Navegando Posts marcados como Inter de Limeira

Santos 1 x 1 Inter de Limeira

Data: 23/04/2000, domingo.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: N/D
Árbitros: Wilson Seneme e Ilson Honorato.
Gols: Deivid (06-2) e Everaldo (47-2).

SANTOS
Carlos Germano; Baiano, Galván, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Rincón, Valdo, Robert (Deivid) e Caio (Anderson Luiz); Valdir e Dodô (Eduardo Marques).
Técnico: Carlos Alberto Silva

INTER DE LIMEIRA
Alex; Júlio César, Lica, Jorginho e Creisler; Daniel Frasson (Coracini), Élder, Émerson (Adil) e Samuel; Danilo e Everaldo.
Técnico: Basílio



Santos só empata, e liderança escapa

O Santos ficou apenas num empate no jogo com a Inter de Limeira, na Vila Belmiro. Com isso, o time volta a sentir a pressão da torcida, que chamou o técnico Carlos Alberto Silva de burro e criticou a má apresentação do atacante Dodô, que acabou sendo substituído.

Com o empate, a equipe deixou escapar a liderança do grupo. Por isso, estreará na terceira fase do Paulista contra o São Paulo, o que não estava nos planos da comissão técnica santista.

O capitão Rincón, ao deixar o campo, disse: “Não se pode pensar que uma partida é fácil. Tem que ter responsabilidade.”

O Santos começou a partida tocando a bola no meio-campo, na tentativa de atrair o adversário, que armou um esquema tático defensivo. Com essa estratégia, foram apenas duas chances de gol no primeiro tempo, ambas por meio de chutes de Caio, que acabaram se transformando em escanteios.

No segundo tempo, com Deivid no lugar de Robert, o Santos esboçou uma melhora e conseguiu marcar um gol. Deivid pegou o rebote da zaga fora da área e chutou forte, com o pé direito. A bola entrou no canto direito.

Cinco minutos depois, Valdir desperdiçou uma chance para ampliar o placar.

Logo em seguida, a Inter sentiu que o Santos havia se acomodado com o resultado, não levando mais perigo ao goleiro Alex, e partiu para tentar o empate, criando boas oportunidades com Everaldo e Adil.

O gol de empate surgiu nos acréscimos. A bola passou por Claudiomiro, Everaldo dominou e chutou forte.

O atacante Dodô, substituído ontem pelo meia Eduardo Marques, reclamou mais uma vez ao deixar o campo. “Não entendo porque esse treinador (Carlos Alberto Silva) sempre me substitui”, afirmou.

O treinador declarou não ter visto nenhuma reação negativa de seu comandado.

Além desse atrito, o Santos também terá de enfrentar na próxima semana a ausência do volante colombiano Rincón, que viaja hoje para La Paz, onde irá se integrar à seleção de seu país, que enfrenta, na quarta-feira, a Bolívia, pelas eliminatórias da Copa.

O Santos pretende utilizá-lo no jogo de quinta-feira com o Coritiba, em Curitiba, pela segunda fase da Copa do Brasil.


Inter de Limeira 1 x 2 Santos

Data: 25/03/2000, sábado.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira, SP.
Público e renda: N/D
Árbitros: Ilson Honorato dos Santos e Tadeu Bosco da Cruz.
Cartões vermelhos: Samuel (I) e Claudiomiro (S).
Gols: Valdir (46-1), Edmundo (06-2) e Caio (46-2).

INTER DE LIMEIRA
Régis; Dirlei (Carlos Roberto), Jorginho, Samuel e Creisler; Daniel Frasson, Élder (Danilo), Émerson e Luciano; Paulinho e Edmundo (Marquinhos).
Técnico: Basílio

SANTOS
Carlos Germano; Michel, Galván, Márcio Santos e Dutra (Rubens Cardoso); Baiano (Anderson Luiz), Claudiomiro, Valdo e Robert (Caio); Valdir Bigode e Dodô.
Técnico: Carlos Alberto Silva



Sem Rincón, Santos ofensivo coloca sua recuperação à prova (Em 25/03/2000)

Sem o volante Rincón, convocado para a seleção colombiana, o Santos joga hoje em Limeira, contra a Inter, com o objetivo de provar que a goleada de 7 a 2 sobre o Araçatuba não decorreu apenas da fragilidade do rival.

O esforço para consolidar a recuperação da equipe deverá levar o técnico Carlos Alberto Silva a dispensar a armação tática defensiva que ele normalmente costuma utilizar em jogos fora de casa.

A tendência de Silva para o jogo de hoje é usar, no lugar de Rincón, o atacante Caio, atualmente na reserva, e escalar Valdo, que vinha atuando como meia avançado, na posição ocupada pelo colombiano.

Foi essa a alternativa que o técnico adotou quando, a fim de se poupar, Rincón pediu para sair durante a partida contra o Araçatuba. “O Valdo foi muito bem. Não sabia que ele jogava tanto como volante”, disse o treinador.

Valdo disse que não terá dificuldades se for escalado no setor. “Já atuei assim no Cruzeiro, na Europa e no Japão.”

A partida de hoje será a primeira do Santos no campeonato sem Rincón. “Ele vai fazer muita falta, mas a disputa por um lugar no time é grande. Quem entrar vai querer se manter na equipe, então acabará suprindo a ausência”, disse o lateral Dutra.

A outra opção de Carlos Alberto Silva para armar o time sem Rincón seria a solução convencional de fechar o meio-campo, com a substituição do colombiano por um dos dois volantes de marcação, Claudiomiro ou Anderson, que voltaram a ter condição de jogo após cumprirem suspensão contra o Araçatuba.

Embora a preferência seja por Valdo, o técnico não quis antecipar sua decisão e disse que só confirmará qual formação colocará em campo depois de conhecer a escalação da Inter de Limeira, que disputa com o Santos a liderança do Grupo 6 -ambos têm sete pontos.

O procedimento de esconder a equipe é quase uma praxe do treinador. No vestiário do Morumbi, antes do clássico em que foi goleado por 5 a 1 pelo Corinthians, Silva segurou o quanto pôde a divulgação do papel com a lista dos titulares. A menos de dez minutos do início da partida, a escalação não tinha sido anunciada.

Na Inter, o ambiente é de euforia. “O Basílio (técnico da equipe) mudou o esquema aqui e o astral. Temos até brincadeira entre o grupo agora”, afirmou o lateral Carlos Roberto.

Sem querer ficar com a responsabilidade pela boa fase, Basílio diz que o incentivo é a melhor arma para a classificação. “Todos são de fundamental importância, e os jogadores têm que saber que o Paulista é a vitrine do futebol”, afirmou.


Santos 6 x 2 Inter de Limeira

Data: 03/04/1999, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.204 pagantes
Renda: R$ 46.278,00
Árbitro: Oscar Roberto Godói
Gols: Andrei (08-1), Rodrigo Fabri (20-1), Rodrigão (35-1) e Jorginho (45-1); Alexandre (04-2), Alexandre (09-2), Narciso (17-2) e Jorginho (31-2).

SANTOS
Zetti; Michel, Argel (Jean), Andrei e Gustavo Nery; Marcos Assunção, Narciso (Marcos Bazílio), Jorginho e Rodrigo Fabri; Aristizábal (Lúcio) e Rodrigão.
Técnico: Emerson Leão

INTER DE LIMEIRA
Ronaldo; Wilson Goiano, Marcão, Lica e Ednélson (Daniel Júnior); Caçapa, Emerson, Marcinho (Auêcione) e Alexandre
Técnico: Fito Neves



“Vovô’ Jorginho lidera goleada do Santos em Santos

Meia de 33 anos marca dois gols e comanda a equipe na vitória sobre a Inter, a maior dos santistas no Paulista

Comandado pelo “vovô” Jorginho, 33, o Santos não encontrou dificuldades para golear por 6 a 2 a Inter de Limeira, ontem à tarde, na Vila Belmiro, em Santos, pelo Campeonato Paulista.

Jorginho marcou dois gols e deixou o campo aplaudido pela torcida, que gritou: “Ô, ô, o vovô é um terror”. “Eu sou o vovô; o terror é o Viola”, disse Jorginho.

“Esse é o nosso verdadeiro futebol. Não o que apresentamos contra o Goiás na quarta-feira (quando o time foi eliminado da Copa do Brasil)”, disse o artilheiro santista, que tem três gols no Paulista.

O Santos assumiu a liderança do Grupo 4 (11 pontos), mas pode ser superado hoje pelo Corinthians.

A equipe santista foi a campo com Aristizábal no lugar de Alessandro, que pediu para não jogar. Alessandro esteve com a seleção brasileira participando de amistosos na Ásia. Chegou anteontem e sentiu a mudança de fuso horário. Leão não gostou da atitude do jogador e evitou comentar o assunto. “Vamos falar do jogo, esquecer do que não entrou em campo.”

“A minha movimentação foi ótima. É sempre bom voltar ao futebol com goleada”, disse Aristizábal, que ficou sete meses se recuperando de cirurgia no joelho direito.

O Santos abriu o placar logo aos 8min do primeiro tempo. Após escanteio da esquerda, Andrei subiu mais do que a zaga e cabeceou sem chance de defesa para Ronaldo.

Aos 20min, novo escanteio, só que pela direita. Rodrigo cobrou e Lica tocou de ombro contra seu próprio gol, mas o juiz deu o gol para o meia-atacante santista.

O Santos voltou a marcar aos 35min, com Rodrigão. Aos 45min, foi a vez de Jorginho fazer bonita jogada e chutar no canto esquerdo de Ronaldo.

No segundo tempo, a Inter chegou a surpreender. Em falhas da zaga santista, Alexandre marcou aos 4min e aos 9min.

Aos 18min, Narciso aproveitou rebote e fez 5 a 2. Completando jogada de Michel pela direita, Jorginho fechou o placar.

Argel sai de maca e preocupa

O zagueiro Argel teve uma entorse no joelho direito, deixou o campo de maca e preocupa o departamento médico do Santos.

“Fica difícil afirmar o tempo em que ele ficará parado”, disse o médico Antônio Carlos Taira.

No jogo, Argel voltou a abusar das faltas e foi xingado por atletas e integrantes da comissão técnica da Inter quando chutou a bola na proteção do banco de reservas.

O atacante Viola, o meia Caíco e o volante Claudiomiro já estão no departamento médico santista.



Santos enfrenta a Inter e o desânimo (Em 03/04/1999)

O Santos entra em campo hoje, às 16h, na Vila Belmiro, tentando superar ao mesmo tempo a Inter de Limeira, em jogo válido pelo Paulista, e o abatimento que perdura na equipe por causa da eliminação da Copa do Brasil, na última quarta-feira, pelo Goiás.

Jogando em casa, o Santos foi derrotado por 4 a 3 e acabou desclassificado na segunda fase do torneio nacional.

Dos três jogos que disputou na Vila Belmiro nesta temporada, o Santos venceu apenas o Sinop, do Mato Grosso, por 6 a 0, na fase classificatória da Copa do Brasil. No Campeonato Paulista, empatou com a Matonense em 1 a 1.

O meia Jorginho reconhece que alguns jogadores ficaram abatidos com a desclassificação na competição nacional, que credencia o campeão a disputar a Taça Libertadores da América. “Espero que esse estado de ânimo não entre em campo amanhã (hoje)”, afirmou.

Jorginho ressaltou que a atenção agora tem de ser dirigida para o Campeonato Paulista. “É um outro campeonato, de pontos corridos. Temos de entrar em campo tranquilos, impondo nosso ritmo. A torcida saberá incentivar o time”, afirmou o meia.

O goleiro Zetti, que foi vaiado pela torcida na derrota para o Goiás, acredita na volta por cima hoje. “O Santos tem time e futebol para reverter a situação”, disse.

Zetti afirmou que ficou chateado com a desclassificação, mas não com o comportamento da torcida. “Tenho 20 anos de futebol. Não foi a primeira nem será a última vez que serei vaiado. Já passei por situações piores”, salientou.

Apesar do clima tenso no grupo, o Santos entra em campo como favorito e defendendo o tabu de há 13 anos não perder para a Inter de Limeira na Vila Belmiro.

O volante Marcos Assunção não sabe explicar o motivo exato de o time estar se complicando em jogos da Vila Belmiro. “Só pode ser pela forma de jogar dos adversários, que utilizam sempre a tática de jogar fechados, explorando os contra-ataques.”

O atacante Alessandro, que estava integrado à seleção brasileira que participou de excursão à Ásia e chegou ontem de manhã a Santos, não participou do coletivo e deixou transparecer que talvez fosse melhor ficar de fora da partida.

“Foram 27 horas de viagem. Estou sentindo dor de cabeça e enjôo. Espero até amanhã (hoje) ter melhorado. Não quero correr risco de contusão”, argumentou Alessandro, que atuou no segundo tempo do jogo contra a Coréia do Sul.

“O Alessandro não treinou, mas joga. Foi apenas poupado do coletivo devido ao cansaço”, retrucou Leão. Caso o jogador não possa atuar hoje, seu substituto será Eduardo Marques.

No coletivo de ontem à tarde, no Centro de Treinamentos Rei Pelé, o desempenho do time titular não agradou ao técnico Leão. O zagueiro Argel chegou inclusive a cometer uma falta violenta no meia Bechara e foi advertido pelo treinador.

“Temos de ter um pouco mais de coordenação e não correria. Não interessa correr. Desgasta mais e não rende”, explicou Leão.


Inter de Limeira 1 x 1 Santos

Data: 20/04/1997, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira, SP.
Público: 13.189 pagantes
Renda: R$ 60.775,00
Árbitro: Júlio Matto (URU)
Cartões amarelos: Sérgio Araújo, Tonhão e Marquinhos (I); Rogério Seves (S).
Cartão vermelho: Vágner (S)
Gols: Dinei (36-1); Fernando Fumagalli (28-2).

INTER DE LIMEIRA
Sérgio; Capixaba, Lica, Tonhão e Daniel Jr (Émerson); Zelito, Charles Guerreiro, Beto e Castorzinho (Edu Marangon); Sérgio Araújo (Paulinho) e Dinei.
Técnico: Pepe

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Narciso, Ronaldão e Rogério Seves; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre e Robert (Caíco); Fernando Fumagalli e João Fumaça (Careca).
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Luxemburgo quer usar Müller contra o São Paulo

Careca estreia com a camisa de seu clube do coração

O técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, disse ontem que planeja promover a estréia de Müller, recém-contradado ao Perugia (ITA), na quarta-feira, contra o São Paulo, no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

“Até lá a sua situação deve ser regularizada, com todos os documentos, e daí vamos ter um time com maior qualidade, o que importa muito no campeonato.”

Luxemburgo disse que indicou a contratação do jogador, mas que não quer ser responsabilizado pela sua atuação.

Para ele, Müller é um dos melhores jogadores do mundo. “Vale a pena pagar R$ 1,7 milhão por um jogador do seu porte.”

Luxemburgo afirmou que encontrou dificuldades ontem ao enfrentar a Internacional.

“Não conseguimos furar o esquema da Inter porque tínhamos dez jogadores, mas estivemos sempre próximos do gol. Gostei muito da participação do Fernando. Ele foi muito bem.”

O técnico elogiou também a primeira partida de Careca, mas o atacante não se satisfez . “Se fosse uma estréia com vitória era bem melhor”, afirmou.



Santos usa juniores contra a Inter ( Em 20/04/1997 )

O ataque do Santos volta a utilizar a dupla Fernando e João Fumaça, que ascendeu da categoria dos juniores, hoje, contra a Internacional, às 16h, em Limeira.

No último domingo, contra a Portuguesa Santista, os dois marcaram os gols na vitória por 2 a 0.

Assim que soube que Macedo estava vetado para a partida de hoje, Wanderley Luxemburgo não hesitou em promover o centroavante Fernando à equipe titular.

Sem contar com Muller, cuja estréia foi novamente adiada, e podendo utilizar Careca por no máximo 45 minutos, o técnico aposta na juventude para vencer.

“O professor tem me orientado”, disse Fernando. “Só preciso entrar em campo e marcar gols.”

O atacante João Fumaça, artilheiro do time, com cinco gols, lembra que marcou o primeiro deles no time profissional justamente contra a Internacional de Limeira. “Quem sabe consigo repetir a dose”, brincou Fumaça. Na oportunidade, o Santos venceu a Internacional por 5 a 2, jogando em casa.

Quem esperar por uma coreografia de Fumaça após fazer um gol, como fez contra a Portuguesa, ficará decepcionado.

“O professor Wamderley disse que isso é um menosprezo aos adversários. Daqui para a frente tentarei ser mais discreto”.

“São garotos com potencial e merecem a chance”, analisou Luxemburgo. “Só espero que a torcida não seja exigente com eles.”

Os atacantes Alessandro e Macedo e o lateral-esquerdo Cássio estão vetados para o jogo. Rogério Seves será o lateral. Robert e Alexandre estão confirmados no meio-campo.


Santos 5 x 2 Inter de Limeira

Data: 09/03/1997, domingo, 15h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos, SP.
Público: 7.718 pagantes
Renda: R$ 74.405,00
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Alexandre e Piá (S); Cléber Arildo, Silva e Edu Marangon (I).
Gols: Sérgio Araújo (08-1), Marcos Assunção (11-1), Alexandre (18-1) e Ronaldão (43-1); Sérgio Araújo (02-2), João Fumaça (44-2) e Vágner (50-2, de pênalti).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Narciso, Ronaldão e Cássio; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Piá) e Robert; Macedo (Ronaldo) e Edgar Baez (João Fumaça).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

INTER DE LIMEIRA
Leandro (Sérgio); Josias, Lica, Renato Carioca e Daniel Júnior; Emerson, Silva (Valdecir), Cléber Arildo (Hélio) e Edu Marangon; Paulinho (Washington) e Sérgio Araújo.
Técnico: Pepe



Santos goleia, é vice-líder, mas atacantes fracassam

O Santos goleou ontem a Internacional de Limeira, por 5 a 2, no primeiro jogo que fez em sua cidade em oito meses. O Santos chegou a 16 pontos e assumiu o segundo lugar do Grupo 1, com 16 pontos. Mas a dupla de ataque Macedo-Baez não marcou.

A Inter marcou aos 8min. O atacante Sérgio Araújo aproveitou um rebote da defesa e chutou no ângulo direito do goleiro Zetti.

Mas três minutos depois, o Santos empatou, numa cobrança de falta. Marcos Assunção bateu forte, a barreira da Inter se abriu e o goleiro Leandro não conseguiu chegar na bola, que entrou no seu canto esquerdo.

Aos 18min, o Santos virou o marcador, num chute longo de Alexandre, em que o goleiro Leandro falhou. O jogador comemorou imitando um frango, o que irritou a comissão técnica da Internacional de Limeira.

Mesmo em vantagem, o Santos mostrava erros no ataque, principalmente dos atacantes Macedo e do paraguaio Baez, que perderam várias chances.

Aos 43min, por fim, o zagueiro Ronaldão ampliou o placar de cabeça, após cobrança de falta da direita.
No intervalo, o goleiro Leandro foi substituído por Sérgio que, ao entrar em campo, foi atingido na cabeça por uma pilha e sangrou um pouco, mas, após ser atendido, pôde jogar.

No segundo tempo, a Inter adiantou seu time e logo aos 2min Sérgio Araújo descontou, aproveitando outro rebote, desta vez uma bola largada por Zetti.

Por causa do calor, o rendimento dos dois times caiu muito a partir do meio do segundo tempo. A Internacional ainda tentou pressionar, mas não conseguiu ameaçar o gol do Santos, que aproveitou os contra-ataques.

Aos 44min, João Fumaça recebeu livre na área e ampliou. Aos 50min, Vágner converteu um pênalti sofrido por Robert.

Técnico evita criticar diretoria

O técnico Wanderley Luxemburgo comemorou ontem a vitória do Santos sobre a Inter de Limeira por 5 a 2 e evitou falar sobre a falta de um atacante para reforçar o time. Há uma semana, ele havia feito duras críticas à diretoria.

“Tudo que tinha para ser discutido sobre isso já o foi. O importante é que conseguimos uma bonita vitória e começamos bem a segunda fase”, disse o treinador.

João Fumaça, revelação dos juniores, estava feliz com o primeiro gol marcado pelos profissionais.

Falta de água e xingamentos direcionados a Pepe

Mesmo depois do jogo, os jogadores da Internacional enfrentaram problemas. Faltou água em seu vestiário.
O jogador Silva, enquanto aguardava a volta da água, criticou a arbitragem. “Houve falhas da defesa, e o juiz foi muito omisso, prejudicando muito a Inter.”

O técnico Pepe se mostrou bastante insatisfeito com o comportamento da torcida, mas elogiou o talento dos jogadores santistas.

“O Santos tem um grande elenco. Se nós perdemos de 5 a 2 é porque tentamos o empate, não ficamos fechadinhos na defesa”, disse o treinador.

“Eu gosto muito mais do Santos do que essa cambada que passou os 90 minutos me xingando”, declarou o treinador, referindo-se à agressividade da torcida contra ele. Pepe desenvolveu sua carreira como jogador no Santos e é ex-técnico do time.



Santos volta a ser ‘local’, após oito meses de exílio ( Em 09/03/1997 )

O Santos volta a jogar em sua cidade hoje, após oito meses de “exílio”. O time enfrenta a Internacional, às 15h, no estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista.

Desde 20 de junho de 1996, a equipe não se apresenta na cidade. O último jogo foi a vitória de 2 a 0 sobre o Real Madrid, da Espanha, na despedida do meia Giovanni. O estádio de Vila Belmiro, desde então, está fechado para reformas.

O Santos não perde para a Inter há 11 anos. O time de Limeira é dirigido pelo técnico Pepe, ex-jogador e técnico do próprio Santos.

Terceiro colocado no Grupo 1, o Santos tem de vencer para não se distanciar de Palmeiras e Guarani e manter-se à frente da Lusa. Apenas dois clubes de cada chave se classificam para a próxima fase.

O Santos faria ontem um treino de reconhecimento do gramado. O técnico Wanderley Luxemburgo manterá a mesma equipe da última partida.

O atacante paraguaio Edgar Baez terá mais uma chance. “Estou motivado e ansioso para marcar meu primeiro gol”, disse Baez.

Luxemburgo disse que o time “deve ter tranquilidade e impor o seu ritmo”.

Edu Marangon preocupa Luxemburgo

Anular o veterano meia Edu Marangon. Essa é a principal preocupação do técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, em relação ao time da Inter de Limeira.

Luxemburgo disse que o adversário deve jogar retrancado, explorando os contra-ataques iniciados pelos ainda eficientes lançamentos de Marangon.

Os dois atacantes, Paulinho e Sérgio Araújo, são muito rápidos, e Luxemburgo não quer que a bola chegue até eles.

“Também não podemos nos descuidar com as bolas cruzadas sobre a grande área”, disse o zagueiro Narciso, que, mais uma vez, substitui Sandro, machucado.

Luxemburgo lamenta novamente não contar com seu principal atacante: Alessandro. Ele se recupera de uma contusão muscular e só deve retornar no clássico contra o São Paulo, no próximo domingo.

A diretoria deu prazo até hoje para que o La Coruña, da Espanha, responda se concorda ou não em ceder o atacante Renaldo ao clube.

Adversário

A Internacional terá quatro desfalques na partida de hoje. O zagueiro Tonhão, o volante Zelito e o meia Beto receberam o terceiro cartão amarelo no último jogo, contra o Mogi Mirim.

Além deles, fica de fora o volante Charles Guerreiro, expulso no confronto do meio da semana.

Entram: Lica, na zaga, Emerson, Luís Henrique e Washington, no meio-campo.