Navegando Posts marcados como Jean Mota

Santos 3 x 1 Atlético-MG

Data: 09/06/2019, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.794 pagantes
Renda: R$ 199.730,00
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA).
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e (PA).
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Jorge Sampaoli e Lucas Veríssimo (S); Fábio Santos e José Welison (A).
Gols: Eduardo Sasha (38-1), Jean Mota (49-1, de pênalti); Alerrandro (25-2) e Carlos Sánchez (36-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Aguilar, Lucas Veríssimo e Jorge; Diego Pituca, Jean Lucas e Jean Mota (Felipe Jonatan); Marinho (Carlos Sánchez), Soteldo e Eduardo Sasha (Uribe).
Técnico: Jorge Sampaoli

ATLÉTICO-MG
Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; José Welison (Nathan), Elias, Cazares e Luan; Chará (Geuvânio) e Ricardo Oliveira (Alerrandro).
Técnico: Rodrigo Santana



Após protesto, Santos bate Atlético e assume vice-liderança do Brasileiro

A torcida cobrou, e o time atendeu. Após protesto na Vila Belmiro e a exigência pelo título do Campeonato Brasileiro, o Santos tratou de dominar e vencer o Atlético-MG por 3 a 1, na noite deste domingo, em duelo válido pela oitava rodada da competição nacional. Eduardo Sasha, Jean Mota e Carlos Sánchez marcaram para o Peixe, enquanto Alerrandro descontou para o Galo.

Com a vitória, além de dar o troco ao Atlético pela eliminação na Copa do Brasil, o Santos assume a vice-liderança do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem o triunfo sobre o Botafogo em julgamento. O clube mineiro, por sua vez, cai para o terceiro lugar, com 15 pontos.

O jogo

O primeiro tempo foi de um time só. Empurrado e cobrado por sua torcida, o Santos começou ligado desde o primeiro minuto, quando Jorge cruzou na área para Jean Lucas bater forte e exigir boa defesa de Victor. No rebote, Soteldo mandou para fora.

O time de Sampaoli não deixava o rival jogar. Após boa triangulação entre Marinho, Sasha e Victor Ferraz, o mais novo reforço soltou a bomba de longe e acertou o poste de Victor. Aos 17, Jean Mota bateu falta e quase encobriu o goleiro atleticano, que se recuperou a tempo de mandar para escanteio.

Justamente quando havia diminuído seu ritmo, o Peixe abriu o placar. Aos 38, Jean Mota cobrou falta na área do Galo, e Sasha, de costas para o gol, desviou de cabeça. A bola foi no canto direito de Victor, que não alcançou. Havia tempo para mais um antes do intervalo. Aos 49, Jean Mota converteu pênalti flagrado pelo VAR, após Fábio Santos tocar a bola com o braço dentro da área.

Após não finalizar nem uma vez sequer no gol de Everson na primeira etapa, o Atlético enfim levou perigo o Peixe. Aos cinco minutos do segundo tempo, Luan avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Patric, que viu Soteldo fazer o corte. O Santos respondeu de imediato: Sasha recebeu do venezuelano e ficou frente a frente com Victor, mas mandou para fora.

Aos 13, Éverton operou um milagre para evitar a lei do ex: após cruzamento da esquerda, Ricardo Oliveira subiu livre na área do Santos e testou firme para ótima defesa do arqueiro. O Santos quase ampliou aos 24 minutos, quando Jean Lucas tocou de cavadinha para Jean Mota invadir a área, tirar de Victor e chutar na trave.

Como quem não faz toma, o Atlético tratou de diminuir o seu prejuízo. No lance seguinte ao gol perdido por Jean Mota, Alerrandro entrou nas costas de Lucas Veríssimo e bateu cruzado, sem chances para Everson. Mas, quando o Galo mais pressionava em busca do empate, Carlos Sánchez marcou um golaço em cobrança de falta frontal, dando números finais à partida e amenizando a bronca da torcida.

Ferraz celebra vitória após eliminação e avisa: “A casa do Santos é a Vila”

O Santos conseguiu uma breve recuperação da eliminação da Copa do Brasil na noite deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro. Diante do mesmo Atlético-MG, que três dias antes ganhara a partida no Pacaembu, o Peixe, do lateral direito Victor Ferraz, conseguiu uma vitória por 3 a 1. O triunfo foi motivo de celebração e exaltação do local do jogo, uma das mudanças com relação ao meio da semana.

“Acho que somos os vice-líderes momentâneos, temos mais uma partida em casa para seguir. Muitas das vezes as coisas que eu falo viram um “mimimi” muito grande. Essa é uma opinião minha. Mas eu adoro jogar na Vila, a casa do Santos é a Vila Belmiro”, comentou o defensor.

O tema rendeu certa polêmica após mais uma eliminação do Peixe jogando na capital paulista, dessa vez no mata-mata nacional. Antes de sucumbir diante do Galo, o Santos já havia sido eliminado pelo River-URU, na primeira fase da Copa Sul-Americana, e pelo rival Corinthians, na semifinal do Campeonato Paulista.

O técnico Jorge Sampaoli foi um defensor de jogar mais em Santos, enquanto o presidente José Carlos Peres defendeu a medida de mais jogos no Pacaembu. “A gente conseguiu recuperar rápido, nós somos profissionais e nós temos que nos acostumar tanto com críticas quanto com elogio. Merecemos as críticas porque fomos eliminados mais uma vez não dentro da nossa casa, mas dentro do nosso domínio”, observou Ferraz, antes de sentenciar.

“Gosto de jogar no Pacaembu, a nossa torcida vai em massa lá. Mas a casa do Santos é a Vila”, concluiu o atleta, um dos grandes líderes do elenco santista.

Com a vitória, além de dar o troco ao Atlético pela eliminação na Copa do Brasil, o Santos assume a vice-liderança do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem o triunfo sobre o Botafogo em julgamento.

“Vai ser difícil de alcançar o Palmeiras”, diz Sampaoli, do Santos

Mesmo com a boa vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o técnico Jorge Sampaoli admitiu que será muito difícil para o Santos alcançar o Palmeiras na liderança do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado da noite deste domingo, conquistado na Vila Belmiro, o Santos assumiu o segundo lugar do Brasileirão, com 17 pontos, dois a menos que o rival alviverde – que ainda tem os três pontos da vitória sobre o Botafogo em julgamento.

“Muito difícil. Não é impossível porque há ainda muito tempo. Cruzeiro e Grêmio não estão em bom momento, mas vão se recuperar. Palmeiras vem em um bom ritmo e vai ser muito difícil de alcançar”, avaliou o argentino, em entrevista coletiva.

“Estamos muito atrás. Lamento dizer que não vejo facilidade. Aguentar um torneio tão longo e exigente tem que ter um plantel convencido da ideia”, concluiu.

Sampaoli critica protesto da torcida do Santos: “Parece injusto”

Apesar da vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o técnico do Santos, Jorge Sampaoli, foi de semblante fechado para a entrevista coletiva após o duelo deste domingo, na Vila Belmiro. O que fez o treinador sair do sério foi comentar os protestos realizados pela torcida do Peixe antes, durante e após o confronto válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

“Eu vim aqui ao futebol brasileiro para tentar mostrar minha forma de jogar. Não se pode jogar com pressão ou trocar a realidade estabelecida. Temos uma equipe extremamente jovem. Se as pessoas não têm paciência, que se termine”, esbravejou o argentino.

Após o apito final, a Torcida Jovem exigiu a vitória no clássico contra o Corinthians: “Se quarta-feira não ganhar, olê olê olá, o pau vai quebrar”. O tom da cobrança não agradou Sampaoli, ciente das críticas que a equipe sofreu após a eliminação para o Galo na Copa do Brasil.

“Não sei como ganhar de qualquer jeito. Só sei ganhar jogando, como foi hoje. No Pacaembu, nós quisemos passar de qualquer jeito. Lamentavelmente a necessidade e a ansiedade atentam contra o jogo. Simples”, disse.

“Se vamos tentar ganhar de qualquer jeito, viremos com revólveres e mataremos os rivais. Santos vai jogar com a mesma dignidade que jogou no Pacaembu, hoje. Tentando jogar com a bola, sem pressão, e com esse caminho vamos. Se a proposta se instala dessa forma (de pressão), não tem sentido eu estar aqui”, acrescentou.

Além de jogar pressão sobre os jogadores, a torcida também fez cobranças à diretoria, especialmente ao presidente José Carlos Peres. Na entrevista, Sampaoli disse não concordar com os protestos, que exigiram a conquista do Brasileirão, e citou a influência política por trás deles.

“O protesto pela falta de empenho dos jogadores me parece injusto. Totalmente. Eles jogam o que podem. O que mais gera entusiasmo nas pessoas é a polêmica. E por esse caminho vamos. Há muita mescla da política no futebol através de grupos políticos dentro de cada clube. Assim fica difícil instalar uma ideia”, lamentou.

Ferraz entende protestos no Santos e aposta em pausa por evolução

Um dos líderes do elenco do Santos, Victor Ferraz disse entender os protestos realizados pela torcida antes, durante e após a vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, no último domingo, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

A torcida, além de criticar a gestão do presidente José Carlos Peres, tratou o título brasileiro como obrigação para o time que foi eliminado das outras competições na temporada – Copa Sul-Americana, Campeonato Paulista e Copa do Brasil.

“Jogamos numa equipe gigante, e quando somos eliminados temos que ser criticados mesmo. Quem não quiser isso, tem que procurar outro clube. Fico muito feliz de jogar com essa camisa, voltar a vencer e ser vice-líder”, afirmou o lateral direito, na saída de campo.

Como disse Ferraz, o Santos assumiu a segunda colocação do Brasileiro após o triunfo sobre o Galo. Agora, o time de Jorge Sampaoli soma 17 pontos, dois a menos que o Palmeiras – que ainda tem a vitória sobre o Botafogo em julgamento.

“Sobre buscar o Palmeiras, temos que fazer nossa parte. Estamos fazendo um grande campeonato. Eles que estão num nível anormal”, explicou o jogador, que vê a pausa para a Copa América como oportunidade de o time se entrosar mais.

“O Santos tem que chegar nas finais de todas as competições, mas temos uma nova filosofia, novos jogadores. No último jogo [derrota para o Atlético na Copa do Brasil], jogamos com Marinho e Uribe, que são caras que mal conheço”, disse.

“Não sei se o Uribe gosta de uma bola em profundidade, se o Marinho bate de perna direita… E jogamos uma decisão dessa forma. Vamos ter a parada da Copa América para conhecer os novos jogadores, para eles conhecerem o estilo do Sampaoli e brigarmos pelo título do Brasileiro”, concluiu.


Santos 2 x 0 Vasco

Data: 17/04/2019, quarta-feira, 19h15.
Competição: Copa do Brasil – 4ª fase – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.659 pagantes
Renda: R$ 388.682,50
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi e Leirson Peng Martins (ambos do RS).
Cartões amarelos: Rodrygo e Gustavo Henrique (S); Willian Maranhão (V).
Gols: Rodrygo (02-2) e Jean Mota (20-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Diego Pituca; Alison, Carlos Sánchez (Eduardo Sasha) e Jean Mota (Jean Lucas); Rodrygo, Soteldo e Derlis González (Jorge).
Técnico: Jorge Sampaoli

VASCO
Gabriel Félix; Raúl Cáceres (Claudio Winck), Werley, Ricardo Graça e Danilo Barcelos; Willian Maranhão (Maxi López), Raul e Lucas Mineiro; Yago Pikachu (Lucas Santos), Yan Sasse e Marrony.
Técnico: Alberto Valentim



Santos vence bem o Vasco na Vila e abre vantagem na Copa do Brasil

O Santos venceu o Vasco por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e abriu boa vantagem na quarta fase da Copa do Brasil.

Os gols foram marcados por Rodrygo e Jean Mota. A partida de volta ocorrerá na próxima quarta, em São Januário. O Peixe pode até perder por um gol de diferença para avançar às oitavas de final.

O Alvinegro da Vila não teve dificuldade para vencer. Mesmo sem atuação brilhante, os donos da casa abriram 2 a 0 e ficaram perto do terceiro no segundo tempo.

O Santos voltará a campo apenas para enfrentar o Vasco, no Rio. O Cruzmaltino enfrentará o Flamengo, domingo, pela final do Campeonato Carioca.

O jogo

O Santos, mais uma vez, se lançou ao ataque desde o minuto inicial. Dessa vez, porém, mostrou menos intensidade e pouco criou no primeiro tempo.

No 2-3-5, como define Jorge Sampaoli, o Peixe não encontrou brechas nas duas linhas de quatro da defesa do Vasco.

A melhor chance veio em jogada individual de Rodrygo, aos 24 minutos. O camisa 11 driblou Danilo Barcelos e chutou cruzado, com perigo. Aos 43, o Vasco quase surpreendeu.

Em escanteio curto, Sasse tocou para Maranhão. Após bate-rebate no cruzamento, a bola sobrou para Ricardo, desengonçado, cabecear por cima do gol de Everson.

O Peixe voltou com ritmo maior e marcou logo aos dois minutos. Soteldo fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Rodrygo se antecipar à defesa e bater forte, cruzado. 1 a 0 para o Santos.

O Alvinegro diminuiu a intensidade, o Vasco passou a ficar com a bola, mas foram os donos da casa quem balançaram as redes.

No minuto 20, Jean Mota recebeu de Rodrygo, driblou Danilo Barcelos e chutou de fora da área, no canto de Gabriel Félix. Um golaço.

Mesmo com 2 a 0 no placar, o Santos não parou de atacar e esteve perto do terceiro até o apito final. Na melhor chance, aos 28, Soteldo puxou contra-ataque, fez fila, deu caneta e tocou para Sánchez. O uruguaio cruzou para Rodrygo, mas o camisa 11 não conseguiu marcar.

Nos minutos finais, o Peixe administrou a vantagem e levará boa vantagem para a decisão no Rio de Janeiro.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli analisa vitória do Santos e diz: “Vamos estabelecer melhorias”

O técnico Jorge Sampaoli gostou da atuação do Santos na vitória por 2 a 0 sobre o Vasco na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, mas quer “estabelecer melhorias” para a volta da quarta fase da Copa do Brasil daqui a uma semana, no Rio de Janeiro.

Sampaoli diz que promoverá mudanças, de peças ou de posicionamento, para não ficar exposto a contra-ataque.

“Foi uma partida um primeiro acelerado no primeiro tempo, com dificuldade no ataque posicional. Necessitávamos um pouco mais de controle. No segundo tempo, fomos muito mais claros nos ataques. Não sofremos no contra-ataque. Resultado poderia ter sido maior para a revanche. Jogo está aberto e teremos que ir muito bem na quarta”, disse Sampaoli.

“Sobre a formação, precisamos analisar. Buscar o controle, com verticalidade de hoje. Gerar ataques que nos permitam criar, sem estar direto para sermos expostos a contra-ataque. Vamos estabelecer melhorias, com troca de nomes ou de posicionamento”, completou.

Santistas destacam vantagem, mas alertam: “Temos que pensar que está 0 a 0”

Os jogadores do Santos destacaram a vantagem obtida após os 2 a 0 sobre o Vasco na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela ida da quarta da fase da Copa do Brasil, mas não se empolgaram.

O Peixe poderá perder por até um gol de diferença na próxima quarta, no Rio de Janeiro, para avançar às oitavas de final da competição nacional.

“Vitória importante, conseguimos boa vantagem. Volta será difícil, precisamos ter muita concentração para classificarmos”, disse Alison.

“Resultado justo, caberia mais ainda. Propomos o jogo desde o começo, levamos vantagem boa e não podemos sentar em cima dele. Temos que pensar que está 0 a 0”, analisou Pituca.

“É uma boa vantagem, não grande. Temos que impor nosso ritmo lá de novo, jogando para frente, atacando e se for possível aumentar a vantagem e sair com a classificação”, concluiu Victor Ferraz.

Sampaoli elogia “compromissado” Rodrygo, “empolgante” Soteldo e “pilar” Aguilar

O técnico Jorge Sampaoli analisou a fase de Rodrygo, Soteldo e Aguilar após a vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Vasco na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela ida da quarta fase da Copa do Brasil.

Sampaoli explica o banco de reservas para Rodrygo em jogos recentes, mas agora o vê merecendo a vaga no time titular.

“É jovem, vai para um dos maiores clubes do mundo (Real Madrid). Temos que animá-lo para dar tudo que pode até ficar no clube. Essa condição de quase não pertencer ao clube nos obriga a pensar nos que ficam. Temos que fortalecer os que ficam. Percebi que está muito compromissado, como se não fosse ser vendido. Isso me fez colocá-lo desde o início”, disse Sampaoli.

O treinador também elogiou Soteldo e exaltou Felipe Aguilar, dois dos reforços para 2019.

“É um jogador jovem, que seguimos desde a Universidad de Chile. 21 anos, precisa melhorar algumas condições no terço final. Nos dá desequilíbrio e verticalidade, muito comprometido com a camisa. Espero muito mais como treinador, me empolga ver um Soteldo com essa verticalidade e com chances de gol. Vai por um bom caminho”, analisou.

“Absoluto, não, mas é um pilar nosso. É um jogador ganha muitos duelos, muito valente, muito comprometido. Temos bons zagueiros, mas Aguilar tem um plus que ganhou dentro de campo”, concluiu.

Jean Mota minimiza jejum e destaca golaço pelo Santos: “Não sai sempre”

Jean Mota voltou a marcar um gol pelo Santos depois de mais de um mês. E foi um golaço no segundo tempo da vitória por 2 a 0 sobre o Vasco na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela ida da quarta fase da Copa do Brasil.

O último gol foi no dia 7 de março, em vitória por 4 a 0 sobre o América-RN. Ele é o artilheiro (nove gols) e o garçom (seis assistências) em 2019.

“Confiança era a mesma. Jogo passado pude ajudar com assistência, hoje com gol. Mas não incomodava (o jejum). Fico feliz por ter ajudado nessa vantagem para o Rio de Janeiro”, disse Jean Mota.

“Não é um gol que sai sempre, foi bonito. Fizemos uma grande vantagem”, completou.

O Santos voltará a campo apenas para enfrentar o Vasco, no Rio. O Cruzmaltino enfrentará o Flamengo, domingo, pela final do Campeonato Carioca.

Sampaoli explica Jorge reserva no Santos e analisa Jobson

O técnico Jorge Sampaoli explicou a opção pelo lateral-esquerdo no banco de reservas do Santos, em coletiva de imprensa na noite desta quarta-feira.

Diego Pituca tem sido “lateral-volante”, preenchendo a linha de quatro sem a bola e no meio-campo com a posse.

“Laterais internos nos deram controle no campo. Pituca como lateral não teve inconveniente, não há como mudar. Sabemos a capacidade do Jorge, com a técnica que tem pode chegar a ser da seleção, mas hoje terá de esperar”, disse Sampaoli.

O argentino ainda analisou a chegada de Jobson, volante anunciado nesta terça-feira depois de ser destaque do Campeonato Paulista pelo Red Bull.

“Vimos nele um jogador que tem muita capacidade, técnica, sabe mover e encontrar jogadores livres. Tem muito a ver com nosso jogo. Chegou pela primeira vez, precisa estar em forma para estar à altura da dinâmica do time. Pode potencializar esse elenco. Quando estiver bem, pode nos dar muito futebol”, afirmou.

Com um gol em seis jogos, Everson ganha 1ª sequência no Santos antes de decisão de Sampaoli

Everson teve a primeira sequência de jogos pelo Santos desde a contratação, no início deste ano. O goleiro foi titular no 3 a 0 sobre o Atlético-GO e no 2 a 0 diante do Vasco, ambos pela Copa do Brasil e na Vila Belmiro.

Com um gol sofrido em seis jogos em 2019 e quatro vitórias, um empate e uma derrota, Everson tenta convencer o técnico Jorge Sampaoli a colocar fim no rodízio com Vanderlei.

O treinador anunciou Vanderlei no Campeonato Paulista e Everson na Copa do Brasil. Com a eliminação no Estadual, o camisa 22 foi titular vezes seguidas no mata-mata, antes da definição para o Campeonato Brasileiro – a estreia será contra o Grêmio, dia 28, na arena.

Sampaoli ainda não decidiu sobre a manutenção do rodízio entre Copa do Brasil e Brasileirão. Enquanto isso, Everson deve seguir titular no jogo de volta da quarta fase, contra o Vasco, em São Januário, na próxima quarta-feira.

Com quase o triplo de jogos do Everson (17), Vanderlei tem nove vitórias, quatro empates e quatro derrotas, com 17 gols sofridos – média de um partida. O camisa 1 era titular absoluto deste 2015.


Santos 4 x 0 América-RN

Data: 07/03/2019, quinta-feira, 21h30.
Competição: Copa do Brasil – 2ª fase
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 8.295 presentes (7.229 pagantes e 1.066 não pagantes).
Renda: R$ 211.302,00
Arbitragem: Daniel Nobre Bins (RS)
Auxiliares: Jorge Eduardo Bernardi e Tiago Augusto Kappes Diel (ambos de RS).
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Alison e Derlis González (S); Alison, Adenilson e Hiltinho (A).
Cartão vermelho: Alison (A).
Gols: Derlis González (34-1); Jean Mota (15-2), Rodrygo (24-2) e Aguilar (38-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Aguilar, Gustavo Henrique (Wagner Leonardo) e Diego Pituca; Alison (Jean Lucas), Jean Mota, Carlos Sánchez e Soteldo; Rodrygo (Eduardo Sasha) e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli

AMÉRICA-RN
Ewerton; Vinicius, Adriano Alves e Alison e Kaike; Leandro Melo, Adenilson, Diego (Alisson) e Hiltinho (Roger Gaúcho); Adriano Pardal e Jean Patrick.
Técnico: Moacir Júnior



Santos dá show, goleia o América-RN e avança à 3ª fase da Copa do Brasil

O Santos jogou um belo futebol e goleou o América-RN por 4 a 0 na noite desta quinta-feira, no Pacaembu. A vitória fez o Peixe avançar à terceira fase da Copa do Brasil. O adversário será o Atlético-GO.

O Alvinegro dominou as ações desde o começo e marcou com Derlis González, Jean Mota, Rodrygo e Felipe Aguilar. A equipe dirigida por Jorge Sampaoli não parou de atacar em momento algum e poderia ter feito ainda mais.

Duas alterações táticas foram decisivas para o resultado. Na primeira, a partir dos 30 minutos, Sampaoli inverteu Jean Lucas com Diego Pituca. Com o artilheiro do Campeonato Paulista no meio, o Santos cresceu. Na segunda etapa, Derlis e Soteldo trocaram. O venezuelano passou a atuar melhor e o paraguaio seguiu incomodando – um gol e duas assistências.

O jogo

O Santos ditou o ritmo desde o começo do jogo e não demorou a encontrar espaços na defesa do América-RN. Aos sete minutos, Sánchez cabeceou para fora, aos 10 o uruguaio cobrou falta com perigo e logo na sequência Victor Ferraz finalizou colocado e com perigo.

Depois da pressão inicial, o América melhorou e passou a “gostar do jogo”. Foi aí que uma alteração tática de Jorge Sampaoli fez a diferença. O técnico inverteu Jean Mota com Pituca e com o artilheiro do Campeonato Paulista no meio, o Peixe foi mais perigoso.

Aos 34′, veio o primeiro gol do Santos. Rodrygo fez boa jogada, cruzou e Derlis González aproveitou a sobra para abrir o placar. Ainda deu tempo do Peixe quase ampliar aos 45, novamente com o paraguaio.

Na etapa final, o Santos voltou ainda melhor e com outra mexida de Sampaoli. Derlis foi para o meio e Soteldo abriu pela ponta. Com isso, o venezuelano cresceu no jogo e o paraguaio seguiu perturbando a defesa americana.

O Peixe empilhou chances, perdeu quatro com Carlos Sánchez e ampliou aos 15. Sánchez cabecou com perigo, Derlis não desistiu do lance e, de carrinho, acabou dando assistência para Jean Mota, artilheiro alvinegro na temporada.

A vantagem não fez o Alvinegro administrar o ritmo e as oportunidades surgiam com facilidade. Aos 24, Rodrygo recebeu bom passe de Derlis e deslocou Ewerton. 3 a 0 e classificação à terceira fase da Copa do Brasil já garantida.

Nos minutos finais, o Santos ainda teve chance com Jean Mota, Derlis, Jean Lucas e Eduardo Sasha. E deu tempo de Aguilar marcar pela primeira vez e decretar a goleada. O América só assustou em uma escapada, com o ex-santista Roger Gaúcho. Vitória merecida do Peixe.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli explica ausência de Cueva no Santos e cita problema familiar

Após a goleada do Santos por 4 a 0 sobre o América-RN e a classificação à terceira fase da Copa do Brasil nesta quinta-feira, o técnico Jorge Sampaoli explicou a ausência de Cueva.

O treinador relatou um problema familiar do peruano – saúde da sua esposa, que mora no Peru -, e pediu para o meia ser exemplo. O Peixe, em nota oficial, não citou esse fato.

“A ausência do Cueva se deve ao fato dele atrasar aos treinos, ao faltar nos treinos, fica difícil de estar na lista de relacionados. Não há necessidade de muito conflito. O mais importante é o clube, o respeito pelo clube é o que mais importa. Quem não respeitar, seguramente terá inconvenientes. Ele queria estar relacionado, mas optamos por ele não estar por causa do grupo. Pensamos que para o futuro o Cueva vai ser muito importante. Eu acredito nele, acredito que ele vale muito para o nosso grupo”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Quando nós demos o ok para que o Cueva viesse para o Santos, valorizamos sua capacidade como jogador de futebol na seleção. Eu o enfrentei. Pessoalmente, não o conheço muito bem. É um jogador valioso para nós, por isso está aqui. Não posso julgar por eventos anteriores que eu não conheço. O Cueva disse que teve um problema familiar e que não conseguiria pegar o voo. Ele tem de ser um exemplo para todos os jovens”, completou o treinador.

Cueva voltará a ficar à disposição do Peixe contra o Corinthians, domingo, em Itaquera, pela 10ª rodada do Campeonato Paulista. Com histórico de indisciplina no São Paulo e na seleção peruana, o armador tem sido elogiado pela dedicação nos treinamentos e ajuda aos mais jovens.


Santos 3 x 0 Guarani

Data: 18/02/2019, segunda-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Paulista – 7ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 14.708 presentes (12.952 pagantes e 1.756 não pagantes)
Renda: R$ 399.272,00
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Auxiliares: Neuza Ines Back e Leandro Matos Feitosa (ambos de SP).
Cartões amarelos: Alison (S); Victor Ramos e Carlinhos (G).
Gols: Jean Mota (37-1); Jean Mota (35-2) e Rodrygo (44-2).

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Aguilar, Gustavo Henrique e Copete; Alison (Jean Lucas), Diego Pituca, Carlos Sánchez (Yuri) e Jean Mota; Cueva (Rodrygo) e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli

GUARANI
Giovanni; Léo Principe, Ferreira, Victor Ramos e William Matheus (Inácio); Deivid (Carlinhos) e Ricardinho; Lucas Crispim (Álvaro), Thiago Ribeiro e Jefferson Nem; Fernando Viana.
Técnico: Osmar Loss



Com show do artilheiro Jean Mota, Santos vence o Guarani no Pacaembu

O Santos venceu o Guarani por 3 a 0 na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. Jean Mota fez dois e Rodrygo completou.

O Peixe dominou todo o jogo e, mesmo com 1 a 0 parcial no intervalo seguiu em cima do Bugre. Jean se isolou na artilharia do Paulistão, agora com sete gols. E o novo camisa 11 fechou o placar na estreia pelo Alvinegro na temporada depois do Sul-Americano Sub-20 com a seleção brasileira.

O Santos, líder geral do Estadual, voltará a campo no clássico diante do Palmeiras, sábado, na arena do rival. No mesmo dia, o Guarani receberá o São Caetano.

O jogo:

O Santos, como de costume, controlou o jogo desde os primeiros minutos e voltou a enfrentar uma boa defesa. O Guarani encurtou os espaços do Peixe assim como feito pelo Mirassol na última rodada.

O Peixe ficou com a bola, não sofreu na defesa e só foi perigoso na primeira metade da etapa inicial pelo alto. Gustavo Henrique teve duas boas chances e desperdiçou.

Quando o lado direito passou a ser mais acionado com Victor Ferraz e Derlis González saiu da área para buscar espaços, o Alvinegro cresceu. Aos 35, na primeira boa triangulação, a arbitragem marcou impedimento duvidoso de Sánchez. Dois minutos depois, veio o primeiro gol.

A jogada foi precisa. Tabela de Victor Ferraz com Cueva, passe para trás, chute cruzado de Sánchez e Jean Mota, artilheiro do Campeonato Paulista com seis gols, aproveitou na pequena área. 1 a 0 parcial.

O segundo tempo foi mais aberto. Em cinco minutos, três oportunidades foram criadas – duas para o Guarani, com Thiago Ribeiro e Viana, e uma do Santos, com Carlos Sánchez.

O Bugre se expôs e ofereceu espaço ao Peixe. Os donos da casa, porém, voltaram a mostrar falta de pontaria e não mataram o jogo.

O Alvinegro teve diversas oportunidades na bola parada e, em uma delas, quase marcou um golaço. Carlos Sánchez bateu escanteio para trás, Derlis fez o corta luz e Jean Mota bateu bonito, rente à trave, aos 22. Aos 28 e 29, Sánchez e Aguilar voltaram a assustar no jogo aéreo.

No minuto 33, o Santos teve mais um gol anulado. Em novo escanteio perigoso, Copete desviou e Derlis guardou. Paraguaio, porém, estava à frente. Na sequência, o Guarani sucumbiu. Jean Mota marcou o segundo dele em cobrança de falta direta para o gol e decretou a vitória.

Nos minutos finais, o Santos administrou o resultado e ainda deu tempo de fazer o terceiro. Aos 44, Derlis caiu na área e optou por cruzar ao invés de reclamar de pênalti. Rodrygo, sozinho, cabeceou para o fundo do gol. Vitória do líder geral do Campeonato Paulista.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli cita “religião” do Santos e cogita poupar contra o Palmeiras

Após vencer o Guarani por 3 a 0 nesta segunda-feira, no Pacaembu, o técnico Jorge Sampaoli citou a “religião” do Santos: estar perto do gol adversário.

“Estamos com uma estrutura de trabalho que nos permite trabalhar dessa forma. Mas o mais importante é a vontade de ir para frente, a vontade dos jogadores de desfrutar o jogo, tratando de crescer, tratando como se o jogo e o gol rival fosse nossa religião. Estamos construindo essa ideia e tomara que desfrutemos dela”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O treinador também cogitou poupar titulares diante do Palmeiras, sábado, na arena do rival, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. O Peixe terá o jogo de volta contra o River Plate-URU na terça, no Pacaembu, pela Sul-Americana.

“Sabemos que teremos uma partida difícil contra o atual campeão Brasileiro. Temos também a partida da Sul-Americana, vamos valorizar as duas partidas. As duas são importantes”, afirmou.

“Palmeiras tem um elenco muito bom. Temos que ver com quais jogadores vamos atuar, pensando nas duas partidas (Palmeiras e Sul-Americana)”, concluiu.

Sampaoli vê plenitude de Jean Mota e fala em “pegar no pé” de Rodrygo no Santos

O técnico Jorge Sampaoli vê Jean Mota em sua “plenitude” pelo Santos. Com os dois gols diante do Guarani, nesta segunda-feira, o meia se isolou como artilheiro do Campeonato Paulista, com sete no total.

“Está tendo uma temporada fantástica. Está nos ajudando muito com sua capacidade goleadora e com seu jogo. Está vivendo um movimento de plenitude. Quando chegamos vimos que ele tinha muitas condições de jogo, por isso queríamos ele no clube. Agora está mostrando sua qualidade. Está fazendo gols porque também tem muita confiança. Tem muitas virtudes que não haviam sido descobertas”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

“Fiquei surpreendido. O nível de confiança que ele tem, atuando em diversas posições. Ele interpretou muito bem o jogo de posição. Ele sabe se mover dentro e fora da área, joga bem com ou sem a bola. Há jogadores que entendem rápido essa forma de jogar, ele foi um deles”, completou.

Sampaoli também comentou sobre Rodrygo. De volta após o Sul-Americano Sub-20 com a seleção brasileira, a joia marcou o terceiro gol do Peixe diante do Bugre. O argentino pegará no pé do jovem antes da ida para o Real Madrid-ESP, em julho.

“Chegou com um cansaço do Sul-Americano. Mas ainda estamos nos conhecendo. Ele será muito importante para o Santos, é um jogador que se destaca. Ele precisa se comprometer nesses poucos meses que ficará no Santos, é obrigação. Estaremos em cima dele”, concluiu.

Victor Ferraz destaca gols “treinados” e “construídos” do Santos

Capitão, Victor Ferraz destaca os gols trabalhados do Santos. O primeiro diante do Guarani, nesta segunda-feira, teve tabela, triangulação, e o meia Jean Mota na pequena área para completar.

O segundo, também de Jean, veio depois de um pedido de Jorge Sampaoli para falta lateral cobrada na direção do gol. O terceiro teve Derlis González, o “falso 9”, pela ponta antes de cruzamento perfeito para Rodrygo surgir como 9 e fechar o placar.

“As jogadas estão saindo, as jogadas que a gente treina, os gols estão saindo de forma construída. Continuar com os pés no chão, porque é só o início do campeonato”, disse Victor Ferraz, ao SporTV.

“A gente treina isso. O Sampaoli sempre pede para bater em cima do goleiro, porque se não pega em ninguém fica difícil para o goleiro”, afirmou Jean Mota.


Santos 1 x 0 Mirassol

Data: 09/02/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 6ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 19.261 pessoas (16.634 pagantes e 2.627 não pagantes)
Renda: R$ 522.527,00
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Marco Antonio de Andrade
Cartões amarelos: Aguilar (S); Riccieli e Lelê (M).
Gol: Jean Mota (49-2).

SANTOS
Everson; Matheus Ribeiro, Aguilar, Luiz Felipe (Gustavo Henrique) e Orinho; Yuri, Diego Pituca, Jean Mota e Cueva (Carlos Sánchez); Soteldo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Jorge Sampaoli

MIRASSOL
Tiago Cardoso; Daniel Borges, William Alves, Leandro Amaro e Carlos Renato; Riccieli, Léo Baiano, Wellington Simião e Jean Carlos (Mailton); Lelê (Carlão) e Rodolfo (Zé Roberto).
Técnico: Moisés Egert



Jean Mota decide na estreia de Cueva e Santos vence o Mirassol no fim

O Santos de apenas quatro titulares – Luiz Felipe (o zagueiro sentiu problema na coxa e foi substituído por Gustavo Henrique), Aguilar, Diego Pituca e Jean Mota -, sofreu, mas venceu o Mirassol por 1 a 0 neste sábado, no Pacaembu, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. O gol foi marcado por Jean Mota, no último minuto – o artilheiro do Estadual com cinco gols.

O estreante Cueva foi bem, mas os laterais Orinho e Matheus Ribeiro foram discretos e Yuri, Eduardo Sasha e Soteldo irritaram a torcida presente em São Paulo.

No segundo tempo, o Peixe superou o desentrosamento e criou chances, porém, esbarrava na falta de pontaria e boas defesas do goleiro Tiago. No fim, o bom volume de jogo foi recompensado depois de jogada de Derlis e raça de Jean Mota na pequena área.

O jogo

O Santos, sem entrosamento e com as estreias de Everson e Cueva, conseguiu controlar o jogo desde os primeiros minutos, mas teve muita dificuldade para encontrar espaços na etapa inicial.

Os primeiros 47 minutos foram do Peixe sem sustos na defesa, com a bola no pé, só que sem oportunidades claras. Na melhor delas, Jean Mota cruzou na pequena área e não teve quem empurrasse para o gol.

No segundo tempo, o Alvinegro passou a empilhar chances. Jean Mota, Eduardo Sasha, Cueva, Soteldo…. Todos tiveram finalizações de frente para o gol. Com o goleiro Tiago seguro e a pontaria em baixa, porém, a bola teimava em não entrar.

Nos minutos finais, até o zagueiro Gustavo Henrique foi para o ataque, mas Tiago seguia firme, assim como o zero no placar. E aí apareceu a estrela de Jean Mota, artilheiro do Campeonato Paulista. No último minuto, Derlis González bateu cruzado e o meia, na raça, empurrou para o fundo das redes na pequena área. 1 a 0 e mais uma vitória santista.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli elogia estreia de Cueva no Santos e fala sobre Abner e Jean Lucas

O técnico Jorge Sampaoli gostou da estreia de Cueva na vitória por 1 a 0 sobre o Mirassol neste sábado, no Pacaembu, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

“Só teve um treino, pedimos para jogar e precisávamos girar alguns jogadores. Ajudou com muitos passes no campo rival e isso nos faltava. E com o conhecimento do grupo, vai nos dar muito”, disse Sampaoli.

O treinador ainda comentou sobre Jean Lucas, emprestado pelo Flamengo, e Abner, lateral-esquerdo do PSTC e alvo do Peixe para a temporada.

“Analisamos muito bem, é um volante que pode ajudar com a agressividade que precisamos. Flamengo não deixava sair, depois chegamos a um acordo”, comentou o treinador.

“Estávamos vendo alguns laterais, Abner é um deles, mas bem, estamos esperando a evolução das negociações e não sei bem como está”, completou.

Jean Lucas esteve no Pacaembu para assistir ao jogo do Santos e será anunciado em breve. Abner espera pelo “sim” do Peixe para fechar.

“Vital” para Sampaoli, Jean Mota valoriza paciência do Santos em vitória

Com 0 a 0 no placar, Mirassol todo atrás, chances desperdiçadas e, até o último minuto, o Santos manteve seu estilo de posse de bola e chegou ao gol da vitória no último minuto, com Jean Mota.

Artilheiro do Campeonato Paulista com cinco gols, Jean destaca a paciência do Peixe deste sábado, no Pacaembu.

“Não é ansiedade, tentamos de várias formas, o time deles estava muito fechado, e mesmo com time reserva não mudamos nosso estilo. Buscamos, tivemos uma chance com o Cueva, outra com o Soteldo, e sempre buscamos o gol. No final saímos com a vitória”, disse Jean Mota, ao Premiere.

“Hoje não deu na técnica, foi na raça ali, a bola sobrou e pude por pra dentro. Tentamos de várias formas, finalizamos, o time deles não finalizou no segundo tempo. Queria agradecer meu avô, que está ali assistindo, esse gol é pra ele”, completou o meia.

O técnico Jorge Sampaoli analisou o bom momento de Jean Mota. O argentino barrou a saída dele depois de propostas do Bahia, Ceará e Fortaleza.

“Não encontrou seu lugar em outro projeto, vimos a capacidade de jogar muito bem. Criticava-se a falta de sacrifício, não correr, mas nunca se desvalorizou como pode ajudar o companheiro no jogo. É vital nesse aspecto, muito importante e estamos aproveitando muito”, concluiu.

Matheus Ribeiro diz que não merecia, mas promete dar a vida em nova chance no Santos

Matheus Ribeiro foi contratado em 2017 como destaque do Atlético-GO na Série B do Campeonato Brasileiro e alternativa para as duas laterais do Santos.

O jogador, porém, não se destacou e acabou emprestado para o Puebla-MEX e o Figueirense em 2018. Com três lesões, ele quase não atuou. Mesmo assim, foi chamado pelo técnico Jorge Sampaoli para voltar ao Peixe.

A reestreia pelo Alvinegro ocorreu neste sábado, na vitória por 1 a 0 sobre o Mirassol, justamente no Pacaembu, palco de uma atuação ruim e de críticas da torcida diante do Independiente Santa Fé-COL em 2017, pela Libertadores.

“Não cabe a mim falar se eu gostei, dei meu melhor. Minha última lembrança do Pacaembu não é das melhores. Estou aqui para dar a volta por cima, dar meu melhor e estou muito feliz com essa reestreia”, disse Matheus Ribeiro.

“Toda experiência é válida. Ano passado foi muito difícil para mim, duas lesões no México e outra no Figueirense. Joguei muito pouco. Estou encarando essa chance como a chance da vida. Não conseguiria expressar em palavras. Tenho momento diferente, uma chance que ao meu ver nem merecia pois quase não joguei ano passado. Foi uma surpresa, mas uma surpresa ótima. Estou muito feliz”, completou.

Matheus também falou sobre a oportunidade de atuar mais ofensivamente no esquema tático de Sampaoli e da falta de ritmo depois de temporada de altos e baixos em 2018.

“Professor gosta do lateral bem intenso, que compita pela bola lá na frente e isso me ajuda, tenho um pouco de dificuldade na marcação, então para mim é um posicionamento bem interessante”, explicou.

“Joguei uma partida inteira depois de 90 minutos, intenso, calor, senti um pouco o ritmo, mas só jogando que se consegue ter ritmo. Foi uma boa oportunidade e espero ter agradado ao professor”, concluiu.