Navegando Posts marcados como Jerri

Santos 4 x 0 Mogi Mirim

Data: 28/01/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.280 pagantes
Renda: R$ 46 635,00
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP).
Gols: Elano (10-1), Robinho (20-1); Léo (19-2) e Jerri (42-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Paulo César, Alex, André Luís, Léo; Paulo Almeida, Claiton (Preto Casagrande), Renato, Elano (Basílio); Robinho (Jerri) e Róbson.
Técnico: Emerson Leão.

MOGI MIRIM
Fábio (Edervan); Júlio César (Douglas), Leandro, Gian, Daniel; Márcio, Ramires, Rodrigo, Válber (Dione); Marcinho e Gilson Batata.
Técnico: Jorge Raulli.



Santos goleia o Mogi Mirim na volta de jogadores da seleção

Três dias após amargarem a perda da vaga olímpica para o Paraguai, Robinho, Elano, Alex e Paulo Almeida sentiram o gosto da volta por cima. Os quatro foram decisivos para a goleada de 4 a 0 do Santos sobre o Mogi Mirim, na noite desta quarta, na Vila Belmiro.

Robinho e Elano fizeram um gol cada um no segundo triunfo santista em três jogos neste Campeonato Paulista. Alex e Paulo Almeida se destacaram na marcação.

O meia Diego foi o único dos que estavam na seleção brasileira sub-23 a não jogar. Ele ficou fora por causa de dores musculares.

Na véspera da partida, o técnico Emerson Leão saíra em defesa de seus jogadores, após críticas feitas pelo treinador da seleção principal, Carlos Alberto Parreira, e seu coordenador, Zagallo, aos jogadores da seleção sub-23.

O santista condenou a atitude de seus colegas e procurou reanimar os jogadores. “O Leão pediu para a gente esquecer o que passou e jogar bola. Conseguimos fazer isso”, disse Paulo Almeida.

Os jovens atletas ganharam também o apoio dos torcedores, que levaram faixas para o estádio. “Meninos, nosso orgulho e confiança continuam inabalados” e “Ricardo Gomes, até nunca mais” foram algumas das mensagens exibidas pela torcida.

Os fãs precisaram só de dez minutos para ver um dos ex-jogadores da seleção brilhar. Foi o tempo que Elano levou para abrir o placar. Ele chutou cruzado, após receber passe de Róbson. Depois, o meia se machucou e deixou o campo antes dos 20min.

Aos 21min, Robinho deixou a sua marca. O atacante, apagado no Pré-Olímpico do Chile, livrou-se de dois marcadores e chutou da entrada da área para fazer 2 a 0.

Robinho voltou a ser decisivo no segundo tempo. Aos 20min, o atacante serviu Léo, que encobriu o goleiro Edervan e fez o terceiro.

Na comemoração, o lateral-esquerdo simulou engraxar a chuteira do colega. “É a chuteira azul da sorte”, afirmou o atacante.

O passe para Léo foi o último lance importante de Robinho, já que Leão tirou o jogador aos 26min para a entrada de Jerri. Ele deixou o gramado sob aplausos dos torcedores.

Jerri marcou o quarto, aos 43min, com o gol vazio. Ele aproveitou um rebote de Edervan em chute forte de Róbson.

Sem balançar as redes, Paulo Almeida e Alex foram os que mais ajudaram a tirar a bola do adversário. O zagueiro, que cobrou uma falta na trave, foi o santista que mais fez desarmes, segundo o Datafolha. Ele roubou 26 bolas. O volante foi o segundo, com 18.

Pouco atacado, o Santos fez mais que o dobro de faltas em relação ao Mogi Mirim: 26 a 12. Ninguém levou cartão amarelo.



Créditos:
Ficha Técnica: Fernando Ribeiro

Oeste 0 x 1 Santos

Data: 21/01/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 1ª rodada
Local: Estádio Ildenor Picardi Semeghini, o “Picardão”, em Itápolis, SP.
Renda e Público: N/D.
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP).
Cartões amarelos: Marcelo (O), Claiton (S).
Cartão vermelho: Paulo César (S).
Gol: Jerri (44-1).

OESTE
João Paulo; Carabina (Marcinho), Marcelo, Beto, Eduardo; Silas, Leandro (Djalminha), Goiano, Guim; Daniel e Paulinho.
Técnico: Márcio Rossini.

SANTOS
Júlio Sérgio; Paulo César, Pereira, André Luís, Léo; Claiton, Renato (Daniel), Preto Casagrande (Leandro), Jerri; Basílio e Róbson.
Técnico: Emerson Leão.



Com gol de Jerri, Santos começa o Paulista vencendo o Oeste

No sufoco, o Santos venceu o Oeste por 1 a 0, nesta quarta-feira à noite, pela primeira rodada do Campeonato Paulista. A partida foi disputada no estádio Ildenor Picardi Semeghini, em Itápolis. Foi a estréia do Oeste na primeira divisão do futebol paulista.

O único gol do Santos na partida foi marcado pelo meia Jerri, no final do primeiro tempo, num belo chute de fora da área. Sem Alex, Paulo Almeida, Elano, Diego e Robinho, todos servindo à seleção brasileira sub-23, o alvinegro mostrou muita disposição para vencer.

A equipe da Vila Belmiro contou com a estréia de quatro reforços contratados para esta temporada. O lateral-direito Paulo César, o meia Claiton, e os atacantes Basílio e Róbson. Paulo César tinha boa atuação, mas acabou exagerando na vontade e foi expulso no final do jogo.



Créditos:
Ficha Técnica: Fernando Ribeiro

Santos 3 x 1 Vitória

Data: 05/11/2003, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 41ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.205 pagantes
Renda: R$ 38.999,00
Árbitro: Sérgio Cristiano Nascimento (RJ)
Auxiliares: Vilmar Raul (RJ) e Marcos Tadeu Penichi Nunes (RJ)
Cartões amarelos: André Luís e Robinho (S); Zé Roberto, Paulo Rodrigues e Dudu Cearense (V).
Gols: Alecsandro (15-2), Alex (18-2), Jerri (21-2) e Fabiano (38-2).

SANTOS
Fábio Costa; Neném (Douglas), Alex, André Luís e Léo (Reginaldo Araújo); Paulo Almeida, Renato, Elano e Fabiano; Robinho e William (Jerri)
Técnico: Emerson Leão

VITÓRIA
Juninho; Marcelo Heleno, Nenê e Marcos (Gilmar); Alex Santos, Ramalho, Dudu Cearense, Alessandro Azevedo e Paulo Rodrigues; Zé Roberto (Dionísio) e Alecsandro (Samir)
Técnico: Lori Sandri



Santos não brilha, mas vira para cima do Vitória

O Santos não reeditou o bom futebol das últimas apresentações e encontrou muitas dificuldades, mas passou pelo Vitória por 3 a 1, de virada, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 41ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, a equipe se mantém a seis pontos do líder Cruzeiro, que esta noite venceu o Grêmio. O time do técnico Emerson Leão soma 79 pontos, contra 85 dos cruzeirenses.

A equipe santista não perde no Brasileiro há oito jogos, com seis vitórias e dois empates. Além disso, venceu seus últimos cinco compromissos, superando Atlético-PR, Bahia, Coritiba, Corinthians e Vitória.

Já o Vitória, que permanece com 52 pontos ganhos, conhece a sua segunda derrota consecutiva de virada. No último domingo, a equipe saiu vencendo o Goiás por 3 a 0 no primeiro tempo, mas levou quatro gols na etapa complementar.

O Santos volta a jogar no próximo domingo, contra a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Já o Vitória busca a reabilitação diante de outra equipe campineira, o Guarani, no Barradão, em Salvador.

O jogo

A primeira chance clara de gol da partida foi santista, aos 9min. Depois de cobrança de escanteio da esquerda, Alex desviou e Juninho conseguiu fazer a defesa. A bola triscou na cabeça de William que, dentro da pequena área, não conseguiu empurrar para o gol.

Aos 20min, o Vitória abriu o placar, mas o árbitro Sérgio Cristiano Nascimento anulou corretamente. Paulo Rodrigues cobrou falta de longa distância, Fábio Costa rebateu mal e Zé Roberto, em posição de impedimento, empurrou para as redes.

A partida era aberta. Jogando em casa, o Santos mantinha mais a posse da bola e tinha como principal arma as jogadas pela esquerda, com Robinho. Já o Vitória tentava marcar forte no meio-campo e saía com velocidade, apostando nas jogadas pelas laterais.

Aos 34min, a equipe santista desperdiçou boa chance para marcar. Robinho aproveitou bobeira na saída de bola do Vitória, roubou de Marcelo Heleno na esquerda e rolou para Fabiano. O meia, livre, na entrada da área, chutou fraco, facilitando a defesa de Juninho.

Em contragolpe rápido, aos 36min, o Vitória perdeu gol feito. Alecsandro foi lançado nas costas da zaga, driblou Fábio Costas e bateu de pé esquerdo. No entanto, o chute saiu fraco e Paulo Almeida teve tempo para dominar e salvar o Santos.

O panorama da partida não mudou no segundo tempo, mas a bola parada virou uma arma para as duas equipes. Aos 6min, Alex arriscou cobrança de longa distância e Juninho conseguiu espalmar para escanteio. O troco baiano veio aos 11min, quando Zé Roberto cobrou falta frontal e Fábio Costa foi buscar no canto esquerdo.

Aos 15min, o Vitória abriu o placar. Dudu Cearense enfiou grande bola para Alecsandro, que bateu forte, de primeira, no alto, e surpreendeu o goleiro Fábio Costa, que saía do gol e nada pode fazer.

O gol acordou o Santos. A torcida rubro-negra ainda comemorava quando, aos 18min, Alex subiu mais alto depois de cruzamento da direita e, de cabeça, colocou no canto direito de Juninho, empatando a partida.

Aos 20min, o Vitória perdeu Dudu Cearense: ele acabara de receber cartão amarelo quando cometeu falta violenta e foi expulso. O Santos não deu tempo para a equipe baiana se rearmar já que, no minuto seguinte, virou o placar. Léo avançou pela esquerda e rolou para o meio. Elano fez o primeiro corta-luz, Alex fez o segundo e Jerri bateu rasteiro no canto esquerdo, marcando um golaço.

Perdendo por 2 a 1 e com um jogador a menos, o Vitória parou de preocupar Fábio Costa. Já o Santos aproveitou e marcou o terceiro aos 38min. Jerri avançou pelo meio-campo e enfiou grande bola para Robinho, que cruzou rasteiro. Fabiano entrou de carrinho e completou a vitória santista.

Santos 3 x 3 Goiás

Data: 23/07/2003, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.091 pagantes
Renda: R$ 44.576,00
Árbitro: Elvecio Zequetto (MS).
Auxliares: Ivanilton Bandeira da Silveira (MS) e Paulo César Ferreira de Freitas (MS).
Cartões amarelos: Júlio César, Pereira, Jerri e Léo (S); Thiago, Josué e Rodrigo Calaça (G).
Gols: Jerri (28-1), Nenê (36-1), Fabão (41-1) e Araújo (47-2); Ricardo Oliveira (15-2) e Dimba (23-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Reginaldo Araújo, Pereira, André Luís e Léo; Wellington, Renato, Jerri (Rubens Cardoso) e Nenê; Júlio César (Douglas) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Leão

GOIÁS
Rodrigo Calaça; Michel (Wando), Fabão, Renato e Gustavo; Simão, Josué, Thiago (Gil Baiano) e Danilo (Pedro Paulo); Dimba e Araújo.
Técnico: Cuca



Desfalcado, Santos não passa de empate em casa com o Goiás

Com muito desfalques, o Santos não conseguiu segurar o ataque do Goiás e ficou num empate por 3 a 3, nesta quarta-feira à noite, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida foi disputada no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

A equipe paulista jogou sem Diego, Robinho, Alex e Paulo Almeida, que estão na seleção brasileira. Além deles, Elano, Fábio Costa e Fabiano não jogaram por estarem suspensos. No ataque, o time santista mostrou bom futebol, principalmente com Nenê, mas na zaga o Santos sentiu os desfalques.

Bom para Araújo e Dimba, dupla de ataque do Goiás que fez uma ótima partida. Marcando o terceiro gol do time alviverde, Dimba chegou aos 16, liderando a artilharia do Brasileirão. Luís Fabiano, do São Paulo, tem 15 e joga nesta quinta-feira contra a Ponte Preta, no Morumbi.

O empate em casa foi péssimo para o Santos. Com a derrota do Cruzeiro para o Paysandu, o time alvinegro poderia diminuir a distância para o líder. O Santos soma agora 38 pontos, contra 43 do Cruzeiro. A equipe santista, porém, tem um jogo a menos.

Já o Goiás, apesar do bom futebol e do empate fora de casa, continua na lanterna e distante de seus adversários diretos. O alviverde goiano soma agora 16 pontos ganhos, três a menos que o Grêmio, que joga nesta quinta.

Gols

A partida começou aberta e logo aos 3min o Goiás perdeu uma ótima chance para marcar. Após tabelar com Dimba, Araújo ficou livre na área e bateu cruzado, para fora. Após o susto, o Santos tomou conta da partida, dominando seu adversário.

Bem em campo, o time santista desperdiçou uma oportunidade aos 9min. Júlio César fez boa jogada e cruzou para Jerri. O atacante, quase na pequena área, bateu para fora do gol. A pressão santista não parou e depois de outras chances perdidas, a equipe da Vila abriu o placar.

Aos 27min, Jerri recebeu bom passe e bateu bonito para o gol, não dando chance de defesa ao goleiro Rodrigo Calaça. Apenas um minuto depois, Nenê foi derrubado na área. O atacante Ricardo Oliveira cobrou a penalidade, mandando a bola por cima do gol.

Bem em campo, Nenê ampliou a vantagem santista aos 35min. Após cruzamento na área, o jogador do Santos foi mais rápido que a zaga e tocou de letra, marcando um belo gol na Vila Belmiro. O bom primeiro tempo santista, porém, foi desperdiçado nos últimos minutos.

Aos 41min, Fabão cobrou falta com força e descontou. E aos 45min, Gustavo fez ótima jogada e bateu para o gol. O goleiro Júlio Sérgio fez a defesa parcial, mas o atacante Araújo apareceu com velocidade no rebote e tocou para o gol.

A etapa final não foi menos movimentada. Aos 5min, Pereira chegou a marcar para o Santos, mas o gol foi anulado. O zagueiro, porém, estava em posição legal. Um minuto depois, o ataque do Goiás fez boa triangulação e Araújo bateu cruzado. Júlio Sérgio salvou o Santos.

Como no primeiro tempo, o Santos teve mais presença ofensiva, chegando sempre à área adversária. E depois de desperdiçar boas chances, a equipe paulista marcou o terceiro. Renato fez um ótimo lançamento para Ricardo Oliveira, que marcou na saída de Rodrigo Calaça, aos 15min.

O Goiás não desistiu. E contando com a boa atuação de sua dupla de ataque chegou novamente ao empate. Aos 22min, Araújo fez ótima jogada e foi derrubado perto da área. Dimba cobrou a falta com perfeição e acertou o ângulo direito de Júlio Sérgio.

O empate do Goiás abalou o Santos. A equipe alvinegra não conseguiu manter o mesmo futebol e só voltou a ameaçar o gol goiano aos 33min, numa cobrança de falta de Nenê, bem desviada para escanteio pelo goleiro Rodrigo Calaça.

O Goiás continuou assustando nos contra-ataques, chegando sempre com facilidade até a área do Santos. Mas o último grande lance da partida foi novamente do time paulista. Aos 43min, Nenê cobrou falta no travessão do Goiás.

No final da partida, o árbitro Elvecio Zequetto armou uma confusão. Aos 47min, Zequetto deu o segundo cartão amarelo para Léo. O próprio lateral confirmou ter recebido dois cartões, mas permanceu até o fim do jogo.


Fluminense 1 x 4 Santos

Data: 19/07/2003
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Giulite Coutinho (Edson Passos), em Mesquita, RJ.
Público: 3.251 pessoas (2.586 pagantes e 665 não-pagantes)
Renda: R$ 29.545,00
Árbitro: Antônio Hora Filho (SE)
Cartões amarelos: Rodolfo, Kléber e Josafá (F); Elano e Daniel (S).
Cartões vermelhos: Josafá (F) e Daniel (S).
Gols: Elano (36-1), Romário (40-1) e Nenê (45-1); Ricardo Oliveira (18-2) e Jerri (47-2).

FLUMINENSE
Kléber; Johnathan, César, Rodolfo e Jadílson; Marcão, Marciel (Joãozinho), Zada (Sorato) e Lopres (França); Josafá e Romário
Técnico: Joel Santana

SANTOS
Júlio Sérgio; Wellington (Preto), André Luís, Pereira e Léo; Daniel, Alexandre (Jerri), Renato e Elano; Nenê (Rubens Cardoso) e Ricardo Oliveira
Técnico: Emerson Leão



Romário marca mas Fluminense perde de goleada para o Santos

O Santos conseguiu mais uma boa vitória na tarde deste sábado. Na estréia do técnico Joel Santana no comando do Fluminense, a equipe foi derrotada pelo Santos por 4 a 1. Santana na verdade ficou apenas na tribuna, fazendo anotações, enquanto no campo quem comandava mesmo era o interino Gílson Gênio.

Com a vitória, o Santos se firma na terceira posição, com 37 pontos ganhos, mas ainda ficará com um jogo a menos ao término da rodada deste final de semana. Na 18ª posição, com apenas 22 pontos, o Fluminense vê sua situação ainda mais agravada.

O Santos volta a jogar na próxima Quarta-feira contra o lanterna Goiás, na Vila Belmiro. O Fluminense entra em campo na Quinta-feira contra o São Caetano, no ABC Paulista.

O jogo

Antes mesmo do início da partida um fato inusitado aconteceu no campo do América-RJ, onde o Fluminense mandou o jogo para economizar dinheiro. O zagueiro santista Pareira teve uma indisposição gástrica e vomitou no campo. O zagueiro se recuperou rapidamente e disptou a partida. O imprevisto causou um atraso de seis minutos no início da partida.

Com a bola rolando o Santos começou melhor, arriscando mais, porém com falhas na finalização, Aos 5 min, a primeira oportunidade. Elano chutou de fora da área e goleiro Kléber colocou para escanteio. De cabeça, Renato chegou duas vezes ao gol, aos 9min e aos 16min, mas não levou perigo.

O Fluminense teve sua primeira oportunidade somente aos 20min. Até então, o time carioca havia passado apenas uma vez do meio campo. A primeira finalização do fluminense também foi a mais perigosa da partida até aquele momento. Romário recebeu na pequena área e chutou cruzado. A bola passou por toda a pequena área e saiu pela linha de fundo. Aos 25min. Cesar também perdeu boa oportunidade.

Depois de um período sem atacar, o Santos voltou a dar trabalho ao goleiro cleber aos 30min. Ricardo acertou um chute forte da meia lua, que contou com um desvio na zaga fluminense. O goleiro Kléber conseguiu colocar para escanteio.

Aos 36min, Elano abriu o placar para o Santos. Renato recebeu cruzamento na direita e passou para Elano no meio da área. O atacante santista chutou de primeira, sem chance para o goleiro Kléber.

A reação do Fluminense veio logo em seguida. Aos 39 min, após falha da defesa do santos, Romário, que não jogava desde 22 de junho, ficou sozinho dentro da área. Com tranqüilidade, o baixinho chutou por baixo do goleiro santista para empatar a partida

A zaga do fluminense também falhou e permitiu o segundo gol do Santos, aos 45min. Após um erro na saída de bola, Nenê roubou a bola e chutou cruzado, sem chance para reação do goleiro carioca.

No segundo tempo, a partida estava bem mais movimentada, com os times criando boas oportunidades de gol. A primeira boa chance foi do Fluminense. Josafá cabeceou com muito perigo, enganando a torcida tricolor, mas a bola sai pela linha de fundo.

Aos 18min, Léo invadiu a área e fui derrubado pelo goleiro Kléber. Mesmo no chão, conseguiu chutar para o gol. A bola entrou, mas o juiz preferiu marcar pênalti, que Ricardo Oliveira cobrou e ampliou a vantagem santista.

A situação para o Fluminense reagir ficou ainda pior aos 35min. Após cair dentro da área, o Juiz entendeu que Josafá simulou pênalti e expulsou o jogador. Aos 40min., o Santos também perdeu um jogador. Daniel foi expulso após fazer falta por trás.

Quando tudo parecia definido no Rio de Janeiro, Jerry, aos 47min, acertou um lindo chute da entrada da área e ampliar a goleada. A bola entrou no ângulo direito do Kléber, sem chance de defesa.