Navegando Posts marcados como Keirrison

Santos 1 x 1 Internacional

Data: 21/05/2011 – 21h00
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.532 pagantes
Renda: R$ 78.170,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci.
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas e Carlos Emanuel Manzolillo.
Cartões amarelos: Charles, Bruno Aguiar (S), Bolatti, Daniel (I).
Gols: Keirrison (28-1) e Zé Roberto (34-1).

SANTOS
Aranha, Bruno Aguiar, Bruno Rodrigo e Vinícius; Pará, Charles, Possebon (Anderson Carvalho), Felipe Anderson e Alex Sandro; Keirrison, Tiago Alves (Rychely).
Técnico (interino): Marcelo Martelotte

INTERNACIONAL
Renan, Daniel, Bolívar, Juan e Kleber; Guiñazu, Bolatti (Fabrício), Tinga e Oscar (Cavenaghi); Zé Roberto (Ricardo Goulart) e Leandro Damião.
Técnico: Falcão



Santos joga até com técnico reserva, e empata com Inter na estreia do Brasileirão

O Santos mostrou que tem foco apenas na Libertadores na estreia do Brasileirão. Todos os jogadores que entraram em campo são considerados reservas; até o técnico era suplente. Comandado por Marcelo Martelotte, o time da Vila Belmiro empatou por 1 a 1 com gols no primeiro tempo.

Acometido por uma forte gripe, Muricy Ramalho não pôde comandar o Santos e virou ‘desfalque’ na partida. No outro banco de reservas, Falcão fez o seu debute na Vila, já que nunca havia atuado no local, nem na época que era jogador.

O duelo disputado neste sábado prometia ser um bom jogo se as duas equipes jogassem completas, pois se trata de um jogo entre dois campeões estaduais com elencos que estão entre os melhores do país. Só que o Inter também entrou em campo com cinco desfalques.

Por isso, o que se viu em campo foi um jogo no máximo fraco, em que as defesas prevaleceram sobre os ataques (Santos e Inter entraram com três volantes) e foram raras as chances de gol.

As estrelas da partida tiveram seus lampejos de que iriam mudar os rumos da partida, mas não conseguiram. Falcão e Martelotte até que tentaram, mas não alteraram o panorama do jogo com as alterações que fizeram. Por isso, o 1 a 1 ficou de bom tamanho para as pouco mais de 4500 pessoas que estiveram na Vila Belmiro.

Data: 17/04/2011
Competição: Campeonato Paulista – 19ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.263 pagantes
Renda: R$ 99.268,73
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho.
Auxiliares: Bruno Salgado Rizo e Risser Jarussi Corrêa.
Cartões amarelos: Róbsone Moisés (S); Fabiano e Guigov (J).
Gols: Keirrison (01-1) e Alan Patrick (02-1); Maikon Leite (34-2).

SANTOS
Vladimir, Pará, Bruno Aguiar, Vinícius e Alex Sandro; Adriano, Danilo, Alan Patrick (Dimba) e Robson (Moisés); Maikon Leite e Keirrison (Emerson).
Técnico: Muricy Ramalho

PAULISTA
Cristiano, Weldinho, Eli Sabiá, Henrique e Guigov; Baiano, João Paulo (Formigone), Fabio Gomes, Barboza; Fabiano (Carlão) e Mike (Juninho).
Técnico: Wagner Lopes



Maikon Leite desequilibra, Santos elimina o Paulista e termina 1ª fase em quarto

Com uma atuação de gala do atacante Maikon Leite, o Santos derrotou o Paulista por 3 a 0 neste domingo na Vila Belmiro, eliminou o time do interior, mas não conseguiu ultrapassar o Corinthians na tabela de classificação.

Com uma atuação de gala do atacante Maikon Leite, o Santos derrotou o Paulista por 3 a 0 neste domingo na Vila Belmiro, eliminou o time do interior, mas não conseguiu ultrapassar o Corinthians na tabela de classificação.

O Santos pulou para 38 pontos, o mesmo do Corinthians (que venceu o Santo André por 2 a 0), mas não conseguiu superar o rival no saldo de gols (21 a 20). Nas quartas de final, o adversário agora será a Ponte Preta, que terminou em quinto. O Paulista, que brigava para terminar entre os oito primeiros, agora está matematicamente eliminado.

O técnico Muricy Ramalho aproveitou a partida contra o Paulista para conhecer todo o elenco. Apenas os volantes Adriano e Danilo, do time considerado titular, entraram em campo.

O Santos começou a partida com um ritmo fulminante, com destaque para a boa atuação do atacante Maikon Leite. Logo a 1min, ele chutou e Keirrison completou para as redes. Com 2min, cruzamento dele e gol de Alan Patrick: 2 a 0 e meio caminho para a vitória percorrido.

Assustado, o Paulista demorou para ‘entrar no jogo’, e só o fez após uma cobrança de falta do veterano Baiano, que obrigou Wladimir a fazer uma bela defesa. O goleiro do Santos também trabalhou bem em outra oportunidade.

Mas o primeiro tempo era mesmo de Maikon Leite, que perdeu grande chance de gol ao chutar para fora na frente de Cristiano, e em outra oportunidade fez o goleiro do Paulista espalmar para fora.

Depois do início muito veloz, o Santos acalmou a partida, que terminou mesmo 2 a 0 na primeira etapa. Maikon Leite celebrou o placar elástico na saída para o intervalo. “O importante é que a bola entrou. Enquanto a bola tiver chegando vamos correr”.

O Santos continuou ‘sobrando’ na partida contra o Paulista, que precisava vencer para manter chances de classificação para a segunda fase da competição. As chances de gol foram surgindo com naturalidade.

O time da casa, porém, abusou de perder gols: o primeiro com Alan Patrick, o segundo com Bruno Aguiar e o terceiro com Maikon Leite, todos ainda no primeiro terço da etapa.

Com o Santos soberano na partida, Muricy começou a fazer testes com o banco de reservas ao sacar Robson e colocar Moises no seu lugar. Depois disso, a equipe começou a cadenciar o jogo, como se gostasse do resultado. Sem forças, o Paulista não oferecia perigo.

Para ser coroado o melhor em campo só faltava o gol. E ele veio. Aos 34min, Maikon Leite, mais uma vez em jogada individual, coroou sua bela atuação com um bonito gol e fechou a fatura: 3 a 0.

Ituano 2 x 3 Santos

Data: 27/03/2011
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio Novelli Júnior, em Itú, SP.
Público: 5.301 pagantes.
Renda: N/D
Árbitro: Philippe Lombard.
Auxiliares: Marco Antonio de Andrade Motta Junior e Mauricio Helder Luiz Alexandrino.
Cartões: Danilo, Possebon e Ganso (S); Leomir e Jackson (I).
Gols: Jefferson (24-1) e Tiago Alves (27-1) e Keirrison (35-1); Jonathan (21-2) e Alan (37-2).

ITUANO
Marcelo Bonan; Anderson Sales, Rodrigão, Jackson e Alex Cazumba; Adoniran, Junior Urso, Alemão (Oliveira) e Jefferson (Alan); Leomir (Welton) e Malaquias.
Técnico: Ruy Scarpino.

SANTOS
Rafael, Jonathan (Charles), Edu Dracena, Bruno Rodrigo (Bruno Aguiar) e Danilo; Possebon, Adriano, Ganso e Felipe Anderson; Tiago Alves (Alan Patrick) e Keirrison.
Técnico: Marcelo Veiga.



Reservas decidem, Santos vira sobre o Ituano e sela sua classificação

O Santos tinha muitos desfalques, incluindo os selecionáveis Neymar e Elano, e Paulo Henrique Ganso estava sendo bem marcado. Para piorar, começou perdendo do Ituano. Mas os reservas chamaram a responsabilidade, foram protagonistas da virada (3 a 2) e selaram a vaga santista à próxima fase do Campeonato Paulista.

A três rodadas para o encerramento, o Santos figura na quarta colocação, agora com 34 pontos e já não pode mais ser alcançado pela Portuguesa, que ocupa a 9ª posição, a primeira fora da zona de classificação, e contabiliza 22 pontos. “Alcançamos nosso objetivo”, resumiu o zagueiro Edu Dracena. Já o Ituano tem apenas 15 pontos e figura na degola.

O duelo, aliás, marcou a reabertura do estádio Novelli Júnior, interditado nos últimos oito meses em razão das obras de ampliação de capacidade, que passou de 15 mil para 19 mil, além de outras reformas para modernização do local.

Para esta partida, o Santos tinha inúmeros desfalques. Eram 11 entre vetados pelo departamento médico (Vinícius, Léo, Alex Sandro, Arouca, Diogo e Maikon Leite), suspensos (Durval, Pará e Zé Eduardo) e convocados para a seleção brasileira, casos de Elano e Neymar.

Mesmo assim, o time da Vila Belmiro deu sinais de que esse ‘detalhe’ não atrapalharia. Tiago Alves e Felipe Anderson criaram duas belas oportunidades no começo. O Ituano demorou a chegar ao ataque. Em sua segunda chance, porém, acabou sendo eficiente. Aos 24min, Jefferson aproveitou cruzamento de Urso e fez o primeiro

A resposta do Santos foi rápida. Apenas três minutos mais tarde, Tiago Alves arriscou da esquerda e viu a bola pegar um efeito inacreditável. 1 a 1. Isso foi suficiente para o elenco santista retomar o domínio da partida. E, aos 35min, virou. Keirrison recebeu de Felipe Anderson e tocou na saída de Marcelo.

“Quando trocamos passes e colocamos a bola no chão, nosso time mandou no jogo. Precisamos continuar com essa postura para definir a vitória”, disse o meia Paulo Henrique Ganso, que teve atuação discreta na etapa inicial. Para o segundo tempo, o camisa 10 voltou melhor e encontra mais espaços.

E foi dele a primeira grande jogada. Aos 11min, deu um toque de classe e deixou Keirrison na cara do gol. O atacante, porém, desperdiçou. O Ituano, por outro lado, sentia muitas dificuldades. Não bastasse isso, o Santos era eficiente. Aos 21min, Jonathan recebeu passe da direita e colocou no ângulo de Marcelo.

A vitória parecia certa. Não foi o que aconteceu. Na base da vontade, o Ituano se mandou para o ataque, viu o goleiro Rafael fazer uma espécie de milagre, aos 36min, e, no minuto seguinte, Alan diminuiu. O time de Itu ainda insistiu, mas evitou o revés e a classificação antecipada do rival santista.

Data: 23/11/2011
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 15ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: N/D
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado.
Auxiliares: Rafael Ferreira da Silva e Maiza Teles Paiva.
Cartões amarelos: Pará, Durval, Zé Eduardo (S), Val, Denilson (MM).
Gols: Zé Eduardo (06-1); Keirrison (02-2), Cristiano (26-2) e Edu Dracena (29-2).

SANTOS
Rafael, Bruno Rodrigo, Edu Dracena, Durval; Jonathan (Crystian), Possebon, Felipe Anderson (Alan Patrick), Paulo Henrique Ganso e Pará; Zé Eduardo e Keirrison (Tiago Alves).
Técnico: Marcelo Martelotte

MOGI MIRIM
João Paulo, Audálio, Tiago e Everton Dias; Niel, Baraka, Val, Paulo Isidoro (Ytalo) e Maisena (Cleidson); Roberto Jacaré (Cristiano) e Denílson.
Técnico: Guto Ferreira



Ganso participa de gols, evita pressão e ajuda Santos a vencer Mogi por 3 a 1

Paulo Henrique Ganso escapou das vaias com participação fundamental nos três gols santistas na vitória por 3 a 1 contra o Mogi Mirim, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 15ª rodada do Campeonato Paulista. Ganso, extremamente criticado por ter o desejo de transferência externado pelo presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, deu a assistências para os gols de Zé Eduardo e Edu Dracena, e iniciou a jogada do gol marcado por Keirrison.

O camisa 10 precisou de poucos minutos para evitar a pressão do baixo público santista presente (apenas 3.785 torcedores) na Vila. Com sete minutos de jogo, ela já tranquilizou o torcedor colocando Zé Eduardo na cara do gol para marcar o primeiro.

Como estrela solitária em campo, o meia ajudou o Santos a superar os diversos desfalques, nove no total, incluindo os selecionáveis Elano e Neymar, e conseguiu minimizar a crise vivida pelo clube.

Com o triunfo, o Santos pula para 31 pontos, mas segue na quarta colocação do campeonato, já que Corinthians, o líder, e Palmeiras, o vice, venceram na rodda. O Mogi segue com 18 pontos, na 12ª colocação.
Na próxima rodada, o Santos pode antecipar a classificação e enfrenta o Ituano, em Itu, domingo, às 18h30. Já o Mogi-Mirim encara a Portuguesa jogando em casa, sábado, às 18h30.

O Santos iniciou o jogo impondo pressão no adversário e com Paulo Henrique Ganso sabendo aproveitar bem o espaço para distribuir as jogadas. O meia teve um início brilhante com passes precisos, deixando no mesmo minuto, Felipe Anderson, e posteriormente Zé Eduardo na cara do gol. O primeiro desperdiçou ótima chance, enquanto o segundo abriu o placar para o Santos.

O ritmo santista diminuiu bruscamente na medida em que o futebol de Ganso também foi decaindo. O camisa 10 ainda armou boas jogadas, com longas enfiadas de bola, mas os erros de passes minaram a atuação.

Com o passar do tempo, Ganso ganhou a ‘sombra’ do volante Val em campo. O marcador do Mogi Mirim foi viril, e não poupou o camisa 10. Após uma entrada dura, o meia chegou a levar a mão no joelho esquerdo recém operado deixando os santistas apreensivos.

“Não foi nada. É apenas um mal-estar. Estou pronto para o segundo tempo”, disse Ganso no intervalo.

Ganso escapou das vaiais direcionadas para si no intervalo do jogo. No entanto, elas vieram para o Santos em geral. A torcida reclamou da exibição santista na primeira etapa.

Data: 15/2/2011 – 19h30
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 1ª rodada
Local: Estádio Gilberto Siqueira Lopes, em Lins, SP.
Público e Renda: N/D
Árbitro: Rodrigo Braghetto.
Assistentes: Mario Nogueira da Cruz e Carlos Augusto Nogueira Junior.
Cartões amarelos: Durval, Robinho, Pará, Felipe Anderson (Santos), André Turatto (Linense).
Gols: Maikon Leite, aos 8, Zé Eduardo, 33, Keirrison, 40 do primeiro tempo; Maikon Leite, aos 21, Fausto, aos 43 minutos do segundo tempo.

LINENSE
Paulo Musse; Eric (Marcus Vinícius), Samuel, André Turatto e Tarracha (Éder); André Bilinha (André Luiz), Vagner, Gilsinho e Rodrigo Guarú; Fausto e Pedrão.
Técnico: Vilson Tadei

SANTOS
Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Possebon (Bruno Rodrigo) e Robinho (Felipe Anderson); Maikon Leite, Keirrison e Zé Eduardo (Rodriguinho).
Técnico: Adilson Batista



Santos estréia no Paulistão goleando Linense

Dois já estão quase fora do clube (Zé Eduardo e Maikon Leite) e o outro (Keirrison) ainda não havia engrenado no Santos. Mesmo assim, o trio ofensivo escolhido pelo estreante Adilson Batista para a abertura do Campeonato Paulista deu certo e foi protagonista da goleada diante do Linense por 4 a 1, na noite deste sábado, em Lins.

O time da Vila Belmiro entrou em campo com uma equipe bem distante daquela que deverá ser a base na temporada. Alex Sandro, Danilo, Alan Patrick e Neymar, servindo à seleção brasileira sub-20, Arouca, Charles, Jonathan e Ganso, vetados pelo departamento médico, e Elano, por questões burocráticas, não atuaram.

Mas isso não atrapalhou o desempenho dos visitantes. Adilson Batista escalou o time com seu esquema tático preferido, o 4-3-3. No ataque, dois jogadores que estão próximos de deixar o time –Maikon Leite, que tem um pré-contrato assinado com o Palmeiras, e Zé Eduardo, que deve atuar na Europa. Além disso, escalou Keirrison.

E o trio acabou sendo decisivo. O Linense demonstrou muita fragilidade durante o primeiro tempo. E o Santos não perdoou a apatia do recém-promovido rival. Logo aos 8min, Zé Eduardo fez bela jogada pela esquerda e cruzou para Maikon Leite, livre, cabecear e fazer o primeiro gol da competição.

O gol foi suficiente para que os visitantes encontrassem mais espaços. Aos 33min, Zé Eduardo, um dos melhores em campo, recebeu na esquerda e tocou com categoria por cima de Paulo Musse. O goleiro ainda tocou na bola, mas não evitou o segundo. Depois, aos 40min, Keirrison sofreu pênalti. O próprio atacante cobrou e fez 3 a 0.

“Meu pensamento é apenas no Santos. Estamos deixando o jogo ficar fácil, trocando passes bem rápidos e marcando os gols”, comentou o atacante Maikon Leite. “Não conseguimos jogar. Nossa equipe criou pouco. Precisamos melhorar bastante no segundo tempo”, lamentou Tarracha.

Diante disso, o Linense precisava mudar de postura na etapa final. Voltou melhor e até teve chances para diminuir o marcador. Logo aos 7min, Fausto viu o goleiro Rafael defender uma cobrança de pênalti e, no minuto seguinte, acertou uma bola na trave.