Navegando Posts marcados como Ressacada

Avaí 1 x 2 Santos

Data: 06/11/2019, quarta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 31ª rodada
Local: Estádio Ressacada, em Florianópolis, SC.
Público: 4.820 pagantes
Renda: R$ 144.580,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone e Lilian da Silva Fernandes Bruno (ambos do RJ).
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Luanderson, Léo, Richard Franco, Igor Fernandes e Gegê (A); Gustavo Henrique e Luiz Felipe (S).
Cartões vermelhos: Léo (A) e Gustavo Henrique (S).
Gols: Eduardo Sasha (08-1), Marinho (23-1) e João Paulo (34-1).

AVAÍ
Lucas Frigeri; Eduardo Kunde, Betão e Zé Marcos (João Paulo); Léo, Luanderson (Gegê), Pedro Castro, Richard Franco, Julinho (Vinícius Araujo) e Igor Fernandes; Jonathan.
Técnico: Evando Camillato

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Derlis González) e Felipe Jonatan (Alison); Marinho, Soteldo (Luiz Felipe) e Eduardo Sasha.
Técnico: Jorge Sampaoli



Santos sofre com expulsão, mas vence o Avaí na Ressacada

O Santos sofreu, mas venceu o lanterna Avaí por 2 a 1 nesta quarta-feira, na Ressacada, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Eduardo Sasha e Marinho. João Paulo descontou para o Léo.

O Peixe começou bem a partida, abriu 2 a 0 com certa facilidade e “sentou” na vantagem. O Avaí cresceu, diminuiu ainda no primeiro tempo e pressionou depois da expulsão de Gustavo Henrique, aos 17 minutos na etapa final. No fim, Léo foi expulso e deixou ambas as equipes com 10.

O Santos segue na terceira colocação, agora com 61 pontos, perto da vaga direta na Libertadores da América em 2020. O Avaí segue na última colocação, com 17.

O jogo

O Santos controlou o jogo desde o primeiro minuto e aproveitou bem as chances para abrir 2 a 0 diante do Avaí no placar do Estádio Ressacada.

Aos 8 minutos, em escanteio ensaiado, Carlos Sánchez bateu rasteiro, Felipe Jonatan fez o corta-luz e Marinho bateu fraco. Eduardo Sasha aproveitou a sobre para vencer Lucas Frigeri.

No minuto 23, Marinho recebeu pela direita e, na sua tradicional jogada, cortou para a esquerda, driblou e bateu bonito de fora da área. Gol semelhante ao da vitória sobre o Botafogo.

O gol, porém, “fez mal” ao Peixe. Os visitantes recuaram e viram o Avaí crescer. Aos 34, João Paulo acertou um lindo chute de longe para diminuir. Cinco minutos depois, Jonathan teve chance de empatar e parou em Everson.

“Não está acontecendo nada. Depois de fazer os gols, não mantivemos a mesma intensidade. Temos que ouvir Sampaoli e voltar 110%”, disse Marinho, ao Premiere, antes de ir para o vestiário.

O Santos seguiu mal nos 45 minutos finais, mas via o Avaí esbarrar na sua falta de criatividade. E no minuto 17, o jogo virou um drama para o Peixe. Diego Pituca errou e cedeu contra-ataque. Gustavo Henrique vacilou na marcação e teve de expulsar Jonathan, que só pararia no gol. Expulsão para o zagueiro do Alvinegro.

O Santos se fechou na defesa e o cenário mudou completamente para o Avaí. Aos 26, Vinicius cruzou rasteiro e Gegê, livre, furou na marca do pênalti. No minuto 38, Vinicius Araújo foi travado na hora H por Lucas Veríssimo na pequena área. Logo na sequência, Léo recebeu o segundo cartão amarelo e os dois times ficaram com 10.

Os visitantes “furaram a bola” nos minutos finais e garantiram mais três pontos. Terceira vitória consecutiva do Peixe no Brasileirão.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli valoriza vitória do Santos na Ressacada: “Adversário difícil aqui”

O técnico Jorge Sampaoli valorizou a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Avaí nesta quarta-feira, na Ressacada, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe começou bem, mas caiu de rendimento após marcar o segundo gol e sofreu até o minuto final.

“Começamos bem, mas depois, em uma jogada esporádica, o Avaí conseguiu diminuir. O estímulo do gol fez com que eles passassem a ser superiores. No segundo tempo, ficou mais complicado depois da expulsão. Avaí sempre foi um adversário difícil para todos aqui”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli optou por Felipe Jonatan na vaga de Evandro. Improvisado no meio-campo, o lateral-esquerdo foi substituído por Alison no intervalo.

“Evandro havia atuado em dois jogos seguidos. Preferimos colocar um jogador mais fresco no meio para ter aparições surpresa de trás. Depois, se complicou e corrigimos com um sistema diferente. As rotações vão continuar acontecendo”, afirmou.

“Tivemos que modificar depois da mudança sistemática do Avaí (tirou um dos zagueiros), colocando Alison com o Pituca no meio. João Paulo entrou muito bem nas costas do nossos volantes. Corrigiu bem, mas depois se complicou com a expulsão (do Gustavo Henrique). O mais importante é que conseguimos uma vitória”, emendou.

Jorge Sampaoli manteve o discurso e evitou falar sobre título. O Flamengo está a 10 pontos e enfrentará o Botafogo nessa quinta-feira. O Palmeiras é o segundo, com cinco a mais.

“Estamos focados em deixar o Santos no lugar mais alto. Vamos jogo a jogo, vendo quantos pontos somamos. Passamos a barreira dos 60 pontos e isso nos deixa muito felizes. Depois veremos onde terminamos. Importante é ganhar sábado. Cada jogo será uma final”, concluiu.

O Santos voltará a campo para enfrentar o Goiás, sábado, no Serra Dourada, pela 32ª rodada do Brasileirão. O Peixe treinará nesta quinta no CT do Avaí e na sexta no campo do Atlético-GO, sem voltar para São Paulo até domingo.


Avaí 0 x 0 Santos

Data: 06/08/2017, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 19ª rodada
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC.
Público: 5.939 pessoas
Renda: R$ 158.840,00
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Auxiliares: Oberto da Silva Santos e Kildenn Tadeu Morais de Lucena (ambos da PB)
Cartões amarelos: Alemão e Judson (A); Lucas Veríssimo (S).

AVAÍ
Douglas; Leandro Silva, Alemão, Betão e Capa; Judson, Simião (Willians), Juan (Rômulo) e Pedro Castro; Junior Dutra e Joel (Luanzinho).
Técnico: Claudinei Oliveira

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Noguera e Zeca; Alison, Renato (Léo Cittadini) e Jean Mota; Copete (Thiago Ribeiro), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Kayke).
Técnico: Levir Culpi



Santos fica no zero com o Avaí e fecha turno no terceiro lugar

O Santos não teve uma grande apresentação na noite deste domingo, contra o Avaí, no estádio da Ressacada, mas ficou perto de conquistar uma vitória nos domínios do adversário. Mesmo sem apresentar um bom futebol, o time paulista parou duas vezes no travessão no empate sem gols com os catarinenses.

Com o resultado, o Peixe chega a 35 pontos somados nas 19 rodadas do primeiro turno, na terceira colocação, e vê tanto o líder Corinthians (47) quanto o vice Grêmio (39) se distanciarem. O Palmeiras, porém, perdeu para o Furacão e agora está três pontos atrás. O Leão, por sua vez, fecha a metade da competição com 18, na 19ª posição. quatro pontos atrás da Chapecoense, primeiro time fora da degola.

O primeiro tempo pôde ser dividido igualmente para as duas equipes, com a metade inicial sendo toda do Santos e a final, dominada pelo Avaí. Apostando nas investidas de Bruno Henrique, o Peixe conseguiu chegar com perigo na base da habilidade do camisa 27, sempre indo para cima de Leandro Silva. O melhor lance, no entanto, veio com uma bela contribuição dos mandantes.

Aos 15 minutos, a bola foi alçada na área justamente por Bruno e Alemão desviou para cima. A bola continuou viva e, em disputa com Ricardo Oliveira, Alemão ganhou de novo, mas mandou para trás. Douglas, que estava adiantado, se esticou para alcançar, mas a redonda bateu no travessão. Na volta, o próprio Alemão afastou.

Depois dos 20 minutos, porém, o Avaí percebeu a possibilidade de se aproveitar dos avanços de Bruno Henrique, que demorava a recompor, investindo pela direita. Nos dois melhores lances, Joel foi derrubado por Noguera após cruzamento, mas o juiz não marcou pênalti, e Juan, após confusão, chutou rasteiro, carimbando a trave de Vanderlei.

Sem alterações no placar, os dois treinadores voltaram para o segundo temo confiantes que apenas uma das metades dos 45 minutos iniciais ia se repetir, sem promoverem quaisquer substituições. Quem quase foi premiado acabou sendo Levir. Aos seis, ele viu Zeca pegar chute de primeira após sobra, na entrada da área, e carimbar o travessão.

Pouco depois, porém, quase que os donos da casa conseguiram o seu gol, quando Capa cruzou rasteiro, a bola cruzou a frente de Vanderlei e saiu sem ninguém encostar. A resposta veio com Ricardo Oliveira, que chutou forte, mas a bola passou perto da trave.

O jogo seguiu sem grandes movimentações, mesmo com as substituições dos treinadores. Até o apito final, cada lado teve uma chance de ter a vitória. O Peixe em um cruzamento para Bruno Henrique, que Alemão tirou na hora exata. O Avaí em contra-ataque, já nos acréscimos, quando Willians serviu Júnior Dutra e o avante parou em boa defesa de Vanderlei.


Avaí 1 x 1 Santos

Data: 10/05/2015, domingo, 18h30.
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC.
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª rodada
Público: 7.677 pagantes
Renda: R$ 138.100
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Auxiliares: Marcio Gleidson Correia Dias e Lucio Ipojucan Ribeiro da Silva de Mattos (ambos do PA).
Cartões amarelos: Anderson Lopes e Eltinho (A); Cicinho (S).
Cartão vermelho: Gustavo Hernique (S)
Gols: Robinho (26-1) e Marquinhos (18-2).

AVAÍ
Vagner; Pablo, Antonio Carlos, Jéci e Eltinho; Uelliton, Renan, Renan Oliveira (Roberto) e Marquinhos; André Lima e Anderson Lopes (Everton Silva).
Técnico: Gilson Kleina

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Werley (Gustavo Henrique), David Braz e Chiquinho (Cicinho); Valencia, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabriel), Robinho e Ricardo Oliveira.
Técnico: Marcelo Fernandes



Peixe cai no segundo tempo e cede empate ao Avaí na Ressacada

O Santos tinha tudo para começar o Campeonato Brasileiro com o pé direito, mas ficou apenas no 1 a 1 com o Avaí, no estádio da Ressacada, em Florianópolis. Marcelo Fernandes mandou a campo o time Campeão Paulista para enfrentar uma equipe que por pouco não caiu no Estadual de Santa Catarina e é forte candidata ao rebaixamento no Nacional. Porém, depois de um primeiro tempo tranquilo e dominado pelos paulistas, que abriram o placar com o craque Robinho, o Santos caiu de produção e viu Roberto entrar na etapa complementar para mudar o rumo da partida.

Na base da raça, o Avaí chegou ao empate com Marquinhos, após bela cobrança de falta e só não alcançou a virada porque Vladimir fez uma linda defesa já nos minutos finais. O empate na primeira rodada do campeonato Brasileiro acabou com um gosto amargo para os santistas e mostrou que o Leão terá de melhorar muito para evitar mais uma queda, apesar da competição ainda estar apenas começando.

O jogo

Encorajado pela vitória na última quarta, em cima do arquirrival Figueirense, o Avaí começou a partida como todo mandante deve fazer: buscando a marcação sob pressão e tomando a iniciativa. Desta forma, por pouco não chegou ao gol aos 3 minutos com Marquinhos, ex-Santos. O camisa 10 acertou um belo chute de fora da área e viu a bola explodir no travessão.

Apesar do susto, rapidamente o Peixe fez prevalecer a superioridade técnica e passou a ficar mais tempo com a bola.

Ricardo Oliveira teve duas chances de abrir o placar. Primeiro depois de jogada individual de Geuvânio, pela direita, que o centroavante não conseguiu finalizar. Na segunda, o camisa 9 aproveitou a ‘linha burra’ na zaga do Leão e ficou em condição de chutar, porém, pegou mal na bola.

A partida teve uma queda de rendimento após os 15 minutos em função dos muitos erros de passes das duas equipes. Os goleiros eram apenas espectadores até os 26 minutos, quando Robinho resolveu pôr fogo no jogo.

Lucas Lima começou a jogada com boa enfiada de bola para Victor Ferraz. O lateral santista aprofundou e só rolou para trás. A zaga do Avaí correu toda para dentro da pequena área e apenas pôde assistir Robinho bater, sozinho, de primeira, para abrir o marcador.

O carque ainda teve uma grande chance de ampliar cinco minutos depois, mas perdeu o tempo de bola já dentro da área. O castigo só não veio porque Marquinhos, depois de receber boa bola de Renan, também dentro da área, desperdiçou a oportunidade do empate ao tentar encobrir Vladimir.

O último lance de perigo da primeira etapa aconteceu com Ricardo Oliveira. Novamente mais esperto que os zagueiros, o experiente jogador partiu em direção ao gol, mas adiantou muito ao limpar o goleiro Vagner. Na sequência, Oliveira ainda cortou o zagueiro adversário e bateu forte, mas Vagner, já de volta à meta, fez boa defesa.

O segundo tempo teve um início frio, de pouca criatividade. O Avaí não parecia encontrar forças para buscar o empate e o Peixe se acomodou com a vantagem mínima.

No entanto, a entrada de Roberto na vaga de Renan Oliveira mexeu com o jogo. O rápido atacante levou o Leão ao ataque e inflamou a torcida da casa.

Aos 13 minutos, Marquinhos e Pablo fizeram boa jogada, que acabou com a finalização para fora de André Lima.

Aos 16, Roberto recebeu, driblou o marcador e deixou Anderson Lopes livre. O atacante do Avaí, entretanto, bateu por cima do gol e desperdiçou uma oportunidade incrível. Dois minutos depois, de novo Roberto infernizou os defensores alvinegros e sofreu falta próxima a linha da grande área. Na cobrança, Marquinhos bateu com categoria e, mesmo com o toque de Vladimir na bola, empatou para o Avaí.

O Santos, diferente do segundo tempo, não conseguia manter a posse de bola por muito tempo e passou a apostar nos contra-ataques, mas esbarrava na falta de inspiração de Ricardo Oliveira e Geuvânio. Robinho também sofria para aparecer, já que a bola pouco chegava a seus pés e Lucas Lima, apesar de estar bem no jogo, ficou isolado e no meio e era facilmente desarmado.

O Avaí, apesar de toda sua limitação, partiu em busca da virada na base da raça e da superação. E, aos 37 minutos, Roberto só não se transformou no nome do jogo porque Vladimir fez uma defesa espetacular depois que o atacante cabeceou forte, à queima roupa, completando cruzamento de Pablo, pela direita.

No lance seguinte, escanteio pela esquerda. Marquinhos colocou a bola na área e Jéci perdeu um gol de forma inacreditável, praticamente embaixo do travessão.

Os últimos minutos do jogo foram de emoção pura, com as duas equipes abertas e criando chances de gols, mas o placar não foi mais alterado e Santos e Avaí deram o pontapé inicial no Campeonato Brasileiro com um empate por 1 a 1.

Bastidores – Santos TV:

Avaí 3 x 2 Santos

Data: 28/11/2010, domingo, 17h00
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC.
Público e renda: N/D
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Márcia Lopes Caetano (FIFA-RO) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Cartões amarelos: Neymar, Keirrison, Adriano, Rodrigo Possebon, Durval, Alex Sandro, Danilo e Arouca (S); Emerson, Eltinho e Bruno Batista (A).
Gols: Keirrison (09-1), Neymar (32-1), Caio (39-1) e Caio (46-1); Caio (36-2).

AVAÍ
Renan, Patric, Emerson, Emerson Nunes, Eltinho; Bruno Batista, Rudnei, Caio (Dinelson); Robinho (Davi) e Vandinho (Daniel Tiago)
Técnico: Vagner Benazzi

SANTOS
Rafael, Pará (Zé Eduardo), Bruno Aguiar, Durval, Léo; Adriano (Danilo); Rodrigo Possebon (Alex Sandro), Arouca, Felipe Anderson; Neymar e Keirrison
Técnico: Marcelo Martelotte (interino)



Iluminado, Caio faz três gols contra o Santos e garante Avaí na primeira divisão

Após o Santos estar vencendo por 2 a 0, meia marcou três golaços e deu vitória ao time catarinense, agora sem risco de queda.

O meia atacante Caio foi a estrela do jogo entre Avaí e Santos neste domingo, na Ressacada, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após os santistas abrirem 2 a 0 no placar, os catarinenses viraram o jogo com três golaços de Caio. Com a vitória contra o Santos, e os tropeços de Vitória e Atlético-GO nesta rodada, o Avaí garantiu a permanência na Série A do Brasileiro.

A partida chamou a atenção pelos golaços e jogadas individuais. Além de Neymar, que estava inspirado, o meia Caio do Avaí marcou um dos gols mais bonitos da competição. Ele driblou quatro marcadores dentro da área para iniciar a reação dos catarinenses no primeiro tempo. Se não bastasse, o jogador ainda marcou mais dois gols chutando de fora da área.

Após perder para os catarinenses, o Santos enfrenta o Flamengo no próximo domingo, às 17h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Já o Avaí jogará contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba.

O jogo

A partida começou bastante movimentada com Santos e Avaí jogando em velocidade e buscando o ataque. Apesar de a equipe catarinense tentar controlar o jogo no inicio, foi no Santos que abriu o marcador. Aos nove minutos, Neymar fez uma bela jogada individual, driblou o zagueiro na linha de fundo e cruzou rasteiro para Keirrison com a coxa abrir fazer 1 a 0.

O Avaí respondeu aos 14 minutos. Depois de uma tabela entre Robinho e Caio, o goleiro Rafael foi preciso na saída de bola. Um minuto depois, Caio desviou de cabeça um cruzamento de Eltinho, e a bola raspou a trave de Rafael. Precisando vencer para permanecer na primeira divisão, o Avaí buscava o gol de empate a todo o momento. Aos 28 minutos, Emerson tocou para Robinho dentro da área, o atacante chutou forte e viu Rafael fazer novamente uma excelente defesa.

Apesar da pressão do Avaí, o Santos marcou o segundo gol em jogada de contra-ataque. Aos 32 minutos, Neymar driblou o zagueiro, invadiu a área e chutou no canto esquerdo do goleiro para fazer 2 a 0. Um minuto depois, Arouca iniciou um contra-ataque ao driblar dois adversários, e tocou para Neymar, que avançou e tentou fazer um golaço de cobertura, mas o goleiro se recuperou e fez uma grande defesa.

No entanto, aos 39 minutos começou a reação do Avaí com um golaço. Caio driblou quatro marcadores dentro da área e chutou na saída de Rafael para diminuir o placar. No finalzinho da primeira etapa, aos 46 minutos, Caio arriscou um chute de fora da área e empatou o jogo.

Da mesma forma que o primeiro, o segundo tempo também começou movimentado. Caio driblou o zagueiro dentro da área, mas finalizou para cima do gol. O Santos respondeu em cobrança de escanteio. Neymar cobrou para Danilo, que sozinho cabeceou para fora.

O Avaí tentava no desespero buscar o gol de empate. O técnico Wagner Benazzi, inclusive, trocou a dupla de ataque, colocando Davi e Daniel Tiago nas vagas de Robinho e Vandinho, respectivamente. No entanto, a equipe catarinense chegava ao gol de Rafael, mas não conseguia acertar o gol. Desta forma, restava ao Avaí acreditar na tarde inspirada de Caio. E foi o que aconteceu, o meia acertou mais um belo chute de fora da área, fez um golaço, e garantiu os catarinenses na primeira divisão.

Avaí 0 x 1 Santos

Data: 18/08/2010, quarta-feira, 21h50.
Competição: Copa Sul-Americana – Segunda fase – Jogo de volta
Local: Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC.
Árbitro: Evandro Rogério Roman
Auxiliares: Altemir Hausmann e Hilton Moutinho Rodrigues.
Cartões amarelos: Caio e Rudnei (A); Rodriguinho e Neymar (S)
Gol: Zé Eduardo (23-1).

AVAÍ
Renan; Patric, Rafael, Émerson e Eltinho; Marcinho Guerreiro, Rudnei (Bruno Silva), Caio e Davi (Marcos); Robinho (Sávio) e Vandinho.
Técnico: Antonio Lopes

SANTOS
Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Marcel); Arouca, Rodriguinho, Marquinhos (Madson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Zé Eduardo.
Técnico: Dorival Júnior



Santos vence mas Avaí fica com a vaga

Sonho santista de conquistar tudo no ano é frustrado. Equipe catarinense conquista classificação graças à vantagem conquistada no primeiro jogo

Não deu para o Santos. O Avaí fez valer a vantagem conquistada no primeiro jogo, quinta-feira passada, no Pacaembu, quando venceu por 3 a 1, e está nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O Peixe quebrou um jejum que durava três jogos e voltou a vencer: mas por um insuficiente 1 a 0, nesta quarta, no estádio da Ressacada, em Florianópolis. Faltaram mais dois gols para a equipe alvinegra. É o fim do sonho santista de conquistar tudo em 2010. O time é o atual campeão paulista e da Copa do Brasil. Já o time catarinense continua na luta para chegar à primeira Taça Libertadores de sua história.

Agora, o Avaí aguarda o vencedor de Universidad San Martín-PER e Emelec-EQU, que se enfrentam nos dias 15 e 23 de setembro.

O jogo

Com 14 minutos de jogo, o Avaí poderia estar vencendo o Santos por 2 a 0. A equipe da casa começou em cima, tocando muito bem a bola e envolvendo a equipe visitante, que dava muitos espaços, principalmente entre o zagueiro Durval e o lateral-esquerdo Léo. Por ali, abriu-se um enorme espaço que o lateral-direito Patric, do Avaí, soube ocupar. Aos 40 segundos de jogo, Patric avançou por ali, chegou até a entrada da área, sem ser incomodado, e mandou uma bomba de pé direito. Rafael espalmou.

O Santos tinha dificuldades para sair jogando. Sofria com a forte marcação do Avaí. Rudnei e, principalmente, Marcinho Guerreiro eram carrapatos que não desgrudavam de Paulo Henrique Ganso e Neymar. Aos 14, a equipe catarinense teve uma grande chance para marcar, mas o capitão santista Edu Dracena salvou. Primeiro, o zagueiro se atrasou para sair e deu condições para Rudinei, que entrou livre pelo meio e tocou na saída de Rafael. Dracena correu, correu e conseguiu alcançar a bola, quando ela já começava a ultrapassar a linha fatal. Valeu como um gol alvinegro.

A partir dos 20 minutos, porém, o jogo mudou de lado. O Peixe colou a bola no chão e passou a tocar bem, sempre em direção do gol, como tem sido o seu estilo neste ano. Marquinhos, que foi revelado pelo Avaí e até hoje é reverenciado pela torcida, apareceu e dividiu as atenções com Ganso. Aos 23, ele acertou um lindo toque de calcanhar para Zé Eduardo, que dominou, passou pela marcação e, mesmo sem ângulo, pegou um chute certeiro, que entrou no canto direito de Renan. Um belo gol, que renovava as esperanças santistas.

O Santos adiantou cercou o Avaí, que ficou preso em sem campo sem poder sair. Vinha bola de todos os lados e a defesa catarinense ia se virando do jeito que dava. Ganso, Neymar e Marquinhos, com menção honrosa a Zé Eduardo, comandavam as ações. O Peixe voltava a jogar bem, como não se via desde as melhores noites da Copa do Brasil. Mas faltava o gol, algo que sobrou na campanha vitoriosa do mata-mata nacional. Na verdade, faltavam ainda mais dois gols.

Dois gols que não vieram. O Santos começou o segundo tempo com a bola nos pés, trocando passes, mas insistindo muito nas jogadas pelo meio. Isso porque os dois laterais, Pará e Léo, não apareceram para o apoio. Marcando implacavelmente, o meio de campo do Avaí ia destruindo as jogadas do Peixe e, graças aos espaços deixados pelos santistas, criou chances de gol.

Aos 7 e 15, o time catarinense só não empatou o jogo porque Rafael salvou. No primeiro lance, Robinho escapou pela direita e chutou cruzado, tantando acertar o ângulo direito. No segundo, Vandinho pegou a bola na entrada da área e chutou rasteiro, buscando o canto direito do goleiro santista. Nos dois lances, o camisa 1 do Peixe espalmou.

Com o paredão azul cada vez mais fechado, graças principalmente à entrada do volante Marcos no lugar do meia Davi, o Santos sofria para se aproximar. Marquinhos, que fez um ótimo primeiro tempo, perdeu fôlego no segundo, virou presa fácil para a marcação e foi substituído por Madson, aos 27 minutos.

A alteração não surtiu efeito. O Santos continuou sem conseguir entrar na defesa adversária. Dorival, então, foi para o tudo ou nada. Tirou o lateral-esquerdo Léo para colocar mais um atacante, Marcel. Mesmo assim, o ataque do Santos continuava descoordenado. Marcel, por exemplo, a não ser por uma cabeçada aos 40, sem muito perigo, não fez nenhuma diferença.

Apesar de todo o volume de jogo do Peixe, o Avaí não passou por nenhum grande apuro no segundo tempo e, até com certa tranquilidade, assegurou sua classificação.