Navegando Posts marcados como Flamengo

Santos 3 x 2 Flamengo

Data: 02/08/2017, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 27.030 presentes (24.707 pagantes e 2.323 não pagantes)
Renda: R$ 870.640,00
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (ambos de GO).
Cartões amarelos: Yuri e Lucas Lima (S); Rodinei, Diego, Everton (F).
Cartões vermelhos: Rodinei (F) e David Braz (S).
Gols: Bruno Henrique (08-2), Éverton Ribeiro (11-2), Felipe Vizeu (21-2), Alison (39-2) e Ricardo Oliveira (43-2).

SANTOS
Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota (Kayke); Yuri (Zeca), Renato (Alison) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi

FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei, Réver, Juan e Renê (Berrío); Márcio Araújo, Willian Arão, Diego (Pará) e Éverton Ribeiro; Everton e Guerrero (Felipe Vizeu).
Técnico: Zé Ricardo



Santos vira na raça, bate Flamengo e segue em terceiro no Brasileirão

O início de Santos e Flamengo nesta quarta-feira não foi nada animador. Porém, o segundo tempo foi digno do embate que aconteceu entre as equipes na última semana. Em mais um confronto recheado de alternativas, o Peixe abriu o placar, viu o Rubro-Negro marcar duas vezes, mas buscou a virada novamente na raça e venceu por 3 a 2, no Pacaembu, em duelo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com a vitória, o alvinegro chegou aos 34 pontos e manteve-se na terceira posição. Já o Mengão ficou estacionado com 29 e termina a rodada em quinto.

O jogo:

No primeiro tempo, Santos e Flamengo não conseguiram repetir o ótimo duelo que aconteceu na semana passada, na Vila Belmiro, pela Copa do Brasil. Com pouca inspiração, as duas equipes fizeram uma primeira etapa bastante truncada no Pacaembu.

Porém, o Rubro-Negro conseguiu ser superior ao Peixe. Tanto que as duas chances mais claras foram do time carioca. Aos 23 minutos, Guerrero recebeu bom cruzamento de Rodinei, mas falhou na hora de bater e perdeu ótimo oportunidade de frente para o gol.

Já aos 34 minutos, Willian Arão desviou cobrança de escanteio na primeira trave e Juan apareceu completamente livre dentro da área, mas cabeceou para fora. No ataque seguinte, Diego arriscou de longe e Vanderlei salvou. No rebote, Felipe Vizeu dominou, limpou a marcação e mandou na trave, assustando os santistas no Pacaembu.

O Santos, por sua vez, apostava na velocidade de Bruno Henrique, mas pouco conseguiu penetrar na zaga flamenguista e não assustou o goleiro Diego Alves em toda a primeira etapa.

Os primeiros momentos depois do intervalo não davam demonstrações de que o jogo seria melhor. Porém, Bruno Henrique tratou de colocar emoção ao jogo logo aos 8 minutos. Após chute de Ricardo Oliveira, a bola desviou em Márcio Araújo e caiu nos pés de Bruno Henrique, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes e abrir o placar no Pacaembu.

Mas a alegria dos santistas durou pouco. Três minutos após fazer 1 a 0, o Peixe viu o Mengão chegar ao empate em grande estilo. Éverton Ribeiro recebeu de Rodinei na entrada da área e soltou uma bomba. A redonda desviou levemente na zaga e enganou Vanderlei. Golaço e 1 a 1 no marcador.

O tento animou os flamenguistas, que partiram para cima e aproveitaram falha defensiva do Santos para virar o jogo em dez minutos. Aos 21, Willian Arão encontrou um buraco no meio da zaga e achou Felipe Vizeu. De frente com Vanderlei, o atacante bateu de esquerda e colocou o Rubro-Negro na frente.

Após sofrer a virada, o Peixe começou a mostrar nervosismo e não conseguiu melhorar nem com a expulsão de Rodinei, aos 28, após forte entrada em Jean Mota.

Porém, o futebol é um esporte imprevisível. Justamente em seu pior momento no jogo, o Santos chegou ao 2 a 2 após chutaço de longe de Alison. E quando parecia que o empate estava decretado, Daniel Guedes cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira, que venceu Diego Alves e decretou a virada santista no Pacaembu.

Bastidores – Santos TV:

Virada heroica no fim salva invencibilidade do Santos no Pacaembu

Parecia que a noite de 2 de agosto de 2017 ficaria marcada como o dia em que a invencibilidade do Santos no Pacaembu chegou ao fim. Parecia! Perdendo para o Flamengo por 2 a 1 até os 39 minutos do segundo tempo, o Peixe buscou uma virada heroica nos últimos momentos do confronto, válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, e manteve o retrospecto quase perfeito no estádio paulistano.

A última derrota do alvinegro na ‘segunda casa’ foi em abril de 2014, no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista, contra o Ituano. De lá pra cá, o alvinegro já disputou 23 jogos no estádio, sendo 22 vitórias e apenas um empate.

“Gostamos muito do Pacaembu. Sempre jogamos para frente aqui”, disse o volante Renato, que voltou ao Peixe após ficar ausente sem seis partidas na temporada.

E além de manter a série invicta, a vitória sobre o Fla fez o Santos chegar ao seu décimo jogo seguido sem derrota em 2017, terminando a 18ª rodada na terceira colocação do Brasileiro, com 34 pontos.


Santos 4 x 2 Flamengo

Data: 26/07/2017, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa do Brasil – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.507 pagantes
Renda: R$ 525.080,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Rafael da Silva Alves (RS).
Cartões amarelos: Victor Ferraz, Vecchio, David Braz e Lucas Veríssimo (S); Berrío, Alex Muralha, Guerrero e Márcio Araújo (F).
Gols: Berrío (09-1), Bruno Henrique (33-1); Guerrero (01-2), Copete (08-2), Victor Ferraz (10-2) e Copete (48-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Yuri (Rafael Longuine, 24’/2ºT), Vecchio (Léo Cittadini, 41’/2ºT) e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Vladimir Hernández, 30’/2ºT).
Técnico: Levir Culpi

FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Cuéllar (Willian Arão, 45’/2ºT) e Diego; Berrío (Rodinei, 15’/2ºT), Everton (Gabriel, 34’/ 2ºT) e Guerrero.
Técnico: Zé Ricardo



Em jogaço, Santos vence por 4 a 2, mas Flamengo avança na Copa do Brasil

Nos últimos anos, Santos e Flamengo ficaram marcados pelo jogo espetacular que protagonizaram em 2011, com show de Neymar e Ronaldinho Gaúcho. Na ocasião, o Rubro-Negro levou a melhor, vencendo por 5 a 4 na Vila Belmiro, pelo Brasileirão. Nesta quarta-feira, no mesmo palco, mas pela Copa do Brasil, as equipes relembraram aquele confronto, protagonizando um novo jogaço, com viradas e várias alternativas. Desta vez, o Peixe levou a melhor, ganhando por 4 a 2. Porém, quem saiu feliz do estádio mais uma vez foi o Mengão, que segurou a vantagem de dois gols de diferença e conseguiu avançar para as semifinais.

Na próxima fase do torneio mata-mata, o Fla terá pela frente o Botafogo, que venceu o Atlético-MG por 3 a 0, também nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro. O primeiro embate entre as equipes acontece no dia 16 de agosto. Antes disso, porém, o time comandado por Zé Ricardo mira suas forças no Campeonato Brasileiro, onde pega o Corinthians no domingo, às 16h (de Brasília), em Itaquera.

Já o Santos, fora da Copa do Brasil, viaja até Porto Alegre para encarar o Grêmio, também no domingo, às 19h, pela 17ª rodada do Brasileirão.

O jogo:

Como uma boa final deve ser, o duelo começou eletrizante na Vila. Precisando reverter a vantagem de 2 a 0 do Flamengo, o Santos se lançou ao ataque desde os primeiros minutos, mas esbarrou na defesa bem postada do Rubro-Negro, que aproveitou um contragolpe e jogou um balde de água gelada na torcida santista.

Logo aos nove minutos, Diego, ex-Menino da Vila, deu lindo passe para Berrío. O colombiano ganhou da zaga na corrida e bateu por cima de Vanderlei para abrir o placar e aumentar a vantagem do Mengão.

Com tento sofrido, o alvinegro passou a precisar vencer por 4 a 1 para avançar na Copa do Brasil. Mesmo com a missão ingrata, os santistas não se abateram e quase chegaram ao empate no lance seguinte, quando Victor Ferraz cruzou na área e Copete cabeceou muito perto da trave direita e Muralha.

Após a chance perdida, porém, o Peixe começou a sentir o nervosismo da desvantagem e não conseguiu chegar com qualidade ao ataque. Já o Flamengo, satisfeito com o resultado, passou a ‘cozinhar’ o Santos no meio de campo, além de fazer a famosa ‘cera’ em cada falta marcada pelo árbitro Leandro Vuaden.

Sem conseguir penetrar na zaga do Mengão, o alvinegro começou a arriscar chutes de longa distância. De tanto tentar, a equipe comandada por Levir Culpi alcançou o empate. E foi em grande estilo. Aos 33 minutos, Bruno Henrique avançou pela esquerda e soltou uma bomba de fora da área. A bola entrou na gaveta, sem chances para Muralha.

A igualdade deu um novo ânimo ao Peixe, que passou a pressionar o Flamengo. Porém, uma polêmica aos 40 minutos acabou roubando a cena no jogo. Bruno Henrique recebeu passe no meio, avançou para dentro da área e foi derrubado por Réver. Pênalti marcado para o Peixe.

Mas após assinalar a infração, Leandro Vuaden foi bastante pressionado pelos flamenguistas, conversou com o quarto árbitro e acabou anulando a penalidade, alegando que o zagueiro tocou na bola e cometeu falta no lance. Os santistas se revoltaram com a arbitragem e gritos de ‘vergonha’ foram ouvidos na Vila. Porém, o primeiro tempo acabou mesmo no 1 a 1.

Precisando marcar mais três vezes para avançar, o Santos viu o Flamengo jogar um novo balde de água congelada logo no primeiro minuto de jogo. Everton passou como quis pela zaga do Peixe e rolou para Guerrero. Matador, o peruano bateu firme para fazer 2 a 1 na Vila.

Porém, quem achou que o Rubro-Negro ‘matou’ o duelo e foi dormir, perdeu um jogaço em Urbano Caldeira. Sete minutos depois, Copete subiu mais que todo mundo em cobrança de escanteio e empatou novamente.

Na jogada seguinte, Bruno Henrique ajeitou para Victor Ferraz, que chutou forte e virou a partida para o Peixe.

Após a virada, a torcida enlouqueceu na Vila Belmiro. Porém, o Flamengo conseguiu segurar a pressão do alvinegro e voltou a ‘esfriar’ o jogo, abafando a pressão dos santistas. No último minuto, Copete ainda conseguiu marcar o quarto. Mas não havia tempo para mais nada. Faltou um gol para o Santos e o Rubro-Negro saiu de Urbano Caldeira com a classificação.

Bastidores – Santos TV:

Santos envia ofício à CBF acusando repórter e pedindo anulação de jogo com Fla

O Santos enviou um ofício à CBF na tarde desta quinta-feira pedindo a anulação da vitória por 4 a 2 sobre o Flamengo, na última quarta, que culminou na eliminação do Peixe nas quartas de final da Copa do Brasil. Segundo o clube, o motivo é a interferência externa na decisão do árbitro Leandro Pedro Vuaden, que voltou atrás na marcação de um pênalti a favor do alvinegro.

Os santistas acusam o repórter Eric Faria, da TV Globo, de ter se comunicado com o quarto árbitro, Flávio Rodrigues, que foi quem avisou Vuaden antes da decisão final de anular a penalidade.

No documento, a diretoria do Peixe pediu uma série de intervenções: a anulação da partida, punição do sexteto de arbitragem, proibição da presença de repórter na beira do campo em todos os jogos realizados pela CBF e descredenciamento do jornalista citado no documento.

Como álibi, o Santos cita o exemplo do clássico Fla-Flu de outubro de 2016, quando alguns dirigentes do tricolor acusaram Eric Faria de ‘proteção’ ao Rubro-Negro. O repórter da Globo usou o Twitter para se defender da polêmica. “Alguns me acusam de ter falado com o 4 arbitro. Leviano. Mentiroso. Quem estava mais perto dele? O Levir Culpi. Cuidem de suas frustrações”, citou o jornalista em seu Twitter.

Confira o ofício enviado pelo Santos na íntegra:

“A
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL
Avenida Luís Carlos Prestes, nº 130
Barra da Tijuca -Rio de Janeiro
CEP: 22.775-055

Ref.: arbitragem na partida da Copa do Brasil ente Santos e Flamengo, de 26/07/2017

Ilustríssimo Sr. Presidente da CBF, Dr. Marco Pólo Del Nero

Vimos, pelo presente, apresentar para vosso conhecimento, os fatos repugnáveis ocorridos ontem, 26 de julho de 2017, em partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil, entre Santos e Flamengo.

Tais fatos influenciaram diretamente no resultado da partida e, principalmente, na não classificação do Santos para as semifinais da competição.

Ocorre que aos 40 minutos do primeiro tempo, quando o placar da partida estava empatado em 1 a 1, o árbitro Leandro Pedro Vuaden anotou um pênalti do zagueiro Réver, do Flamengo, sobre o atacante Bruno Henrique, do Santos. Insistimos: ele anotou a penalidade.

O árbitro, autoridade máxima da partida, estava a poucos metros de distância do lance e interpretou o contato do zagueiro com o atacante como faltoso e dentro dos limites da grande área. Porém, mais de 1 minuto após de sua marcação, influenciado pelo 4º árbitro, Sr. Flavio Rodrigues de Souza, que estava na linha de meio-campo, a penalidade foi cancelada e o Sr. Vuaden determinou a cobrança de escanteio.

Novamente, estamos diante de um caso em que o árbitro revoga sua marcação por comunicação do quarto árbitro, cuja participação teria sido provocada pelo repórter de campo, Sr. Eric Faria, da Rede Globo de televisão, que é elemento alheio ao certame, devendo se comportar como jornalista e não como torcedor de seu time do coração.

Aliás, esta atitude do repórter parece ser recorrente, visto que já foi criticada pela Diretoria do Fluminense.

Reportar ao 4º árbitro sua impressão do lance após ver replay na televisão não é função nem atitude condizente com um jornalista esportivo.

Esta ação repudiável foi testemunhada por dezenas de pessoas e pode ser constatada no vídeo da partida e em fotografias tiradas por outros veículos de mídia.

Destacamos que é a terceira oportunidade recente em que interferências externas atuam na remarcação de lances capitais de partidas de futebol no Brasil, a saber:

– Fluminense x Flamengo, em 13 de outubro de 2016;
– Avaí x Flamengo, em 11 de junho de 2017;
– Santos x Flamengo, em 26 de julho de 2017;

Entendemos que tais fatos devam ensejar a anulação da partida, pelo bem do futebol nacional e da credibilidade da entidade que V.Sa preside.

As decisões do árbitro são soberanas e a interferência externa não é autorizada pela FIFA ou CBF, tampouco recomendada pela comissão de arbitragem nacional.

Do ponto de vista desportivo e institucional, solicitamos as providências perante a comissão de arbitragem, para análise da conduta do árbitro e seus auxiliares, bem como junto a detentora dos direitos de transmissão sobre a postura de seus prepostos.

Não obstante, solicitamos a V.Sa que tome as providências no sentido de:

a) Anular a partida;
b) Proibir que repórteres permaneçam na lateral do campo e se comuniquem com a equipe de arbitragem durante as partidas;
c) Punir adequadamente a equipe de arbitragem que atuou em referida partida;
d) Descredenciar o Sr. Eric Faria como repórter de campo.

Certos de sua compreensão e providências, firmamos a presente com o respeito e as homenagens de praxe.”


Flamengo 2 x 0 Santos

Data: 28/06/2017, quarta-feira, 21h45.
Competição:> Copa do Brasil – Quartas de final – Jogo de ida
Local: Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 14.498 pagantes e 15.564 presentes
Renda: R$ 945.610,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO).
Cartões amarelos: Márcio Araújo (F); Lucas Veríssimo (S).
Gols: Everton (26-1) e Cuéllar (42-2).

FLAMENGO
Thiago, Pará, Juan (Rafael Vaz), Rever e Miguel Trauco; Márcio Araújo, Cuéllar, Diego e Everton; Berrío (Vinícius Júnior) e Paolo Guerrero (Leandro Damião).
Técnico: Zé Ricardo

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota (Caju); Renato, Leandro Donizete e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique (Thiago Ribeiro) e Kayke (Vitor Bueno).
Técnico: Levir Culpi



Flamengo vence Santos em casa e sai em vantagem na Copa do Brasil

O Flamengo venceu o Santos por 2 a 0, na noite desta quarta-feira, na Ilha do Urubu, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Com o resultado, os rubro-negros ficam com boa vantagem no duelo de volta em busca de um lugar na semifinal.

Os cariocas foram superiores no primeiro tempo e fizeram o primeiro gol com Everton, após belo passe de Guerrero. Quando parecia que o placar permaneceria inalterado até o fim, Cuéllar acertou ótimo chute para fazer o segundo para os flamenguistas e decretar a vitória rubro-negra.

As duas equipes voltam a se enfrentar no dia 26 de julho, na Vila Belmiro. O Santos precisa vencer por três gols de diferença para se classificar. Em caso de triunfo por dois, o duelo vai para os pênaltis. Para o Flamengo, até uma derrota por um gol de diferença serve para avançar à semifinal.

O jogo

A partida começou movimentada, com as duas equipes em busca do ataque. No entanto, ambos tinham dificuldade em passar pela marcação adversária. Tanto que a primeira boa chance aconteceu aos 11 minutos. Berrío foi lançado na área, passou por Jean Mota e chutou, exigindo grande defesa de Vanderlei.

O lance animou os donos da casa, que passaram a dominar o jogo. O Flamengo voltou a assustar aos 18 minutos, quando Berrío foi novamente lançado e chutou da entrada da área, mas parou em mais uma defesa do arqueiro santista.

O Flamengo aumentou a pressão sobre o Santos e abriu o placar aos 26 minutos. Após boa troca de passes dos rubro-negros, Guerrero deu passe de letra para Everton, que chutou sem chance para Vanderlei.

Mesmo após o gol, os donos da casa eram superiores e chegavam com facilidade ao ataque. Aos 31, Guerrero arriscou da entrada da área e finalizou para defesa de Vanderlei em dois tempos. O Santos era pouco produtivo, mas criou sua primeira chance aos 39. Após cruzamento de Lucas Lima, Kayke finalizou, mas o chute foi abafado por Thiago.

Nos minutos finais, os santistas conseguiram equilibrar novamente a partida. No entanto, os visitantes não incomodaram o goleiro carioca. O Flamengo diminuiu o ritmo e preferiu administrar o resultado até o intervalo.

No segundo tempo, os donos da casa voltaram com mais disposição e pressionaram o Santos desde os primeiros minutos. Os rubro-negros quase marcaram o segundo aos nove minutos. Diego colocou na área e Berrío tentou de bicicleta. Para infelicidade do colombiano, Vanderlei estava atento e salvou os visitantes.

Os flamenguistas tinham o domínio da partida, mas tiveram um susto aos 19 minutos, após Copete colocar a bola na rede. No entanto, o gol foi anulado, pois o colombiano estava impedido.

Aos poucos, o Santos equilibrou o confronto e quase empatou aos 29 minutos. Em contra-ataque rápido, Copete tocou para Vitor Bueno na área. O atacante chutou cruzado, mas Pará apareceu para salvar os rubro-negros. A resposta do Flamengo veio dois minutos depois. Em mais um contra-ataque, Everton foi lançado pela esquerda, entrou na área e tocou na saída de Vanderlei, mas o goleiro santista estava bem colocado e fez a defesa.

Na parte final do jogo, o Flamengo sentiu o desgaste físico e diminuiu o ritmo. Com isso, o Santos passou a ter mais posse de bola e buscar o ataque. Os visitantes rondaram a área, mas pouco produziram no setor ofensivo.

Como os paulistas não aproveitaram o bom momento, acabaram sofrendo o segundo gol aos 42 minutos. Guerrero tocou para Cuéllar na entrada área, e o colombiano acertou belo chute, no ângulo, sem chance para Vanderlei, dando números finais na Ilha do Urubu.

Levir vê jogo equilibrado e promete pressão do Santos sobre o Flamengo

Técnico do Peixe não vê superioridade do Rubro-Negro na vitória por 2 a 0 no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil e crava melhora do Alvinegro em um mês

O Flamengo venceu o Santos por 2 a 0, na Ilha do Urubu, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, com sete finalizações certas contra uma do Peixe. Mesmo assim, o técnico santista Levir Culpi acredita que o duelo foi equilibrado e que o Rubro-Negro explorou os chutes de fora da área.

– O jogo ficou muito igual e foi decidido em dois golaços de fora da área. Dois chutes perfeitos. Isso que deu a vitória ao Flamengo. O resto foi equilibrado.

– O Flamengo não conseguiu pressionar. Foram dois gols de fora da área, é um recurso e eles foram felizes – disse.

Para o jogo da volta, que será no dia 26 de julho, na Vila Belmiro, o Santos precisa fazer três gols de diferença ou devolver os 2 a 0 e triunfar nos pênaltis para se classificar para as quartas de final. Sabendo disso, Levir prometeu aumentar a pressão e melhorar o desempenho.

– Estamos vivos na competição. Temos que por a mesma pressão que recebemos. Uma coisa é certa: nosso time vai pressionar mais do que aqui – concluiu.


Flamengo 2 x 0 Santos

Data: 27/11/2016, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 37ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 33.924 pagantes (37.615 presentes)
Renda: R$ 1.601.982,00
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Diego (F)
Gols: Paolo Guerrero (05-1) e Diego (39-2).

FLAMENGO
Alex Muralha, Pará, Rafael Vaz (Juan), Réver e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Diego, Gabriel (Fernandinho) e Everton; Paolo Guerrero (Leandro Damião).
Técnico: Zé Ricardo

SANTOS
Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Yuri e Zeca; Renato (Arthur Gomes), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Léo Cittadini), Copete e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior



Guerrero e Diego marcam, Fla vence o Santos e fica com a vice-liderança

O Flamengo fez sua última partida no Maracanã neste Campeonato Brasileiro, e se despediu de sua torcida com vitória de 2 a 0 sobre o Santos. Guerrero e Diego, ex-Peixe, marcaram os gols do Rubro-Negro, que ainda não havia vencido no estádio na temporada.

Superior durante quase toda a partida, o Flamengo recuperou do próprio Santos a vice-liderança do Brasileirão, e levou a decisão de quem ficará em segundo para o campeão Palmeiras para a última rodada.

Ttodos os confrontos de encerramento, por enquanto, estão programados para as 17h do próximo domingo. O Flamengo visita o Atlético-PR na Arena da Baixada, e o Santos recebe o já rebaixado América Mineiro, na Vila Belmiro.

O Flamengo tem 70 pontos na tabela de classificação, enquanto o Santos, agora terceiro, tem 68.

O jogo

Apesar do sol forte e do calor no Rio de Janeiro, a partida apresentou boa movimentação desde o primeiro tempo. O Santos começou indo ao ataque pela direita. O Lateral Victor Ferraz levantou na área e Muralha tirou de soco. A bola saiu da área, mas Thiago Maia aproveitou o rebote e arriscou o chute. A bola saiu com perigo, à direita da meta Rubro-Negra.

O Fla respondeu aos tês minutos, quando Gabriel recebeu de Diego na entrada da área e tirou do goleiro, mas Victor Ferraz apareceu para afastar o perigo.

Aos cinco, saída de bola errada do Santos, e passe em direção ao meio campo, mas a bola acabou voltando para a frente da área. Paolo Guerrero dominou livre e acertou uma bomba no canto de Vanderlei para abrir o placar.

Com 1 a 0, o Flamengo anulou o ímpeto inicial santista, e passou a controlar o jogo. Apesar do Peixe ter mais posse de bola, era o Flamengo qu levava mais perigo e esteve perto de marcar o segundo antes do intervalo.

Aos 20, após nova saída de bola errada do Santos, Márcio Araújo cobra lateral na ponta esquerda e aciona Jorge. O lateral vai a linha de fundo e, mesmo marcado, consegue mandar para o meio. Vanderlei se estica e corta o lance.

O Peixe respondeu na sequência. Lucas Lima abriu para Vitor Bueno na direita e ele lançou Ricardo Oliveira na área. O atacante tentou o chute cruzado mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

O Fla partiu em contra-ataque rápido aos 25. Diego rolou para Márcio Araújo que correu desde seu campo a entrada da área santista e tentou Guerrero. A zaga tentou cortar, mas Guerrero recuperou e soltou a bomba, que acabou subindo de mais.

No minuto seguinte, Diego cobrou falta da intermediária e levantou na área. Vanderlei saiu, mas não achou nada e a bola sobrou na esquerda para Everton. O meia cruzou e Gabriel testou no travessão.

O Santos tenta mais uma vez pela direita aos 30, e desta vez é Victor Ferraz que recebe e tenta o chute cruzado. A bola não vai com muita força e Muralha defende com tranquilidade.

Aos 38, Pará fez grande jogada pela direita, partiu em direção à area e rolou para Diego no meio. Ele viu Guerrero na esquerda e tocou para o peruano, que tentou o chute mas a bola saiu pela linha de fundo.

O Santos chegou com perigo antes do apito final da primeira etapa. Aos 42, Lucas Lima cobrou escnateio pela esquerda e Copete cabeceou, mas a bola saiu com perigo e não acertou o gol.

A segunda etapa começou movimentada. Em grande tarde, Everton arrancou pela esquerda, cortou para o meio na frente da área e inverteu a jogada para Guerrero. O peruano ajeitou, mas bateu mal na bola e ela subiu muito.

O Santos respondeu, aos 9 minutos, na cobrança de uma falta da intermediária. Vitor Bueno levantou e Ricardo Oliveira entrou sozinho para cabecear. Muralha fez grande defesa, mas o lance já havia sido paralizado e o impedimento do atacante do Santos foi marcado.

O jogo caiu de ritmo, com as duas equipes acusando um certo desgaste. Mas o Flamengo continuava muito mais incisivo em campo, só que perdia oportunidades de ampliar o placar.

Aos 22, tabela entre Diego e Pará pela direita e Everton foi acionado dentro da área. O meia faz o pivo e atrasou para Márcio Araújo bater de primeira e obrigar Vanderlei a se esticar para evitar o gol e mandar para escanteio.

Três minutos depois, Guerrero perdou um gol incrível. Pará recebeu na direita e tocou na frente para Gabriel, que girou e levantou na área. A zaga tentou cortar de cabeça mas a bola sobra do outro lado para o peruano livre. Mas ele, de frente para o gol, matou na coxa e chuta para fora.

O Flamengo chegou ao segundo gol aos 39, e deu números finais ao espetáculo. Em nova trama pela direita entre Pará e Gabriel, o lateral cruzou no segundo pau e Diego se esticou para tocar de primeira, de perna esquerda, para o fundo da rede.

Bastidores – Santos TV:

Dorival vê falhas no último passe e lamenta derrota no Maracanã

A derrota por 2 a 0 para o Flamengo não era o resultado que o Santos queria. O Peixe acabou ultrapassado justamente pelo Rubro-Negro e caiu para o terceiro lugar do Campeonato Brasileiro. Ao analisar o desempenho do time no Maracanã, o técnico Dorival Júnior lamentou o gol sofrido com apenas quatro minutos de jogo e apontou erros no último passe.

“Primeiro, o gol logo de início, deu uma condição favorável. O Flamengo jogou na espera, mas foi agressivo, uma equipe muito bem treinada. O Santos tentou envolver. Pecamos muito no último passe. Foi um jogo difícil, complicado, porém leal. O Flamengo teve merecimento no resultado”, avaliou.

A derrota, porém, não desanima o Santos. O comandante alvinegro garante o time forte para a última rodada, contra o América-MG. Com 68 pontos, o Peixe precisa vencer o Coelho e torcer contra o Flamengo para terminar como vice-campeão brasileiro.

“O campeonato não está definido. Temos mais uma rodada e vamos brigar até o último momento. O Palmeiras é o legítimo campeão, toda equipe está de parabéns. O Santos fez um grande campeonato, assim como Flamengo e Atlético-MG. Foi uma competição bem disputada, um pouco diferente das anteriores. O Santos, por tudo que passou, fez um campeonato brilhante”, declarou.

Apesar de ter pela frente o já rebaixado e lanterna da competição, Dorival não prevê facilidades para o duelo do próximo domingo, na Vila Belmiro, e promete uma equipe atenta durante os 90 minutos para buscar a vitória.

“O Flamengo com certeza lutará até o último instante pela vitória. Teremos novamente uma rodada difícil e complicada. Porém, estaremos atentos e brigando pela melhor colocação”, finalizou o treinador santista.

Ricardo Oliveira lamenta derrota e volta as atenções para o América-MG

No duelo que valia a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, o Santos acabou derrotado por 2 a 0 pelo Flamengo, no Maracanã, e caiu para a terceira posição. Insatisfeito, Ricardo Oliveira lamentou o resultado e voltou às atenções para o último compromisso do torneio nacional, diante do América-MG.

“Não dá para prever. Hoje não conseguimos fazer o nosso jogo, apesar de termos possibilidades dentro do jogo. Não conseguimos, não fomos hoje aquela equipe que vínhamos sendo nas partidas anteriores. Agora é pensar no último jogo, dentro de casa, e procurar recuperar esta segunda colocação”, declarou o capitão santista ao canal Premiere.

O Santos volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, às 17 horas (de Brasília) para enfrentar o lanterna e já rebaixado América-MG, na Vila Belmiro. Para terminar a competição em segundo lugar, o Peixe precisa vencer o Coelho e torcer para um tropeço do Flamengo, que visita o Atlético-PR.

Mesmo sem título, Copete vê temporada positiva e quer o vice

Chegou oficialmente ao fim o sonho do Santos conquistar o título do Campeonato Brasileiro. Após a derrota por 2 a 0 para o Flamengo, no último domingo, no Maracanã, o Peixe viu o Palmeiras ficar com a taça ao bater a Chapecoense por 1 a 0, no Allianz Parque. Porém, os jogadores e a comissão técnica do alvinegro não estão desanimados.

Apesar de não trazer o caneco para a Vila Belmiro, o clube faz sua melhor campanha na história do torneio disputado por pontos corridos e ainda garantiu vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017, coisa que não acontecia há quatro anos. Segundo o atacante Jonathan Copete, o trabalho desta temporada pode ser visto com bons olhos pela torcida.

“Minha avaliação é positiva. Tanto para o meu desempenho, quanto para o dos meus companheiros. Fizemos um bom trabalho dentro do campeonato. Sabemos que temos que melhorar ainda mais para a próxima temporada, porque teremos objetivos ainda maiores”, afirmou o colombiano.

Se a temporada do Santos pode ser vista de forma positiva, o desempenho de Copete no clube é para ser aplaudido de pé. Contratado no meio da temporada, ele se adaptou rapidamente ao futebol brasileiro. Com a saída de Gabigol, vendido para a Inter de Milão, em agosto, o atacante assumiu a titularidade e foi decisivo para o Peixe nesta reta final de Brasileirão. Tanto que virou o artilheiro da equipe na competição nacional, com 10 gols, ao lado de Vitor Bueno e Ricardo Oliveira, e também é o maior garçom do time no torneio, com cinco assistências, junto com Jean Mota.

Sem título, o alvinegro ainda luta para ficar com o vice-campeonato. O revés para o Flamengo fez a equipe cair para a terceira colocação. Afinal, terminar em segundo irá render R$ 3,4 milhões a mais no caixa do clube. E para ultrapassar o Rubro-Negro, o Santos precisa bater o já rebaixado América-MG, neste domingo, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro.

“Precisamos do apoio dos torcedores no jogo da última rodada. Pode decidir a segunda colocação na tabela de classificação. Já alcançamos um dos objetivos, que era a vaga direta para a Libertadores mas vamos seguir trabalhando e buscar fazer um grande jogo no domingo”, declarou.

Santos 0 x 0 Flamengo

Data: 03/08/2016, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá, MT.
Público: 21.799 torcedores
Renda: R$ 1.748.455,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Marcio Gleidson Correia Dias e Helcio Araujo Neves (ambos de PA).
Cartões amarelos: Caju (S); Everton e Rafael Vaz (F).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Leo Cittadini, Jean Mota (Joel) e Vitor Bueno; Copete e Rodrigão (Elano).
Técnico: Dorival Junior.

FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Chiquinho; Marcio Araújo, Willian Arão, Allan Patrick (Mancuello) e Everton (Adryan); Marcelo Cirino (Fernandinho) e Guerrero.
Técnico: Zé Ricardo



Peixe empata com Fla, dorme na ponta e pode quebrar jejum de 10 anos

O torcedor santista viveu uma noite especial nesta quarta-feira. O Peixe assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro, pelo menos até o complementado da 18ª rodada. Caso o Palmeiras perca para a Chapecoense e o Grêmio não vença o Santa Cruz, o alvinegro praiano quebrará 10 anos de jejum. A última vez que a equipe ocupou a primeira colocação foi em maio de 2006, ao fim da 5ª rodada daquela edição. A ponta da tabela, com 33 pontos, foi alcançada após a equipe empatar em 0 a 0 com o Flamengo, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

A liderança santista, ainda que provisória, foi construída graças a uma grande atuação do goleiro Vanderlei, que parou o ímpeto flamenguista, muito mais presente no ataque que o time santista.

Desfalcado de muitas peças, o Peixe valorizou a posse de bola e os contra-ataques, até teve chance de fazer o seu gol, mas o Flamengo foi mais agressivo e poderia até ter vencido a partida. Com a informação de que o Corinthians havia tropeçado em Curitiba, diante do Atlético-PR, o Peixe cadenciou a partida nos minutos finais e assegurou o empate.

O jogo

Com muita disposição, o Flamengo começou a partida partindo para cima do Santos. As descidas do rubro-negro carioca ocorriam na maioria das vezes pelo lado esquerdo da defesa santista, onde Caju tinha bastante dificuldade na marcação. Pela esquerda, Copete não recompunha bem, Leo Cittadini não marcava bem e por isso lateral-esquerdo santista ficava sobrecarregado.

Embora o Flamengo chegasse mais ao ataque, foi o Peixe quem teve a chance mais perigosa, quando aos 34 minutos, Caju tocou para Vitor Bueno, na direita. O meia pegou na bola de primeira e acertou a trave direita de Alex Muralha.

Com a pressão flamenguista, o Santos não conseguia manter a posse de bola. Jean Meia, o armador, quase não participava da partida.

O Flamengo seguia a sua sina de estar mais presente no ataque, mas foi o Santos quem novamente criou uma melhor oportunidade, quando Copete, aos 44, percebeu Alex Muralha um pouco adiantando e tentou surpreender com um chute do meio de campo. A bola caiu atrás do travessão rubro-negro.

No segundo tempo, o Santos voltou ainda mais precavido, sempre no aguardo das ações do adversário.

E mais uma vez a história se repetiu. O Flamengo mais entusiasmado no ataque, mas o Santos é quem chegou perto do gol, quando, aos 14, Rodrigão recebeu dentro da área, cortou Réver e chutou forte com boa defesa de Alex Muralha.

Os cariocas finalmente responderam, aos 17, com Everton acertando chute rasteiro, nono canto esquerdo, para intervenção de Vanderlei para a alinha de fundo.
Aos 24, Everton recebeu na esquerda, dentro da área, e chutou para nova defesa de Vanderlei.

Aos 43, o Santos que conservava o empate e a provisória liderança, passou por um enorme susto, quando Mancuello acertou o travessão, depois de finalizar de fora da área.

E ainda teve tempo para mais sufoco do Flamengo. Aos 46, Vanderlei fez nova defesa, quando Mancuello chutou para mais uma defesa do goleiro santista. Aos 48, no último lance do jogo, Fernandinho cabeceou e Caju desviou a bola com a mão dentro da área, mas o árbitro apitou o final da partida.

Bastidores – Santos TV:

Santistas celebram ponta da tabela e valorizam trabalho realizado

Após o apito final, o sentimento comum entre jogadores e comissão técnica do Santos foi de que a equipe fez por merecer assumir a liderança do Campeonato Brasileiro. Todos foram unanimes em dizer que chegar a ponta da tabela era questão de tempo por conta do trabalho realizado ao longo da competição.

“Ficamos muito felizes com a liderança, que é fruto de um trabalho bem feito, de uma sequência de bons jogos. Vamos esperar o fim da rodada e podemos comemorar por enquanto, mas temos que ser líderes no dia 4 de dezembro. Agora é descansar e enfrentar o América-MG para terminar bem o turno”, ressaltou o lateral-direito Victor Ferraz, referindo-se ao duelo diante do lanterna do campeonato, no domingo, as 11 horas, em Belo Horizonte. “É o lugar onde o Santos merece estar. A gente vem fazendo um grande trabalho”, disse o meia Elano, sobre a liderança do Santos, com 33 pontos.

O técnico Dorival Júnior avaliou o desempenho santista e valorizou o resultado, principalmente pelo fato de o time ter se apresentando sem cinco titulares. “Foi um ponto importante. Se considerarmos que jogamos sem cinco jogadores, quem entrou foi valente. Estávamos em igualdade de condição com o Flamengo no jogo. Perdemos 50% da equipe e não é fácil repor. É um ponto somado fora de casa”, disse o treinador, que valorizou a entrega de seus atletas.

“Só tenho que enaltecer a atitude desses jogadores. É um ponto que pode ser decisivo lá na frente. Há muitos anos o Santos não se aproximava da liderança. É um fato importante, temos a segunda defesa menos vazada, o melhor ataque, mesmo com todos esses problemas”, destacou.

Mais do que liderança, Dorival prega regularidade no Brasileirão

Desde que foi derrotado pelo Grêmio, por 3 a 2, em Porto Alegre, em 29 de junho, o Santos não sabe o que é perder. A data coincide com uma arrancada da equipe no Campeonato Brasileiro, que agora alcança a liderança, e ainda uma classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil.

Desde o revés para o tricolor gaúcho, nos minutos finais, o Peixe engatou no Brasileiro uma sequência de 13 pontos em possíveis 18 nas últimas seis rodadas, aproveitamento que nenhuma equipe conseguiu nesse espaço de tempo. Foram vitórias diante de Chapecoense (3 a 0), Ponte Preta (3 a 1), Vitória (3 a 1) e Cruzeiro (2 a 0) e empates diante de Palmeiras (1 a 1) e Flamengo (0 a 0).

A fase é tão boa que o ataque marcou 12 gols nesses seis jogos, sendo o mais eficiente entre os concorrentes e a defesa sofreu apenas quatro gols, sendo uma das três retaguardas que menos foi vazada. Tudo isso em meio a muitos desfalques. Por conta dessas ausências, o técnico Dorival Júnior prefere valorizar a manutenção da maneira como a equipe tem atuado.

“Não tem que alterar nada. Não temos como objetivo a liderança momentânea. Não é tão importante quanto manter a postura que a equipe vem tendo. Nossa sequência nos dirá o caminho a ser tomado”, explica.

Para próxima rodada, diante do América-MG, no domingo, as 11 horas, em Belo Horizonte, além de já não poder contar com Zeca, Thiago e Gabriel, que estão na seleção olímpica, o treinador ainda não sabe se poderá escalar Lucas Lima, que segue em tratamento de um edema na coxa esquerda.

Além do meia, Ricardo Oliveira esteve fora diante do Flamengo, na quarta-feira, mas deve retornar a equipe para o duelo diante dos mineiros.