Navegando Posts marcados como Olímpico


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 30/09/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 27ª rodada
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 45.762 pessoas
Renda: R$ 1.080.972
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE).
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Clóvis Amaral da Silva (PE).
Cartões amarelos: Zé Roberto, Vilson, Pará, Kleber e Elano (G); Adriano, Éwerton Páscoa, Neymar e André (S).
Cartões vermelhos: Léo Gago (G) e Neymar (S).
Gols: Werley (33-1); Bruno Rodrigo (12-1).

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Pará, Werley, Gilberto Silva e Anderson Pico (Léo Gago); Fernando (Leandro), Souza (André Lima), Elano e Zé Roberto; Kléber e Marcelo Moreno.
Vanderlei Luxemburgo

SANTOS
Rafael; Éwerton Páscoa, Bruno Rodrigo, Durval e Gérson Magrão; Adriano, Arouca, Felipe Anderson e Patito Rodríguez (Bernardo); Neymar e André (Bill).
Técnico: Muricy Ramalho



Apesar da expulsão de Neymar, Santos busca empate contra o Grêmio

O resultado deixa a equipe de Vanderlei Luxemburgo a três pontos do Atlético-MG e a nove do líder do Fluminense, longe da briga pelo título

O Grêmio deixou escapar dois pontos preciosos na noite deste domingo. Jogando em casa, a equipe gaúcha saiu na frente do Santos , viu Neymar ser expulso no início do segundo tempo, mas cedeu o empate em 1 a 1. Werley marcou o gol gremista e Bruno Rodrigo empatou. O resultado deixa a equipe de Vanderlei Luxemburgo a três pontos do Atlético-MG e a nove do líder do Fluminense, longe da briga pelo título.

Decidido a buscar a vitória, o Grêmio partiu para cima desde o começo do jogo. Exerceu uma forte marcação na saída de bola do Santos, criou oportunidades e fez o gol ainda no primeiro tempo, na qualidade da bola parada de Zé Roberto. Na etapa final, a expulsão de Neymar dificultava ainda mais a tarefa do Santos. No entanto, um gol do zagueiro Bruno Rodrigo, minutos depois, surpreendeu o Olímpico. O Grêmio foi para cima na base do abafa, mas não conseguiu a vitória.

Com o empate, o Santos mantém o 13º lugar, com 34 pontos, sete à frente da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, o adversário é o Internacional, na Vila Belmiro. Já o Grêmio voltará a atuar no Olímpico, contra o Cruzeiro. Ambos os jogos ocorrem no próximo sábado.

O jogo

Empurrado por um Olímpico cheio, o Grêmio pressionou o Santos no primeiro tempo. Depois de alguns minutos de estudo, o time gaúcho passou a levar perigo. Aos 12, Pará fez boa jogada, chegou à linha de fundo e cruzou para Marcelo Moreno, que concluiu de primeira, mas desajeitado, por cima do gol. Aos 17, o mesmo Moreno cabecearia no travessão um ótimo cruzamento de Anderson Pico.

A pressão era cada vez mais forte, e o grito da torcida empurrava o Grêmio para cima. Aos 18, Elano bateu falta da intermediária, Gilberto Silva cabeceou, Rafael defendeu, deu rebote e, no bate-rebate, a zaga conseguiu aliviar. Aos 25, Moreno recebeu bom lançamento, se desmarcou bem, mas o chute cruzado saiu raspando a trave.

Neymar, bem controlado, só foi aparecer aos 32 minutos: o craque recebeu passe de peito de André e chutou com a perna canhota rasteiro, para boa defesa de Marcelo Grohe. Na jogada seguinte, o Grêmio fez seu gol, em lance parecido com o que Gilberto Silva perdera minutos antes: Zé Roberto cobrou falta na área santista, Werley desviou de cabeça e matou Rafael: 1 a 0. Oitavo gol do zagueiro gremista na temporada.

No intervalo, Muricy tirou Patito Rodríguez e colocou Bernardo. Mas as coisas se complicaram para o Peixe aos sete minutos, com a expulsão de Neymar. O craque reclamou de ter sofrido falta e levou o amarelo do árbitro Nielson Nogueira Dias. Na sequência, acabou pisando em Pará e recebeu cartão vermelho direto, deixando o Santos com um homem a menos.

No entanto, em sua primeira chegada sem seu principal jogador, o Santos empatou o jogo. Aos 12 minutos, Bruno Rodrigo aproveitou escorada de Durval após cobrança de escanteio e chutou para o fundo do gol de Marcelo Grohe. O Grêmio, então, partiu para cima em busca do segundo gol. Aos 18, Anderson Pico cruzou,a bola passou por Moreno e Kléber não conseguiu concluir.

Com Leandro no lugar de Fernando, o Grêmio foi para o tudo ou nada, abrindo espaços para o Santos. Aos 20, após contra-ataque, Gérson Magrão desperdiçou boa chance. Aos 28, Elano enfiou para Leandro, que entrou livre, mas errou em bola na hora de concluir. No minuto seguinte, André demorou para deixar o campo para ser substituído por Bill, e Pará tentou arrastá-lo para fora do campo. O atacante santista revidou com um tapa no lateral do Grêmio. Ambos levaram cartão amarelo.

Aos 32, quase o segundo do Peixe: Bill sofreu falta próxima à área e Bernardo bateu na rede pelo lado de fora, dando um susto no Olímpico. Seis minutos depois, André Lima, que entrara no lugar de Souza, recebeu passe de Leandro, levou a bola com o braço e fez, mas a arbitragem anulou o gol. No último lance do jogo, Felipe Anderson puxou contra-ataque livre e foi derrubado por Léo Gago na entrada da área. O volante gremista acabou expulso. Na cobrança, Bernardo chutou no travessão.


Vídeo: Expulsão do Neymar aos 07-2.

Expulso, Neymar dispara contra arbitragem: “Está ficando chato”

Atacante do Santos pede “bom senso” aos juízes após ter levado cartão vermelho no empate com o Grêmio

Com apenas 7min do 2º tempo jogados no estádio Olímpico, o atacante Neymar se envolveu em uma dividida com o gremista Pará e acabou pisando no adversário, sendo expulso de campo. Mesmo sem contar com seu principal jogador, o Santos conseguiu arrancar o empate por 1 a 1 na casa do Grêmio , resultado que deixou o capitão satisfeito.

“O time foi brilhante no final do jogo, mesmo com um jogador a menos. É um empate importante”, resumiu Neymar, que deixou as críticas só para a arbitragem. Antes de ser expulso e passar a faixa de capitão do time praiano para o zagueiro Durval, o santista reclamou de um lance em que arrancou com a bola dominada da intermediária, sofreu faltas, mas se manteve em pé. Logo após o complemento do lance, Neymar reclamou com veemência ao árbitro e levou o cartão amarelo.

“Tem que ter um bom senso. Eu não falei com ele (o árbitro Neilson Nogueira Dias) o jogo inteiro, só conversei sobre esse lance. Futebol é dentro de campo e o juiz não pode virar o rosto para o jogador. Estavam me batendo desde trás e eu falei para ele: ‘estou ficando em pé, você pode dar vantagem, mas tem que punir depois’. Aí ele me deu o amarelo”.

“Eu sou visado, acho que esse é o problema. Está ficando chata essa coisa, e o Muricy é inteligente, sabe que está sendo exagerado”, encerrou Neymar, relembrando as declarações do comandante durante a semana, quando Muricy disse que o jovem santista era perseguido pela arbitragem no futebol brasileiro.

Adriano suspenso

Além de Neymar, o Santos não terá o volante Adriano na próxima rodada, quando recebe o Inter na Vila Belmiro. Por falta em Kleber aos 27 minutos do primeiro tempo, o santista levou o terceiro cartão amarelo e está suspenso para o confronto válido pela 28ª rodada.

“Neymar tem que ir embora do Brasil”, dispara Muricy Ramalho

Atacante do Santos foi expulso no duelo contra o Grêmio, fato que deixou o treinador muito bravo com a arbitragem

O técnico Muricy Ramalho ficou furioso com a arbitragem de Nielson Nogueira Dias, que expulsou Neymar no empate em 1 a 1 com o Grêmio , neste domingo, no Olímpico. E avisou que o seu atacante só terá sossego longe dos gramados brasileiros. “Ele (Neymar) toma porrada o tempo todo e eles (árbitros) não fazem nada”, reclamou. “Ele tem de ir embora do País, não tem jeito”.

Muricy continuou: “Não gosto de falar de arbitragem, mas está chato. Eu oriento o menino a não cair, aí ele veio tomando no tornozelo desde o meio-campo até dar falta. Ele foi falar com o juiz, mas não xingou. O árbitro acaba chamando de lado para meter cartão na cara dele. Exagerou e nos prejudicou. Não sou de falar de arbitragem, mas ele nos tirou o Neymar de dois jogos”

Para o treinador do Santos, se Neymar não levasse o cartão vermelho, a equipe paulista poderia ter saído com um resultado melhor. “Assim é complicado para a gente. Já não temos jogadores e ainda expulsam o nosso melhor”, disparou o comandante.

Neymar foi expulso nos primeiros minutos do segundo tempo depois de pisar no lateral Pará, que havia feito falta sobre ele. Um minuto antes, o atacante, que carregava a faixa de capitão do Santos, levou o amarelo por reclamação.

Após as críticas recebidas no Morumbi, em amistoso realizado entre a seleção brasileira e a África do Sul, Muricy aconselhou Neymar a deixar para trás o rótulo de ‘cai-cai’ e investir nas jogadas mesmo com a opção de cair no chão para cavar a falta. Neste domingo, o camisa 11 do Santos cumpriu as ordens, mas levou cartão amarelo por reclamar de uma falta que ocorreu desde a intermediária até a entrada da área.

“Quem conhece o menino sabe que é gente boa, humilde, atende todo mundo, não destrata ninguém e tomou porrada mesmo, tomou pancada no tornozelo. Aí depois trombou com o Pará, que era companheiro no Santos. O juiz quis chamar a atenção, é exagero. Teve faltas piores e ele não fez nada, jogador que falou muito mais. Os caras estão invertendo demais. O moleque melhorou. Vai ficar difícil assim”, previu o comandante santista, já lamentando a ausência de Neymar contra o Inter, no próximo sábado. Victor Andrade, que cumpriu suspensão neste domingo, deve ser o substituto.

Bastidores – Santos TV:

Grêmio 1 x 0 Santos

Data: 05/10/2011, quarta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 26.020 (21.102 pagantes)
Renda: R$ 414.117,00
Árbitro: Pablo dos Santos Alves
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia e Fabiano da Silva Ramires.
Cartões amarelos: Julio Cesar, Escudero, Douglas (G); Borges, Ibson, Léo, Danilo, Arouca e Edu Dracena (S).
Gol: Brandão (09-1).

GRÊMIO
Victor; Mário, Edcarlos, Rafael Marques e Julio Cesar; Fábio Rochemback, Fernando, Marquinhos (Gilberto Silva), Escudero (Miralles) e Douglas; Brandão (André Lima).
Técnico: Celso Roth

SANTOS
Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Ibson (Rentería) e Elano (Henrique); Alan Kardec e Borges.
Técnico: Muricy Ramalho



Grêmio vence, mantém sonho de Libertadores e complica o Santos

Time de Muricy Ramanlho perdeu terceira partida seguida e ficou distante do título brasileiro

Dá para dizer que o Grêmio tirou o atraso no Brasileirão. Com boa atuação em grande jogo contra o Santos, adiado da 11ª rodada, na noite desta quarta-feira, no Olímpico, o time gaúcho venceu por 1 a 0 e, definitivamente, entrou na disputa por uma vaga à Libertadores.

É, agora, o nono lugar, com 39 pontos. Diminuiu para cinco a distância do Fluminense, o último integrante do G5. O Santos, por tabela, ficou distante da meta de ser campeão nacional. Com a terceira derrota seguida, perdeu a primeira chance de descontar os 15 pontos de vantagem do líder Vasco – é o 13ª, com 35 pontos. Tem mais um jogo atrasado, este diante do Botafogo, dia 26.

A próxima rodada promete mais emoção. O Grêmio enfrenta o Coritiba, sábado, em Curitiba. O Santos tem o clássico com o Palmeiras, domingo.

O jogo

Foi um belo jogo. Jogadas nas duas áreas, lindos dribles, ótimos desarmes, boas defesas, oportunidades e, claro, gol. Tudo começou com uma incrível pressão do Grêmio. Em cinco minutos de partida, o goleiro Rafael precisou se virar para passar livre a três finalizações, uma delas cara-a-cara com Brandão.

Não teve a mesma sorte aos nove minutos, quando o centroavante abriu o placar de cabeça – o primeiro gol de um atacante nos últimos cinco jogos. Após bela jogada coletiva, com participação de quatro jogadores, Marquinhos cruzou e o camisa 9 subiu mais do que Durval e desviou do goleiro.

Justo, afinal, os atletas do Santos mal tocavam na bola. O Grêmio beirou os 70% de posse de bola, resultado da intensa troca de passes entre seus meias, e só não ampliou o placar pois Escudero e Douglas desperdiçaram boas chances. Foi quando o Santos começou a equilibrar a partida.

Ibson e Borges comandaram a reação. O primeiro perdeu duas chances e o segundo, uma. Tudo fruto de rápidos contragolpes e desatenção da defesa gremista. Até mereciam melhor sorte, mas ajudaram a terminar um primeiro tempo muito bom: foram sete finalizações e 50% de posse de bola para cada lado.

Apesar de uma leve queda, o segundo tempo foi igualmente movimentado. O Grêmio usou a mesma tática de pressionar nos primeiros minutos. Só não marcou pois Rafael fez grande defesa em chute de Escudero.

O Santos reclamou de pênalti em Rentería e o Grêmio, em Julio Cesar. Victor ainda teve sorte em cabeçada desviada de Alan Kardec. E o artilheiro do campeonato Borges, com 19 gols, ao reencontrar o Grêmio, nada fez. Só ganhou vaias da torcida. No fim, vitória gremista por 1 a 0.

Grêmio 1 x 2 Santos

Data: 25/08/2010, quarta-feira, 22h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 16ª rodada
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 13.801 pagantes
Renda: R$ 206.231,50
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Assistentes: Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ) e Ricardo de Almeida (RJ).
Cartões amarelos: Fábio Rochemback e Vilson (G); Edu Dracena, Marcel, Rodriguinho, Alex Sandro e Neymar (S).
Cartão vermelho: Alex Sandro (S)
Gols: Borges (05-1); Neymar (24-2) e Rodriguinho (48-2).

GRÊMIO
Victor; Edilson, Vilson, Rafael Marques e Fábio Santos; Willian Magrão (Fernando)(Maylson), Fábio Rochemback, Souza e Douglas (Leandro); Jonas e Borges.
Técnico: Renato Gaúcho

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Rodriguinho, Marquinhos (Danilo) e Paulo Henrique Ganso (Zezinho); Neymar e Marcel (Zé Eduardo).
Técnico: Dorival Júnior



Grêmio volta a sofrer gol no último minuto e perde para o Santos por 2 a 1

A exemplo do que houve contra o Ceará, na última rodada, o Grêmio voltou a sofrer um gol no último minuto de partida e perdeu para o Santos por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Olímpico. Mesmo com Victor defendendo o segundo pênalti nos dois últimos jogos, o time tricolor levou a virada com o gol marcado por Rodriguinho, aos 48 do segundo tempo. Mano Menezes esteve na arquibancada e viu um jogo sem brilho, mas com muita eficiência dos visitantes e participação importante de Neymar no segundo tempo.

Com o resultado o Grêmio segue em 17º lugar com 15 pontos na zona do rebaixamento. O Santos, por sua vez, chegou a 24 pontos e sobe para a quarta colocação.

O Grêmio começou muito bem a partida. Logo aos cinco minutos de partida, o time tricolor abriu o placar. Em jogada pela esquerda, Fábio Santos cruzou e Borges entrou de peixinho para vencer Rafael.

Paulo Henrique Ganso e Neymar, observados por Mano Menezes, pouco apareceram no primeiro tempo e foram ofuscados pelas boas atuações de Douglas e Souza. Jonas teve boa chance de ampliar a vantagem, de dentro da área, aos 15 minutos, e Douglas também esteve perto em um chute de fora da área.

Contido por Vilson, que fez sua estreia, Neymar foi chutar em gol somente aos 16 minutos. Enquanto isso, o zagueiro precisou de menos de 45 minutos para cair nas graças do torcedor. A cada lance vencido pelo ex-atleta do Vitória os gremistas gritavam seu nome, escolhendo um novo ídolo. Com muita vontade [as vezes um pouco demais], o novato conteve as chegadas dos “meninos da Vila”.

O final do primeiro tempo foi o único momento de pressão santista. Com jogadas individuais, o time de São Paulo conseguiu quatro escanteios na sequência, mas não chegou a empatar a partida.

“Para vencer o Grêmio tem que ser melhor, não mais por erro nosso”, disse Souza na saída de campo.

Santos pressiona, perde pênalti mas consegue a virada

A segunda metade da partida começou com o Santos pressionando. Neymar e Ganso buscavam ser protagonistas da partida, mas seguiram contidos com o excesso de força gremista.

Logo aos 8 minutos, o Santos teve uma sequência de grandes chances. Marquinhos de fora da área, Zé Eduardo no rebote e Neymar na sequência, todos pararam nas mãos de Victor, com a bola batendo na trave no segundo lance. As jogadas foram reflexo do domínio evidente do Santos, que buscava o empate e não sofria nenhuma ameaça do Grêmio.

Cinco minutos depois, um cruzamento da esquerda passou por Zé Eduardo e Neymar antes de sair para a linha de fundo. Em menos de 15 minutos, o Santos teve nova chance de empatar a partida.

A pressão do Santos foi tanta que aos 22 minutos Fábio Santos cometeu pênalti em Zé Eduardo. No lance, Paulo Henrique se lesionou e deixou o gramado para entrada de Zezinho. Na cobrança, Neymar deslocou Victor e empatou a partida. Logo em seguida, Borges esteve de frente para Rafael, livre, tentou o drible e perdeu para o goleiro santista.

Aos 40 minutos do segundo tempo, mais um pênalti para o Santos. Neymar tentou driblar Vilson, que cometeu a irregularidade. Na cobrança, o santista mudou o lado e Victor defendeu o segundo pênalti nos dois últimos jogos.

Aos 48 minutos do segundo tempo, o Grêmio levou o segundo gol. Depois de Neymar obrigar Victor a mais uma linda defesa, Rodriguinho pegou o rebote e deu números finais ao jogo. A exemplo do que havia acontecido contra o Ceará, o Grêmio empatava o jogo até o minuto final, mas acabou perdendo. Assim, o time tricolor segue na zona do rebaixamento, enquanto o Santos entra no G4.

Na próxima rodada o Santos joga sábado, às 18h30, contra o Goiás, no Pacaembu. No domingo, o Grêmio entra em campo na Arena da Baixada para atuar contra o Atlético-PR, também às 18h30.

Ganso deixa o campo com suspeita de torção no joelho e preocupa o Santos

Nem tudo foi motivo para festa na vitória do Santos, por 2 a 1, contra o Grêmio, na noite desta quarta-feira, no Olímpico, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Isso porque Paulo Henrique Ganso deixou o campo com suspeita de torção no joelho esquerdo.

O jogador sentiu o problema no lance que originou o primeiro pênalti marcado para o alvinegro na partida. Ganso deixou o campo reclamando de dores no local, e ficou desolado no banco de reservas. Ele foi substituído por Zezinho.

“Acho que torci o joelho esquerdo”, limitou-se a dizer o meia, em entrevista à TV Tribuna, de Santos, durante o andamento do jogo.

Após o confronto, o meia passou mais detalhes do problema. Empolgado pela vitória, e apoiado em Neymar, o jogador procurou tranquilizar os torcedores.

“Espero que seja apenas um estiramento na parte lateral da perna e eu possa voltar em breve. Já estou sendo ajudado pelos companheiros. Isso é importante”, ressaltou Ganso, que ainda comentou o resultado da partida.

“Apesar de o Neymar ter perdido o segundo pênalti, a equipe se comportou bem e foi merecida a nossa vitória”, destacou.

Neymar demonstrou preocupação com o estado físico do amigo, e já iniciou a torcida para que a recuperação seja rápida.

“Tenho que ajudar o meu irmãozinho. Ele se machucou. Vou torcer para que não seja nada, e já jogue no próximo jogo”, disse Neymar.

Abatidos, gremistas lamentam ‘vacilo’ em derrota para o Santos no final

O Grêmio fez um bom primeiro tempo contra o Santos, mas “vacilos” na etapa final acabaram decretando a derrota no Olímpico nos minutos finais. A análise é dos jogadores do Grêmio, que saíram de campo abatidos e lamentando o resultado que mantém a equipe na zona do rebaixamento.

“Fizemos um segundo tempo muito abaixo. Contra uma equipe de qualidade, baixamos o ritmo. É complicado”, afirmou Souza, um dos jogadores mais vaiados pela torcida no final do jogo.

“A equipe fez um bom jogo, mas demos uma vacilada em lances da partida. Contra uma equipe forte como o Santos, foi mortal”, complementou o lateral-esquerdo Fábio Santos.

O Grêmio saiu na frente com um gol de Borges no primeiro tempo. Na etapa final, Neymar e Rodriguinho decretaram a virada santista no Olímpico. O gol de Rodriguinho veio aos 48 minutos, depois de o goleiro Victor ainda ter defendido uma cobrança de pênalti.

“Tivemos chance de matar o jogo no primeiro tempo, mas não matamos. Não podemos dar espaço como demos para o Santos”, lamentou Borges.

O Grêmio permanece na zona do rebaixamento. Tem 15 pontos e está na 17ª posição. O próximo compromisso é contra o Atlético-PR, domingo, na Arena da Baixada.

Grêmio 4 x 3 Santos

Data: 12/05/2010, quarta-feira.
Competição: Copa do Brasil – Semifinal – Jogo de ida
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 38.475 torcedores
Renda: R$ 819.403,50
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Enio Pereira de Carvalho (DF).
Cartões amarelos: Rodrigo, Ozeia, Hugo, Adílson e Edílson (G); Durval, Robinho, Marquinhos, Léo e Arouca (S).
Gols: André (15-1) e André (20-1); Borges (12-2), Borges (18-2), Jonas (22-2), Borges (30-2) e Robinho (38-2).

GRÊMIO
Victor; Ozeia, Rodrigo e Mário Fernandes (Joílson); Edílson, Adílson, Willian Magrão (Fábio Rochemback), Douglas (Maylson) e Hugo; Jonas e Borges.
Técnico: Silas

SANTOS
Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Maranhão); Arouca, Marquinhos (Rodrigo Mancha) (Rodriguinho), Wesley e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André.
Técnico: Dorival Jr.



Grêmio reage no 2º tempo, vira contra o Santos e vence com três de Borges

Foi um jogo alucinante. Com um segundo tempo quase impecável, o Grêmio venceu o Santos por 4 a 3 nesta quarta-feira no estádio Olímpico com direito a três gols de Borges e ficou em uma situação bem confortável nas semifinais da Copa do Brasil.

O resultado dá ao Grêmio a chance de empatar na partida de volta na Vila Belmiro. O vencedor do duelo entre as duas equipes enfrenta quem levar a melhor entre Atlético-GO e Vitória.
O jogo

A partida começou muito movimentada no Olímpico. Apesar de não ser incisivo, o Santos conteve o ímpeto do Grêmio nos minutos iniciais da partida. E abriu o placar justamente em lance característico do time gaúcho: em cobrança de escanteio, com André.

Como se diz no jargão do futebol, o Grêmio ‘sentiu o golpe’ após levar o gol. E o Santos, até então implacável na partida, não perdoou em um contra-ataque onde Paulo Henrique Ganso achou André, que tocou na saída de Victor e fez o segundo, colocando o time da Vila Belmiro em ótima situação na partida.

Depois do gol, o Santos naturalmente recuou, e o Grêmio foi para cima, criando grandes chances. E aí foi a hora de Felipe – um dos destaques do primeiro tempo – aparecer com belíssimas defesas em quatro lances.

O principal deles foi aos 23min, quando Willian Magrão recebeu belo passe dentro da área e foi derrubado por Durval. Pênalti, que Jonas bateu mal e Felipe defendeu, evitando o gol do Grêmio e mantendo o 2 a 0 que perdurou até o fim da etapa, que teve alguns de seus torcedores saindo do estádio desolados com o resultado.

“Dentro de casa não podemos sofrer contra ataques. Demos muito espaço para eles, isso não pode acontecer”, decretou o atacante Borges na saída para o intervalo. “Já poderíamos ter matado o jogo. Vamos seguir com esse ritmo”, ponderou Edu Dracena.

O Santos voltou cauteloso do intervalo. O técnico Dorival Júnior, inclusive, colocou um volante de contenção logo no início da etapa, quando Rodrigo Mancha entrou no lugar de Marquinhos.

Em lance isolado, o Grêmio descontou o placar e inflamou a sua torcida: aos 12min, Edu Dracena tirou mal e a bola sobrou limpa para Borges. O atacante do Grêmio não perdoou: 2 a 1 Santos.

Agora em falha de Rodrigo Mancha, o Grêmio saiu em um rápido contra-ataque e fez mais um, com Borges. Irritado, Dorival Júnior trocou o jogador por Rodriguinho. Mais irritado ainda, o volante deu soco no banco após sair.

Logo depois, o Grêmio tornou a partida ainda mais empolgante ao marcar um golaço aos 22min. O atacante Jonas soltou a bomba da entrada da área e acertou o ângulo de Felipe.

O Santos sentiu demais o golpe. Por isso, o quarto gol era questão de tempo. O que acabou acontecendo aos 31min: Jonas achou Borges em posição duvidosa, e o atacante fez o seu terceiro gol no jogo.

Mas o Santos conseguiu achar um gol que pode mudar a história do segundo jogo na Vila Belmiro. Em belíssimo passe de Ganso, Robinho matou no peito e emendou a bomba fuzilando Victor: 4 a 3.

“No primeiro tempo erramos muito. No segundo, a gente fez o que sempre costuma fazer e poderia ter feito até mais do que quatro”, disse Borges.

Já Robinho ressaltou o gol que fez no final da partida, que na sua opinião pode mudar a história do confronto entre as duas equipes na Vila Belmiro.

“Fiz um gol importantíssimo. Nos dá uma chance maior. Temos boas condições de matar esse confronto na Vila Belmiro”.

Presidente do Grêmio provoca: “O Santos sabe com quem está lidando agora”

Sobrou confiança no Grêmio após a virada sobre o Santos nesta quarta-feira. Depois de começar perdendo por 2 a 0, o time do técnico Silas fez quatro gols no segundo tempo e acabou vencendo por 4 a 3. Para o presidente Duda Kroeff, a virada no Olímpico foi um bom “cartão de visitas” do Grêmio para o Santos.

“Nossa vantagem é mais moral. O Santos sabe com quem está lidando agora”, disse o presidente do Grêmio ao final da partida. “Vamos para lá para ganhar de novo. Este time de brio suficiente para ganhar de novo na Vila”, completou.

Com a vitória por 4 a 3, o Grêmio joga pelo empate na Vila Belmiro. O Santos passa com vitória por um gol de diferença, até 3 a 2. Para o presidente do Grêmio, nada disso importa: a meta é vencer na Vila Belmiro, já que com a virada desta quarta o Grêmio mostrou que nenhuma missão é impossível.

“Jogamos contra o xodó do Brasil e vencemos, saindo com um 2 a 0 atrás. Foi uma prova de maturidade muito grande. Agora não tem nada que a gente não possa fazer”, vibrou Duda Kroeff.

O dirigente atribuiu o mau primeiro tempo à “sorte” que o Santos teve nos minutos iniciais da partida. “O Santos é um grande time, principalmente em termos ofensivos. Não acho que tenhamos entrado mal. O Grêmio se armou bem mas o Santos teve sorte no início do jogo, até um pênalti perdemos”, destacou.

Grêmio 1 x 1 Santos

Data: 10/05/2009, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre, RS.
Público: 44.548
Renda: R$ 487.644,00
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Marcio Eustaquio Santiago e Helberth Costa Andrade (ambos de MG).
Cartões amarelos: Rafael Marques, Réver, Alex Mineiro e Ruy (G); Luizinho, Fabão, Neymar e Paulo Henrique Ganso (S).
Gols: Réver (31-2) e Molina (40-2).

GRÊMIO
Victor; Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy, Adilson, Tcheco (Douglas Costa), Souza e Fábio Santos; Jonas (Túlio) e Maxi López (Alex Mineiro).
Técnico: Marcelo Rospide

SANTOS
Douglas; Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho (Pará); Roberto Brum, Germano, Paulo Henrique Ganso (Maikon Leite) e Madson; Neymar (Molina) e Kléber Pereira.
Técnico: Vágner Mancini



No fim, Santos arranca empate com Grêmio na estreia do Brasileirão

Com um gol do meia Molina aos 40min do segundo tempo no estádio Olímpico, o Santos foi buscar a igualdade contra o Grêmio e empatou por 1 a 1 na estreia das duas equipes no Campeonato Brasileiro, neste domingo. Réver, aos 31min da segunda etapa, havia aberto o placar para o time da casa, que acabou não conseguindo segurar a vantagem até o final do jogo.

Com o empate, os dois times conquistam um ponto na classificação e ficam estacionados na parte intermediária da tabela do Nacional. Agora, na segunda rodada do Brasileiro, o Santos joga pela primeira vez na Vila Belmiro e recebe o Goiás no próximo domingo, às 16h.

O Grêmio atua no sábado e vai até Belo Horizonte pegar o Atlético-MG às 18h30, no reencontro com o técnico Celso Roth. Antes, porém, recebe o San Martín na próxima quarta-feira, pelo jogo de volta das oitavas-de-final da Copa Libertadores.

“Entrei bem no jogo e saiu um gol muito importante para o nosso time. Desde o ano passado se fala da possibilidade de eu jogar no Grêmio, mas não sei de nada. Hoje meu amor está em Santos e mostrei profissionalismo ao entrar e marcar o gol do nosso empate”, afirmou Molina ao SporTV, na saída do gramado.

O jogo

Em um primeiro tempo equilibrado, Grêmio e Santos repetiram o que as suas torcidas estão acostumadas a ver na temporada: Maxi López ameaçando o gol adversário, Souza arriscando de longe da área e o atacante Kléber Pereira perdendo oportunidades criadas pelo time santista.

Como era esperado pelo técnico Vagner Mancini, que já teve passagem pelo clube gaúcho, o Grêmio partiu para cima do Santos no início e tentou sufocar a equipe da Vila Belmiro com chutes de longa distância e cruzamentos, principalmente com Fábio Santos, que levantou para a Maxi López acertar a trave de Douglas aos 19min.

Antes, Paulo Henrique já havia sido brecado pelo goleiro Victor, mas a principal chance santista começou nos pés do mesmo meia, que lançou o já não tão artilheiro Kléber Pereira no meio da zaga. O atacante dominou bem, deixou seus marcadores para trás, mas acabou fazendo o mais difícil, batendo para fora e desperdiçando a grande chance santista do primeiro tempo.

Após o susto, apesar das diversas tentativas, o Grêmio não conseguiu ameaçar de forma concreta o goleiro Douglas, que substituiu um gripado Fábio Costa. Ainda na primeira etapa, Triguinho sentiu lesão e deixou o gramado do Olímpico, dando lugar para o polivalente Pará, que segurou Ruy na lateral gremista.

Na volta para o segundo tempo, as duas equipes retornaram com as mesmas formações e o mesmo estilo de jogo. O Grêmio pressionando a saída de bola e o Santos apostando na velocidade de Madson e nos passes de Paulo Henrique. E, aos 7min, em mais uma bola cruzada, Réver cabeceou e Douglas salvou o Santos em bela defesa.

Com as duas equipes arriscando menos, o técnico Vagner Mancini resolveu sacar Neymar e colocou Molina em campo. Do outro lado, o treinador Marcelo Rospide tirou Jonas e Maxi López e apostou em Túlio e Alex Mineiro, respectivamente. E, justamente quando o Santos era melhor, o Grêmio abriu o placar.

Após tentativa santista pela direita, o time gaúcho saiu em contra-ataque e com o lateral-direito Luizinho mal posicionado, Réver recebeu livre na esquerda. Após dominar, tirou a marcação e bateu forte de perna direita para fazer o único gol do Grêmio na estreia do Campeonato Brasileiro.

Quando o resultado parecia definido, uma aposta do técnico Mancini deu resultado. Em batida de falta da intermediária, o meia colombiano Molina pegou com precisão na bola e colocou no ângulo esquerdo de Victor, que nada pôde fazer para impedir o gol santista, que fechou o placar no Olímpico.