Navegando Posts marcados como Maikon Leite

Grêmio Prudente 2 x 4 Santos

Data: 23/01/2011, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio Prudentão, em Presidente Prudente, SP.
Público: 6.670 pagantes
Renda: R$ 225.540,00
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: David Botelho Barbosa e Maiza Teles Paiva
Cartões amarelos: Wescley e Rômulo (GP); Edu Dracena, Keirrison e Rodriguinho (S).
Gols: Elano (13-1) e (22-1); Keirrison (09-2) e Maikon Leite (16-2). Rômulo (28-2) e Bruno Ribeiro (38-2).

GRÊMIO PRUDENTE
Sidney; Anderson Luís, Wescley e Douglas; Wanderson Cafu (Bruno Ribeiro), Anderson Pedra, Alceu (Daniel), William (Jandson) e Saldanha; Romulo e Rhayner. Técnico: Rogério Micale
Técnico: Fábio Giuntini.

SANTOS
Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo (Rodrigo Possebom); Adriano, Pará e Elano (Rodriguinho); Róbson, Keirrison (Moisés) e Maikon Leite. Técnico: Adilson Batista.
Técnico: Adilson Batista



Elano faz 2, Santos vence Prudente e segue 100% no Paulista

Mesmo com os desfalques de Neymar e Paulo Henrique Ganso, o Santos segue dando show no Campeonato Paulista. Neste domingo, a equipe comandada por Adilson Batista venceu o Grêmio Prudente por 4 a 2, no Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, manteve os 100% de aproveitamento e, consequentemente, a liderança na competição estadual. Elano, por duas vezes, Keirrison e Maikon Leite anotaram para os visitantes. Rômulo e Bruno Ribeiro descontaram.

Dominado por completo pelo Santos, o confronto deste domingo marcou o reencontro de Elano com o gol no time da Vila Belmiro. Contratado para esta temporada, o meia, que defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, marcou os dois primeios gols, um deles de pênalti, e fez a torcida do clube alvinegro “esquecer” dos desfalques de Ganso, que ainda se recupera de uma lesão no joelho, e Neymar, que defende o País no Sul-Americano Sub-20.

Os dois gols de Elano abriram o caminho para o Santos chegar aos nove pontos na competição, sendo, de longe, o melhor desempenho da competição – a equipe de Adilson Batista tem o melhor ataque com 11 gols. O Prudente, por outro lado, prossegue na zona de rebaixamento, sem ainda somar pontos no Estadual.

Embalado, o Santos volta a campo na próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), para enfrentar o São Caetano. Já o Grêmio Prudente tentará obter o primeiro ponto na temporada na quinta-feira, às 21h, diante do Botafogo-SP.

O jogo

Sem Zé Eduardo, liberado da concentração na manhã deste domingo para acertar sua negociação com o Genoa-ITA, Adilson Batista promoveu a entrada de Keirrison e manteve a postura ofensiva dos dois primeiros encontros deste Paulista. Logo nos primeiros minutos, a superioridade técnica da equipe visitante foi imposta e o Prudente, embora atuasse em casa, sofria com um bom volume do jogo do time praiano.

Melhor em campo, o Santos não demorou para abrir o marcador. Logo aos 13min, Elano reencontrou as redes com a camisa alvinegra. Róbson deu belo passe para o meio-campista, que, com categoria, deslocou o goleiro Sidney para anotar o primeiro gol desde o retorno à Vila Belmiro.

A vantagem santista no marcador obrigou o Grêmio Prudente a se expor dentro de campo. Com mais espaço para atacar pelas pontas, o Santos seguiu dominando a partida. As boas jogadas laterais, especialmente com Maikon Leite pela esquerda, aproximavam a equipe de Adilson Batista do segundo gol, que não demorou para sair no Estádio Eduardo José Farah.

Aos 21min, Wanderson Cafu cometeu falta em Maikon Leite fora da área. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira marcou pênalti. Na cobrança, Elano deslocou novamente o goleiro adversário e saiu para comemorar o segundo gol dos visitantes.

A grande diferença técnica, e no marcador, tranquilizou o Santos dentro de campo. A equipe visitante diminuiu o ritmo e quase sofreu as consequências aos 42min. Rhayner chutou colocado, da entrada da área, e obrigou o goleiro Rafael a fazer uma grande defesa.

O susto acordou o Santos. No último minuto da primeira etapa, Róbson cobrou escanteio da esquerda e por pouco não marcou um gol olímpico. A bola caprichosamente tocou o poste direito prudentino e saiu pela lateral, no último lance de perigo do tempo inicial.

O descanso do intervalo serviu para o Santos recarregar o ímpeto exibido nos primeiros 45min. Logo aos 9min, o time alvinegro decretou a vitória fora de casa. Após cruzamento da direita de Jonathan, Róbson chutou cruzado e viu Sidney espalmar para dentro da área. Na sobra, Keirrison tocou de pé direito e anotou o terceiro.

Embora com os três pontos assegurados, o Santos seguiu pressionando o Prudente. A extrema superioridade individual e coletiva santista impedia o Grêmio Prudente de tentar qualquer reação.

Já entrosados na equipe, nomes como Róbson e Maikon Leite, destaques do time ao lado de Elano neste domingo, novamente brilharam aos 16min. O meia, em jogada ensaiada, apenas rolou para o atacante arrematar firme de dentro da área, marcando o quarto gol.

A goleada construída obrigatoriamente fez o Santos diminuir a intensidade. Sem Elano e Léo, o clube de Vila Belmiro viu a equipe da casa descontar. De pênalti, marcado após o árbitro flagrar um “puxão” em Jandson, Rômulo chutou no meio do gol e não deu chances a Rafael.

Animado com o gol, o Prudente buscou a pressão nos minutos finais e foi recompensado aos 38min. Bruno Ribeiro cobrou escanteio direto para o gol e contou com a colaboração do goleiro santista para comemorar timidamente o segundo tento prudentino. Nada que arriscasse a terceira vitória do clube litorâneo na competição.

Santos 3 x 0 Mirassol

Data: 19/01/2011 – 19h30
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 2ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 12.496 torcedores
Renda: R$ 303.905,00
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Auxiliares: Marcio Luiz Augusto e Marco Antonio Gonzaga da Silva
Cartões amarelos: Magal e Xuxa (M).
Gols: Maikon Leite (27-1); Zé Eduardo (02-2) e Zé Eduardo (30-2).

SANTOS
Rafael; Jonathan (Possebon), Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano; Pará e Elano; Robson (Moisés); Maikon Leite (Keirrison) e Zé Eduardo
Técnico: Adilson Batista

MIRASSOL
Fernando Leal; Samuel (Otacílio), Gustavo, Dezinho e Renato (Diego); Jairo; Magal e Esley; Xuxa; Wellington Amorim e Marcelinho (Leandro Almeida)
Técnico: Ivan Baitello



Dupla reserva de atacantes brilha de novo e Santos vence fácil o Mirassol

Assim como na estreia diante do Linense, Zé Eduardo e Maikon Leite voltaram a comandar um triunfo do Santos. Desta vez, a vítima foi o Mirassol, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, pela segunda rodada do Campeonato Paulista. O alvinegro venceu o jogo por 3 a 0, com todos os gols marcados pelos atacantes com os dias contados no clube. Ainda sem Neymar, eles estão dando conta do recado.

Zé, autor de dois gols, é alvo do Genoa-ITA, e aguarda a oficialização de uma proposta para negociar a permanência, ou não, no Santos. Já Maikon Leite, que abriu o triunfo contra o Mirassol, tem ida agendada para o Palmeiras no dia 24 de junho. O alvinegro tenta arranjar maneiras de invalidar o pré-contrato.

“Já deixei claro e não vou falar toda a hora: o meu desejo é ficar. Acontece que tem uma proposta do Genoa (da Itália), e deixei claro que o que for melhor para o Santos, e para mim, será feito. Espero que me valorizem para que eu fique”, disse Zé Eduardo.

“Até o dia 23 de junho vou cumprir normalmente. Depois, o futuro a Deus pertence”, destacou Maikon Leite.

A partida foi disputada na capital, já que a Vila Belmiro está fechada devido às obras para troca de gramado. Com o triunfo, o Santos acumula agora 6 pontos em dois jogos. Já a equipe do interior do estado está com 3 pontos.

Na terceira rodada da competição, o Santos encara o Grêmio Prudente, em Presidente Prudente, domingo, às 17h. Já o Mirassol joga sábado, às 19h30, diante do Mogi-Mirim, fora de casa.

O duelo Santos x Mirassol marcou a reestreia de Elano pelo Santos, e o meia manteve o hegemônico histórico no Pacaembu. Ele venceu as seis partidas que disputou no local defendendo o alvinegro.

Elano foi participativo. Cobrou quase todos os lances de bola parada, e atuou os 90 minutos de jogo. O grande lance da principal contratação santista em 2011 foi o passe para o segundo gol do time, marcado por Zé Eduardo.

O gol em questão foi marcado logo no início do segundo tempo. Antes disso, na primeira etapa, Maikon Leite marcou o primeiro gol, aos 27 minutos. O atacante recebeu passe de Jonathan, que fez a estreia no Santos, driblou o goleiro, e tocou para o fundo do gol.

A equipe comandada por Adilson Batista não massacrou o adversário, e até levou alguns sustos, mas demonstrou extrema competência ofensiva, e já soma sete gols, em dois jogos no ano – venceu o Linense, por 4 a 1, na estreia.

Diante do Mirassol, Adilson foi mais precavido, armou o time no esquema 4-4-2, deixando Keirrison no banco. O atacante só foi colocado em campo, aos 33 minutos do segundo tempo, no lugar de Maikon Leite.

Pouco antes disso, aos 30 minutos, Zé Eduardo, fechou o triunfo santista marcando novamente. Ele e Maikon Leite dividem a artilharia do Santos no ano, com três gol cada. Com isso, o alvinegro está pressionado, e precisa lutar pela permanência da dupla, até então, considerada provisória.


Vídeos: (1) Gols e (2) Reportagem do Globo Esporte.

Santos 9 x 1 Ituano

Data: 21/03/2010, domingo, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 15ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Árbitro: Robério Pereira Pires
Auxiliares: Alex Alexandrino e Caio Mesquita de Almeida
Cartões amarelos: Carlos Eduardo e Marcel (I); Paulo Henrique Ganso e Wesley (S).
Cartões vermelhos: Carlos Eduardo, Saulo e Luiz Eduardo (I); Wesley (S)
Gols: João Leonardo (01-1), André (14-1), Ganso (28-1), André (39-1) e Madson (46-1); Madson (08-2), Maikon Leite (16-2), Ganso (27-2), Zé Eduardo (40-2) e André (46-2).

SANTOS
Felipe; Wesley, Edu Dracena (Roberto Brum), Durval e Pará (Zé Eduardo); Rodrigo Mancha, Arouca (Maikon Leite), Marquinhos e Paulo Henrique Ganso; Madson e André
Técnico: Dorival Júnior

ITUANO
Saulo; Roque Júnior (Anderson Sales), Rodrigão e João Leonardo; Rissult, Luiz Eduardo, Sandro Juninho Paulista e Carlos Eduardo; Marcel (Jean) e Welton (Lincoln)
Técnico: Mazola Júnior



Sem Robinho e Neymar, Santos massacra o Ituano, faz 9 a 1 e volta à ponta

Pela primeira vez na temporada, o Santos entrou em campo sem Neymar ou Robinho. E a equipe da Vila Belmiro não sentiu a ausência de seus dois principais astros. Com outro show de Paulo Henrique, André e Madson, massacrou o Ituano por 9 a 1, no estádio do Pacaembu, e reassumiu a liderança do Campeonato Paulista.

A quatro rodadas do encerramento, o elenco santista contabiliza 35 pontos, dois à frente do vice-líder Santo André, que havia assumido a ponta provisória, após a vitória sobre o Bragantino, no sábado, e dez a mais que a quinta colocada Portuguesa. Ou seja, somente uma catástrofe não coloca a equipe de Dorival Junior na semifinal.

O resultado é expressivo. Foi o placar mais elástico da competição estadual. Até então, as maiores goleadas santistas haviam sido diante do Grêmio Prudente (5 a 0) e do Bragantino (6 a 3). Na temporada santista, só não superou a vitória sobre o Naviraiense (10 a 0). “Isso [goleada] mostra que o nosso time é ofensivo. Vamos buscar esse tipo de vitória sempre que for possível”, destacou o atacante André, autor de três gols.

Para o duelo deste domingo, não tinha em campo dois de seus principais jogadores. Robinho, contundido, e Neymar, suspenso e que participou de um amistoso com a equipe “B” nos Estados Unidos, no sábado. A expectativa era saber como a equipe se comportaria. O Ituano até tentou mostrar que a partida não seria tão fácil.

Na primeira jogada da partida, João Leonardo aproveitou cobrança de falta, recebeu dentro da área e bateu cruzado. 1 a 0. Mas o Santos não se abalou e comprovou sua excelente fase. Não deu espaços para o time dos pentacampeões mundiais Roque Junior e Juninho Paulista e começou a criar muitas oportunidades.

O goleiro Saulo ainda se virou para evitar os gols do time da Vila Belmiro e fez algumas boas defesas no primeiro tempo. No entanto, não conseguiu suportar a pressão dos rivais. Aos 14min, André, de cabeça, deixou tudo igual. O Ituano tentava parar o rápido ataque santista na base da falta. Numa delas, aos 27min, Carlos Eduardo foi expulso.

Na cobrança de falta, Paulo Henrique subiu mais alto que a defesa adversária e virou o marcador. Com um a mais em campo, o Santos começou a dar show. Aos 39min, André foi lançado e teve tranquilidade para ampliar o marcador. Nos acréscimos, Madson driblou dois defensores e tocou com categoria. 4 a 1.

“Espero que nossa equipe continue pressionando e buscando mais gols. Estamos bem em campo”, disse Paulo Henrique Ganso. E foi justamente o que aconteceu. Logo aos 8min, Madson cobrou falta, mas a bola bateu na barreira. No rebote, o próprio camisa 11 bate forte e faz o quinto. O sexto não demorou a sair. Aos 16min, Maikon Leite fez o sexto. Aos 28min, o meia Paulo Henrique marcou o sétimo.

Nos minutos finais, aos 40min, Zé Eduardo contou com um “frango” de Saulo para marcar o oitavo –logo depois, Luiz Eduardo ainda foi expulso. Aos 45min, Saulo cometeu pênalti e também recebeu o cartão vermelho. André cobrou e selou a goleada santista. 9 a 1 –Wesley, do Santos, também foi expulso.

O time da Vila Belmiro volta a jogar pelo Campeonato Paulista na próxima quinta-feira, diante do Botafogo, que ainda sonha com a vaga às semifinais, em Ribeirão Preto. Um dia antes, o Ituano recebe o São Caetano, em Itu.

Santos 2 x 2 Flamengo

Data: 17/08/2008, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 20ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 15.359 pagantes
Renda: R$ 141.599,00
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Auxiliares: José Carlos Dias Passos (PR) e Milton Otaviano dos Santos (RN)
Cartões amarelos: Obina e Marcelinho Paraíba (F); Michael e Domingos (S).
Cartão vermelho: Cristian (F).
Gols: Léo Moura (06-1) e Kléber Pereira (37-1); Kléber Pereira (06-2) e Léo Moura (32-2).

SANTOS
Douglas; Dionísio, Domingos, Fabiano Eller e Carleto; Brum, Wendel, Kleber e Michael (Wesley); Maikon (Lima) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes

FLAMENGO
Bruno; Léo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Eltinho (Luizinho); Jaílton, Ibson, Cristian e Toró (Maxi Biancucchi); Marcelinho Paraíba e Obina (Erick Flores).
Técnico: Caio Júnior



Kléber Pereira e Léo Moura desencantam, e Santos e Flamengo empatam

Os momentos irregulares de Santos e Flamengo no Brasileirão fizeram as equipes buscarem o gol incessantemente no duelo deste domingo na Vila. O placar final por 2 a 2 resumiu bem a necessidade dos três pontos e o equilíbrio do jogo ocorrido na Baixada, que teve como estrelas Leonardo Moura e Kleber Pereira, autores dos gols.

O placar igual não agradou a santistas e flamenguistas, que seguem distantes de suas metas. A equipe paulista segue ameaçada na zona de rebaixamento do Brasileiro e completa três partidas seguidas sem vencer em casa.

Já o Flamengo, que chegou a liderar o Nacional no primeiro turno durante dez rodadas, segue cada dia mais longe da ponta do torneio. Nos últimos nove jogos, a equipe da Gávea conseguiu apenas uma vitória.

O Santos começou atrás no placar diante do Flamengo, mas desta vez Kleber Pereira impediu um novo revés do clube na Vila.

Visivelmente pressionado pela ameaça de rebaixamento, o time paulista voltou a repetir erros típicos de um time afobado. Para complicar, a equipe da Vila perdeu um dos principais atletas do sistema ofensivo: Maikon Leite, que se lesionou após choque com o goleiro Bruno. Leite sofreu ruptura nos ligamentos do joelho direito.

Mais preparado, o Flamengo se aproveitou de uma falha defensiva santista para abrir o marcador. Leonardo Moura recebeu bola após desvio parcial do rival e finalizou com êxito.

A desvantagem no placar incomodou os santistas, que partiram para cima. A entrada de Lima na vaga de Maikon deu maior volume ofensivo. Numa tabela com Lima, Kleber Pereira igualou o placar, aos 27 min.

Desde que empatou a partida, o Santos passou a ter domínio do jogo, ameaçando Bruno seguidamente. A virada ocorreu aos 6 min, em linda jogada de Kléber Pereira, que alcançou seu 13º gol no Brasileiro.

A organização tática do Flamengo etapa não se repetiu nos 45 minutos finais. A equipe rubro-negra reduziu o poderio ofensivo, assistindo à evolução santista. A situação do Fla piorou depois que o meio-campista Cristian desferiu cotovelada em Michael, sendo punido com cartão vermelho.

Com um a menos, o Flamengo apostou em lances de bola parada. De pênalti, Moura empatou a partida.

Apoiado pela torcida alvinegra, o Santos se aventurou no ataque ciente da fragilidade defensiva do rival, que tinha apenas dez em campo, mas não conseguiu vencer. Foram duas bolas na trave.

O próximo jogo do Santos acontece na quinta-feira diante do lanterna Ipatinga, em Minas. O Flamengo recebe o Grêmio, no Maracanã.

Médico aponta lesão gravíssima no joelho de atacante Maikon Leite

O atacante Maikon Leite precisou ser retirado de campo ainda no primeiro tempo do duelo contra o Flamengo após se chocar com o goleiro Bruno.

O jogador do Santos saiu de campo chorando. Ele sofreu séria lesão no joelho, rompendo todos os ligamentos do joelho direito, o que o afasta do restante do returno do Brasileirão. A

De acordo com o médico do clube, Jorge Merouço, Maikon Leite necessita de cirurgia emergencial, correndo risco de ter sua carreira abreviada caso não seja feita uma cirurgia precisa. Raramente um atleta rompe todos os ligamentos do joelho.

Contratado junto ao Santo André, Maikon Leite surpreendeu a comissão técnica santista na reta final do 1º turno ao realizar brilhantes apresentações. Mesmo em alta na Vila Belmiro, Leite dizia que “nada fez no Santos”, já que o time continua na zona de rebaixamento do Brasileiro.

Substituto de Maikon Leite no empate diante do Flamengo, 2 a 2, na Vila Belmiro, Lima deverá se firmar no ataque santista para o restante do torneio. O empate neste domingo da Baixada agravou a situação do Santos no Nacional, que soma 18 pontos.

Torcedor agride Molina no camarote e gera confusão na Vila

Um torcedor invadiu o camarote da Vila Belmiro e deu um soco no peito do meia Maurício Molina, que assistia ao duelo entre Santos x Flamengo, causando enorme tumulto no estádio santista.

A Polícia Militar reteve o agressor, cujo nome não foi divulgado pelo clube. Apesar da agressão, Molina não irá prestar queixa.

Indignado com o ato do torcedor, o goleiro Fábio Costa, que também não atuou devido a uma lesão, interveio na tentativa de defender Molina. Houve tumulto, tão logo separado por pessoas próximas ao meia colombiano, que se recupera de lesão muscular.

O empate do Santos contra o Flamengo irritou os torcedores alvinegros. Como havia ocorrido na derrota santista frente ao Atlético-MG, novamente a torcida criticou duramente o presidente do clube, Marcelo Teixeira.

Desta vez não houve invasão de torcedores no camarote; Marcelo Teixeira respondeu os xingamentos com aplausos, ironizando os manifestantes.

Santos 1 x 3 Coritiba

Data: 03/08/2008, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.261
Renda: R$ 98.220,00
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (RJ)
Auxiliares: Marcelo Fonseca Duarte (RJ) e Márcio Eustáquio Santiago (MG)
Cartões amarelos: Michael, Dionísio (S); Rodrigo Heffner e Ale (C).
Gols: Keirrison (14-1); Keirrison (22-2), Maikon Leite (25-2) e Keirrison (35-2).

SANTOS
Douglas; Vinícius, Marcelo, Domingos; Apodi (Quiñones), Michael (Wesley), Dionísio, Molina (Lima) e Kleber; Maikon Leite e Kléber Pereira.
Técnico: Cuca

CORITIBA
Edson Bastos; Rodrigo Heffner (Arilton), Nenê, Maurício e Rubens Cardoso; Rodrigo Mancha, Ale, Carlinhos Paraíba (Ricardinho), e Guaru; João Henrique (Hugo) e Keirrison.
Técnico: Dorival Júnior



Keirrison faz três para o Coritiba e aumenta o drama do Santos

Em noite inspirada do atacante Keirrison, o Coritiba venceu o Santos por 3 a 1, na noite deste domingo, na Vila Belmiro, e ampliou o drama do time paulista na luta para deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o time de Cuca permaneceu com 17 pontos e caiu da 17ª para a 18ª posição da tabela, à frente apenas de Fluminense (19º) e Ipatinga-MG (20º), que amargam as últimas colocações do torneio, com 13 pontos cada.

O Coxa, que voltou a vencer após uma rodada, chegou aos 26 pontos para saltar da décima para a sétima posição, e na próxima rodada encara o Vasco, fora de casa. Já o Alvinegro praiano recebe o Atlético-MG em seu 18° compromisso.

A oitava derrota santista no Brasileirão – segunda dentro de seus domínios – freou a aceleração provocada por dois triunfos seguidos (5 a 2 no Vasco e 1 a 0 no Internacional), além da motivação em função de o clube encarar dois rivais em seqüência diante da torcida praiana.

O objetivo de Cuca e seus comandados era arrancar em direção à zona de classificação para a Copa Sul-Americana, mas o que se viu no molhado gramado da Vila Belmiro foi um time que pressionou o rival e não conseguiu sequer um empate.

Com um gol antes dos primeiros 20 minutos de bola rolando, o Coritiba soube se armar após abrir vantagem e policiou os ataques santistas, que foram constantes, porém, pouco qualificados.

A equipe da casa teve boas chances para empatar a partida ainda antes do intervalo, mas esbarrou na deficiência de finalização de seus homens de frente.

Na etapa complementar, levou um susto logo no primeiro minuto, e a partir daí conseguiu se impor de uma maneira plena para pressionar o Coritiba até o fim, motivando a torcida a apoiar a equipe.

Aos gritos de “Santos é o time da virada”, tradicional canto do torcedor alvinegro e que motivou campanha para marcar o que a diretoria acredita como reação do time no Brasileiro, as arquibancadas empurraram o time e deixaram o Coxa confuso.

Depois de uma série de ataques antes dos 10min, Dorival Júnior reclamou na beira do gramado e acabou expulso de campo, deixando seu time sem comando no gramado – o seu auxiliar assumiu o posto.

Mas, mesmo com uma formação bastante ofensiva nos últimos 45 minutos e contra uma adversário sem técnico, o Santos não conseguiu transformar a superioridade em gols.

E viu a desvantagem ser ampliada na metade do segundo tempo, quando Keirrison aproveitou rápido contra-ataque e vacilo do goleiro Douglas para marcar seu segundo gol. Maikon Leite, na seqüência, conseguiu diminuir para 2 a 1, no dia de seu aniversário de 20 anos. Mas Keirrison, pela terceira vez na noite, decretou nova derrota santista a dez minutos do fim.