Navegando Posts marcados como Rio Branco

Santos FC x Rio Branco EC (SP)
Santos Futebol Clube x Rio Branco Esporte Clube (Americana)


Retrospecto:

19 jogos
12 vitórias
02 empates
05 derrotas
46 gols pró
24 gols contra
22 saldo

Resultados:

22/06/1924 – Santos 2 x 0 Rio Branco – Amistoso – Vila Belmiro
11/03/1993 – Santos 2 x 2 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
01/04/1993 – Santos 2 x 1 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
17/02/1994 – Santos 0 x 2 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
27/03/1994 – Santos 3 x 0 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
23/03/1995 – Santos 2 x 4 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
24/05/1995 – Santos 0 x 1 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
07/03/1996 – Santos 4 x 2 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
08/05/1996 – Santos 5 x 2 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
23/03/1997 – Santos 1 x 1 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
01/05/1997 – Santos 3 x 1 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
14/03/1998 – Santos 1 x 2 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
04/04/1998 – Santos 4 x 1 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
27/03/1999 – Santos 2 x 1 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
03/03/2001 – Santos 2 x 3 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
23/02/2005 – Santos 5 x 1 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
25/02/2006 – Santos 1 x 0 Rio Branco – Paulista – Vila Belmiro
08/03/2007 – Santos 3 x 0 Rio Branco – Paulista – Décio Vitta
17/01/2010 – Santos 4 x 0 Rio Branco – Paulista – Pacaembu




Vídeos: (1) Matéria do Globo Esporte, (2) Convite à partida e (3) Bastidores Santos TV.

Rio Branco 0 x 4 Santos

Data: 17/01/2010, domingo
Competição: Campeonato Paulista – 1ª rodada
Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo
Árbitro: Marcelo Rogério (SP)
Auxiliares: Vicente Romano Neto e David Botelho Barbosa (ambos de SP)
Cartões amarelos: Kléber 2, Vinicius, Everton (RB); Paulo Henrique Ganso (S)
Cartão vermelho: Kléber (RB)
Gols: Ganso (02-1), Neymar (20-1); Ganso (20-2) e Neymar (46-2).

RIO BRANCO
Cristiano; Marcos Tamandaré, Kléber, Vinícius e Márcio Goiano (Maurim); Everton, Márcio Carioca, Flávio e Felipe (Alex Mineiro); Romarinho (Ricardinho) e Anselmo
Técnico: Ademir Fonseca

SANTOS
Felipe; George Lucas, Bruno Rodrigo, Bruno Aguiar e Pará (Madson); Roberto Brum (Breitner), Rodrigo Mancha, Wesley e Ganso; Neymar e André (Giovanni)
Técnico: Dorival Júnior



Na volta de Giovanni, garotos brilham e Santos vence na estréia

Com dois gols de Paulo Henrique “Ganso” e mais dois de Neymar, Peixe aplicou uma goleada de 4 a 0 no Rio Branco

Com uma atuação firme e segura, o Santos estreou bem no Campeonato Paulista 2010. Na reestreia de Giovanni com a camisa santista – o meia entrou no segundo tempo -, o Peixe não deu chances ao Rio Branco e derrotou a equipe de Americana por 4 a 0, neste domingo, no Pacaembu, com grandes desempenhos do meia Paulo Henrique Lima e Neymar, que, com dois gols cada, decidiram a partida.

Na segunda rodada, o Alvinegro Praiano recebe a Ponte Preta, na próxima quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília), na Vila Belmiro. No dia seguinte, também às 19h30, o Rio Branco visita o Mogi Mirim, no Estádio Papa João Paulo II.

O jogo

O confronto se iniciou com os dois times se lançando ao ataque. Logo no primeiro minuto, a equipe do Interior Paulista assustou o goleiro Felipe. O atacante Anselmo Ramon girou em cima da marcação e bateu com força, levando perigo ao arqueiro, que acompanhou a bola sair a sua esquerda, rente à trave.

Mas, aos dois, os santistas mostraram quem mandaria no gramado. Após boa troca de passes no campo de ataque, a bola chegou para Paulo Henrique Lima. Com espaço, o meia dominou a bola e soltou uma bomba, de perna esquerda, no canto direito de Cristiano, que apesar de ter se esticado, para tentar fazer a defesa, não conseguiu evitar o gol de Ganso.

Melhor em campo e sem correr riscos com as investidas do Tigre, o Peixe não demorou muito para chegar ao seu segundo gol. Com toques rápidos e envolventes, Wesley encontrou o centroavante André, que abriu a jogada para Paulo Henrique na grande área. Tranquilo, Ganso serviu Neymar, que sem ajeitar a bola, bateu com força, à ‘queima roupa’, sem chances para o arqueiro do time de Americana.

Apresentando um futebol leve e rápido, o Alvinegro Praiano quase marcou o seu terceiro gol. Aos 26, o lateral direito George Lucas cobrou a falta pelo lado esquerdo, o zagueiro Bruno Aguiar subiu e desviou a bola, que saiu ao lado da trave esquerda.

Depois deste lance, o Santos desacelerou um pouco ritmo e passou a jogar de forma mais cadenciada. Porém, na volta do intervalo, os santistas voltaram a imprimir velocidade na partida.

Apesar de oferecer certa resistência, o Rio Branco via o Santos criando as melhores oportunidades de gol do duelo. E, logo no primeiro minuto da etapa complementar, quase o time da Vila Belmiro anotou o seu terceiro gol, quando Wesley cruzou para André. O jovem centroavante se antecipou a marcação e, de ‘peixinho’, quase deixou a sua marca.

Se a situação do Tigre já estava difícil, ficou ainda pior com a expulsão do zagueiro Kléber. Aos 11, o defensor, que já tinha cartão amarelo, fez falta em André, que havia roubado a bola e estava partindo em direção ao gol.

Percebendo que o panorama do jogo estava altamente favorável a sua equipe, o técnico Dorival Júnior resolveu satisfazer a vontade do torcedor, que estava pedindo a entrada de Giovanni no time. Com 15 minutos, o ‘Messias’ substituiu o garoto André, para delírio da torcida.

Inspirado pela presença de seu ‘padrinho’, Paulo Henrique balançou as redes mais uma vez. E com a ajuda do próprio Giovanni, que o indicou em 2005 ao Peixe. Aos 19, o experiente jogador, de 37 anos, recebeu a bola, protegeu de dois adversários e deu a assistência para que Ganso fizesse o terceiro gol alvinegro, no Pacaembu.

No entanto, ainda houve tempo para mais um gol. No último minuto, Neymar se livrou da marcação, invadiu a área, e tentou o cruzamento. Só que a bola passou pelo goleiro Cristiano, bateu na trave e foi para no fundo do gol, decretando o placar final: 4 a 0 para o Santos.

Rio Branco 0 x 3 Santos

Data: 08/03/2007, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 12ª rodada
Local: estádio Décio Vitta, em Americana, SP.
Público: 3.307 pagantes
Renda: R$ 62.995,00
Árbitro: Rodrigo Amaral
Auxiliares: Marcelino Tomáz de Brito Neto e Alex Alexandrino
Cartões amarelos: Éder, Adriano Sella e Rossini (RB); Cléber Santana Jonas, e Adriano (S).
Gols: Cléber Santana (45-1); Rodrigo Tabata (22-2) e Rodrigo Tabata (37-2).

RIO BRANCO
Éder; Adriano Sella (Jajá), Paulão, Marcelo Heleno e Vainer; Felipe, Rodrigo Pontes, Leonel e Rafael Chorão (Rodrigo Batata), Rossini e Bachin (Eraldo).
Técnico: Ruy Scarpino

SANTOS
Fábio Costa, Marcelo, Ávalos e Leonardo; Dênis, Cléber Santana (Dionísio), Adriano, Pedrinho (Marcos Aurélio) e Carlinhos; Rodrigo Tabata e Jonas (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Com dois de Tabata, Santos vence Rio Branco e mantém liderança

Mesmo com uma equipe repleta de jogadores reservas, o Santos cumpriu seu papel e manteve a liderança do Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira, o time da Baixada superou o Rio Branco por 3 a 0, em Americana, com dois gols de falta do meia Rodrigo Tabata (Cléber Santana marcou o primeiro). De quebra, ganhou motivação para o clássico contra o São Paulo do próximo domingo.

“Nunca tinha marcado dois de falta em um só jogo. É uma ocasião muito especial para mim. Foi muito importante manter essa vantagem na reta final do campeonato, pois é um momento de decisão”, comemorou Tabata, que não tinha feito nenhum gol no Estadual até esta noite.

Com o resultado, o Santos chegou aos 31 pontos da tabela. Como o São Paulo venceu o Guaratinguetá por 2 a 1, também nesta quinta, o time alvinegro permaneceu com a vantagem de um ponto sobre a equipe do Morumbi. O Rio Branco, por sua vez, fica com os mesmos oito pontos, na vice-lanterna.

Para evitar o desgaste de grande parte dos seus principais jogadores, o técnico Vanderlei Luxemburgo começou a partida com apenas três atletas considerados titulares: o goleiro Fábio Costa, o lateral-direito Dênis e o meia Cléber Santana. Rodrigo Tiuí e Marcos Aurélio também entraram no segundo tempo.

Quando a bola rolou, o Santos tentou imprimir um forte ritmo de jogo, mas encontrou dificuldades para criar chances reais de gol. Aos poucos, o clube anfitrião também subiu ao ataque e arriscou bastante de fora da área, sem sucesso. Com pouca criatividade, o time praiano se aproveitou do pênalti convertido por Cléber Santana, aos 45min, para terminar a primeira metade do duelo na frente do placar.

“A equipe deles estava marcando em cima, o que dificultou para nós. Tomara que, com esse um a zero, nós tenhamos mais tranqüilidade para tocar a bola e marcar mais gols”, disse Santana no intervalo. Com o lance, ele se tornou o vice-artilheiro isolado do Estadual, após ter marcado nove vezes, uma a menos que o atacante Somália do São Caetano.

Na etapa final, a equipe da casa até esboçou uma reação. No entanto, Rodrigo Tabata ampliou para o Santos aos 22min, com belo gol de falta. Depois, o time de Luxemburgo se segurou no campo de defesa e ainda conseguiu ampliar novamente em cobrança de falta do meio-campista, aos 37min.

Data: 25/02/2006
Competição: Campeonato Paulista – 11ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: N/D
Árbitro: Cleber Wellington Abade
Auxiliares: Ana Paula da Silva Oliveira e Evandro Luiz Silveira
Cartões amarelos: Cléber Santana (S), Wennedy (R)
Cartões vermelhos: Nunes (R), Fábio Costa (S)
Gol: Geílson (17-1).

SANTOS
Fábio Costa; Ronaldo, Júlio Manzur e Luiz Alberto; Fabinho, Maldonado (Wendell), Cléber Santana, Rodrigo Tabata (Léo Lima) e Kléber; Magnum (Heleno) e Geílson.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

RIO BRANCO
Marcelo Bonan; Thiaguinho, Júnior Paulista, Luiz Henrique e Maurinho; Bruno, Edimar, Diogo e Wennedy (Rafael Iotte); Fabiano Gadelha (Julio César) e Nunes.
Técnico: Ruy Scarpino



Nova vitória magra mantém Santos na cola dos líderes do Paulista

O Santos venceu neste sábado o Rio Branco por 1 a 0, na Vila Belmiro, e ampliou para seis sua seqüência de partidas sem tomar gols.

O resultado serviu para manter o time na cola dos líderes do Campeonato Paulista, com 25 pontos, contra 26 de Palmeiras e São Paulo.

Apesar do bom resultado, o time Baixada não conseguiu cumprir uma das metas do técnico Vanderlei Luxemburgo, que quer placares mais elásticos –entre os quatro primeiros, os santistas são os que têm pior saldo.

“Claro que me preocupa. O regulamento é claro, podemos definir a competição por saldo de gols”, disse o técnico.

No jogo deste sábado, o Santos começou melhor. Aos 9min, após receber lançamento na direita, Rodrigo Tabata bateu e a bola tocou na trave.

Aos 18min, Magnum cruzou para Geílson completar e fazer o único gol do jogo.

Bem na partida, Geílson teve outra boa oportunidade aos 32min, quando ganhou na velocidade da zaga, invadiu a área e chutou –Marcelo Bonan evitou o gol.

O Rio Branco ameaçou pouco. Aos 44min, em contra-ataque, Fabiano Gadelha bateu cruzado para defesa de Fábio Costa.

Na segunda etapa, o time santista continuou melhor. Aos 16min, Edimar derrubou Wendel na área e o juiz Cleber Wellington Abade marcou pênalti. Mas, na cobrança, Cléber Santana acertou a trave.

Já no final, aos 40min, o santista Fábio Costa e Nunes, do Rio Branco, foram expulsos após uma discussão. Como já tinha feito três alterações, o Santos teve que mandar Wendel para o gol, mas a equipe soube segurar a posse de bola e manteve o resultado.

Rio Branco 1 x 5 Santos

Data: 23/02/2005, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Paulista – Turno único – 9ª rodada
Local: Estádio Dévio Vita, em Americana, SP.
Público: 7.751 pagantes
Renda: R$ 85.751,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira
Auxiliares: Ednilson Corona e Danilo Ricardo Simon Manis
Cartões amarelos: Dino e Baggio (RB); Tcheco (S).
Gols: Robinho (25-1); Capitão (04-2), Basílio (11-2), Robinho (13-2), Deivid (22-2) e Robinho (45-2).

RIO BRANCO
Magrão; Baggio, Marcos Paulo (Jales) e Maxsandro; Thiaguinho, Felipe, Fabiano Gadelha, Dino (Carlos Eduardo) e Jorginho; Paulinho Macaíba (Lê) e Capitão.
Técnico: Luiz Carlos Cruz

SANTOS
Mauro; Paulo César (Flávio), Domingos, Ávalos e Léo; Bóvio, Tcheco e Ricardinho; Basílio (Rivaldo), Robinho e Deivid (Evando).
Técnico: Oswaldo de Oliveira



Robinho dá show e Santos goleia Rio Branco

O Santos se recuperou em grande estilo no Campeonato Paulista. Depois do empate com o Ituano no final de semana, a equipe da Vila Belmiro goleou o Rio Branco por 5 a 1 nesta quarta-feira, no estádio Décio Vita, em Americana, e voltou a encostar no líder São Paulo.

Para melhorar ainda mais a situação do time santista, a equipe do Morumbi precisa empatar ou perder da Portuguesa Santista nesta quinta-feira – o Santos está na terceira colocação com 21 pontos, a um ponto do rival e do Mogi Mirim, segundo colocado.

Comandado por Robinho, que marcou três gols [Basílio e Deivid assinalaram os outros], o time do técnico Oswaldo de Oliveira foi amplamente superior ao clube de Americana, que amargou sua quinta derrota na competição estadual – o time tem apenas 10 pontos.

Outro destaque positivo foi o veterano Basílio. Incansável, o atacante marcou um belo gol e ainda deu uma ótima assistência de calcanhar para Deivid marcar.

Além da redenção, o triunfo santista ajudou o treinador alvinegro a melhorar sua imagem perante os cartolas. Apesar de ter apenas uma derrota no comando do Santos (4 a 3 para o Bolívar na estréia da Libertadores), alguns dirigentes reclamaram do seu trabalho para o presidente Marcelo Teixeira.

Na próxima rodada do Campeonato Paulista, Santos e Rio Branco jogam no domingo. A equipe da Baixada Santista recebe o São Caetano, na Vila Belmiro. Já o time de Americana joga contra o Atlético Sorocaba, no estádio Walter Ribeiro, fora de casa. Ambas as partidas serão às 16h.

O jogo

Precisando da vitória para não se distanciar ainda mais do líder São Paulo (no início da rodada a diferença era de quatro pontos), o Santos, que contou com o retorno do meia Ricardinho, logo foi para cima do Rio Branco.

No primeiro minuto de jogo, o atacante Deivid avançou com a bola pelo meio-de-campo e foi derrubado próximo à meia-lua. Na cobrança, Ricardinho bateu colocado à esquerda do goleiro Magrão, que apenas observou a saída da bola pela linha de fundo.

Percebendo o ímpeto ofensivo da equipe da Vila Belmiro, o time do interior agiu rapidamente e passou a marcar mais. Em termos ofensivos, porém, o primeiro chute a gol aconteceu apenas aos 10min, em cobrança de falta de Fabiano. A bola passou por cima do travessão de Mauro.

Com o ataque do Santos bem marcado, os atacantes do Rio Branco começaram a ousar mais. Aos 19min, por exemplo, Paulinho Macaíba desperdiçou uma ótima chance de abrir o placar. Após cobrança de escanteio da esquerda, ele subiu sozinho na pequena área e cabeceou para fora.

A equipe da Vila voltou ao ataque aos 22min, quando Basílio recebeu a bola na grande área e foi derrubado por Felipe. Apesar da reclamação do atacante santista, o árbitro Paulo César de Oliveira considerou o lance normal.

O primeiro gol do clube da Baixada, no entanto, não demorou a acontecer. Aos 25min, o lateral-direito Paulo César deu um belo lançamento para Robinho na grande área. O atacante dominou no peito e chutou forte de pé direito no canto esquerdo, sem chances de defesa para Magrão.

Com a vantagem no placar, o Santos começou a arranjar mais espaços para criar as jogadas. Aos 27min, inclusive, Basílio ampliou, mas ele estava em posição irregular e o gol não foi validado.

Três minutos depois, a torcida que lotou o estádio Décio Vita, em Americana, vibrou com Robinho. Após confusão na área, a bola sobrou para ele na direita. Depois de algumas pedaladas, o atacante cruzou para Deivid, que acertou um voleio em cima da zaga do Rio Branco.

Em desvantagem, o clube de Americana não conseguiu mais acertar a marcação e muito menos chegar ao ataque com perigo. Desorganizado, o time comandado por Luiz Carlos Cruz apenas correu atrás do Santos até o final do primeiro tempo.

Na etapa final, ambas as equipes voltaram com a mesma formação. Os técnicos Luiz Carlos Cruz, do Rio Branco, e Oswaldo de Oliveira, do Santos, preferiram não mudar em nada.

Com ritmo mais acelerado do que no primeiro tempo, o Rio Branco logo foi para cima do Santos em busca do gol de empate. E isso não demorou a acontecer.

Aos 3min, o lateral-direito Tiaguinho foi derrubado na grande área pelo zagueiro Ávalos e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, aos 4min, o atacante Capitão marcou. Foi o quinto gol dele no Campeonato Paulista.

A equipe santista, porém, não se abalou com a igualdade e continuou com melhor em campo. Tanto que aos 11min conseguiu ficar à frente novamente. Após boa jogada de Ricardinho, a bola sobrou para Léo na esquerda. O lateral cruzou para Basílio, que pegou de primeira de perna esquerda e acertou o canto esquerdo do goleiro Magrão.

Aproveitando a empolgação do segundo gol, o Santos marcou o terceiro em uma bela jogada. Aos 13min, o atacante Deivid rolou para Tcheco, que ajeitou de calcanhar para Robinho. O atacante chutou da entrada da área e marcou seu oitavo gol na competição.

Mais solto em campo, o Santos dominou totalmente o adversário e marcou seu quarto gol aos 22min. Basílio recebeu belo lançamento na esquerda e tocou de calcanhar para o atacante Deivid, que chutou cruzado e marcou seu primeiro gol na partida.

Com três gols de vantagem no placar, a equipe da Vila Belmiro passou a abusar do toque de bola e o técnico Oswaldo de Oliveira testou o atacante Evando e o meia Rivaldo no time.

A equipe da Baixada ainda conseguiu aumentar o placar aos 45min, quando Robinho recebeu mais uma bola na grande área e chutou com categoria no canto alto esquerdo de Magrão. Com este gol, o craque santista assumiu a artilharia ao lado de Finazzi, do América, com nove gols.