Navegando Posts marcados como Müller

Santos 2 x 3 São Paulo

Data: 07/03/1998, sábado, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 2ª fase – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.689 pagantes
Renda: R$ 195.715,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartões amarelos: Marcos Assunção, Narciso e Caíco (S); Zé Carlos, Fabio Aurélio, Denílson e Rogério (SP).
Cartão vermelho: Serginho (SP).
Gols: Carlos Miguel (07-1), Ronaldão (32-1); Fabiano (04-2), Denílson (14-2) e Müller (17-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima (Arinelson), Argel, Ronaldão e Dutra; Marcos Assunção, Narciso, Jorginho e Caíco (Macedo); Müller e Caio.
Técnico: Emerson Leão

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Zé Carlos, Capitão, Márcio Santos e Serginho; Sidney (Edmílson), Carlos Miguel, Fabiano e Adriano (Fábio Aurélio); Dodô (Gallo) e Denílson.
Técnico: Nelsinho Baptista



Leão reconhece falhas do time

O técnico Emerson Leão, do Santos, não conseguiu dar uma explicação para a performance da sua equipe contra o São Paulo. “Não tem explicação. Erramos, merecemos perder”, disse.

Segundo o técnico, a equipe poderia ter definido a partida logo no primeiro tempo. “Poderíamos ter decidido o jogo. Nosso ataque tem média alta de gols na temporada, mas perde muitos gols em relação ao que cria”, disse.

“O Zetti sabe que errou. Tive uma rápida conversa com ele, expliquei que o importante é manter a tranquilidade. Perdemos o jogo pelos erros do ataque, que fique bem explicado”, completou.

O zagueiro Argel não esconde a irritação com o lateral Serginho, do São Paulo. “Está vendo esse vermelhão aqui?”, disse, mostrando as costas. “Foi do soco que levei do Serginho. Ele disse que fiz teatro. Por que ele tinha de passar por mim e dar o soco?”, completou Argel.

“Alguns jogadores não gostam de ser marcados e, como não têm maturidade, se perdem em campo. Fui contratado para jogar futebol, não sou desleal”, disse.

Falha faz Zetti ser criticado por torcida do Santos

O goleiro Zetti teve sua “noite de vilão” com a camisa do Santos. Ao falhar em dois dos três gols marcados pelo São Paulo, foi vaiado pela torcida santista, que gritou o nome do reserva Edinho.

Ao mesmo tempo, o goleiro foi aplaudido pela torcida do São Paulo, que gritava “ô, ô, ô, ô, Zetti é tricolor”. O goleiro santista já havia sido criticado antes, pelo gol de falta que levou de Djair no jogo com o Botafogo, na fase semifinal do Torneio Rio-São Paulo.

“A torcida tem o direito de vaiar. Ao cobrar o tiro de meta, chutei o chão e peguei errado na bola, que caiu nos pés do Denílson. Aconteceu o erro, não posso negar, e saiu o gol, o que é pior. Talvez se o jogo tivesse terminado 4 a 3 eu não seria tão cobrado pela torcida.”

Zetti afirmou que seu comportamento não vai mudar por causa das críticas que vem sofrendo. “Estou fazendo a minha parte. Acho que nunca errei um tiro de meta na minha carreira. Ninguém gosta de errar, mas faz parte do futebol. O professor Leão define quem é o titular. Ele sabe do meu potencial. A torcida gritou o nome do Edinho porque é ele o reserva imediato”, afirmou.


Goiás 2 x 5 Santos

Data: 19/02/1998, quinta-feira, 21h40.
Competição: Copa do Brasil – Primeira fase – Jogo de ida
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia, GO.
Público: 7.968 pagantes
Renda: R$ 69.640,00
Árbitro: César Gilberto Pastro
Gols: Caio (08-1), Ânderson Lima (17-1) e Müller (33-1); Dill (17-2), Müller (20-2), Ânderson Lima (26-2) e Luis Paulo (45-2).

GOIÁS
Kléber (Marcos); Andrei, Silvio Criciúma e Marquinhos; Betinho (Araujo), Tulio, Josué e Reidner; Aloísio, Alex Dias (Luis Paulo) e Dill.
Técnico: Amado Bucar

SANTOS
Zetti; Narciso (Élder), Ronaldão e Argel; Ânderson Lima, Marcos Assunção, Jorginho (Arinélson), Caíco e Dutra (Ronaldo Marconato); Caio e Müller.
Técnico: Emerson Leão



Leão supera Luxemburgo em eficiência

Apesar de custar menos, atual treinador santista tem desempenho estatístico melhor do que seu antecessor

Além de melhores resultados, o Santos de Emerson Leão é mais eficiente do que o comandado por Wanderley Luxemburgo em quase todos os critérios estatísticos.

Com apenas duas novidades em relação ao time do Brasileiro de 1997 – o zagueiro Argel e o meia Jorginho-, o Santos atual comete menos faltas do que o anterior, faz mais assistências e finalizações e perde menos bolas.

Também, a equipe joga melhor fora de seu estádio, a Vila Belmiro. Antes da partida de ontem, contra o Goiás, o Santos já venceu três dos quatro jogos que fez fora de seus domínios, ou 75% do total.

No Brasileiro-97, quando era treinado por Luxemburgo, o time venceu 1 das 15 partidas que jogou fora, ou apenas 6% do total,
Leão também consegue virar mais jogos que Luxemburgo.

No ano passado, treinando o Atlético-MG no torneio nacional, o treinador conseguiu vencer seis partidas em que sua equipe estava perdendo, contra apenas duas de Luxemburgo.

Na primeira fase do Rio-São Paulo, em duas partidas que o Santos perdia, contra São Paulo e Fluminense, fez alterações, e os jogadores que entraram marcaram os gols de empate.

O Santos atual é mais equilibrado na defesa e no ataque.

No Torneio Rio-São Paulo, a equipe tem médias de 1,71 gol marcado e 0,85 sofrido. No último Campeonato Brasileiro, essas médias foram de 1,55 no ataque e 1,39 na defesa.

Contratado no final do ano passado, depois do pedido de demissão de Luxemburgo, que passou ao Corinthians, Leão também trouxe economia ao clube.

O técnico recebe cerca de R$ 75 mil mensais, ou 25% menos que seu antecessor.

O presidente do Santos, Samir Abdul Hak, não faz comparações de trabalho, mas se entusiasma com o trabalho de Leão e discorda que o técnico não tenha a fama do ex-treinador do time.

“Ele é excepcional e tem até mais nome que o Luxemburgo”, diz o dirigente.

“Mudei jeito de pensar”

Depois de passagens pelo futebol japonês e da boa campanha com o Atlético-MG no Brasileiro do ano passado, o técnico Emerson Leão volta a trabalhar numa grande equipe do futebol paulista.

Antes, treinou o Palmeiras, mas, ainda sem as contratações milionárias da Parmalat, não conseguiu ser campeão no clube que o projetou como jogador.

Da concentração do Santos em um hotel de Goiânia, onde o time jogaria ontem contra o Goiás, pela Copa do Brasil, o técnico falou à Folha.

Repórter – Com praticamente o mesmo time, o Santos melhorou muito em relação a 97. O que mudou?
Emerson Leão – Nesse pouco tempo, nós já mudamos um pouco a forma de pensar dos jogadores.
O Santos tem tradição de futebol-arte, e isso deve continuar, mas hoje você precisa de um sentido de equipe. Num time com poucas estrelas, os atletas devem ter mais responsabilidades, e isso os atletas entenderam.

Repórter – Em dois jogos do Rio-São Paulo que o time perdia, você fez alterações, e os jogadores que entraram marcaram os gols de empate. A que você atribui esse fato?
Leão – Eu nunca me omito. Mudo o time toda vez que necessário e, com isso, mostro aos reservas que eles não são enfeites.



Leão limita folgas de Carnaval depois de partida contra Goiás

O técnico Emerson Leão decidiu diminuir as folgas de Carnaval dos atletas do Santos. Hoje, a equipe enfrenta o Goiás, às 21h40, em Goiânia, pela Copa do Brasil.

Segundo o treinador, a equipe precisa um tempo maior de preparação para enfrentar o Botafogo, na próxima semana, no jogo de volta das semifinais do Torneio Rio-São Paulo.

Anteontem, o Santos conseguiu um bom empate, em 0 a 0, no Rio de Janeiro, com a equipe carioca.

Após a partida de hoje, os jogadores santistas terão apenas dois dias para aproveitar o feriado do Carnaval -amanhã e sábado. Voltam aos treinos no domingo.

“Estamos enfrentando uma maratona de jogos. Por isso, precisamos treinar mais para manter o ritmo em todas competições”, afirmou o treinador.

O Santos terá a volta hoje do meia Marcos Assunção, que estava com a seleção brasileira nos EUA, disputando a Copa Ouro.

A principal preocupação do técnico do Goiás, Amado Bucar, é o apoio que os laterais Dutra (esquerdo) e Ânderson (direito) dão ao ataque do Santos.

“Se deixar os laterais atuarem como nas últimas partidas, tudo complica”, afirmou o treinador do time goiano.

Bucar armou sua equipe para tentar barrar as jogadas de linha de fundo de Dutra e Ânderson e pediu atenção especial sobre Jorginho e Müller.

“O Santos, ao lado do Palmeiras, é que tem apresentado o melhor futebol neste início de temporada. Não se pode dar espaço”, afirmou o técnico.

O único desfalque no time é o centroavante Fernandão, 19, campeão mundial sub-20 e que sofreu uma entorse no tornozelo.


Villa Nova-MG 3 x 4 Santos

Data: 20/01/1998, terça-feira, 21h40.
Competição: Copa do Brasil – Fase Preliminar – Jogo de ida
Local: Estádio Municipal Castor Cifuentes, em Nova Lima, MG.
Público: 3.750 pagantes
Renda: R$ 36.875,00
Árbitro: Jamir Carlos Garcez (DF).
Cartões amarelos: Marcos Assunção e Ânderson Lima (S).
Gols: Müller (06-1), Kal Baiano (08-1), Sargento (13-1), Jorginho (15-1) e Adão (27-1); Jorginho (06-2) e Macedo (43-2).

VILLA NOVA-MG
Claudio; Wander, Sargento, Claudio Roberto e Carlão (Anderson); Alemão, Kal Baiano, Jean e Marquinhos (Waltinho); Adão (Sérgio Araújo) e Milton.
Técnico: João Francisco.

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Ronaldão, Narciso e Dutra; Marcos Assunção, Caíco e Jorginho (Eduardo Marques); Caio (Macedo) e Müller.
Técnico: Emerson Leão



Santos vence Villa Nova e marca o gol 10.000 de sua história

O Santos estreou com vitória na abertura da 10ª Copa do Brasil.

A partida entre Vila Nova e Santos, em Nova Lima (MG), que marcou a estréia do técnico Emerson Leão no comando da equipe santista, teve sete gols (4 a 3), quatro deles marcados nos primeiros 15 minutos de jogo.

O terceiro gol da equipe santista ontem -o segundo do meia Jorginho na partida- foi o de número 10 mil na história do Santos, segundo levantamento do estatístico do clube, Francisco Mendes Fernandes. A bola foi guardada para ser entregue ao museu do clube.

O atacante Müller abriu o placar para o Santos em uma cobrança de falta aos 6min. O time ainda comemorava quando Cal Baiano empatou para o Vila, aos 7min.

O zagueiro Sargento virou o placar para a equipe mineira, aos 13min, com uma cabeçada no ângulo esquerdo de Zetti.

O Santos empatou em seguida, com um gol do meia Jorginho. Um gol contra do volante santista Marcos Assunção, de cabeça, colocou de novo à frente o Vila Nova, que teve um gol anulado sob protesto do técnico João Francisco.

O Santos voltou ainda mais ofensivo no segundo tempo e conseguiu empatar em 3 a 3 aos 6min, com o segundo gol de Jorginho.

Macedo, que entrou para substituir o atacante Caio, fez o gol da vitória aos 43min, de cabeça.



Santos fica sem Baez em estréia na Copa

O Santos terá duas modificações no time que pretendia escalar hoje, no primeiro jogo da temporada, contra o Vila Nova, em Nova Lima (MG), pela Copa do Brasil.

A intenção do técnico Emerson Leão era começar o jogo com o paraguaio Edgar Baez como centroavante, mas o atacante sofreu uma contusão no tornozelo direito durante os treinamentos em Campo Limpo Paulista (SP) e nem viajou.

O meia Arinelson, que vinha sendo escalado nos treinos como titular, perdeu a vaga para Caíco.

O time terá a estréia dos únicos reforços contratados até agora para a temporada deste ano: o zagueiro Argel e o meia Jorginho.

O Santos também trabalhará para se aproximar da marca de 10 mil gols em sua história. Segundo o estatístico do clube, Francisco Mendes Fernandes, faltam só três gols.

O Vila Nova, de Nova Lima (região metropolitana de Belo Horizonte) assegurou vaga na Copa ao ser vice-campeão mineiro em 97.


Santos 4 x 0 Internacional

Data: 26/11/1997
Competição: Campeonato Brasileiro – Grupo B – 2ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 15.271 pagantes
Renda: R$ 161.460,00
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira (RJ).
Cartões amarelos: Jean, Dutra, João Santos, Marcos Assunção e Müller (S); Gustavo, Christian, Régis, Fernando (I).
Gols: Alexandre (09-1); Müller (08-2), Marcos Assunção (27-2) e Caíco (41-2).

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Jean, Sandro e Dutra; Narciso, Marcos Assunção, João Santos (Caíco) e Alexandre (Baiano); Müller e Macedo (Caio).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

INTERNACIONAL
André; Gustavo, Marcão, Régis e Espínola (Marcelo); Anderson Luís (Paulo DIniz), Fernando, Sandoval e Arílson; Fabiano Souza (Sílvio) e Christian.
Técnico: Celso Roth.



Santos goleia Inter, mas perde 5 titulares

O Santos goleou o Inter por 4 a 0, ontem, no Morumbi, chegou à segunda posição do Grupo B da semifinal do Brasileiro, mas perdeu cinco atletas para o próximo jogo.

Não enfrentam o Inter, sábado, em Porto Alegre (RS), Muller, Jean, João Santos, Dutra e Marcos Assunção, suspensos por terem recebido o terceiro amarelo.

“Ele (o juiz, Cláudio Vinicius Cerdeira) tirou cinco jogadores do jogo seguinte. E agora, eu vou jogar no Sul como?”, disse muito irritado o técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo.

O treinador foi expulso ontem, no final do primeiro tempo, e saiu afirmando estar sendo perseguido pelo árbitro carioca. “É um problema pessoal. É a quinta vez que ele me expulsa.”

O Grupo B, que tem ainda Palmeiras e Atlético-MG, é liderado pelo time de Luiz Felipe Scolari, com 7 pontos. O Santos tem 4.
Com um gol no início do jogo, o Santos quebrou a resistência do Inter, que optou pela utilização dos contra-ataques.

Aos 9min, o meia Alexandre arriscou de fora da área, a bola desviou no lateral Espínola e entrou no canto direito de André.
Na sequência, o time santista teve duas chances para ampliar.

Aos 13 min, João Santos cruzou da esquerda e Muller completou de voleio. O zagueiro Régis desviou para escanteio.

No minuto seguinte, Jean aproveitou bola alçada na área e, de costas, cabeceou no canto direito de André, que conseguiu afastar.

Já nos descontos da primeira etapa, aos 48min, Caio, que entrou no lugar de Macedo, contundido, não alcançou sobra de bola em chute de João Santos.

A segunda etapa começou com chances para as duas equipes.

Aos 2min, Caio tocou para Muller. O atacante invadiu a área, mas perdeu o controle da bola. Aos 3min, foi a vez do Inter. Cara a cara com Zetti, Gustavo chutou em cima do goleiro.

Cinco minutos depois, Muller teve nova chance e não desperdiçou. Recebeu na entrada da área, driblou o zagueiro Marcão e bateu cruzado.

Aos 27min, Muller dominou a bola na intermediária, caminhou com ela e rolou para Marcos Assunção, que passava pela direita, ampliar para 3 a 0.

Aos 41min, Caíco entrou na área acompanhado de Marcão, deu um corte no zagueiro gaúcho e bateu cruzado, fechando o placar com um belo gol.


Santos 2 x 0 América-RN

Data: 05/11/1997, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 24ª rodada (penúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.521 pagantes
Renda: R$ 76.960,00
Árbitro: Francisco Dacildo Mourão (CE)
Cartões amarelos: Zetti, Narciso, Ronaldão e Caio (S); Nelson (A).
Gols: Muller (31-1) e Caio (13-2).

SANTOS
Zetti; Baiano, Jean (Sandro), Ronaldão e Dutra; Narciso, Marcos Assunção, Caíco (João Santos) e Arinelson (Alexandre); Muller e Caio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

AMÉRICA-RN
Emerson; Dinho, Nelson, Gito e Denys; Washington Lobo, Carioca, Moura e Biro-Biro (Wanderley); Richardson (Paloma) e Gian.
Técnico: Júlio César Leal



Santos vence e garante a classificação

O Santos derrotou o América-RN por 2 a 0, ontem à noite, na Vila Belmiro, e garantiu matematicamente a sua classificação entre os oito times que vão disputar a próxima fase do Brasileiro. Com a vitória, o Santos chegou aos 40 pontos e passou para da sétima para a sexta posição na tabela de classificação, assumindo o lugar o Palmeiras.

O time santista pressionou desde o início da partida, apesar da marcação especial preparada pelo técnico Júlio César Leal, do América, sobre Muller e Caíco.

Muller, ainda comemorando a convocação para a seleção brasileira, abriu o marcador após interceptar uma bola cruzada do zagueiro Gito para o lateral Nelson na frente da área. Ele girou rápido e surpreendeu o goleiro Emerson.

O atacante Caio, que nas últimas 12 partidas havia marcado apenas um gol -ele tinha, no total, cinco gols em 18 jogos-, ampliou o placar no segundo tempo.

Na primeira jogada de aproximação feita pela lateral, Muller preparou a bola para Baiano, que surgiu de trás e mandou para Caio marcar de voleio o seu sexto tento neste Brasileiro.

As chances do América durante toda a partida, embora o time tenha esboçado uma reação no segundo tempo após ficar fechado na defesa na etapa inicial, se restringiram às cobranças de falta do zagueiro-artilheiro Gito, que não estava no seu dia de sorte, além de dois lances ofensivos próximo do final da partida.

Impedido, o meia Arinelson chegou a fazer um gol também de voleio aos 7min do primeiro tempo, apesar do estado ruim do campo. O aproveitamento da equipe é de 55,5% em 24 jogos disputados.

O Santos volta a jogar no sábado, contra o Cruzeiro, na Vila Belmiro. Com três cartões amarelos, Zetti, Narciso, Caio e Ronaldão vão desfalcar a equipe.

Atletas pendurados conseguem forçar suspensão

O Santos atingiu todos os seus objetivos na partida contra o América-RN. Além da classificação, quatro dos nove jogadores que estavam pendurados com dois cartões amarelos forçaram o terceiro: Zetti, Ronaldão, Narciso e Caio.

“Deu para forçar o cartão. Pena que o João Santos e o Sandro não receberam o terceiro cartão. É importante entrar na próxima fase com força máxima”, disse o goleiro Zetti.

Se não tivessem recebido o terceiro amarelo no jogo de ontem, eles corriam o risco de serem suspensos na primeiras partidas da próxima fase. Eles vão cumprir suspensão no jogo de sábado, contra o Cruzeiro, que já não tem importância para a classificação.

O atacante Muller -convocado para a seleção brasileira- marcou seu nono gol no Brasileiro e vibrou com a classificação. “O Santos fez por merecer a vaga. O time cresceu na hora certa. A partir de agora, temos uma nova meta: o título”, disse o atacante.

O técnico Wanderley Luxemburgo já definiu que, na segunda-feira, levará o grupo para treinar em Atibaia (65 km de SP) até a estréia na segunda fase.



Santos utiliza Muller como motivação (Em 05/11/1997)

O técnico do Santos, Wanderley Luxemburgo, quer usar a convocação do atacante Muller para a seleção brasileira como “uma motivação a mais” para a partida decisiva contra o América-RN, hoje, às 21h40, na Vila Belmiro. O Santos precisa da vitória para garantir a vaga para a próxima fase com uma rodada de antecipação.

Muller volta ao ataque após cumprir suspensão. Luxemburgo fará outras duas alterações em relação à equipe que perdeu para o Vitória, no sábado, por 2 a 0. O volante Baiano será improvisado na lateral direita, e Arinélson recupera a condição de titular no meio-campo, substituindo João Santos, que tem características mais defensivas.

“O América vem realizando boa campanha, tem chance de ficar com a oitava vaga. Só que dentro da Vila Belmiro temos que impor o nosso futebol”, afirmou Arinélson. “Cada jogador sabe o que terá que fazer em campo para garantir a classificação.”

A intenção de Luxemburgo é ter um time mais ofensivo, procurando o gol desde o início e impedindo a retranca adversária.

“O Santos é um time grande, sempre toma a iniciativa. Espero o apoio da torcida”, salientou o treinador. “Mas que o torcedor tenha paciência. Não há jogo fácil no Brasileiro”, declarou.

Dentro de casa, o Santos só perdeu para o Botafogo: 1 a 2, de virada. E está há quatro partidas invicto. Dos oito gols marcados por Muller, artilheiro do time, sete foram na Vila Belmiro: Grêmio, Criciúma, Botafogo, União São João e Guarani (2 gols em cada jogo).

Velocidade

A improvisação de Baiano na lateral tem como objetivo dar velocidade ao setor. “O professor (Luxemburgo) dá liberdade para atacar. Tenho atuado mais na lateral do que no meio-campo. Não vou encontrar dificuldade”, disse Baiano.

O lateral Ânderson, o volante João Santos e o atacante Macedo, que deixam o time, ficam à disposição do treinador, com possibilidade de serem aproveitados no decorrer da partida.

Quatro titulares e cinco reservas estão pendurados com dois cartões amarelos: Zetti, Narciso, Ronaldão e Caio, mais Ânderson, João Santos, Ronaldo Marconato, Sandro e Rogério Seves.

O goleiro Zetti havia sido o último jogador santista convocado pelo técnico Mario Jorge Lobo Zagallo. Do atual grupo do Santos, os zagueiros Narciso e Ronaldão e os atacantes Macedo e Caio já defenderam a seleção brasileira.

Dinho e Nelson são novidades do América

O América-RN terá duas alterações para enfrentar o Santos. Dinho, que cumpriu suspensão automática, volta no lugar de Airton. Nelson entra no lugar do zagueiro Marcelo Fernandes, expulso no jogo contra o São Paulo.

A derrota por 3 a 1 para o time paulista, no domingo passado, foi a primeira sofrida pelo América em 12 partidas disputadas em casa neste Campeonato Brasileiro. Dessas 11 partidas, havia vencido 5 e empatado 6. No ano passado, quando disputava a Série B do Campeonato Brasileiro, a equipe do Rio Grande do Norte manteve-se invicta nas nove partidas que jogou em seu estádio.

A campanha do América neste campeonato -no qual ainda possui remotas chances de classificação para a próxima fase- é a melhor na história do clube em disputas nacionais.