Navegando Posts marcados como Flamengo

Flamengo 2 x 0 Santos

Data: 27/11/2016, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 33.924 pagantes (37.615 presentes)
Renda: R$ 1.601.982,00
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Diego (F)
Gols: Paolo Guerrero (05-1) e Diego (39-2).

FLAMENGO
Alex Muralha, Pará, Rafael Vaz (Juan), Réver e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Diego, Gabriel (Fernandinho) e Everton; Paolo Guerrero (Leandro Damião).
Técnico: Zé Ricardo

SANTOS
Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Yuri e Zeca; Renato (Arthur Gomes), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Léo Cittadini), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Guerrero e Diego marcam, Fla vence o Santos e fica com a vice-liderança

O Flamengo fez sua última partida no Maracanã neste Campeonato Brasileiro, e se despediu de sua torcida com vitória de 2 a 0 sobre o Santos. Guerrero e Diego, ex-Peixe, marcaram os gols do Rubro-Negro, que ainda não havia vencido no estádio na temporada.

Superior durante quase toda a partida, o Flamengo recuperou do próprio Santos a vice-liderança do Brasileirão, e levou a decisão de quem ficará em segundo para o campeão Palmeiras para a última rodada.

Ttodos os confrontos de encerramento, por enquanto, estão programados para as 17h do próximo domingo. O Flamengo visita o Atlético-PR na Arena da Baixada, e o Santos recebe o já rebaixado América Mineiro, na Vila Belmiro.

O Flamengo tem 70 pontos na tabela de classificação, enquanto o Santos, agora terceiro, tem 68.

O jogo

Apesar do sol forte e do calor no Rio de Janeiro, a partida apresentou boa movimentação desde o primeiro tempo. O Santos começou indo ao ataque pela direita. O Lateral Victor Ferraz levantou na área e Muralha tirou de soco. A bola saiu da área, mas Thiago Maia aproveitou o rebote e arriscou o chute. A bola saiu com perigo, à direita da meta Rubro-Negra.

O Fla respondeu aos tês minutos, quando Gabriel recebeu de Diego na entrada da área e tirou do goleiro, mas Victor Ferraz apareceu para afastar o perigo.

Aos cinco, saída de bola errada do Santos, e passe em direção ao meio campo, mas a bola acabou voltando para a frente da área. Paolo Guerrero dominou livre e acertou uma bomba no canto de Vanderlei para abrir o placar.

Com 1 a 0, o Flamengo anulou o ímpeto inicial santista, e passou a controlar o jogo. Apesar do Peixe ter mais posse de bola, era o Flamengo qu levava mais perigo e esteve perto de marcar o segundo antes do intervalo.

Aos 20, após nova saída de bola errada do Santos, Márcio Araújo cobra lateral na ponta esquerda e aciona Jorge. O lateral vai a linha de fundo e, mesmo marcado, consegue mandar para o meio. Vanderlei se estica e corta o lance.

O Peixe respondeu na sequência. Lucas Lima abriu para Vitor Bueno na direita e ele lançou Ricardo Oliveira na área. O atacante tentou o chute cruzado mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

O Fla partiu em contra-ataque rápido aos 25. Diego rolou para Márcio Araújo que correu desde seu campo a entrada da área santista e tentou Guerrero. A zaga tentou cortar, mas Guerrero recuperou e soltou a bomba, que acabou subindo de mais.

No minuto seguinte, Diego cobrou falta da intermediária e levantou na área. Vanderlei saiu, mas não achou nada e a bola sobrou na esquerda para Everton. O meia cruzou e Gabriel testou no travessão.

O Santos tenta mais uma vez pela direita aos 30, e desta vez é Victor Ferraz que recebe e tenta o chute cruzado. A bola não vai com muita força e Muralha defende com tranquilidade.

Aos 38, Pará fez grande jogada pela direita, partiu em direção à area e rolou para Diego no meio. Ele viu Guerrero na esquerda e tocou para o peruano, que tentou o chute mas a bola saiu pela linha de fundo.

O Santos chegou com perigo antes do apito final da primeira etapa. Aos 42, Lucas Lima cobrou escnateio pela esquerda e Copete cabeceou, mas a bola saiu com perigo e não acertou o gol.

A segunda etapa começou movimentada. Em grande tarde, Everton arrancou pela esquerda, cortou para o meio na frente da área e inverteu a jogada para Guerrero. O peruano ajeitou, mas bateu mal na bola e ela subiu muito.

O Santos respondeu, aos 9 minutos, na cobrança de uma falta da intermediária. Vitor Bueno levantou e Ricardo Oliveira entrou sozinho para cabecear. Muralha fez grande defesa, mas o lance já havia sido paralizado e o impedimento do atacante do Santos foi marcado.

O jogo caiu de ritmo, com as duas equipes acusando um certo desgaste. Mas o Flamengo continuava muito mais incisivo em campo, só que perdia oportunidades de ampliar o placar.

Aos 22, tabela entre Diego e Pará pela direita e Everton foi acionado dentro da área. O meia faz o pivo e atrasou para Márcio Araújo bater de primeira e obrigar Vanderlei a se esticar para evitar o gol e mandar para escanteio.

Três minutos depois, Guerrero perdou um gol incrível. Pará recebeu na direita e tocou na frente para Gabriel, que girou e levantou na área. A zaga tentou cortar de cabeça mas a bola sobra do outro lado para o peruano livre. Mas ele, de frente para o gol, matou na coxa e chuta para fora.

O Flamengo chegou ao segundo gol aos 39, e deu números finais ao espetáculo. Em nova trama pela direita entre Pará e Gabriel, o lateral cruzou no segundo pau e Diego se esticou para tocar de primeira, de perna esquerda, para o fundo da rede.

Bastidores – Santos TV:

Dorival vê falhas no último passe e lamenta derrota no Maracanã

A derrota por 2 a 0 para o Flamengo não era o resultado que o Santos queria. O Peixe acabou ultrapassado justamente pelo Rubro-Negro e caiu para o terceiro lugar do Campeonato Brasileiro. Ao analisar o desempenho do time no Maracanã, o técnico Dorival Júnior lamentou o gol sofrido com apenas quatro minutos de jogo e apontou erros no último passe.

“Primeiro, o gol logo de início, deu uma condição favorável. O Flamengo jogou na espera, mas foi agressivo, uma equipe muito bem treinada. O Santos tentou envolver. Pecamos muito no último passe. Foi um jogo difícil, complicado, porém leal. O Flamengo teve merecimento no resultado”, avaliou.

A derrota, porém, não desanima o Santos. O comandante alvinegro garante o time forte para a última rodada, contra o América-MG. Com 68 pontos, o Peixe precisa vencer o Coelho e torcer contra o Flamengo para terminar como vice-campeão brasileiro.

“O campeonato não está definido. Temos mais uma rodada e vamos brigar até o último momento. O Palmeiras é o legítimo campeão, toda equipe está de parabéns. O Santos fez um grande campeonato, assim como Flamengo e Atlético-MG. Foi uma competição bem disputada, um pouco diferente das anteriores. O Santos, por tudo que passou, fez um campeonato brilhante”, declarou.

Apesar de ter pela frente o já rebaixado e lanterna da competição, Dorival não prevê facilidades para o duelo do próximo domingo, na Vila Belmiro, e promete uma equipe atenta durante os 90 minutos para buscar a vitória.

“O Flamengo com certeza lutará até o último instante pela vitória. Teremos novamente uma rodada difícil e complicada. Porém, estaremos atentos e brigando pela melhor colocação”, finalizou o treinador santista.

Ricardo Oliveira lamenta derrota e volta as atenções para o América-MG

No duelo que valia a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, o Santos acabou derrotado por 2 a 0 pelo Flamengo, no Maracanã, e caiu para a terceira posição. Insatisfeito, Ricardo Oliveira lamentou o resultado e voltou às atenções para o último compromisso do torneio nacional, diante do América-MG.

“Não dá para prever. Hoje não conseguimos fazer o nosso jogo, apesar de termos possibilidades dentro do jogo. Não conseguimos, não fomos hoje aquela equipe que vínhamos sendo nas partidas anteriores. Agora é pensar no último jogo, dentro de casa, e procurar recuperar esta segunda colocação”, declarou o capitão santista ao canal Premiere.

O Santos volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, às 17 horas (de Brasília) para enfrentar o lanterna e já rebaixado América-MG, na Vila Belmiro. Para terminar a competição em segundo lugar, o Peixe precisa vencer o Coelho e torcer para um tropeço do Flamengo, que visita o Atlético-PR.

Mesmo sem título, Copete vê temporada positiva e quer o vice

Chegou oficialmente ao fim o sonho do Santos conquistar o título do Campeonato Brasileiro. Após a derrota por 2 a 0 para o Flamengo, no último domingo, no Maracanã, o Peixe viu o Palmeiras ficar com a taça ao bater a Chapecoense por 1 a 0, no Allianz Parque. Porém, os jogadores e a comissão técnica do alvinegro não estão desanimados.

Apesar de não trazer o caneco para a Vila Belmiro, o clube faz sua melhor campanha na história do torneio disputado por pontos corridos e ainda garantiu vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017, coisa que não acontecia há quatro anos. Segundo o atacante Jonathan Copete, o trabalho desta temporada pode ser visto com bons olhos pela torcida.

“Minha avaliação é positiva. Tanto para o meu desempenho, quanto para o dos meus companheiros. Fizemos um bom trabalho dentro do campeonato. Sabemos que temos que melhorar ainda mais para a próxima temporada, porque teremos objetivos ainda maiores”, afirmou o colombiano.

Se a temporada do Santos pode ser vista de forma positiva, o desempenho de Copete no clube é para ser aplaudido de pé. Contratado no meio da temporada, ele se adaptou rapidamente ao futebol brasileiro. Com a saída de Gabigol, vendido para a Inter de Milão, em agosto, o atacante assumiu a titularidade e foi decisivo para o Peixe nesta reta final de Brasileirão. Tanto que virou o artilheiro da equipe na competição nacional, com 10 gols, ao lado de Vitor Bueno e Ricardo Oliveira, e também é o maior garçom do time no torneio, com cinco assistências, junto com Jean Mota.

Sem título, o alvinegro ainda luta para ficar com o vice-campeonato. O revés para o Flamengo fez a equipe cair para a terceira colocação. Afinal, terminar em segundo irá render R$ 3,4 milhões a mais no caixa do clube. E para ultrapassar o Rubro-Negro, o Santos precisa bater o já rebaixado América-MG, neste domingo, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro.

“Precisamos do apoio dos torcedores no jogo da última rodada. Pode decidir a segunda colocação na tabela de classificação. Já alcançamos um dos objetivos, que era a vaga direta para a Libertadores mas vamos seguir trabalhando e buscar fazer um grande jogo no domingo”, declarou.

Santos 0 x 0 Flamengo

Data: 03/08/2016, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá, MT.
Público: 21.799 torcedores
Renda: R$ 1.748.455,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Marcio Gleidson Correia Dias e Helcio Araujo Neves (ambos de PA).
Cartões amarelos: Caju (S); Everton e Rafael Vaz (F).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Leo Cittadini, Jean Mota (Joel) e Vitor Bueno; Copete e Rodrigão (Elano).
Técnico: Dorival Junior.

FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Chiquinho; Marcio Araújo, Willian Arão, Allan Patrick (Mancuello) e Everton (Adryan); Marcelo Cirino (Fernandinho) e Guerrero.
Técnico: Zé Ricardo



Peixe empata com Fla, dorme na ponta e pode quebrar jejum de 10 anos

O torcedor santista viveu uma noite especial nesta quarta-feira. O Peixe assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro, pelo menos até o complementado da 18ª rodada. Caso o Palmeiras perca para a Chapecoense e o Grêmio não vença o Santa Cruz, o alvinegro praiano quebrará 10 anos de jejum. A última vez que a equipe ocupou a primeira colocação foi em maio de 2006, ao fim da 5ª rodada daquela edição. A ponta da tabela, com 33 pontos, foi alcançada após a equipe empatar em 0 a 0 com o Flamengo, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

A liderança santista, ainda que provisória, foi construída graças a uma grande atuação do goleiro Vanderlei, que parou o ímpeto flamenguista, muito mais presente no ataque que o time santista.

Desfalcado de muitas peças, o Peixe valorizou a posse de bola e os contra-ataques, até teve chance de fazer o seu gol, mas o Flamengo foi mais agressivo e poderia até ter vencido a partida. Com a informação de que o Corinthians havia tropeçado em Curitiba, diante do Atlético-PR, o Peixe cadenciou a partida nos minutos finais e assegurou o empate.

O jogo

Com muita disposição, o Flamengo começou a partida partindo para cima do Santos. As descidas do rubro-negro carioca ocorriam na maioria das vezes pelo lado esquerdo da defesa santista, onde Caju tinha bastante dificuldade na marcação. Pela esquerda, Copete não recompunha bem, Leo Cittadini não marcava bem e por isso lateral-esquerdo santista ficava sobrecarregado.

Embora o Flamengo chegasse mais ao ataque, foi o Peixe quem teve a chance mais perigosa, quando aos 34 minutos, Caju tocou para Vitor Bueno, na direita. O meia pegou na bola de primeira e acertou a trave direita de Alex Muralha.

Com a pressão flamenguista, o Santos não conseguia manter a posse de bola. Jean Meia, o armador, quase não participava da partida.

O Flamengo seguia a sua sina de estar mais presente no ataque, mas foi o Santos quem novamente criou uma melhor oportunidade, quando Copete, aos 44, percebeu Alex Muralha um pouco adiantando e tentou surpreender com um chute do meio de campo. A bola caiu atrás do travessão rubro-negro.

No segundo tempo, o Santos voltou ainda mais precavido, sempre no aguardo das ações do adversário.

E mais uma vez a história se repetiu. O Flamengo mais entusiasmado no ataque, mas o Santos é quem chegou perto do gol, quando, aos 14, Rodrigão recebeu dentro da área, cortou Réver e chutou forte com boa defesa de Alex Muralha.

Os cariocas finalmente responderam, aos 17, com Everton acertando chute rasteiro, nono canto esquerdo, para intervenção de Vanderlei para a alinha de fundo.
Aos 24, Everton recebeu na esquerda, dentro da área, e chutou para nova defesa de Vanderlei.

Aos 43, o Santos que conservava o empate e a provisória liderança, passou por um enorme susto, quando Mancuello acertou o travessão, depois de finalizar de fora da área.

E ainda teve tempo para mais sufoco do Flamengo. Aos 46, Vanderlei fez nova defesa, quando Mancuello chutou para mais uma defesa do goleiro santista. Aos 48, no último lance do jogo, Fernandinho cabeceou e Caju desviou a bola com a mão dentro da área, mas o árbitro apitou o final da partida.

Bastidores – Santos TV:

Santistas celebram ponta da tabela e valorizam trabalho realizado

Após o apito final, o sentimento comum entre jogadores e comissão técnica do Santos foi de que a equipe fez por merecer assumir a liderança do Campeonato Brasileiro. Todos foram unanimes em dizer que chegar a ponta da tabela era questão de tempo por conta do trabalho realizado ao longo da competição.

“Ficamos muito felizes com a liderança, que é fruto de um trabalho bem feito, de uma sequência de bons jogos. Vamos esperar o fim da rodada e podemos comemorar por enquanto, mas temos que ser líderes no dia 4 de dezembro. Agora é descansar e enfrentar o América-MG para terminar bem o turno”, ressaltou o lateral-direito Victor Ferraz, referindo-se ao duelo diante do lanterna do campeonato, no domingo, as 11 horas, em Belo Horizonte. “É o lugar onde o Santos merece estar. A gente vem fazendo um grande trabalho”, disse o meia Elano, sobre a liderança do Santos, com 33 pontos.

O técnico Dorival Júnior avaliou o desempenho santista e valorizou o resultado, principalmente pelo fato de o time ter se apresentando sem cinco titulares. “Foi um ponto importante. Se considerarmos que jogamos sem cinco jogadores, quem entrou foi valente. Estávamos em igualdade de condição com o Flamengo no jogo. Perdemos 50% da equipe e não é fácil repor. É um ponto somado fora de casa”, disse o treinador, que valorizou a entrega de seus atletas.

“Só tenho que enaltecer a atitude desses jogadores. É um ponto que pode ser decisivo lá na frente. Há muitos anos o Santos não se aproximava da liderança. É um fato importante, temos a segunda defesa menos vazada, o melhor ataque, mesmo com todos esses problemas”, destacou.

Mais do que liderança, Dorival prega regularidade no Brasileirão

Desde que foi derrotado pelo Grêmio, por 3 a 2, em Porto Alegre, em 29 de junho, o Santos não sabe o que é perder. A data coincide com uma arrancada da equipe no Campeonato Brasileiro, que agora alcança a liderança, e ainda uma classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil.

Desde o revés para o tricolor gaúcho, nos minutos finais, o Peixe engatou no Brasileiro uma sequência de 13 pontos em possíveis 18 nas últimas seis rodadas, aproveitamento que nenhuma equipe conseguiu nesse espaço de tempo. Foram vitórias diante de Chapecoense (3 a 0), Ponte Preta (3 a 1), Vitória (3 a 1) e Cruzeiro (2 a 0) e empates diante de Palmeiras (1 a 1) e Flamengo (0 a 0).

A fase é tão boa que o ataque marcou 12 gols nesses seis jogos, sendo o mais eficiente entre os concorrentes e a defesa sofreu apenas quatro gols, sendo uma das três retaguardas que menos foi vazada. Tudo isso em meio a muitos desfalques. Por conta dessas ausências, o técnico Dorival Júnior prefere valorizar a manutenção da maneira como a equipe tem atuado.

“Não tem que alterar nada. Não temos como objetivo a liderança momentânea. Não é tão importante quanto manter a postura que a equipe vem tendo. Nossa sequência nos dirá o caminho a ser tomado”, explica.

Para próxima rodada, diante do América-MG, no domingo, as 11 horas, em Belo Horizonte, além de já não poder contar com Zeca, Thiago e Gabriel, que estão na seleção olímpica, o treinador ainda não sabe se poderá escalar Lucas Lima, que segue em tratamento de um edema na coxa esquerda.

Além do meia, Ricardo Oliveira esteve fora diante do Flamengo, na quarta-feira, mas deve retornar a equipe para o duelo diante dos mineiros.

Santos 0 x 0 Flamengo

Data: 19/11/2015, quinta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 35ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.071 pagantes
Renda: R$ 324.085,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (SC) e Ivan Carlos Bohn (PR).
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Thiago Maia (S); Jorge [2] e Ayrton (F).
Cartão vermelho: Jorge (F).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Gustavo Henrique, David Braz e Zeca; Renato (Serginho), Thiago Maia e Marquinhos Gabriel; Geuvânio (Neto Berola), Gabriel (Leandro) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior

FLAMENGO
Paulo Victor; Pará (Ayrton), César Martins, Wallace e Jorge; Jonas (Canteros), Márcio Araújo, Gabriel e Alan Patrick; Emerson Sheik e Kayke (Guerrero).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Santos só empata com o Flamengo e perde sua posição no G4

A parada de dez dias não fez bem para o Santos. Longe de apresentar o futebol vistoso e ofensivo que o caracteriza na Vila Belmiro, o Peixe encontrou muita dificuldade diante de um Flamengo ousado, com a marcação alta. O empate por 0 a 0 na noite desta quinta-feira, com muito calor na Baixada, ainda ficou barato para os santistas, que viram Vanderlei brilhar no gol e evitar a derrota. Mesmo assim, a igualdade foi péssima para os alvinegros, que com a vitória do São Paulo em cima do Atlético-MG, perderam seu posto no G4. Agora, o Tricolor soma 56 pontos, contra 55 do Peixe.

Para o Flamengo, o empate faz com que a equipe rubro-negra alcance os 48 pontos e torna-se o sonho de alcançar uma vaga na próxima Copa Libertadores da América praticamente impossível.

Agora, Santos e Flamengo voltam a campo no próximo domingo. O time de Dorival Júnior visita o Coritiba, às 19h30, no estádio Couto Pereira. Esta partida acontecerá com portões fechados por causa de uma punição imposta ao clube paranaense. Mais cedo, às 18 horas, o Flamengo recebe a Ponte Preta, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. As atenções santistas, porém, estão voltadas para o duelo de quarta-feira, contra o Palmeiras, pela primeira final da Copa do Brasil, na Vila Belmiro. O segundo clássico, que definirá o campeão, está marcado para o dia 2 de dezembro, no Allianz Parque, em São Paulo.

O jogo

Os primeiros 45 minutos de jogo mostram que Oswaldo de Oliveira realmente conhece bem os santistas com quem ele trabalhou tanto em 2014. Com Guerrero iniciando uma partida no banco de reservas pela primeira vez, o Flamengo adotou uma postura de marcação alta e chegada ao ataque com cinco jogadores muitas vezes. O Santos talvez não esperasse tanta ousadia dos rubro-negros e não conseguiu encaixar seu jogo.

O primeiro lance de perigo veio com Gabriel, em cruzamento rasante que Zeca evitou o gol. Emerson Sheik por pouco não abriu o placar em seguida, após cobrança de escanteio.

A resposta santista veio com Geuvânio, aos 10 minutos. Escalado por causa da ausência do suspenso Lucas Lima, o Caveirinha bateu de longe, bem ao seu estilo, e viu Paulo Victor espalmar.

Mas logo o Flamengo voltou a dominar o ritmo da partida e iniciou um verdadeiro bombardeio para cima do goleiro Vanderlei, que se saiu bem em todos os lances e salvou o Peixe da derrota na primeira etapa.

Primeiro, Renato saiu jogando mal e, em contra-ataque, Emerson entrou na área e bateu cruzado. O camisa 1 alvinegro teve reflexo para defender no chão. Um minuto depois, Kayke recebeu lançamento nas costas de Zeca e, cara a cara, encheu o pé, mas também parou no paredão da Vila, que saiu do gol abafando. A terceira tentativa flamenguista em sequência foi de Gabriel, que tabelou com Pará pela direita e soltou a bomba de fora da área. Nesta, Vanderlei teve de se esticar todo para evitar o gol dos cariocas.

O Peixe só respondeu aos 39, em chute de Gabriel da meia lua que subiu demais. Dorival Júnior não parou de gritar, gesticular e tentar arrumar seu time em meio a pressão do Flamengo, mas, não teve jeito. Para alívio dos torcedores do time da casa, o primeiro tempo acabou 0 a 0.

As equipes voltaram para o segundo tempo sem alterações, mas com posturas diferentes. O Flamengo perdeu o ímpeto de marcar a saída de bola alvinegra e o Peixe partiu em busca de exercer seu papel de mandante na Vila Belmiro. Mas, na prática, o jogo ficou menos vistoso, com mais embates no meio de campo.

O Peixe tentou de tudo, Gabriel foi quem mais chegou perto de abrir o placar, mas não era noite dos santistas. O Flamengo ainda teve duas chances claras com Guerrero no fim, mas novamente Vanderlei apareceu para salvar o Santos, que, com o empate por 0 a 0, além de deixar o G4, também acabou com a sequência de 15 vitórias seguidas em seu alçapão.

Bastidores – Santos TV:

Dorival vê Vanderlei herói, reclama de gramado e admite Fla melhor

O empate por 0 a 0 com o Flamengo foi ruim para o Santos. A equipe deixou o G4 do Campeonato Brasileiro e quebrou a série de 15 vitórias seguidas em casa. Mas, a verdade é que os santistas não podem reclamar muito. Isso porque o time esteve tão perto de sair da Vila Belmiro derrotado, que a igualdade pode ser vista como “lucro”. E muito graças a Vanderlei. O goleiro do peixe fez pelo menos quatro defesas milagrosas e obteve o reconhecimento de seu treinador depois do jogo.

“Provavelmente, sim. (foi herói). Pelo Santos, com certeza. O Flamengo também teve quem se destacou. O resultado não aconteceu porque o Flamengo se comportou bem”, analisou Dorival Júnior, bastante irritado com a atuação do seu time. “Sempre é preocupante. Estamos trabalhando frequentemente. Depois de muito tempo fizemos uma partida abaixo das condições”, completou.

E quando questionado se o fato do Santos ter feito uma partida tão abaixo do que faz de costume tinha a ver com a ausência de Lucas Lima, que não pôde atuar por estar suspenso, Dorival logo rechaçou ligar uma coisa a outra.

“Natural que o Lucas faça falta, mas nossa equipe não se encontrou e pegamos um Flamengo jogando muito bem. Enfrentamos uma equipe que se comportou melhor. Temos de reconhecer que fez uma partida em alto nível e neutralizou as nossas jogadas. Tivemos nossos erros e problemas e não conseguimos encaixar o que sempre foi nosso forte”, comentou o treinador.

Sem deixar de assumir a responsabilidade de sua equipe pelo empate por 0 a 0, Dorival também não deixou de criticar o gramado da Vila Belmiro, que não estava em boas condições nesta quinta-feira e, na opinião do técnico, acabou dificultando ainda mais o jogo para os santistas.

“Atrapalhou o espetáculo de modo geral. Foi uma reclamação geral de todos os jogadores. Realmente comprometido. Não conseguimos impor nossa maneira de jogar. Lamentável que tenha acontecido. Mas, o principal fator foi enfrentar uma equipe que jogou”, ressaltou Dorival, antes de finalizar.

“Temos que enaltecer a postura do Flamengo. Marcou bem. Em alguns momentos, teve saída rápida de contra-ataque, fez partida dentro de condição que poucas equipes tinham feito aqui. Em razão disso, nossa produção foi bem abaixo. Em algum momento teria que acontecer”, concluiu.

Agora, o Peixe volta as atenção para o duelo de domingo, contra o Coritiba, no estádio Couto Pereira. O confronto acontecerá com portões fechados, devido a uma punição imposta ao clube paranaense. Na quarta-feira, o Peixe inicia as finais da Copa do Brasil contra o Palmeiras, diante do Palmeiras, de novo na Vila.

Prestes a voltar para casa, Vanderlei lamenta ter de depender de rival

O Santos fez uma partida para esquecer nesta quinta-feira. Depois de dez dias apenas treinando, a equipe de Dorival Júnior não conseguiu repetir as atuações de destaque dos últimos jogos e não passou de um 0 a 0 com o Flamengo, na Vila Belmiro. Mas, ao menos Vanderlei teve o comemorar. O camisa 1 alvinegro fez cinco grandes defesas, três quase em sequência, depois de uma blitz rubro-negra, e duas a queima roupa, já nos minutos finais da etapa final. Chamado de herói por Dorival Júnior, Vanderlei, porém, minimizou sua grande atuação e se mostrou preocupado com a situação do time, que agora é o quinto colocado, com 55 pontos, e viu o São Paulo assumir a última vaga no G4, ao somar 56 pontos.

“Individualmente foi bom para mim, mas coletivamente foi ruim. A gente esperava vencer, a gente precisa dessa vitória para se manter no G4, até para a gente depender a gente mesmo daqui até o final”, analisou o dono da meta santista, sem jogar a toalha.

“O São Paulo foi o único adversário que acabou vencendo (dos times que brigam pelo G4), mas a gente depende da gente ai. Temos três jogos que nós temos totais condições de vencer. E torcer para o São Paulo tropeçar também, né?”, disse, fazendo a ressalva necessária.

Agora, o Peixe precisa de uma reação imediata. Com apenas três jogos para o fim do Campeonato Brasileiro, vencer o Coritiba neste domingo, às 19h30, no estádio Couto Pereira é crucial para o Santos. Para Vanderlei, o jogo ainda pode ser mais especial. Hoje titular no time da Vila Belmiro, o jogador paranaense tem seu nome gravado na história do Coxa-Branca, com 301 partidas entre 2007 e 2014, e neste fim de semana reencontrará seu ex-clube, em seu Estado, pela primeira vez.

O goleiro inclusive lamentou o fato do confronto acontecer com portões fechados. Em função de uma punição aplicada pelo STJD, a partida pela 36ª rodada não terá a presença de torcedores nas arquibancadas.

“Bacana jogar contra um clube que você teve uma história. A gente fica triste, porque jogar Campeonato Brasileiro sem torcida é muito chato. Acho que isso não deveria acontecer, mas a gente tem que ir para lá com intuito de vencer. A gente precisa dessa vitória, a gente não tem nada a ver com o momento do Coritiba, que está brigando contra o rebaixamento”, afirmou.

Mesmo sem a força de sua torcida, como bem ressaltou Vanderlei, o Coritiba vai encarar o jogo como uma verdadeira final. Com 37 pontos, o time está a um ponto de sair da zona da degola. Até por isso, o goleiro santista espera um duelo franco no Couto Pereira.

“Acho que vai ser um jogo aberto, porque tanto nós quanto eles precisam da vitória. Então, a gente vai para lá para dar o nosso melhor e procurar vencer, até para dar uma tranquilidade melhor para quarta-feira”, concluiu Vanderlei, já preocupado de como o Santos chegará para o primeiro clássico com o Palmeiras, na Vila, pelas finais da Copa do Brasil.

Dorival não joga a toalha no Brasileiro e pede atitude nova fora de casa

O Santos não contava com um tropeço na Vila Belmiro a quatro rodadas do fim do Campeonato Brasileiro. O empate por 0 a 0 diante do Flamengo em uma partida atípica do time santista tirou o Peixe do G4 com apenas nove pontos a serem disputados. Agora o alvinegro praiano não depende mais das próprias forças para alcançar o objetivo de conquistar uma vaga na próxima Libertadores da América via Brasileirão. Dorival Júnior admite a frustração, mas não se entrega.

“Acho que ainda não (é hora de desistir). A partir desta sexta esboçamos a equipe para Curitiba. O São Paulo passou, mas ainda teremos três jogos. Vamos aguardar e sentir o que acontece nas próximas rodadas”, disse o comandante, com a confiança abalada.

A vitória em cima do Atlético-MG deixou o Tricolor do Morumbi apenas um ponto acima do Peixe (56 a 55). A esperança do time na Vila é que o Corinthians supere seu rival no clássico de Itaquera. Assim, caso vença o Coritiba, primeiro time da zona de rebaixamento, o Santos pode retomar sua posição no G4. O problema é que até esta 35ª rodada, o clube só vendeu uma partida como visitante.

“É um fato e tem acontecido que não temos um bom aproveitamento fora. Temos que enfrentar a realidade”, pediu Dorival, mais uma vez tentando passar confiança a seus atletas. “É um fato que se pode recuperar. Não tenho dúvidas que o Santos vai voltar a se recuperar. Gostaríamos de ter tido outro resultado, mas não fizemos por onde”, concluiu o treinador.

Nesta sexta, a equipe santista faz apenas um trabalho regenerativo no CT Rei Pelé. Neste sábado, pela manhã, Dorival Júnior preparará o time que irá a campo no estádio Couto Pereira. Os todos trabalhos serão fechados à imprensa. Na parte da tarde, a delegação viaja para Curitiba.

Flamengo 2 x 2 Santos

Data: 02/08/2015, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 16ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 51.749 pagantes (61.421 presentes)
Renda: R$ 2.450.700,00
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Rodrigo Henrique Correa (RJ)
Cartões amarelos: Márcio Araújo, Emerson, Wallace e Guerrero (F); Zeca e Werley (S).
Gols: Alan Patrick (39-1) e Emerson (41-1); Ricardo Oliveira (07-2) e Lucas Lima (26-2).

FLAMENGO
Paulo Victor; Pará , Wallace, César Martins e Jorge; Márcio Araújo, Canteros, Éverton (Almir) e Alan Patrick (Gabriel); Emerson e Guerrero.
Técnico: Cristóvão Borges

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Werley, Gustavo Henrique e Zeca; Paulo Ricardo (Marquinhos Gabriel), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Thiago Maia), Gabriel (Neto Berola) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior



Santos reage na etapa final e empata com o Flamengo no Maracanã

Mais de 60 mil pessoas compareceram na tarde de domingo no Maracanã, mas acabaram saindo frustradas. Depois de abrir 2 a 0 no primeiro tempo e desperdiçar várias chances, o Flamengo viu o Santos crescer de rendimento no segundo tempo e alcançar o empate.

O resultado de 2 a 2 fez a equipe da Gávea chegar aos 20 pontos ganhos e ocupar a 11ª posição na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. O Santos segue em situação difícil. O clube de Vila Belmiro soma 17 pontos na 15ª colocação.

O placar acabou fazendo justiça ao desempenho das duas equipes. O Flamengo foi bem melhor no primeiro tempo – quando marcaram Alan Patrick e Emerson Sheik. O Santos voltou melhor do intervalo. Ricardo Oliveira e Lucas Lima deixaram tudo igual.

O jogo

O Flamengo começou no ataque e o goleiro Vanderlei errou sua primeira saída de bola. Emerson Sheik acabou ficando com o rebote e arriscou, de fora da área, mas a bola saiu, sem levar perigo. Apoiado por uma grande e entusiasmada torcida, o time rubro-negro marcava em cima e não permitia que o Santos tivesse tranquilidade para sair jogando.

Aos cinco minutos, Emerson lançou Guerrero, que concluiu fraco, mas o goleiro Vanderlei, muito nervoso, quase deixou a bola escapar. Dois minutos depois, foi a vez de Márcio Araújo se lançar ao ataque e enfiar para Emerson, mas o zagueiro Werley bloqueou a conclusão do atacante, desviando para escanteio.

Só aos oito minutos é que o Santos chegou à área carioca, e com grande perigo. Ricardo Oliveira se livrou de Wallace e tocou para Gabriel, livre na área, mas Paulo Victor fez grande defesa, impedindo o primeiro gol do Peixe.

Depois dessa jogada, a equipe paulista começou a se soltar dentro do gramado, mas o Flamengo seguia com mais posse de bola. Aos 15 minutos, o lateral esquerdo Zeca falhou e Everton lançou Emerson na área, mas a marcação santista impediu a conclusão do Sheik.

O time dirigido por Cristovão Borges seguiu controlando as ações da partida, enquanto o Santos continuou preocupado em marcar o adversário. Aos 24 minutos, Everton ganhou de Gustavo Henrique e cruzou para Guerrero, mas o peruano não conseguiu alcançar a bola.

O domínio do Flamengo era absoluto. Aos 33, foi a vez de o volante Canteros receber de Pará, na área, e bater com categoria, dando mais um susto no goleiro Vanderlei.

O Santos não conseguia sair da defesa e o Flamengo pressionava cada vez em busca do primeiro gol. O que conseguiu, aos 39 minutos, por meio de Alan Patrick. O meia recebeu de Everton, deslocou-se da ponta para o meio e mandou a bomba, sem qualquer chance de defesa para Vanderlei.

Dois minutos depois, a equipe carioca ampliou. Canteros lançou para Emerson Sheik nas costas da zaga. O atacante avançou e tocou na saída do goleiro santista. Por comemorar com a torcida, o Sheik foi advertido com o cartão amarelo.

No intervalo, até a lutadora Ronda Rousey, vencedora na noite anterior do duelo promovido pelo UFC, apareceu nos camarotes com a camisa rubro-negra e foi muito festejada pelo público.

O Santos voltou para o segundo tempo com o meia Marquinhos Gabriel no lugar do volante Paulo Ricardo, tentativa do técnico Dorival Júnior de aumentar o poder ofensivo da equipe.

E, logo aos sete minutos, o Peixe marcou o primeiro gol. Lucas Lima bateu escanteio e Ricardo Oliveira se aproveitou da desatenção da zaga carioca para cabecear e colocar nas redes de Paulo Victor.

O Flamengo ficou desnorteado com a nova postura da equipe paulista e quase sofreu o gol do empate, aos 11 minutos, quando Victor Ferraz foi lançado por Marquinhos Gabriel, invadiu a área e chutou, mas Paulo Victor fez grande defesa, mantendo a vantagem da sua equipe.

Só depois dos 15 minutos é que o Flamengo voltou a equilibrar as ações. E Paolo Guerrero, muito discreto, apareceu em uma cabeçada que não levou perigo para o gol de Vanderlei. Logo depois, o atacante peruano se livrou da marcação e bateu com perigo.
Aos 20 minutos, Lucas Lima recebeu falta dura de Wallace. O meia bateu colocado e Paulo Victor defendeu, sem dificuldades.

Preocupado com a queda de rendimento da equipe, Cristovão tirou Alan Patrick e colocou Gabriel.

Aos 26 minutos, o Santos, que jogava bem melhor, marcou o gol do empate com Lucas Lima. O meia ficou com sobra na entrada da área e chutou no ângulo. Paulo Victor ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar que ela entrasse.

A torcida silenciou e o Flamengo tentou partir para o desempate. Emerson fez bom lançamento para Guerrero, que tropeçou nas próprias pernas e acabou não conseguindo a conclusão.

Nos acréscimos, o Flamengo pressionou intensamente, mas o goleiro Vanderlei apareceu bem em duas oportunidades e garantiu o empate.

Jogadores do Peixe admitem 1º tempo ruim, mas valorizam reação na etapa final

O confronto entre Flamengo e Santos, neste domingo, no Maracanã, teve dois tempos distintos. No primeiro, os donos da casa dominaram com facilidade e desceram para os vestiários com a vitória parcial por 2 a 0. Na segunda etapa, porém, Dorival Jr sacou Paulo Ricardo, colocou Marquinhos Gabriel no meio de campo e o Peixe tomou a iniciativa, chegando ao empate e calando os mais de 60 mil presentes nas arquibancadas no Maracanã.

“O primeiro tempo nosso foi muito aquém. Nós não jogamos, ficamos só olhando. E se tivesse encaixado aquela bola com o Geuvânio, podíamos ter até saído com a vitória. A atitude mudou no segundo tempo”, analisou o goleiro Vanderlei, responsável por duas grandes defesas no fim da partida.

Renato, experiente volante de 36 anos, também admitiu a mudança de postura do time paulista depois da conversa no vestiário.

“Eu acho que a equipe jogou com coragem no segundo tempo. E, quando teve oportunidade, conseguiu fazer os gols e empatar. A gente veio para buscar a vitória, mas pelo menos não perdemos”, comentou, ignorando até o fato do Peixe manter o jejum longe da Vila Belmiro neste Campeonato Brasileiro.

“A gente ainda não venceu no campeonato (fora de casa). A gente tem que imprimir o ritmo que tem em casa, a gente sabe que é difícil, mas a equipe voltou determinada. Não é fácil buscar esse empate. A equipe lutou muito para isso”, explicou, antes de encerrar. “Não demos o contra-ataque, sofremos no final, o que é normal, mas foi importante o resultado”.

Ricardo Oliveira, que mais uma vez deixou sua marca e, com nove gols, segue na artilharia isolada do nacional por pontos corridos, saiu de campo satisfeito com a atitude do grupo santista contra o Fla.

“Eu acho que esse é o Santos. Eu entendo a indagação de vocês (jornalistas) a cerca do que fizemos no primeiro tempo, mas, no segundo tempo, mostramos do que esse time é capaz. Então, acho que estamos de parabéns. Terminar o primeiro com 2 a 0, com essa torcida… então, é um grande resultado”, concluiu.

Com assistência e gol, Lucas Lima brilha em sua estreia no Maracanã

“Ainda não joguei contra o Flamengo, no Maracanã. Falam que a torcida é diferente mesmo. Vai ser uma experiência única”, falou Lucas Lima, durante a semana de preparação para o confronto deste domingo, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. E, com a bola rolando, o meia santista parece não ter sentido a pressão das 61 mil pessoas presentes no estádio e foi fundamental na reação do Peixe para buscar o 2 a 0 contra e sair do Rio de Janeiro com um ponto para o time da Vila Belmiro.

“É diferente. Falando com o (David) Braz e o pessoal, eles falavam que era diferente. Mas, graças a Deus, deixamos isso de lado e conseguimos o empate”, admitiu o camisa 20.

Com a saída de Paulo Ricardo para a entrada de Marquinhos Gabriel, logo no intervalo do jogo, Lucas Lima ganhou uma companhia no meio de campo no segundo tempo e passou a participar mais do jogo, após um primeiro tempo para ser esquecido.

“A equipe fez um bom segundo tempo. Pecamos muito no primeiro, mas mostramos nossa força no segundo. O time está de parabéns”, analisou o jogador.

Em cobrança de escanteio pela ponta-direita do ataque santista, Lucas Lima conseguiu colocar curva na bola e serviu Ricardo Oliveira para diminuir o prejuízo. Depois, o meia arriscou chute colocado de fora da área e acabou empatando o jogo com um belo gol. O goleiro Paulo Vitor chegou a tocar na bola, mas não evitou o empate por 2 a 2.

Questionado se teve todo o mérito ou se foi beneficiado por uma eventual falha do goleiro flamenguista, Lucas Lima não titubeou. “(Mérito) Todo meu. Indefensável para ele. Acho que foi mais mérito meu do que falha dele por onde a bola foi”, disse, rindo, o jogador.

Por fim, Lucas Lima comentou a mudança de atitude do time após a chegada de Dorival Jr, que agora tem três vitórias, um empate e uma derrota desde que assumiu o lugar de Marcelo Fernandes.

“O time está mais maduro, sim. O Dorival vem cobrando isso, para a gente amadurecer durante os jogos, e acho que a gente está conseguindo”, finalizou.

Ricardo Oliveira vê Peixe capaz de lutar de igual para igual com qualquer equipe

Neste domingo, contra o Flamengo, o Santos mais uma vez não conseguiu conquistar os três pontos atuando como visitante. No entanto, na visão de Ricardo Oliveira, capitão santista, o desempenho do time no segundo tempo prova que a equipe têm condições de aspirar coisas maiores no Campeonato Brasileiro ao invés de ficar na briga contra o rebaixamento.

“Conversamos. Não podemos fazer o primeiro tempo que fizemos. Acho que o Alan (Patrick) foi feliz no gol, mas o segundo gol não podemos permitir que aconteça. Ai você pensa: ‘Jogo contra o Goiás, de novo apagão’, analisou primeiramente, antes de completar.

“Mas a gente foi corajoso, voltou com outra postura. Fizemos rápido o gol e aí o time cresceu. Pelo segundo tempo, dá para tomar como parâmetro que podemos jogar de igual para igual com qualquer time. Nos dá confiança, porque um time grande, como é o Santos, não pode ficar tantos jogos sem vencer fora de casa”, disse.

Em nove jogos longe de seus domínios, o Santos conseguiu apenas três empates e foi derrotado seis vezes. Ricardo Oliveira não esconde o incômodo.

“Estamos tentando, estamos tentando. De fato, está sendo difícil”, admitiu. Porém, depois de ver o Flamengo abrir 2 a 0 no primeiro tempo, o centroavante não negou que o empate no Maracanã tem um sabor especial.

“Acho que, dentro as circunstâncias, nós podemos estar satisfeitos. Porque o primeiro tempo é para esquecer. Ou deixar ali ao lado, para não repetir”, explicou, voltando a salientar a péssima atuação nos primeiros 45 minutos.

E, ao ser perguntado por um repórter sobre seu desempenho pessoal, já que neste domingo o camisa 9 chegou a nove gol e se manteve isolado na artilharia do Campeonato Brasileiro, Ricardo Oliveira não usou de falsa modéstia.

“Estou fazendo a minha função. Meu dever é esse, ajudar a equipe com gols. O Campeonato Brasileiro tem grande jogadores de uma qualidade que não da para questionar. Meu trabalho está sendo bem feito. Espero que continue assim”, analisou o experiente jogador de 35 anos.

Após 1º tempo “inexistente”, Dorival Jr chama atenção para “jogaço”

Independente do time de coração, o amante do futebol que pôde assistir ao duelo entre Flamengo e Santos, neste domingo à tarde, foi presenteado com um grande jogo. O Peixe sucumbiu à pressão rubro-negra diante de mais de 60 mil pessoas no Maracanã, no primeiro tempo, mas encontrou forças para reagir e empatar a partida na etapa final. Os últimos 10 minutos do confronto foram emocionantes, com as duas equipes chegando perto da vitória. E, para Dorival Jr, técnico da equipe paulista, esse é o ponto a se destacar.

“Nós voltamos a ver, no Campeonato Brasileiro, grandes jogos. Acho que é isso que queremos ver. Tivemos um São Paulo e Atlético-MG, o Palmeiras, o Grêmio fazendo bons jogos. O futebol tem que ser novamente acreditável e é isso que nós queremos fazer, recuperar um pouco desse terreno perdido”, disse o técnico, também analisando o desempenho de seu time, durante a entrevista coletiva no estádio carioca.

“O Flamengo também teve um primeiro tempo e o segundo um pouco diferente. O que fica é que foi um grande jogo. É isso que temos que avaliar. O time que sai com 2 a 0, ele fica mais confortável no jogo, mas o Santos foi valente. No primeiro tempo, ele (o Santos) inexistiu. O segundo tempo foi completamente diferente. O Santos começou a ter mais a posse da bola, chegar ao ataque. Poderia ter feito o terceiro (gol), como também poderia ter tomado o terceiro”, completou.

A mexida de Dorival no intervalo da partida foi fundamental para a mudança de rumo do jogo. O treinador mandou Marquinhos Gabriel a campo no lugar de Paulo Ricardo. Deixou o Peixe mais exposto, mas mostrou que não havia jogado a toalha em busca de ao menos um empate. Nem por isso, demonstrou irritação com seus comandados pelo péssimo primeiro tempo.

“Eu não vejo problema tático, porque o que nós trabalhamos foi uma marcação agressiva, diferente do que existiu. O Flamengo criou um volume muito grande. Pecamos muito por não segurarmos a bola e darmos tempo para que a nossa defesa pudesse estar mais compacta, no campo adversário”, explicou, lembrando a dificuldade de manter o mesmo nível durante toda a partida, que chegou perto de 100 minutos, em função dos acréscimos.

“É muito difícil, porque do outro lado você sempre vai ter um adversário que também está buscando as mesmas situações. Quisera eu pudéssemos buscar os 90 minutos dessa forma”, afirmou.

Por fim, Dorival não escondeu sua satisfação pessoal com o empate por 2 a 2, fora da casa. Apesar do Peixe seguir sem vencer longe da Vila Belmiro neste Campeonato Brasileiro, já são três vitórias (uma pela Copa do Brasil), uma derrota e um empate desde que o treinador assumiu o comando da equipe.

“Enfrentamos um adversário de alto nível, com uma torcida que muito forte, mais de 60 mil torcedores, uma pressão muito grande. Acho que ficaram muito mais coisas positivas do que negativas, ainda que eu entenda que a equipe tenha inexistido no primeiro tempo”, finalizou.

Santos 0 x 0 Flamengo

Data: 26/05/2013, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: 63.501 pagantes
Renda: R$ 6.948.710,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marrubson Melo Freitas (DF).
Cartões amarelos: Henrique (S); Luiz Antônio (F).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo (Patito Rodríguez), Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca, Cícero e Montillo (Felipe Anderson); Neymar e Henrique (Gabriel).
Técnico: Muricy Ramalho

FLAMENGO
Felipe; Léo Moura, Renato Santos, Marcos González e Ramon; Luiz Antônio (Carlos Eduardo), Elias, Renato Abreu e Gabriel (Paulinho); Rafinha e Hernane (Marcelo Moreno).
Técnico: Jorginho



Na despedida de Neymar, Santos e Flamengo não saem do zero em Brasília

O craque santista pouco apareceu durante os 90 minutos e agora vai desfilar nos gramados europeus com a camisa do Barcelona

O que poderia ser uma grande festa, com o estádio Mané Garrincha, em Brasília, cheio e a despedida de Neymar, acabou em um empate sem gols entre Santos e Flamengo, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O craque santista pouco apareceu durante os 90 minutos e agora vai desfilar nos gramados europeus com a camisa do Barcelona. Os rubro-negros foram melhores e desperdiçaram diversas chances claras. Assim, as duas equipes somaram apenas um ponto neste início de Série A.

O primeiro tempo foi de muita correria, mas sem muita inspiração. O Flamengo criou as melhores chances, com Rafinha e Gabriel. Já na etapa final, os cariocas seguiram tendo as melhores chances, mas novamente não as aproveitaram para desespero da torcida, que era ampla maioria, presente no Mané Garrincha.

O jogo

O confronto começou com as duas equipes buscando o ataque. O Flamengo aproveitava melhor os espaços e chegava próximo ao gol. Os rubro-negros quase abriram o placar com 11 minutos. Após cruzamento na área, Rafinha apareceu livre e tocou, mas viu Rafael fazer grande defesa para salvar o Santos. Os paulistas tinham dificuldade de transpor a marcação adversária e Neymar pouca aparecia em campo.

O craque arriscou seu primeiro chute somente aos 17 minutos. Após tabela com Montillo, Neymar tentou colocar a bola no ângulo de Felipe, mas a viu ir por cima do travessão de Felipe. O lance acabou sendo o único dos paulistas, pois o Flamengo conseguia chegar com mais frequência ao ataque, mas esbarrava na defesa do Santos, que tirava o perigo.

Depois de um período com muita correria, mas poucas chances de gol, o Flamengo teve novamente grande chance marcar, aos 42 minutos. Hernane recebeu a bola na área, de frente para rafael. No entanto, o atacante preferiu tocar para Gabriel, mas o meio demorou muito para finalizar e acabou travado pela zaga santista. Renato Abreu ainda pegou o rebote, só que chutou por cima do travessão. Assim, o duelo foi para o intervalo com a igualdade no marcador no Mané Garrinha.

No segundo tempo, o panorama da partida seguiu o mesmo. O Santos não tinha organização no setor ofensivo e não incomodava o goleiro Felipe. O Flamengo conseguia chegar com mais facilidade ao ataque, mas também não ameaçava Rafael. Na melhor chance dos primeiros minutos, Elias arriscou de fora da área e a bola passou a direita do gol santista. A resposta do Santos aos nove minutos. Após cruzamento, Henrique escorou para Neymar, mas o atacante foi travado no momento da finalização.

O confronto melhorou e as duas equipes passaram a criar mais chances. Aos 23 minutos, Neymar cobrou falta e obrigou Felipe a voar para fazer a defesa. Já o Flamengo respondeu três minutos depois. Gabriel foi lançado na área, tocou por cima de Rafael, mas viu Durval aparecer para salvar os paulistas.

Os rubro-negros começaram a aproveitar mais os espaços e quase abriram o placar aos 32 minutos. Em contra-ataque rápido, Marcelo Moreno foi lançado e finalizou para grande defesa de Rafael, que salvou o gol com o pé. Dois minutos depois, foi a vez de Carlos Eduardo desperdiçar oportunidade. O atacante viu o goleiro santista falhar após cruzamento, mas chutou errado, para fora.

Nos minutos finais, as duas equipes ainda tentaram o gol da vitória, mas na base da vontade. Nenhuma conseguiu criar chance clara e o duelo acabou mesmo em um frustrante empate sem gols em Brasília.

Bastidores – Santos TV:

Após choro em último jogo pelo Santos, Neymar tenta fazer a ficha cair

Já na execução do Hino Nacional Brasileiro, o novo reforço do Barcelona começou a chorar por causa da despedida

O atacante Neymar não conteve as lágrimas antes de disputar o seu último jogo pelo Santos , o empate sem gols com o Flamengo, neste domingo, no Mané Garrincha. Já na execução do Hino Nacional Brasileiro, o novo reforço do Barcelona começou a chorar por causa da despedida.

“A ficha já está começando a cair. Está na garganta. Vou tomar água para ela cair realmente”, comentou Neymar, sorrindo, bem mais tranquilo ao final da sua partida derradeira pela equipe da Vila Belmiro.

Durante o jogo, o atacante não conseguiu se destacar. Recebeu poucas vezes a bola e arriscou algumas conclusões em cobranças de falta, mas sem precisão e força suficientes para vencer o goleiro Felipe. No intervalo, seu time demorou muito a voltar ao gramado do Mané Garrincha.

“Foi emocionante, no vestiário. Agradeci aos meus companheiros por todos os momentos juntos, de treinamentos a jogos, a concentrações, a viagens, a conquistas e até a derrotas. Torço muito por eles”, discursou Neymar.Em seu adeus, o astro ainda falava muito do Santos e pouco do novo clube. “Ainda não sei quando vou viajar a Barcelona. Vou ver isso direitinho”, explicou, sem antecipar emoções. “Vamos ver como será quando eu chegar lá e vestir a camisa.”

Vídeo: Neymar chora ao se despedir de companheiros no vestiário

Vídeo: Neymar se despede de amigos no CT Rei Pelé: “Eu vou mas eu volto”

Vídeo: #ObrigadoNeymar – Santos faz vídeo em homenagem a Neymar, que está de saída.
O clube reuniu imagens de diversas época da vida do camisa 11, desde os primeiros gols no futsal até o nascimento do seu filho, Davi Lucca

Neymar despede-se de torcida santista no Facebook

Craque narrou carta de despedida, veja no vídeo abaixo

“Galera !! Tô aqui reunido com amigos e familiares e eles me ajudaram a escrever algumas coisas aqui… É que não vou aguentar até segunda-feira… Minha família e meus amigos já sabem a minha decisão. Segunda-feira assino contrato com o Barcelona. Quero agradecer aos torcedores do Santos por esses 9 anos incríveis. Meu sentimento pelo clube e pela torcida nunca mudará. É eterno !! Só um clube como o Santos FC poderia me proporcionar tudo o que vivi dentro e fora de campo. Sou grato a maravilhosa torcida do peixe que me apoiou mesmo nos momentos mais difíceis. Títulos, gols, dribles, comemorações e as canções que a torcida criou pra mim estarão pra sempre em meu coração… Fiz questão de jogar a partida amanhã em Brasília. Quero ter a oportunidade de mais uma vez entrar em campo com o ‘manto’ e ouvir a torcida gritar meu nome… como diz o hino, ‘é um orgulho que nem todos podem ter…’ É um momento diferente pra mim, triste (despedida) e alegre (novo desafio). Que Deus me abençoe nas minhas escolhas… E estarei sempre em Santos !! #Toiss”