter tomado uma atitude. Depois disso aconteceu de novo. Ele foi um grande jogador. Isso é ruim para ele e para a instituição que ele representa. Uma pena que um bom jogo fique manchado por isso”, disse Barbieri. “Acho que o Serginho está equivocado. Ele sabe bem o que aconteceu, não foi isso. Acho que ele foi um atleta fantástico, mas isso não dá a ele o direito de agir como ele agiu. Não sei o que passou pela cabeça dele”. Esse tipo de comportamento (do Chulapa) depõe contra a instituição. As imagens é o árbitro quem tem de tomar providência”, completou.

“Quando acabou o jogo, estou indo para o vestiário e o treinador deles estava saindo. Quando me viu, saiu correndo, não sei o motivo. Não sou o louco de antes. Foi correndo e reclamou que eu queria bater nele. Fui falar com o juiz e ele me expulsou. Passado me condena, é uma desgraça. Independentemente disso, não ligo para isso, o mais importante é que os jogadores se empenharam ao máximo. Resultado não sei se é igual, mas 13 chutes cada time no gol. Tivemos três chances no primeiro tempo”, relatou Chulapa.

“Juiz me expulsou. Juro por Deus. Primeira vez que eu não sei o porquê. Depois me abraçou, tudo de bom, me expulsa e tudo de bom? Tem que vir outro. Para mim, sinceramente, não dá não. É sofrimento. Fazia tempo que eu não assumia. Mas acho que temos outras pessoas que podemos ficar e ajudar, ficar no banco. Vamos procurar fazer o melhor mesmo não estando no banco”, concluiu.

A CBF divulgou a súmula no início desta quinta-feira e referendou o discurso de Barbieri: “Serginho Chulapa adentrou o campo e se dirigiu até o técnico Mauricio Barbieri, pronunciando as seguintes palavras: “Seu f…, você quis apitar o jogo. sendo em seguida contido pelos atletas e membros da comissão técnica do Santos.

Serginho Chulapa não poderá comandar o Santos do gramado contra o América-MG, domingo, mais uma vez na Vila Belmiro. O Peixe espera ter um novo técnico até lá.


Flamengo 1 x 2 Santos

Data: 26/11/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Luso-Brasileiro, a Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 15.456 presentes (13.798 pagantes)
Renda: R$ 288.083,00
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC/FIFA) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Diego e Felipe Vizeu (F); Jean Mota e Alison (S).
Gols: Lucas Paquetá (06-1), Bruno Henrique (10-1) e Arthur Gomes (28-2).

FLAMENGO
Alex Muralha; Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Renê; Willian Arão (Vinícius Júnior), Gustavo Cuéllar e Diego (Geuvânio); Everton Ribeiro, Lucas Paquetá e Felipe Vizeu (Lincoln).
Técnico: Reinaldo Rueda

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Fabián Noguera e Jean Mota; Alison, Renato e Vecchio (Kayke); Bruno Henrique (Matheus Jesus), Copete (Arthur Gomes) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Elano Blumer



Santos bate Flamengo e se garante na fase de grupos da Libertadores

O Santos garantiu presença na fase de grupo da Copa Libertadores 2018 durante a noite deste domingo. Na Ilha do Urubu, o time alvinegro começou em desvantagem diante do Flamengo, mas conseguiu no segundo tempo a virada por 2 a 1, resultado que assegura a classificação.

Com 62 pontos ganhos, o Santos dorme na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, enquanto o Flamengo, com os mesmos 53 pontos, permanece no sexto lugar. A posição dos dois times pode ser influenciada pelo jogo entre Palmeiras (60) e Botafogo (52), que duelam às 20 horas (de Brasília) de segunda-feira, no Palestra Itália.

Pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos volta a campo para enfrentar o Avaí, time que ainda luta para evitar o rebaixamento. Já o Flamengo pega o também ameaçado Vitória, no Estádio Barradão. Todos os jogos serão disputados às 17 horas de domingo.

Antes de pensar no Brasileiro, o Flamengo tenta garantir vaga na decisão da Copa Sul-Americana. Às 22h15 da próxima quinta-feira, na Colômbia, o time rubro-negro encara o Junior Barranquilla precisando de um empate para avançar à final do torneio continental.

O jogo

Em um começo de jogo movimentado na Ilha do Urubu, o Flamengo saiu na gente logo aos seis minutos do primeiro tempo. Após escanteio pela esquerda, o zagueiro Rafael Vaz cabeceou, Victor Ferraz não conseguiu afastar e a bola sobrou para cabeçada certeira de Lucas Paquetá.

O Santos não sentiu o gol e conseguiu empatar quatro minutos depois, com a colaboração de Alex Muralha. O goleiro falhou na tentativa de driblar Ricardo Oliveira e perdeu a bola. O centroavante, então, tocou para Bruno Henrique completar com o gol vazio.

O time visitante marcou o gol da virada aos 28 minutos da etapa complementar, em nova falha de Alex Muralha. Colocado pelo técnico Elano no lugar de Copete, Arthur Gomes limpou a marcação pela esquerda e bateu para outro vacilo do goleiro adversário.

O Flamengo pressionou e buscou o empate nos minutos finais da partida, especialmente com o jovem Vinícius Júnior, posicionado na ponta esquerda. No entanto, o Santos soube como se defender na Ilha do Urubu e garantiu o triunfo para avançar à fase de grupos da Copa Libertadores 2018.

Bastidores – Santos TV:

Elano fala em “noite memorável” e valoriza vaga na Copa Libertadores

Encarregado de comandar o Santos após a saída do técnico Levir Culpi, Elano conduziu o time a uma vaga antecipada na fase de grupo da Copa Libertadores 2018. Satisfeito, o interino valorizou o feito após a vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, alcançada na noite deste domingo, na Ilha do Urubu.

Com 62 pontos ganhos, o Santos dorme na terceira colocação do Campeonato Brasileiro e ainda pode ser ultrapassado pelo Palmeiras, que tem 60 e ainda enfrenta o Botafogo na noite desta segunda-feira, no Palestra Itália. De qualquer maneira, o time praiano terminará, na pior das hipóteses, no quarto posto.

“É uma noite muito memorável. Estou vivendo uma experiência que não é simples. Enfrentar uma equipe da grandeza do Flamengo… Estive aqui e sei o que significa. É um clube fantástico e dirigido por pessoas capacitadas. Poder vir aqui, fazer um grande jogo e vencer é memorável”, declarou Elano.

O Flamengo chegou a sair na frente com um gol marcado por Lucas Paquetá, mas Bruno Henrique empatou para o Santos ainda no primeiro tempo. Na etapa complementar, colocado por Elano no lugar de Copete, Arthur Gomes marcou o gol da vitória.

“Estou muito feliz, porque é uma noite em que vou conseguir dormir muito melhor. É especialíssima para mim. Agradeço aos atletas e à diretoria pela confiança, mas o mais importante nesse momento é que o objetivo de Libertadores foi alcançado”, declarou Elano, evitando comentar o desempenho do vulnerável Alex Muralha.

“O Ricardo Oliveira foi muito bem, muito rápido. Acho que é mérito dos nossos atletas, que fizeram o que treinamos. Foi tudo muito bem executado e eles estão parabéns por uma noite memorável. Estamos na Libertadores, classificados à fase de grupos”, reiterou o interino.


Santos 3 x 2 Flamengo

Data: 02/08/2017, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 27.030 presentes (24.707 pagantes e 2.323 não pagantes)
Renda: R$ 870.640,00
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (ambos de GO).
Cartões amarelos: Yuri e Lucas Lima (S); Rodinei, Diego, Everton (F).
Cartões vermelhos: Rodinei (F) e David Braz (S).
Gols: Bruno Henrique (08-2), Éverton Ribeiro (11-2), Felipe Vizeu (21-2), Alison (39-2) e Ricardo Oliveira (43-2).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota (Kayke); Yuri (Zeca), Renato (Alison) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi

FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei, Réver, Juan e Renê (Berrío); Márcio Araújo, Willian Arão, Diego (Pará) e Éverton Ribeiro; Everton e Guerrero (Felipe Vizeu).
Técnico: Zé Ricardo



Santos vira na raça, bate Flamengo e segue em terceiro no Brasileirão

O início de Santos e Flamengo nesta quarta-feira não foi nada animador. Porém, o segundo tempo foi digno do embate que aconteceu entre as equipes na última semana. Em mais um confronto recheado de alternativas, o Peixe abriu o placar, viu o Rubro-Negro marcar duas vezes, mas buscou a virada novamente na raça e venceu por 3 a 2, no Pacaembu, em duelo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a vitória, o alvinegro chegou aos 34 pontos e manteve-se na terceira posição. Já o Mengão ficou estacionado com 29 e termina a rodada em quinto.

O jogo:

No primeiro tempo, Santos e Flamengo não conseguiram repetir o ótimo duelo que aconteceu na semana passada, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil. Com pouca inspiração, as duas equipes fizeram uma primeira etapa bastante truncada no Pacaembu.

Porém, o Rubro-Negro conseguiu ser superior ao Peixe. Tanto que as duas chances mais claras foram do time carioca. Aos 23 minutos, Guerrero recebeu bom cruzamento de Rodinei, mas falhou na hora de bater e perdeu ótimo oportunidade de frente para o gol.

Já aos 34 minutos, Willian Arão desviou cobrança de escanteio na primeira trave e Juan apareceu completamente livre dentro da área, mas cabeceou para fora. No ataque seguinte, Diego arriscou de longe e Vanderlei salvou. No rebote, Felipe Vizeu dominou, limpou a marcação e mandou na trave, assustando os santistas no Pacaembu.

O Santos, por sua vez, apostava na velocidade de Bruno Henrique, mas pouco conseguiu penetrar na zaga flamenguista e não assustou o goleiro Diego Alves em toda a primeira etapa.

Os primeiros momentos depois do intervalo não davam demonstrações de que o jogo seria melhor. Porém, Bruno Henrique tratou de colocar emoção ao jogo logo aos 8 minutos. Após chute de Ricardo Oliveira, a bola desviou em Márcio Araújo e caiu nos pés de Bruno Henrique, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes e abrir o placar no Pacaembu.

Mas a alegria dos santistas durou pouco. Três minutos após fazer 1 a 0, o Peixe viu o Mengão chegar ao empate em grande estilo. Éverton Ribeiro recebeu de Rodinei na entrada da área e soltou uma bomba. A redonda desviou levemente na zaga e enganou Vanderlei. Golaço e 1 a 1 no marcador.

O tento animou os flamenguistas, que partiram para cima e aproveitaram falha defensiva do Santos para virar o jogo em dez minutos. Aos 21, Willian Arão encontrou um buraco no meio da zaga e achou Felipe Vizeu. De frente com Vanderlei, o atacante bateu de esquerda e colocou o Rubro-Negro na frente.

Após sofrer a virada, o Peixe começou a mostrar nervosismo e não conseguiu melhorar nem com a expulsão de Rodinei, aos 28, após forte entrada em Jean Mota.

Porém, o futebol é um esporte imprevisível. Justamente em seu pior momento no jogo, o Santos chegou ao 2 a 2 após chutaço de longe de Alison. E quando parecia que o empate estava decretado, Daniel Guedes cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira, que venceu Diego Alves e decretou a virada santista no Pacaembu.

Bastidores – Santos TV:

Virada heroica no fim salva invencibilidade do Santos no Pacaembu

Parecia que a noite de 2 de agosto de 2017 ficaria marcada como o dia em que a invencibilidade do Santos no Pacaembu chegou ao fim. Parecia! Perdendo para o Flamengo por 2 a 1 até os 39 minutos do segundo tempo, o Peixe buscou uma virada heroica nos últimos momentos do confronto, válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, e manteve o retrospecto quase perfeito no estádio paulistano.

A última derrota do alvinegro na ‘segunda casa’ foi em abril de 2014, no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista, contra o Ituano. De lá pra cá, o alvinegro já disputou 23 jogos no estádio, sendo 22 vitórias e apenas um empate.

“Gostamos muito do Pacaembu. Sempre jogamos para frente aqui”, disse o volante Renato, que voltou ao Peixe após ficar ausente sem seis partidas na temporada.

E além de manter a série invicta, a vitória sobre o Fla fez o Santos chegar ao seu décimo jogo seguido sem derrota em 2017, terminando a 18ª rodada na terceira colocação do Brasileiro, com 34 pontos.