Navegando Posts marcados como Once Caldas

Data: 18/05/2011, quarta-feira, 22h00.
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 35.587 presentes (33.385 pagantes e 2.202 não pagantes)
Renda: R$ 1.347.235,00
Árbitro: Enrique Osses (CHI), auxiliado por Francisco Mondria e Juan Maturana (ambos do CHI).
Cartões amarelos: Amaya (OC); Arouca e Rafael (S).
Gols: Neymar (11-1) e Rentería (29-1).

SANTOS
Rafael, Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Adriano, Arouca, Elano e Alan Patrick (Pará); Neymar e Zé Eduardo (Keirrison).
Técnico: Muricy Ramalho

ONCE CALDAS
Martínez, Palacios, Amaya, Henríquez e Nuñez; Cuero (Pajoy), Mejía, Carbonero e Mirabaje (Harisson Henao); Dayro Moreno e Rentería.
Técnico: Juan Carlos Osório



Neymar marca, perde pênalti e Santos assegura vaga sofrida com 1 a 1 contra Once

Foi sofrido, por conta do pênalti perdido por Neymar, das chances claras desperdiçadas por Zé Eduardo e da vantagem mínima segurada durante todo o segundo tempo. Mas o que vale é que o Santos está na semifinal da Libertadores. A equipe empatou com o Once Caldas por 1 a 1, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, e ficou com a vaga por ter vencido o confronto no placar agregado por 2 a 1.

O alvinegro não chegou a sofrer grande pressão do adversário, mas deixou a torcida apreensiva até o apito final do árbitro. Agora é esperar o próximo adversário que sai do confronto entre Cerro Porteño-PAR e Jagures-MEX, quinta-feira, no Paraguai – no primeiro jogo, no México, houve empate por 1 a 1.

Bem antes de perder um pênalti aos 40 minutos do segundo tempo, Neymar fez o gol do Santos, aos 11 minutos do primeiro tempo. Só que o empate do Once Caldas aconteceu aos 29 minutos, e o vaga certa, foi conquistada com requintes dramáticos.

O Once Caldas se despede da Libertadores de forma invicta como visitante – em cinco jogos, foram duas vitórias e três empates. O Santos também segue sem perder como mandante – são três vitórias e dois empates.

Muricy Ramalho ordenou aos jogadores para que ignorassem a vantagem conquistada no jogo de ida. Só que time colombiano também jogou como se não estivesse em desvantagem, e resolveu passar o primeiro tempo à espera de contra-ataques e bolas paradas.

O plano de jogo colombiano seguiu o mesmo até quando Neymar marcou o primeiro gol santista aos 11 minutos em bela finalização de fora da área.

O jovem santista entrou na “pilha” do adversário, chapelou o marcador, e se irritou com o fato de o árbitro não ter marcado uma falta após receber uma pancada. Como vingança, ele deu um carrinho no adversário, fazendo a falta que tanto o Once Caldas procurava na lateral da área. Na cobrança, gol de Rentería.

Santos e Once Caldas foram para o intervalo empatados. Sendo assim, a vantagem do alvinegro continuava mínima, e a tensão da torcida era evidente.

O nervosismo aumentou no início do segundo tempo, e o motivo da fúria tinha nome: Zé Eduardo. Por conta dos gols perdidos, o centroavante irritou a torcida e foi substituído por Keirrison.

O Santos foi pouco pressionado e teve a chance de evitar o drama dos minutos finais em um pênalti sofrido por Neymar. O próprio jovem bateu, só que perdeu. E a vaga foi mesmo conquistada de forma dramática.


Data: 11/05/2011 às 21h50
Competição: Copa Libertadores – Quartas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio Palogrande, em Manizales, Colômbia.
Árbitro: Juan Soto (VEN), auxiliado por Luis Sanchez e Jorge Ullego.
Cartões amarelos: Calle, Palacios (OC); Rafael, Edu Dracena, Zé Eduardo (S).
Cartão vermelho: Calle (OC)
Gol: Alan Patrick (42-1).

ONCE CALDAS
Martínez, Calle, Amaya, Henriquez e Nuñez; Mejia, Henao, Pajoy (Gonzalez) e Mirabaje (Palacios); Dayro Moreno e Rentería.
Técnico: Juan Carlos Osório

SANTOS
Rafael, Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo (Alex Sandro); Adriano, Danilo, Elano (Bruno Aguiar) e Alan Patrick (Felipe Anderson); Neymar e Zé Eduardo.
Técnico: Muricy Ramalho



Substituto de Ganso, Alan Patrick marca contra o Once Caldas e encaminha vaga

A ausência de Paulo Henrique Ganso não foi sentida pelo Santos graças ao bom desempenho de Alan Patrick. O substituto do lesionado camisa 10 garantiu a vitória do Santos contra o Once Caldas, na noite desta quarta-feira, em pleno estádio Palogrande, em Manizales, na Colômbia, na partida de ida pelas quartas de final da Libertadores, ao marcar o gol do triunfo por 1 a 0.

O gol foi marcado aos 42 minutos do primeiro tempo após Alan Patrick receber belo passe de Neymar e finalizar com calma e categoria, fazendo lembrar Ganso.

“Foi uma boa finalização do Alan. Acho que ele pode me dar 30% do gol”, disse Neymar, em entrevista ao Sportv.

Com o resultado, a situação do Santos para garantir a vaga à semifinal da competição continental é confortável. O alvinegro vai jogar pelo empate no duelo da volta, na próxima quarta, no Pacaembu. 1 a 0 para o Once Caldas leva o confronto para os pênaltis. O time colombiano se classifica se vencer por qualquer outro placar.

A forte defesa santista demonstrou durante o jogo que além de estar em boa fase conta também com a sorte. As falhas de marcação não eram bem aproveitadas pelo Once Caldas. O time colombiano teve boas chances durante o jogo, mas sofreu com os erros de finalização.

Já o eficiente Santos de Muricy não chega com frequência à área do adversário, mas o talento dos jovens jogadores costuma fazer a diferença. No gol da vitória, Alan Patrick e Neymar foram os protagonistas.

Neymar, como sempre, foi ‘caçado’ em campo. Só que o principal marcador do santista, Calle, não conseguiu escapar ileso. Ele foi expulso aos 14 minutos do segundo tempo, e deixou o time colombiano extremamente vulnerável.

Apesar da expulsão, o Once Caldas fez de tudo para empatar o jogo. Chutes de fora da área, cruzamentos, e muita disposição dos jogadores, mesmo sem receber salários há um bom tempo, não faltaram. Só que o Santos soube segurar a boa vantagem.

O favoritismo do Santos na Libertadores foi confirmado com o triunfo fora de casa na Colômbia. O único brasileiro remanescente na competição agora vai em busca de defender a honra do país no duelo da volta dentro de casa.

Santos FC x CD Once Caldas






Santos Futebol Clube x Corporación Deportiva Once Caldas


Retrospecto:

06 jogos
02 vitórias
02 empates
02 derrotas
06 gols pró
06 gols contra
00 saldo

Resultados:

15/07/1998 – Santos 2 x 1 Once Caldas – Conmebol – Vila Belmiro, Santos
21/07/1998 – Santos 1 x 2 Once Caldas – 3 x 2 (p) – Conmebol – Palogrande, Manizales
19/05/2004 – Santos 1 x 1 Once Caldas – Libertadores – Vila Belmiro, Santos
27/05/2004 – Santos 0 x 1 Once Caldas – Libertadores – Palogrande, Manizales
11/05/2011 – Santos 1 x 0 Once Caldas – Libertadores – Palogrande, Manizales
19/05/2011 – Santos 1 x 1 Once Caldas – Libertadores – Pacaembu, São Paulo

Data: 27/05/2004, quinta-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – Quartas de final – Jogo de volta
Local: Estádio Palogrande, em Manizales, Colômbia.
Árbitro: Horacio Eliozondo (ARG)
Cartões amarelos: Vanegas e Arango (OC); Marco Aurélio e Diego (S).
Gol: Valentierra (26-2).

ONCE CALDAS
Henao; Rojas e Vanegas Cataño (Ortegón); Garcia, Viáfara, Soto (Arango), Moreno e Valentierra; Alcazar (Agudelo).
Técnico: Luis Fernando Montoya

SANTOS
Júlio Sérgio; Marco Aurélio, Pereira e André Luis e Paulo César; Paulo Almeida (Claiton), Renato, Elano (Lopes) e Diego; Robinho e Deivid (Leandro Machado).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos perde na Colômbia e está fora da Taça Libertadores

O Santos foi derrotado pelo Once Caldas por 1 a 0, na noite desta quinta-feira, no estádio Palogrande, em Manizales, na Colômbia, e perdeu a oportunidade de disputar uma semifinal brasileira na Taça Libertadores, contra o São Paulo. No jogo de ida contra a equipe colombiana, o time da Baixada Santista havia empatado por 1 a 1, na Vila Belmiro.

Na quarta, o São Paulo se classificou para as semifinais após golear o Deportivo Táchira, na Venezuela, por 4 a 1 –havia vencido por 3 a 0 em São Paulo. Ambos bicampeões da Libertadores (o Santos em 1962/63 e o São Paulo em 1992/93), os times jamais se encontraram no torneio.

O revés desta quinta frustra mais uma vez a torcida santista. No ano passado, o clube chegou à decisão do torneio, quando foi superado pelo Boca Juniors. O time argentino faz a outra semifinal desta edição contra seu compatriota River Plate.

Com o resultado, o Once Caldas manteve a invencibilidade jogando em seu estádio na competição, em grande parte graças à altitude da cidade de Manizales (2.150 m acima do nível do mar). Para tentar minimizar os efeitos do ar rarefeito, o Santos adotou uma prática pouco usual: ficou concentrado em Bogotá, que é ainda mais alta (2.600 m).

A única outra derrota santista neste ano na Libertadores ocorreu também na altitude, quando perdeu por 4 a 2 para a Liga Deportiva Universitaria, de Quito (2.850 metros acima do nível do mar). Após a partida, o técnico Leão foi demitido.

Agora com Vanderlei Luxemburgo no comando, o time santista iniciou a partida recuado e produziu muito pouco no primeiro tempo. O técnico queria a equipe jogando nos contra-ataques, mas encontrou poucas oportunidades e não ameaçou o gol rival.

O Once Caldas, por sua vez, apesar de dominar a posse de bola, tinha dificuldades para chegar ao ataque. A única chance clara de gol veio somente aos 45min. Valentierra recebeu de Moreno, girou o corpo, deixando dois santistas para trás, e chutou por cima do gol de Júlio Sérgio.

Na segunda etapa, o time brasileiro voltou melhor. Logo aos 3min, Robinho teve boa chance. O atacante recebeu de Diego e chutou cruzado, mas o goleiro Henao fez a defesa.

Aos 7min, Elano cruzou da esquerda e Robinho, quase na linha de fundo, conseguiu alcançar e chutou na trave.

Apesar do ímpeto santista, o time da casa marcou o único gol da partida aos 26min. Valentierra cobrou falta de longa distância e acertou o ângulo direito de Júlio Sérgio.

No desespero, Luxemburgo trocou Paulo Almeida, Elano e Deivid por Lopes, Claiton e Leandro Machado aos 31min, mas as alterações não deram resultado.

Data: 19/05/2004
Competição: Copa Libertadores – Jogo de ida
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.855
Renda: R$ 168.996,00
Árbitro: Cláudio Martin (ARG)
Cartões amarelos: Vanegas, Cataño, Arango e Agudelo (OC).
Cartão vermelho: Léo (S)
Gols: Basílio (39-2) e Valentierra (43-2).

SANTOS
Júlio Sérgio; Paulo César (Basílio), André Luis, Pereira e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego (Claiton); Robinho e Deivid (Marco Aurélio).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

ONCE CALDAS
Henao; Rojas, Vanegas, Cataño e Velásquez; García, Arango (Marín), Viáfora e Soto; Valentierra e Agudelo.
Técnico: Luís del Once



Santos empata na Vila Belmiro e se complica na Libertadores

O Santos complicou sua situação na Taça Libertadores-2004 ao empatar por 1 a 1 com o Once Caldas, da Colômbia, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Agora, para chegar às semifinais, o time precisa vencer o jogo de volta –um novo empate leva a partida para os pênaltis.

O poderoso ataque do Santos, o melhor desta Libertadores, com 20 gols nos oito jogos que havia disputado até então, entrou em campo com a obrigação de funcionar para conseguir uma vitória, se possível com uma boa diferença de gols, para dar certa tranqüilidade no jogo de volta, dia 27.

Para complicar, os santistas terão que superar o bom desempenho do Once Caldas quando atua diante de sua torcida, na cidade de Manizales. Na atual edição da Libertadores, nos quatro jogos que disputou em seus domínios, a equipe colombiana está invicta: foram três vitórias e um empate.

O Santos não poupou esforços para atingir o seu objetivo na primeira etapa, criando boas chances para marcar em chutes de longa distância, principalmente com Elano. A melhor chance, no entanto, foi numa cabeçada de Deivid, que tocou na trave e correu em cima da linha até ser defendida pelo goleiro Henao.

Logo no começo do segundo tempo, o Santos levou um susto. O colombiano Arango chutou de fora, a bola desviou em um defensor e acabou tocando na trave de Júlio Sérgio.

O Santos continuou pressionando e só não marcou numa cabeçada de Renato porque o goleiro Henao fez grande defesa. Aos 38min, Basílio abriu o placar. O problema é que o Santos não conseguiu segurar a vitória e levou o empate aos 43min, num chute de Valentierra.

Antes de viajar para a Colômbia, no entanto, o Santos teve uma partida difícil pelo Campeonato Brasileiro, no domingo, na Vila Belmiro, quando receberá o Palmeiras, no clássico paulista da rodada. O Santos ocupa a 17ª posição, com seis pontos.