Navegando Posts marcados como Náutico


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 1 x 1 Náutico

Data: 25/09/2013, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 11ª rodada (remarcado)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.108 pagantes
Renda: R$ 122.701,00
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Assistentes: Thyago Costa Leitão (PI) e Gean Carlos Menezes de Oliveira (RR)
Cartões amarelos: Giva e Leandrinho (S); Maikon Leite, Derley, Rogério e Leandro Amaro (N).
Gols: Maikon Leite (37-2) e Cícero (39-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena; Alison, Renê Júnior (Léo Cittadini), Cícero e Montillo (Leandrinho); Giva (Gabriel) e Willian José.
Técnico: Claudinei Oliveira

NÁUTICO
Gideão; Maranhão, João Filipe, Leandro Amaro e Luiz Eduardo (Dadá); Elicarlos, Martinez, Derley e Tiago Real; Maikon Leite (Olivera) e Rogério (Hugo).
Técnico: Marcelo Martelotte


Santos tropeça contra lanterna e perde chance de encostar no G4 do Brasileiro

Equipe paulista saiu atrás no placar, mas chegou ao empate logo depois com Cícero e ficou no empate diante do Náutico, na Vila Belmiro

Em jogo atrasado da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos tropeçou e desperdiçou a chance de se aproximar ainda mais do G4 da competição. O time paulista ficou no 1 a 1 com o lanterna Náutico . Maikon Leite abriu o placar para os visitantes, com Cícero empatando para os donos da casa.

Apesar de ter perdido a chance de pular para o quinto lugar, a equipe santista ainda subiu uma posição. Agora, o time praiano é o sexto do Brasileirão, com 33 pontos ganhos.

O Alvinegro Praiano volta a campo diante do Atlético-MG, no próximo domingo, às 18h30 (horário de Brasília), no Estádio Independência. Já a equipe alvirrubra recebe o Coritiba, sábado, na Arena Pernambuco

O jogo

Em boa trama do ataque, aos quatro minutos, o Santos criu a sua primeira boa chance de gol. O atacante Giva recebeu do centroavante Willian José, mas não pegou bem na bola, chutando-a por cima do gol de Gideão.

O Peixe voltou a assustar aos 15, quando em lance iniciado por Cícero. O cruzamento do meia, vindo da direita, quase surpreendeu o goleiro do Náutico, a bola sobrou para Giva finalizar e Gideão realizou mais uma grande defesa. O chileno Mena ainda pegou o rebote, que foi parar nos pés de Willian José, mas o centroavante errou o arremate, mandando a bola por cima do gol.

Na busca pela abertura do placar, o time praiano sofreu um duro golpe ao perder o meia Montillo, com dores na panturrilha direita, substituído aos 32. O jovem Leandrinho entrou no seu lugar.

No fim do primeiro tempo, aos 40, o Timbu teve a sua melhor oportunidade. Em bola recuperada no meio-campo, o atacante Rogério foi acionado, driblou a marcação e soltou a bomba, para boa defesa de Aranha, que estava atento e não foi surpreendido pela finalização do adversário.

Com o intuito de conquistar a vitória, o técnico Claudinei Oliveira abriu mão do volante Renê Júnior, no intervalo. O meia Léo Cittadini entrou na equipe, para dar maior poder de criatividade ao meio-campo alvinegro.

Porém, a primeira grande chance de gol da etapa complementar foi dos visitantes. Aos cinco, Maikon Leite aproveitou erro de Mena e cruzou para Rogério, que muito próximo ao gol, já dentro da pequena área, tocou por cima do gol de Aranha.

O Santos tentou responder aos nove, mas Léo Cittadini não conseguiu colocar a força necessária para superar Gideão, facilitando a defesa do arqueiro do Náutico.

Perigoso no segundo tempo, o Timbu levou perigo aos 11, quando Maikon Leite passou por Mena, invadiu a área e bateu forte, com a bola saindo próxima a meta santista.

O Peixe voltou a assustar, aos 21, em cobrança de falta na entrada da área. Cícero bateu a infração, mas a bola passou sobre o gol de Gideão, em mais uma oportunidade desperdiçada pelos donos da casa.Com Dadá no lugar de Luiz Eduardo, na lateral esquerda, o time pernambucano teve uma de duas melhores chances, aos 25. Em arremate de fora da área, Maikon Leite acertou o travessão de Aranha.

No minuto seguinte, o treinador alvinegro resolveu promover a sua última alteração, com a entrada de Gabriel no lugar de Giva, que chegou a ser vaiado por alguns torcedores. Do outro lado, Rogério deixou o campo, substituído por Hugo.

Mesmo com a tentativa de pressão do Santos, os perigosos contra-ataques do Náutico continuavam sendo uma ameaça. E, em um deles, aos 37, Maikon Leite ganhou na velocidade de Mena, invadiu a área e bateu cruzado, abrindo o placar para os visitantes: 1 a 0.

Com algumas vaias da torcida e gritos cobrando mais empenho dos jogadores, o Peixe logo chegou ao empate. Aos 39, Cícero acertou forte chute, em cobrança de falta, sem chances de defesa para Gideão.

O próprio Cícero esteve perto de conseguir a virada para o seu time, aos 48. Em nova cobrança de falta do meia, Gideão fez a defesa, espalmando o chute e salvando a sua equipe da derrota na Vila.

Cícero nega desrespeito ao Náutico e admite que Santos não jogou bem

Meia do Santos foi o autor do gol de empate diante do Náutico e acredita que o time deveria ter entrado mais ligado na partida

Autor do gol de empate do Santos com o Náutico, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, o meia Cícero lamentou o resultado, em jogo atrasado da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar disso, o jogador negou que o Peixe tenha desrespeitado o Timbu, lanterna da competição.

“Respeitamos o Náutico, mas não estivemos bem. Vamos ser justos em falar que não jogamos bem. A nossa postura dentro de campo não foi boa. Deveríamos ter entrado mais ligados”, afirmou Cícero.

O meio-campista alertou que a equipe praiana não pode se abater com o empate contra o último colocado do Brasileirão, visando não prejudicar a caminhada santista na busca por uma vaga no G-4, que garante um lugar na próxima edição da Copa Libertadores da América.

“Tentamos vencer, mas não conseguimos. Temos que levantar a cabeça, pois ainda temos o resto do campeonato pela frente”, concluiu.

Santos 0 x 0 Náutico

Data: 25/10/2012, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.256 pagantes
Renda: R$ 98.080,00
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ) e Nadine Schramm Camara Bastos (SC).
Cartões amarelos: Gérson Magrão e Felipe Anderson (S); Patric, Alemão e Martinez (N).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo (Bill), Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano (Henrique), Arouca, Patito Rodríguez (Bernardo) e Felipe Anderson; Neymar e André.
Técnico: Muricy Ramalho

NÁUTICO
Gideão; Patric, Alemão, Jean Rolt e Douglas Santos (João Paulo); Elicarlos, Martinez, Souza (Josa) e Rhayner; Rogério (Kim) e Kieza.
Técnico: Alexandre Gallo



Em jogo fraco e com pênalti perdido pelo Náutico, Santos empata em casa

Com o empate, os santistas permanecem na 11° posição da Série A, com 43 pontos. O Náutico, por sua vez, caiu para o 13° lugar

Santos e Náutico fizeram um jogo sem grandes emoções, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. Em uma partida na qual a marcação prevaleceu, poucas chances de gol foram criadas. Os pernambucanos chegaram a desperdiçar um pênalti no primeiro tempo, com Kieza, mas o placar não saiu do 0 a 0.

Com o empate, os santistas permanecem na 11° posição da Série A, com 43 pontos. O Náutico, por sua vez, caiu para o 13° lugar, com um ponto a menos em relação aos paulistas. Agora, p Santos volta a campo diante do Cruzeiro, no dia 3 de novembro, na Arena Independência. Já os pernambucanos recebem o Internacional-RS, no dia 4, nos Aflitos.

O jogo

Sem muitas aspirações na competição, Santos e Náutico começaram muito cautelosos o jogo. A primeira jogada de perigo, por exemplo, só ocorreu aos 21 minutos. Neymar limpou a marcação, antes de arriscar para o gol, para defesa de Gideão.

Porém, o melhor lance do primeiro tempo foi dos visitantes. Aos 32, Gérson Magrão cometeu pênalti em cima de Rogério. Na cobrança, no minuto seguinte, Kieza acertou a trave esquerda de Rafael, desperdiçando grande oportunidade de gol para o Náutico.Com pouca criatividade e dependendo de jogadas individuais de Neymar, o futebol apresentado pela equipe santista gerou protestos da torcida do Santos, presente em baixo número ao estádio.

Na volta para o intervalo, o Santos retornou com Henrique no lugar de Adriano, que não se sentiu bem no vestiário e precisou deixar a partida. O Santos melhorou um pouco na sua organização dentro de campo na etapa complementar, passando a ter maior posse de bola. Aos 12, Neymar chutou de fora da área, ao lado direito do gol de Gideão, assustando o goleiro do Náutico.

Com Kim no lugar de Rogério no Náutico e, depois, Bernardo na vaga de Patito Rodríguez, no Peixe, os donos da casa criaram a melhor chance do duelo. Aos 21, Bernardo completou cruzamento da esquerda para cabecear e exigir grande defesa de Gideão. No rebote, o próprio Bernardo chutou e o arqueiro do Náutico salvou os pernambucanos mais uma vez, em finalização à queima-roupa.

Na tentativa do gol da vitória, os santistas quase balançaram as redes aos 38. Bruno Rodrigo foi lançado pela direita e, dentro da grande área, finalizou rasteiro. A bola cruzou a pequena área, com André quase completando para o gol, mas chegando atrasado, para alívio do Náutico.

Dois minutos após a chance criada pelos alvinegros, o Náutico respondeu e, com Kim, levou muito perigo ao gol de Rafael. O chute do atacante do time pernambucano acertou a trave do camisa 1 do Santos. No fim do jogo, os treinadores queimaram suas últimas alterações. A equipe paulista teve o centroavante Bill no lugar do lateral-direito Rafael Galhardo, enquanto Josa substituiu Souza. Entretanto, nada foi o suficiente para que o resultado mudasse, gerando vaias da torcida santista, ao apito final do árbitro.

Neymar cobra mais vontade e pede para companheiros ‘aparecerem para jogar’

Atacante do Santos saiu irritado de campo, após empate sem gols do Santos diante do Náutico

O empate sem gols com o Náutico , na noite desta quinta-feira, gerou um forte desabafo do atacante Neymar. Para a atacante do Santos, os seus companheiros precisam ter mais iniciativa durante as partidas, pois desta forma a equipe vai apresentar um melhor futebol e não irá depender apenas de seus lances individuais.

“É uma discussão que tem que se resolver em campo. Peço para eles aparecerem para jogar, não ficarem apenas olhando para a minha cara, esperando eu fazer alguma coisa. Mas eu não estava irritado”, disse Neymar, que cobrou mais vontade do time.

“Os outros estão entrando com mais vontade? Não pode ser assim. Aqui tem tudo que um jogadorprecisa ter para trabalhar bem. Não falta estrutura, temos tudo. Por isso, é preciso entrar com a vontade dobrada”, comentou.

Indagado se teria cansado durante a etapa complementar, Neymar admitiu que é natural a queda de rendimento no final da partida. “Quando você corre, se entrega no jogo, é normal cansar. Não tem jeito”, encerrou.


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Náutico 3 x 0 Santos

Data: 05/08/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 14ª rodada
Local: Estádio dos Aflitos, em Recife, PE.
Público: 11.086 pagantes
Renda: R$ 197.375,00
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Asp.Fifa-GO)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ) e Evandro Gomes Ferreira (GO).
Cartões amarelos: Ronaldo Alves e Kieza (N); Léo (S).
Gols: Patric (13-2), Kim (35-2) e Kieza (46-2).

NÁUTICO
Felipe; Patric, Marlon, Ronaldo Alves e Douglas (Lúcio); Elicarlos, Martinez, Souza (Ramirez) e Cléverson (Kim); Kieza e Araújo.
Técnico: Alexandre Gallo

SANTOS
Aranha; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Leandrinho (Dimba), Pedro Casto (Juan), Henrique e Felipe Anderson; Victor Andrade (Miralles) e Bill.
Técnico: Muricy Ramalho



Santos é atropelado pelo Náutico e fica a um ponto da zona de rebaixamento

Patric, Kim e Kieza marcaram para o time da casa. Santos segue sofrendo sem Neymar e companhia

A torcida do Santos já se acostumou a ver golaços marcados em jogadas individuais de seu craque, Neymar. Neste domingo, no entanto, sem seu principal jogador em campo, o santista teve que ver Kim fazer fila desde o campo defensivo e marcar um golaço na vitória por 3 a 0 do Náutico sobre a equipe santista neste sábado.

Além de Kim, o estreante lateral direito Patric abriu o placar e Kieza completou a vitória sobre o desfalcado e apático Santos que encerrou uma sequência de três derrotas seguidas da equipe pernambucana.

O resultado deixa o Náutico em situação mais tranquila no Campeonato Brasileiro. A equipe agora ocupa a 11ª posição com 16 pontos, a quatro de distância da zona de rebaixamento. Já o Santos continua em situação complicada, ficando com 13 pontos na 16ª do Campeonato Brasileiro.

O jogo

As primeiras chances de destaque foram do time mandante, com Aranha sendo exigido aos 11 minutos, quando foi defendeu finalização à queima-roupa de Elicarlos em sobra de bola na área após cobrança de escanteio.

O Náutico chegou a balançar as redes no minuto seguinte, com Araújo recebendo passe em profundidade pela esquerda da área e batendo forte para o gol, mas o tento foi corretamente anulado por posição irregular do atacante.

Um erro na saída de bola santista permitiu que Souza dominasse sozinho na área aos 20 minutos. Na frente de Aranha, o meio-campista tentou o toque por cobertura e acabou mandando a bola por cima do gol.

O alvirrubro dominava o jogo e só não abriu o placar ainda no primeiro tempo por mais uma boa intervenção de Aranha. Aos 46 minutos, o goleiro cresceu para cima de Kieza para impedir que ao atacante marcasse após receber cruzamento sozinho na pequena área.O gol do Náutico pareceu questão de tempo na primeira etapa, mas acabou chegando apenas na segunda: 13 minutos após o fim do intervalo, Souza lançou Araújo na área. O atacante limpou Bruno Rodrigo e bateu para rebote de Aranha. Na área, Patric não perdoou e mandou para as redes.

Após sofrer o gol, o Santos passou a ficar mais tempo com a bola em busca do empate, mas ainda não conseguia criar boas oportunidades. No final, a falta de criatividade da equipe foi punida pelo Náutico, que chegou ao segundo gol em uma pintura de Kim.

Aos 35 minutos, o atacante, que saiu do banco de reservas durante o segundo tempo, puxou fila desde o campo defensivo para invadir a área e tocar com categoria, tirando a bola do alcance de Aranha.

O Peixe ainda pressionou nos minutos finais do jogo tentando diminuir a desvantagem, conseguindo uma sequência de cobranças de escanteio depois dos 40 minutos, mas acabou sofrendo com o contra-ataque do Náutico, que garantiu o terceiro gol da equipe aos 46 minutos, quando Kieza finalizou cara a cara com Aranha.

Após nova derrota santista, Léo se irrita ao ouvir sobre chances de rebaixamento

Para lateral, é prematuro falar sobre queda quando nem o primeiro turno do Brasileiro acabou

O Santos tem o pior ataque do Brasileirão. Ainda não marcou gols fora de casa e com mais uma derrota, desta vez por 3 a 0 para o Náutico em Recife, vê a zona de rebaixamento cada vez mais próxima de sua realidade. Apenas um ponto separa o Santos da rabeira da tabela. Com 13 pontos, o time de Muricy Ramalho ocupa a 16ª posição, a última antes do “inferno”.

Para o mais experiente jogador do Santos é prematuro falar que a realidade do clube neste Brasileiro é lutar contra o rebaixamento. “Realidade? Que realidade? Estamos no primeiro turno ainda e querem falar de rebaixamento?”, disse Léo , muito irritado, minutos depois do fim da partida nos Aflitos ainda no campo.

O jogador de 37 anos pede para que haja paciência neste momento difícil do time. Em suas palavras, não é hora para se achar culpados já que o muitos jogadores enfrentam problemas de lesão e ainda há as baixas de Neymar e Paulo Henrique Ganso que estão com a seleção brasileira nas Olimpíadas.

“É difícil você achar onde está o erro. Não há culpados. Não é momento de apontar ninguém. É momento de se resolver em campo. Às vezes temos como matar o jogo e não matamos. Como eu disse, não é hora de apontar culpados, mas sim de como resolver problemas”, disse Léo.

O lateral-esquerdo também relata a dificuldade que equipe vem enfrentando com os muitos jovens no elenco. Por conta das muitas baixas, são promessas como Victor Andrade e Felipe Anderson que estão precisando resolver. O que nem sempre será possível.

“Nós pode fazer muito mais do que estamos fazendo. Mas temos muitos meninos subindo e há de se convir que não estão acostumados pressão. Mas futebol é assim, é na dificuldade que você tem de botar a cara”, comentou. “Trabalhando a gente está, de repende pode ser algo psicológico, questão de confiança que não está elevada”.

Após derrota, Muricy isenta jovens e critica atuação na janela

Treinador voltou a criticar a diretoria e disse que “não está acostumado com essa situação”

Com nove desfalques, o técnico Muricy Ramalho foi obrigado a lançar mão de jovens promessas na escalação do Santos para o duelo contra o Náutico. Mesmo com a derrota por 3 a 0, porém, o treinador isentou os atletas da base e preferiu criticar a atuação da equipe na janela de transferências internacionais.

“No final nos abrimos porque não tinha outra alternativa, perder por um ou três gols não faz diferença. Até começamos bem no jogo, mas é um time desentrosado, de garotos. Precisamos ter calma em relação a eles, já esperávamos dificuldade porque é um time que nunca jogou junto”, defendeu o comandante alvinegro, que escalou jovens como Pedro Castro, Leandrinho e Victor Andrade.

O treinador voltou a deixar claro que esperava melhores contratações na janela de transferências. “Deixamos passar a janela, demoramos e isso já foi conversado várias vezes. Claro que existem algumas possibilidades que estamos tratando, mas no momento que você precisa o preço aumenta e se acaba pagando por não ter se organizado no passado”, criticou.

Muricy, porém, se recusou a comentar a possibilidade de rebaixamento. “Ainda é cedo para falar alguma coisa, muito ainda pode mudar, mas para quem está acostumado a ficar na parte de cima é duro brigar embaixo, eu mesmo não estou acostumado com essa situação. Isso foi alertado, mas aconteceu e agora precisamos de calma para reverter, ainda tem muita coisa para acontecer”, finalizou.

Santos FC x C Náutico C
Santos Futebol Clube x Clube Náutico Capibaribe


Retrospecto:

32 jogos
15 vitórias
07 empates
10 derrotas
54 gols pró
35 gols contra
19 saldo

Resultados:

20/10/1955 – Santos 1 x 1 Náutico – Amistoso – Recife
04/10/1957 – Santos 0 x 0 Náutico – Amistoso –
09/11/1966 – Santos 2 x 0 Náutico – Taça Brasil – Ilha do Retiro
17/11/1966 – Santos 3 x 5 Náutico – Taça Brasil – Pacaembu
19/11/1966 – Santos 4 x 1 Náutico – Taça Brasil – Pacaembu
27/10/1968 – Santos 3 x 0 Náutico – Robertão – Ilha do Retiro
04/10/1972 – Santos 1 x 1 Náutico – Brasileiro – Arruda
30/09/1973 – Santos 3 x 0 Náutico – Brasileiro – Arruda
30/03/1974 – Santos 1 x 1 Náutico – Brasileiro – Arruda
15/07/1974 – Santos 2 x 0 Náutico – Brasileiro – Arruda
17/09/1975 – Santos 0 x 3 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
28/05/1978 – Santos 0 x 2 Náutico – Brasileiro – Arruda
23/03/1980 – Santos 4 x 1 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
09/04/1983 – Santos 2 x 2 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
30/04/1983 – Santos 1 x 0 Náutico – Brasileiro – Aflitos
09/04/1984 – Santos 4 x 2 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
18/04/1984 – Santos 0 x 1 Náutico – Brasileiro – Arruda
27/09/1986 – Santos 5 x 0 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
29/11/1989 – Santos 2 x 1 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
18/08/1990 – Santos 0 x 1 Náutico – Brasileiro – Aflitos
06/02/1991 – Santos 0 x 2 Náutico – Brasileiro – Aflitos
20/04/1992 – Santos 2 x 0 Náutico – Brasileiro – Aflitos
28/07/2007 – Santos 1 x 2 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
31/10/2007 – Santos 2 x 1 Náutico – Brasileiro – Aflitos
10/08/2008 – Santos 0 x 1 Náutico – Brasileiro – Aflitos
07/12/2008 – Santos 0 x 0 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
29/07/2009 – Santos 2 x 1 Náutico – Brasileiro – Aflitos
07/11/2009 – Santos 3 x 1 Náutico – Brasileiro – Pacaembu
05/08/2012 – Santos 0 x 3 Náutico – Brasileiro – Aflitos
25/10/2012 – Santos 0 x 0 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
25/09/2013 – Santos 1 x 1 Náutico – Brasileiro – Vila Belmiro
19/10/2013 – Santos 5 x 1 Náutico – Brasileiro – Arena Pernambuco

Santos 3 x 1 Náutico

Data: 07/11/2009, sábado, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Público:
Renda: R$
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Árbitro: Wagner Tardelli (SC)
Auxiliares: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Kléber Lucio Gil (SC)
Cartões amarelos: Rodrigo Souto, Léo e Róbson (S); Irênio, Anderson Santana, Márcio e Johnny (N).
Gols: Kléber Pereira (29-1, de pênalti); Neymar (13-2), Aílton (22-2, de pênalti) e Neymar (43-2).

SANTOS
Felipe; Pará, Adaílton, Eli Sabiá e Léo; Rodrigo Souto, Rodrigo Mancha, Róbson (Madson) e Paulo Henrique; Jean (Neymar) e Kléber Pereira (Felipe Azevedo).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

NÁUTICO
Glédson; Marcio, Fernando ( e Anderson Santana; Patrick, Johnny, Aílton, Irênio (Mariano Torres) e Michel; Carlinhos Bala (Ferreira) e Bruno Mineiro.
Técnico: Geninho



Santos vence, espanta risco da queda e deixa Náutico perto da Série B

O Santos afastou qualquer risco de rebaixamento. Por outro lado, o descenso está mais próximo do Náutico. Com dois gols de Neymar, que retornou da seleção sub-17, a equipe de Vila Belmiro derrotou o rival nordestino por 3 a 1, no Pacaembu, encerrou jejum de cinco jogos e agora se preocupa apenas em assegurar uma vaga na Copa Sul-Americana. O time pernambucano, por outro lado, terá apenas quatro jogos para evitar sua queda à Série B.

O resultado é um alívio para o Santos. Luxemburgo sabia exatamente que não poderia falhar mais uma vez. Não havia vencido os últimos cinco compromissos e contabilizou apenas três pontos neste período. Diante disso, o discurso também mudou. Deixou de ser a conquista de vaga para a Copa Libertadores e, mesmo que discretamente, passou a ter um certo temor pela queda.

Com a vitória, subiu para 45 pontos e espantou o risco de cair para a segunda divisão. No dia 15 de novembro, terá pela frente o Internacional, no Beira-Rio. Já o Náutico vê a queda mais próxima. A quatro rodadas para o encerramento, a equipe treinada por Geninho soma apenas 35 pontos e segue entre os piores. Daqui a oito dias, enfrenta o Flamengo, um dos melhores do Brasileiro, nos Aflitos.

Diante disso, o Santos pretendia aproveitar o desespero do adversário e adotou uma postura ofensiva desde início. Kléber Pereira desperdiçou duas boas oportunidades. Róbson quase balançou as redes. Paulo Henrique cobrou uma falta no travessão, aos 10min. Mas o Náutico também era perigoso. Aos 24min, Bruno Mineiro acertou a trave do goleiro Felipe. Apesar deste susto, o time santista estava melhor. E chegou ao seu primeiro gol.

Aos 29min, Michel derrubou Róbson dentro da área dentro da área. Kléber Pereira bateu o pênalti e fez o primeiro dos donos da casa. “Estávamos bem na partida até fazer o gol. Depois, nossa equipe recuou. Vamos procurar encontrar com mais seriedade. Precisamos ter mais atenção para voltar com mais determinação”, comentou Kléber Pereira no intervalo.

E o Santos teve atenção. Além de encontrar um adversário nervoso, a entrada de Neymar deu mais rapidez ao ataque paulista, que dominou completamente a partida. Aos 12min, o atacante, que retornou da seleção brasileira sub-17, já mostrou toda sua habilidade e quase marcou. Luxemburgo “ouviu” a torcida e colocou Madson em campo. Logo em seguida, ele rolou para o próprio Neymar, que tocou no canto direito de Glédson. 2 a 0.

Só dava Santos. Aos 15min, Madson acertou a trave (o goleiro também tocou na bola). O Náutico dava sinais de que estava mais preocupado em evitar outros gols. No entanto, o árbitro Wagner Tardelli marcou pênalti para os visitantes, aos 22min. Aílton cobrou e diminuiu.

O gol deu ânimo aos rivais, que quase empataram. Aos 29min, Ferreira, sozinho dentro da área, desperdiçou uma incrível chance e não evitou mais um revés. Aos 42min, o goleiro Felipe fez uma espécie de “milagre” com o pé. No contra-ataque, Madson rolou para Neymar, que selou a vitória santista. 3 a 1.

Apesar da vitória, Luxemburgo culpa “política” por instabilidade do Santos

A vitória diante do Náutico por 3 a 1, no Pacaembu, colocou ponto final numa sequência de cinco partidas sem vitória do Santos. Para Vanderlei Luxemburgo, essa instabilidade da equipe de Vila Belmiro no Campeonato Brasileiro é motivada pelo “momento político” do clube.

A eleição está marcada para o início de dezembro. O presidente Marcelo Teixeira ainda não definiu se será candidato. Luxemburgo já declarou seu apoio ao atual mandatário. Enquanto isso, a oposição não poupa críticas ao treinador e já disse que “muitas mudanças serão feitas”, caso vença a disputa.

“O clima externo é pesado. De repente, essa coisa passou para dentro de campo. Mas é o momento do clube. A eleição está muito acirrada”, comentou o treinador. “Se essa equipe estivesse preparada, não estaria nem aí para a parte política. Não estamos preparados para o adversário, o que dizer então dessa pressão externa”, comentou.

Luxemburgo vai além. Pediu uma definição rápida da atual diretoria. Isso, segundo ele, também daria mais tranquilidade. “Essa definição do que vai ser feito no Santos precisa ser tomada. Eu já tomei minha posição [deseja que Marcelo Teixeira seja candidato. A situação precisa definir rapidamente isso. É importante para nos deixar mais tranquilo”, acrescentou.

Com a vitória deste sábado, o Santos chegou aos 45 pontos e espantou qualquer risco de rebaixamento. No dia 15 de novembro, terá pela frente o Internacional, em Porto Alegre.