Navegando Posts marcados como Marcelo Passos

Corinthians 4 x 2 Santos

Data: 23/07/1995, domingo, 11h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Major Levy Sobrinho, em Limeira, SP.
Público: 19.387
Renda: R$ 198.860,00
Árbitro: José Mocellin
Cartões amarelos: Marques e Zé Elias (C); Marcelo Passos, Jamelli e Carlinhos (S).
Cartão vermelho: Gallo (S).
Gols: Marques (25-1) e Marcelinho Carioca (30-1); Giovanni (07-2), Marques (27-2), Tupãzinho (31-2) e Marcelo Passos (36-2).

CORINTHIANS
Ronaldo (Ricardo Pinto); Marcelinho Souza, Célio Silva (Cristiano), Henrique e Silvinho; Ezequiel, Zé Elias (Tupã), Marcelinho Carioca e Marques; Elivélton e Viola (Tupãzinho).
Técnico: Eduardo Amorim

SANTOS
Edinho; Ronaldo (Silva), Maurício Copertino, Cerezo e Marcos Paulo; Gallo, Carlinhos, Giovanni e Jamelli; Macedo (Camanducaia) e Marcelo Passos.
Técnico: Joãozinho Rosa



Corinthians vence Santos e busca 2º título neste ano

O Corinthians derrotou o Santos por 4 a 2 ontem em Limeira e se classificou para a decisão do Campeonato Paulista contra o Palmeiras.

É a segunda vez, em pouco mais de um mês, que o Corinthians chega a uma decisão. No dia 21 de junho, ganhou a Copa do Brasil ao bater o Grêmio por 1 a 0, em Porto Alegre.

O time corintiano, que só precisava do empate para chegar à final do Paulista, dominou o clássico de ontem desde o início. Segundo o Datafolha, o Corinthians finalizou 20 vezes e o Santos, 11.

A equipe do técnico Eduardo Amorim procurou jogar sempre pelas pontas, principalmente por meio de lances individuais de Marcelinho (pela esquerda) e Elivélton (pela esquerda).

O Corinthians rondou a área santista sempre com perigo até que, aos 23min, Marques recebeu passe de Marcelinho Souza, entrou na área e marcou o primeiro gol.

Sete minutos depois, Marcelinho ampliou numa cobrança de falta de longe, pela meia esquerda. A bola quicou no gramado e enganou Edinho, que foi mal no lance.

Dali até o final do primeiro tempo, só deu Corinthians. Pelo Santos, Giovanni atuava mal e a bola quase não chegava ao ataque.

Os jogadores santistas, além disso, estavam dispersivos. Em toda a partida, o Santos perdeu 55 bolas, e o Corinthians, 37.

O jogo se modificou um pouco no início do segundo tempo, quando o Santos apertou a marcação e partiu para diminuir a diferença.

Aos 7min, Giovanni recebeu de Jamelli na área e marcou.

Aos poucos, porém, o Corinthians voltou a dominar, agora em contra-ataques.
Essa situação se intensificou a partir dos 25min, quando o santista Gallo, que já tinha cartão, derrubou Marcelinho e foi expulso.

Pouco depois, num contra-ataque pela esquerda, Marcelinho cruzou e Marques fez mais um.
O Corinthians fez o quarto aos 30min. Marcelinho recebeu um tiro de meta mal cobrado por Edinho e chutou por cobertura, mas a bola bateu no travessão.No rebote, Marques cruzou e Tupãzinho marcou de cabeça.

Marcelo Passos ainda conseguiu descontar para o Santos aos 36min.

‘Não falhei’, diz Edinho

Após sofrer o quarto gol, o goleiro Edinho, do Santos, foi abordado por um torcedor santista que invadiu o campo para reclamar dele. Por pouco, os dois não se agrediram.
Edinho disse que não falhou em nenhum gol.

Repórter – O que o torcedor disse a você quando invadiu o campo?
Edinho – Ele me xingou.

Repórter – Ele também o agrediu?
Edinho – Não. Só poderia me agredir se fosse por trás. Pela frente, ele precisaria ser muito corajoso.
Quando me encarou, viu que não poderia me agredir porque também sou homem. Ficamos só batendo boca.

Repórter – O que achou da atitude dele?
Edinho – Fiquei chateado, porque joguei no sacrifício, com o pé e o braço machucados e estava ali para defender o time dele.
Mas acho que esse torcedor não representa a torcida do Santos, que tem muito carinho por mim.

Repórter – Você acha que falhou em algum dos gols do Corinthians?
Edinho – Sinceramente, acho que não. Levei quatro gols inevitáveis e fiz algumas grandes defesas.
No gol de falta do Marcelinho, a bola quicou naquele campo esburacado e me enganou. Se fosse num gramado bom, eu poderia saber a direção da bola.



Santos quer vitória para tirar o arqui-rival da final ( Em 23/07/1995 )

O Santos enfrenta hoje o Corinthians prometendo vencer e ajudar a desclassificar o adversário da final do Campeonato Paulista. A partida está marcada para as 11h, em Limeira.

Caso o Santos derrote o Corinthians e a Portuguesa vença o União São João, a vaga para a final ficará com a Portuguesa.

“Nossas armas serão os contra-ataques rápidos com Jamelli e Macedo, as bolas altas na área para o aproveitamento de Giovanni, Gallo e Copertino e as cobranças de faltas de Marcelo Passos”, disse Joãozinho.

Sem problemas na equipe, o técnico terá todos os titulares para o jogo desta manhã.

“Este está sendo o primeiro Campeonato Paulista que disputo. Quero manter a escrita de nunca perder para o Corinthians”, afirmou o meia ofensivo Giovanni.

No primeiro turno, empataram em 0 a 0, no Pacaembu. No segundo turno, em partida na Vila Belmiro, o Santos venceu por 3 a 1, com dois gols de Marcelo Passos e um de Macedo.

Na primeira fase do octogonal, houve empate em dois gols, em Ribeirão Preto.

Goleador da equipe com 18 gols, Giovanni acha que ainda pode alcançar o atacante Paulinho, da Portuguesa, na artilharia do torneio, com 20 gols.

“Não gosto de ficar prometendo gols. Mas ser artilheiro do campeonato, na primeira vez em que participo dele, é a minha maior motivação”, disse Giovanni.

O atacante Macedo assume o pensamento de boa parte da torcida do Santos.

“Vencer e desclassificar o Corinthians é tudo o que o time quer. Quem sabe a gente até faça uma churrascada na segunda-feira para comemorar”, afirmou.

Técnico e os jogadores criticaram a decisão da Federação Paulista de Futebol de marcar o jogo para as 11h. A antecipação se deve à final da Copa América, entre Brasil e Uruguai, que será à tarde.

Joãozinho quer reforços

O técnico Joãozinho acredita que ajudou a resgatar “uma boa parte do prestígio do Santos” neste Paulista.

Para o Brasileiro, ele promete jogadores de nível de seleção brasileira.

Repórter – O Santos fez boa campanha, mas morreu na praia. Qual o seu maior desgosto?
Joãozinho – Foi o clube não ter tido condições financeiras de reforçar a equipe, a falta de opções quando algum jogador não atravessava um bom momento.
Mas não concordo que o Santos tenha morrido na praia.

Repórter – Como assim?
Joãozinho – O Santos nunca foi um dos favoritos ao título, como o São Paulo, o Corinthians e o Palmeiras.
O São Paulo sim, com toda a sua estrutura, acabou morrendo na praia.

Repórter – Você se sente derrotado?
Joãozinho – Não. Nosso trabalho resgatou uma boa parte do prestígio do Santos. No Brasileiro, teremos jogadores de nível de seleção.



Fonte: Jornal Folha de SP

Santos 1 x 0 Flamengo

Data: 12/07/1995, quarta-feira, 20h45.
Competição: Copa dos Campeões Mundiais
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: 12.581
Renda: R$ 153.747,00
Árbitro: Etevaldo Batista
Gol: Marcelo Passos (21-1).

SANTOS
Robson; Ronaldo, Maurício Copertino, Cerezo e Marcos Paulo; Gallo (Marcelo Moura), Carlinhos, Giovanni e Marcelo Passos; Macedo e Jamelli.
Técnico: Joãozinho Rosa

FLAMENGO
Roger; Fábio Baiano (Michel), Gelson, Agnaldo e Leonardo; Charles, Márcio Costa (Fabiano), Marquinhos e Rodrigo; Mauricinho (Marcelo) e Mazinho.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos bate Flamengo na Copa dos Campeões

A vitória sobre o Flamengo por 1 a 0 (gol de Marcelo Passos) garantiu a primeira colocação da equipe na competição que reúne os times brasileiros que venceram o mundial interclubes. Terça-feira o time enfrenta o Grêmio e na quarta o São Paulo joga com o Flamengo.


Santos 4 x 0 XV de Piracicaba

Data: 11/06/1995, domingo, 15h30.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.101 pagantes
Renda: R$ 8.473,00
Árbitro: Alfredo dos Santos
Cartões amarelos: Marcelo Moura e Marcelo Passos (S); Celinho (XV).
Cartões vermelhos: Marcelo Passos (S) e Celinho (XV).
Gols: Marcelo Passos (37-1, de pênalti); Demétrios (08-2), Demétrios (18-2) e Carlinhos (24-2).

SANTOS
Edinho (Róbson); Ronaldo, Maurício Copertino, Marcelo Moura (Jean) e Silva; Cerezo, Carlinhos (Marcos Bazílio), Jamelli e Marcelo Passos (Marcos Paulo); Macedo e Demétrios.
Técnico: Joãozinho Rosa

XV DE PIRACICABA
Marcos; Jaime (Hélio), Luís Fernando e Nem (Rodnei); Cabrera (Wagner), Biluca, Alex, Almir e Ivanildo; Celinho e Carlos Alberto.
Técnico: Rubens Minelli



Santos goleia e XV cai para segunda divisão

O Santos venceu por 4 a 0 o XV de Piracicaba ontem à tarde, na Vila Belmiro, em Santos (SP). A equipe ficou na terceira colocação da primeira fase do Paulista.

Os gols foram marcados por Marcelo Passos, Demétrius (2) e Carlinhos.

A partida começou em ritmo lento, com muitos erros de passes dos santistas. A primeira jogada de perigo só aconteceu aos 16min, em um chute de Macedo para fora.

O XV chegou com perigo ao gol santista aos 17min, em uma cabeçada de Luís Fernando na trave.

O primeiro gol aconteceu aos 37min, de pênalti. Macedo foi derrubado pelo goleiro Marcos. O meia Marcelo Passos, artilheiro do time, com 16 gols, cobrou no canto direito: 1 a 0.

No segundo tempo, o time de Piracicaba voltou melhor armado, embora continuasse com falhas individuais. O Santos tirou proveito e ampliou logo aos 8min. O zagueiro Nem, do XV de Piracicaba, perdeu a bola para Demétrius, que tocou para Macedo e recebeu na corrida. Ele chutou forte no canto esquerdo: 2 a 0.

Aos 18min, nova falha de Nem. Ronaldo foi à linha de fundo e ajeitou para Demétrius chutar de pé direito, no canto direito do goleiro: 3 a 0.

O XV não esboçou reação. O técnico Rubens Minelli promoveu alterações que não surtiram efeito.

Aos 24min, Carlinhos marcou o gol mais bonito da partida. No rebote da zaga, o santista pegou na intermediária e desferiu o chute de perna direita. A bola entrou no ângulo direito.

Demétrius, Macedo e Marcelo Passos desperdiçaram chances de ampliar a goleada.

O técnico Joãozinho deu oportunidade para Róbson, Marcos Paulo, Marcos Basílio e Jean. O time manteve o bom ritmo.

No final do jogo, os jogadores reclamaram do estado ruim do gramado da Vila Belmiro.

Fontes:
Estadão
Vídeo: indicado por Danilo Barbosa.

Santos 3 x 5 Lazio

Data: 09/06/1995, sexta-feira, 20h45.
Competição: Amistoso – Troféu Barbuy
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.135 pagantes (3.459 total)
Renda: R$ 10.992,99
Árbitro: Osvaldo dos Santos Ramos (SP).
Cartões vermelhos: Maurício Copertino (S); Grandoni e Chamot (L).
Gols: Casiraghi (13-1), Jamelli (17-1), Casiraghi (27-1) e Signori (29-1); Marcelo Passos (13-2), Demétrios (14-2), Fuser (40-2) e Fuser (46-2).

SANTOS
Edinho; Silva (Batista), Marcelo Moura (Camilo), Maurício Copertino e Marcos Paulo (Ronaldo); Cerezo, Carlinhos, Jamelli e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Demétrios.
Técnico: Joãozinho Rosa

LAZIO (ITA)
Marchegiani; Negro, Grondone, Chamot e Favalli; Di Mateo (Fuser), Aron Winter (Venturini), Piovanelli e Rambaudi (Bonomi); Casiraghi (De Sio) e Signori (Colutti).
Técnico: Zdeněk Zeman



Santos joga hoje amistoso com a Lazio na Vila Belmiro

Depois de ser derrotado por 1 a 0 pelo Araçatuba, anteontem, o Santos faz hoje um amistoso contra a Lazio, da Itália, às 20h45, na Vila Belmiro.

A única dúvida do técnico Joãozinho é entre Camanducaia e Macedo, no ataque.

O Santos joga com: Edinho; Silva, Moura, Maurício Copertino e Marcos Paulo; Cerezo, Carlinhos, Jamelli e Marcelo Passos; Macedo (Camanducaia) e Demétrios.

Anteontem, o time italiano empatou em 1 a 1 com o Atlético Mineiro, no Mineirão.

A notícia de que o argentino Diego Maradona não será mais contratado pelo Santos foi comemorada pelo goleiro Edinho. “O dinheiro que seria usado para a contratação de Maradona poderá ser usado para novas aquisições ou para a renovação de contratos de bons jogadores como Jamelli e Giovanni”, disse.

O meia Carlinhos afirmou que as notícias sobre a contratação de Maradona não foram responsáveis pela queda do rendimento do time no Campeonato Paulista. O time encerra sua participação no torneio, domingo, às 15h30, contra o XV de Piracicaba, no estádio da Vila Belmiro.

O volante Gallo, capitão da equipe, se contundiu na partida com o Araçatuba e deve ficar em tratamento durante dez dias.

Com 47 pontos ganhos, o Santos não tem mais chances de conquistar o ponto extra. Vantagem que é concedida ao primeiro colocado na fase de classificação da Série A-1.

O Trófeu Amílcar Barbuy homenageia ao centro médio ítalo-brasileiro que atuou pela Lazio em 1931-1932 e posteriormente tornou-se treinador do clube italiano.


Santos 3 x 1 Palmeiras

Data: 14/05/1995, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.779 pagantes
Renda: R$ 100.770,00
Árbitro: José Mocellin
Cartões amarelos: Marcos Paulo e Macedo (S); Roberto Carlos (P).
Tempo técnico: não houve
Gols: Marcelo Passos (05-2), Marcelo Passos (07-2), Marcelo Passos (12-2, de pênalti) e Alex Alves (17-2).

SANTOS
Edinho; Silva, Marcelo Fernandes, Maurício Copertino (Marcelo Moura) e Marcos Paulo; Gallo, Carlinhos, Giovanni e Marcelo Passos; Jamelli e Macedo (Camanducaia).
Técnico: Joãozinho Rosa

PALMEIRAS
Velloso; Índio, Tonhão (Célio Lúcio), Cléber e Roberto Carlos; Antônio Carlos, Fred, Paulo Isidoro e Válber; Alex Alves e Rivaldo.
Técnico: Valdir Espinosa



Santos derrota Palmeiras em 7 minutos

Gols marcados em sequência por Marcelo Passos batem marcação do adversário e garantem resultado de 3 a 1

O Santos derrotou por 3 a 1 o Palmeiras, na Vila Belmiro, aproveitando fulminantes sete minutos (dos 5min aos 12min do segundo tempo), quando fez seus gols.

O Palmeiras mostrou-se superior à equipe santista no primeiro tempo, impedindo os avanços rivais e contra-atacando rápido.

Logos aos 2min, o lateral Roberto Carlos chutou de fora da área para a defesa de Edinho.

O Santos respondeu seis minutos depois, com uma cobrança de falta pela direita que foi direto para o gol. Velloso tirou a bola.

Aos 14min, Velloso novamente foi acionado por uma cobrança de escanteio de Marcelo Passos.

A partir daí, o Palmeiras lançou-se ao ataque criando várias chances de gol, sem marcar.

Aos 16min, Roberto Carlos cobrou falta e Edinho defendeu. Aos 26min, Roberto Carlos bateu um escanteio e Rivaldo, livre perto da pequena área, chutou muito alto.

Um minuto depois, Alex Alves, em jogada pessoal, chutou, mas o zagueiro Marcelo Moura tirou de cabeça.

Aos 32min, Alex Alves perdeu a grande chance do Palmeiras no primeiro tempo: Válber roubou uma bola, passou para Rivaldo, que tocou para Alex Alves, que chutou para fora.

Aos 44min, o Santos, através de uma distração do palmeirense Cléber, conseguiu um cruzamento de Jamelli, que Fred tirou antes da cabeçada de Giovanni.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou pressionando, mas desguarneceu sua defesa, principalmente o setor direito (Índio, Fred e Célio Lúcio). Foi por esse lado que aconteceram o primeiro e o segundo gols santistas.

Aos 5min, Marcelo Passos cobrou falta pela esquerda do ataque santista. A bola foi desviada por Giovanni, que cabeceou no meio da área, enganando o goleiro Velloso. O juiz atribuiu o gol a Marcelo Passos.

Dois minutos depois, Marcelo Passos driblou Célio Lúcio e chutou para encobrir Velloso e marcar o segundo gol.

O Santos voltou a marcar aos 12min. Camanducaia sofreu pênalti de Cléber. Marcelo Passos cobrou e fez.

O Palmeiras descontou aos 17min, com Alex Alves aproveitando uma bola que sobrou na área.

Rodada

Com o resultado de ontem, a equipe santista permanece na vice-liderança do Paulista, ao lado da Portuguesa, com 42 pontos.

Apesar da derrota, o Palmeiras mantém a sexta colocação, junto com o União São João. As duas equipes somam 33 pontos, mas o Palmeiras tem uma partida a menos que os demais.

O líder isolado do torneio continua sendo o São Paulo, com 45 pontos. A equipe de Telê Santana, jogando com um time misto, venceu ontem o União São João por 1 a 0, no Morumbi.

Marcelo Passos crê em título

Com os três gols que marcou ontem, Marcelo Passos (15 gols no campeonato) passa a ser o artilheiro do Santos.

Ele acredita que a vitória contra o Palmeiras “prova, definitivamente, que o título do campeonato não é um sonho”.

Repórter – No primeiro tempo, o Santos foi dominado pelo Palmeiras. No segundo tempo, as coisas mudaram. Por quê?
Marcelo Passos – O Joãozinho acertou o posicionamento do nosso meio de campo, que estava embolado e sem criatividade. Foi só acertar isso e vencer o jogo.

Repórter – Com os três gols de hoje, você passa a ser o artilheiro do time. A motivação nos próximos jogos é ser artilheiro do Campeonato Paulista?
Marcelo Passos – Se der, tudo bem. Mas espero que a atuação de hoje me possibilite ser chamado para a seleção brasileira.

Repórter – O que essa vitória representa para o time?
Marcelo Passos – Tudo. Representa tudo. Primeiro estamos, finalmente, classificados. Acho que isso prova, definitivamente, que o título do campeonato não é um sonho. Mais do nunca estamos no páreo. Nossa torcida pode esperar pelo título.

Bomba atinge pé de torcedor

O motorista de caminhão Antonio Carlos Gomes, 30, santista, foi atingido ontem por uma bomba de fabricação caseira atirada por torcedores do Palmeiras.

Ele sofreu ferimentos graves em seu pé esquerdo e foi internado na Santa Casa de Santos. Segundo informações preliminares dos médicos, Gomes -residente em Mogi das Cruzes- seria operado e não corre o risco de ter o pé amputado.

A Polícia Militar prendeu dois suspeitos de terem jogado a bomba. Ambos são integrantes da torcida Mancha Verde, do Palmeiras.

Os menores Ricardo Rodrigues, 14, e Sidnei Lopes, 15, também foram feridos na explosão da bomba. Ricardo Rodrigues foi atingido por estilhaços no abdome. Sidnei Lopes levou uma pancada de um guarda, na confusão.

Segundo torcedores do Santos, que estavam próximos ao local da explosão, integrantes da Mancha Verde fizeram uma roda na arquibancada e lançaram a bomba com o auxílio de um estilingue.

Os santistas afirmaram também que o incidente pode ter sido provocado por membros da torcida Jovem, do Vasco, que estariam infiltrados na Mancha Verde.

Santistas e vascaínos são considerados “inimigos” desde o ano passado, quando, no dia 11 de setembro, brigaram no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro.

Maradona diz ter recebido convite do Santos

Maradona, 34, declarou anteontem a uma rádio argentina que foi convidado por Pelé para jogar pelo Santos.

“A proposta não é só para jogar, mas para trabalhar no Departamento Técnico do time”, afirmou o argentino.

Segundo Maradona, ele e Pelé conversaram “primeiro sobre o trabalho da Unicef e, depois, sobre jogar no Santos a partir de setembro”.

Até lá, o argentino está suspenso pela Fifa (Federação Internacional de Futebol Association) por 15 meses, por ter ingerido substâncias proibidas pela entidade, durante a Copa do Mundo dos EUA, em 94.

Maradona treinou o Deportivo Mandiyú, passou pelo Racing, também da Argentina, mas se demitiu na última semana.

Além dele, seu amigo argentino Claudio Caniggia, atualmente no Benfica, de Portugal, poderia também atuar pelo Santos no segundo semestre. Seu contrato com o clube termina em julho. Caniggia teve problemas para se adaptar em Portugal.

Maradona também disse que viajará esta semana àquele país e que conversará com Caniggia sobre a possibilidade de se transferir.

Segundo o diretor de futebol do Santos, Clodoaldo Tavares Santana, um grupo ligado a Maradona tem intenção de ligar a imagem de Maradona à de Pelé, por uma questão de Marketing.

“Pelé falou informalmente à diretoria sobre o assunto, mas não se sabe se ele seria utilizado em jogos beneficentes, em amistosos internacionais ou se atuaria como qualquer outro jogador do clube”, disse Clodoaldo.

Atletas ‘rejeitam’ Maradona

Jogadores do Santos receberam com ressalvas a notícia sobre a possível vinda de Maradona para o clube no Campeonato Brasileiro.
Marcelo Passos, o artilheiro da equipe, rejeitou a idéia.

“O grupo pode se abater com essa contratação. O Santos não precisa do Maradona. O Giovanni dá conta do recado”, disse, referindo-se ao meio-campista do Santos, convocado por Zagallo para a seleção.

Para o atacante, a contratação de Maradona “parece um recado da diretoria, dizendo que o meio-campo e ataque do Santos não estariam correspondendo”.

O Santos tem hoje o melhor ataque do Campeonato Paulista, com 42 gols. Marcelo Passos marcou 15 gols; Giovanni, 12.

O volante Gallo acha que Maradona teria dificuldade para se adaptar ao esquema de jogo. “Hoje, todo o time corre muito em campo, brigando os 90 minutos pela bola. Ele teria que entrar em forma para acompanhar o ritmo”, disse.

O goleiro Edinho pensa diferente. “Para mim seria uma honra jogar ao lado dele. O Santos cresceria muito com sua presença.”

O técnico Joãozinho disse que a contratação de Maradona “poderia ter um reflexo positivo”. O treinador acredita que todos os jogadores santistas “cresceriam de produção com ela”.

Segundo Pelé, o ministro extraordinário de Esportes, o Santos disputa com Botafogo e Corinthians o passe de Maradona.

O argentino esteve sábado no Rio para negociar seu passe com a Pelé Sports & Marketing, firma da qual Pelé é sócio. Pelo acordo entre Maradona e Pelé, a Pelé Sports & Marketing irá arranjar um time brasileiro para o argentino. Pelé prefere o Santos, mas Botafogo e Corinthians já avisaram que querem o atleta.

Pelé disse que o Santos saiu na frente, tanto que o presidente da Unicór (empresa que patrocina o clube), Renato Duprat, esteve com Maradona no Rio.

“O Renato disse que bota o dinheiro que precisar para trazer o Maradona”, afirmou Pelé.