Navegando Posts marcados como Inter de Limeira

Inter de Limeira 1 x 2 Santos

Data: 25/03/2000, sábado.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira, SP.
Público e renda: N/D
Árbitros: Ilson Honorato dos Santos e Tadeu Bosco da Cruz.
Cartões vermelhos: Samuel (I) e Claudiomiro (S).
Gols: Valdir (46-1), Edmundo (06-2) e Caio (46-2).

INTER DE LIMEIRA
Régis; Dirlei (Carlos Roberto), Jorginho, Samuel e Creisler; Daniel Frasson, Élder (Danilo), Émerson e Luciano; Paulinho e Edmundo (Marquinhos).
Técnico: Basílio

SANTOS
Carlos Germano; Michel, Galván, Márcio Santos e Dutra (Rubens Cardoso); Baiano (Anderson Luiz), Claudiomiro, Valdo e Robert (Caio); Valdir Bigode e Dodô.
Técnico: Carlos Alberto Silva



Sem Rincón, Santos ofensivo coloca sua recuperação à prova (Em 25/03/2000)

Sem o volante Rincón, convocado para a seleção colombiana, o Santos joga hoje em Limeira, contra a Inter, com o objetivo de provar que a goleada de 7 a 2 sobre o Araçatuba não decorreu apenas da fragilidade do rival.

O esforço para consolidar a recuperação da equipe deverá levar o técnico Carlos Alberto Silva a dispensar a armação tática defensiva que ele normalmente costuma utilizar em jogos fora de casa.

A tendência de Silva para o jogo de hoje é usar, no lugar de Rincón, o atacante Caio, atualmente na reserva, e escalar Valdo, que vinha atuando como meia avançado, na posição ocupada pelo colombiano.

Foi essa a alternativa que o técnico adotou quando, a fim de se poupar, Rincón pediu para sair durante a partida contra o Araçatuba. “O Valdo foi muito bem. Não sabia que ele jogava tanto como volante”, disse o treinador.

Valdo disse que não terá dificuldades se for escalado no setor. “Já atuei assim no Cruzeiro, na Europa e no Japão.”

A partida de hoje será a primeira do Santos no campeonato sem Rincón. “Ele vai fazer muita falta, mas a disputa por um lugar no time é grande. Quem entrar vai querer se manter na equipe, então acabará suprindo a ausência”, disse o lateral Dutra.

A outra opção de Carlos Alberto Silva para armar o time sem Rincón seria a solução convencional de fechar o meio-campo, com a substituição do colombiano por um dos dois volantes de marcação, Claudiomiro ou Anderson, que voltaram a ter condição de jogo após cumprirem suspensão contra o Araçatuba.

Embora a preferência seja por Valdo, o técnico não quis antecipar sua decisão e disse que só confirmará qual formação colocará em campo depois de conhecer a escalação da Inter de Limeira, que disputa com o Santos a liderança do Grupo 6 -ambos têm sete pontos.

O procedimento de esconder a equipe é quase uma praxe do treinador. No vestiário do Morumbi, antes do clássico em que foi goleado por 5 a 1 pelo Corinthians, Silva segurou o quanto pôde a divulgação do papel com a lista dos titulares. A menos de dez minutos do início da partida, a escalação não tinha sido anunciada.

Na Inter, o ambiente é de euforia. “O Basílio (técnico da equipe) mudou o esquema aqui e o astral. Temos até brincadeira entre o grupo agora”, afirmou o lateral Carlos Roberto.

Sem querer ficar com a responsabilidade pela boa fase, Basílio diz que o incentivo é a melhor arma para a classificação. “Todos são de fundamental importância, e os jogadores têm que saber que o Paulista é a vitrine do futebol”, afirmou.


Santos 6 x 2 Inter de Limeira

Data: 03/04/1999, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.204 pagantes
Renda: R$ 46.278,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói
Gols: Andrei (08-1), Rodrigo Fabri (20-1), Rodrigão (35-1) e Jorginho (45-1); Alexandre (04-2), Alexandre (09-2), Narciso (17-2) e Jorginho (31-2).

SANTOS
Zetti; Michel, Argel (Jean), Andrei e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Narciso (Marcos Bazílio), Jorginho e Rodrigo Fabri; Aristizábal (Lúcio) e Rodrigão.
Técnico: Emerson Leão

INTER DE LIMEIRA
Ronaldo; Wilson Goiano, Marcão, Lica e Ednélson (Daniel Júnior); Caçapa, Emerson, Marcinho (Auêcione) e Alexandre
Técnico: Fito Neves



“Vovô’ Jorginho lidera goleada do Santos em Santos

Meia de 33 anos marca dois gols e comanda a equipe na vitória sobre a Inter, a maior dos santistas no Paulista

Comandado pelo “vovô” Jorginho, 33, o Santos não encontrou dificuldades para golear por 6 a 2 a Inter de Limeira, ontem à tarde, na Vila Belmiro, em Santos, pelo Campeonato Paulista.

Jorginho marcou dois gols e deixou o campo aplaudido pela torcida, que gritou: “Ô, ô, o vovô é um terror”. “Eu sou o vovô; o terror é o Viola”, disse Jorginho.

“Esse é o nosso verdadeiro futebol. Não o que apresentamos contra o Goiás na quarta-feira (quando o time foi eliminado da Copa do Brasil)”, disse o artilheiro santista, que tem três gols no Paulista.

O Santos assumiu a liderança do Grupo 4 (11 pontos), mas pode ser superado hoje pelo Corinthians.

A equipe santista foi a campo com Aristizábal no lugar de Alessandro, que pediu para não jogar. Alessandro esteve com a seleção brasileira participando de amistosos na Ásia. Chegou anteontem e sentiu a mudança de fuso horário. Leão não gostou da atitude do jogador e evitou comentar o assunto. “Vamos falar do jogo, esquecer do que não entrou em campo.”

“A minha movimentação foi ótima. É sempre bom voltar ao futebol com goleada”, disse Aristizábal, que ficou sete meses se recuperando de cirurgia no joelho direito.

O Santos abriu o placar logo aos 8min do primeiro tempo. Após escanteio da esquerda, Andrei subiu mais do que a zaga e cabeceou sem chance de defesa para Ronaldo.

Aos 20min, novo escanteio, só que pela direita. Rodrigo cobrou e Lica tocou de ombro contra seu próprio gol, mas o juiz deu o gol para o meia-atacante santista.

O Santos voltou a marcar aos 35min, com Rodrigão. Aos 45min, foi a vez de Jorginho fazer bonita jogada e chutar no canto esquerdo de Ronaldo.

No segundo tempo, a Inter chegou a surpreender. Em falhas da zaga santista, Alexandre marcou aos 4min e aos 9min.

Aos 18min, Narciso aproveitou rebote e fez 5 a 2. Completando jogada de Michel pela direita, Jorginho fechou o placar.

Argel sai de maca e preocupa

O zagueiro Argel teve uma entorse no joelho direito, deixou o campo de maca e preocupa o departamento médico do Santos.

“Fica difícil afirmar o tempo em que ele ficará parado”, disse o médico Antônio Carlos Taira.

No jogo, Argel voltou a abusar das faltas e foi xingado por atletas e integrantes da comissão técnica da Inter quando chutou a bola na proteção do banco de reservas.

O atacante Viola, o meia Caíco e o volante Claudiomiro já estão no departamento médico santista.



Santos enfrenta a Inter e o desânimo (Em 03/04/1999)

O Santos entra em campo hoje, às 16h, na Vila Belmiro, tentando superar ao mesmo tempo a Inter de Limeira, em jogo válido pelo Paulista, e o abatimento que perdura na equipe por causa da eliminação da Copa do Brasil, na última quarta-feira, pelo Goiás.

Jogando em casa, o Santos foi derrotado por 4 a 3 e acabou desclassificado na segunda fase do torneio nacional.

Dos três jogos que disputou na Vila Belmiro nesta temporada, o Santos venceu apenas o Sinop, do Mato Grosso, por 6 a 0, na fase classificatória da Copa do Brasil. No Campeonato Paulista, empatou com a Matonense em 1 a 1.

O meia Jorginho reconhece que alguns jogadores ficaram abatidos com a desclassificação na competição nacional, que credencia o campeão a disputar a Taça Libertadores da América. “Espero que esse estado de ânimo não entre em campo amanhã (hoje)”, afirmou.

Jorginho ressaltou que a atenção agora tem de ser dirigida para o Campeonato Paulista. “É um outro campeonato, de pontos corridos. Temos de entrar em campo tranquilos, impondo nosso ritmo. A torcida saberá incentivar o time”, afirmou o meia.

O goleiro Zetti, que foi vaiado pela torcida na derrota para o Goiás, acredita na volta por cima hoje. “O Santos tem time e futebol para reverter a situação”, disse.

Zetti afirmou que ficou chateado com a desclassificação, mas não com o comportamento da torcida. “Tenho 20 anos de futebol. Não foi a primeira nem será a última vez que serei vaiado. Já passei por situações piores”, salientou.

Apesar do clima tenso no grupo, o Santos entra em campo como favorito e defendendo o tabu de há 13 anos não perder para a Inter de Limeira na Vila Belmiro.

O volante Marcos Assunção não sabe explicar o motivo exato de o time estar se complicando em jogos da Vila Belmiro. “Só pode ser pela forma de jogar dos adversários, que utilizam sempre a tática de jogar fechados, explorando os contra-ataques.”

O atacante Alessandro, que estava integrado à seleção brasileira que participou de excursão à Ásia e chegou ontem de manhã a Santos, não participou do coletivo e deixou transparecer que talvez fosse melhor ficar de fora da partida.

“Foram 27 horas de viagem. Estou sentindo dor de cabeça e enjôo. Espero até amanhã (hoje) ter melhorado. Não quero correr risco de contusão”, argumentou Alessandro, que atuou no segundo tempo do jogo contra a Coréia do Sul.

“O Alessandro não treinou, mas joga. Foi apenas poupado do coletivo devido ao cansaço”, retrucou Leão. Caso o jogador não possa atuar hoje, seu substituto será Eduardo Marques.

No coletivo de ontem à tarde, no Centro de Treinamentos Rei Pelé, o desempenho do time titular não agradou ao técnico Leão. O zagueiro Argel chegou inclusive a cometer uma falta violenta no meia Bechara e foi advertido pelo treinador.

“Temos de ter um pouco mais de coordenação e não correria. Não interessa correr. Desgasta mais e não rende”, explicou Leão.


Inter de Limeira 1 x 1 Santos

Data: 20/04/1997
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira, SP.
Público: 13.189 pagantes
Renda: R$ 60.775,00
Árbitro: Júlio Matto (URU)
Cartões amarelos: Sérgio Araújo, Tonhão e Marquinhos (I); Rogério Seves (S).
Cartão vermelho: Vágner (S)
Gols: Dinei (36-1); Fernando (28-2).

INTER DE LIMEIRA
Sérgio; Capixaba, Lica, Tonhão e Daniel Jr (Émerson); Zelito, Charles Guerreiro, Beto e Castorzinho (Edu Marangon); Sérgio Araújo (Paulinho) e Dinei.
Técnico: Pepe

SANTOS
Zetti; Ânderson, Narciso, Ronaldão e Rogério Seves; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre e Robert (Caíco); Fernando e João Luís Fumaça (Careca).
Técnico: Wanderley Luxemburgo


Santos 5 x 2 Inter de Limeira

Data: 09/03/1997
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: 7.718 pagantes
Renda: R$ 74.405,00
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Alexandre e Piá (S); Cléber Arildo, Silva e Edu Marangon (I).
Gols: Sérgio Araújo (08-1), Marcos Assunção (11-1), Alexandre (18-1) e Ronaldão (43-1); Sérgio Araújo (02-2), João Fumaça (44-2) e Vágner (50-2, de pênalti).

SANTOS
Zetti; Ânderson, Narciso, Ronaldão e Cássio; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Piá) e Robert; Macedo (Ronaldo) e Baez (João Fumaça).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

INTER DE LIMEIRA
Leandro (Sérgio); Josias, Lica, Renato Carioca e Daniel Júnior; Emerson, Silva (Valdecir), Cléber Arildo (Hélio) e Edu Marangon; Paulinho (Washington) e Sérgio Araújo.
Técnico: Pepe



Santos goleia, é vice-líder, mas atacantes fracassam

O Santos goleou ontem a Internacional de Limeira, por 5 a 2, no primeiro jogo que fez em sua cidade em oito meses. O Santos chegou a 16 pontos e assumiu o segundo lugar do Grupo 1, com 16 pontos. Mas a dupla de ataque Macedo-Baez não marcou.

A Inter marcou aos 8min. O atacante Sérgio Araújo aproveitou um rebote da defesa e chutou no ângulo direito do goleiro Zetti.

Mas três minutos depois, o Santos empatou, numa cobrança de falta. Marcos Assunção bateu forte, a barreira da Inter se abriu e o goleiro Leandro não conseguiu chegar na bola, que entrou no seu canto esquerdo.

Aos 18min, o Santos virou o marcador, num chute longo de Alexandre, em que o goleiro Leandro falhou. O jogador comemorou imitando um frango, o que irritou a comissão técnica da Internacional de Limeira.

Mesmo em vantagem, o Santos mostrava erros no ataque, principalmente dos atacantes Macedo e do paraguaio Baez, que perderam várias chances.

Aos 43min, por fim, o zagueiro Ronaldão ampliou o placar de cabeça, após cobrança de falta da direita.
No intervalo, o goleiro Leandro foi substituído por Sérgio que, ao entrar em campo, foi atingido na cabeça por uma pilha e sangrou um pouco, mas, após ser atendido, pôde jogar.

No segundo tempo, a Inter adiantou seu time e logo aos 2min Sérgio Araújo descontou, aproveitando outro rebote, desta vez uma bola largada por Zetti.

Por causa do calor, o rendimento dos dois times caiu muito a partir do meio do segundo tempo. A Internacional ainda tentou pressionar, mas não conseguiu ameaçar o gol do Santos, que aproveitou os contra-ataques.

Aos 44min, João Fumaça recebeu livre na área e ampliou. Aos 50min, Vágner converteu um pênalti sofrido por Robert.

Técnico evita criticar diretoria

O técnico Wanderley Luxemburgo comemorou ontem a vitória do Santos sobre a Inter de Limeira por 5 a 2 e evitou falar sobre a falta de um atacante para reforçar o time. Há uma semana, ele havia feito duras críticas à diretoria.

“Tudo que tinha para ser discutido sobre isso já o foi. O importante é que conseguimos uma bonita vitória e começamos bem a segunda fase”, disse o treinador.

João Fumaça, revelação dos juniores, estava feliz com o primeiro gol marcado pelos profissionais.

Falta de água e xingamentos direcionados a Pepe

Mesmo depois do jogo, os jogadores da Internacional enfrentaram problemas. Faltou água em seu vestiário.
O jogador Silva, enquanto aguardava a volta da água, criticou a arbitragem. “Houve falhas da defesa, e o juiz foi muito omisso, prejudicando muito a Inter.”

O técnico Pepe se mostrou bastante insatisfeito com o comportamento da torcida, mas elogiou o talento dos jogadores santistas.

“O Santos tem um grande elenco. Se nós perdemos de 5 a 2 é porque tentamos o empate, não ficamos fechadinhos na defesa”, disse o treinador.

“Eu gosto muito mais do Santos do que essa cambada que passou os 90 minutos me xingando”, declarou o treinador, referindo-se à agressividade da torcida contra ele. Pepe desenvolveu sua carreira como jogador no Santos e é ex-técnico do time.

Santos 4 x 0 Inter de Limeira

Data: 07/10/1992, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – Grupo A – 1ª fase
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Gols: Guga, Ranielli e Guga (44-1); Luís Carlos.



Guga perdeu um pênalti no segundo tempo.

Créditos:
Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/1992/10/08/15//4768055
Vídeo: indicado por Danilo Barbosa.