Navegando Posts marcados como Ibirapuera

Santos 2 x 0 Portuguesa

Data: 18/09/1996, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – Turno único – 9ª rodada
Local: Estádio Ícaro de Castro Mello, o Ibirapuera, em São Paulo, SP.
Público: 3.232 pagantes
Renda: R$ 34.860,00
Árbitro: Marco Paulo Spironelli (SP).
Cartões amarelos: Gustavo Nery, Marcos Assunção e Jamelli (S); Carlos Roberto, Zé Roberto, Gallo e César (P).
Cartão vermelho: Marcelo Miguel (P, 32-1)
Gols: Jamelli (32-2) e Camanducaia (47-2).

SANTOS
Sérgio; Ânderson Lima, Sandro, Narciso e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Carlinhos, Cuca (Robert) e Jamelli; Andradina (Camanducaia) e Alessandro (Alexandre).
Técnico: José Teixeira

PORTUGUESA
Marcio Defendi; Carlos Roberto, César, Marcelo Miguel e Zé Roberto; Capitão, Gallo (Fabrício), Caio e Zinho; Rodrigo Fabri (Tico) e Nélson Bertolazzi (Alex Alves).
Técnico: Candinho



Gols no final garantem vitória do Santos sobre a Portuguesa

O Santos bateu a Portuguesa por 2 a 0 e somou seu 14º ponto no Brasileiro. Os gols só foram marcados no segundo tempo.

O time do técnico José Teixeira já dominou as ações ofensivas nos 15 minutos iniciais da partida. A Portuguesa se limitou a tentar explorar os contra-ataques.

As duas maiores chances de gol do Santos no primeiro tempo surgiram com o zagueiro Sandro, em faltas aos 12min e 30min.

Dois minutos depois, o zagueiro Marcelo, da Portuguesa, foi expulso por jogo violento.

Com a vantagem de contar com um jogador a mais, o Santos voltou para o segundo tempo atacando. Logo aos 6min, Cuca acertou a trave da Portuguesa.

Aos 18min, Sandro escorou uma bola de cabeça e mandou a bola, de novo, na trave rival.

O primeiro gol foi marcado só aos 32min, com Jamelli chutando de fora da área. Camanducaia fechou o placar aos 43min.



Derrota pode provocar saída de Teixeira ( Em 18/09/1996 )

O técnico José Teixeira pode deixar o comando do Santos caso a equipe sofra nova derrota hoje. Ameaçado pela desclassificação, Teixeira tem sido vaiado pela torcida desde a derrota para o São Paulo, em 25 de agosto.

O time sofreu duas derrotas consecutivas no Brasileiro, para Palmeiras, por 2 a 1, e Goiás, por 2 a 0.

Teixeira está insatisfeito com a produção do ataque santista. O treinador ainda espera a contratação de um jogador “experiente, de maior porte” para o setor.

Com a expulsão de Edinho, o goleiro Sérgio será o titular contra a Portuguesa. “Voltei para o Santos sabendo que seria reserva, mas pretendo agarrar as oportunidades que surgirem”, disse o goleiro, que já defendeu a seleção.

Gustavo deve substituir Marcos Adriano, também suspenso.

Portuguesa testa meio-campo contra Santos

O clássico contra o Santos, às 20h30, no estádio do Ibirapuera, será um teste para o meio-campo da Portuguesa. “Se quisermos ficar entre os primeiros, não podemos amolecer no meio-campo”, disse o técnico Candinho. “Quero ver se o setor está preparado. Depois do Santos, teremos mais duas pedreiras, em que nossa marcação será muito exigida.”

O treinador da Portuguesa refere-se aos jogos contra Flamengo e Grêmio, ambos fora de casa.

Capitão, Gallo, Caio e Zinho formam o meio-campo da equipe. Além do retorno de Gallo, que estava suspenso, a novidade da Portuguesa será a entrada de Marcelo, formando a zaga com César.

As contas da Lusa

Candinho é o treinador de São Paulo que faz os cálculos mais otimistas para um time se classificar. “Com dez vitórias, cinco empates e oito derrotas ficamos com uma das vagas”, afirmou.

Nesta linha de raciocínio, a Portuguesa precisaria atingir 35 pontos. Para Wanderley Luxemburgo, do Palmeiras, uma equipe garante a classificação com 40 pontos. Para Valdyr Espinosa, do Corinthians, precisa de 38 pontos.

Portuguesa e Santos atravessam situações distintas. O time de Candinho é o quinto, com 16 pontos. O Santos, com 11, ocupa a 15ª posição. Classificam-se oito equipes para as quartas-de-final.

Os jogadores da Portuguesa esperam tirar proveito da má fase do adversário. “A torcida deles pressiona muito”, disse o volante Gallo, que já jogou no Santos.


Santos 1 x 1 Juventude

Data: 04/09/1996, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – Turno único – 6ª rodada
Local: Estádio Ícaro de Castro Melo, o Ibirapuera, em São Paulo, SP.
Público: 6.704 pagantes
Renda: R$ 72.480,00
Árbitro: Jorge Travassos (RJ).
Cartões amarelos: Daniel Frasson, Lauro, Flávio, Sérgio Winck, Adaílton e Picolli (J).
Gols: Alessandro (10-2) e Zé Renato (27-2).

SANTOS
Edinho; Valdir (Gustavo Nery), Jean, Narciso e Marcos Adriano; Baiano, Carlinhos, Robert e Piá (Alessandro); Camanducaia e Jamelli (Cuca).
Técnico: José Teixeira

JUVENTUDE
Márcio; Sérgio Winck, Picolli, Índio e Paulo Sérgio; Daniel Frasson, Flávio (Zé Renato), Lauro e Wallace (Carlinhos); Adaílton e Fernando Carlos.
Técnico: Geninho



Juventude arranca empate do Santos

Santos e Juventude empataram em 1 a 1, ontem, em São Paulo.

O jogo começou movimentado, com Adaílton criando duas oportunidades de gol para a equipe gaúcha nos 15 minutos iniciais. Os santistas, em contrapartida, reclamaram de um pênalti em Piá.

Aos 20min, Sérgio Winck assustou Edinho em cobrança de falta de fora da área. O goleiro acabou tocando para escanteio.

A movimentação inicial, porém, acabou arrefecendo, com as equipes se retraindo e fechando a marcação no meio-campo.

Aos 34min, Piá conseguiu receber livre na grande área, mas desperdiçou o chute, defendido por Márcio. Um minuto mais tarde, Edinho devolveu mal bola com os pés, e Wallace desperdiçou.

Aos 49min -o juiz prolongaria a etapa até os 51min-, Robert bateu forte de fora da área e quase marcou. Um leve desvio da zaga mandou a bola para escanteio.

Para a segunda etapa, o técnico José Teixeira mexeu nas laterais. Colocou Gustavo no lugar de Valdir e deslocou Marcos Adriano para a direita. Não satisfeito, tirou Piá e colocou Alessandro.

As alterações foram totalmente justificadas aos 10min, quando Alessandro aproveitou cruzamento e cabeceou para fazer 1 a 0.

Wallace tentou descontar, quatro minutos mais tarde, mas Edinho fez grande defesa.

Em desvantagem, o Juventude subiu ao ataque. E, aos 27min, Zé Renato, que entrara pouco antes, no lugar de Flávio, empatou, com chute indefensável de fora da área.



Santos enfrenta o ‘teste mais difícil’ ( Em 04/09/1996 )

O Santos enfrenta o Juventude hoje, às 20h30, no estádio do Ibirapuera, em São Paulo. Segundo o técnico José Teixeira, esse será o “teste mais difícil” do time.

“Conheço o Geninho (treinador do Juventude). Os jogadores dele marcam muito, não deixam jogar. Se não tomarmos cuidado, perderemos a partida”, disse Teixeira.

As dificuldades que o técnico prevê devem aumentar, pois o Santos jogará bem desfalcado. O lateral-direito Anderson terá que cumprir suspensão por ter levado o terceiro cartão amarelo.

Teixeira tem duas opções: escalar o novato Valdir ou deslocar Marcos Adriano para a direita e colocar Gustavo na esquerda.

Para a vaga do volante Marcos Assunção, expulso no último jogo, a escolha natural seria Baiano, mas o técnico não descarta usar Cuca.

Caso Sandro, contundido, não possa atuar, Jean entrará na zaga ao lado de Narciso, que retornou da seleção brasileira.

Após cinco jogos no Brasileiro, o técnico diz já ter dados para avaliar os atletas. O técnico disse que vai apresentar estatísticas individuais de rendimento e estabelecer metas de acerto para cada jogador.

“Os jogadores de defesa não podem errar passes”, afirmou.

No Juventude, o zagueiro Índio e o volante Daniel Frasson devem voltar ao time, mas o técnico Geninho ainda tem problemas para escalar a equipe titular.

Adílson está contundido. Fábio Renato e Jean estão suspensos.


Santos 1 x 0 Fluminense

Data: 22/08/1996, quinta-feira.
Competição: Campeonato Brasileiro – Turno único – 2ª rodada
Local: Estádio Ícaro de Castro Mello, o Ibirapuera, em São Paulo, SP.
Público: 5.838 pagantes
Renda: R$ 61.910,00
Árbitro: Fabiano Gonçalves
Cartões amarelos: Ânderson Lima, Élder, Usuriaga e Piá (S); Lima, Cadu, Tupãzinho e Alexandre Seixas (F).
Cartão vermelho: Carlinhos (S).
Gol: Ânderson Lima (38-2).

SANTOS
Edinho; Ânderson Lima, Sandro, Narciso e Marcos Adriano; Marcos Assunção, Carlinhos, Piá (Baiano) e Robert (Élder); Camanducaia (Andradina) e Usuriaga.
Técnico: José Teixeira

FLUMINENSE
Wellerson; Paulo Roberto, Lima, Ricardo Rocha e Alexandre Seixas (Alexandre); Charles Guerreiro, Cadu, Uidemar e Assis; Tupãzinho (Barata) e Valdeir.
Técnico: Jorge Vieira



Santos vence Fluminense, mas deve perder 5 pontos

O Santos venceu o Fluminense por 1 a 0, ontem à noite no estádio do Ibirapuera, em São Paulo, mas deve ser punido com a perda de cinco pontos por ter usado o atacante Usuriaga, que não tinha condição de jogo.

A informação foi dada, ontem no Rio, por Gilberto Coelho, diretor-técnico da Confederação Brasileira de Futebol. Coelho disse que o contrato de Usuriaga não está registrado na CBF.

O artigo 301 do Código Brasileiro Disciplinar de Futebol diz que nesses casos a CBF deve determinar a perda dos pontos e manter o placar do jogo. Assim, o Santos, que tinha um ponto antes do jogo, ficará com um ponto negativo, fato inédito em campeonatos brasileiros.

O Santos usou o colombiano com base em uma ficha emitida pela Federação Paulista. Eduardo Farah, presidente da FPF, reconheceu a existência da ficha, mas disse que ela havia sido invalidada pela CBF. O vice-presidente do Santos, Clodoaldo Santana, disse que não recebeu essa informação.

Usuriaga não tinha condição de jogo porque o Independiente (ARG) não havia autorizado o empréstimo. Quem cedeu o jogador ao Santos foi o Barcelona, do Equador, que já o tinha sob empréstimo.

Na partida, o Santos superou a desvantagem de um jogador -Carlinhos foi expulso aos 40min do primeiro tempo. O gol, de Anderson, saiu em cobrança de falta.



Reforço vira ‘dor de cabeça’ para Santos ( Em 22/08/1996 )

Equipe enfrenta o Fluminense no estádio do Ibirapuera

O atacante colombiano Usuriaga se transformou no principal problema do Santos para a partida de hoje à noite contra o Fluminense, em São Paulo.

Além de ter se machucado no tendão de Aquiles durante os treinamentos, ele ainda não tinha, até ontem, a confirmação de sua inscrição para a disputa do Campeonato Brasileiro. Ontem, Usuriaga afirmou que poderá voltar para a Colômbia se não estrear contra o Fluminense.

A diretoria do Santos informou que encaminhou a documentação do jogador para a Federação Paulista, mas até ontem não havia recebido da CBF a confirmação da inscrição do atleta, que chegou há um mês à Vila Belmiro.

O técnico José Teixeira se dizia preocupado com a situação de Usuriaga após o treinamento coletivo realizado ontem pela manhã na Vila Belmiro. O colombiano é a principal esperança de gols da equipe, que jogará desfalcada de Jamelli, expulso na partida de estréia do time no último sábado contra o Guarani.

Se Usuriaga não jogar, Teixeira terá de optar entre escalar Otávio Augusto (ex-Ferroviária), 23, ou Andradina (ex-Mirassol), 21.

O lugar de Jamelli será ocupado pelo meia ofensivo Piá (ex-Inter de Limeira), 22. O jogador foi muito elogiado pelo treinador depois de entrar no segundo tempo do jogo contra o Guarani.

Ele vai compor pelo lado direito o quadrado do meio-campo santista, com os volantes Marcos Assunção e Carlinhos e com o meia Robert, que atuará pela esquerda. Piá será o meia responsável por encostar nos atacantes Camanducaia e -caso jogue- Usuriaga.

Para o colombiano, está reservada a função de pivô do ataque, jogando “enfiado” entre os zagueiros na grande área, abrindo espaço para o avanço dos meias e aproveitando os cruzamentos do lateral Anderson.

Teixeira afirmou que pretende repetir o mesmo time em partidas consecutivas para começar a definir a “personalidade” da equipe no Brasileiro.
“Estamos procurando uma identidade própria”, disse.

Ele afirmou que ainda espera a contratação de três jogadores “experientes” (um zagueiro, um meio-campista e um atacante). Um dos nomes cotados é o do veterano zagueiro Ruggeri, do San Lorenzo de Almagro, ex-capitão da seleção argentina.

Usuriaga diz que pode sair

O assédio dos torcedores durante os treinamentos mostra que, mesmo sem jogar, o colombiano Alveiro Lopes Usuriaga, 30, já é o principal candidato a ídolo da torcida do Santos.

Ao lado do goleiro reserva Sérgio, 33, o atacante é o jogador mais experiente de um elenco cuja média de idade é de 22 anos.

O passe de Usuriaga pertence ao Independiente (Argentina), mas foi repassado ao Santos pelo Barcelona, de Guayaquil (Equador), clube ao qual estava emprestado.

O Santos pagou ao Barcelona US$ 150 mil pelo empréstimo até dezembro. A transação estaria sendo contestada pelo Independiente, e Usuriaga ameaça voltar para a Colômbia se o problema não for resolvido.

Repórter – Como você está para o jogo?
Usuriaga – Mais ou menos. Tenho uma pequena contusão. Não me encontro 100%.

Repórter – O Santos não ganha um título há 12 anos e disputa este Campeonato Brasileiro com uma equipe inexperiente, de jogadores muito jovens. Você vai comandar o time?
Usuriaga – Não gosto de falar da minha experiência, nem do que vou fazer, porque de repente não jogo nada. Se tenho experiência e não a aplico dentro de campo, não servirá para nada. O que eu mais quero é marcar muitos gols para que a torcida fique contente com a minha presença aqui.

Repórter – Você chegou a ficar preocupado com as notícias de que o Independiente poderia dificultar a sua permanência no Santos?
Usuriaga – Isso é um problema dos diretores. Eles estão resolvendo a questão entre o Barcelona e o Independiente. Eu estou esperando para saber se me querem ou se vou embora. Como jogador profissional, se não jogar esta partida por não ter sido inscrito, creio que partirei para a Colômbia.