Navegando Posts marcados como Internacional

Internacional 2 x 0 Santos

Data: 13/08/2020, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: fechado devido a pandemia de Covid-19.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Cartões amarelos: Edenilson e Moisés (I); Lucas Veríssimo, Kaio Jorge e Marinho (S).
Gols: Guerrero (14-2) e Edenilson (42-2).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Saravia, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Moisés; Rodrigo Lindoso, Edenilson (D’Alessandro), Patrick e Boschilia (Marcos Guilherme); Thiago Galhardo (Musto) e Guerrero.
Técnico: Eduardo Coudet

SANTOS
Vladimir; Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Kaio Jorge) e Luan Peres; Pará, Alison (Ivonei), Diego Pituca (Jobson) e Felipe Jonatan (Madson); Marinho, Carlos Sánchez (Tailson) e Soteldo.
Técnico: Cuca



Santos é dominado pelo Internacional e perde só de 2 a 0

O Internacional venceu o Santos por 2 a 0 nesta quinta-feira, no Estádio Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Guerrero e Edenilson, no segundo tempo.

O Colorado dominou a partida do início ao fim e poderia ter vencido por diferença ainda maior. O Peixe chegou a empatar com Kaio Jorge, mas a arbitragem anulou após checagem no VAR e constatação de toque no braço.

O Inter tem 100% de aproveitamento depois de vencer Coritiba fora e Santos em casa. O Peixe ainda não ganhou: empatou com o Red Bull Bragantino na Vila Belmiro e perdeu para o Colorado.

O jogo

O Internacional amassou o Santos em todos os minutos, mas foi para o intervalo com um 0 a 0 injusto no placar. O Peixe não viu a cor da bola no Estádio Beira-Rio.

Cuca escalou o Alvinegro com três zagueiros e a formação não funcionou. Aos 16 minutos, Luiz Felipe sentiu, Kaio Jorge entrou e o técnico refez o esquema habitual.

Lucas Veríssimo, contra, jogou a bola no travessão. Galhardo, sozinho na pequena área, não conseguiu empurrar para o gol após desvio de Vladimir. Lindoso finalizou bem e o goleiro fez grande defesa. Foram pelo menos cinco oportunidades claras em 47 minutos.

Cuca colocou Jobson e Tailson para as saídas de Diego Pituca e Carlos Sánchez. O Santos melhorou e ficou perto do gol aos sete minutos.

Jobson lançou Tailson, que não dominou e Lomba afastou mal. Marinho finalizou de fora da área e o goleiro do Inter espalmou para escanteio.

E depois de dominar a etapa inicial e não abrir o placar, o Colorado fez o gol justamente quando o Peixe melhorava em campo. Felipe Jonatan vacilou ao tentar fazer a bola sair, Galhardo acreditou, Saravia cruzou e Guerrero cabeceou com estilo. 1 a 0 aos 11 minutos.

O gol desestabilizou o Santos. Aos 14, Galhardo fez boa jogada e Guerrero não dominou. No minuto 16, Edenilson chutou e a bola raspou a trave. Quando o placar marcava 19, Galhardo deixou Luan Peres e finalizou com muito perigo, para fora.

No minuto 21, o Santos teve uma ducha d’água fria. Soteldo cruzou para Kaio Jorge, que dominou no peito, tirou de Marcelo Lomba e empurrou para o fundo das redes. A arbitragem viu braço do atacante após checagem no VAR.

O Internacional seguiu melhor e esteve perto de ampliar aos 37 e 39, em duas finalizações de Boschilia para novas defesas de Vladimir. O segundo gol veio só no minuto 42, quando Edenilson tabelou com Guerrero e encobriu Vladimir. Um golaço em Porto Alegre.

O Peixe teve outro gol bem anulado, de Soteldo, aos 45, e o Colorado administrou a vitória nos minutos finais.

Cuca vê “erro absurdo” da arbitragem na derrota do Santos para o Internacional

Cuca acredita em “erro absurdo” da arbitragem na derrota do Santos por 2 a 0 para o Internacional nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Quando estava 1 a 0 para o Inter, Kaio Jorge dividiu com o goleiro Marcelo Lomba e fez o gol. O juiz acionou o VAR e deu toque no braço do atacante. Antes, porém, Cuca viu pênalti.

“Nós estávamos melhores naquele momento do segundo tempo. Tivemos outra postura, atitude, criamos oportunidade no começo com Marinho. Estávamos dominando a posse. Equipe ia pegando corpo, quando numa infelicidade, num erro, sofremos gol. Cedemos dois ou três contra-ataques, não fizeram o gol e veio lance fatídico. Gol anulado do Kaio Jorge. No meu modo de ver, um erro absurdo. Bola bate na mão antes de entrar, é nítido, mas por que? Se jogou, foi derrubado. Lomba o derruba. Bola bateu na mão, mas é lance interpretativo. Antes de bater na mão ele foi derrubado. Não é mão, é pênalti. Foi muito claro o pênalti. É um erro que nesse momento que vivemos é crucial fazer o gol, equipe retoma a confiança e parte até quem sabe virar. Não é choro, é segundo jogo e segundo erro gravíssimo”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

“Não vou atribuir a isso, depois o Internacional fez o segundo gol, mas é consequência de se jogar no ataque. Sabia da necessidade de muito trabalho, temos que retomar a confiança, encontrar forma de jogar que dê corpo, sincronia nos setores. Em muito momento não tivemos isso. Foi jogo mais duro, Inter tem equipe com sistema adequado, treinador tem equipe na mão. Muita força, marcação pressão com três meias. Primeiro tempo não foi bom, mas no segundo melhoramos, equilibramos. Inter teve mais chances por cedermos o primeiro gol e terem contra-ataque. Tentamos, tivemos gol anulado também no impedimento. São coisas que temos que trabalhar. Não se há tempo, é sexto dia com dois jogos e terceiro jogo no oitavo dia. Temos viagem, não há repouso. Temos que equilibrar, usar as peças. Mais da metade eram da base hoje e essa é a saída. Não podemos contratar, temos dificuldades financeiras e vamos administrar. Pego a maior parcela de responsabilidade, para isso eu vim, mas depois ganhamos e aumentamos a confiança. Não temos que achar culpados, agora é tentar vencer no domingo”, completou o treinador.

Cuca quer ‘recuperar’ Pituca e Sánchez no Santos: “Total confiança”

Cuca espera recuperar o bom futebol de Carlos Sánchez e Diego Pituca no Santos. A dupla não está bem e foi substituída no intervalo da derrota por 2 a 0 para o Internacional nesta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico elogiou os meio-campistas e quer que eles atuem com confiança novamente.

“Retomar a confiança. É falando também, conversando, mas principalmente fazendo uma boa partida. Não vou deixar de confiar no Pituca ou no Sánchez. Jogadores têm bons e maus momentos ao longo do ano. Não vivem grande momento, mas são grandes jogadores e pessoas e têm minha total confiança”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O treinador também falou sobre Felipe Jonatan. O lateral-esquerdo errou no primeiro gol do Inter, quando o Peixe estava bem em campo. Não há alternativa no elenco para a posição.

“Felipe Jonatan foi proteger, achou que a bola ia sair. E pegou a defesa toda desprotegida. Não foi erro de marcação ou posicionamento. Não há o que culpar a zaga em cima do cruzamento bem feito e que nos pegou de surpresa. Geralmente é lance para bola sair ou receber a falta”, afirmou Cuca.

“Vamos trabalhar. Não é aqui e agora que vamos resolver o problema. É com trabalho, avaliando o jogo, as opções. Para por em prática no próximo jogo. Daqui a pouco se faz um bom jogo e confiança se eleva. É difícil trabalhar com 11, temos que trabalhar com elenco. Tem time viajando com suplente e deixando equipe principal. Fizemos parte disso hoje, com várias trocas, desgastando menos o time”, completou o treinador.

Santos finalizou 16 vezes e levou 43 chutes a gol no Brasileirão

O Santos não teve um bom início no Campeonato Brasileiro: empatou em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino e perdeu por 2 a 0 para o Internacional.

E as estatísticas mostram a deficiência do Peixe tanto na defesa quanto no ataque nessas duas primeiras rodadas do Brasileirão.

O Santos de Cuca finalizou 16 vezes, cinco na direção do gol do adversário (apenas uma vez diante do Colorado no Estádio Beira-Rio).

Em compensação, o Peixe permitiu 43 chutes no seu gol, 13 certos. Os rivais finalizaram quase o triplo no geral e marcaram três gols. O Alvinegro, só um.

Cuca aprova Tailson como meia no Santos: “Era 10 quando mais novo”

Cuca testou Tailson como meia no Santos no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Internacional na última quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Atacante de lado de campo, Tailson foi testado como armador durante a semana e entregou na vaga de Carlos Sánchez no intervalo.

Tailson atuava como meia até o sub-17 e em algumas oportunidades no sub-20. Ele, porém, foi promovido ao elenco profissional do Peixe em 2019 como ponta.

“Tailson é o quarto homem, jogador de lado de campo. Com a entrada dele dei mais liberdade para Marinho ser segundo atacante. Tailson sabe compor por dentro também, era 10 quando era mais novo. É polivalente, trabalhamos com ele, Ivonei e Kaio Jorge. Jogo duro, experiência serviu demais para esses meninos”, disse Cuca, antes de destacar a importância da base.

“Importância total. Santos sempre foi time revelador. Em algum momento contratou bastante e hoje, de uma certa forma, paga o preço. Algumas contratações saíram e é necessário pagar mesmo na saída. Tem que ser novamente revelador. E estou nesse propósito. Torcedor tem que ter confiança. Trabalho é árduo, mas vai ser vitorioso. Temos que dar tempo ao tempo. Sabia da dificuldade e vim preparado. Amanhã é pé na tábua, voltar a trabalhar”, completou o treinador.

Os relacionados para a partida contra o Inter treinarão no CT do Grêmio nesta sexta-feira, antes da viagem de volta para a Baixada Santista.

Tailson aprova teste como meia no Santos: “Cuca gosta de jogador versátil”

Cuca testou Tailson como meia no Santos no segundo tempo da derrota por 2 a 0 para o Internacional na última quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. E o camisa 10 aprova o teste.

Atacante de lado de campo, Tailson treinou como armador durante a semana e entrou na vaga de Carlos Sánchez no intervalo.

“Não foi a estreia no Brasileiro como eu gostaria. Acredito que durante o campeonato as coisas irão melhorar, com muito trabalho e dedicação podemos alcançar nossos objetivos. E eu penso que tenho que estar preparado. Quando o professor Cuca precisar me utilizar, tenho que estar pronto. Ele gosta de jogador versátil, que atua em várias posições, então sempre que ele precisar estarei a disposição”, disse Tailson.

O Menino da Vila atuava como meia até o sub-17 e em algumas oportunidades no sub-20. Ele, porém, foi promovido ao elenco profissional do Peixe em 2019 como ponta.

Kaio Jorge lamenta recaídas do Santos: “Somos um time gigante”

Kaio Jorge lamentou as recaídas do Santos após a derrota por 2 a 0 para o Internacional na noite desta quinta-feira, no Beira-Rio, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante também falou sobre seu gol anulado após checagem no VAR. A arbitragem marcou toque no braço na dividida com o goleiro Marcelo Lomba.

“Foi um lance rápido, dominei no peito, se foi mão nem senti. Se o VAR viu que foi mão, não tem nem o que falar. Começamos bem o segundo tempo, mas sofremos o gol logo. Somos um time gigante, não podemos dar essas recaidinhas”, disse Kaio, à TNT.


Internacional 0 x 0 Santos

Data: 13/10/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 25ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público total: 13.572 pessoas
Renda: R$ 522.030,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Cartões amarelos: Victor Cuesta e D’Alessandro (I); Marinho e Uribe (S).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Heitor, Roberto, Victor Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso (Bruno Silva), Edenilson e Patrick (Neilton); Nico López (W. Silva), D’Alessandro e Guilherme Parede.
Técnico: Ricardo Colbachini

SANTOS
Everson; Victor Ferraz (Jean Mota), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres; Diego Pituca, Evandro e Jorge; Marinho (Uribe), Tailson (Alison) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Com três gols anulados, Inter e Santos ficam no zero no Beira-Rio

A rede balançou três vezes na tarde deste domingo, no Beira-Rio, mas em todas as oportunidades o impedimento foi marcado. Desta forma, Internacional e Santos não saíram do 0 a 0, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, e perderam a chance de perseguirem seus objetivos na competição.

O Peixe permanece na terceira colocação, com 48 pontos, atrás do Palmeiras, que venceu o Botafogo na noite de sábado e retomou a segunda posição. Já o Colorado, no primeiro jogo sem Odair Hellmann, é o sexto, com 39 pontos, e pode ser ultrapassado pelo rival Grêmio nesta rodada.

O jogo

O árbitro de vídeo começou trabalhando cedo, aos dois minutos de partida. Eduardo Sasha cruzou para o gol e Tailson completou, mas o atacante de 20 anos estava levemente adiantado e o impedimento foi marcado corretamente, apenas com o VAR confirmando a marcação. Passado o susto inicial, o Colorado conseguiu colocar a bola no chão, criando oportunidades com Guilherme Parede e Nico, mas sem perigo para o gol de Everson.

Mesmo com as investidas dos donos da casa, o Peixe mantinha-se melhor. Aos 16 minutos, Tailson apareceu novamente pela esquerda, finalizou e Lomba se esticou para realizar a defesa. No rebote, Marinho mandou para fora. O Inter respondeu à altura com lance pela direita com Nico Lopez, que driblou Luan Peres e passou para Heitor, que chutou à direita do gol.

Já partindo para o fim, o Santos teve as melhores oportunidades, primeiro com Jorge e depois com Sasha, mas o Colorado pressionou buscando o gol ainda no primeiro tempo, sem ser efetivo.

Repetindo o enredo da etapa inicial, o placar foi aberto aos três minutos, mas dessa vez pelo outro lado, quando Patrick chutou para o gol de Everson, que falhou e deixou a bola entrar. No entanto, o impedimento no início da jogada foi marcado e, portanto, tento anulado. Aos oito, chegou a resposta do Santos em bola levantada de falta por Tailson para Lucas Veríssimo, que cabeceou para fora.

Em jogo movimentado, Guilherme Parede recebeu lançamento longo de Edenílson e deu bonito toque na saída de Everson, para abrir o marcador no Beira-Rio, mas novamente foi marcado impedimento. Do lado de fora do gramado, os dois técnicos levaram amarelo por desentendimento quando o relógio marcava 13 minutos. Aos 25, Everson fez bela defesa em chute de fora da área de Cuesta.

Partindo para o fim do duelo, o Colorado seguiu pressionando. Nico López chegou, assim como Parede e Neílton, que chutou colocado e viu a bola ir para fora. Mesmo com as investidas, o placar permaneceu inalterado em 0 a 0.

Bastidores – Santos TV:

Após empate, Sampaoli admite dificuldade em alcançar o Flamengo

Com o empate neste domingo contra o Internacional, o Santos está agora a dez pontos do líder Flamengo no Campeonato Brasileiro. Para o técnico Jorge Sampaoli, a partida foi equilibrada, com uma equipe “vencendo” cada tempo, e só resta ir buscando o resultado para chegar o mais longe possível na tabela da competição.

“Nós sabíamos que essa partida seria muito difícil aqui, Inter não perdeu ainda neste campo. Fizemos um primeiro tempo em que fomos superiores. No segundo tempo perdemos um pouco o jogo e o Inter aproveitou, a partida ficou mais equilibrada”, iniciou em entrevista coletiva após a partida.

“A diferença que tem (com o Flamengo) é mais a ver com o rendimento de uma equipe que ganha todas as rodadas. Nos custa seguir esse ritmo. Temos que estabelecer um vínculo com o jogo, não estamos mirando ninguém, só queremos chegar o mais alto possível na tabela“, completou.

Sem reclamar da arbitragem, que anulou um gol do Peixe logo nos primeiros minutos de duelo, Sampaoli ainda falou sobre a sequência da temporada, enalteceu o aproveitamento do Rubro-Negro e disse que, em novembro, a equipe saberá exatamente pelo que estará brigando.

“Essa partida era muito difícil. Vencemos Vasco, Palmeiras, empatamos aqui, agora temos Ceará, Corinthians e Atlético-MG. Toda partida tem um sacrifício, todos estão preparados para competir. O Flamengo está tendo um rendimento superlativo, eles se preparam para este tipo de coisa também. Vamos ver pelo que brigar em novembro. Tivemos um período ruim, vimos abrirem vantagem. Agora estamos tentando retomar pouco a pouco e seguir buscando”, finalizou.

Zagueiro do Santos reconhece queda de ritmo no empate contra o Inter

O Santos não conseguiu impor um bom ritmo no segundo tempo contra o Internacional, neste domingo, quando a partida acabou empatada por 0 a 0, no Beira-Rio. Apesar disso, o zagueiro Gustavo Henrique avaliou positivamente o ponto conquistado fora de casa, visto que o Colorado ainda não perdeu em seus domínios neste Campeonato Brasileiro.

“Aqui é sempre difícil jogar. Tivemos um primeiro tempo muito intenso, como de costume, independente de ser fora de casa, a gente tenta fazer o nosso jogo, se vai dar certo ou não, às vezes é do jogo. Segundo tempo eles cresceram, pela força que eles têm aqui”, analisou o jogador na saída de campo ao canal Premiere.

Ele ainda admitiu que o time não conseguiu manter o ritmo imposto na primeira etapa, quando Tailson foi um dos destaques, mas acabou substituído no segundo tempo por Alison.

“É valorizar esse ponto aqui, eles nunca perderam em casa, e continuar pontuando para buscar as primeiras colocações. Independente do adversário, independente da atuação, o Santos sempre vai jogar para frente, sempre tentar ganhar os jogos, infelizmente a gente caiu um pouco no segundo tempo. Acredito que a gente poderia ter feito um gol no primeiro tempo, fomos superior ao Inter, mas temos que valorizar esse um ponto”, finalizou.

Com o resultado, o Peixe caiu para a terceira colocação do Brasileiro, visto que o Palmeiras venceu o Botafogo e retomou a segunda posição, no último sábado. Agora, a equipe volta suas atenções para o duelo contra o Ceará, na próxima quinta-feira, na Vila Belmiro, às 19h15 (de Brasília). Para o confronto, Sampaoli não poderá contar com Marinho e Uribe, que levaram o terceiro amarelo neste domingo e cumprirão suspensão.

Santos tem retornos, mas volta a sofrer com suspensões diante do Ceará

O Santos não pôde contar com uma série de nomes por conta de suspensão e convocações na Data Fifa no empate diante do Internacional neste domingo, no Beira-Rio. Apesar disso, o técnico Jorge Sampaoli procurou relativizar as ausências e comemorou o ponto fora de casa na disputa do Campeonato Brasileiro.

“A gente veio decidido a ganhar o jogo. Eles são jogadores que não contamos por causa da data Fifa. Inter também estava desfalcado. A gente veio jogar com o que tinha, contra uma grande equipe. Fomos melhores no primeiro tempo e o rival nos superou no segundo. Conseguimos um empate que mais para frente vamos dar muito valor”, disse o argentino em entrevista coletiva após o duelo.

Para esse jogo, Sampaoli não teve Carlos Sánchez, cumprindo suspensão, e sete ausentes por convocação, independentemente se são usados pelo técnico ou não. Foram eles: Cueva (Peru), Derlis (Paraguai), Felipe Jonatan (seleção olímpica), Jackson Porozo (Equador), Kaio Jorge e Sandry (seleção sub-17) e Soteldo (Venezuela).

Com o fim do período de amistosos, os jogadores retornam, mas o Santos terá duas baixas confirmadas para o duelo contra o Ceará, na próxima quinta-feira: Marinho e Uribe, que entrou no lugar do atacante no segundo tempo, levaram o terceiro amarelo e precisarão cumprir suspensão.


Santos 0 x 0 Internacional

Data: 26/05/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.756 pagantes
Renda: R$ 479.440,00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR).
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR).
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ).
Cartões amarelos: Diego Pituca, Jean Lucas, Soteldo, Lucas Veríssimo e Gustavo Henrique (S); Bruno, Emerson Santos, Nico Lopez, Iago e Rafael Sobis (I).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Sánchez (Eduardo Sasha), Jean Lucas (Kaio Jorge) e Jean Mota; Rodrygo, Soteldo (Cueva).
Técnico: Jorge Sampaoli

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Bruno, Emerson Santos, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Lindoso, Edenílson (Rithely) e Nonato; Guilherme Parede, Nico Lopez (William Pottker) e Paolo Guerrero (Rafael Sobis).
Técnico: Odair Hellmann



Santos empata com Inter em jogo com penal e gol anulados por VAR

O confronto entre Santos e Internacional, disputado na tarde deste domingo, terminou com empate por 0 a 0. Com ajuda do VAR, a equipe de arbitragem liderada por Rodolpho Toski Marques anulou um gol do time gaúcho e um pênalti para a equipe alvinegra.

Com 11 pontos ganhos, o Santos figura na quinta colocação do Campeonato Brasileiro. Já o Internacional contabiliza um ponto a menos e detém o sexto lugar da tabela. O Palmeiras, com 16 pontos, está no primeiro posto do torneio nacional após as seis rodadas iniciais.

Pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos volta a campo para enfrentar o Ceará às 16 horas (de Brasília) do próximo domingo, no Estádio do Castelão. O Internacional, por sua vez, duela com o Avaí às 19 horas do mesmo dia, no Beira-Rio.

O jogo

O Internacional criou as melhores oportunidades no primeiro tempo, mas o Santos assustou antes. Em jogada pelo lado direito, Sanchez recebeu de Victor Ferraz e tocou para Rodrygo cruzar. O goleiro Marcelo Lomba desviou e Bruno tocou para escanteio.

Aos 30 minutos, Guerrero saiu na cara de Vanderlei e escorou para Guilherme Parede completar com o gol vazio. No entanto, o árbitro Rodolpho Toski Marques ouviu instruções do VAR e anulou a jogada, gerando intensa reclamação dos jogadores do Internacional.

Pouco depois, Nico Lopez tomou a bola de Jorge e tocou para Guerrero, que passou por Lucas Veríssimo e chutou para grande defesa de Vanderlei. Após a cobrança do escanteio, em cruzamento vindo da esquerda, Emerson Santos ajeitou para chute perigoso de Guilherme Parede.

O Internacional voltou a chegar ao ataque de forma consistente no começo do segundo tempo. Gustavo Henrique cortou cruzamento de cabeça e Vanderlei saiu para afastar de soco. Na sobra, Nonato quase colocou o time de Porto Alegre em vantagem no marcador.

Pouco depois, Sasha recebeu de Victor Ferraz pela direita e cruzou em busca de Rodrygo, mas Jean Mota dominou antes e bateu em cima da marcação. O goleiro Marcelo Lomba voltou a trabalhar para espalmar chute de fora da área disparado por Diego Pituca.

Aos 38 minutos, o árbitro Rodolpho Toski Marques chegou a marcar pênalti de Victor Cuesta sobre Rodrygo, mas, após assistir o lance no monitor do VAR, voltou atrás. Na última chance do jogo, após cruzamento vindo da esquerda, William Pottker dominou dentro da área e bateu para fora.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli analisa partida do Santos e esclarece rusga com rival

Em um dia de pouca inspiração, o Santos ficou no empate sem gols contra o Internacional na tarde deste domingo, na Vila Belmiro. Ao analisar a partida, o técnico Jorge Sampaoli citou o empenho de seus atletas e esclareceu a rusga com Odair Hellmann.

“Nos primeiros 30 minutos, estávamos dominando bastante, mas sem gerar boas chances. Um rival muito duro, um dos principais da Copa Libertadores. Então, foi difícil entrar. Depois, fizemos variações no segundo tempo. Lamentavelmente, buscamos e não conseguimos. Mas valorizo sempre a busca do grupo”, disse Sampaoli.

No primeiro tempo, o Internacional chegou a marcar com Guilherme Parede, mas o árbitro Rodolpho Toski Marques anulou por impedimento. Na etapa complementar, ele marcou pênalti de Cuesta sobre Rodrygo e voltou atrás. Nos dois casos, contou com ajuda do VAR.

“Jogamos contra um rival que faz muito bem a transição. Então, muitas vezes, estávamos expostos. Como não tivemos muita eficácia na área adversária, convivemos com contra-ataques de uma equipe muito preparada para isso. O time teve as mesmas intenções, mas não a mesma precisão que em outros dias”, disse Sampaoli.

No primeiro tempo da partida disputada na Vila Belmiro, o treinador argentino se desentendeu com Odair Hellmann na beira do gramado e ambos receberam cartão amarelo. Ao falar sobre o tema, Sampaoli assegurou a rusga com o adversário foi rapidamente solucionada.

“Ele pensou que eu estava reclamando dele. Depois, expliquei que estava reclamando do quarto árbitro. Ficou tudo esclarecido. Vivemos o jogo com a intensidade que se jogou. Ele interpretou que eu tinha dito algo dele e eu esclareci”, afirmou o comandante santista.

Santos perde três atletas por suspensão para jogo contra o Ceará

O técnico Jorge Sampaoli já tem, pelo menos, três desfalques para o próximo compromisso do Santos no Campeonato Brasileiro. Suspensos, o zagueiro Gustavo Henrique, o meio-campista Diego Pituca e o atacante Soteldo não poderão enfrentar o Ceará.

Os três atletas eram os únicos pendurados do Santos antes do confronto com o Internacional, disputado neste domingo. Coincidentemente, todos foram advertidos com o cartão amarelo pelo árbitro Rodolpho Toski Marques na Vila Belmiro e precisarão respeitar a suspensão automática.

Por outro lado, o volante Alison, que cumpriu gancho contra o Inter, poderá ser utilizado normalmente. Na vaga de Gustavo Henrique, Sampaoli tem a alternativa de usar Felipe Aguilar, preservado neste domingo. Para o ataque, Rodrygo, liberado pela CBF, segue no Santos e Marinho pode fazer sua estreia.

O confronto entre Santos e Ceará, válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, está marcado para as 16 horas (de Brasília) do próximo domingo, no Estádio Castelão. Com 11 pontos ganhos, o time treinado por Jorge Sampaoli ocupa o quinto lugar do torneio.

Na tarde deste domingo, o Santos ficou no empate sem gols contra o Internacional, na Vila Belmiro. Com ajuda do VAR, o árbitro Rodolpho Toski Marques anulou um gol do time gaúcho no primeiro tempo e um pênalti a favor da equipe alvinegra na etapa complementar.

Liberado pela CBF, Rodrygo fica no Santos até clássico com Corinthians

O jogo contra o Internacional, disputado na tarde deste domingo, não foi o último do atacante Rodrygo com a camisa do Santos. O clube chegou a um acordo com a CBF para manter o jovem atacante, que se despede apenas no clássico contra o Corinthians.

Rodrygo, já negociado com o Real Madrid, foi convocado para defender a Seleção olímpica no Torneio de Toulon e, caso não fosse liberado pela CBF, teria se despedido contra o Inter. Na saída do gramado da Vila Belmiro, ele mesmo informou sobre sua permanência.

“O acordo saiu hoje (domingo) pela manhã. Até passei mal à noite. Estava vomitando, com muita inflamação na garganta. Acho que era a ansiedade para saber se continuaria aqui ou não, mas, graças a Deus, deu tudo certo”, disse Rodrygo em entrevista ao Premiere.


Internacional 2 x 2 Santos

Data: 22/10/2018, segunda-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, RS.
Público: 43.159 pagantes
Renda: R$ 1.082.715,00
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Sidmar dos Santos Meurer (MG).
Cartões amarelos: Nico López (I); Gustavo Henrique e Bruno Henrique (S).
Gols: Leandro Damião (43-1); Gabriel (05-2), Patrick (25-2) e Fabiano (33-2, contra).

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Fabiano (Jonatan Álvez), Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Iago (Wellington Silva); Rodrigo Dourado, Nico López, Edenílson, D’Alessandro e Patrick; Leandro Damião (Rossi).
Técnico: Odair Hellmann

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Bryan Ruiz), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Rodrygo (Derlis González), Bruno Henrique (Renato) e Gabriel.
Técnico: Cuca



Damião e Gabigol marcam, e Internacional empata com o Santos

Internacional e Santos empataram em 2 a 2 na noite desta segunda-feira, no Beira-Rio, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Colorado foram de Leandro Damião e Patrick. O Peixe marcou com Gabigol e Fabiano (contra).

A partida foi movimentada e teve o Alvinegro buscando o empate duas vezes. Leandro Damião, ex-santista, e Gabriel Barbosa, artilheiro do Campeonato Brasileiro, foram destaques e participaram das principais oportunidades do duelo.

Com o empate, o Internacional cai para a terceira colocação, com 57 pontos, cinco a menos que o líder Palmeiras. O Santos segue na sétima posição, agora três atrás do Atlético-MG, o primeiro na zona de classificação para a Libertadores da América.

O jogo

O Santos não se intimidou com o Beira-Rio lotado e começou melhor o jogo contra o Internacional. Com marcação adiantada, o Peixe freou a pressão dos donos da casa nos primeiros minutos e se armaram à procura do contra-ataque.

A primeira chance – e a melhor dos primeiros 45 minutos -, foi aos 24, quando Carlos Sánchez armou o contra-ataque e inverteu para Gabigol. O artilheiro do Campeonato Brasileiro bateu de fora da área, com categoria, e o goleiro Marcelo Lomba tocou com a ponta do dedo antes da bola parar no travessão.

Depois da pressão santista, o Inter equilibrou a partida e começou a criar chances. A primeira veio com Edenilson, após cruzamento de Cuesta aos 40 minutos. O goleiro Vanderlei salvou. E três minutos depois, saiu o gol. Edenilson, destaque do Colorado, tabelou com Patrick e encobriu o camisa 1. Luiz Felipe salvou e no rebote Leandro Damião, de cabeça, fez valer a Lei do Ex.

E ainda deu tempo para Rodrigo Moledo, na pequena área, furar a tentativa de letra, sem goleiro. O Santos começou bem, mas pôde comemorar a desvantagem de apenas um gol para o intervalo.

O Santos retomou as rédeas da partida para a etapa final e logo conseguiu o empate, em golaço de Gabigol. O camisa 10 acertou um chute improvável, colocado, do bico da área e marcou pela 15ª vez no Campeonato Brasileiro. É o artilheiro.

O Internacional reagiu rápido ao empate sofrido e quase empatou aos 8 minutos, novamente com Leandro Damião. O cabeceio parou em nova boa defesa de Vanderlei. Segundos depois, se iniciou uma polêmica com a arbitragem.

Com cinco minutos de paralisação e resenha com auxiliares, o árbitro assinalou impedimento de Leandro Damião. O centroavante teria feito um lindo gol por cobertura. O juiz entendeu que o toque veio de Cuesta e não de Sánchez em dividida.

O lance polêmico não esfriou o Inter e o gol não demorou a vir. Aos 25 minutos, Carlos Sánchez cobrou escanteio baixo e originou um contra-ataque mortal. De Edenilson, para Nico López e a assistência para o gol de Patrick.

E quando o jogo caminhava para vitória do Internacional, o Santos voltou a reagir. Aos 33 minutos, Bruno Henrique rolou para Gabigol chutar bem com a perna direita. O goleiro Lomba espalmou, Fabiano foi traído pelo efeito no rebote e o camisa 10 aproveitou o bate-rebate. Ele saiu comemorando, mas o gol foi marcado contra do lateral colorado.

Os minutos finais foram de muita movimentação e chance para os dois lados. Na melhor delas, o zagueiro Rodrigo Moledo cabeceou para outra grande defesa de Vanderlei, aos 44 minutos. No fim das contas, empate de bom futebol em Porto Alegre.

Bastidores – Santos TV:

Gabigol valoriza ponto do Santos contra o Inter: “De bom tamanho”

Gabigol valorizou o empate em 2 a 2 do Santos com o Internacional na noite desta segunda-feira, pelo Beira Rio, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O artilheiro do Campeonato Brasileiro destacou a aproximação ao Atlético-MG, sexto e primeiro na zona de classificação para a Libertadores da América em 2019. A diferença agora é de três pontos.

“Ficamos mais perto do Atlético-MG, temos confronto direto ainda. Jogo complicado, empate de bom tamanho, mas poderíamos ter vencido. Foi um grande espetáculo, um grande jogo”, disse Gabriel, ao Premiere.

Cuca cria alternativas no Santos para tentar “desarrumar” adversários

O técnico Cuca tem tentado criar alternativas no Santos para “desarrumar” os adversários. No empate em 2 a 2 com o Internacional nesta segunda-feira, vários jogadores não tiveram posição fixa.

Do meio para frente, Sánchez, Rodrygo, Bruno Henrique e Gabigol se alternaram entre o centro e as pontas. O gol do camisa 10, por exemplo, sai de uma jogada pela direita após roubada de Carlos Sánchez pelo meio.

No segundo tempo, Cuca colocou Bryan Ruiz na vaga de Alison e Derlis González no lugar de Rodrygo. As substituições deram certo e o empate foi alcançado. Por fim, Renato substituiu Bruno Henrique para fechar o meio-campo.

“É legal o trabalho dos treinadores, gosto muito da parte tática, fizemos diversas mudanças, inverti Rodrygo, Bruno Henrique e Sánchez da direita para a meia. Gabigol também. Inter soube nos marcar e aí ganhamos cinco minutos de um pouco de desarrumação do adversário. E aí neutralizam de volta. Colocamos Bryan como armador, velocidade do Derlis e ela apareceu diversas vezes, mas escolhemos jogada errada, poderíamos ter feito o terceiro. Depois fechamos com o Renato. Foi jogo bem trabalhado, bem jogado, gostoso”, disse Cuca, em entrevista coletiva.

O Santos agora tem nova semana livre para treinamentos – e variações táticas -, antes de enfrentar o Fluminense, sábado, na Vila Belmiro, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Luiz Felipe e Gustavo Henrique, suspensos, devem ser substituídos por Lucas Veríssimo e Robson Bambu.

Santos 1 x 2 Internacional

Data, 10/06/2018, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 11ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.124 pessoas
Renda: R$ 179.645,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ).
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Jean Mota e Diego Pituca (S); Edenílson, Rossi e Rodrigo Dourado (I).
Cartão vermelho: Lucas Veríssimo (S).
Gols: Leandro Damião (33-1, de pênalti); Gabriel (06-2, de pênalti) e Victor Cuesta (08-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Diego Pituca, Renato e Jean Mota (Bruno Henrique); Gabriel (Gustavo Henrique), Rodrygo e Eduardo Sasha (Léo Cittadini).
Técnico: Jair Ventura

INTERNACIONAL
Danilo Fernandes (Daniel); Fabiano, Rodrigo Moledo, Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson e Patrick; Lucca (Nico López), William Pottker e Leandro Damião (Rossi).
Técnico: Odair Hellmann



Santos vacila, perde para o Inter na Vila e segue próximo do Z4

Em jogo bem disputado, apesar da arbitragem ruim de Wagner do Nascimento Magalhães, o Internacional conseguiu uma grande vitória sobre o Santos na noite deste domingo, em plena Vila Belmiro. Leandro Damião, em pênalti mal marcado pelo juiz, e Victor Cuesta fizeram os gols colorados. Gabigol, em outro pênalti inexistente, balançou a única rede dos santistas.

Com uma reação atrapalhada pelo zagueiro Lucas Veríssimo, expulso de campo logo após o segundo gol dos gaúchos, o Peixe estaciona nos dez pontos conquistados, apenas um acima da zona de rebaixamento à Série B, mas com um jogo a menos do que os seus adversários. Já o Inter, com 19, é o quinto colocado da competição.

O jogo

O duelo entre Santos e Internacional foi bastante movimentado desde os primeiros minutos, com o time gaúcho apostando nos contra-ataques e o Peixe tentando rodar a bola na frente da área adversária para aproveitar o trio Rodrygo-Gabigol-Sasha. Nessa proposta, porém, destacou-se um erro do juiz Wagner do Nascimento Magalhães.

Aos 30 minutos, quando ambos os times haviam ameaçado apenas em chutes de fora da área, ele viu um contato faltoso de Renato quando o volante se enroscou com Iago, dentro da área. Pênalti marcado e muito reclamado pelos santistas, que não aceitaram as justificativas do árbitro. Sem problemas com isso, Leandro Damião deslocou Vanderlei e abriu o placar.

O gol pareceu desconcertar um pouco a equipe do Peixe, que fazia partida tranquila até aquele momento. Jean Mota e Diego Pituca levaram cartões amarelos por entradas com força desmedida. Passaram-se quase dez minutos até que a bola voltasse a ser trabalhada com calma pelos donos da casa.

Quando isso aconteceu, Gabriel caiu pelo lado direito e achou lindo passe entre as pernas de Iago para Sasha. O atacante santista invadiu a pequena área pela direita e chutou forte, cruzado, mas carimbou o pé da trave de Danilo Fernandes.

O Santos voltou para o segundo tempo com Bruno Henrique na vaga de Jean Mota e não demorou a ganhar um presente do juiz como compensação pelo pênalti. Após lançamento de Diego Pituca, Gabigol simplesmente caiu ao passar ao lado de Rodrigo Moledo e o juiz não titubeou para marcar o pênalti. Na cobrança, o camisa mostrou qualidade e só deslocou Daniel, que substituíra o machucado Danilo Fernandes no intervalo.

O que parecia ser a senha para o Peixe se reerguer, no entanto, acabou pouco depois. Após dois minutos, em falta cobrada na área santista, Victor Cuesta subiu mais alto que Veríssimo e testou para o gol, sem chances para Vanderlei. Além de perder a disputa, porém, o defensor, que foi observado por um olheiro do Lyon na Vila, perdeu também a cabeça, xingou o auxiliar Luiz Claudio Regazone e acabou expulso de campo.

O buraco na defesa fez com que Jair tirasse de campo Gabriel que fazia boa apresentação, e promovesse a entrada de Gustavo Henrique. Apesar de recomposto no setor defensivo, o Peixe perdeu poder de criação e só voltou a criar perigo quando Léo Cittadini substituiu o lesionado Eduardo Sasha.

Mais consistente na armação, o time da casa conseguiu pressionar nos 20 minutos finais, chegando bem em chute de fora da área de Bruno Henrique, que passou rente à trave de Daniel.

Jair lamenta nova derrota e distanciamento da torcida

O técnico Jair Ventura não conseguiu esconder sua decepção com a derrota do Santos por 2 a 1 para o Internacional, na noite deste domingo, na Vila Belmiro, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de golear o Vitória e jogar bem no empate contra o Corinthians, em Itaquera, o Peixe não conseguiu fechar a série dentro dos seus domínios.

“Do jeito que estávamos jogando, propondo o jogo e sofrendo só com transição, poderíamos ter saído com outro resultado. Uma situação que a gente fica chateado em dobro, torcida estava chateada, história do jogo acabou sendo ruim. Eles vão ficando distantes. Quando vencemos, eles nos aproximam. Com mais vitórias do que derrotas, conseguimos trazer a torcida para gente”, avaliou Jair.

De acordo com o comandante, a expulsão de Lucas Veríssimo, ainda no começo do segundo tempo, “foi determinante” para o triunfo dos colorados. Com apenas dez pontos conquistados, o Alvinegro pode ir para a parada da Copa do Mundo na zona de rebaixamento caso não vença o Fluminense na quarta-feira, no Maracanã.

“Queria os 16 pontos, mas trabalho jogo a jogo. Não faço metas a longo prazo. Não temos o direito de nos abalar. Foi um jogo atípico pela situação de ter um a menos. Jogamos muito bem contra o Corinthians, último jogo fora, tivemos posse e chances claras. Agora, vamos buscar ter outra grande performance e aliar isso com o resultado positivo”, avaliou.

Jair ainda mostrou bastante confiança em seu trabalho ao dizer que não conseguia se lembrar de jogos em que o Peixe tenha feito apresentações ruins recentemente. Para ele, o Peixe conseguiria o triunfo se não tivesse Veríssimo expulso.

“Difícil lembrar todos os jogos. Não consigo buscar outras derrotas. Faltou hoje ter ficado com os 11 jogadores. Fizemos grande jogos contra Vitória e Corinthians. Hoje ficar com um a menos nos prejudicou”, concluiu.

Braz lamenta expulsão, mas avisa: “Temos que assumir nossos erros”

O zagueiro David Braz deixou o campo da Vila Belmiro incomodado com os erros do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães, mas não quis encobrir a atuação inconstante do Santos na derrota por 2 a 1 para o Internacional, na noite deste domingo, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“Não culpo totalmente a arbitragem, temos que assumir os nossos erros, mas se não tivesse o pênalti o jogo seria mais equilibrado”, comentou o defensor, lembrando do lance em que o juiz anotou penalidade de Renato sobre Iago, ainda no primeiro tempo. Na ocasião, os dois se chocaram claramente sem contato faltoso do santista.

“Ele também acabou expulsando o Lucas Veríssimo e facilitou para o Inter. Já estava difícil com 11 contra 11. A gente lutou, espero que o torcedor entenda isso”, relembrou Braz, que viu o companheiro ser expulso após o 2 a 1 do Inter, depois de muita reclamação com o auxiliar.

“Teve um pênalti duvidoso para o Internacional no primeiro tempo, o árbitro mesmo falou que estava em dúvida e decidiu marcar porque teve o choque. Depois acho que ele acabou compensando no lance do Gabriel, não achei que houve falta ali”, reconheceu o jogador, citando a queda de Gabigol no começo do segundo tempo, prontamente recompensada pelo juiz com a penalidade do empate alvinegro.

“Ali na bola parada o Cuesta estava na frente. Enfim… ficamos com um a menos, corremos atrás e criamos oportunidades, infelizmente não conseguimos concluir. Tem que levantar a cabeça, tem muita coisa pela frente, o resultado não foi bom, mas temos que reagir”, concluiu.

Sasha sofre lesão no tornozelo e pode ceder vaga a Bruno Henrique

O atacante Eduardo Sasha sofreu uma lesão no tornozelo direito durante a derrota por 2 a 1 do Santos para o Internacional, na noite do último domingo, na Vila Belmiro. O atleta será reavaliado nesta segunda e, a princípio, pode até dar lugar a Bruno Henrique na partida contra o Fluminense, nesta quarta, no Maracanã.

O problema com avante se deu já na metade final do segundo tempo, quando ele acabou pisando em falso no pé do lateral esquerdo Iago, em lance na ponta direita. O jogador caiu no chão e reclamou de muitas dores, forçando o técnico Jair Ventura a utilizar a sua última substituição disponível.

“Se eu soubesse que o Sasha estava machucado, teria tirado ele antes. Escolhi um dos atacantes. Tive que fazer a última por conta de lesão. Pela lesão do Sasha, não pude fazer nada diferente”, comentou o treinador, que optou por Léo Cittadini no embate com os gaúchos, mas tinha um jogador a menos e precisava equilibrar seu meio-campo.

“O Inter sofre poucos gols, se defendem bem. Tivemos que envolver eles, criar oportunidades. Não conseguimos criar chances com um jogador a menos. Uma pena”, continuou o comandante, que reluta em confirmar a utilização de Bruno no Maracanã por uma questão física.

Depois de sofrer uma lesão no olho logo no primeiro jogo da temporada, o atleta voltou há dois meses e sofreu uma lesão muscular. De volta aos poucos, ele teve sua maior minutagem em campo justamente no final de semana, quando atuou por 45 minutos. Além dele, Jair tem algumas outras opções para substituir Sasha: Copete e Arthur Gomes.

Santos aceita proposta do Lyon e aguarda por divisão dos direitos de Veríssimo

A divisão de 20% dos direitos econômicos de Lucas Veríssimo é o que separa a venda do Santos ao Lyon-FRA. O zagueiro precisa costurar um acerto com dois de seus empresários, Marcos Ribeiro e Aparecido Inácio, o Cidão.

O Lyon oferece 9 milhões de euros (R$ 39 milhões) limpos ao Peixe por 80% dos direitos e 1 milhão de euros (R$ 4,3 milhões) pelo restante. O jogador tem 10 e os outros 10 estão divididos entre as empresas MGS Sports e AIRC Sports.

Todas as partes veem o negócio encaminhado. O alvinegro já aceitou o valor e aguarda pela composição. Para satisfazer os agentes, Veríssimo não descarta abrir mão de sua parte. Ele vê com bons olhos a ida ao futebol europeu neste momento. Há uma reunião marcada para a próxima quinta-feira.

O Lyon enviou Florian Maurice, chefe de recrutamento de atletas do clube, para a Vila Belmiro neste domingo, na derrota por 2 a 1 para o Internacional. O olheiro oficial viu o defensor ser expulso no segundo tempo após reclamar acintosamente com um dos auxiliares. O fato não muda o desejo do clube francês.

O Lyon teve a concorrência do também francês Olympique de Marselha. O rival ofereceu 8 milhões de euros (R$ 35 milhões) e, como não se classificou para a Liga dos Campeões, está atrás na disputa. Os marselheses vão para a Liga Europa.

O Torino-ITA ofereceu 7,5 milhões de euros e também ficou para trás no páreo. Em fevereiro, o Peixe quase vendeu Lucas Veríssimo para o Spartak Moscou-RUS. A oferta foi dos mesmos 7,5 milhões de euros (R$ 32 milhões, à época), mas um desacerto entre os empresários inviabilizou o acordo e o zagueiro permaneceu.

Veríssimo tem contrato até 30 de junho de 2022 e vê a transferência para a Europa com bons olhos. Em 2017, o zagueiro esteve na mira do Stuttgart-ALE, Saint-Éttiene-FRA e ainda foi observado in loco por funcionários da Juventus-ITA. Sua saída é vista como uma das soluções para aliviar as contas e não prejudicar tanto a equipe titular do Santos, já que há David Braz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Robson Bambu à disposição.

Com entorse no tornozelo, Sasha só volta ao Santos depois da Copa

Com uma entorse de grau 1 no tornozelo direito, Eduardo Sasha vai desfalcar o Santos contra o Fluminense nesta quarta-feira, no Maracanã, e só voltará a jogar depois da Copa do Mundo na Rússia. O elenco terá 10 dias de recesso depois da partida no Rio de Janeiro. Bruno Henrique, ainda sem plenas condições de jogo, é a provável opção do técnico Jair Ventura.

O atacante torceu o tornozelo no segundo tempo da derrota por 2 a 1 para o Internacional, neste domingo, na Vila Belmiro. O jogador sentiu muitas dores e foi substituído por Léo Cittadini.

Sasha operou o tornozelo direito em quatro oportunidades, mas não haverá necessidade de nova intervenção dessa vez. A previsão é que ele volte a treinar com bola em até duas semanas.

Contratado nesta temporada, o atacante caiu de rendimento e não marca um gol há quase três meses, desde o dia 15 de março. No total, são seis em 30 partidas. Depois de empréstimo, o Santos comprou Sasha junto ao Internacional em troca por Zeca. O contrato vai até 2022.

Após três jogos, Santos volta a ter lucro na Vila Belmiro

O Santos voltou a lucrar com a bilheteria em uma partida na Vila Belmiro neste domingo, em duelo contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro. O Peixe arrecadou R$ 44.248,09 com os 8.124 presentes e a renda total de R$ 179.645,00.

O Peixe vinha de três prejuízos consecutivos – R$ 40 mil diante do Vitória, R$ 28 mil contra o Luverdense e mais R$ 384 ante o Paraná.

Presidente do Santos não garante Jair em caso de derrota para o Fluminense

Pela primeira vez, o presidente do Santos, José Carlos Peres, não garantiu a permanência do técnico Jair Ventura. A explicação foi dada após a reunião do Comitê de Gestão na noite desta segunda-feira, na Vila Belmiro.

Peres falou em um balanço geral depois da partida contra o Fluminense, quarta-feira, no Maracaná, a última antes do recesso para a Copa do Mundo na Rússia. Em caso de nova derrota, Jair pode ser demitido.

“Temos um jogo contra o Fluminense, não vamos esquecer da classificação na Libertadores e Copa do Brasil, mas não está bem no Brasileiro. Depois desse jogo, vamos nos reunir e fazer um balanço, uma conversa franca para entender. Estar a um ponto da zona de rebaixamento não é confortável. Eu também não estou garantido, temos que ver o que ele precisa. O conjunto que vai decidir o que vai acontecer daqui para frente”.

O Santos ocupa a 16ª colocação no Campeonato Brasileiro, com 10 pontos. No total, Jair Ventura tem 13 vitórias, sete empates e 14 derrotas na temporada. O contrato do treinador vai até o fim do ano.