Navegando Posts marcados como Prudentão

Santos 1 x 0 Fluminense

Data: 24/11/2013, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 36ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio Paulo Constantino, o “Prudentão”, em Presidente Prudente, SP.
Público: 4.369 pagantes
Renda: R$ 115.280,00
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (Fifa-AL)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas (DF) e Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL).
Cartões amarelos: Rhayner e Digão (F); Mena e Arouca (S).
Gol: Thiago Ribeiro (19-2).

SANTOS
Aranha; Cicinho (Bruno Peres), Edu Dracena, Gustavo Henrique e Mena (Emerson Palmieri); Alison (Alan Santos), Arouca, Cícero e Montillo; Thiago Ribeiro e Geuvânio.
Técnico: Claudinei Oliveira

FLUMINENSE
Diego Cavalieri; Igor Julião, Leandro Euzébio, Anderson e Digão; Edinho (Marcelinho), Jean e Wagner; Rhayner, Samuel (Valencia) e Rafael Sobis (Biro Biro).
Técnico: Dorival Júnior



Thiago Ribeiro garante vitória do Santos contra o ameaçado Fluminense

Atacante marcou o único gol da partida que garantiu a vitória por 1 a 0 da equipe santista. A derrota deixa o time carioca em situação complicada, com risco de rebaixamento

Com maior volume de jogo ao longo das duas etapas, o Santos sofreu para transformar em gol sua superioridade no duelo contra o Fluminende, válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro e disputado em Presidente Prudente, no interior paulista. O gol de Thiago Ribeiro, aos 19 minutos da segunda etapa, garantiu a vitória por 1 a 0 da equipe Claudinei Oliveira.

O resultado aumentou a pontuação do Santos na tabela de classificação. O time praiano agora aparece com 51 pontos somados. Por outro lado, o Fluminense viu sua permanência na primeira divisão se complicar, ao estacionar nos 42 pontos.

O jogo:

Após o apito inicial, jogadores de Santos e Fluminense se sentaram no gramado e cruzaram os braços, repetindo o protesto que aconteceu em todas as partidas deste sábado. O movimento foi orquestrado pelo movimento Bom Senso FC., que pleiteia, entre outras melhoras, a redução do calendário do futebol brasileiro e o aumento de férias e pré-temporada.

O Santos chegou pela primeira vez com perigo aos seis minutos. Em jogada pelo meio, a defesa tricolor rebateu errado e a bola sobrou para Alison, que finalizou rasteiro. Diego Cavalieri se esticou e conseguiu mandar a bola para escanteio. No lance seguinte, Montillo fez jogada pela ponta esquerda e rematou de fora, obrigando o arqueiro do Flu a realizar nova boa defesa.

Com maior volume de jogo e mais criativo, o Santos teve sua segunda chegada efetiva aos 25 minutos. Mena recebeu de Thiago Ribeiro e cruzou à meia-altura. No rebote, Montillo finalizou de esquerda e Diego Cavalieri fez a defesa sem dificuldades.

Outras duas oportunidades saíram dos pés de Thiago Ribeiro. Aos 29, o atacante saiu mano a mano com Leandro Euzébio, livrou-se de marcação, passou por Rhayner, mas finalizou em cima de Anderson. Quatro minutos mais tarde, o camisa 9 santista ganhou dividida com Igor Julião, puxou para o meio e finalizou, acertando o lado de fora da rede.

Aos 38 minutos, após boa troca de passes do ataque santista, Cicinho entrou na área e foi tocado por Anderson. Os santistas reclamaram de pênalti, mas o árbitro considerou normal o contato entre os jogadores. Indignado com a decisão do juiz Francisco Carlos Nascimento, Claudinei reforçou a reclamação, e acabou expulso de campo.

O segundo tempo começou em ritmo lento. A primeira chance real foi criada aos 17 minutos, quando Geuvânio recebeu bom lançamento de Montillo, livrou-se da marcação de Anderson e finalizou nos pés de Diego Cavalieri.

Dois minutos mais tarde, o placar foi aberto. Geuvânio tocou para Arouca, que entrou na área e rolou para Thiago Ribeiro. O camisa 9 santista só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes.

Aos 35, o Santos quase ampliou o marcador. Thiago Ribeiro fez jogada pela esquerda e rolou no meio para Cícero, que entrou na área, livrou-se de dois marcadores e finalizou. Diego Cavalieri se esticou e ainda viu a bola bater na trave.

Bastidores – Santos TV:

Atletas do Santos exaltam dignidade e profissionalismo após vencerem o Flu

Autor do gol que garantiu os três pontos à equipe paulista, o atacante Thiago Ribeiro disse que o time acabou compensado pela competência

Sem pretensões no Campeonato Brasileiro e já pensando no planejamento para 2014 – uma vez que o técnico Claudinei Oliveira já foi informado de que não permanecerá -, o Santos tinha todos os motivos para entrar desmotivado em campo neste domingo, contra o Fluminese. O que se viu em campo, no entanto, foi o contrário, e o Peixe se mostrou superior durante os 90 minutos da partida, que venceu por 1 a 0 .

“O profissionalismo tem que estar acima de tudo. Em um time grande como o Santos, temos que fazer o máximo para vencer”, disse o volante Arouca após a partida.

Autor do gol que garantiu os três pontos à equipe paulista, o atacante Thiago Ribeiro disse que o time acabou compensado pela competência.

“Quando você tem competência, a sorte anda ao lado. No primeiro tempo faltou capricho, mas também um pouquinho de sorte. No chute do Alison, no comecinho do jogo, o Cavalieri fez uma defesa espetacular. Pelo menos fizemos um (gol), o que é bom para terminar o ano de maneira digna”, declarou o camisa 9 santista.



Santos 1 x 2 Palmeiras

Data: 05/02/2012, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, SP.
Público: 25.933 pagantes
Renda: R$ 705.260,00
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Fábio Rogério Baesteiro (ambos de SP).
Cartões amarelos: Neymar e Pará (S); Cicinho (P).
Cartão vermelho: Ibson (S)
Gols: Neymar (25-2), Fernandão (43-2) e Juninho (46-2).

SANTOS
Rafael; Maranhão, Bruno Rodrigo, Durval e Pará; Henrique, Arouca, Elano (Ibson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico: Muricy Ramalho

PALMEIRAS
Deola; Cicinho (Ricardo Bueno), Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor e Valdivia (Daniel Carvalho); Luan (Maikon Leite) e Fernandão.
Técnico: Luiz Felipe Scolari



No fim, Palmeiras estraga festa de aniversário de Neymar

Atacante do Santos marca o centésimo gol da carreira, mas, com virada espetacular no fim da etapa final, Palmeiras vence por 2 a 1

A festa pelo vigésimo aniversário do atacante Neymar parecia perfeita. Com o 100° gol da carreira do camisa 11, o Santos vencia o clássico contra o Palmeiras até os 43 minutos do segundo tempo. No entanto, com gols de Fernandão e Juninho, o time do Palestra Itália virou o marcador e garantiu a vitória por 2 a 1, neste domingo, em Presidente Prudente.

Com o resultado, o Palmeiras, mais uma vez, confirma a fama de carrasco de Neymar. Nos últimos sete clássicos com o atacante santista em campo, a equipe do Palestra Itália venceu cinco e empatou dois.

Agora, pela próxima rodada do Campeonato Paulista, o Palmeiras recebe o XV de Piracicaba, na quarta-feira, às 21h50 (horário de Brasília), no Pacaembu. Já o Santos, na quinta-feira, às 21h, enfrenta o Botafogo de Ribeirão Preto, no Estádio Santa Cruz.

O jogo

Apesar da discussão com Elano, na última quinta-feira, depois do empate contra o Oeste, o técnico Muricy Ramalho manteve o meia no time titular. Já Luiz Felipe Scolari, preocupado com o poder ofensivo do rival, reforçou a marcação e escalou o time com o volante João Vitor na vaga do meia Patrik.

Apostando suas fichas nas jogadas armadas por Valdivia, o Palmeiras criou o primeiro lance de perigo aos seis minutos O chileno achou o atacante Luan livre dentro da área, mas o goleiro Rafael conseguiu afastar o perigo.

Apenas aos 20 minutos, o Santos ameaçou a meta defendida por Deola. Depois de troca de passes entre Neymar e Ganso, Elano recebeu a bola e soltou a bomba cruzada de fora da área. Ligado no lance, o goleiro palmeirense, com as pontas dos dedos, mandou para fora.

Por causa do forte calor em Presidente Prudente, as duas equipes diminuíram o ritmo e passaram quase 20 minutos sem criar nada. No fim da primeira etapa, Valdivia sentiu lesão na coxa direita e foi substituído por Daniel Carvalho. Em sua primeira jogada no clássico aos 43, o camisa 83 do Palmeiras fez fila e parou na boa defesa de Rafael.

Na saída para o intervalo, Neymar reclamou do calor e falou sobre as seis faltas sofridas. “Está muito quente e horrível para jogar. Sobre as faltas, não tenho muita coisa para falar, mas está complicado”, disse o camisa 11.

Na volta para o segundo tempo, Muricy Ramalho sacou o atacante Borges, com dores musculares, para a entrada de Alan Kardec, autor de quatro dos seis gols da equipe na competição.

Com o freio de mão puxado, Santos e Palmeiras seguiram sem atacar durante os primeiros minutos. Apenas em jogada de bola parada aos 12, a equipe de Luiz Felipe Scolari arriscou o primeiro chute, com Marcos Assunção.

Diferentemente da primeira etapa, quando as equipes voltaram pior após a parada técnica para beber água, o descanso na etapa final ajudou.

Aos 23, Marcos Assunção cruzou na segunda trave, Luan bateu de primeira e Rafael fez boa defesa.
No minuto seguinte, Ganso cobrou falta na área e Neymar testou com estilo no canto, sem chance para o goleiro Deola: 1 a 0.

Com a desvantagem no placar, o Palmeiras não perdeu tempo e foi para cima. Aos 27, Daniel Carvalho deu passe açucarado para Maikon Leite. O atacante invadiu a área e tocou por cima de Rafael. No entanto, quase em cima da linha, Maranhão cortou para fora.

Nos minutos finais, Ibson foi exppulos. E, aos 43 minutos, Marcos Assunção cobrou escanteio e Fernandão, de cabeça, deixou tudo igual. Depois, aos 46, quando tudo indicava que o clássico terminaria empatado, Juninho cruzou rasteiro, a bola bateu em Maranhão e morreu no fundo do gol: 2 a 1.

Grêmio Prudente 2 x 4 Santos

Data: 23/01/2011, domingo, 17h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio Prudentão, em Presidente Prudente, SP.
Público: 6.670 pagantes
Renda: R$ 225.540,00
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: David Botelho Barbosa e Maiza Teles Paiva
Cartões amarelos: Wescley e Rômulo (GP); Edu Dracena, Keirrison e Rodriguinho (S).
Gols: Elano (13-1) e (22-1); Keirrison (09-2) e Maikon Leite (16-2). Rômulo (28-2) e Bruno Ribeiro (38-2).

GRÊMIO PRUDENTE
Sidney; Anderson Luís, Wescley e Douglas; Wanderson Cafu (Bruno Ribeiro), Anderson Pedra, Alceu (Daniel), William (Jandson) e Saldanha; Romulo e Rhayner. Técnico: Rogério Micale
Técnico: Fábio Giuntini.

SANTOS
Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo (Rodrigo Possebom); Adriano, Pará e Elano (Rodriguinho); Róbson, Keirrison (Moisés) e Maikon Leite. Técnico: Adilson Batista.
Técnico: Adilson Batista



Elano faz 2, Santos vence Prudente e segue 100% no Paulista

Mesmo com os desfalques de Neymar e Paulo Henrique Ganso, o Santos segue dando show no Campeonato Paulista. Neste domingo, a equipe comandada por Adilson Batista venceu o Grêmio Prudente por 4 a 2, no Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, manteve os 100% de aproveitamento e, consequentemente, a liderança na competição estadual. Elano, por duas vezes, Keirrison e Maikon Leite anotaram para os visitantes. Rômulo e Bruno Ribeiro descontaram.

Dominado por completo pelo Santos, o confronto deste domingo marcou o reencontro de Elano com o gol no time da Vila Belmiro. Contratado para esta temporada, o meia, que defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, marcou os dois primeios gols, um deles de pênalti, e fez a torcida do clube alvinegro “esquecer” dos desfalques de Ganso, que ainda se recupera de uma lesão no joelho, e Neymar, que defende o País no Sul-Americano Sub-20.

Os dois gols de Elano abriram o caminho para o Santos chegar aos nove pontos na competição, sendo, de longe, o melhor desempenho da competição – a equipe de Adilson Batista tem o melhor ataque com 11 gols. O Prudente, por outro lado, prossegue na zona de rebaixamento, sem ainda somar pontos no Estadual.

Embalado, o Santos volta a campo na próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), para enfrentar o São Caetano. Já o Grêmio Prudente tentará obter o primeiro ponto na temporada na quinta-feira, às 21h, diante do Botafogo-SP.

O jogo

Sem Zé Eduardo, liberado da concentração na manhã deste domingo para acertar sua negociação com o Genoa-ITA, Adilson Batista promoveu a entrada de Keirrison e manteve a postura ofensiva dos dois primeiros encontros deste Paulista. Logo nos primeiros minutos, a superioridade técnica da equipe visitante foi imposta e o Prudente, embora atuasse em casa, sofria com um bom volume do jogo do time praiano.

Melhor em campo, o Santos não demorou para abrir o marcador. Logo aos 13min, Elano reencontrou as redes com a camisa alvinegra. Róbson deu belo passe para o meio-campista, que, com categoria, deslocou o goleiro Sidney para anotar o primeiro gol desde o retorno à Vila Belmiro.

A vantagem santista no marcador obrigou o Grêmio Prudente a se expor dentro de campo. Com mais espaço para atacar pelas pontas, o Santos seguiu dominando a partida. As boas jogadas laterais, especialmente com Maikon Leite pela esquerda, aproximavam a equipe de Adilson Batista do segundo gol, que não demorou para sair no Estádio Eduardo José Farah.

Aos 21min, Wanderson Cafu cometeu falta em Maikon Leite fora da área. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira marcou pênalti. Na cobrança, Elano deslocou novamente o goleiro adversário e saiu para comemorar o segundo gol dos visitantes.

A grande diferença técnica, e no marcador, tranquilizou o Santos dentro de campo. A equipe visitante diminuiu o ritmo e quase sofreu as consequências aos 42min. Rhayner chutou colocado, da entrada da área, e obrigou o goleiro Rafael a fazer uma grande defesa.

O susto acordou o Santos. No último minuto da primeira etapa, Róbson cobrou escanteio da esquerda e por pouco não marcou um gol olímpico. A bola caprichosamente tocou o poste direito prudentino e saiu pela lateral, no último lance de perigo do tempo inicial.

O descanso do intervalo serviu para o Santos recarregar o ímpeto exibido nos primeiros 45min. Logo aos 9min, o time alvinegro decretou a vitória fora de casa. Após cruzamento da direita de Jonathan, Róbson chutou cruzado e viu Sidney espalmar para dentro da área. Na sobra, Keirrison tocou de pé direito e anotou o terceiro.

Embora com os três pontos assegurados, o Santos seguiu pressionando o Prudente. A extrema superioridade individual e coletiva santista impedia o Grêmio Prudente de tentar qualquer reação.

Já entrosados na equipe, nomes como Róbson e Maikon Leite, destaques do time ao lado de Elano neste domingo, novamente brilharam aos 16min. O meia, em jogada ensaiada, apenas rolou para o atacante arrematar firme de dentro da área, marcando o quarto gol.

A goleada construída obrigatoriamente fez o Santos diminuir a intensidade. Sem Elano e Léo, o clube de Vila Belmiro viu a equipe da casa descontar. De pênalti, marcado após o árbitro flagrar um “puxão” em Jandson, Rômulo chutou no meio do gol e não deu chances a Rafael.

Animado com o gol, o Prudente buscou a pressão nos minutos finais e foi recompensado aos 38min. Bruno Ribeiro cobrou escanteio direto para o gol e contou com a colaboração do goleiro santista para comemorar timidamente o segundo tento prudentino. Nada que arriscasse a terceira vitória do clube litorâneo na competição.

Grêmio Prudente 1 x 2 Santos

Data: 01/08/2010, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 12ª rodada
Local: Estádio Eduardo José Farah, o Prudentão, em Presidente Prudente, SP.
Público: 15.890 pagantes.
Renda: R$ 213.350,00.
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (Asp.Fifa-RJ)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartões amarelos: Anderson Luis, Paulo César, Wesley, João Vitor, Marcelo Oliveira, Leonardo (GP); Bruno Aguiar, Zezinho, Léo e Danilo (S).
Gols: Danilo (05-1); Rodriguinho (21-2) e Róbson (38-2).

GRÊMIO PRUDENTE
Giovanni; Paulo César, Anderson Luís, Leonardo e Marcelo Oliveira; Anderson (Henrique Dias), João Vitor, Diego Giaretta (Róbson) e Deyvid Sacconi (Araújo); Wesley e Wanderley.
Técnico: Toninho Cecílio

SANTOS
Rafael; Maranhão, Bruno Aguiar, Vinícius Simon e Léo; Rodriguinho, Danilo, Marquinhos (Alan Patrick) e Zezinho (Rafael Caldeira); Madson (Dimba) e Zé Eduardo.
Técnico: Dourival Júnior



Prudente perde dois pênaltis, e reservas do Santos vencem duelo no interior

Com o time titular poupado em função da decisão de quarta-feira contra o Vitória, pela Copa do Brasil, o Santos contou com dois pênaltis desperdiçados pelo Grêmio Prudente no final da partida (um deles defendido por Rafael e outro no travessão) para vencer o duelo por 2 a 1 neste domingo, no estádio Prudentão, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A vitória faz com que o time santista se aproxime do G-4, subindo para 18 pontos e ficando a apenas dois do Ceará, quarto colocado. Em situação oposta, o Grêmio Prudente termina a rodada a apenas dois pontos da zona de rebaixamento, na 14ª colocação, e encerra sua invencibilidade neste Brasileiro no Prudentão.

Aliás, caso leve a melhor diante do Vitória na quarta-feira, o Santos pode comemorar seu segundo título em menos de uma semana. Na tarde deste domingo, o time da Baixada Santista superou o Flamengo na disputa por pênaltis (após um emocionante empate por 2 a 2 no tempo normal) e sagrou-se campeão da Supercopa de futebol júnior, disputada em Barueri.

Depois da decisão contra o Vitória pela Copa do Brasil, no meio da semana, o Santos recebe o Internacional na Vila Belmiro, no próximo domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Já o Grêmio Prudente visita o Cruzeiro, em Ipatinga, no mesmo dia.

O jogo

O início da partida em Prudente mostrou que o fato de o Santos ter entrado com o time reserva não facilitaria a vida do Grêmio Prudente. Logo aos 2min, uma bomba de Marquinhos de fora da área tirou tinta do travessão do gol de Giovanni. Na próxima conclusão, a bola balançou as redes. Danilo pegou sobra na entrada da área e bateu forte no canto direito do goleiro do Prudente, aos 6min.

O duelo continuou ‘santista’ no começo da disputa. Aos 11min, Zé Eduardo recebeu passe em profundidade, invadiu a área com liberdade pelo lado direito e bateu forte, para boa defesa do goleiro Giovanni. Somente a partir daí que o Grêmio Prudente começou a entrar no jogo e parou de ceder ataques perigosos ao adversário. Porém, suas jogadas ofensivas paravam na bem postada defesa santista.

Mesmo perdendo a posse de bola e cedendo campo ao Prudente, o Santos voltou a criar ótima chance e assustou novamente com Zé Eduardo, em cabeceada à queima-roupa após cruzamento da direita. Giovanni apareceu novamente e fez ótima defesa. Aliás, o goleiro do time anfitrião seguiu como destaque na primeira etapa, salvando sua equipe em uma cobrança de falta do zagueiro Bruno Aguiar.

Já aos 37min, Giovanni contou com a sorte em chute de Marquinhos que acertou o travessão, em outra cobrança perigosa de falta a favor do Santos. “Foi mérito do Danilo, que acertou um belo chute. Mas o time não se abateu e seguiu bem no jogo. Precisamos manter a pegada e acertar na finalização”, analisou o meia Deyvid Sacconi, na saída para o intervalo.

E o próprio Sacconi foi quem criou a primeira boa chance do segundo tempo, em chute de fora da área. Desta vez, foi o goleiro Rafael quem apareceu, fazendo a defesa e salvando o Santos. Aos 7min, o time de Dorival Júnior respondeu com muito perigo. Em rápido contra-ataque, Mádson avançou pela esquerda, invadiu a área e bateu cruzado; a bola bateu caprichosamente na trave.

Quando o jogo apresentava certo equilíbrio na segunda etapa, Rodriguinho marcou um gol de placa no Prudentão, aos 21min. O volante santista recebeu assistência de Marquinhos e, sem deixar a bola cair, de fora da área, acertou uma bomba de perna direita, no canto direito do goleiro Giovanni.

A partir daí, o Prudente partiu para o ataque e diminuiu o placar aos 38min, com Róbson, aproveitando cruzamento da esquerda e mandando de cabeça para o gol. O time reserva do Santos não conseguiu segurar a pressão e Léo cometeu pênalti. Porém, brilhou a estrela do goleiro Rafael, que defendeu a cobrança de Róbson aos 41min.

Já nos acréscimos, outro pênalti para o Prudente, este cometido pelo volante Danilo. Desta vez, Róbson acertou o travessão e desperdiçou novamente a chance do empate.

Santos 2 x 1 Goiás

Data: 14/11/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 41ª rodada
Local: Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, SP.
Público: 20.344
Renda: R$ 261.576,00
Árbitro: Luís Antonio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: Carlos Henrique A. de Lima e João Luís R. Magalhães (ambos do RJ).
Cartões amarelos: Leonardo (S); Josué, Renato, Danilo e Cléber (G).
Cartão vermelho: Renato (G)
Gols: Paulo Baier (10-1); Basílio (39-2) e William (40-2).

SANTOS
Mauro; Leonardo, Ávalos e André Luís (William); Paulo César, Fabinho, Elano (Marcinho), Flávio (Luís Augusto) e Léo; Basílio e Deivid.
Técnico: Wanderley Luxemburgo

GOIÁS
Harley; André Dias, Renato e Asprilla; Paulo Baier (Tiago), Danilo Portugal, Josué, Rodrigo Tabata e Jadílson; Alex Dias (Douglas) e Leandro (Cléber).
Técnico: Celso Roth



Sem Robinho, Santos bate o Goiás e mantém perseguição ao Atlético-PR

Mesmo sem Robinho, que passa por problemas particulares (sequestro de sua mãe), o Santos venceu o Goiás, de virada, por 2 a 1, neste domingo, atuando no estádio Eduardo José Farah, o Farazão, em Presidente Prudente, pela 41ª rodada do Brasileiro.

Com o resultado, o time retomou o segundo posto na tabela de classificação, agora com 76 pontos. O líder, Atlético-PR, que neste domingo venceu o Criciúma por 6 a 1, tem 78.

No sábado, o Santos havia perdido a vice-liderança provisoriamente para o São Caetano, que goleou o Cruzeiro (4 a 1), no ABC.

Embora o treinador tivesse confirmado a presença de Robinho –artilheiro do time com 21 gols–, a decisão de não jogar coube ao próprio atleta, que preferiu permanecer em Santos, decisão confirmada momentos antes da partida. Basílio entrou em seu lugar.

O jogo

O time da Baixada Santista atuou em Presidente Prudente em razão da perda de mando de campo por dois jogos imposta pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

O primeiro tempo foi bastante movimentado, com direito a um gol bastante contestado pelos santistas e um jogador do Goiás expulso.

O juiz Luís Antônio Silva Santos viu pênalti do zagueiro André Luís sobre o meia Josué, aos 6min, que revoltou os jogadores da Vila Belmiro. Um minuto depois, o lateral Paulo Baier cobrou no canto esquerdo do goleiro Mauro, que ficou parado no meio do gol: 1 a 0.

O Santos ainda perdeu o meia Elano, contundido, aos 26min. Em seu lugar entrou Marcinho. Em compensação, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo comemorou o cartão vermelho dado para o zagueiro Renato, do Goiás, aos 33min.

Com um homem a mais em campo, Luxemburgo decidiu pressionar o Goiás. Para isso, sacou André Luís, aos 42min, para a entrada do atacante William, mudando o esquema do 3-5-2 para o 4-4-2.

Na etapa final, a blitz santista entrou em ação a partir dos 39min, quando Basílio marcou o gol de empate, depois de uma confusão dentro da pequena área: 1 a 1. Aos 41min, foi a vez de William anotar, de cabeça, depois do cruzamento de Marcinho, para fazer 2 a 1.