Navegando Posts marcados como Parque Antarctica

Palmeiras 2 x 2 Santos

Data: 19/07/2007
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 18.662 pagantes
Renda: R$ 307.130,00
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP)
Auxiliares: Carlos Augusto Nogueira Júnior e Valter José dos Reis (ambos de SP)
Cartões amarelos: Valdivia e Edmundo (P); Domingos, Rodrigo Souto, Adriano e Vítor Júnior (S).
Gols: Kléber (10-1), Nen (18-1) e Pedrinho (46-1); Rodrigo Souto (47-2, contra).

PALMEIRAS
Diego Cavalieri, Nen, Gustavo e Dininho (Valmir); Paulo Sérgio (Wendel), Pierre, Martinez, Valdivia e Leandro (Edmundo); Luís e Luiz Henrique
Técnico: Caio Júnior

SANTOS
Fábio Costa, Adailton, Domingos e Marcelo; Alessandro, Rodrigo Souto, Adriano, Rodrigo Tabata (Kléber Pereira), Pedrinho (Vítor Júnior) e Kléber; Marcos Aurélio (Carlinhos)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos cede o empate no último minuto e Palmeiras mantém série invicta

Em cima da hora, o Palmeiras conseguiu empatar com o Santos no clássico desta quinta-feira, no Parque Antarctica. No último lance da partida, um gol contra de Rodrigo Souto fez com que o placar do jogo terminasse 2 a 2, e o time do técnico Caio Júnior ampliasse sua invencibilidade para cinco jogos no Campeonato Brasileiro – três vitórias e dois empates.

“Foi um jogo muito movimentado, rápido, entre dois times de qualidade. Tivemos de nos expor algumas vezes e fomos coroados no fim pela busca constante. Diante das circunstâncias até que foi bom”, disse o goleiro Diego Cavalieri.

“Acontece. É a jogada forte do Palmeiras [bola aérea]. O primeiro foi de mão, e o segundo acabou batendo no Rodrigo Souto e entrou. Mesmo fora de casa, produzimos bem, e é isso que nos felicita”, avaliou Fábio Costa, capitão da equipe alvinegra.

Com o resultado, o Santos chega a 15 pontos, na 15ª colocação no Campeonato Brasileiro – duas posições acima da zona de rebaixamento. Já o Palmeiras alcança os 19, no sexto posto, ao lado de São Paulo e Paraná, perdendo mais uma vez a chance de encostar nos líderes da tabela.

Curiosamente, as duas equipes vivem situações opostas em se tratando de retrospecto em clássicos neste Brasileiro. O Palmeiras ainda não perdeu nenhum, com dois empates e uma vitória, enquanto o Santos não venceu, com um revés e duas igualdades.

Antes da partida contra o Santos, o Palmeiras vinha de três vitórias e um empate, que levaram a equipe para as primeiras posições na tabela. Curiosamente, o início da seqüência positiva foi em um clássico, contra o Corinthians, quando o clube do Parque Antarctica ganhou por 1 a 0. Agora, o empate no último minuto dá moral para os comandados de Caio Júnior continuarem brigando pela liderança.

Por outro lado, a igualdade também não foi tão ruim para a equipe litorânea, que vem em reação contundente no torneio. Depois de sofrer uma goleada de 4 a 0 para o Vasco, em São Januário, o Santos recuperou-se ao vencer o Cruzeiro por 4 a 1 e o líder Botafogo por 3 a 0, ambos na Vila Belmiro.

Nesse período, um fator fundamental para o crescimento da equipe foi a melhora do ataque. Antes do início da reação, o time de Vanderlei Luxemburgo havia feito sete gols em nove jogos. Depois, em três partidas, as redes foram balançadas outras nove vezes, com uma média superior ao restante da competição.

O Palmeiras, por sua vez, recupera de vez seu prestígio no Parque Antarctica. Depois de um início irregular no Campeonato Brasileiro diante de sua torcida, a equipe vem de uma vitória (2 a 0 sobre o América-RN) e agora consegue o empate no fim do clássico. Antes disso, haviam sido duas derrotas, um empate e apenas um triunfo em casa.

Conseguir isso, porém, não foi fácil. Armado no 3-6-1, com apenas Marcos Aurélio na frente, o time de Vanderlei Luxemburgo contou com a volta do lateral Kléber da seleção brasileira para a armação. Atuando livre no meio-campo, o ala arriscou um chute da intermediária aos 10min do primeiro tempo e contou com falha de Diego Cavalieri para abrir o placar.

A resposta do Palmeiras passou pelos pés de outro atleta que retornou ao time titular depois de disputar a Copa América. Valdivia, de volta da seleção chilena, comandou o meio-campo alviverde que empatou o marcador em um lance de bola aérea aos 18min. Paulo Sérgio cobrou falta da direita, Nen desviou de cabeça, a bola bateu em Marcelo e entrou. Na comemoração, os jogadores fizeram questão de cumprimentar Diego Cavalieri, que havia falhado no outro lance.

Daí em diante, a partida permaneceu equilibrada. Perigo somente aos 46min, quando Rodrigo Tabata cobrou falta da direita e Pedrinho, livre de marcação, abaixou-se na pequena área para recolocar o Santos na frente do marcador.

O resultado, então, fez com que o Palmeiras partisse para o ataque, dando espaços para as jogadas rápidas do time alvinegro. A boa atuação de Diego Cavalieri e a ineficiência do ataque alviverde, porém, mantinham o placar inalterado, com destaque para a estréia de Kléber Pereira no ataque do Santos e o retorno de Edmundo ao time da casa após lesão.

No último minuto, porém, depois de bola alçada na área da equipe alvinegra, Martinez desviou de cabeça, a bola bateu em Rodrigo Souto e enganou o goleiro Fábio Costa, dando números finais ao marcador.

Santos 2 x 1 Rio Claro

Data: 25/03/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 15ª rodada
Local: Estádio Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 13.853 pagantes
Renda: R$ 171.350,00
Árbitro: Anselmo da Costa
Auxiliares: Nilson de Souza Monçõo e Gilberto Corrale
Cartões amarelos: Rodrigo Tabata e Cleber Santana (S); Vieira e Daniel Rossi (RC).
Gols: Marcos Aurélio (11-1); Wagnão (50-2) e Rodrigo Tiuí (59-2).

SANTOS
Fábio Costa; Domingos, Leonardo e Marcelo (Rodrigo Tiuí); Pedro, Adriano, Zé Roberto, Pedrinho e Carlinhos; Rodrigo Tabata (Cleber Santana) e Marcos Aurélio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

RIO CLARO
Luiz Henrique; Éric, Edílson, Wagnão e Cazumba; Douglas Peruíbe, Vieira (Renatão), Daniel Rossi (Vagner) e Chumbinho; Mirandinha e Luciano (Élton Calé).
Técnico: Paulo César Catanoce



Santos supera ‘apagão’, vence e dispara no Estadual

A situação do Santos no Campeonato Paulista é cada vez mais tranqüila. Neste domingo, a boa fase da equipe alvinegra foi superior até aos desfalques e à fraca atuação. Em um jogo extremamente morno, o time do litoral mostrou superioridade técnica e venceu o Rio Claro por 2 a 1 no Parque Antarctica. Com isso, disparou na liderança do Estadual.

Beneficiado por conhecer o resultado do vice-líder São Paulo, que havia perdido por 1 a 0 para o São Caetano no estádio Anacleto Campanella, o Santos deixou o Rio Claro jogar neste domingo e apostou na movimentação em velocidade. Num lance assim, aos 11min da etapa inicial, Rodrigo Tabata conseguiu se livrar da marcação e lançou na esquerda para Marcos Aurélio, que recebeu dentro da área e chutou para dar a vitória ao time alvinegro.

“Foi um jogo de muita marcação e movimentação. Nós procuramos atrair o adversário, principalmente depois que fizemos o gol. E quando retomamos a posse de bola, apostamos em muita velocidade para criar oportunidades”, explicou o técnico Vanderlei Luxemburgo.

A vitória levou o Santos a 38 pontos ganhos no Campeonato Paulista. Dona do melhor ataque – já marcou 32 vezes, a equipe alvinegra abriu quatro pontos de vantagem para o vice-líder São Paulo e dez para o Paulista, primeiro colocado entre os que não estão na zona de classificação para as semifinais.

Com apenas uma derrota nesta temporada – 2 a 0 para o São Bento, na Vila Belmiro, o Santos alcançou neste domingo a décima partida consecutiva sem sofrer um revés. Nesse período, a equipe alvinegra acumulou nove triunfos e um empate. Diante do Rio Claro, a série positiva sobreviveu até a uma série de percalços, como os sete desfalques na escalação titular e o desempenho apático do clube do litoral.

A fase é tão favorável ao Santos que a equipe alvinegra foi “ajudada” por uma queda de energia no estádio Parque Antarctica. No segundo tempo, quando o Rio Claro era superior em campo, uma das torres de iluminação do estádio apagou e interrompeu a partida por 16 minutos.

“Nós estávamos em uma situação favorável e até conseguimos ganhar espaço, mas aí houve a queda e o Santos conseguiu se reorganizar. Foi uma infelicidade muito grande”, lamentou o treinador do time visitante, Paulo César Catanoce.

Depois da recuperação da iluminação, o Rio Claro seguiu melhor e até conseguiu o empate com um gol do zagueiro Wagnão, de cabeça, aos 50min do segundo tempo. No entanto, a fase positiva do Santos apareceu novamente e o atacante Rodrigo Tiuí, que havia entrado na retomada do confronto, aproveitou um contra-golpe aos 59min para definir a vitória e a situação confortável dos donos da casa no Campeonato Paulista.

Time com pior aproveitamento ofensivo do Campeonato Paulista de 2007 (só 12 gols marcados), o Rio Claro estacionou nos 12 pontos neste domingo. Com isso, perdeu a chance de deixar a zona de rebaixamento e se manteve na 17ª posição da tabela.

Agora, Santos e Rio Claro voltarão a campo na próxima quarta-feira, dia 28 de março. O time do interior receberá o Marília no estádio Augusto Schimidt, em Rio Claro, às 15h. Mais tarde, às 21h45, o Santos disputará um clássico contra o Corinthians na Vila Belmiro.

“Sabemos que o clássico vai ter uma importância enorme, até porque o Corinthians ainda está brigando por uma vaga nas semifinais. Além disso, podemos ganhar moral para a seqüência do Campeonato Paulista”, avisou o técnico Vanderlei Luxemburgo, que poupou alguns titulares neste domingo (o lateral-direito Denis e o zagueiro Antônio Carlos não foram utilizados, e o volante Cleber Santana e o atacante Rodrigo Tiuí entraram no segundo tempo) para preservar sua equipe para o jogo de quarta-feira.


Vídeos: (1) Globo Esporte e (2) Gols do Fantástico

Palmeiras 3 x 3 Santos

Data: 04/02/2007, domingo, 18h10
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 6ª rodada
Local: Estádio do Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 18.676 pagantes
Renda: R$ 314.490,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Cartões amarelos: Dininho (P); Neto e Zé Roberto (S).
Cartão vermelho: Wendel (P).
Gols: Osmar (28-1) e Osmar (39-1); Pedrinho (08-2), Edmundo (24-2, de pênalti), Kléber (33-2) e Jonas (34-2).

PALMEIRAS
Marcos; Dininho, Pierre, Edmílson e Paulo Baier (Marcelo Costa); Francis, Wendel, Edmundo e Michael (Martinez); Cristiano e Osmar (Leandro).
Técnico: Caio Júnior

SANTOS
Fábio Costa; Neto (Rodrigo Tiuí), Antônio Carlos, Adaílton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto (Rodrigo Tabata), Cléber Santana e Zé Roberto; Pedrinho e Marco Aurélio (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luemburgo



Em jogo de 6 gols, Palmeiras e Santos empatam no 1º clássico do Paulista

Numa partida emocionante, marcada por uma grande atuação de Edmundo, pelo oportunismo de Osmar, que fez dois gols, e pela reação do adversário, que chegou a estar perdendo por 3 a 1, Palmeiras e Santos empataram por 3 a 3, neste domingo, no estádio do Parque Antarctica, no primeiro clássico do Campeonato Paulista-2007.

Ao resgatar o empate, o Santos, líder do Estadual com 16 pontos, manteve a invencibilidade na temporada –são seis vitórias, uma pela fase preliminar da Taça Libertadores, e o empate de hoje.

Já o Palmeiras, que vinha de derrota para a Ponte Preta, soma onze pontos.

No Palmeiras, o técnico Caio Júnior cumpriu o que havia prometido e colocou Edmundo no lugar do chileno Valdivia –que está machucado e cumpria suspensão– com a função de organizar o ataque, lançando os atacantes Osmar e Cristiano.

Pelo lado santista, o técnico Vanderlei Luxemburgo armou a equipe no 4-4-2, com Neto atuando no lugar do lateral-direito Pedro, suspenso. No ataque, optou por escalar o ex-palmeirense Pedrinho ao lado de Marcos Aurélio.

E o início da partida foi bastante disputado. Com 1min, Marcos evitou o gol do Santos num chute forte de Maldonado. Aos 6min, o Palmeiras respondeu: o zagueiro Edmílson cobrou falta com violência e acertou o travessão de Fábio Costa.

O Palmeiras, apoiado por sua torcida, tentava chegar ao ataque apostando na velocidade de Cristiano, que falhava nas finalizações. Já o Santos esperava os contra-ataques.

Aos 27min, o time da casa abriu o placar. Michael fez ótima pela esquerda e cruzou para Osmar, que cabeceou sem defesa para Fábio Costa, 1 a 0.

Quatro minutos depois, o Palmeiras ficou perto do segundo gol. Após cruzamento da esquerda, Osmar, novamente de cabeça, ganhou da zaga do Santos, mas Fábio Costa se esticou e evitou o gol.

Aos 39min, não teve jeito para o Santos. Edmundo lançou a bola dentro da área, Antônio Carlos tentou cortar e, no rebote, Osmar bateu sem chances de defesa para o goleiro adversário.

O Palmeiras quase ampliou aos 44min, quando Edmundo, que fez um ótimo primeiro tempo, acertou a trave de Fábio Costa.

Na etapa final, o Santos voltou com uma novidade –o atacante Rodrigo Tiuí no lugar do lateral Neto– e bem mais disposto. Com dois minutos, Cléber Santana cabeceou forte e Marcos defendeu.

Com mais força no ataque, o Santos diminuiu aos 9min. Após cobrança de escanteio e de um desvio, Pedrinho apareceu livre dentro da área e só completou para o gol.

O Santos continuou pressionando o adversário em busca do empate, mas parando nas defesas do goleiro Marcos.

O Palmeiras foi mais eficiente. Aos 24min, Antônio Carlos derrubou Edmundo dentro da área e o árbitro Wilson Luiz Seneme marcou a penalidade. O próprio Edmundo bateu e marcou, deslocando Fábio Costa.

Mas o Santos não desistiu do jogo. Aos 32min, numa cobrança de falta, Kléber diminuiu –a bola tocou na barreira e enganou Marcos.

Apenas dois minutos depois, aconteceu o empate. Após cruzamento da esquerda, Rodrigo Tiuí cabeceou na trave. No rebote, Jonas só precisou empurrar para o gol, 3 a 3.

Para piorar, no lance seguinte, Wendel, que já tinha cartão amarelo, foi expulso. Mas o placar

Grêmio Barueri 1 x 2 Santos

Data: 17/01/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 1ª Rodada
Local: Estádio Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 9.469 pagantes
Renda: R$ 218.827,00
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado (SP)
Auxiliares: Ednílson Corona e Marcelino Thomaz de Brito (ambos de SP)
Cartões amarelos: Anderson Marques, Giba, André Bilinha e Júlio (GB); Adaílton e Pedro (S).
Gols: Zé Roberto (25-2), Marcos Dias (35-2) e Antônio Carlos (43-2).

GRÊMIO BARUERI
Gilvan; Edylton, Anderson Marques, Fabio Luiz, Giba, Nenê Miranda (Zeziel), André Bilinha, Júlio, Luciano Gigante (Júlio César), Pedrão e Tiago Humberto (Marcos Dias).
Técnico: Marcelo Villar

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton, Antônio Carlos, Ávalos (Jonas), Pedro, Maldonado (Rodrigo Tiuí), Cléber Santana, Zé Roberto, Kléber, Rodrigo Tabata (Rodrigo Souto) e Fabiano.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com dificuldade, Santos vence o Barueri na estréia no Paulista

Vencedor da última edição do Campeonato Paulista, o Santos venceu o Barueri por 2 a 1, nesta quarta-feira, no Parque Antarctica, em sua estréia no torneio estadual de 2007.

Apesar da vitória, o futebol apresentado pela equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo mantém a desconfiança sobre um time que perdeu muitos jogadores –o zagueiro Luiz Alberto e o atacante Reinaldo são os principais exemplos– e que apresentou reforços modestos.

Para esta temporada, a diretoria trouxe os zagueiros Antônio Carlos (ex-Juventude) e Adaílton (ex-Rennes), o lateral-direito Pedro e o volante Vinícius, ambos do Iraty, e o volante Rodrigo Souto (ex-Figueirense).

O atacante Marcos Aurélio, que seria o sexto reforço do time, ainda vive um imbróglio judicial com o Atlético-PR, clube que defendeu no último Campeonato Brasileiro, e não tem condições legais de estrear.

A necessidade de aumentar o poder ofensivo do Santos ficou evidente na partida de hoje. Mesmo com um time mais técnico, a equipe da Vila Belmiro teve dificuldades para atacar com perigo e permitiu ao Barueri realizar um jogo equilibrado.

Estreante na primeira divisão estadual, o clube da Grande São Paulo aproveitou a empolgação de novato e atuou de uma forma bastante ofensiva. Com velocidade, o clube do técnico Marcelo Vilar teve sua primeira chance de gol aos 21min e só não abriu o marcador graças a uma boa saída do goleiro Fábio Costa.

Três minutos depois, Zé Roberto recebeu lançamento pela esquerda e bateu cruzado. Gilvan deu rebote e dividiu com Rodrigo Tabata para evitar o gol santista.

Diante da necessidade de buscar ao menos um gol, Luxemburgo abriu mão do esquema com três zagueiros e voltou para o segundo tempo com Jonas no lugar de Ávalos. Mesmo com dois atacantes –apenas Fabiano havia iniciado o jogo–, o Santos continuou criando poucas oportunidades.

Para vencer, o atual campeão paulista contou com o meio-campista Zé Roberto, um dos poucos jogadores diferenciados de seu elenco, que recebeu passe de Fabiano e chutou cruzado para vencer Gilvan, aos 25min da etapa final.

Dez minutos depois, o Barueri se aproveitou de uma falha da defesa santista para empatar o jogo. Em jogada pela esquerda, Pedrão cruzou para Marcos Dias, totalmente livre de marcação, tocar para as redes de Fábio Costa.

Aos 43min, no entanto, o experiente zagueiro Antônio Carlos, 37, que atuou no Juventude no último Campeonato Brasileiro, aproveitou cruzamento em cobrança de falta pela esquerda e subiu para, de cabeça, garantir os três pontos do Santos.

Palmeiras 1 x 2 Santos

Data: 30/04/2006
Competição: Campeonato Brasileiro – 3ª rodada
Local: Estádio do Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 8.747 pagantes
Renda: R$ 137.045,00
Árbitro: Alicio Pena Junior (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Márcio Eustáquio Santiago (ambos de MG).
Cartões amarelos: Thiago Gomes e Michael (P); Magnum, Heleno e Reinaldo (S).
Cartões vermelhos: Cléber Santana (S)
Gols: Gamarra (20-2), Paulo Baier (22-2, contra) e Reinaldo (41-2).

PALMEIRAS
Sérgio; Thiago Gomes, Gamarra e Douglas (Alex Afonso); Paulo Baier, Marcinho Guerreiro, Wendel (Cristian), Edmundo e Márcio Careca (Michael); Marcinho e Washington.
Técnico: Marcelo Vilar

SANTOS
Fábio Costa; Manzur, Ronaldo Guiaro e Domingos; Neto, Heleno, Wendell (Cléber Santana), Rodrigo Tabata (Léo Lima) e Carlinhos; Geílson (Reinaldo) e Magnum.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Reservas do Santos batem Palmeiras, que continua na lanterna

O Santos saiu perdendo, mas virou e venceu o Palmeiras por 2 a 1, neste domingo, no Parque Antarctica, antes das decisões que as duas equipes terão durante esta semana. Com o resultado, os santistas também assumiram a liderança do Campeonato Brasileiro-2006.

Nesta quarta-feira, o Palmeiras enfrenta o São Paulo, no Morumbi, em jogo válido pelas oitavas-de-final da Taça Libertadores da América. No jogo de ida, houve empate por 1 a 1.

Também por 1 a 1, o Santos empatou sua primeira partida contra o Ipatinga, nas quartas-de-final da Copa do Brasil. No segundo jogo, que será disputado em Minas Gerais, nesta quarta-feira, o time de Vanderlei Luxemburgo precisa de uma vitória ou empate por mais de dois gols para garantir a classificação para a próxima fase da competição.

Por causa das importantes partidas desta semana, era esperado que os dois treinadores escalassem times mistos para o clássico.

Foi exatamente isso que Luxemburgo fez. O Santos entrou em campo com uma equipe repleta de reservas. Entre os jogadores que começaram o jogo, apenas Fábio Costa, Manzur e Ronaldo são considerados titulares.

Entretanto, Marcelo Vilar decidiu escalar os principais atletas do Palmeiras para a partida. Tudo porque a equipe paulistana havia perdido nas duas primeiras rodadas.

Apesar de contar com força quase total –Daniel, Juninho e Correa, machucados, foram desfalques, o Palmeiras fez um primeiro tempo apático, assim como o Santos.

Na segunda etapa, o jogo melhorou muito após o gol do Palmeiras e as modificações de Luxemburgo, que colocou os titulares Cléber Santana, Léo Lima e Reinaldo.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras enfrenta o São Caetano, fora de casa, no domingo. Já o Santos, que tem sete pontos na competição, recebe o Fortaleza, no estádio Bruno José Daniel, em Santo André, em jogo de portões fechados, no próximo sábado.

O jogo

Palmeiras e Santos fizeram um primeiro tempo muito fraco. A lentidão e a falta de ousadia das equipes deixavam claro que os jogadores estavam pensando nos jogos do meio de semana.

Assim, poucas foram as chances de gol na etapa inicial. Melhor na partida, o Palmeiras ficava com a bola, mas só conseguiu criar uma boa oportunidade, aos 33min, quando Paulo Baier recebeu belo passe de Marcinho, mas foi interceptado por Fábio Costa na entrada da pequena área.

No segundo tempo, o jogo parecia que continuaria o mesmo –o Palmeiras com a posse de bola, mas burocrático na maioria das suas ações ofensivas.

Mesmo assim, o time do técnico interino Marcelo Vilar quase abriu o marcador aos 14min, quando Marcinho chegou à linha de fundo e cruzou rasteiro para Washington, que bateu para grande defesa de Fábio Costa.

Aos 20min, o lance que mudou o jogo. Gamarra, após escanteio, abriu o marcador para o Palmeiras.

Na seqüência, Luxemburgo sacou Wendel, Rodrigo Tabata e Geílson e colocou em campo os titulares Cléber Santana, Léo Lima e Reinaldo.

Um minuto depois, o Santos empatou também em uma jogada de escanteio, que bateu nas costas de Paulo Baier e entrou.

A partir daí, o time da Baixada Santista cresceu na partida e começou a pressionar o Palmeiras. Sérgio fez grandes defesas, mas não conseguiu evitar a virada.

Aos 41min, Reinaldo ganhou na velocidade de Gamarra e tocou na saída de Sérgio, que ainda desvio, mas não impediu que a bola entrasse no gol palmeirense.

Com a derrota, o Palmeiras continua sem pontuar no Campeonato Brasileiro e ocupa a última posição da competição. O Santos, por sua vez, lidera o Nacional com sete, mesmo total de Fluminense e Internacional.