Navegando Posts marcados como Jonas

Santos 2 x 1 América-MEX

Data: 23/05/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo da volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.925 pessoas
Renda: R$ 254.285,00
Árbitro: Óscar Ruiz, assistido por Juan Carlos Bedoya e Abraham González (trio colombiano)
Cartões amarelos: Zé Roberto (S); Infante (A).
Gols: Bilos (32-1), Jonas (20-2) e Rodrigo Souto (26-2).

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro (Pedrinho), Adaílton, Ávalos e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Cléber Santana (Marcelo) e Zé Roberto; Marcos Aurélio e Jonas (Dionísio)
Técnico: Wanderley Luxemburgo

AMÉRICA – MEX
Navarrete; Baloy, Íñigo (Daniel Marquez) e Cervantes; Rojas, Infante, Torres, Mosqueda (Perez) e Peña; Cuevas e Bilos
Técnico: Luis Fernando Tena



De virada, Santos vence o América e encara Grêmio na Libertadores

O Santos venceu o América, do México, por 2 a 1, de virada, na noite desta quarta-feira, no estádio da Vila Belmiro, e assegurou classificação para a semifinal da Taça Libertadores da América.

Agora, a equipe paulista enfrentará na próxima fase outro time brasileiro, o Grêmio, que hoje superou o Defensor, do Uruguai, por 4 a 2 nos pênaltis –vitória por 2 a 0 no tempo regulamentar. Os jogos estão previstos para os dias 30 de maio e 6 de junho.

As duas equipes irão se enfrentar em virtude do regulamento da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) que obriga dois times do mesmo país a se enfrentar na semifinal, independentemente do cruzamento das chaves.

Pelo cruzamento inicial da competição, o Santos enfrentaria nas semifinais o Cúcuta, da Colômbia, que eliminou o Nacional, do Uruguai. Os colombianos encaram o vencedor do duelo entre Boca Juniors, da Argentina, e Libertad, do Paraguai, que se enfrentam nesta quinta, em Assunção –houve empate por 1 a 1 na Argentina.

Apesar de fazer mistério na escalação, o técnico Vanderlei Luxemburgo manteve a formação do último coletivo e armou o time no 4-4-2 no jogo de hoje. Assim, a zaga foi formada por Adaílton e Ávalos, enquanto Jonas ganhou chance no ataque. O setor ofensivo foi reforçado pela necessidade da vitória –houve empate sem gols no primeiro jogo, no México.

Já o América, que trouxe apenas 14 jogadores para o Brasil, atuou com um time misto, já que disputará a final da Liga Mexicana, na próxima sexta-feira, contra o Pachuca.

O jogo

O Santos foi para cima logo no início e criou boa chance antes mesmo de completado o primeiro minuto de jogo. Zé Roberto recebeu bola na esquerda e cruzou, mas Jonas desviou por cima do travessão.

Com a forte chuva que caiu na Vila Belmiro, os santistas passaram a apostar em jogadas pelo alto, pela dificuldade de trocar passes. Em uma delas, aos 26min, o time quase abriu o placar. Zé Roberto tocou para Kléber cruzar, mas Marcos Aurélio cabeceou por cima.

O time da Baixada teve ótima chance seis minutos depois. Após cruzamento da direita, Marcos Aurélio chutou na trave e ainda pegou rebote. Na seqüência, Kléber chutou na rede pelo lado de fora.

Mas, um minuto depois, o América abriu o placar. Bilos arriscou de fora da área e a bola entrou no canto do goleiro Fábio Costa: 1 a 0. Os visitantes quase ampliaram aos 36min, mas Cuevas, livre, chutou para fora.

“Temos que ir para frente, tomamos um gol de bobeira. Agora temos que ir atrás do resultado. Se levarmos outro gol, as coisas se complicam ainda mais”, disse o goleiro Fábio Costa, no intervalo, em entrevista à TV Globo.

Na segunda etapa, o técnico Vanderlei Luxemburgo optou pela entrada do meio-campista Pedrinho no lugar do lateral-direito Alessandro. Assim, Maldonado atuou na lateral.

Logo a 1min, o Santos já criou ótima chance. Kléber tocou para Jonas, que ajeitou para Zé Roberto bater de fora, e a bola passou muito próxima da trave mexicana.

Após longa pressão, o time brasileiro conseguiu o gol de empate. Aos 20min, Cléber Santana arriscou chute de fora, Jonas apareceu no meio do caminho para dominar e chutar para o fundo das redes: 1 a 1.

O gol da virada não demoraria a sair. Aos 26min, Pedrinho fez boa jogada pela esquerda e foi derrubado pelo marcador. Kléber cobrou falta na área e Rodrigo Souto testou forte, sem chances para o goleiro mexicano.

Depois disso, o time brasileiro soube conduzir a partida e sofreu pouca pressão do América.


Noroeste 1 x 4 Santos

Data: 08/04/2007, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Alfredo de Castilho, em Bauru, SP.
Público: 3.107 pagantes
Renda: R$ 70.410,00
Árbitro: Claudinei Forati Silva
Auxiliares: Gustavo Henrique Dantas de Miranda e Fábio Aparecido Gomes Ribeiro
Cartões amarelos: Fábio, Leandrinho, Deda e Hernani (N); Leonardo, Marcelo, Zé Roberto, Rodrigo Tiuí, Kléber, Pedro e Pedrinho (S).
Gols: Cléber Santana (06-1); Edno (17-2), Rodrigo Tabata (33-2), Marcos Aurélio (37-2) e Jonas (43-2).

NOROESTE
Fabiano; Éder (Márcio Gabriel), Fábio, Bonfim e Edno; Toninho, Leandrinho, Hernani e Luciano Bebê; Deda e Otacílio Neto (Bruno Mineiro).
Técnico: Paulo Comelli

SANTOS
Fábio Costa; Antônio Carlos, Leonardo e Marcelo (Marcos Aurélio); Pedro, Maldonado, Cléber Santana, Zé Roberto (Pedrinho) e Kléber; Rodrigo Tabata e Rodrigo Tiuí (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos goleia Noroeste e assegura liderança do Estadual

O Santos foi até Bauru neste domingo e derrotou o Noroeste por 4 a 1. A vitória, a sétima consecutiva do time de Vanderlei Luxemburgo – entre Campeonato Paulista e Copa Libertadores -, levou a equipe da Vila Belmiro a 47 pontos e garantiu ao clube a primeira posição da fase inicial do Estadual. Além disso, o time assegurou a vantagem de jogar por dois empates nas semifinais e decidir a vaga para uma eventual final em seus domínios.

Mesmo com o triunfo do vice-líder São Paulo sobre o Grêmio Barueri por 5 a 0, também neste domingo, a equipe da Baixada mantém-se quatro pontos à frente do rival tricolor, restando apenas uma rodada para o fim da primeira etapa do certame.

“Entrar em campo com a vantagem é sempre legal. Jogamos com a vantagem do empate e isso é importante. Apesar disso, temos de ter o pensamento de buscar sempre a vitória”, declarou o meia Cléber Santana, autor do primeiro gol do Santos neste domingo.

Para o Noroeste, o revés acabou com qualquer chance matemática de a equipe garantir uma vaga na fase decisiva do Paulista – o time estacionou nos 27 pontos, e agora está na nona posição.

A equipe santista foi a campo disposta a esperar o adversário na defesa e explorar as jogadas de contra-ataques. E a estratégia deu resultado logo nos primeiros instantes do duelo.

Aos 3min, Zé Roberto avançou com liberdade pela direita e, dentro da área, chutou em cima do goleiro adversário, perdendo uma boa oportunidade. Três minutos depois, entretanto, Rodrigo Tiuí recebeu belo lançamento de Kléber e foi derrubado pelo goleiro do Noroeste.

Cléber Santana cobrou o pênalti no meio do gol e marcou o primeiro da equipe da Vila Belmiro – o seu 11° no campeonato. Mesmo em desvantagem, o Noroeste passou a dominar o jogo, mas não levava muito perigo à meta de Fábio Costa. Por outro lado, o Santos continuava construindo boas jogadas, mas o ataque não aproveitava as oportunidades para ampliar.

O jogo mudou no segundo tempo, e a equipe de Vanderlei Luxemburgo passou a atuar mais no campo de ataque. Mesmo assim, já não produzia com a mesma intensidade da etapa inicial, e quem acabou marcando primeiro foi o time anfitrião.

Aos 17min, Edno aproveitou indecisão dos zagueiros Leonardo e Antônio Carlos, que não conseguiram afastar a bola, e, de dentro da área, chutou no canto esquerdo de Fábio Costa.

O Santos só voltou a ter a vantagem 16 minutos depois, quando Rodrigo Tabata recebeu passe de Kléber e, cara a cara com Fabiano, tocou por cima do goleiro, com categoria.

A equipe alvinegra ainda faria mais dois gol antes do apito final. Aos 37min, Marcos Aurélio recebeu passe de Rodrigo Tabata e só teve o trabalho de concluir. Jonas, seis minutos depois, dominou a bola dentro da área e chutou forte, no canto direito do goleiro, decretando o triunfo santista.

Na próxima quarta-feira, o Noroeste enfrenta o Guaratinguetá, fora de casa. Também na quarta, o time da Baixada joga com o Juventus em São José dos Campos, pela última rodada do Paulista. A partida acontece na região do Vale do Paraíba porque o Santos perdeu um mando de campo em razão do confronto entre torcedores alvinegros e do São Paulo no clássico disputado na Vila Belmiro, dia 11 de março.

A equipe do Morumbi, aliás, também classificada para próxima fase do Estadual, já sabe quem enfrentará nas semifinais. O time tricolor joga com o São Caetano, que garantiu sua vaga depois de vencer o São Bento, neste sábado, por 2 a 1. O Santos ainda não conhece o seu adversário, que pode ser o Bragantino – atualmente na quarta colocação – o Palmeiras ou o Paulista.


Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos

Santos 2 x 1 Corinthians

Data: 28/03/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.110
Renda: R$ 216.705,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Cartões amarelos: Adaílton, Antônio Carlos, Dionísio, Rodrigo Souto, Zé Roberto, Pedrinho e Jonas (S); Marinho, Gustavo e Marcelo Mattos (C).
Cartões vermelhos: Gustavo e Amoroso (C).
Gols: Zé Roberto (10-1), Adaílton (23-1, contra); Jonas (36-2).

SANTOS
Fábio Costa; Dênis, Adaílton (Leonardo), Antônio Carlos (Dionísio) e Carlinhos; Rodrigo Souto, Adriano, Zé Roberto e Pedrinho; Marcos Aurélio e Rodrigo Tiuí (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CORINTHIANS
Jean; Marinho, Betão e Gustavo; Rosinei (Daniel), Marcelo Mattos, Magrão, Willian e Wellington (Bruno Octávio); Wilson (Rafael Fefo) e Amoroso.
Técnico: Émerson Leão



Santos vence clássico na Vila e complica Corinthians no Estadual

O Santos soube aproveitar o fator casa e a vantagem numérica para vencer o Corinthians por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e complicar ainda mais a situação do arqui-rival no Campeonato Paulista-2007.

O time da Baixada teve como “ajuda” a expulsão de dois atletas rivais –Amoroso e Gustavo– para construir a vitória com um gol de Jonas aos 35min da etapa final.

Agora, com a derrota, o time do Parque São Jorge permanece com 24 pontos, cinco atrás do Bragantino, quarto colocado e que hoje seria a última equipe classificada para a segunda fase da competição –o Palmeiras, com 28, joga na quinta-feira contra o América.

Já o Santos foi a 41 e manteve a distância de quatro pontos na liderança para o São Paulo, que hoje goleou o Rio Branco no Morumbi.

Com a derrota, o Corinthians segue com o tabu de não vencer o Santos pelo Estadual há seis anos. A última vitória foi nas semifinais de 2001, em competição que seria vencida depois pelo time da capital.

Além do tabu no Estadual, os corintianos não vencem os santistas há quatro jogos –os outros três foram realizados em 2006 e todos com vitórias do time da Vila, uma pelo Paulista, e outras duas vezes no Campeonato Brasileiro.

Em campo, o Corinthians teve a volta do zagueiro Marinho, que estava suspenso, e o técnico Emerson Leão manteve esquema com três zagueiros [os outros dois foram Betão e Gustavo].

Já o Santos teve problemas na escalação. O time não contou com o lateral-esquerdo Kléber, que está com a seleção brasileira, e com o meia Cléber Santana, suspenso. Assim, Luxemburgo escalou Carlinhos na lateral e apostou no jovem Adriano no meio-campo.

O jogo

O Santos começou melhor e teve boa chance nos minutos iniciais. Aos 3min, Carlinhos recebeu bola na esquerda e chutou para a área, a bola chegou em Marcos Aurélio, que chutou em cima do goleiro Jean.

Mais confiante na partida, o time da casa não demoraria para abrir ao placar. Aos 10min, em rápido contra-ataque, Rodrigo Tiuí partiu do meio-campo e lançou para Zé Roberto que recebeu na área e deu um leve toque na saída de Jean: 1 a 0.

Mesmo pior em campo, o Corinthians conseguiu chegar ao empate. Aos 22min, também em jogada de contra-ataque, o meia Willian fez boa jogada individual, passou por Antônio Carlos e cruzou. O zagueiro Adaílton tentou fazer o corte e chutou contra as próprias redes.

Mas a situação do time do Parque São Jorge se complicou aos 40min. Após fazer bela jogada e dar um chapéu em Rodrigo Souto, o atacante Amoroso deixou a sola na perna do volante Adriano e foi expulso pelo árbitro José Henrique de Carvalho.

Mesmo com um homem a mais, o time da Vila Belmiro, sem criatividade, pouco produzia e demorou para assustar o rival na etapa final. A primeira boa chance veio aos 21min, quando Pedrinho cruzou da esquerda e Jonas, sozinho, cabeceou para fora.

Outra nova boa chance surgiu aos 25min, quando o mesmo Jonas arriscou de fora da área e a bola assustou o goleiro Jean.

O Corinthians perdeu mais um jogador aos 28min, após Gustavo fazer falta por trás e receber seu segundo cartão amarelo e ser expulso pelo árbitro.

Com mais espaços em campo, o time da Baixada conseguiu marcar o gol da vitória aos 35min. Marcos Aurélio recebeu bola na direita, girou fácil em cima de Marinho e cruzou da direita para Jonas bater forte: 2 a 1.

Depois disso, o time da casa passou a administrar a partida diante de um Corinthians que não teve mais chances de assustar.


Vídeos: (1) Globo Esporte e (2) Gols do Fantástico

Palmeiras 3 x 3 Santos

Data: 04/02/2007, domingo, 18h10
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 6ª rodada
Local: Estádio do Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 18.676 pagantes
Renda: R$ 314.490,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Cartões amarelos: Dininho (P); Neto e Zé Roberto (S).
Cartão vermelho: Wendel (P).
Gols: Osmar (28-1) e Osmar (39-1); Pedrinho (08-2), Edmundo (24-2, de pênalti), Kléber (33-2) e Jonas (34-2).

PALMEIRAS
Marcos; Dininho, Pierre, Edmílson e Paulo Baier (Marcelo Costa); Francis, Wendel, Edmundo e Michael (Martinez); Cristiano e Osmar (Leandro).
Técnico: Caio Júnior

SANTOS
Fábio Costa; Neto (Rodrigo Tiuí), Antônio Carlos, Adaílton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto (Rodrigo Tabata), Cléber Santana e Zé Roberto; Pedrinho e Marco Aurélio (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luemburgo



Em jogo de 6 gols, Palmeiras e Santos empatam no 1º clássico do Paulista

Numa partida emocionante, marcada por uma grande atuação de Edmundo, pelo oportunismo de Osmar, que fez dois gols, e pela reação do adversário, que chegou a estar perdendo por 3 a 1, Palmeiras e Santos empataram por 3 a 3, neste domingo, no estádio do Parque Antarctica, no primeiro clássico do Campeonato Paulista-2007.

Ao resgatar o empate, o Santos, líder do Estadual com 16 pontos, manteve a invencibilidade na temporada –são seis vitórias, uma pela fase preliminar da Taça Libertadores, e o empate de hoje.

Já o Palmeiras, que vinha de derrota para a Ponte Preta, soma onze pontos.

No Palmeiras, o técnico Caio Júnior cumpriu o que havia prometido e colocou Edmundo no lugar do chileno Valdivia –que está machucado e cumpria suspensão– com a função de organizar o ataque, lançando os atacantes Osmar e Cristiano.

Pelo lado santista, o técnico Vanderlei Luxemburgo armou a equipe no 4-4-2, com Neto atuando no lugar do lateral-direito Pedro, suspenso. No ataque, optou por escalar o ex-palmeirense Pedrinho ao lado de Marcos Aurélio.

E o início da partida foi bastante disputado. Com 1min, Marcos evitou o gol do Santos num chute forte de Maldonado. Aos 6min, o Palmeiras respondeu: o zagueiro Edmílson cobrou falta com violência e acertou o travessão de Fábio Costa.

O Palmeiras, apoiado por sua torcida, tentava chegar ao ataque apostando na velocidade de Cristiano, que falhava nas finalizações. Já o Santos esperava os contra-ataques.

Aos 27min, o time da casa abriu o placar. Michael fez ótima pela esquerda e cruzou para Osmar, que cabeceou sem defesa para Fábio Costa, 1 a 0.

Quatro minutos depois, o Palmeiras ficou perto do segundo gol. Após cruzamento da esquerda, Osmar, novamente de cabeça, ganhou da zaga do Santos, mas Fábio Costa se esticou e evitou o gol.

Aos 39min, não teve jeito para o Santos. Edmundo lançou a bola dentro da área, Antônio Carlos tentou cortar e, no rebote, Osmar bateu sem chances de defesa para o goleiro adversário.

O Palmeiras quase ampliou aos 44min, quando Edmundo, que fez um ótimo primeiro tempo, acertou a trave de Fábio Costa.

Na etapa final, o Santos voltou com uma novidade –o atacante Rodrigo Tiuí no lugar do lateral Neto– e bem mais disposto. Com dois minutos, Cléber Santana cabeceou forte e Marcos defendeu.

Com mais força no ataque, o Santos diminuiu aos 9min. Após cobrança de escanteio e de um desvio, Pedrinho apareceu livre dentro da área e só completou para o gol.

O Santos continuou pressionando o adversário em busca do empate, mas parando nas defesas do goleiro Marcos.

O Palmeiras foi mais eficiente. Aos 24min, Antônio Carlos derrubou Edmundo dentro da área e o árbitro Wilson Luiz Seneme marcou a penalidade. O próprio Edmundo bateu e marcou, deslocando Fábio Costa.

Mas o Santos não desistiu do jogo. Aos 32min, numa cobrança de falta, Kléber diminuiu –a bola tocou na barreira e enganou Marcos.

Apenas dois minutos depois, aconteceu o empate. Após cruzamento da esquerda, Rodrigo Tiuí cabeceou na trave. No rebote, Jonas só precisou empurrar para o gol, 3 a 3.

Para piorar, no lance seguinte, Wendel, que já tinha cartão amarelo, foi expulso. Mas o placar

Santos 4 x 1 Sertãozinho

Data: 22/01/2007, segunda-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 8.157 pagantes
Renda: R$ 79.722,00
Árbitro: Christian Lopes de Oliveira
Auxiliares: Mário Nogueira da Cruz e David Botelho Barbosa
Cartões amarelos: Rondinelli (SE), Adaílton (SA),
Gols: Jonas (20-1), Paulo Santos (23-1) e Fabiano (45-1); Cléber Santana (12-2) e Cléber Santana (23-2).

SANTOS
Fábio Costa; Pedro, Adaílton (Antônio Carlos), Ávalos, e Kléber; Rodrigo Souto, Maldonado, Cléber Santana e Zé Roberto (Rodrigo Tabata); Jonas e Fabiano (Júnior).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SERTÃOZINHO
André Luís; Ricardo Lopes, Erivelton, Paulo Turra e Rondinelli, Leandro Moreno, Ceará, Paulo Santos (Fabiano Souza) e Alexandre (Messias); Cris (Isaías) e Márcio Mixirica.
Técnico: Nenê Belarmino



Santos goleia e mantém 100% de aproveitamento no Paulista-2007

Dois dias depois de vencer o São Caetano, o Santos goleou o Sertãozinho por 4 a 1, nesta segunda-feira, na Vila Belmiro, em jogo antecipado da 5ª rodada do Campeonato Paulista-07.

Com o resultado, a equipe de Vanderlei Luxemburgo, atual campeã estadual, manteve o aproveitamento de 100% na competição –venceu Barueri e São Caetano nas duas primeiras rodadas– e está na liderança do torneio.

Após o jogo de hoje, remarcado em razão de compromisso na Taça Libertadores, o Santos pega o Bragantino, na quinta, e o Guarantiguetá, domingo, antes de iniciar o duelo contra o Blooming (Bolívia) pela fase preliminar do torneio interclubes, no dia 31.

Apesar da maratona de jogos, Luxemburgo preferiu manter a base da equipe –deixou apenas o zagueiro Antônio Carlos e o meio-campista Rodrigo Tabata, normalmente titulares, no banco de reservas.

Nos primeiros minutos de jogo, o Santos encontrou dificuldades para entrar na defesa adversária. A primeira boa chance aconteceu aos 10min, numa cobrança de falta de Kléber que assustou o goleiro André Luís.

Aos 20min, o Santos chegou ao primeiro gol. Após cobrança de escanteio e de um desvio, Jonas cabeceou forte e marcou.

No entanto, três minutos depois, Paulo Santos apareceu livre na área santista e chutou forte para empatar.

O Santos continuou pressionando, em chutes de Pedro, Cléber Santana e Zé Roberto que não acertaram o alvo. Aos 30min, o Sertãozinho teve ótima chance para marcar: após cruzamento da esquerda, Cris apareceu livre e cabeceou forte, exigindo ótima defesa de Fábio Costa.

Aos 42min, o Santos chegou com perigo. Após cruzamento, Jonas apareceu livre dentro da área, mas cabeceou para fora.

Já nos acréscimos, aos 46min, a equipe da casa chegou ao segundo gol quando Cléber Santana, dentro da área, bateu cruzado e Fabiano se esticou para empurrar para o gol.

Para a etapa final, o Santos voltou com Júnior no lugar de Fabiano. E demorou apenas doze minutos para ampliar o resultado quando o lateral Pedro invadiu a área e foi derrubado.

Cléber Santana ficou com a obrigação de cobrar. Na primeira chance, o goleiro André Luís defendeu, mas o árbitro Christian Lopes de Oliveira, atendendo um aviso do assistente, mandou repetir a cobrança. Cléber Santana foi para a bola novamente e não deu chance ao goleiro adversário, 3 a 1.

Aos 25min, o Santos chegou ao quarto gol. Cléber Santana dominou a bola fora da área e chutou com violência, no ângulo, e o goleiro André Luís só olhou.