Navegando Posts marcados como Preto


Vídeo: (1) Melhores momentos e (2) reportagem do Globo Esporte.

Santos 3 x 1 Coritiba

Data: 06/07/2003, domingo, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.653 pagantes
Renda: R$ 70.872,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (FIFA PE)
Auxliares: Cid Bezerra Cavancante (PE) e Luciano Coelho Cruz (PE)
Cartões amarelos: Jerri e Alexandre (S); Reginaldo Nascimento, Lima e Tcheco (C).
Cartão vermelho: Willians (C)
Gols: Jerri (36-1); Fabiano (14-2), Preto (16-2) e Tcheco (36-2).

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo (Wellington), Preto, André Luís e Léo; Alexandre, Renato, Fabiano (Daniel) e Jerri; Nenê (Júlio César) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Emerson Leão

CORITIBA
Fernando; Odvan, Edinho Baiano e Reginaldo Nascimento; Jackson, Williams, Tcheco, Lima (Souza) e Adriano; Edu Sales (Ceará) e Marcel (Marlon).
Técnico: Paulo Bonamigo



Sem “estrelas”, Santos vence Coritiba e assume vice-liderança

Em noite inspirada, o Santos não tomou conhecimento do Coritiba neste domingo. Diante de sua torcida, na Vila Belmiro, os santistas atropelaram os paranaenses, vencendo o adversário por 3 a 1.

O alvinegro praiano não contou ainda com os jogadores Diego, Robinho, Alex e Paulo Almeida, que servirão a Seleção Brasileira Sub-23, que disputará o Copa Ouro neste mês, e Elano, machucado.

Além de interromper uma ótima seqüência do Coritiba, que não perdia havia sete partidas, o resultado colocou o Santos na vice-liderança do Campeonato Brasileiro com 30 pontos, um a menos do que o líder Cruzeiro e, também, um jogo a menos.

A boa apresentação santista serviu para enterrar de vez a derrota para os argentinos do Boca Juniors na final da Libertadores da América, quando a equipe deu adeus ao sonho do tricampeonato do torneio mais importante do continente.

Santos e Coritiba voltam a campo na quarta-feira. No clássico paulista, o Santos enfrenta o Corinthians e reedita a final do Campeonato Brasileiro do ano passado, quando sagrou-se campeão. Já o Coritiba, desfalcado, recebe o São Paulo em casa.

O jogo

O Santos começou a partida pressionando o adversário. Logo aos 2min, Nenê cobrou falta, mas a bola passou por cima do gol de Fernando.

Um minuto depois, boa jogada do Santos pela esquerda. Jerri tabelou com Léo pela esquerda, e chutou cruzado, rasteiro, para dentro da área. Fabiano ficou com a bola, mas concluiu mal, em cima da zaga do Coritiba.

O time paranaense só ofereceu perigo aos santistas aos 8min. Jackson arriscou de fora da área. A bola passou próxima à trave direita de Fábio Costa.

Aos 16min, Edu Sales lançou Marcel que, livre de marcação, tocou embaixo das pernas de Fábio Costa, quando o goleiro santista saía do gol. Preto salvou o que seria o primeiro gol do Coritiba quase em cima da linha. Os paranaenses voltaram a apertar o Santos aos 28min. Tcheco cruzou na área, mas Marcel cabeceou para fora.

Aos 36min, depois de pressionar o adversário, o Santos conseguiu abrir o placar. Nenê cruzou da esquerda e, após seqüência de erros da defesa do Coritiba, Jerri apareceu e chutou para o fundo da rede para abrir o placar para time da Vila Belmiro.

Os santistas quase ampliaram a vantagem aos 41min. Léo cobrou falta e a bola raspou o travessão, assustando o goleiro do Coritiba. Aos 45min, Tcheco cobrou falta na barreira e a bola sobrou para Lima, que chutou por cima do gol.

O Santos voltou com uma alteração para o segundo tempo. Wellington substituiu Reginaldo Araújo, que não fez um bom primeiro tempo.

A equipe santista continuou a pressionar o adversário na etapa final. Aos 5min, Jerri fez boa jogada e tocou para Ricardo Oliveira concluir. Fernando evitou o gol, mandando a bola para escanteio.

No lance seguinte, André Luís arriscou de longe, mas o goleiro do Coritiba defendeu novamente. As coisas melhoraram para o Santos aos 7min. Willians, que já tinha amarelo, fez falta violenta em Léo e foi expulso.

Fabiano, aos 11min, quase ampliou para a equipe do litoral paulista ao cabecear uma bola rente ao travesão. Nenê, aos 25min, fez boa jogada e na conclusão, mais uma boa defesa de Fernando.

Aos 14min, depois de tanto pressionar o adversário, o Santos fez o segundo gol. Nenê fez boa jogada na esquerda e cruzou no pé de Fabiano que, de primeira, ampliou o marcador.

Dois minutos depois, Nenê cobrou falta para o meio da área. Renato tentou, Fernando defendeu e, no rebote, Preto fez o terceiro do Santos na Vila Belmiro.

Com o placar elástico e dominando a partida, o treinador Emerson Leão decidiu analisar o comportamento de dois novos jogadores. Júlio César, que voltou à equipe após passar pelo futebol turco, fez sua reestréia no lugar de Nenê. Daniel, das categorias de base, substituiu Fabiano.

Mesmo com a goleada momentânea, o Santos continuou a dominar a partida e a criar diversas chances. Mas, em uma cobrança de falta indefensável, aos 36min, Tcheco descontou para o Coritiba, dando números finais à partida.

Santos 3 x 2 São Paulo

Data: 07/04/2002
Competição: Torneio Rio SP
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 9.762
Renda: R$ 89.620,00
Árbitro: Romildo Correa (SP)
Cartões amarelos: Reginaldo, Reinaldo, Kaká e Belletti (SP); Léo, Odvan e Renato (S).
Gols: Marcelo Silva (06-1), Michel (37-1); Reginaldo (13-2), França (25-2) e Preto (46-2).

SANTOS
Fábio Costa; Preto, Odvan e André Luis; Michel (Wellington), Marcelo Silva, Renato, Esquerdinha (Willian) e Léo; Diego e Douglas (Robinho).
Técnico: Celso Roth

SÃO PAULO
Rogério; Gabriel (Belletti), Reginaldo, Jean e Gustavo Nery; Maldonado (Júlio Batista), Fábio Simplício, Souza e Kaká (Lúcio Flávio); França e Reinaldo.
Técnico: Nelsinho Baptista



Santos vence e segue com chances; São Paulo se complica

Com um gol de Preto de cabeça, aos 46min do segundo tempo, o Santos bateu por 3 a 2 o São Paulo, em clássico muito disputado na Vila Belmiro e segue com chances matemáticas de classificação à semifinal do Rio-São Paulo.

Com a vitória, o time santista passa a somar 22 pontos ganhos, contra 24 de Fluminense e Vasco, terceiro e quarto colocados, respectivamente, e 23 do São Paulo, agora no quinto lugar e fora da zona de classificação.

O time do Morumbi agora não depende apenas de si para conquistar a vaga. Precisa vencer o seu jogo contra o Americano e torcer por um tropeço de Fluminense ou Vasco. Pior: foi a sua terceira derrota em clássicos no Rio-SP. Antes, havia perdido para o Palmeiras por 4 a 2, e para o Corinthians, por 3 a 1.

Marcelo Silva, Michel e Preto fizeram os gols dos santistas. Reginaldo e França descontaram.

No primeiro tempo, o São Paulo não conseguiu fugir à forte marcação exercida pelos jogadores santistas. Sem espaço para tocar a bola, os são-paulinos começaram a se irritar e a cometer faltas duras para conter os velozes contra-ataques do adversário.

A tática de explorar a irritação dos torcedores santistas, que costumam vaiar quando o time da casa enfrenta dificuldades em campo, acabou não dando certo, pois o gol do Santos saiu logo no início da partida.

Aos 6min, Diego bateu falta pela direita e cruzou na área. Marcelo Silva, mesmo marcado por Gustavo Nery, conseguiu cabecear e mandou no canto esquerdo baixo da meta de Rogério Ceni.

A equipe santista continuou melhor e criou algumas boas chances para ampliar depois de velozes contra-ataques. Aos 29min, o goleiro são-paulino fez defesa espetacular em cabeçada à queima-roupa de Douglas, totalmente livre na área.

Aos 37min, o lateral Michel arriscou um chute da intermediária e levou sorte. A bola desviou em Jean e entrou no ângulo superior direito de Rogério Ceni, que não teve chances de defesa.

Já na etapa complementar, o São Paulo beneficiou-se com a entrada de Julio Batista no ataque no lugar de Maldonado e com o cansaço dos santistas, que não conseguiram repetir a forte marcação do primeiro tempo e passaram a dar espaços à equipe adversária.

Depois de várias oportunidades seguidas, Souza bateu escanteio e Reginaldo subiu para cabecear, diminuindo o marcador, aos 13min: 2 a 1. Aos 25min, depois de mais um escanteio batido, França, do lado oposto da área, ajeitou no peito e fuzilou, sem chances de defesa para Fábio Costa, deixando tudo igual.

O São Paulo continuou pressionando, mas falhou nas finalizações. Para piorar, sofreu um duro castigo nos acréscimos da partida. Aos 46min, Diego bateu falta e Preto desviou de cabeça, encobrindo o goleiro Rogério Ceni e fazendo 3 a 2, para delírio da torcida santista.