Navegando Posts marcados como Mirassol

Santos 3 x 1 Mirassol

Data: 07/03/2020, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.762 pagantes
Renda: R$ 275.792,50
Árbitro: Ilbert Estevam da Silva
Auxiliares: Fabrini Bevilaqua Costa e Risser Jarussi Corrêa.
Cartões amarelos: Madson, Diego Pituca, Soteldo e Everson (S); Matheus Rocha e Luiz Otávio (M).
Gols: Diego Pituca (03-1), Yuri Alberto (18-1), Sasha (22-1) e Rafael Silva (31-1).

SANTOS
Everson; Madson (Pará), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Yuri Alberto (Kaio Jorge), Soteldo e Eduardo Sasha (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

MIRASSOL
Kewin; Daniel Borges, Luiz Otávio, Reniê e Ernandes; Luís Oyama, Neto Moura (André Castro) e Camilo; Matheus Rocha (Maranhão), Chico (Dellatorre) Rafael Silva.
Técnico: Ricardo Catalá



Santos vence Mirassol na Vila Belmiro e embala no Campeonato Paulista

O Santos embalou pela primeira vez na temporada. O Alvinegro recebeu o Mirassol neste sábado e venceu por 3 a 1, em duelo válido pela 9ª rodada do Campeonato Paulista. Após vitória de meio de semana pela estreia na Libertadores, o triunfo pelo Estadual consolida a melhor fase da equipe sob comando de Jesualdo Ferreira.

Com facilidade para criar espaços e chegar ao ataque, o Peixe amassou a equipe do interior no primeiro tempo, abrindo 3 a 0 de vantagem em 22 minutos. Os visitantes diminuíram em lance de bola parada ainda antes do intervalo.

No segundo tempo, o time da casa voltou pior; reduziu a velocidade, criou menos, mas fez o suficiente para manter o resultado e sair com a vitória.

Com a vitória, o Santos abriu vantagem na liderança do grupo A, com 15 pontos, contra o nove do 2º colocado Água Santa, que ainda joga na rodada. Em caso de tropeço da 3ª colocada Ponte Preta, o Peixe só precisará de uma vitória nos últimos três jogos para assegurar uma vaga para as quartas de final.

Já o Mirassol se manteve na vice-liderança do grupo C com 13 pontos, dois a menos que o São Paulo e quatro acima do 3º colocado Inter de Limeira.

O jogo

Embalado com a vitória de meio de semana sobre o Defensa y Justicia na Argentina, o Santos não demorou para achar o caminho das redes.

Na primeira chance do jogo, logo aos três minutos, Felipe Jonatan recuperou bola do adversário, deixou com o Soteldo e correu para receber em profundidade pelo corredor esquerdo. O lateral então tocou para Pituca, que cortou o marcador na entrada da área e bateu com perfeição no ângulo esquerdo. Golaço do volante.

Os mandantes seguiram pressionando e tiveram nova chance aos cinco minutos. Soteldo cruzou da esquerda, a bola acabou desviando no zagueiro do Mirassol e atrapalhou Yuri Alberto, que cabeceou para fora. O atacante, porém, teria nova chance aos 18. Sánchez abriu para Pituca na esquerda. O volante cruzou, a defesa do Mirassol cortou mal e a bola se ofereceu para Yuri Alberto. O atacante dominou e bateu firme no contrapé para ampliar.

O terceiro saiu ainda antes da primeira meia hora de jogo. Aos 22 minutos, Yuri Alberto encontrou Sasha na meia-lua. O atacante fez o domínio já girando o corpo e bateu firme, entre dois marcadores, para acertar o canto esquerdo da meta. 3 a 0 e monólogo santista.

Os visitantes descontaram aproveitando o ponto fraco da equipe de Jesualdo neste sábado: a bola parada. Aos 31, Camilo cobrou falta pela esquerda e Rafael Silva subiu sozinho entre quatro santistas. O atacante testou para baixo no canto direito de Everson, que até chegou na bola, mas não conseguiu fazer a defesa.

Na segunda etapa, menos emoção para os dois lados. Na primeira meia hora, o Mirassol foi para cima em busca do empate e foi o responsável pelas melhores chances, embora nenhuma muito clara. Aos 13, Camilo dominou na entrada da área e bateu com perigo, para boa defesa de Everson.

Sem conseguir reduzir o placar, os visitantes viram o time da casa retomar o controle do jogo nos minutos finais, aproveitando as entradas de Arthur Gomes e Kaio Jorge. Aos 36, Arthur Gomes recebeu na área, girou e cruzou para Sánchez empurrar para as redes. O uruguaio, porém, estava impedido e o lance foi anulado.

Ainda antes do fim, o goleiro Everson tentou aproveitar a noite artilheira da equipe para guardar o seu. O goleiro cobrou falta da entrada da área aos 43 minutos, mas o chute ficou na barreira. No último lance, Kaio Jorge recebeu com muito espaço, avançou para dentro da área, mas ao invés de rolar para Soteldo livre, tentou mais um corte e a batida para o gol. A bola subiu e passou por cima da meta.

Bastidores – Santos TV:

Felipe Jonatan comenta evolução do Santos e desentediamento de Pituca e Soteldo

O Santos venceu o Mirassol neste sábado pelo Campeonato Paulista. Em boa atuação, o time de Jesualdo Ferreira mostrou evolução em relação às primeiras rodadas e anotou três gols pela primeira vez no ano.

“A gente está feliz pelos três pontos, que era o mais importante no momento. A gente vem de uma sequência boa desde o clássico contra o Palmeiras, a gente vem evoluindo, crescendo com o trabalho do professor Jesualdo”, contou Felipe Jonatan aos canais Premiere na saída de campo.

O lateral ainda comentou sopre o desentendimento entre Soteldo e Pituca, na saída do time para o vestiário ao fim do primeiro tempo.

“Em questão do Soteldo e do Pituca, é cobrança normal de time. Time grande tem que ter cobrança. Mas está tudo resolvido, dentro do vestiário mesmo apaziguamos tudo e fizemos uma ótima atuação. Sabemos que tem que mudar muito ainda, mas aos poucos a gente vai evoluindo”, concluiu.

Jesualdo elogia poder ofensivo de Madson em estreia no Santos

Um dos poucos reforços para a temporada de 2020, o lateral direito Madson estreou pelo Santos neste sábado, pela 9ª rodada do Campeonato Paulista, na vitória contra o Mirassol, na Vila Belmiro. Apesar de ter começado a partida como titular, o jogador de 28 anos ainda se adapta ao trabalho do técnico Jesualdo Ferreira, que relatou estar conhecendo o atleta.

“Vocês conhecem o Madson melhor que eu. Conheço pouco, com todo respeito. Em dois dias de trabalho ele sentiu, e decidi que deveria fazer recuperação adequada. É um lateral diferente do Pará, que tem mais experiência. Ele entrou e nada ocorreu, é mais jovem, tem a profundidade que às vezes é necessária. Está com ele, no corpo e na cabeça, a resposta necessária da lesão que teve”, afirmou.

Mesmo assim, o treinador português comentou sobre as características do lateral-direito e elogiou o desempenho do elenco santista, assim como o poder ofensivo de Madson.

“(Ele é um) lateral para frente, que vai e vem, para trás é mais difícil. Na frente vai muito bem. É preciso tirar vantagens disso. Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo. Temos tido respostas dentro do elenco, é uma das coisas que mais têm me dado prazer. Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. Vamos chegar lá”, concluiu.

Madson chegou ao Santos no início de 2020, mas ainda não havia atuado, já que não possuía as melhores condições físicas para entrar em campo. O lateral-direito chegou ao Peixe após uma troca com o Grêmio por Victo Ferraz, mas foi jogador do Athletico-PR em 2019.

Jesualdo exalta Pituca no Santos: “Qualidade física e força mental”

O técnico Jesualdo Ferreira deu sequência para Diego Pituca no meio-campo do Santos mesmo em meio a atuações irregulares. E deu certo.

Pituca demorou a se adaptar à função mais ofensiva, mais próximo do gol adversário e às vezes até como ponta. Jesualdo explicou a mudança tática depois da vitória sobre o Mirassol, com o primeiro gol marcado pelo meio-campista, em bonito chute de fora da área.

“Pituca é curioso. Como é possível jogar com três volantes falaram…. E eu não entendi. O meio era esse ano passado. Santos jogava no ano passado com três volantes e era ofensivo? Querem ser um pouco treinador e me explicar isso? Sempre pensei no Pituca como interior, médio interior de características ofensivas. Box to box em 90 minutos, qualidade física e força mental. Por que volante? Tinha que estar mais posicional (no ano passado). Mas gosto dele assim, até na direita como na parte final do jogo (contra o Mirassol). É um jogador que gosto muito, tem vantagem de fazer ala esquerda no 4-4-2, lateral como fez se tiver problema… Quando é para jogar só um (volante), também joga”, explicou Jesualdo.

Pituca é meia de origem, mas se acostumou a atuar como primeiro ou segundo volante no Peixe nos últimos anos. Jesualdo Ferreira enxerga o esquema tático 4-3-3, seu preferido, com um camisa 5, um 8 e um 10, à moda antiga, com um meia pela esquerda e outro pela direita. Nesse desenho, Pituca foi à frente.

Jesualdo vê Alison e Jobson como o 5, Diego Pituca e Jobson como o 8 e Sánchez e Evandro como o 10. Diante da instabilidade nas últimas semanas e a ausência do capitão, o português fez algumas trocas, como Pituca ao lado de Jobson e Evandro de 5.

O treinador tem conversado com Diego Pituca para que resgate as características de armador do início da carreira e use sua força física pelo lado do campo. O jogador, antes desanimado com as críticas do torcedor, tem se sentido mais à vontade e espera por desempenho ainda melhor na sequência da temporada.

Jesualdo pede reforço, mas relata prazer em “achar respostas” no elenco do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira reforçou o pedido pela contratação de um lateral-esquerdo no Santos. Ao mesmo tempo, porém, falou em “prazer” por encontrar “respostas” dentro do próprio clube.

“Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo, vamos chegar se Deus quiser. Temos tido respostas dentro do elenco. É uma das coisas que mais têm me dado prazer. Muitos jovens, como o (Anderson) Ceará hoje (no banco). Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. E vamos chegar lá”, disse o técnico, em entrevista coletiva depois da vitória sobre o Mirassol.

Jesualdo tem avaliado diversos jogadores da base e do time B de perto. Anderson Ceará e Ivonei, meio-campistas, foram inscritos no Campeonato Paulista e devem ganhar oportunidade em breve.

Yuri Alberto e Kaio Jorge, desprestigiados em 2019, têm atuado com frequência, assim como Arthur Gomes, “reforço” depois do empréstimo à Chapecoense.

A diretoria do Santos busca uma “sombra” para Felipe Jonatan, mas a falta de dinheiro e a janela internacional de transferências fechada na maior parte dos países da Europa dificulta a contratação.

Jesualdo avalia trabalho após dois meses no Santos: “Nunca tive dúvida”

Jesualdo Ferreira avaliou o trabalho da comissão técnica após dois meses no Santos – o português foi apresentado oficialmente em 8 de janeiro e tem cinco vitórias, três empates e duas derrotas.

O treinador faz avaliação positiva e diz nunca ter duvidado de estar no caminho certo, mesmo em meio à pressão por melhor desempenho.

“Temos 50% de vitórias, gostaríamos de ter mais. Não há forma de conseguir sem tempo e trabalho. Fui claro no início quando falei sobre isso. Nunca tive dúvida sobre nosso trabalho, a cada dia sabia que esse é o caminho. Críticas aqui são normais, talvez aqui mais cedo do que estou acostumado. Equipe acreditou no que está a fazer. Quando olham para as imagens e veem o nível que não esperavam, percebem evolução, fica difícil olhar para trás. São passos para frente. É como defender, quando se perde a bola tem que pensar em passo à frente, não atrás, sem medo. São passos à frente para dar”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

“São 10 jogos, tempo de trabalho é pouco e jogos foram muitos. É preciso analisar o treino, melhorar, e espaço é curto. Jogador dificilmente consegue estar no 100%, limite sem recuperar, mas é a tônica do futebol brasileiro. Jogadores sabem o que existe e o que é futuro. Estou habituado, joguei a cada três dias com frequência. É preciso encontrar os equilíbrios da equipe para que o rendimento seja mais ou menos alto independentemente dos jogadores utilizados. É a nossa tarefa agora”, emendou.

Jesualdo cita Ceni ao falar de Everson como cobrador do Santos: “Brasil tem grande exemplo”

Everson chegou ao Santos no início de 2019 com status de bom goleiro e também com a fama de bom cobrador de faltas no Ceará. E a primeira tentativa só ocorreu no último sábado, contra o Mirassol, depois de um ano.

A falta parou na barreira, mas o goleiro “quebrou o gelo” e deve ter novas oportunidades. O técnico apoia e cita Rogério Ceni como argumento.

“Ele bate bem… Foi uma pena a falta não ser do outro lado (esquerdo). Se fosse na esquerda poderia ter entrado. Brasil tem grande exemplo como Ceni, ele bate bem e tem que continuar treinando. Alguns batem bem, como Soteldo e Sánchez também, mas está tudo no princípio. Não é fácil tirarmos conclusões”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

Aos 29 anos, Everson tem três gols na carreira: dois de pênalti e um de falta. O de falta foi marcado contra o Corinthians, em 2018, pelo Vozão.


Santos 1 x 0 Mirassol

Data: 09/02/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 6ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 19.261 pessoas (16.634 pagantes e 2.627 não pagantes)
Renda: R$ 522.527,00
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Marco Antonio de Andrade
Cartões amarelos: Aguilar (S); Riccieli e Lelê (M).
Gol: Jean Mota (49-2).

SANTOS
Everson; Matheus Ribeiro, Aguilar, Luiz Felipe (Gustavo Henrique) e Orinho; Yuri, Diego Pituca, Jean Mota e Cueva (Carlos Sánchez); Soteldo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Jorge Sampaoli

MIRASSOL
Tiago Cardoso; Daniel Borges, William Alves, Leandro Amaro e Carlos Renato; Riccieli, Léo Baiano, Wellington Simião e Jean Carlos (Mailton); Lelê (Carlão) e Rodolfo (Zé Roberto).
Técnico: Moisés Egert



Jean Mota decide na estreia de Cueva e Santos vence o Mirassol no fim

O Santos de apenas quatro titulares – Luiz Felipe (o zagueiro sentiu problema na coxa e foi substituído por Gustavo Henrique), Aguilar, Diego Pituca e Jean Mota -, sofreu, mas venceu o Mirassol por 1 a 0 neste sábado, no Pacaembu, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. O gol foi marcado por Jean Mota, no último minuto – o artilheiro do Estadual com cinco gols.

O estreante Cueva foi bem, mas os laterais Orinho e Matheus Ribeiro foram discretos e Yuri, Eduardo Sasha e Soteldo irritaram a torcida presente em São Paulo.

No segundo tempo, o Peixe superou o desentrosamento e criou chances, porém, esbarrava na falta de pontaria e boas defesas do goleiro Tiago. No fim, o bom volume de jogo foi recompensado depois de jogada de Derlis e raça de Jean Mota na pequena área.

O jogo

O Santos, sem entrosamento e com as estreias de Everson e Cueva, conseguiu controlar o jogo desde os primeiros minutos, mas teve muita dificuldade para encontrar espaços na etapa inicial.

Os primeiros 47 minutos foram do Peixe sem sustos na defesa, com a bola no pé, só que sem oportunidades claras. Na melhor delas, Jean Mota cruzou na pequena área e não teve quem empurrasse para o gol.

No segundo tempo, o Alvinegro passou a empilhar chances. Jean Mota, Eduardo Sasha, Cueva, Soteldo…. Todos tiveram finalizações de frente para o gol. Com o goleiro Tiago seguro e a pontaria em baixa, porém, a bola teimava em não entrar.

Nos minutos finais, até o zagueiro Gustavo Henrique foi para o ataque, mas Tiago seguia firme, assim como o zero no placar. E aí apareceu a estrela de Jean Mota, artilheiro do Campeonato Paulista. No último minuto, Derlis González bateu cruzado e o meia, na raça, empurrou para o fundo das redes na pequena área. 1 a 0 e mais uma vitória santista.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli elogia estreia de Cueva no Santos e fala sobre Abner e Jean Lucas

O técnico Jorge Sampaoli gostou da estreia de Cueva na vitória por 1 a 0 sobre o Mirassol neste sábado, no Pacaembu, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

“Só teve um treino, pedimos para jogar e precisávamos girar alguns jogadores. Ajudou com muitos passes no campo rival e isso nos faltava. E com o conhecimento do grupo, vai nos dar muito”, disse Sampaoli.

O treinador ainda comentou sobre Jean Lucas, emprestado pelo Flamengo, e Abner, lateral-esquerdo do PSTC e alvo do Peixe para a temporada.

“Analisamos muito bem, é um volante que pode ajudar com a agressividade que precisamos. Flamengo não deixava sair, depois chegamos a um acordo”, comentou o treinador.

“Estávamos vendo alguns laterais, Abner é um deles, mas bem, estamos esperando a evolução das negociações e não sei bem como está”, completou.

Jean Lucas esteve no Pacaembu para assistir ao jogo do Santos e será anunciado em breve. Abner espera pelo “sim” do Peixe para fechar.

“Vital” para Sampaoli, Jean Mota valoriza paciência do Santos em vitória

Com 0 a 0 no placar, Mirassol todo atrás, chances desperdiçadas e, até o último minuto, o Santos manteve seu estilo de posse de bola e chegou ao gol da vitória no último minuto, com Jean Mota.

Artilheiro do Campeonato Paulista com cinco gols, Jean destaca a paciência do Peixe deste sábado, no Pacaembu.

“Não é ansiedade, tentamos de várias formas, o time deles estava muito fechado, e mesmo com time reserva não mudamos nosso estilo. Buscamos, tivemos uma chance com o Cueva, outra com o Soteldo, e sempre buscamos o gol. No final saímos com a vitória”, disse Jean Mota, ao Premiere.

“Hoje não deu na técnica, foi na raça ali, a bola sobrou e pude por pra dentro. Tentamos de várias formas, finalizamos, o time deles não finalizou no segundo tempo. Queria agradecer meu avô, que está ali assistindo, esse gol é pra ele”, completou o meia.

O técnico Jorge Sampaoli analisou o bom momento de Jean Mota. O argentino barrou a saída dele depois de propostas do Bahia, Ceará e Fortaleza.

“Não encontrou seu lugar em outro projeto, vimos a capacidade de jogar muito bem. Criticava-se a falta de sacrifício, não correr, mas nunca se desvalorizou como pode ajudar o companheiro no jogo. É vital nesse aspecto, muito importante e estamos aproveitando muito”, concluiu.

Matheus Ribeiro diz que não merecia, mas promete dar a vida em nova chance no Santos

Matheus Ribeiro foi contratado em 2017 como destaque do Atlético-GO na Série B do Campeonato Brasileiro e alternativa para as duas laterais do Santos.

O jogador, porém, não se destacou e acabou emprestado para o Puebla-MEX e o Figueirense em 2018. Com três lesões, ele quase não atuou. Mesmo assim, foi chamado pelo técnico Jorge Sampaoli para voltar ao Peixe.

A reestreia pelo Alvinegro ocorreu neste sábado, na vitória por 1 a 0 sobre o Mirassol, justamente no Pacaembu, palco de uma atuação ruim e de críticas da torcida diante do Independiente Santa Fé-COL em 2017, pela Libertadores.

“Não cabe a mim falar se eu gostei, dei meu melhor. Minha última lembrança do Pacaembu não é das melhores. Estou aqui para dar a volta por cima, dar meu melhor e estou muito feliz com essa reestreia”, disse Matheus Ribeiro.

“Toda experiência é válida. Ano passado foi muito difícil para mim, duas lesões no México e outra no Figueirense. Joguei muito pouco. Estou encarando essa chance como a chance da vida. Não conseguiria expressar em palavras. Tenho momento diferente, uma chance que ao meu ver nem merecia pois quase não joguei ano passado. Foi uma surpresa, mas uma surpresa ótima. Estou muito feliz”, completou.

Matheus também falou sobre a oportunidade de atuar mais ofensivamente no esquema tático de Sampaoli e da falta de ritmo depois de temporada de altos e baixos em 2018.

“Professor gosta do lateral bem intenso, que compita pela bola lá na frente e isso me ajuda, tenho um pouco de dificuldade na marcação, então para mim é um posicionamento bem interessante”, explicou.

“Joguei uma partida inteira depois de 90 minutos, intenso, calor, senti um pouco o ritmo, mas só jogando que se consegue ter ritmo. Foi uma boa oportunidade e espero ter agradado ao professor”, concluiu.



Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 2 x 1 Mirassol

Data: 21/03/2013, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 13ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.436 pagantes
Renda: R$ 92.560,00
Árbitro: Rodrigo Braghetto
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo e Leandro Matos Feitosa.
Cartões amarelos: Felipe Anderson (S); Emerson e Diogo (M).
Cartões vermelhos: Felipe Anderson e Patito Rodriguez (S).
Gols: André Luis (20-1) e Giva (41-1); Giva (29-2).

SANTOS
Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior, Arouca, Patito Rodriguez e Felipe Anderson; Miralles (André) e Giva (Neílton).
Técnico: Muricy Ramalho

MIRASSOL
Emerson; Pio, Leonardo, Gian e Diogo; Alex Silva, Glauber (Caion), Camilo (Mineiro) e Leomir; André Luis e Tiago Luis (Adilson Bahia).
Técnico: Ivan Baitello



Giva marca dois, e Santos vence jogo polêmico contra o Mirassol

Com a vitória desta quinta, equipe de Muricy Ramalho chegou aos 27 pontos e segue como vice-líder do Paulistão

Mesmo sem apresentar um grande futebol, o Santos, desfalcado de jogadores importantes como Cícero, Montillo e, principalmente, Neymar, venceu o Mirassol, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. O time visitante saiu na frente com André Luis, mas viu Giva marcar os dois gols que decretaram a virada do Peixe.

Porém, o segundo gol do jovem atacante foi irregular. Após o chute de Giva, Patito Rodriguez, em posição de impedimento, fez um corta-luz, que atrapalhou o goleiro Emerson, do Mirassol. O árbitro Rodrigo Braghetto confirmou o gol, após um de seus assistentes invalidar o lance.

O triunfo fez os santistas subirem para a segunda colocação, com 27 pontos. O Mirassol se manteve na 15ª posição, com apenas 12 pontos ganhos.

Na próxima rodada, os alvinegros fazem o clássico com o Palmeiras, domingo, às 16 horas (horário de Brasília), no Pacaembu. No mesmo dia, o Leão da Alta Araraquarense visita o Mogi Mirim, às 18h30, no Romildão.

O jogo

O Mirassol iniciou o jogo assustando. Em cobrança de falta, logo no primeiro minuto, Pio acertou a trave de Rafael, que falhou no lance. A bola tocou no poste e saiu pela linha de fundo.

Mas, depois de ver o Leão da Alta Araraquarense levar perigo no início da partida, o Santos respondeu e teve boas chances para balançar as redes. Aos nove, Giva invadiu a área, fez o cruzamento e Miralles completou parao gol, mas viu o goleiro Emerson fazer a defesa. No minuto seguinte, Léo recuperou a bola para o Peixe e invadiu a área, tocando por cima do arqueiro, só que a zaga do Mirassol afastou o perigo.

No entanto, após os santistas criarem boas oportunidades, o Leão da Alta Araraquarense voltou a se lançar no ataque. Primeiro, aos 19, Tiago Luis fez boa jogada individual pela direita e quase abriu o placar. O goleiro Rafael evitou o gol, tocando a bola para a linha de fundo.

Na cobrança do escanteio, um minuto depois, o Mirassol chegou ao gol. André Luis aproveitou a falha da zaga alvinegra e marcou para os visitantes.

Com a desvantagem no placar, o Santos passou a encontrar dificuldades para furar o forte sistema defensivo montado pelo time do Interior. Mesmo com Felipe Anderson, Patito Rodrigues e Giva buscando o jogo, com bastante movimentação, a marcação do Leão da Alta Araraquarense era eficiente.

Porém, pouco antes do intervalo, a equipe praiana ainda conseguiu chegar ao empate. Aos 41, Felipe Anderson cobrou escanteio para Giva, que se antecipou em relação aos zagueiros adversários e desviou de cabeça, superando o goleiro Emerson para deixar tudo igual no placar da Vila: 1 a 1.

No último lance do primeiro tempo, entretanto, o Mirassol voltaria a assustar, quase anotando o seu segundo gol. Em cobrança de falta, Pio soltou a bomba e a bola passou muito próxima a trave do gol defendido por Rafael.

Na volta para a etapa complementar, os dois times voltaram em ritmo mais lento. Com isso, as chances de gol ficaram mais escassas.

O Leão da Alta Araraquarense teve uma boa oportunidade aos 16, quando Pio cobrou falta rasteira e André Luis deu um carrinho, tentando alcançar a bola. Mas o atacante não conseguiu completar o lance e o Mirassol não alcançou o seu segundo gol no duelo.

Apesar das poucas chances no segundo tempo, o Peixe conseguiu chegar ao segundo gol. Aos 29, Giva precisou chutar duas vezes para vencer Emerson. Porém, o gol foi irregular. Patito Rodriguez fez um corta-luz que atrapalhou o goleiro Emerson. Um dos assistentes sinalizou o impedimento, mas o árbitro Rodrigo Braghetto confirmou o gol.

Destaque do jogo, Giva deixou o gramado com câimbras, aos 39, substituído por outra promessa santista: Neílton, que fez a sua estreia no elenco profissional. Antes, o técnico Muricy Ramalho já havia sacado Miralles para a entrada de André. Do outro lado, o treinador Ivan Baitello promoveu as entradas de Mineiro, Caion e Adilson Bahia, que entraram nas vagas de Camilo, Glauber e Tiago Luis, respectivamente.

No final do confronto, o Alvinegro Praiano ainda perdeu os meias Felipe Anderson e Patito Rodriguez expulsos. Mas o Santos conseguiu administrar o resultado, mesmo com a pressão dos visitantes nos últimos minutos, conquistando mais uma vitória no Campeonato Paulista.

Bastidores – Santos TV:

Autor de gols da vitória do Santos, Giva ganha carro e destaca confiança

O jovem avante ganhou um modelo QQ, em eleição promovida através das redes sociais do clube, para o melhor jogador em campo nesta partida

Destaque da vitória do Santos sobre o Mirassol, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, o atacante Giva ainda ganhou um presente da montadora chinesa Chery, patrocinadora pontual do clube praiano. O jovem avante ganhou um modelo QQ, em eleição promovida através das redes sociais do Peixe, para o melhor jogador em campo nesta partida.

“Não sabia disso (prêmio), fiquei sabendo apenas no intervalo. Os companheiros falaram no vestiário. Fiz dois gols e recebi esse prêmio. Só tenho que agradecer a Deus por tudo o que aconteceu nesta noite. Acho que ele escutou as minhas preces”, disse Giva, muito satisfeito com a sua atuação.

O atacante, campeão da última Copa São Paulo de Juniores, com o sub-20 santista, marcou contra o Leão da Alta Araraquarense os seus primeiros gols no profissional alvinegro. “Tudo isso está sendo um sonho para mim. Espero que aconteça muitas outras vezes comigo. O jogador precisa de confiança e esses gols vão me ajudar bastante”, comentou.

Escalado como titular, desbancando a concorrência do centroavante André, Giva ainda agradeceu o técnico Muricy Ramalho pelas oportunidades que vem recebendo no time principal. “O professor é muito legal, nos dá bastante confiança. Ele não demonstra muito na frente das câmeras, mas ele é tranquilo com a gente, do jeito dele. É um cara super gente boa, que nos motiva e passa segurança”, encerrou.

Muricy nega que atraso tenha relação com opção por André na reserva do Santos

Treinador queria dar uma nova chance para o argentino Miralles, recuperado de um edema muscular na coxa esquerda

O técnico Muricy Ramalho negou que o fato de o centroavante André ter chegado atrasado ao treino do Santos, na última quarta-feira, no CT Rei Pelé, tenha relação com o fato de o jogador ter ficado na reserva contra o Mirassol. Segundo o treinador, as atuações de Giva o credenciaram a receber uma nova chance entre os titulares. Por essa razão, André foi preterido na vitória sobre o time de Araraquara, na noite desta quinta, na Vila Belmiro.

Além disso, Muricy queria dar uma nova chance para Miralles, recuperado de um edema muscular na coxa esquerda. O argentino, que substituiu Neymar, na Seleção Brasileira, vinha sendo titular antes da contusão.

“Ele está se dedicando, não foi por causa disso (atraso). Não me dei conta desse fato, aliás. Até porque, ele estava fora do tático, por isso nem percebi. Mudamos o horário do trabalho para os titulares. Ele estava fora do time e não ia jogar. Mas qualquer um pode chegar atrasado. O Miralles saiu por contusão e seria o substituto no lugar do Neymar. O Giva deu mais movimentação para a equipe, nas vezes que entrou, e aqui é assim: quem está melhor, fica no time”, afirmou.

Indagado sobre o atraso, confirmado pelo superintendente de futebol alvinegro, Felipe Faro, em entrevista à Rádio ESPN , André desconversou na saída do campo, após o triunfo sobre o Mirassol, e negou qualquer desconforto com a situação.

“Não tem nada disso (atraso). Eu já ia ficar no banco. O pessoal anda muito criativo. Para mim, não tem problema nenhum (ficar na reserva). Lógico que eu quero jogar, mas a minha parte é trabalhar, para quando precisarem de mim, eu entrar bem e poder fazer gols”, destacou.

Muricy critica duramente expulsões de Felipe Anderson e Patito no Santos

“Chamei a atenção deles no vestiário, não deixo para amanhã. Eles são profissionais e precisam estar ligados, sempre”, avisou o técnico

As expulsões dos meias Felipe Anderson e Patito Rodriguez, nos minutos finais da vitória sobre o Mirassol, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, deixaram o técnico Muricy Ramalho bastante irritado. Contrariado, o treinador do Santos criticou duramente os seus comandados por terem recebido o cartão vermelho em um momento crucial da partida, deixando a equipe com dois jogadores a menos.

“Chamei a atenção deles no vestiário, não deixo para amanhã. Eles são profissionais e precisam estar ligados, sempre. Eu não vi a expulsão do Felipe, mas achei que o Pato foi imprudente. Ele não precisava fazer aquilo para mostrar força. Ele não precisava dar um carrinho naquela altura do campo, ainda mais sendo um jogador de ataque. Não admitimos um erro desse tipo, que pode custar uma vitória”, disparou Muricy.

Segundo o técnico, as ações que devem ser evitadas nos jogos são sempre temas de suas preleções, antes dos jogos. “Peço para eles evitarem reclamações e não ficarem na frente da bola. Também falo para não darem carrinho. O carrinho é sempre um lance perigoso”, ponderou.

Irritado principalmente com a expulsão do argentino Patito Rodriguez, Muricy Ramalho também não poupou Felipe Anderson de críticas. “No futebol, você tem sempre que estar ligado. Para chegar na Europa, como ele quer, precisa melhorar muito e hoje (quinta) foi um exemplo. Ele tem que se manter concentrado. Não vi a jogada em que ele foi expulso, mas ele já tinha o cartão amarelo. Então, o Felipe tinha que ter tomado mais cuidado”, analisou.

O treinador santista ainda revelou que a postura disciplinar, apesar de já ter sido abordada após o triunfo sobre o Leão da Alta Araraquarense, também será lembrada para o clássico com o Palmeiras, que será disputado no próximo domingo, às 16 horas (horário de Brasília), no Pacaembu.

“Isso (expulsões em dois minutos) não existe. Quase perdemos o jogo por causa disso. Vou falar amanhã (sexta) sobre isso também. É falta de concentração. O nosso time é, de maneira geral, disciplinado e vai continuar assim”, concluiu.

Após grande atuação, Giva é elogiado por Léo: “Está muito a vontade”

Veterano lateral santista disse que o jovem atacante tem confiança e está preparado para jogar entre os profissionais

Autor dos dois gols da vitória do Santos sobre o Mirassol, na última quinta-feira, na Vila Belmiro, Giva está em alta dentro do clube praiano. Depois de ser elogiado pelo técnico Muricy Ramalho, o lateral-esquerdo Léo, jogador mais experiente do elenco, foi mais um a enaltecer as qualidades demonstradas pelo jovem atacante, nas oportunidades que recebeu no time principal santista.

“O Giva está muito a vontade na equipe. Da molecada que subiu, ele é o que está melhor, mais preparado e com mais confiança. Ele está tendo maturidade, ajudando na marcação e segurando a bola lá na frente. Além disso, está fazendo gols”, disse o camisa 3 do Peixe.

Para o veterano ala, a personalidade do atleta, dentro de campo, está cativando a torcida e dando a condição de Muricy dar mais chances para Giva atuar. “Ele é muito concentrado no que tem de fazer. Fora isso, o Giva é muito dedicado. Para ele, não tem bola perdida. A torcida gosta de ver isso”, comentou.

Segundo Léo, com a presença de Giva na equipe, o Alvinegro Praiano ganha bastante em termos ofensivos. Ele não se esconde e isso é muito bom. O Giva não se abala, está sempre procurando o jogo. Quando tem a chance, ele também finaliza bastante”, finalizou.

Mirassol 1 x 3 Santos

Data: 18/02/2012, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 8ª rodada
Local: Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol, SP.
Público: 8.140 pagantes
Renda: R$ 342.150,00
Árbitro: Philippe Lombard
Auxiliares: Giulliano Neri Colisse e William Rogério dos Santos Turola
Adicionais: Guilherme Ceretta de Lima e Thiago Luis Scarascati
Cartões amarelos: Sérgio Manoel, Márcio Careca, Acleisson, Xuxa, Gilsinho e Eric (M); Paulo Henrique Ganso, Neymar e Aranha (S).
Cartão vermelho: Esley (M).
Gols: Juan (12-1); Borges (02-2, de pênalti), Preto (07-2) e Edu Dracena (19-2).

MIRASSOL
Fernando Leal; Eric, Matheus Ferraz, Dezinho e Márcio Careca (Samuel); Sérgio Manoel (Acleisson), Alex Silva, Gilsinho (Esley) e Xuxa; Malaquias e Borebi.
Técnico: Ivan Baitello

SANTOS
Aranha; Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson (Elano) e Paulo Henrique Ganso (Felipe Anderson); Neymar e Borges (Dimba).
Técnico: Muricy Ramalho



Santos vence o Mirassol por 3 a 1 com grande atuação de Juan e Ganso

Lateral estreou bem e abriu o placar para o time da Vila. Borges desencantou e marcou o primeiro em 2012

Sem dificuldades, e apresentando um bom futebol, o Santos foi a Mirassol e derrotou o time da casa por 3 a 1 neste sábado. Superior do início ao fim, o clube da baixada teve um gol marcado pelo estreante Juan, que foi um dos melhores em campo graças às investidas corajosas ao campo de ataque e às tabelas com o igualmente inspirado Paulo Henrique Ganso.

O próprio lateral esquerdo abriu o placar, aos 12 minutos do primeiro tempo, no momento em que o Santos criava jogadas uma atrás da outra. Logo no início da segunda etapa, Borges aumentou a vantagem de pênalti e anotou seu primeiro gol na temporada. O Mirassol reagiu cinco minutos depois, com Preto, se aproveitando do erro de marcação de Ibson. O terceiro gol do time da Vila foi marcado após cobrança de falta de Elano e cabeceio do capitão Edu Dracena.

Com a vitória no estádio José Maria Maia, o Santos chegou aos 15 pontos e se firmou na quinta posição do Estadual. Já o Mirassol teve sua sequência de três jogos sem derrota interrompida e continuou com 9 pontos, caindo para a 13ª colocação no Campeonato Paulista.

O jogo

Além da força ofensiva pelo lado esquerdo, com o inspirado estreante Juan avançando com eficiência, outro ponto positivo do Santos no primeiro tempo do duelo foi a consistência da defesa, marcando forte na saída de bola do Mirassol e sabendo fazer o desarme. Nesse sentido, Arouca foi um dos principais personagens do Peixe nos primeiros minutos de bola rolando.

O embate começou morno no interior paulista, talvez pelo sol forte, pelo termômetro na casa dos 40º e pelo Hino Nacional executado ao som de viola caipira antes do apito inicial. Nenhum dos times tentava avançar e os atacantes adversários eram presas fáceis para as duas defesas.

Perigo de gol ocorreu mesmo em lances idênticos, um para cada lado. Ganso fez ótima enfiada de bola para o estreante Juan, que desceu com liberdade e cruzou em cima de Eric, aos dois minutos. O escanteio do Santos não deu em nada e o Mirassol foi ao ataque com Xuxa, que lançou para Márcio Careca, mas viu Durval fazer o corte preciso.

Três minutos depois, Neymar puxou o time do Santos para o campo de ataque, fintou um defensor e tocou para Ganso. O camisa 10 serviu Arouca, que esperou a passagem e lançou Juan em velocidade. Outra vez a jogada não deu em nada, mas o lateral esquerdo já exibia sua marca registrada, que são as excelentes investidas ao campo de ataque.

A coragem de Juan para avançar daria resultado aos 12 minutos do primeiro tempo, quando Ganso tinha a bola dominada no meio-campo e pensou bastante no que fazer até servir Juan. O camisa 3 fintou Eric, avançou e bateu forte, no ângulo de Fernando Leal. O lateral esquerdo era um dos mais ativos do Santos no ataque e já marcou gol na estreia.

O gol naturalmente diminuiu o ritmo do Santos, que executava uma marcação forte e sabia o momento de pressionar. O jogo acabou voltando ao marasmo dos minutos iniciais e o Mirassol tentava sair, sem sucesso e sem espaços.

Aos 29, o primeiro cartão amarelo ocasionado por falta em Neymar: Fucile recebeu a bola do lado direito do ataque do Santos e serviu o camisa 11, que tinha marcação dupla e, ousado, resolveu passar no meio dos dois. Não conseguiu, pois Sérgio Manoel paralisou a jogada com falta e tomou cartão. Logo em seguida, o volante foi substituído pelo experiente Acleisson, que melhorou a marcação do Mirassol e deu mais liberdade para Xuxa, que completava 105 partidas pelo time do interior, avançar. Minutos mais tarde, como última alternativa, Márcio Careca deu entrada dura em Neymar e também foi para o vestiário pendurado.

O segundo tempo foi disputado em alto nível na cidade de Mirassol, pois os times resolveram se lançar à frente sem medo. Logo aos dois minutos, Ganso recebeu o lançamento de Juan para chapelar Acleisson, que simplesmente deu um tapa na bola para evitar o avanço do maestro do Peixe. Pênalti marcado e cobrança executada com perfeição por Borges, no canto direito de Fernando Leal, para marcar seu primeiro gol na temporada.

Um erro defensivo bisonho do Santos, apenas cinco minutos depois, acabaria resultado em gol do Mirassol. Borebi recebeu a bola no contra-golpe armado pela equipe e viu Ibson cair no chão após a tentativa de drible. Henrique também vacilou e a bola acabou sobrando para Preto, que diminuiu o placar para o Mirassol e prometeu colocar fogo no jogo.

Quem o fez, no entanto, foi Elano, que entrou no time com a intenção de recuperar a vaga de titular e serviu uma bola para Neymar logo no primeiro toque. O camisa 11 foi derrubado por Gilsinho e a falta foi marcada na lateral da grande área. Elano cobrou a falta sofrida por Neymar com perfeição e viu Edu Dracena encostando na primeira trave. Entre dois adversários, o capitão do Peixe cabeceou para o fundo das redes de Fernando Leal, aumentando a conta.

Santos FC x Mirassol FC
Santos Futebol Clube x Mirassol Futebol Clube


Retrospecto:

08 jogos
07 vitórias
01 empate
00 derrota
17 gols pró
06 gols contra
11 saldo

Resultados:

13/03/2008 – Santos 2 x 1 Mirassol – Paulista – Vila Belmiro
29/01/2009 – Santos 1 x 1 Mirassol – Paulista – Vila Belmiro
21/02/2010 – Santos 2 x 1 Mirassol – Paulista – Campos Maia
19/01/2011 – Santos 3 x 0 Mirassol – Paulista – Pacaembu
18/02/2012 – Santos 3 x 1 Mirassol – Paulista – Municipal de Mirassol
21/03/2013 – Santos 2 x 1 Mirassol – Paulista – Vila Belmiro
09/02/2019 – Santos 1 x 0 Mirassol – Paulista – Pacaembu
07/03/2020 – Santos 3 x 1 Mirassol – Paulista – Vila Belmiro