Navegando Posts marcados como Marília

Marília 1 x 4 Santos

Data: 14/03/2015, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio Bento de Abreu Sampaio Vidal, em Marília, SP.
Público: 6.849 total
Renda:R$ 181.480,00
Árbitro: Adriano de Assis Miranda
Auxiliares: Marco Antonio de Andrade Motta Junior e Maria Eliza Correia Barbosa.
Cartões amarelos: Gilberto Trindade (M) e Valencia (S).
Gols: Thiago Ribeiro (31-1); Marquinhos Gabriel (18-2), Bruno Farias (20-2), Thiago Ribeiro (30-2) e Gabriel (36-2).

MARÍLIA
Rodrigo Calchi; Gil, Thiago Gomes, Braga e Deca; Juninho Ortega (Gadelha), Boquita, Gilberto (Gilberto Trindade) e Evandro (Thiago Elias) e Bruno Farias; Leandro Costa.
Técnico: Bruno Quadros

SANTOS
Vanderlei; Cicinho (Vitor Ferraz), David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Valencia (Renato), Lucas Otávio e Elano (Lucas Lima); Marquinhos Gabriel, Thiago Ribeiro e Gabriel.
Técnico: Marcelo Fernandes



Reservas do Peixe goleiam por 4 a 1 e afundam o lanterna Marília

Mesmo com o time formado basicamente por reservas, o Santos conquistou mais três pontos no Campeonato Paulista nesta noite de sábado. A equipe do agora efetivado Marcelo Fernandes esteve longe de fazer uma grande partida, mas goleou o frágil Marília por 4 a 1, no estádio Bento de Abreu, pela 10ª rodada.

O resultado mantém o Peixe na liderança geral do Estadual com 26 pontos. Já são 8 vitórias e apenas dois empates do time de Vila Belmiro, líder disparado do Grupo D. Por outro lado, o Mac parece não ter mais salvação. Esta foi a oitava derrota da equipe, que soma apenas 2 pontos e segue na lanterna tanto do Grupo C, quanto da classificação geral do Paulistão.

Logo após o jogo, a delegação santista já iniciou a viagem para Londrina. Na terça-feira, o time estreia na Copa do Brasil contra a equipe paranaense, no estádio do Café, às 19h30, provavelmente com os titulares de volta.

Pelo Paulistão, o Santos recebe o Audax no próximo sábado, às 16 horas, no Pacaembu. No dia seguinte, o Marília visita o São Paulo, no Morumbi, no mesmo horário.

A chuva e o tipo de gramado do estádio Abreuzão fizeram com que muita lama se acumulasse no campo de jogo. Escorregadio e pesado, o gramado deixou a partida lenta. Além disso, a falta de inspiração dos jogadores atrapalhou o espetáculo na primeira etapa.

O time da casa abusou dos passes errados e conseguiu chegar ao gol de Vanderlei apenas após os 40 minutos, com dois chutes de fora da área que assustaram, mas não acertaram o alvo.

O Peixe, apesar de ter mais posse de bola, também não fez um grande jogo. Com sete reservas em campo, a equipe sentiu a falta de entrosamento e encontrou muitas dificuldades para furar a retranca do Mac.

Na única grande oportunidade que criou, o time de Marcelo Fernandes chegou ao gol. Cicinho, que deixou o jogo logo em seguida por causa de uma lesão muscular, fez jogada individual pela direita e cruzou baixo. O goleiro Rodrigo Calchi falhou e a bola sobrou para Thiago Ribeiro completar para o gol vazio.

“Resultado importante, temos de ter tranquilidade para ter uma boa postura e tentar fazer o segundo ou o terceiro. Tocamos bem a bola, mas está faltando velocidade no passe. Temos espaço, mas a bola está chegando muito devagar, fica ruim para jogar”, comentou o camisa 11, na saída para o vestiário.

E, assim como pediu o atacante, o Santos retornou para a etapa complementar mais aceso. Na verdade, o jogo ficou mais veloz, com o Marília ousando sair de trás para buscar ao menos um empate.

Diferente do primeiro tempo, o Mac chegou ao de Vanderlei antes dos 5 minutos, em chute de Bruno Farias, que mais uma vez passou perto do travessão. Na sequência, Thiago Ribeiro por pouco não marcou seu segundo gol no jogo em lance inusitado. O atacante recebeu na ponta esquerda e, ao tentar cruzar a bola para a área, mandou a bola direto para o gol, obrigando Rodrigo Calchi a fazer grande defesa.

Aos 18, depois de tanto martelar, o alvinegro ampliou sua vantagem no placar. A zaga do Mac falhou ao tentar fazer linha de impedimento e deixou Gabriel cara a cara com o goleiro. O camisa 10 não foi fominha e serviu Marquinhos Gabriel, que só empurrou a bola para as redes.

Mas nem deu tempo dos santistas comemorarem nas arquibancadas, pois, na saída de bola, o Marília foi para cima e Bruno Farias marcou um belo gol em chute de fora da área. Vanderlei deu o golpe de vista, mas foi surpreendido.

A partida, então, passou a ficar aberta, com o Marília criando chances pelas laterais, mas se expondo ao contra-ataque. E mesmo com o apoio da torcida local, o desnível técnico entre os times falou mais alto.

Assim, o Santos definiu sua vitória com mais dois gols. Primeiro, Thiago Ribeiro recebeu de Gabriel e bateu no canto, deslocando o arqueiro rival, para abrir 3 a 1. E já aos 36, foi a vez de Lucas Lima deixar Gabriel sozinho para fazer o seu e transformar a vitória em goleada.

O Marília ainda acertou o travessão com Leandro Costa nos minutos finais, mas o placar não foi mais alterado e o líder do Paulistão deixou a parida com a sensação de dever cumprido ao superar o lanterna da competição.

Bastidores – Santos TV:

Marcelo Fernandes dedica vitória ao elenco santista e ignora contrato

A carreira de treinador não podia iniciar de melhor forma para Marcelo Fernandes. Antes, como interino, o ex-auxiliar comandou a equipe nas vitórias por 3 a 0 em cima do Botafogo-SP e 2 a 1, de virada, no clássico com o Palmeiras. No último sábado, em seu primeiro desafio após ser efetivado no cargo, o Peixe bateu o Marília por 4 a 1. São três vitórias em três jogos, nove gols marcados e apenas dois sofridos.

“Sabíamos que era um jogo difícil, mas tínhamos confiança total no grupo. Você vê que tiramos vários jogadores por lesão e todos estão aí, viajaram, isso é o mais importante. Essa vitória é para eles”, disse Marcelo, lembrando que até os atletas que não foram relacionados para o duelo desta décima rodada do Campeonato Paulista, como o capital Robinho, foram ao estádio Bento de Abreu dar força à equipe.

Ao todo, sete reservas iniciaram a partida contra o lanterna do Estadual. Vitor Ferraz, Lucas Lima e Renato ainda chegaram a entrar na segunda etapa e ajudaram a construir a goleada debaixo de chuva, em um campo com muita lama.

“É o que eu falo para eles, não é papo de teoria. Elenco é isso aí, na hora que precisa tem que ser usado. O grupo todo é muito importante. Futebol hoje é assim, de grupo. Hoje você não é titular, mas sabe que vai entrar. E hoje o Santos está muito bem servido”, explicou Marcelo, garantindo que sua postura com o time não mudou após ser promovido.

“Não, eu só fui efetivado no cargo porque estou exercendo da melhor forma possível, não muda nada. Às vezes é difícil fazer o simples, e é isso que nós estamos fazendo. Eu, Serginho (Chulapa), Edinho, estamos tentando dar moral para os jogadores e simplificar”, ressaltou.

Técnico sem contrato

A situação do treinador santista pode ser considerada uma novidade no futebol brasileiro. Marcelo Fernandes é membro da comissão técnica permanente do Santos e foi efetivado com a condição de retornar ao posto de auxiliar caso a diretoria alvinegra, em algum momento, opte por contratar um novo técnico.

Diante disso, nem mesmo um contrato com prazos e condições salariais foram acordados. Marcelo Fernandes, assim como Serginho Chulapa e Edinho, recebeu apenas uma “gratificação de função”. Seu salário agora é de aproximadamente R$ 10 mil por mês. Só para se ter uma ideia, Enderson Moreira, que recebia um salário considerado baixo no mercado, ganhava R$ 180 mil mensais.

“Estou tranquilo, nem tratei nada disso, estou focado em ajudar o time, despreocupado quanto a isso. O presidente vai saber reconhecer o que a gente está fazendo, isso é o mais importante agora”, minimizou Marcelo Fernandes.

Santos FC x Marília AC
Santos Futebol Clube x Marília Atlético Clube


Retrospecto:

33 jogos
20 vitórias
08 empates
05 derrotas
58 gols pró
31 gols contra
27 saldo

Resultados:

06/06/1956 – Santos 5 x 3 Marília – Amistoso – Bento de Abreu
09/04/1970 – Santos 4 x 2 Marília – Amistoso – Bento de Abreu
20/02/1972 – Santos 0 x 1 Marília – Torneio Laudo Natel – Bento de Abreu
02/03/1975 – Santos 1 x 2 Marília – Paulista – Vila Belmiro
09/05/1976 – Santos 3 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
08/08/1976 – Santos 1 x 1 Marília – Amistoso – Bento de Abreu
27/04/1977 – Santos 1 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
24/07/1977 – Santos 2 x 0 Marília – Paulista – Bento de Abreu
10/09/1978 – Santos 0 x 0 Marília – Paulista – Bento de Abreu
16/12/1978 – Santos 0 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
15/08/1979 – Santos 4 x 1 Marília – Paulista – Vila Belmiro
19/09/1979 – Santos 1 x 0 Marília – Paulista – Bento de Abreu
25/06/1980 – Santos 3 x 1 Marília – Paulista – Bento de Abreu
10/09/1980 – Santos 2 x 1 Marília – Paulista – Vila Belmiro
06/05/1981 – Santos 2 x 1 Marília – Paulista – Bento de Abreu
30/09/1981 – Santos 4 x 1 Marília – Paulista – Vila Belmiro
21/07/1982 – Santos 1 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
10/10/1982 – Santos 3 x 2 Marília – Paulista – Bento de Abreu
07/07/1983 – Santos 0 x 0 Marília – Paulista – Bento de Abreu
28/09/1983 – Santos 0 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
24/06/1984 – Santos 0 x 0 Marília – 2 x 1 nos pênaltis – Torneio Início Paulista – Morumbi
18/08/1984 – Santos 1 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
28/10/1984 – Santos 0 x 0 Marília – Paulista – Bento de Abreu
03/08/1985 – Santos 0 x 2 Marília – Paulista – Bento de Abreu
24/08/1985 – Santos 2 x 2 Marília – Paulista – Vila Belmiro
13/02/1993 – Santos 4 x 2 Marília – Paulista – Vila Belmiro
07/04/1993 – Santos 1 x 3 Marília – Paulista – Bento de Abreu
21/02/2004 – Santos 3 x 1 Marília – Paulista – Parque Antártica
17/04/2005 – Santos 1 x 1 Marília – Paulista – Bento de Abreu
22/01/2006 – Santos 3 x 2 Marília – Paulista – Vila Belmiro
25/02/2007 – Santos 1 x 0 Marília – Paulista – Bento de Abreu
07/02/2008 – Santos 1 x 0 Marília – Paulista – Vila Belmiro
12/02/2009 – Santos 0 x 1 Marília – Paulista – Bento de Abreu
14/03/2015 – Santos 4 x 1 Marília – Paulista – Bento de Abreu


Marília 1 x 0 Santos

Data: 12/02/2009, quinta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Paulista – 7ª rodada
Local: Estádio Bento de Abreu, em Marília, SP.
Árbitro: Roberto Pereira Pires (SP)
Auxiliares: Junivan Sousa e Matheus Camolesi (SP)
Cartões amarelos: Rodrigo Costa (M); Domingos, Germano e Madson (S).
Cartões vermelhos: Molina (S) e Serrão (M).
Gol: Cláudio (08-1).

MARÍLIA
Giovani; Rafael Mineiro, Carlinhos, Rodrigo Costa e Tiago Souza; Ataliba (Cássio), João Vitor, Reinaldo (Ataide) e Fabiano Gadelha; Cláudio (Cauan) e Ricardinho.
Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS
Fábio Costa; Pará, Fabiano Eller, Domingos e Léo; Germano, Rodrigo Souto, Adriano (Molina) e Madson (Bolaños); Roni (Róbson) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes



Marília vence, amplia crise do Santos e derruba Fernandes

O Santos preparou esquema mais cauteloso defensivamente para evitar novo tropeço no Paulistão. A estratégia não funcionou. Apresentando as mesmas deficiências de jogos anteriores, o time da Vila parou no goleiro Giovani, em noite inspirada, saindo derrotado diante do Marília, 1 a 0, no interior. Foi o terceiro revés santista na temporada.

A derrota em Marília, desta vez, custou o cargo do técnico Márcio Fernandes, ameaçado desde a goleada sofrida contra o Palmeiras, 4 a 1, domingo, no Parque Antarctica.

“Só tenho a agradecer a oportunidade dada pelo presidente Marcelo Teixeira. As coisas às vezes não acontecem. Perdemos alguns jogos que não estavam no nosso plano. O momento é de vir pessoa que possa ajudar”, despediu-se Fernandes em entrevista à rádio Record.

Estacionado nos 10 pontos, o Santos é o 8º colocado, oito pontos atrás do líder Palmeiras, que ainda tem um jogo a menos.

Já o MAC obteve sua primeira vitória no Estadual, quebrando jejum de 15 anos sem vitória sobre o Santos.

Justamente para corrigir erros defensivos de outras apresentações, o Santos encarou o MAC com três volantes, estratégia utilizada por Márcio Fernandes para socorrer o time no Brasileirão, quando conseguiu livrar o clube do rebaixamento.

No entanto, o esquema 4-4-2, com três volantes, pecou nos detalhes. Em falha de posicionamento do time santista em cobrança de escanteio, o Marília abriu o placar logo aos 8 min da primeira etapa, gol de cabeça de Cláudio.

Após o gol, o Marília se segurou em campo. Pouco criativo no meio-campo, que contava com um meia, Madson, além de Germano, mais avançado, o Santos esboçou jogadas ofensivas pela lateral-direita e em lançamentos. Protegido defensivamente, o Santos criou inúmeras chances de gol na primeira etapa, todas elas esbarradas no goleiro Giovani, com participação destacada.

O MAC novamente balançou a rede de Fábio Costa, mas a arbitragem assinalou impedimento.

Na tentativa de reanimar o ataque para o segundo tempo, Márcio Fernandes apostou no trio ofensivo composto por Bolaños, Molina e Róbson.

Aberto pela esquerda como nos tempos de LDU, Bolaños chamou a atenção da zaga do Marília, abrindo espaço para o avanço de Pereira no meio da área. E em duas excelentes chances pelo meio o Santos desperdiçou o empate. Sem marcação, Roni e Kléber Pereira tiveram suas oportunidades, ambas interceptadas por Giovani, que já havia feito boas defesas na etapa inicial.

Desorientado, o Santos se arriscou em jogadas pelo alto, sem sucesso. O atacante Roni retratou o momento do Santos. Substituído com placar adverso, Roni deixou o campo sem nenhuma pressa, irritando a torcida à beira do gramado.

Melhor taticamente, o Marília se arriscou apenas nos contra-ataques, esperando o apito final. A torcida local gritou “olé”, irritando os santistas. Nos acréscimos, Molina tentou agredir o adversário, sendo expulso.

Santos 1 x 0 Marília

Data: 07/02/2008, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 7ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.263 pagantes
Renda: R$ 42.580,00
Árbitro: Milton Etsuo Ballerini
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Reinaldo Rodrigues dos Santos
Cartão amarelo: João Marcos (M)
Gol: Kléber Pereira (33-2).

SANTOS
Fábio Costa; Evaldo, Betão e Adaílton; Denis (Alemão), Adriano, Rodrigo Souto, Luiz Henrique (Rodrigo Tabata) e Alex (Anderson Salles); Tiago Luís e Kléber Pereira.
Técnico: Emerson Leão

MARÍLIA
Mauro; Gum, Rafael Fefo e Vinicius; João Marcos, Alan (Digão), João Vítor, Romeu (Alison) e Cleiton Cearense (Geandro); Camilo e Wellington Silva.
Técnico: Jorge Raulli



Sem brilho, Santos vence Marília na Vila e deixa zona de risco

O Santos voltou a apresentar atuação apenas regular, mas fez o suficiente para superar o Marília, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, por 1 a 0, e sair da zona de rebaixamento do Campeonato Paulista.

O êxito na Vila sobre o Marília colocou o Santos na 14ª posição, empatado em todos os critérios com o Palmeiras. Apesar da vitória, o time da Baixada tem situação complicada no Paulistão, já que o próximo duelo acontece contra o São Paulo, no Morumbi, somada à chegada da Copa Libertadores, onde o Santos pretende poupar atletas no Estadual.

“Fico feliz em ver o Santos ganhar, mesmo não tendo jogado tão bem. O Santos não está jogando bonito, mas os outros times grandes também não estão”, refletiu Fábio Costa.

Aliás, com exceção do Santos, nenhum dos grandes do Estado venceu nesta rodada. São Paulo e Corinthians empataram seus jogos, São Caetano e Barueri, respectivamente, e o Palmeiras perdeu para o Guará.

Aos 7 min, o Marília assustou os santistas após furada de Adaílton. Wellington Silva invadiu a área, mas Fábio Costa interceptou a bola. No minuto seguinte, foi a vez do Santos quase marcar. Kléber Pereira se desvencilhou do zagueiro, ficou livre, mas chutou a bola na trave.

O MAC voltou a ameaçar aos 34 min, em chute de longa distância desferido pelo meia Romeu. Sem qualquer criatividade, o Santos aceitou as investidas do Marília, que dominou a primeira etapa. Aos 42, o Santos usou sem sucesso a “linha burra” e o zagueiro Gum cabeceou livremente. Por pouco não abriu o placar.

Utilizado após o intervalo, o meia Rodrigo Tabata deu maior movimentação ao sistema ofensivo santista. Foi de seus pés que surgiram a primeira boa jogada da etapa complementar. Aos 11 min, Tabata costurou a zaga adversária, mas finalizou desequilibrado.

Explorando os contra-ataques, o Marília voltou a ameaçar o time da casa. Wellington chutou no canto, mas Fábio Costa executou excelente defesa, aos 15 min. Em seu primeiro lance no jogo, o atacante Alemão desperdiçou boa oportunidade de gol, chutando para fora.

Numa falha bisonha do zagueiro Vinícius, Kléber Pereira aproveitou a falha e anotou o tento santista, aos 33 min. O gol de empate só não ocorreu porque Fábio Costa novamente evitou lance claro de gol. Wellington Silva chutou por cobertura, aos 37 min, mas o santista esticou o braço para impedir o empate.

Nos cinco minutos finais, o Santos perdeu três gols inacreditáveis. O primeiro com Tabata, depois com Alemão, que chutou na trave, e com Tiago Luís.

Marília 0 x 1 Santos

Data: 25/02/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 10ª rodada
Local: Estádio Bento de Abreu, em Marília, SP.
Público: 10.404 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Eduardo César Coronado Coelho
Auxiliares: Aline Lambert e Marcos Joel Alves
Cartões amarelos: Marcelo e Adriano (S).
Gol: Ávalos (43-2).

SANTOS
Fábio Costa, Denis, Marcelo, Ávalos e Carlinhos; Adriano, Rodrigo Souto, Pedrinho e Rodrigo Tabata (Fabinho); Jonas (Renatinho) e Fabiano (Júnior).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

MARÍLIA
Julio César, Dedimar, René e Luciano Camilo; Bruno Ribeiro, Fernando, Max Carrasco, Juninho (Naldinho) e Dickson (Rodolfo Augusto); Fabiano Gadelha (Basílio) e Wellington Amorim.
Técnico: Lori Sandri



Com nove reservas, Santos vence Marília com gol no fim e se mantém na ponta

Sem nove jogadores considerados titulares e com muito sufoco. Foi assim que o Santos venceu o Marília por 1 a 0 neste domingo, fora de casa, e manteve a liderança isolada do Campeonato Paulista. O gol da vitória, de Ávalos, só aconteceu aos 43min da etapa final.

Devido ao cansaço de seus comandados – o time disputou sua 13ª partida em pouco mais de um mês -, o técnico Vanderlei Luxemburgo resolveu poupar vários atletas.

Além de Kléber, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o lateral Pedro, os zagueiros Adaílton e Antonio Carlos, o volante Maldonado, os meias Zé Roberto e Cléber Santana e os atacantes Rodrigo Tiuí e Marcos Aurélio ficaram fora da partida.

Com isso, a equipe que entrou em campo para enfrentar o Marília não foi apenas um time misto, e sim um time reserva, já que os únicos titulares em campo eram o goleiro Fábio Costa e o volante Rodrigo Souto.

“A estratégia de não usar os jogadores que vinham jogando foi boa porque vencemos. Contávamos com o resultado positivo e conseguimos. Sabíamos também que pela gordura que temos, dava para arriscar um pouco. O importante é que fomos felizes”, disse o técnico Vanderlei Luxemburgo após a partida.

Além disso, o treinador ainda foi obrigado a promover uma estréia. Sem poder contar com Leonardo, contratado no meio da semana, mas ainda sem condições físicas, e Domingos, lesionado, Luxemburgo utilizou o jovem zagueiro Marcelo, que atuou pela primeira vez no profissional.

Mesmo assim, o Santos não repetiu a atuação do último fim de semana, quando foi surpreendido em casa pelo São Bento, e manteve a liderança do Campeonato Paulista, agora com 25 pontos ganhos.

Já o Marília perdeu sua chance de se aproximar da zona de classificação para o troféu Campeão do Interior, se mantendo na 11ª posição da tabela com apenas 12 pontos ganhos.

Em campo, no entanto, as coisas não foram fáceis para a equipe da Baixada Santista. No primeiro tempo, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo sentiu a falta de entrosamento e só ameaçou o gol do Marília em lances de bola parada.

Na segunda etapa, no entanto, a equipe alvinegra apresentou melhoras. Aos poucos, as jogadas santistas começaram a funcionar e o novo obstáculo no caminho era a boa atuação do goleiro Julio César, que fez pelo menos duas defesas importantes. Foi somente a dois minutos do fim da partida que Ávalos, de cabeça, abriu o placar para os visitantes.