Navegando Posts marcados como Kléber

Santos 4 x 0 Ipatinga

Data: 18/05/2008
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.396 pagantes
Renda: R$ 28.410,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)
Cartões amarelos: Renato, Neto Baiano e William (I); Kléber Pereira e Marcinho Guerreiro (S).
Gols: Kléber (15-1); Kléber Pereira (21-2), Kléber Pereira (24-2) e Kléber Pereira (35-2).

SANTOS
Fábio Costa; Betão, Fabão, Marcelo (Anderson Sales) e Kléber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto e Molina (Rodrigo Tabata); Wesley (Tripodi), Kléber Pereira e Lima.
Técnico: Emerson Leão

IPATINGA
Fred; Edimar, Renato, Gian e Mariano; Jackson, Augusto Recife, Marcelo Costa e Ricardinho (Rodriguinho); William (Adeílson) e Neto Baiano (Marcelo Macedo).
Técnico: Giba



Kléber Pereira marca três, o Santos goleia e embala para a Libertadores

Após início sonolento, Peixe desencanta e faz 4 a 0 no Ipatinga

Com a cabeça na partida da próxima quinta-feira, diante do América do México, pela Libertadores, o Santos entrou em campo com todos os titulares neste domingo para encarar o Ipatinga, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Brasileirão, e não deu chance para o azar: 4 a 0, com três gols de Kléber Pereira. Kléber completou o placar.

Com o resultado o Peixe pula para o sétimo lugar, com três pontos, e empurra o Ipatinga para a lanterna da competição, com duas derrotas em dois jogos. No próximo fim de semana, o Tigre encara o Goiás, em Goiânia, e o Santos vai a Belo Horizonte jogar contra o Cruzeiro.

Chivas Guadalajara 3 x 2 Santos

Data: 09/04/2008
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara, México.
Árbitro: José Buitrago (COL)
Assistentes: Wilson Berrio e Javier Camargo (ambos da COL)
Cartões amarelos: Domingos, Evaldo e Wesley (S); Solis, Pineda, Araújo e Reynoso (C).
Gols: Arellano (12-1), Rodriguez (34-1) e Kleber Pereira (38-1); Santana (01-2) e Kleber (10-2).

CHIVAS GUADALAJARA
Luís Michel; Reynoso, Rodriguez e Magallon; Solis, Pineda, Ávila, Morales (Araújo) e Medina; Santana (Esparza) e Arellano (Bravo).
Técnico: Efraín Flores

SANTOS
Fábio Costa; Fabão, Domingos (Evaldo) e Betão; Denis (Quiñonez), Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro, Molina (Tiago Luís) e Kléber; Wesley e Kléber Pereira
Técnico: Emerson Leão



Santos cai no México, adia vaga às oitavas e vê Chivas encostar

O Santos entrou em campo necessitando de um empate para assegurar vaga às oitavas, montou esquema defensivo, mas não resistiu à pressão do Chivas, que venceu por 3 a 2, em Guadalajara, e encostou no time da Vila na disputa pela classificação na Libertadores.

Com esta derrota, o Santos não tem mais chance de ser líder do grupo 6. O Cúcuta tem 11 pontos, seguido pelo Santos, com sete. Chivas tem seis pontos e o San José quatro pontos. A equipe da Vila precisa vencer o Cúcuta, na Baixada, dia 16, para assegurar vaga às oitavas sem depender do resultado de San José x Chivas.

Irritado com o desempenho santista em campo, Leão “elegeu” a zaga alvinegra como a vilã no duelo no México. “Se eu tiver que listar tudo o que erramos, ficarei um longo tempo citando aqui. Não pode se apaixonar pela bola e sair correndo”, disparou o treinador à TV Tribuna.

Ciente de que o Chivas viria desesperadamente para cima do Santos, pois só a vitória interessava ao time da casa, Emerson Leão optou por uma formação cautelosa, usando três zagueiros, em vez de três no ataque.

Como previu Leão, o Chivas investiu fortemente no ataque. Travado em campo, o Santos não incomodou a defesa mexicana, permitindo avanços seguidos do rival. E o gol do Chivas não demorou a ocorrer. Após errar duas chances boas de gol, Arellano abriu o marcador, aos 12 min.

Mesmo atrás no placar, o Santos continuou apresentando sérias dificuldades em articular jogadas ofensivas. Melhor organizado, o Chivas criou inúmeras oportunidades de ampliar o placar. Irreconhecível, a equipe paulista apenas assistia ao Chivas em seu campo.

O convite ao ataque mexicano custou caro. Rodriguez, de cabeça, fez o segundo gol do time de Guadalajara. “Vítima” da blitz mexicana, Domingos cedeu lugar a Evaldo ainda na etapa inicial.

Em rara investida ofensiva, o Santos diminuiu o placar, com Kléber Pereira, que se enroscou com zagueiro mexicano em cobrança de escanteio.

O Chivas iniciou a etapa complementar imprimindo o mesmo ritmo dos 45 min iniciais. Logo no primeiro minuto, Santana aumentou a vantagem no placar, cabeceando sem qualquer marcação.

Sem criatividade, o Santos explorou jogadas de bola parada e voltou a encostar. De falta, Kléber cobrou bem, dando novo ânimo ao time da Vila. Na frente, o Chivas passou a se segurar na defesa, sem ser ameaçado pela equipe alvinegra.

Santos 2 x 0 Bragantino

Data: 27/01/2008, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª Fase – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.716 pagantes
Renda: R$ 61.430,00
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Edvânio Ferreira Duarte (SP)
Cartões amarelos: Anderson Salles (Santos), Nei Santos, César Gaúcho, Da Silva (Bragantino)
Gols: Thiago Luís (34-1) e Kléber (37-2).

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton, Anderson Salles e Betão; Filipi, Adriano, Rodrigo Souto, Rodrigo Tabata (Alex) e Kléber; Tiago Luis e Kléber Pereira (Renatinho).
Técnico: Emerson Leão

BRAGANTINO
Gléguer; Nei Santos, Thiago Vieira e Da Silva; Niander (Rafael Aidar), César Gaúcho, Moradei, Zeziel e Anderson (Paulinho); Malaquias e Bill (Rafinha).
Técnico: Marcelo Veiga



Novato marca, Santos vence a 1ª no Paulista e renova esperanças

Com um gol do atacante Tiago Luís, 18, destaque do Santos na última Copa São Paulo, o time da Vila Belmiro fez 2 a 0 no Bragantino neste domingo (27), em casa, registrando a sua primeira vitória no Campeonato Paulista.

Com o resultado, o Peixe foi a quatro pontos após quatro rodadas, e ainda briga contra as últimas posições na tabela de classificação. A liderança do Estadual é da Ponte Preta, único time com 100% de aproveitamento, seguida pelo Guaratinguetá (nove pontos). O Bragantino tem seis pontos.

Depois desta tarde, o Santos conseguiu renovar as suas esperanças, abaladas pelos maus resultados nos outros jogos (duas derrotas e um empate) e pela suposição de Emerson Leão a respeito de um complô entre os jogadores para derrubá-lo do cargo de treinador.

Diante da torcida, o time deu a resposta pedida pelo técnico e se recuperou pelo menos psicologicamente. E ainda deu alento aos torcedores, com as estréias dos novatos Anderson Salles e Tiago Luís, que defenderam o clube no torneio júnior do começo do ano. O atacante, particularmente, marcou oito gols em quatro partidas.

Ele fez apenas um treinamento coletivo pelo profissional, surpreendendo Leão e marcando contra os reservas. Caso semelhante aos de Robinho e Diego, que ganharam destaque sob comando do treinador apesar de terem sido lançados pela primeira vez por Celso Roth, no Torneio Rio-SP de 2002.

Nesta tarde foi a vez de Tiago Luís, que marcou aos 34min do primeiro tempo ao aproveitar um passe alto perfeito de Kleber a partir da lateral. Tiago entregou seu “cartão de visita”, tornou-se conhecido e precisou de ajuda dos seguranças do clube para descer ao vestiário no intervalo.

Leão deu seqüência às renovações no segundo e colocou em campo Alex, que também esteve na Copa São Paulo, e Renatinho, sacando Rodrigo Tabata e Kléber Pereira, respectivamente.

O setor ofensivo registrou queda de produtividade, e o Bragantino aproveitou para crescer no jogo. E só não empatou o placar por causa da atuação de Fábio Costa, que fez defesas difíceis, e pela falta de pontaria. A insistência do time do interior foi penalizada aos 37min, quando o goleiro Gléguer falhou e viu Nei Santos marcar contra.

Figueirense 1 x 0 Santos

Data: 21/10/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC.
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho e Roberto Braatz (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Alessandro, Rodrigo Souto, Marcos Aurélio e Petkovic (S); Felipe Santana e Asprilla (F).
Gol: Kléber (45-1, contra).

FIGUEIRENSE
Wilson; Felipe Santana, Chicão e Asprilla; Ruy (Carlinhos), Cleiton Xavier, Fernandes, Carlinhos e André Santos; Ramon (Frontini) e Jean Carlos (Thiago Gentil)
Técnico: Alexandre Gallo

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Marcelo e Kléber; Adoniran (Moraes), Rodrigo Souto, Petkovic e Vítor Júnior (Rodrigo Tabata); Renatinho (Marcos Aurélio) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde para o Figueira e deixa de assumir vice-liderança

O Santos perdeu por 1 a 0 para o Figueirense, na noite deste domingo, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com este tropeço, o Peixe desperdiçou a chance de alcançar a vice-liderança da competição nacional. Porém, segue no G-4, com 52 pontos, na quarta posição. Já o Figueira entrou para a zona de classificação para a Copa Sul-Americana, ao somar 45 pontos.

O Santos entrou em campo sem Maldonado, que se contundiu em jogo da seleção chilena pela Copa América. Adoniran começou a partida em seu lugar. Por outro lado, o técnico Vanderlei Luxemburgo pôde contar com o retorno do lateral-esquerdo Kléber, que estava com a seleção brasileira.

Com a derrota do Cruzeiro para o São Paulo, no Morumbi, o Peixe buscava uma vitória para assumir a vice-liderança da competição nacional. Já o Figueira iniciou o confronto com apenas quatro pontos acima da zona do rebaixamento. A favor do time da casa, existia um retrospecto positivo de quatro vitórias nos últimos quatro confrontos em Florianópolis.

O jogo começou equilibrado, com leve superioridade do Figueirense, que desperdiçou duas boas oportunidades nos momentos iniciais. Aos poucos, o Santos foi melhorando e também passou a levar perigo à meta dos anfitriões. Os erros de passe no ataque, no entanto, atrapalhavam a equipe da Vila Belmiro.

Com mais posse de bola, o Figueirense abriu o placar aos 45min. Em cruzamento da esquerda, Kléber dividiu com Ramon na primeira trave, e a bola entrou.

No intervalo, Luxemburgo sacou Vítor Júnior e Renatinho para as entradas de Rodrigo Tabata e Marcos Aurélio. As alterações deram mais movimentação ao ataque santista, mas como o gol não saía, Luxemburgo colocou o atacante Moraes no lugar do volante Adoniran, aos 27min. Os dois times ainda criaram algumas chances, mas o placar não alterado.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Goiás, no sábado, às 18h10, na Vila Belmiro. O time de Florianópolis, por sua vez, jogará com o Corinthians, no domingo, às 17h, no Pacaembu.

Santos 2 x 1 Internacional

Data: 05/09/2007.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.233 pagantes
Renda: R$ 31.758,00
Árbitro: Djalma Beltrami Teixeira (Fifa-RJ)
Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG)
Cartões amarelos: Petkovic, Kléber Pereira e Kléber (S); Magrão (I).
Gols: Adriano (11-1), Kléber Pereira (27-1) e Kléber (34-1).

SANTOS
Roger; Baiano, Domingos, Marcelo e Kléber; Adoniran (Adriano), Rodrigo Souto, Petkovic (Rodrigo Tabata) e Pedrinho (Vitor Júnior); Renatinho e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

INTERNACIONAL
Clemer; Jonas (Elder Granja), Índio, Sidnei (Danny) e Alex; Edinho, Wellington Monteiro, Magrão (Roger) e Pinga; Adriano e Christian
Técnico: Abel Braga



Santos vence Inter e se recupera de clássico com nova virada

Depois de uma derrota por 2 a 0 para o Corinthians no último domingo, o Santos recuperou-se do tropeço no clássico com uma vitória diante do Inter. Nesta quarta-feira, com nova virada na Vila Belmiro, o time de Vanderlei Luxemburgo conseguiu o triunfo por 2 a 1 e entrou no G-4 do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Santos chega a 39 pontos. Beneficiado pelos resultados da rodada (Cruzeiro e Vasco perderam), o time litorâneo assumiu a terceira posição da tabela e está a apenas três pontos do vice-líder. A situação, porém, pode mudar na próxima quinta, já que Botafogo e Palmeiras se enfrentam no Rio de Janeiro.

Já o Inter não consegue sair da zona intermediária da competição. Ainda com 32 pontos, a equipe do Beira-Rio ocupa a 12ª colocação, quatro pontos acima do Paraná, primeiro time da zona do rebaixamento, e sete a menos que o Vasco, quarto.

Além disso, os gaúchos ampliam sua fase ruim. Dos últimos dez jogos, o time de Abel Braga venceu apenas três, com quatro derrotas e três empates. Dessa forma, a equipe, que ocupava o sexto lugar no começo da seqüência, já está longe dos quatro melhores da tabela.

Para os mandantes, o triunfo significa a recuperação após a derrota no clássico. O jogo do fim de semana, inclusive, fez com que o treinador alvinegro mudasse seu time titular. Por opção, Fábio Costa e Marcos Aurélio foram sacados (o primeiro não ficou nem no banco). O resultado, a princípio, foi o mesmo dos dois últimos jogos.

Um início excessivamente calmo, muitos erros de passe e pouco poderio ofensivo fizeram o Santos sair atrás no marcador. Contra o Corinthians, a equipe não teve forças para reagir. Porém, na quinta passada, na mesma Vila Belmiro, o início ruim contra o Atlético-PR acabou com uma vitória de virada por 3 a 1.

“Acho que em algumas ocasiões está acontecendo isso. Estamos entrando com muita calma. Da maneira que a gente está fazendo é complicado. Temos que melhorar isso”, disse Kléber Pereira.

E o atacante foi peça fundamental na reação santista. Se saiu atrás com gol de Adriano, aos 11min do primeiro tempo, o time da casa conseguiu a virada aos 27min, com Kléber Pereira escorando cruzamento de Kléber, e, aos 34min, com o lateral tocando para o gol vazio após jogada de Renatinho e Kléber Pereira e falha de Clemer.

Depois de passar à frente, o Santos deixou de se preocupar tanto com o ataque. O Inter, em busca do empate, tentou pressionar, mas não superou a marcação dos donos da casa, e o placar permaneceu inalterado.