Navegando Posts marcados como Ganso


Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos.

Santos 1 x 3 Bahia

Data: 29/08/2012, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.612 pagantes
Renda: R$ 186.425,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Rodrigo Henrique Correa (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Bruno Peres (S); Jussandro e Danny Morais (B).
Gols: André (14-1); Souza (13-2), Neto (17-2) e Gabriel (27-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano (Bill), Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André (Victor Andrade).
Técnico: Muricy Ramalho

BAHIA
Omar; Neto, Titi, Danny Morais e Jussandro; Fahel, Diones, Hélder (Mancini) e Zé Roberto (Caio); Gabriel e Souza (Lucas Fonseca).
Técnico: Jorginho



Bahia espanta má fase e derrota o Santos em noite de mais vaias para Ganso

Depois de vitória parcial no intervalo, Santos não vê a cor da bola e leva virada em casa

Próximo à zona do rebaixamento e estreando o técnico Jorginho, o Bahia surpreendeu o Santos , e fez por 3 a 1, na noite desta quarta, na Vila Belmiro. O time baiano interrompeu a série de três vitórias consecutivas dos santistas no Campeonato Brasileiro , vencendo de virada, com gols de Souza, Neto e Gabriel. André abriu o placar para os donos da casa.

Depois do jogo, os torcedores santistas se mostraram revoltados com o resultado e jogaram moedas contra os jogadores do Santos. O principal alvo foi Paulo Henrique Ganso, chamado de mercenário pelos santistas.

O resultado conquistado fora de casa manteve o Bahia na 16° posição, com 20 pontos. Já o Santos permanece no 10° lugar, com 26 pontos ganhos, mas pode cair algumas colocações na Série A, dependendo dos demais resultados da rodada.

Na próxima rodada, o Alvinegro Praiano volta a campo contra o Sport, domingo, às 16 horas (horário de Brasília), na Ilha do Retiro. Enquanto isso, os nordestinos recebem o São Paulo, no mesmo dia e horário, no Pituaçu.

O jogo

Com o Bahia adotando a proposta de jogar fechado na defesa, o Santos apostou na troca de passes curtos e rápidos para ameaçar o gol de Omar, no começo da partida.

Aos oito minutos, Neymar iniciou a jogada, tabelando com Ganso e, depois com André, antes de entrar na área e ver a bola tocar em um defensor, sobrando para a finalização do centroavante. O arremate do camisa 9 passou rente a trave de Omar.

Melhor em campo e com o adversário sentindo a pressão para conquistar um bom resultado, devido ao seu momento ruim no Brasileirão, o Santos logo chegou ao gol. Aos 14, Juan começou o lance, acionou Neymar, que primeiro chutou no vácuo, antes de cruzar na primeira trave, onde André estava pronto para completar e balançar as redes: 1 a 0.

Os santistas quase ampliaram o marcador em jogada envolvendo Patrício “Patito” Rodríguez e Ganso. Aos 17, o meia-atacante fez boa jogada individual, entrando na grande área e rolando para trás, nos pés do camisa 10 alvinegro. Mas Paulo Henrique Ganso não aproveitou bem a chance e chutou à direita do gol de Omar.

Em seu primeiro bom ataque, o Bahia quase empatou, aos 21. O centroavante Souza recebeu levantamento de Diones, na entrada da área, avançou e mandou a bola pela linha de fundo.

O Santos quase ampliou quando Neymar, aos 37, arrancou em velocidade e tocou para André, que frente a frente com Omar, bateu em cima do goleiro, desperdiçando uma boa oportunidade de ampliar o placar para o seu time.

O Bahia respondeu no minuto seguinte, com o volante Hélder, que soltou uma bomba de fora da área, de perna esquerda, acertando o travessão do goleiro santista Rafael. No rebote, a arbitragem parou o lance, alegando impedimento.

No início da etapa complementar, o Bahia teve uma grande chance para empatar o jogo. Aos três, Gabriel cruzou para Souza, a bola desviou na zaga santista, e Souza completou, de perna esquerda, por cima do gol de Rafael

Melhor no segundo tempo, o Bahia pressionou até chegar ao empate. Aos 13, Neto cruzou da direita, Zé Roberto dividiu e a bola sobrou para Souza emendar para o fundo do gol, deixando tudo igual na Vila Belmiro.

Animado, o Bahia alcançou a virada, quatro minutos mais tarde. Em cobrança de falta, o lateral direito Neto, que defendeu o Santos em 2006, cobrou falta com precisão e Rafael não conseguiu evitar o segundo gol nordestino na Vila.

Com a desvantagem, o Alvinegro Praiano passou a se lançar no ataque, mas esbarrava na falta de precisão no último passe, antes das conclusões.

Desta forma, o Bahia marcava forte e tinha espaços para contra-atacar com rapidez. Aos 27, os visitantes chegaram ao seu terceiro gol. Souza recebeu cruzamento e ajeitou para Gabriel, que com um arremate forte de dentro da área, acertou o canto esquerdo de Rafael: 3 a 1 para o Bahia.

O resultado negativo fez o técnico Muricy Ramalho queimar as suas três alterações rapidamente. Aos 30, Victor Andrade entrou na vaga de André. Sete minutos mais tarde, Felipe Anderson substituiu “Patito” Rodríguez e Bill foi para o jogo, no lugar de Adriano.

O Santos ainda teve a última chance para descontar e “incendiar” os minutos finais do confronto, porém, a cobrança de falta de Neymar, da intermediária, acertou a trave.

Ganso é chamado de mercenário e diz que seu salário é um dos menores do Santos

Meia viu “chuva” de moedas cair na sua cabeça após derrota para o Bahia na Vila Belmiro

A permanência de Paulo Henrique no Santos é cada vez mais difícil. O jogador foi mais uma vez vaiado e hostilizado pelos torcedores santistas. Desta vez ele foi o principal alvo de protestos dos presentes na derrota do Santos para o Bahia por 3 a 1 nesta quarta-feira na Vila Belmiro. Das arquibancadas, o grito hostil para Ganso estava recheado de palavrões. O mais publicável foi “mercenário”. Para esta ofensa, o meia apresentou uma resposta pronta.

“Tenho um dos salários mais baixos do elenco do Santos e sou chamado de mercenário. Infelizmente essa é a cultura do nosso país”, disse Ganso, que ganha R$ 130 mil por mês no Santos. A diretoria informa que já apresentou um aumento salarial ao jogador, mas ele não teria aceitado. Ganso nega que tenha recebido qualquer oferta.

Perguntado se a manifestação da torcida (que atirou moedas contra o jogador na saída do campo) representava o fim da linha na relação dele com o Santos, Ganso preferiu responder de forma vaga. “Quem tem que decidir é comando do clube”, disse. Seu contrato com o Santos é válido até 2015.

Na terça-feira, o presidente santista Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro disse estar de saco cheio da situação com Ganso e que não trataria mais do assunto . O São Paulo apresentou proposta pelo meia, mas o Santos recusou.

Triste com ofensas a Ganso, Neymar defende amigo e cobra definição

Atacante diz que camisa 10 não merece ser chamado de “mercenário” pelos torcedores

Os protestos da maior organizada do Santos contra o meia Paulo Henrique Ganso , após a derrota por 3 a 1 para o Bahia na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, refletiram nos demais integrantes do time alvinegro. Principal destaque da equipe, o atacante Neymar , grande amigo do camisa 10, se mostrou chateado com a situação e saiu em defesa de Ganso .

Para o astro santista, o “maestro” não merece ser chamado de “mercenário”, pois sempre se dedicou ao Santos, ajudando os alvinegros a conquistar cinco títulos nós últimos três anos. “É uma coisa chata, muito chata. Demos muitos títulos ao Santos. Na minha opinião, não tem razão para esse protesto todo”, afirmou.

Neymar cobrou uma postura da diretoria, no que diz respeito as negociações envolvendo a possível ida de Paulo Henrique Ganso para o São Paulo . O camisa 11 alvinegro crê que uma definição sobre o assunto deve ser tomada logo. “É o caso de se sentar com a diretoria. Isso precisa ser resolvido. Eu ficaria bem triste se ele saísse. Espero que essa novela termine logo”, encerrou Neymar.

Sobre o resultado da partida, o atacante ressaltou que o Santos perdeu nos detalhes para o Tricolor de Aço. “Perdemos em três detalhes. Acabamos dando ‘mole’. O time estava vencendo, vinha bem. É ruim perder. Vínhamos de uma sequência boa, mas infelizmente perdemos”, concluiu.

Após vaias e protestos, Muricy promete apoio a Ganso: “Não vou virar as costas”

O protesto da torcida do Santos , que entoou o coro de “mercenário” e atirou moedas na direção do meia Paulo Henrique Ganso após a derrota por 3 a 1 para o Bahia , na qaurta-feira, pelo Campeonato Brasileiro , gerou mais uma manifestação de apoio do técnico Muricy Ramalho ao jogador. O comandante santista, que já havia defendido o camisa 10 depois da vitória sobre o Palmeiras , no último sábado, declarou que o momento é de ficar ao lado do atleta que, em sua avaliação, não se escondeu da partida em nenhum instante.

“A gente tem que ficar ao lado dele, que é profissional que sempre nos ajudou muito. Não pode dar as costas para ninguém e não vai mudar nada. Vamos continuar trabalhando com ele e pedindo ao Ganso que jogue o que ele sabe jogar. Ele tem muita personalidade e, em nenhum momento, deixou de jogar, procurar o jogo. Ele mostrou a personalidade que tem o tempo todo”, disse Muricy, depois do revés para o Bahia.

Para o treinador, Ganso não foi o único a ter uma atuação abaixo do esperado na equipe e, compreendendo a situação do meia, Muricy Ramalho manteve o jogador durante os 90 minutos em campo: “A coisa não estava boa, o time inteiro não estava bem. O que podemos fazer é confortar o cara, por isso eu não pensei em tirá-lo. Por isso eu não o substitui. A torcida vem, paga o ingresso, tem o direito de reclamar. Mas eu jamais iria colocar a responsabilidade toda em cima dele. Não sou cara de fazer uma coisa dessas”, comentou.

Indagado se a situação do camisa 10 estaria insustentável no Santos, Muricy evitou dar uma opinião mais concreta, mas destacou acreditar que Ganso pode reverter a antipatia de parte da torcida por ele. “A única chance que o profissional tem de reverter uma situação como essa é jogar e conquistar o carinho do torcedor de novo. Ganhar os jogos também é fundamental, porque perder realmente dá margem a isso. Mas se ele continuar se dedicando, como vem fazendo nos treinamentos e nos jogos, certamente ele vai reverter esse problema”, encerrou.

Torcida santista volta a pressionar Ganso e picha muro pedindo a saída do meia

A situação deixou o atleta bastante preocupado, tanto que foi preciso um reforço na sua segurança

A permanência do meia Paulo Henrique Ganso está cada vez mais complicada no Santos. Isto porque, além do protesto contra o jogador, chamando-o de mercenário e atirando moedas em sua direção, após a derrota para o Bahia por 3 a 1 , na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, torcedores estenderam as manifestações até o CT Rei Pelé. No local onde costumam ficar os carros dos atletas, o camisa 10, mais uma vez, foi alvo da ira dos torcedores.

A presença de torcedores, que voltaram a chamá-lo de mercenário, na porta do CT deixou Ganso preocupado. Além disso, o muro do local foi pichado, com a seguinte frase: “Fora Ganso”. A mensagem foi colocada em diferentes pontos do CT Rei Pelé.

A situação deixou o atleta bastante preocupado, tanto que foi preciso um reforço na sua segurança, para que ele deixasse o local sem maiores problemas. Cinco seguranças fizeram a escolta do “maestro” santista, na sua saída do CT. No entanto, não houve agressões por parte dos torcedores.

Com mais esse protesto, Paulo Henrique Ganso se sente desamparado pela diretoria santista. Temeroso pela sua segurança, o meia acredita que a nota oficial lançada pelo Alvinegro Praiano, em seu site oficial, na última sexta, criticando a sua declaração de que “seria um prazer jogar no São Paulo”, equipe que tentou contratá-lo, e as palavras do presidente Luis Álvaro de Oliveira, dizendo que esse assunto “já havia enchido o saco”, contribuíram para as manifestações da torcida.

Tanto que, na saída do gramado da Vila, depois da derrota para o Tricolor de Aço, Ganso deixou no ar uma possível manipulação para aumentar o clima de pressão sobre ele no clube.

“Sou um dos salários mais baixos da equipe e a torcida está gritando que eu sou mercenário. Se bem que se você prestar a atenção, foi só uma parte da torcida que gritou isso. Como eu falei, essa não é a primeira vez que estou passando por isso. Eu tenho que manter a cabeça tranquila porque é até difícil falar a verdade. É triste ouvir isso (ofensas da torcida), porque sempre me dediquei ao extremo pelo clube, fiz muitos gols e ganhei muitos títulos pelo Santos”, disse o camisa 10.

Solidário ao jogador, o técnico Muricy Ramalho, vendo os protestos da torcida, ainda reuniu o time inteiro no gramado da Vila Belmiro, após o apito final da partida, para que todos saíssem juntos, evitando manifestações contra Paulo Henrique Ganso. A medida, porém, não foi eficaz e uma “chuva de moedas” foi direcionada ao meia.

Nos vestiários, o treinador defendeu Ganso e destacou que “não vai virar as costas” para o atleta. O atacante Neymar, grande amigo do meio-campista no elenco, também se posicionou a favor do jogador e cobrou uma definição do imbróglio, por parte da diretoria.

Santos rejeita oferta são-paulina por Ganso e reforça valor mínimo por negócio

Clube da Vila Belmiro reafirma que jogador só será vendido por R$ 53 milhões, valor da multa rescisória

O São Paulo aumentou a oferta para ter Paulo Henrique Ganso neste Campeonato Brasileiro, mas o Santos mais uma vez rejeitou a proposta. Em nota oficial divulgada na noite desta quinta-feira, o Santos reiterou que uma negociação para a saída do jogador só terá um desfecho satisfatório para o clube que oferecer R$ 53 milhões, valor da multa rescisória do jogador.

“O Santos vem a público, mais uma vez, afirmar que a nota oficial publicada na última sexta-feira sobre o atleta Paulo Henrique Ganso continua mais válida e atual do que nunca: seus direitos federativos não estão à venda. O meia está sob contrato até fevereiro de 2015 e o documento prevê multas tanto para o exterior quanto para o Brasil. Times interessados devem realizar o depósito relativo ao valor integral da multa na conta corrente do Santos e enviar o comprovante por fax à presidência”, disse o Santos em nota oficial.

O São Paulo ofereceu R$ 28 milhões nesta quinta-feira . O Santos lamentou a oferta são-paulina, segundo o clube, muito menor do que o desejado. “Lamentamos a insistência do São Paulo FC em enviar propostas com cifras muito abaixo do valor da multa, ignorando a nota oficial do Santos FC. Mais ainda: um dia depois do São Paulo ter desistido da negociação em conversa telefônica entre o seu diretor Adalberto Baptista e o membro do Comitê de Gestão do Santos FC, Pedro Luiz Nunes Conceição. Por conta disso, tal como da primeira investida, rejeitamos liminarmente a segunda proposta encaminhada”, prossegue a nota santista.

O Santos teria direito a 45% do valor da multa. Os outros 55% são do grupo DIS, que controla a carreira de Ganso. Com contrato vigente até 2015, o Santos promete jogar duro para liberar seu camisa 10. Com cinco jogos no Brasileiro, Ganso pode fazer apenas mais uma partida pelo Santos se quiser ser negociado ainda este ano.

“O clube aproveita a oportunidade para manifestar total apoio a Paulo Henrique Ganso por conta das manifestações ocorridas ao final da partida contra o Bahia, na noite de ontem. Continuamos confiando no talento e na identificação do jogador com a camisa do Santos, que permanece sendo um ídolo do clube”, diz a nota do Santos.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Figueirense 1 x 3 Santos

Data: 16/08/2012, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC.
Público e renda: não disponíveis
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG).
Auxiliares: Marcus Vinicius Gomes e Celso Luiz da Silva (ambos de MG).
Cartões amarelos: Aloísio e Jackson (F); Gérson Magrão, Ganso e David Braz (S).
Cartões vermelhos: Juan (S) e Túlio (F).
Gols: Aloisio (02-2), Neymar (05-2), Bruno Peres (31-2) e Ganso (39-2).

FIGUEIRENSE
Wilson; Léo (Elsinho), Fred, Anderson Conceição e Guilherme Santos; Claudinei, Jackson, Túlio e Fernandes; Caio e Aloisio (Júlio Cesar, depois Almir).
Técnico: Hélio dos Anjos

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, David Braz e Juan; Adriano, Arouca, Patito Rodríguez (Gérson Magrão) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e André (Miralles).
Técnico: Muricy Ramalho



‘Operação Neymar’ dá certo, e Santos vence o Figueirense em Florianópolis

Joia santista fez o seu e deu uma assistência na primeira vitória do Santos fora de casa no Brasileiro

Nem parecia que Neymar havia jogado 30 horas antes. A verdadeira ‘operação’ para trazer o camisa 11 de volta do amistoso do Brasil na Suécia valeu a pena. A joia santista foi o destaque, e o Santos venceu o Figueirense, por 3 a 1, nesta quinta, em Florianópolis. Foi a primeira vitória da equipe de Muricy Ramalho fora de casa no Brasileirão.

Demonstrando muita disposição e fôlego, Neymar infernizou a zaga do Figueirense durante toda a partida. Marcou o primeiro gol e deu passe para Ganso fechar o placar. O lateral Bruno Peres fez o segundo do Santos , enquanto Fernandes marcou para os mandantes.

Os santistas chegam a 20 pontos, ocupam a 14ª posição e ainda estão longe da zona de classificação para a Libertadores de 2013. Já os catarinenses amargam a lanterna do Brasileirão, com apenas 11 pontos conquistados.

Na próxima rodada, a penúltima do primeiro turno do Brasileirão, o Santos recebe o arquirrival Corinthians, algoz da equipe nas semis da Libertadores. Já o Figueirense vai a Porto Alegre enfrentar o Grêmio na luta para fugir da zona do rebaixamento. As duas partidas acontecem no domingo, às 16h (horário de Brasília).

O jogo

O Santos contava com o retorno de Neymar, Ganso e Rafael, além da reestreia do atacante André. Porém, o jogo mal começou e o time de Muricy se viu em desvantagem logo aos 9 minutos de partida. Caio ganhou na corrida de Juan e o lateral santista deu um carrinho por trás no atacante catarinense. Como era o último homem, o árbitro Emerson de Almeida Ferreira não hesitou em expulsar o santista.

No lance seguinte outro susto, e o goleiro Rafael teve de fazer bela defesa em cabeçada de Aloísio. Com um a menos, Muricy logo mexeu, colocando o lateral esquerdo Gérson Magrão no lugar de Patricio Rodriguez. Mas o Santos continuava desorganizado em campo, com Ganso em atuação apagada. O atacante Aloísio voltou a levar perigo para os santistas, após cabecear bola no travessão.

A primeira chance do Santos veio com Neymar. E a joia santista perdeu um gol incrível. Gérson Magrão avançou pela esquerda e cruzou, Neymar dominou na pequena área e tirou demais do goleiro Wilson, mandando para fora.

No minuto seguinte, o volante Túlio deu uma tesoura no camisa 11 do Santos e foi expulso direto. Foi a sétima exclusão do time catarinense no Brasileiro, a equipe mais indisciplinada da competição.

Se a primeira etapa não teve grandes emoções, o segundo tempo começou a todo vapor. Logo aos dois minutos, Aloísio fez bela jogada pela esquerda e cruzou para Fernandes marcar de cabeça para o Figueirense.

A resposta do Santos veio rapidamente. Neymar arrancou, passou por dois marcadores e chutou para fazer um golaço. Foi o primeiro gol do time paulista fora de casa no Brasileirão, apenas na 10ª partida como visitante.

Mesmo sofrendo o gol de empate, o Figueirense seguia com mais posse de bola e se arriscava mais ao ataque. Aloísio infernizava a zaga santista, mas se cansou e foi substituído. Do outro lado, Neymar continuava inspirado. A estrela do Santos deu belo passe para Miralles, que entrou no lugar do apagado André, chutar para a defesa de Wilson, com os pés.

O time de Muricy conseguiu a virada aos 31. O lateral Bruno Peres levou a bola pelo meio da zaga do Figueira e tocou na saída de Wilson. Ainda deu tempo de Ganso ampliar, após assistência de Neymar, para definir o placar e garantir a primeira vitória do Santos fora de seus domínios no Brasileirão.

Bastidores:

Muricy defende ‘operação Neymar’ e ‘corneta’ a imprensa

“Ninguém é menino aqui para fazer coisa errada. A gente sabe bem o que está fazendo”, disse o comandante santista após a vitória contra o Figueirense

Logo após a bela atuação de Neymar e a vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Figueirense nesta quinta, o técnico Muricy Ramalho defendeu a verdadeira operação para trazer o craque santista de volta do amistoso do Brasil contra a Suécia.

“Ninguém é menino aqui para fazer coisa errada. A gente sabe bem o que está fazendo”, afirmou o comandante santista.

Muricy ainda atacou a imprensa quando perguntado sobre os riscos de colocar Neymar em campo, mesmo com a possibilidade de alguma lesão muscular no jogador.

“Quando a gente poupa, vocês xingam. Se eu coloco o cara para jogar vocês falam mal também. O menino fretou um avião para jogar. É diferenciado e forte fisicamente, se movimentou bastante e foi bem no jogo”, concluiu o técnico.

O Santos conquistou a primeira vitória fora de casa no Brasileirão, chegou a 20 pontos na tabela do Brasileirão e ocupa a 14ª posição. Na próxima rodada, encara o clássico contra o Corinthians, na Vila Belmiro. A partida acontece no domingo às 16h.

Bruno Peres atribui gol sobre o Figueirense à cobrança de Muricy

Lateral santista marcou o gol da virada do time paulista contra os catarinenses, seu segundo desde que chegou ao time

Autor do segundo gol do Santos na vitória sobre o Figueirense, por 3 a 1, na noite desta quinta-feira, no Orlando Scarpelli, o lateral direito Bruno Peres evitou demonstrar empolgação excessiva com o feito. Contente com o gol anotado diante dos catarinenses, o seu segundo com a camisa do Peixe, o ala atribuiu o lance a cobrança do técnico Muricy Ramalho para a melhora do seu rendimento na equipe.

“É importante para mim isso (as orientações de Muricy). Ele tem cobrado para eu chegar mais na frente. Tive a felicidade de fazer esse lindo gol e ajudar o time a vencer”, contou Peres, que fez uma fila de defensores adversários antes de chutar de pé esquerdo para o gol, vencendo o arqueiro Wilson.

O tento assinalado pelo lateral virou o jogo para os santistas, aos 31 minutos do segundo tempo. Mais tarde, aos 39, o meia Paulo Henrique Ganso aproveitou assistência de Neymar para dar números finais a vitória do Alvinegro Praiano em Florianópolis.

Bruno Peres chegou a Vila Belmiro emprestado pelo Audax-SP. Destaque do Guarani, na campanha que rendeu o vice-campeonato paulista ao Bugre, o ala fica no Santos até o fim do Paulistão de 2013.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos

Santos 8 x 0 Bolívar

Data: 10/05/2012, quinta-feira, 19h30.
Competição: Copa Santander Libertadores – Oitavas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 15.060 pagantes
Renda: R$ 535.445,00
Árbitro: Martín Vázquez (URU).
Auxiliares: Carlos Pastorino e Carlos Changala (ambos do URU).
Cartões amarelos: Flores, Campos, Canteros e Valverde (B).
Gols: Elano (06-1), Neymar (21-1, de pênalti), Ganso (27-1), Alan Kardec (29-1) e Neymar (36-1); Elano (05-2), Ganso (07-2) e Borges (14-2).

SANTOS
Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec (Borges).
Técnico: Muricy Ramalho

BOLIVAR-BOL
Argüello; Rodríguez, Frontini e Valverde; Alvarez (Siquita), Flores, Cardozo (Miranda), Campos e Lizio; Arce e Cantero (Reyes).
Técnico: Guillermo Ángel Hoyos



Santos revive era Pelé, dá show e atropela o Bolívar na Libertadores por 8 a 0

Ganso faz gol de letra, Neymar quebra recorde e Santos se vinga de bolivianos com verdadeiro massacre

O Santos reviveu nesta quinta-feira os tempos aúreos da era Pelé e provou por que é considerado um dos favoritos para conquistar a Taça Libertadores. Com direito a uma bela atuação de Neymar e uma pintura de Ganso, a equipe paulista deu um verdadeiro espetáculo para a torcida que compareceu à Vila Belmiro, massacrou o Bolívar por 8 a 0 e se classificou para as quartas de final da competição. Na próxima fase, o Santos encara o Vélez Sarsfield, da Argentina.

Após perder a partida ida por 2 a 1, na Bolívia, o time da Baixada Santista precisava de uma vitória simples para avançar. O time paulista não fez por menos, se aproveitou da fragilidade dos bolivianos e fez um primeiro tempo avassalador, abrindo 5 a 0. Destaque para Neymar, que marcou o seu 106º gol pelo Santos e ultrapassou Serginho Chulapa e João Paulo como maior artilheiro do time na era pós-Pelé. Ganso ainda marcou um golaço de letra. A exibição de gala santista teve continuidade na segunda etapa e o Santos lembrou os tempos áureos de Pelé, cravando 8 a 0.

A goleada desta quinta-feira é a sexta maior da história da Libertadores e remete à temporada de 2010, quando o Santos colecionou placares históricos como as humilhantes vitórias contra Naviraiense (10 a 1) e Guarani (8 a 1), ambos pela Copa do Brasil e passeio frente o Ituano (9 a 1).

Nas quartas de final, o atual campeão da Libertadores terá uma parada dura pela frente. Os santistas enfrentam os argentinos do Vélez Sarsfield na próxima fase. A primeira partida acontece na semana que vem na Argentina e o Santos terá a vantagem de decidir a vaga em casa.

Com a vaga assegurada nas quartas do torneio continental, o time de Muricy Ramalho volta as suas atenções para a final do Campeonato Paulista. O Santos tem uma mão na taça, pois venceu o Guarani por 3 a 0 no jogo de ida e decide o título neste domingo, às 16hs, no Morumbi.

O jogo

Precisando de uma vitória simples para se classificar, o Santos começou a partida a todo vapor e abriu o placar aos 5 minutos. Elano aproveitou ajeitada de cabeça de Neymar e fez o primeiro do Santos em belo chute de fora da área.

O Bolívar logo acusou o golpe e começou a apelar. Arouca e Ganso levaram entradas duras de Campos e Canteros, respectivamente, e tomaram amarelo. Substituindo Fucile na lateral direita, o volante Henrique escapou sozinho pela direita e Argüello fez bela defesa para o Bolívar.

Após a bela intervenção, veio o vacilo do goleiro boliviano. Após escanteio, Argüello empurrou “bisonhamente” Edu Dracena dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Neymar bateu no canto esquerdo do goleiro e fez o seu 105º gol pelo time da Baixada, ultrapassando Serginho Chulapa e João Paulo no status de maior artilheiro do Santos na era pós-Pelé.

O show do Santos no 1º tempo não parou por aí. Aos 28 minutos Neymar avançou pela esquerda e cruzou na área, Ganso tocou de letra e fez um golaço na Vila Belmiro. O fôlego do Santos era interminável. Um minuto depois, Allan Kardec marcou o quarto em chute rasteiro de fora da área. Antes do fim do 1º tempo, Neymar ainda marcou mais um para o time da Vila Belmiro, após passe de Juan e o time de Muricy abriu 5 a 0 na primeira etapa, levando a sua torcida ao delírio.

O segundo tempo mal começou e o show do Santos continuou. Aos 4 minutos, Neymar fez bela jogada pela esquerda e tocou para Elano, que basteu rasteiro para ampliar. Ganso fez o sétimo em cobrança de falta. Ainda teve tempo para Borges, substituto de Allan Kardec, marcar o oitavo e fechar a atuação história do Santos nesta noite de quinta-feira. Uma noite inesquecível para os torcedores santistas.

Bastidores – Santos TV:

‘Mordido’, Neymar decreta: ‘Quando jogamos bola, não tem para ninguém’

Craque lembra dos episódios ocorridos em La Paz, onde foi atingido por uma laranja arremessada da torcida, e afirma que Peixe deu o troco

Foi fácil perceber. O Santos entrou de forma diferente em campo para encarar o Bolívar, na goleada desta quinta-feira, por 8 a 0, na Vila Belmiro, pela partida de volta das oitavas de final da Libertadores. Claramente motivado pelos episódios ocorridos no jogo de ida em La Paz, onde o Peixe perdeu por 2 a 1, Neymar, Ganso & Cia deram um show de técnica e eficiência.

Depois da partida, o camisa 11, autor de dois gols, admitiu a motivação especial para o jogo na Vila. Alvo de uma laranja arremessada pela torcida na Bolívia, o atacante já tinha avisado ao sair de campo em La Paz que “teria volta no Brasil”. Mas, mesmo assim, repetiu o discurso do treinador Muricy Ramalho e revelou que o objetivo do time era responder a tudo só com futebol.

– Quando o Santos joga bola, não tem para ninguém. Estávamos mordidos e devolvemos na bola. O Santos não sabe brigar ou guerrear, viemos para jogar e devolver na bola tudo o que fizeram lá – afirmou o craque.

As bolas na rede do atacante o elevaram ao posto de maior artilheiro isolado após a era Pelé, com 106 gols marcados. De quebra, Neymar também virou o 16º maior goleador da história do Peixe, ao lado de Álvaro. Ao comemorar o seu primeiro contra o Bolívar, de pênalti, o craque formou com os braços o T em alusão à expressão ‘É Tois’, criada a partir da gíria ‘É nós’, para celebrar a união com seus amigos.

2012-05-10-neymar-executa-passe-com-as-costas-santos-8-x-0-bolivar-libertadores

No Twitter, Neymar ironiza técnico do Bolívar: ‘Muito prazer’

Antes do primeiro jogo, em La Paz, treinador Ángel Guillermo Hoyos havia dito não conhecer o atacante santista. Resposta veio na bola

O técnico do Bolívar, Ángel Guillermo Hoyos, cutucou uma onça com vara curta. Antes do primeiro jogo contra o Santos, válido pelas oitavas de final da Libertadores, em La Paz, ele disse à imprensa boliviana que não conhecia Neymar. O atacante santista encarou a declaração como uma provocação. Na altitude de 3.660 metros da capital boliviana, e em meio a um clima hostil – com botinadas dos zagueiros e objetivos atirados da arquibancada no gramado -, Neymar não conseguiu render bem. Nesta quinta-feira, porém, ele deu a resposta. E em grande estilo.

O camisa 11 comandou o massacre na Vila Belmiro: 8 a 0, resultado que foi a sexta maior goleada da história da Libertadores. Neymar fez “só” dois gols. Na comemoração, fez uma reverência, como se estivesse se apresentando a alguém desconhecido. Parecia a resposta certa a Ángel Guillermo Hoyos.

E se alguém ainda tinha dúvida, Neymar matou a charada no Twitter, logo após o jogo, quando postou a foto abaixo com a seguinte legenda:

– Muito prazer.

Goleada do Santos no Bolívar é a 6ª maior da história da Libertadores

Neymar e companhia colocaram mais uma vitória santista na galeria de maiores do torneio

Faltou um gol para o Santos superar sua maior goleada na história da Libertadores, mas os 8 a 0 em cima do Bolívar nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, já foram suficientes para colocar este jogo na sexta colocação entre as maiores goleadas da história do torneio sul-americano.

O Santos tem também a quarta colocação nesse ranking. Em 1962, com Pelé e companhia, fez 9 a 1 no Cerro Porteño na Vila Belmiro. A maior goleada da história ainda é do Peñarol, que em 1970 fez 11 a 2 no Valencia da Venezuela. O Santos tem agora as três maiores goleadas de um time brasileiro na Libertadores.

Em 2008, outro time boliviano sofreu nas mãos do Santos. O San José tomou 7 a 0, placar igual a de outras goleadas de Palmeiras e Cruzeiro na competição.

Veja as maiores goleadas da história da Libertadores:
1º – Peñarol (URU) 11 x 2 Valencia (VEN) – 15/03/1970
2º – River Plate (ARG) 9 x 0 Universitário (BOL) – 11/03/1970
Peñarol 9 x 0 The Strongest (BOL) – 22/03/1971
4º – Santos 9 x 1 Cerro Porteño (PAR) – 28/02/1962
Peñarol 9 x 1 Everest (EQU) – 07/07/1963
6º – Santos 8 x 0 Bolívar – 10/05/2012
Blooming (BOL) 8 x 0 Deportivo Italia (VEN) – 07/04/1985


Vídeo: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Guarani 0 x 3 Santos

Data: 06/05/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – Final – Jogo de ida
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 40.146 pagantes
Renda: R$ 1.849.376,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Junior e Fábio Rogério Baesteiro
Adicionais: Flávio Rodrigues Guerra e Vinicius Furlan
Cartões amarelos: Ewerton Páscoa e Fabio Bahia (G); Adriano e Henrique (S).
Gols: Paulo Henrique Ganso (42-1); Neymar (20-2) e Neymar (46-2).

GUARANI
Emerson; Bruno Peres (Thiaguinho), Domingos, Neto (André Leone) e Bruno Recife; Ewerton Páscoa (Willian Favoni), Fábio Bahia, Danilo Sacramento e Medina; Fabinho e Bruno Mendes.
Técnico: Vadão

SANTOS
Aranha; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano (Ibson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec.
Técnico: Muricy Ramalho



Com gols de Neymar e Ganso, Santos vence Guarani no 1º jogo da final

Time da Baixada pode até perder no próximo domingo que ainda assim será tricampeão paulista

O Guarani até jogou de igual para igual com o Santos por alguns momentos neste domingo, pela final do Campeonato Paulista . Quem tem jogadores como Neymar e Paulo Henrique Ganso , porém, acaba desequilibrando. Foram dos craques os gols da vitória santista por 3 a 0 no estádio do Morumbi, pelo primeiro jogo da decisão. O camisa 10 fez o primeiro, com um lindo chute de fora da área, enquanto o atacante ampliou aos 19min e nos acréscimos da segunda etapa. A equipe de Campinas jogou sem Fumagalli e Oziel , dois de seus principais destaques durante o Paulistão.

Agora, o Santos pode até perder por dois gols de diferença na segunda partida da final que ainda assim será tricampeão estadual, repetindo os feitos dos grandes esquadrões dos anos 60. O Guarani, por sua vez, tem missão muito difícil: precisa ganhar por pelo menos três gols para ter chance de tentar o título nos pênaltis. Só uma vitória por quatro tentos ou mais dá o título direto.

Outro destaque do duelo foi o novo recorde de Neymar. Com os dois tentos deste domingo, o camisa 11 alcançou 104 pelo Santos e empatou com os maiores goleadores do clube (Serginho Chulapa e João Paulo) na era pós-Pelé.

O segundo jogo da final está marcado para o próximo domingo, também às 16h (horário de Brasília). No meio da semana, porém, o time da Baixada recebe o Bolívar, do Bolívia, pela Copa Libertadores . Após perder por 2 a 1 em La Paz, o clube alvinegro precisa de uma vitória por 1 a 0 ou qualquer triunfo por dois ou mais gols de diferença para avançar às quartas de final. O duelo será na quinta, às 19h30. O Guarani terá a semana inteira para trabalhar.

O jogo

A partida começou com Neymar endiabrado. Logo em seu primeiro lance, o camisa 11 arrancou, passou por quatro adversários e foi derrubado na meia-lua, amarelando o volante Fábio Bahia . Na cobrança da infração, Elano mandou no travessão e por muito pouco não abriu o placar. Depois do lance, porém, o time de Campinas acertou sua marcação e não deu mais tantos espaços aos santistas, que chegavam nos passes de Paulo Henrique Ganso . O alviverde tentava contra-ataques com o veloz Fabinho , mas Durval e Edu Dracena também protegiam bem a meta santista. Em um dos raros deslizes da dupla, aos 15min, Medina ficou em ótima condição para finalizar, mas mandou por cima do gol de Aranha.

Com a partida muito equilibrada, Guarani e Santos buscavam abrir o placar na bola parada. A equipe campineira levou perigo após cobrança de falta de Danilo Sacramento, enquanto o time da Baixada por pouco não marcou com Edu Dracena, aproveitando escanteio. Com marcação pegada, o duelo ficou nervoso e os cartões amarelos começaram a sair em série do bolso do árbitro Wilson Luiz Seneme, inflamando os treinadores. Aos 35min, o atacante Alan Kardec pediu pênalti após trombada com o zagueirão Domingos , mas o jogo seguiu. Quando o primeiro tempo parecia que ia acabar zarado, Paulo Henrique Ganso achou uma chutaço de fora da área e mandou no ângulo de Emerson para levar os santistas em vantagem para o vestiário.

O Guarani voltou com tudo na etapa complementar e assustou logo no primeiro minuto: o lateral Bruno Recife mandou forte, de fora da área, mas Aranha espalmou e ainda viu a bola bater na trave. O clube praiano respondeu em cobrança de falta de Elano, mas Emerson mandou para escanteio. A partir daí, o alvinegro – que mais uma vez atuou com o uniforme azul – controlou a equipe campineira e dominou o jogo, com mais de 60% da posse de bola. E o castigo do Guarani, que sentia a falta de Oziel e Fumagalli , não demorou a sair: aos 19min, Ganso recebeu bom passe, invadiu a área e tentou driblar Emerson. O arqueiro até evitou, mas a bola sobrou limpa para Neymar empurrar para as redes.

Abalada, a equipe alviverde não conseguia esboçar reação, e ainda era vítima dos dribles de Neymar. O camisa 11 aplicou uma “lambreta” em cima do lateral Bruno Peres, irritando o zagueiro Domingos. Com a cabça no confronto decisivo na quinta-feira, contra o Bolívar-BOL, pela Copa Libertadores, o Santos apenas controlou o jogo e esperou o tempo passar para garantir sua vitória por 2 a 0. O Guarani agora terá que vencer por três gols de diferença no próximo domingo para conseguir ser campeão paulista.

Bastidores – Santos TV:

Com 104 gols, Neymar iguala maiores artilheiros da era pós-Pelé

Atacante do Santos fez homenagem a Serginho Chulapa, que será ultrapassado em breve

Com os dois gols marcados na vitória por 3 a 0 do Santos sobre o Guarani , neste domingo, no Morumbi, pelo primeiro jogo da final do Campeonato Paulista , Neymar se igualou a Serginho Chulapa e João Paulo como maior artilheiro do clube na era pós-Pelé. O atacante chegou a 104 tentos em sua trajetória pelo time da Vila Belmiro e saiu satisfeito com o feito alcançado.

Feliz, Neymar foi cercado por um “batalhão” de repórteres ao final da partida e explicou a comemoração do seu segundo tento, o terceiro santista diante da equipe de Campinas. “Foi para o Serginho Chulapa, porque ele comemorava os gols dele desse jeito (sacudindo os dois braços ao mesmo tempo). E foi para o João Paulo também”, disse o atacante, citando os dois maiores artilheiros da era pós-Pelé.

O camisa 11 alvinegro, que antes de a bola rolar havia prometido “ousadia e alegria” dentro de campo, quer continuar ajudando a sua equipe a conquistar títulos e atingir novas metas, principalmente por esse ser o ano do centenário do clube.

“Espero que venha mais. Estou trabalhando muito todos os dias para melhorar os números e ganhar cada vez mais títulos”, concluiu Neymar, antes de partir para os vestiários do Morumbi. Dos 104 gols que anotou pelo Santos, o camisa 11 fez 40 em Brasileirões, 39 em Paulistas, 12 em Copas do Brasil, 11 em Copas Libertadores, um no Mundial de clubes da Fifa 2011 e um em amistoso.

O segundo jogo da final está marcado para o próximo domingo, também às 16h (horário de Brasília). No meio da semana, porém, o time da Baixada recebe o Bolívar, do Bolívia, pela Copa Libertadores. Após perder por 2 a 1 em La Paz, o clube alvinegro precisa de uma vitória por 1 a 0 ou qualquer triunfo por dois ou mais gols de diferença para avançar às quartas de final. O duelo será na quinta, às 19h30.

Jogadores do Guarani tentam acreditar em “missão possível” na volta

Goleiro Emerson diz que, enquanto houver “1% de chance”, time vai tentar virar contra o Santos

Após perder por 3 a 0 no primeiro jogo da final, o Guarani precisa vencer por ao menos três gols de diferença na partida de volta, no próximo domingo, para evitar o título do Santos no Paulistão . Para que a decisão não vá aos pênaltis, a vantagem terá que ser acima de quatro. Uma missão que soa impossível, mas os jogadores do clube campineiro tentam se convencer do contrário.

“Enquanto houver chance, que seja de 1%, tem como acontecer, pode acontecer. Tudo é possível”, disse o goleiro Emerson , que foi vazado por Ganso e Neymar (duas vezes) na derrota deste domingo por 3 a 0. A receita do arqueiro é descansar, porque “a missão não vai ser fácil” – ao longo de toda a competição, o Guarani não venceu nenhuma partida por três gols de vantagem.

O camisa 10 Medina , que substituiu o lesionado Fumagalli , concorda com o companheiro. “Vai ser complicado, mas não está acabado. Ficou difícil, mas não impossível”, disse o meia, que perdeu ótima oportunidade de abrir o placar no primeiro tempo, isolando bola à frente de Aranha.

Para dificultar o objetivo na segunda partida no Morumbi, o Guarani provavelmente não poderá contar com o zagueiro Neto , um de seus destaques na campanha do Campeonato Paulista. O beque foi substituído aos 22 minutos da primeira etapa e tem suspeita de distensão muscular.

Em análise logo após o apito final, ainda no gramado, o técnico Vadão apontou o Santos com “99% de chance de ser campeão”. De qualquer modo, satisfeito pelo desempenho, mas aborrecido pelo resultado final, ele prometeu estudar alguma maneira de surpreender o adversário, que poderá chegar mais desgastado após compromisso pela Copa Libertadores.


Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos.

Santos 5 x 0 Catanduvense

Data: 15/04/2012, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 19ª rodada (última)
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.410 pagantes
Renda: R$ 257.000,00
Árbitro: Márcio Henrique de Góis
Auxiliares: Risser Jarussi Corrêa e Ricardo Busette
Adicionais: Marcelo Prieto Alfieri e Júnior Cesar Lossávaro
Cartões amarelos: Elano e Juan (S); Luis Mário, Ricardo Oliveira, Du e Moreilândia (C).
Cartão vermelho: Jeferson (C).
Gols: Ganso (23-1), Borges (32-1); Ganso (25-2), Borges (38-2) e Neymar (19-2).

SANTOS
Rafael; Fucile (Adriano), Edu Dracena, Durval e Juan (Léo); Henrique, Arouca (Ibson), Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho

CATANDUVENSE
Filippi; Cleber, Douglas, Ednei, Anderson Paim; Ricardo Oliveira, Du (Jeferson), Washington (Dairo) e Alex Wilian; Samuel e Luis Mário (Moreilândia).
Técnico: Roberval Davino



Santos coroa festa do centenário com goleada sobre o Catanduvense

Com atuação inspirada na Vila Belmiro, time garantiu goleada e golaços após comemorar cem anos de história

O fim de semana que marcou a comemoração do centenário do Santos terminou da melhor forma possível para o torcedor alvinegro. Liderado por Neymar e Paulo Henrique Ganso, a equipe passeou na partida deste domingo e conquistou uma grande goleada por 5 a 0, sobre o já rebaixado Catanduvense, na Vila Belmiro.

O primeiro gol do jogo foi uma verdadeira pintura de Paulo Henrique Ganso. Na linha da grande área, o armador viu o goleiro adiantado e mandou por cobertura, sem chances de defesa para Filippi. Já o segundo foi anotado por Borges, que aproveitou boa jogada de Neymar na direita para balançar as redes adversárias. No segundo tempo, a equipe tratou de colocar o seu favoritismo à prova no marcador e anotou mais três. Neymar, Ganso e Borges foram os responsáveis por colocar números finais ao placar histórico da Vila Belmiro.

Com a vitória sobre a Bruxa, o Santos assegurou o terceiro lugar no Campeonato Paulista, com 39 pontos. Dessa forma, o time comandado pelo técnico Muricy Ramalho enfrentará o Mogi Mirim nas oitavas de final do Estadual. O Catanduvense, por sua vez, termina sua melancólica campanha na última colocação, com apenas 13 pontos somados no torneio.

O jogo

Soberano durante os 90 minutos da partida, o Santos não deu espaço para que o Catanduvense criasse jogadas de ataque e dominou a partida de forma tranquila. A equipe chegou à meta adversária já no primeiro lance do jogo, quando Borges tocou de calcanhar para que Arouca finalizasse da entrada da área. O tiro saiu forte e exigiu boa defesa do goleiro Filippi.

Sem sofrer qualquer ameaça, o time da casa passou a insistir nas investidas pelas laterais do campo e encontrou certa resistência dos marcadores adversários. Em uma dessas tentativas, o lateral direito Fucile levou a pior e caiu no gramado sentindo dores. Posteriormente, o atleta precisou ser substituído por Adriano e virou dúvida para a sequência do campeonato.

A lesão do lateral foi o único ponto baixo do duelo. O time seguia pressionando o Catanduvense e teve grande chance aos 19 minutos da partida. Neymar recebeu bom passe de Borges, invadiu a área e concluiu para o gol. O chute, no entanto, não saiu como o atleta esperava e terminou nas mãos do arqueiro adversário.

Quatro minutos após a finalização do craque santista, a equipe alvinegra chegou ao primeiro gol com uma obra de arte do meia Paulo Henrique ganso. Após boa troca de passes na entrada da área, o armador recebeu de seu companheiro e percebeu Filippi adiantado. O atleta não hesitou e mandou por cobertura, fazendo com que a bola caísse caprichosamente no fundo das redes. O golaço do meia trouxe ainda mais tranquilidade para os comandados de Muricy Ramalho e levou o time a tentar jogadas ainda mais ousadas no decorrer da primeira etapa. A postura ofensiva foi determinante para que a equipe chegasse ao segundo gol na partida, com o centroavante Borges.

Neymar fez grande jogada individual dentro da área e limpou Cleber do lance. O atleta encontrou espaço e tocou para que Borges, aos 32 minutos, empurrasse para o gol vazio, impedindo qualquer reação do já batido Filippi.

Infernal no confronto, Neymar ainda agraciou o torcedor com outro lance de efeito. O jogador recebeu passe dentro da área, dominou no peito e levantou a bola para si mesmo. Depois de encontrar a altura certa, o jogador aplicou uma bicicleta e exigiu que o goleiro do Catanduvense se posicionasse bem para evitar o terceiro do Alvinegro.

Com a proximidade do intervalo, os dois técnicos procuraram acertar alguns detalhes em suas equipes e tomaram decisões que determinaram a goleada do Peixe no confronto. Mesmo com a entrada de Moreilândia, a Bruxa viu Neymar ganhar mais espaço no ataque e criar lances de perigo nos minutos que se seguiram.

O atacante aparecia bem nas laterais do campo e trocava passes com facilidade com os demais jogadores santistas. A velocidade do atleta fez com que o Catanduvense abusasse das faltas, dando a oportunidade para o Santos concluir através da bola parada. Aos 16 minutos, Elano arriscou em cobrança da entrada da área e viu o goleiro Filippi se esticar todo para evitar o gol.

Exigido pelos alvinegros, o arqueiro não conseguiu repetir a boa defesa três minutos mais tarde e viu Neymar deixar o seu na partida. O atacante aproveitou cruzamento rasteiro de Henrique e chutou forte para brindar o torcedor que clamava por um tento seu neste domingo.

Abatido com mais um gol sofrido, o Catanduvense não foi páreo para o meio-campo do Santos e sofreu o quarto após belo passe de Borges para Ganso. Quando o marcador apontava 25 minutos, o jogador se infiltrou na área e tocou com categoria, no canto de Filippi, para sacramentar a goleada alvinegra.

Mesmo com o grande resultado obtido, o Santos não abriu mão do ataque e continuou pressionando a Bruxa. Aos 35 minutos, Borges quase ampliou com um novo golaço. O jogador arriscou por cobertura e acertou o travessão do goleiro adversário. Na sequência, Ganso tentou completar para o gol, mas foi flagrado em impedimento.

Se neste lance Borges não levou sorte, Neymar tratou de presentar o centroavante na jogada seguinte. O atacante se livrou da marcação de Moreilândia e partiu em velocidade. Na cara do goleiro, o jogador não foi fominha e tocou de lado para que o seu companheiro completasse para as redes vazias.

Impossível, Neymar ainda protagonizou dois lances incríveis antes do apito final. Aos 40 minutos, o jogador invadiu a área e buscou o canto do goleiro Filippi. Entretanto, a bola passou rente ao poste e saiu pela linha de fundo.

Na sequência, o atacante brincou na frente de seu marcador e aplicou um lindo drible no adversário. Quando partia em velocidade, o atleta recebeu um carrinho por trás e viu Jeferson receber o cartão vermelho no último lance de efeito do duelo.

Bastidores – Santos TV:

Ganso receberá placa por gol marcado pelo Santos neste domingo

O gol foi o primeiro da equipe na goleada deste domingo sobre o Catanduvense

A diretoria do Santos anunciou após a partida deste domingo, que o meia Paulo Henrique Ganso será presenteado com uma placa comemorativa pelo gol marcado na vitória por 5 a 0, sobre o Catanduvense. O gol foi o primeiro da equipe no elástico triunfo deste fim de semana e chamou a atenção pela beleza plástica da jogada.

Aos 23 minutos do primeiro tempo, Elano lançou a bola e Neymar desviou de cabeça para o armador. Com extrema visão de jogo, Paulo Henrique Ganso não hesitou ao ver o goleiro Filippi adiantado e mandou o chute por cobertura. A bola passou por cima do arqueiro e caiu caprichosamente no fundo das redes, inflamando ainda mais o torcedor que compareceu a Vila Belmiro.

Ganso ainda deixou a sua marca mais uma vez neste confronto, após receber passe de Borges e completar a jogada no canto do goleiro adversário. Ao lado de Neymar, o atleta teve papel decisivo na tarde deste domingo e receberá das mãos do presidente Luis Álvaro de Oliveira a homenagem pelo gol anotado.