Navegando Posts marcados como Guarani

Santos 3 x 1 Guarani

Data: 15/02/2009, domingo, 19h10.
Competição: Campeonato Paulista – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Everson Luiz Luquesi Soares
Cartões amarelos: Léo e Fabão (S); Maranhão, Cléverson, Plínio, João Paulo e Itaqui (G)
Cartão vermelho: Rodrigo Souto (S) e Maranhão (G).
Gols: Madson (10-1); Fabão (14-2), Henrique (21-2) e Ganso (40-2).

SANTOS
Douglas; Pará, Adaílton (Paulo Henrique), Fabão e Léo; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Róbson (Paulo Henrique Lima) e Madson; Roni (Bolaños) e Kléber Pereira.
Técnico: Serginho Chulapa (interino)

GUARANI
Douglas, Maranhão, Augusto, Plínio e João Paulo; Gláuber (Itaqui), Claudiney Rincón, Bruno e Mário César (Dairo); Cléverson (Chiquinho) e Henrique.
Técnico: Luciano Dias



Santos recebe Vágner Mancini com vitória sobre o Guarani

Aos olhos de Vágner Mancini, que será apresentado nesta segunda-feira como seu novo técnico, o Santos reencontrou-se com a vitória no Campeonato Paulista depois de três rodadas, ao bater o Guarani por 3 a 1, neste domingo à noite, na Vila Belmiro. O triunfo levou os anfitriões ao quinto lugar, com 13 pontos, e derrubou os bugrinos, que não ganham há seis jogos, para o 16º, com 8 pontos.

Contratado para o lugar de Márcio Fernandes, demissionário após a derrota para o Marília, na última quinta-feira, Mancini foi liberado pelo Vitória e assinou contrato neste domingo. Assistiu à partida dos camarotes e viu um time que recuperou o volume ofensivo dos primeiros jogos do Estadual e poderia ter vencido por mais não fossem as falhas nas finalizações.

A desorganização do sistema defensivo do Guarani foi um convite para a reabilitação do Santos, comandado pelo interino Serginho Chulapa. Mal marcados, os meias Róbson e Madson encostaram com muita facilidade nos atacantes Roni e Kléber Pereira.

O primeiro ataque já mostrou a fragilidade do adversário: aos 10min, Roni cruzou para trás e Madson apareceu nas costas do lateral-direito Maranhão para marcar seu primeiro gol com a camisa santista. O placar só não foi maior na primeira etapa porque Róbson perdeu uma chance sem goleiro e Kléber Pereira acertou o travessão.

O Guarani não soube aproveitar os desfalques da defesa santista, que não contou com Fábio Costa e Fabiano Eller, suspensos por terem ido às vias de fato no intervalo do jogo em Marília, e ainda perdeu Adaílton, contudido com nove minutos de jogo.

Substituto de Eller, Fabão “achou” o segundo gol aos 14min da etapa final, de canela, após saída errada do goleiro Douglas em cobrança de escanteio. O Santos, que já tinha voltado do intervalo em ritmo mais lento, acomodou-se e foi castigado em pouco tempo: aos 21min, Henrique completou bom cruzamento de Maranhão e diminuiu. A reação, no entanto, parou por aí: aos 40min, o garoto Paulo Henrique Lima acertou um belo chute no ângulo e fechou o marcador.


Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) torcida organizada protesta contra Émerson Leão.

Santos 3 x 1 Guarani

Data: 21/02/2008, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.469 pagantes
Renda: R$ 43.685,00
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Alex Alexandrino
Cartões amarelos: Marcinho Guerreiro (S); Juliano e Roger Bernardo (G).
Gols: Kléber Pereira (16-1) e Wesley (46-1); Paulo Santos (10-2) e Kléber Pereira (29-2).

SANTOS
Fábio Costa; Denis, Adaílton, Betão e Carleto; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto e Molina (Paulo Henrique); Wesley (Quiñonez), Kléber Pereira e Trípodi (Tiago Luís).
Técnico: Emerson Leão

GUARANI
Gisiel; Lucas (Henrique), Xandão, Danilo Silva e Roque (Jônathas), Roger Bernardo, João Paulo, Paulo Santos e Marcinho; Fábio Pinto (Andrézinho) e Juliano.
Técnico: Jair Picerni



Kléber Pereira brilha, Santos vence Guarani e deixa zona de risco

Kléber Pereira havia atraído os holofotes na véspera de Santos x Guarani, quando perdera um dente após dividida com seu colega Domingos. O atacante novamente virou notícia nesta quinta-feira, desta vez por participar dos três gols do time na vitória sobre o adversário por 3 a 1, na Vila Belmiro, resultado que tirou o Santos da zona de risco.

Para espantar boatos sobre uma eventual desavença com Domingos, Kléber Pereira tratou de destacar a amizade entre ambos. Em tom irônico, Pereira disse depois do jogo que Domingos não precisará pagar o dentista.

“O Domingos é um irmão que eu tenho no clube. Sempre o ajudo e o mesmo acontece com ele. Sobre o dentista, a conta é do Santos”, disse o goleador da noite.

Com esta vitória, o Santos fica um posto acima da zona de rebaixamento e ameniza as críticas da torcida ao técnico Emerson Leão.

Precisando vencer para se livrar da incômoda posição na tabela, o time da Baixada entrou em campo com a formação 4-3-3. O Santos abriu o marcador, aos 16 min, com Kléber Pereira, que recebeu um bonito passe em profundidade de Denis. O atacante se jogou para colocar a bola no canto do goleiro Gisiel.

Estreante no Santos, Mariano “Leão” Tripodi fez jus à fama de batalhador, se movimentando bastante no ataque. Aos 40 min, o argentino cabeceou ao gol do Bugre, levando perigo.

Nos acréscimos da etapa inicial, Pereira arrumou espaço na área para criar a jogada do segundo gol alvinegro. O atacante bateu cruzado na pequena área. Livre, Wesley não teve trabalho para anotar seu primeiro gol como profissional. Na comemoração, o jovem chorou.

Definitivamente recuperado de lesão no joelho, Denis novamente apareceu bem na linha de fundo. Desta vez, o ala cruzou para Tripodi, que perdeu gol inacreditável de cabeça, livre na pequena área, aos 3 min do segundo tempo.

Jogador mais lúcido do ataque do Guarani, Juliano quase diminuiu o marcador, aos 7 min, mas a bola bateu no travessão. Três minutos depois, a equipe campineira chegou ao primeiro gol. Paulo Santos acertou no canto direito de Fábio Costa cobrança de pênalti, cometida por Marcinho Guerreiro.

Muito mais presente no ataque em comparação a jogos anteriores, o Santos abusou dos erros de finalização. Assim como Tripodi, Adaílton também perdeu gol na pequena área, furando após passe do argentino, aos 17 min.

De tanto tentar, o Santos chegou ao terceiro gol novamente com Kleber Pereira, em uma jogada espetacular, driblando marcador e o goleiro, tocando sem ninguém para a meta bugrina.

Data: 12/03/2006
Competição: Campeonato Paulista – 14ª rodada
Local: estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, SP.
Público: 10.656 pagantes
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Marinaldo Silvério e Danilo Ricardo Simon Manis
Cartões amarelos: Rodrigo Tabata (S), Cléber Santana (S), Ronaldo Guiaro (S), Élvis (G), Nelsinho (G), Emerson (G), César (G)
Gols: Edmílson, aos 32min, e Goeber, aos 35min do primeiro tempo; Reinaldo, aos 27min do segundo tempo.

GUARANI
Fernando; Nelsinho, Emerson, Rogério e Adílio (César); Goeber, Rodrigo Sá (Fabinho), Juca e Élvis; Edmílson e Adeílson (Gustavo)
Técnico: Toninho Cerezo

SANTOS
Fábio Costa; Manzur, Luiz Alberto e Ronaldo Guiaro (Léo Lima); Fabinho, Maldonado, Cléber Santana, Rodrigo Tabata (Magnum) e Kléber; Reinaldo e Geílson (Galvão)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde para o Guarani e embola classificação do Paulista

O Santos, líder do Campeonato Paulista, viu sua diferença para os vice-líderes cair de cinco para apenas dois pontos ao perder para o Guarani, neste domingo por 2 a 1.

Estreando o técnico Toninho Cerezo e jogando em casa, o Guarani foi superior em todo o primeiro tempo. A única chance clara do Santos nessa etapa aconteceu aos 23min, quando Geílson driblou o goleiro Fernando, mas acabou acertando a trave.

Aos 31min, o Guarani abriu o placar. Ronaldo fez pênalti em Edmílson. O próprio Edmílson bateu e acabou com as chances de Fábio Costa chegar ao oitavo jogo consecutivo sem sofrer gol e virar o recordista absoluto nesse quesito em toda a história do Santos.

Três minutos depois, o Guarani aumentou com o volante Goeber, que aproveitou um cruzamento vindo da direita e, de cabeça, marcou.

No intervalo, Luxemburgo fez duas substituições e mexeu em seu sistema tático. Saíram o zagueiro Ronaldo e o meia Rodrigo Tabata e entraram os meias Léo Lima e Magnum. Com essas mudanças, o time da Baixada cresceu e, aos 4min, Geílson acertou outra bola na trave.

Aos 27min, em cruzamento para a área em cobrança de falta, Luís Alberto cabeceou e Reinaldo diminui para o alvinegro.

Depos disso e até o fim da partida, o Santos pressionou muito, mas o gol do empate não saiu. Assim, os santistas conheceram a sua terceira derrota na competição, a primeira desde 5 de fevereiro, quando foi derrotado pela Portuguesa Santista, no jogo em que Fábio Costa havia levado seu último gol.

Com esse resultado, o Santos permanece com 31 pontos, dois a frente de São Paulo e Palmeiras. O Guarani chegou aos 16 pontos, mas continua na zona de rebaixamento.

Santos 0 x 0 Guarani

Data: 10/02/2005, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – Turno único – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.033 pagantes
Renda: R$ 75.275,00
Árbitro: Paulo José Danelon
Auxiliares: Francisco Rubens Feitosa e Nelson Souza Gois
Cartões amarelos: Fabinho (S); Mariano, Nilson e Marlon (G).
Cartão vermelho: Serginho (G)

SANTOS
Henao; Paulo César, Domingos, Halisson e Léo; Fabinho, Tcheco (Flávio), Ricardinho (Luiz Augusto) e Rossini (Douglas); Basílio e Deivid.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

GUARANI
Jean; Mariano, Paulo André, Juninho e Gilson; Marcos Paulo, Careca, Serginho e Tucho; Catatau (Marlon) e Evandro Roncatto (Nilson).
Técnico: Jair Picerni



Santos só empata com Guarani e perde a ponta

Mesmo com um jogador a mais desde os 36min do primeiro tempo (Serginho foi expulso), o Santos não conseguiu vencer o Guarani na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, e apenas empatou por 0 a 0, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

Com este resultado, a equipe alvinegra chegou aos 14 pontos e perdeu a liderança da competição para o rival São Paulo, que bateu o São Caetano na última quarta-feira e somou 16 – o clube da Vila é o segundo colocado.

Sem Robinho, que defendeu a Seleção Brasileira no amistoso contra Hong Kong, o time santista não apresentou o mesmo futebol das outras partidas e pecou demais nas finalizações.

Além disso, os atacantes alvinegros pararam na boa marcação do Guarani e nas boas defesas do goleiro Jean, que salvou o time de Campinas da derrota em diversas oportunidades.

O confronto desta noite marcou a estréia de dois jogadores: o goleiro colombiano Henao, que substituiu o machucado Mauro, e o meia Rossini, que foi recém promovido dos juniores.

Do lado do Guarani, apesar do heróico empate, o resultado aumentou o número de jogos do alviverde sem vitória: quatro. A última vez que somou três pontos foi na segunda rodada, quando bateu a Portuguesa por 2 a 1, no Canindé.

O Santos volta a campo pelo Campeonato Paulista no próximo domingo, às 16h, quando enfrenta o arqui-rival Corinthians, na Vila Belmiro. O Guarani, por sua vez, recebe o São Caetano, às 18h, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas.

O jogo

A equipe do Santos não precisou de muitos minutos para mostrar sua superioridade técnica em relação ao Guarani, que se fechou durante o primeiro tempo e arriscou apenas nos contra-ataques.

Logo no primeiro minuto do jogo, o alvinegro revelou sua ofensividade. O meia Rossini avançou pela direita e cruzou para o atacante Basílio, que chutou por cima do gol de Jean.

Com toque de bola rápido e envolvente, o Santos conseguiu chegar bastante à área adversária, mas falhou nas conclusões e parou na boa marcação da defesa do Guarani.

Apostando nas bolas alçadas na área, o time do técnico Oswaldo de Oliveira chegou com perigo aos 9min, quando o lateral-direito Paulo César cruzou para Basílio cabecear por cima do travessão.

Um minuto depois, o lateral Léo fez ótima jogada pela esquerda e tocou para Rossini. O meia chutou da entrada da área e Jean, bem colocado, espalmou para escanteio. Na cobrança, a zaga do alviverde afastou.

Depois de muito pressionar, o Santos marcou seu primeiro gol, mas ele foi anulado. Aos 26min, Paulo César chutou de fora da área e Jean espalmou no pé de Basílio, que apenas desviou para as redes. O árbitro marcou impedimento, que não existiu.

Apesar de conseguir criar algumas jogadas pelo meio e pelas laterais, o Guarani não levou perigo ao gol do esteante Henao no primeiro tempo. Pelo contrário, a falta de objetividade do time de Campinas deixou o colombiano sem trabalho.

Aos 31min, o lateral-esquerdo Léo lançou Deivid, que demorou para chegar na bola e viu Jean afastar com os pés.

Cinco minutos depois, a situação do Guarani piorou. O volante Serginho, que já tinha cartão amarelo, fez falta no meia Rossini na lateral direita e foi expulso pelo árbitro Paulo José Danelon.

Com um jogador a menos em campo, o técnico Jair Picerni sacou o atacante Catatau e colocou Marlon.

Para o segundo tempo, ambas as equipes voltaram com a mesma formação que terminaram a primeira etapa. No entanto, aos 6min, o meia Ricardinho pediu para sair – ele sentiu uma pancada na perna direita – e deu lugar a Luiz Augusto.

Dois minutos depois, o atacante Basílio perdeu uma chance incrível de abrir o placar. Após passe de Léo, o jogador ficou de frente para o gol de Jean, mas chutou para fora.

O primeiro chute a gol do Guarani na segunda etapa aconteceu aos 10min, quando o lateral-direito Mariano arriscou por cobertura. O goleiro Henao, porém, apenas a observou passar por cima do travessão.

Na sequência, aos 12min, o Santos chegou mais uma vez com perigo. O meia Luiz Augusto lançou o atacante Deivid, que desviou com o pé direito e Jean salvou com o peito.

Mesmo com vantagem no número de jogadores, a equipe do técnico Oswaldo de Oliveira parou na marcação do adversário, que passou a arriscar mais após os 20min. Mas também sem sucesso.

Impaciente com a falta de gols do Santos, a torcida alvinegra começou a chamar o treinador de burro aos 30min. No entanto, os protestos dos torcedores não acordaram os donos da casa, que permaneceram no 0 a 0 com os campineiros.

Guarani 0 x 1 Santos

Data: 02/10/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 34ª rodada
Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, SP.
Público: 6.134
Renda: R$ 66.633,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP).
Cartões amarelos: Jean e Aílton (G), André Luís e Bóvio (S).
Gol: Deivid (17-2).

GUARANI
Jean; Simão (Catatau), Carlinhos, Thiago e Patrick; Careca (Marcos Paulo), Roberto, Harison e Aílton (William); Sandro Hiroshi e Valdeir.
Técnico: Agnaldo Liz

SANTOS
Mauro; Paulo César, Ávalos, André Luís e Léo; Fabinho, Bóvio (Basílio), Ricardinho e Elano (Luis Augusto); Robinho (Domingos) e Deivid.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos bate lanterna Guarani, mas continua atrás do líder Atlético-PR

O poderoso ataque do Santos bateu o lanterna Guarani por um magro 1 a 0, neste sábado, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, mas continua atrás do líder Atlético-PR, que goleou o Atlético-MG por 5 a 0, em Curitiba.

Com o resultado positivo, o vice-líder Santos tem 64 pontos –três a menos do que os paranaenses. Os rivais tem o mesmo número de vitórias (20).

O Guarani, que não vence há quatro rodadas, continua com 31, em último lugar na competição.

Desde que perdeu a liderança na última rodada, ao ser derrotado pelo Internacional por 2 a 1, em Porto Alegre, o Santos persegue o Atlético-PR na briga pelo título do Nacional.

Naquela oportunidade, os paranaenses bateram o Vitória por 3 a 2, fora de casa, assumindo o topo do torneio, posição mantida após 34 rodadas.

Neste sábado, o Santos, dono do melhor ataque do torneio (77), teve muitas dificuldades para superar o pior ataque da competição (27). Para marcar, os santistas precisaram contar com um gol polêmico, mas legal, anotado por Deivid.

O atacante santista fez o gol da vitória aos 17min do segundo tempo. Basílio cruzou da esquerda, Deivid cabeceou, o goleiro Jean espalmou e a bola bateu na trave e entrou. Jean ainda tentou evitar, mas a bola ultrapassou a linha.

O fator sorte esteve do lado do Santos quando aos 38min do primeiro tempo Aílton desperdiçou uma cobrança de pênalti, anotado erroneamente pelo árbitro Paulo César de Oliveira –o zagueiro Paulo César derrubou Harison fora da área.

Antes, aos 11min da etapa inicial, Elano acertou a trave de Jean.

O Santos atuou desfalcado do volante Preto Casagrande e o Guarani não teve o atacante Viola, artilheiro da equipe do Nacional (nove gols), suspenso pelo terceiro cartão amarelo.