Navegando Posts marcados como Marcel

Santos 4 x 1 Cruzeiro

Data: 25/09/2010, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 25ª rodada
Local: Arena Barueri, em Barueri, SP.
Público: 9.542 pagantes
Renda: R$ 192.530,00
Árbitro: Péricles Pegado Cortez (Fifa-RJ)
Auxiliares: Ricardo de Almeida e Marco Aurélio Pessanha (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Roberto Brum e Zé Eduardo (S); Jonathan, Edcarlos, Fabinho, Montillo e Farías (C).
Cartão vermelho: Zé Eduardo (S).
Gols: Marcel (09-2), Edu Dracena (24-2), Thiago Ribeiro (35-2), Alex Sandro (43-2), e Neymar (46-2).

SANTOS
Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo (Zezinho); Roberto Brum, Arouca e Marquinhos (Adriano); Neymar, Zé Eduardo e Marcel (Alex Sandro).
Técnico: Marcelo Martelotte (interino)

CRUZEIRO
Fábio; Jonathan, Caçapa, Edcarlos e Diego Renan (Robert); Fabrício (Roger), Everton, Fabinho (Elicarlos) e Montillo; Ernesto Farías e Thiago Ribeiro.
Técnico: Cuca



Com show de Neymar, Santos goleia o Cruzeiro por 4 a 1 na Arena Barueri e ajuda Corinthians

Atacante voltou a apresentar um grande futebol e ajudou o Santos a quebrar a invencibilidade do Cruzeiro, que não perdia há nove rodadas

Com show de Neymar, o Santos venceu o Cruzeiro por 4 a 1, neste sábado, na Arena Barueri, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O camisa 11 voltou apresentar um grande futebol, partiu para cima da marcação, driblou, voltou a dar chapéu nos adversários, deu assistências para o primeiro e o terceiro gol do Santos, além de fechar o placar, marcando um bonito gol.

A vitória ainda chamou a atenção pelo golaço marcado por Alex Sandro, que driblou dois marcadores, tabelou com Neymar e encobriu o goleiro Fábio. Além do golaço de Alex Sandro. Marcel, Edu Dracena e Neymar completaram o marcador. Já o Cruzeiro descontou com Thiago Ribeiro.

Com a vitória, a equipe santista continua com esperanças de conquistar o terceiro título na temporada – já venceu o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil – além de quebrar uma invencibilidade dos mineiros, que não perdiam há nove rodadas no Brasileiro. O Santos somou 38 pontos e subiu para a quinta colocação. Já o Cruzeiro perdeu a chance de se igualar ao Corinthians na liderança do Brasileiro e agora permanece na terceira colocação, com 45 pontos.

Após o duelo contra o Cruzeiro, o Santos enfrenta o Vasco, na próxima terça-feira, às 21h (de Brasília), no Estádio São Januário, no Rio de Janeiro, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já o Cruzeiro joga em casa contra o Atlético-GO, às 19h30 (de Brasília), na Arena do Jacaré.

O jogo

O primeiro lance de perigo foi do Santos. Após cobrança de falta de Marquinhos, o zagueiro Edu Dracena tocou para a entrada da pequena área e o volante Fabinho, cortou para escanteio. Na sequência, o Cruzeiro respondeu no contra-ataque. Thiago Luis fez belo drible no zagueiro e finalizou, mas Rafael saiu bem para a defesa.

As duas equipes jogavam em velocidade e buscando o gol. Aos 21 minutos, Thiago Ribeiro recebeu do lado direito, invadiu a área e chutou sobre o travessão. Dois minutos depois, o Santos teve a melhor chance do primeiro tempo. Roberto Brum lançou Marcel que saiu na cara do goleiro Fábio, que salvou com os pés.

Com Marquinhos mais uma vez apagado em campo, a equipe santista tentava criar as jogadas com lançamentos de Brum. O volante lançou Zé Eduardo, que chutou fraco para boa defesa de Fábio. Já o Cruzeiro era mais perigoso nos contra-ataques. Thiago Ribeiro finaliza cruzado. A bola pega na trave, volta na cabeça do goleiro e sai em escanteio.

Aos 40 minutos, Roberto Brum dá outro lançamento para os atacantes. A bola chega a Neymar, que cruzou rasteiro para boa intervenção de Fábio. O Cruzeiro respondeu novamente. Montillo deu uma bela assistência para Thiago Ribeiro, que saiu na frente de Rafael, mas chutou para fora.

Na segunda etapa, a primeira oportunidade foi do Santos. Neymar fez belo drible no marcador e chutou por cima do gol. Aos oito minutos, Brum lançou Neymar novamente. O camisa 11 achou Zé Eduardo dentro da área, o atacante chutou rasteiro e no rebote do goleiro Fábio, Marcel abriu o marcador. Aos 15 minutos, o Santos quase ampliou o marcador. Zé Eduardo deixou Danilo na cara do gol. O lateral finalizou na saída de Fábio, mas Edcarlos tirou quando a bola estava entrando no gol.

Após o gol do Santos, o técnico Cuca fez duas substituições no Cruzeiro. Saíram os volantes Fabrício e Fabinho para as entradas de Roger e Eli Carlos. Já no Santos, Martelotte perdeu Zé Eduardo aos 18 minutos do segundo tempo. O atleta deu um tapa no rosto de Diego Renan, recebeu o segundo amarelo no jogo e foi expulso. Martellote estava pronto para colocar Alan Patrick na vaga do atacante, mas foi obrigado a mudar a substituição. O treinador colocou Alex Sandro na vaga de Marcel.

O Cruzeiro sentiu o gol sofrido e começou a fazer muitas faltas. Em uma delas, Marquinhos cruzou na área e o zagueiro Edu Dracena desviou de cabeça para marcar o segundo gol do Santos. Apesar da desvantagem no placar, o Cruzeiro não desistiu. Aos 35 minutos, Robert chutou forte e Rafael soltou a bola, no rebote Thiago Ribeiro finalizou para diminuir. Temendo sofrer o empate, Martelotte colocou o volante Adriano na vaga de Marquinhos

No entanto, Alex Sandro fez uma grande jogada e viu o goleiro adiantado. O lateral tocou por cima de Fábio para fazer um golaço. No finalzinho, Neymar passou no meio de dois marcadores, driblou Caçapa para dançar e chutou cruzado para vencer o goleiro Fábio e fechar o marcador.

Santos 4 x 2 Atlético-GO

Data: 15/09/2010, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 22ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.873 pagantes
Renda: R$ 99.315,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Alexander Kleinich e Carlos Henrique Selbach (ambos do RS).
Cartões amarelos: Edu Dracena (S); Pituca e William (A).
Gols: Josiel (13-1); William (05-2), Edu Dracena (06-2); Madson (22-2), Alan Patrick (34-2) e Marcel (38-2, de pênalti).

SANTOS
Rafael; Pará (Alan Patrick), Edu Dracena, Bruno Aguiar e Léo; Roberto Brum, Danilo, Alex Sandro e Marquinhos (Madson); Neymar e Keirrison (Marcel)
Técnico: Dorival Júnior

ATLÉTICO-GO
Márcio; Victor Ferraz, Jairo, Daniel Marques e Thiago Feltri; Pituca (William), Ramalho, Robston e Diguinho (Juninho); Elias e Josuel (Diogo Galvão)
Técnico: René Simões



Reservas garantem virada do Santos diante do Atlético-GO

Após estar perdendo por 2 a 0, Marcel, Alan Patrick e Madson decidem em jogo, que teve discussão entre Neymar e Dorival. Veja os gols da Vila Belmiro no vídeo abaixo

O Santos conquistou uma virada heróica contra o Atlético-GO e depois de três rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro, a equipe santista reagiu na tabela de classificação. Após estar perdendo por 2 a 0, os Meninos da Vila viraram o jogo no segundo tempo e venceram por 4 a 2, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela 22ª rodada da competição.

Depois de um primeiro tempo apagado, o técnico Dorival Júnior colocou Madson, Marcel e Alan Patrick, que marcaram três dos quatro gols do alvinegro na Vila. Edu Dracena marcou o gol da reação santista. Os gols dos goianos foram marcados por Josiel e Willian.

Apesar da vitória, a partida teve seu lado negativo para o time do Santos. Isso porque, o atacante Neymar discutiu com o técnico Dorival Júnior no final da partida. A joia santista xingou o treinador, já que pretendia bater o pênalti cobrado por Marcel, que decretou a vitória santista. Outro ponto negativo foi o público da Vila. Apenas 3.873 compareceram ao estádio.

Com a vitória, o alvinegro recuperou a quinta colocação, com 34 pontos. O Atlético-GO está na décima oitava, com 20 pontos. No entanto, o Santos pode voltar a sexta colocação, caso o Internacional-RS vença o São Paulo, nesta quinta-feira, no Estádio do Morumbi.

O jogo

A primeira boa jogada de perigo foi do Santos. Aos 12 minutos, o volante Danilo passou pelo marcador do lado direito e cruzou para Keirrison, que chutou fraco nas mãos do goleiro Márcio. No entanto, um minuto depois, o meia Robston driblou com facilidade o zagueiro Edu Dracena e finalizou rasteiro na saída do goleiro Rafael. A bola bateu na trave, mas no rebote, Josiel chutou de perna direita e abriu o marcador.

Aos 14 minutos, a bola sobrou dentro da área e Keirrison finalizou novamente fraco, nas mãos do goleiro. Depois do segundo gol desperdiçado, o atacante começou a ser vaiado pelos poucos torcedores que compareceram à Vila Belmiro. O Santos tinha muitas dificuldades para criar as jogadas e não causava perigo ao gol do Atlético-GO.

Entretanto, o técnico Renê Simões fez duas alterações antes de terminar a primeira etapa. Machucado, Josiel saiu para a entrada de Diego Galvão. Já Pituca, que tinha recebido um cartão amarelo por falta em Neymar, deixou o campo para a entrada de Willian. Apesar da mudança por causa do cartão, no primeiro lance de Willian no jogo, o meia fez falta em Brum e recebeu o amarelo.

No segundo tempo, o técnico Dorival Júnior foi ousado e sacou o lateral-direito Pará para a entrada de Alan Patrick. Apesar da mudança, os santistas foram surpreendidos novamente pelo Atlético. Aos cinco minutos, Willian chutou rasteiro de fora da área e marcou o segundo dos goianos. Porém, o Santos não deu tempo para adversário comemorar e fez seu primeiro gol, com o zagueiro Edu Dracena de cabeça.

Aos 12 minutos, Keirrison sentiu uma contusão e pediu para ser substituído. Marcel entrou em seu lugar. O Santos tentava o empate, mas deixava espaços para os contra-ataques dos goianos. Com pouca criação, o time tentava no desespero. Roberto Brum acerta um chute forte de fora da área e obriga Márcio a fazer uma grande defesa. Em seguida, Neymar faz boa jogada e finaliza de perna esquerda, mas Márcio volta a fazer uma excelente defesa. Caminhando para o final do jogo, os treinadores ‘queimaram’ as últimas alterações.

No Santos, Madson entrou na vaga de Marquinhos, que deixou o campo vaiado pela torcida. No Atlético, Juninho assumiu o lugar de Diguinho. As substituições santistas deram mais resultado. Aos 38 minutos, Madson driblou o marcador e chutou forte para empatar o jogo. Ainda no final, Neymar sofreu pênalti e Marcel fechou o placar.

Santos 2 x 1 Avaí

Data: 02/09/2010, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 18ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.141 pagantes
Renda: R$ 171.835,00
Árbitro: Carlos Eugenio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: José Javel Silveira e Alexandre Kleiniche (ambos do RS).
Cartões amarelos: Neymar (S); Jéferson, Marcos e Emerson Nunes (A).
Gols: Neymar (01-1); Marcel (38-2) e Válber (42-2).

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Danilo e Marquinhos (Zezinho); Neymar, Zé Eduardo (Marcel) e Keirrison (Alan Patrick).
Técnico: Dorival Júnior

AVAÍ
Renan; Marcos (Emerson Nunes), Émerson, Rafael e Eltinho; Marcinho Guerreiro, Rudnei, Válber e Jéferson (Leandro Bonfim); Cristian (Laércio) e Vandinho.
Técnico: Antonio Lopes



Santos arma goleada, sofre pressão, mas vence 4ª seguida ao bater o Avaí

O Santos passou sufoco, mas venceu o Avaí na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, por 2 a 1, atingindo a quarta vitória seguida no Campeonato Brasileiro. A equipe marcou o primeiro gol com Neymar, logo aos 50 segundos. Marcel ampliou a vantagem no segundo tempo, e Laércio descontou no fim do jogo.

Com o triunfo, o Santos reduz a vantagem do líder Fluminense. O alvinegro está com 30 pontos, na 3ª colocação, oito atrás do tricolor carioca. A equipe ainda tem uma partida a menos. Já o Avaí está na 10ª posição, com 23 pontos.

Na próxima rodada, a 19ª, última do primeiro turno, o Santos encara o Flamengo, domingo, às 16h, no Maracanã. Já o Avaí atua diante do Atlético-PR, na Ressacada, no mesmo dia e hora.

O jogo

O Santos iniciou a partida de maneira arrasadora. Logo aos 50 segundos, Danilo foi à linha de fundo pela direita, ergueu a bola na área, e a zaga do Avaí cortou. No entanto, a bola sobrou limpa para Neymar chutar forte na entrada da área, e marcar. A impressão era de goleada na Vila.

Porém, no restante da primeira etapa poucas oportunidades foram criadas. A melhor após o gol foi desperdiçada por Zé Eduardo. Mesmo com 3 atacantes, o alvinegro nada mais conseguiu fazer.

Keirrison sequer chutou ao gol, Zé Eduardo entrou duas vezes em impedimento em jogadas de contra-ataque, e Neymar foi caçado em campo. O duelo particular do camisa 11 era com o lateral-direito do Avaí, Marcos.

O jovem santista provocou ao tentar dribles ousados, e apanhou até o adversário receber o cartão amarelo. Pouco depois, ainda no primeiro tempo, aos 39 minutos, o treinador do time catarinense, Antonio Lopes, tirou Marcos de campo para a entrada de Emerson Nunes. Na volta do intervalo, Lopes fez nova modificação: Laércio entrou no lugar de Cristian.

No reinício de jogo, o Santos voltou a, timidamente, pressionar. No entanto, a melhor oportunidade da etapa foi do time visitante. Vandinho acertou a trave, aos 18 minutos, e preocupou os santistas.

Pressionados pelos torcedores, Marquinhos e Zé Eduardo foram substituídos por Zezinho e Marcel, respectivamente. Pouco antes, Dorival já havia colocado Alan Patrick em campo na vaga de Keirrison.

Mesmo com as alterações o Avaí seguiu levando perigo e chegou muito perto do empate, aos 32 minutos. Leandro Bonfim apareceu na frente de Rafael, tentou encobrir o goleiro, mas chutou para fora.

A torcida santista só pôde respirar aliviada, aos 38 minutos, quando Durval fez boa jogada pela esquerda, e tocou para Marcel marcar o segundo gol.

A tranquilidade foi interrompida pouco depois, já que aos 42 minutos, Válber, marcou o gol do Avaí. Final de jogo na Vila Belmiro: 2 a 1 para o Santos.

Vitória 4 x 2 Santos

Data: 14/08/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Estádio Barradão, em Salvador, BA.
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Asp.DF)
Auxiliares: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Thiago Gomes Brigido (CE)
Cartões amarelos: Wallace, Anderson Martins e Ricardo Conceição (V); Rodriguinho, Edu Dracena, Zé Eduardo e Arouca (S)
Cartão vermelho: Edu Dracena e Marquinhos (S)
Gols: Henrique (20-1), Wallace (25-1), Marcel (29-1), Henrique (47-1); Zé Eduardo (22-2) e Schwenck (26-2, de pênalti).

VITÓRIA
Lee; Eduardo Diniz, Anderson Martins, Wallace e Egídio; Vanderson, Ricardo Conceição, Ramon (Neto Coruja) e Elkeson; Henrique (Renato) e Schwenck (Júnior).
Técnico: Toninho Cecílio

SANTOS
Felipe; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Danilo (Breitner), Rodriguinho (Marquinhos) e Paulo Henrique Ganso; Zé Eduardo e Marcel (Madson).
Técnico: Dorival Júnior



Em vingança da Copa do Brasil, Vitória derrota o Santos e quebra jejum no Brasileiro

Vitória e Santos se reencontram em situação distinta das finais da Copa do Brasil. Longe da liderança, as duas equipes atuaram em um Barradão com pouco público neste domingo, diferentemente das finais do mata-mata. Vice-campeão, o Vitória amenizou o trauma diante dos santistas e venceu por 4 a 2, quebrando série de quatro jogos sem êxito no Brasileiro.

O time baiano alcançou 17 pontos, se afastando da zona de rebaixamento (14º colocado). Já o Santos cai para a 11ª posição, com 18 pontos.

As duas equipes atuaram com equipes bastante desfalcadas. O Vitória não contou com Viáfara, Jonas, Uelliton, Nino Paraíba e Rafael Cruz, todos lesionados. O Santos não levou à Bahia os jogadores Rafael e Neymar, vetados pelo departamento médico. Wesley negocia sua saída do clube e não foi relacionado.

O primeiro tempo foi intenso no Barradão: quatro gols em 47 minnutos.

Sem seis titulares da final da Copa do Brasil, o Santos não apresentou a rapidez de antes. Previsível, a equipe paulista foi facilmente dominada pelo Vitória, que explorou sua dupla ofensiva – Henrique e Schwenck.

Em cinco minutos, o time baiano marcou dois gols, com Henrique (aos 20 min) e Wallace (aos 25 min do 1º tempo). Os jogadores do Santos pediram impedimento no gol de Wallace, mas a arbitragem assinalou corretamente. Wallace não estava impedido.

O Santos diminuiu com Marcel, aos 29 min, que aproveitou rebote em chute de Ganso.

Melhor em campo, o Vitória ampliou a vantagem pouco antes do término da 1ª etapa. Vigiado de longe por Dracena na área, Henrique teve tempo para dominar e chutar a bola, acertando o canto direito de Felipe: 3 a 1.

Para a segunda etapa, Dorival Junior tentou melhorar a saída de bola no meio-campo, optando pela entrada de Marquinhos na vaga de Rodriguinho. Já Toninho Cecílio buscou maior velocidade ao sistema ofensivo do Vitória, trocando Ramon por Neto Coruja.

A partida se mostrou equilibrada no segundo tempo. O Santos não conseguia maneiras de suprir as ausências de Neymar e Robinho. Mesmo assim, em jogada na área, Zé Eduardo recebeu a bola e chutou de esquerda, marcando o segundo gol do time, aos 22 min.

O Vitória não deu tempo para o Santos pensar em reação. Pênalti e expulsão de Edu Dracena. Na cobrança, Schwenck marcou o quarto gol do time baiano.

Com a vantagem por 4 a 2, o Vitória apenas administrou o jogo. Já o Santos demonstrou falta de inspiração. O time paulista chegou aos minutos finais com apenas nove em campo. Marquinhos cometeu falta e foi expulso.

De casa, Neymar reprovou a arbitragem, mandando recado pela internet.

“Meu Santos sempre prejudicado pela arbitragem!”

Palmeiras 2 x 1 Santos

Data: 15/07/2010, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 8ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 9.400 torcedores
Renda: R$ 356.886,00
Árbitro: Cleber Welington Abade (SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Roberto Braatz (Fifa-PR)
Cartões Amarelos: Gabriel Silva, Edinho, Tinga e Marcos Assunção (P); Neymar, Pará e Paulo Henrique Ganso (S).
Gols: Ewerthon (12-1), Tinga (21-2) e Marcel (37-2).

PALMEIRAS
Deola, Vitor, Danilo, Léo e Gabriel Silva; Edinho, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln (Tinga); Kléber (Tadeu) e Ewerthon (Patrik)
Técnico: Flávio Murtosa

SANTOS
Rafael; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley, Alan Patrick (Zé Eduardo) e Madson (Paulo Henrique Ganso); Neymar (Marcel) e André
Técnico: Dorival Junior



Sob olhar de Felipão, Palmeiras ‘renasce’ e vence Santos por 2 a 1

A volta de Luiz Felipe Scolari já serviu para renovar o caminho do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. E olha que o comandante ainda nem ficou no banco de reservas. Nesta quinta-feira, o time alviverde esbanjou vontade e derrotou o Santos por 2 a 1 com direito à torcida de Felipão nas tribunas do Pacaembu.

O Palmeiras não deu chance para o azar diante dos menos de dez mil torcedores que compareceram ao estádio sob a forte chuva que assolou o duelo. Na base da raça, o time alviverde segurou o Santos ao longo dos 90 minutos e levou a melhor com um golaço de Ewerthon no primeiro tempo e outro do estreante Tinga na etapa final. Marcel descontou para o Santos.

“O Murtosa já passou a forma na qual o Felipão trabalha. Obedecemos tudo e o resultado está aí”, celebrou o volante Marcos Assunção. “Sabíamos da importância dessa vitória. Hoje era pra valer e mostramos isso”, completou Kléber, lembrando da derrota no amistoso contra o Boca Juniors da semana passada.

Com o triunfo, a equipe de Felipão chega aos 12 pontos no Nacional, agora na sétima posição. O clube do Palestra Itália também mantém a escrita com sua segunda vitória sobre o rival da Baixada na temporada – é o único grande de São Paulo que leva vantagem no confronto direto contra o Santos em 2010.

Enquanto isso, resta aos comandados de Dorival Júnior lamentar pelo fim do embalo após a parada da Copa do Mundo. Com o revés desta noite, o clube praiano mantém os 12 pontos, na quarta colocação do Nacional.

“A parada foi boa para o Santos. Estávamos muito desgastados, mas infelizmente perdemos com um gol meio anormal. Não foi o dia do Santos”, avaliou o meia Paulo Henrique Ganso.

Apesar de contar apenas com Lincoln como meia de criação, o Palmeiras começou a partida com domínio da posse de bola. Isso porque o time alviverde marcou a saída de bola rival e isolou as peças ofensivas da equipe alvinegra. Aos 12min, o clube mandante fez valer o bom início e abriu o placar com golaço de Ewerthon.

Atrás no placar, o Santos finalmente começou a ameaçar a meta de Deola após o gol, mas de maneira discreta. Enquanto isso, o Palmeiras seguiu com boa marcação e velocidade nos contra-ataques. Desta forma, manteve a vantagem até o fim do primeiro tempo.

“Estamos errando muitos passes e eles estão marcando bem. Precisamos voltar a jogar de igual para igual no segundo tempo”, lamentou o atacante André no intervalo. “Quando você começa na frente, fica mais fácil. Estamos marcando e saindo bem para o ataque. Só falta fazer o segundo para ficarmos mais tranquilos”, analisou Kléber.

A etapa final começou com as duas equipes criando chances claríssimas de gol. A entrada de Paulo Henrique Ganso renovou as investidas alvinegras, mas o Palmeiras seguiu assustando nos contra-ataques.

Aos 21min, o time alviverde não perdoou. Tinga aproveitou desvio de Edu Dracena e ampliou após rápida saída de bola da defesa. Mesmo sem muita organização no ataque depois do gol, Marcel ainda descontou aos 37min, mas não impediu o revés santista.

As duas equipes voltam a campo já neste domingo para a disputa da nona rodada do Campeonato Brasileiro. O Palmeiras vai até Florianópolis enfrentar o Avaí, enquanto o Santos retorna à Vila Belmiro em duelo contra o Fluminense.