Navegando Posts marcados como Rio Preto

Santos FC x Rio Preto EC
Santos Futebol Clube x Rio Preto Esporte Clube


Retrospecto:

04 jogos
02 vitórias
01 empate
01 derrota
12 gols pró
08 gols contra
04 saldo

Resultados:

14/08/1938 – Santos 1 x 1 Rio Preto – Amistoso – Coronel Victor Brito Bastos
15/08/1938 – Santos 3 x 2 Rio Preto – Amistoso – Coronel Victor Brito Bastos
10/06/1945 – Santos 7 x 3 Rio Preto – Amistoso – Anísio Haddad
17/02/2008 – Santos 1 x 2 Rio Preto – Paulista – Anísio Haddad

Rio Preto 2 x 1 Santos

Data: 17/02/2008, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 9ª rodada
Local: Estádio Anísio Haddad, o Rio Pretão, em São José do Rio Preto, SP.
Público: 6.042 pagantes
Renda: R$ 127.155,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Everson Luiz Luquesi Soares e João Paulo Spim Redondo
Cartões amarelos: Julian, Reyvan, Rafinha e Bira (RP); Molina, Carleto, Denis, Rodrigo Souto e Evaldo (S).
Cartões vermelhos: Rafinha (RP); Adriano (S).
Gols: Rafinha (05-2), Ricardinho (15-2) e Renatinho (22-2).

RIO PRETO
Marcelo Bonan; Rafinha, Jéferson, Éder Baiano e Reyvan (Danilo); Emerson, Mário André, Piá (Bady) e Ricardinho; Julian (Bira) e Paulo Roberto.
Técnico: José Carlos Serrão

SANTOS
Fábio Costa; Marcelo (Renatinho), Evaldo e Betão; Denis (Marcinho Guerreiro), Adriano, Rodrigo Souto, Molina (Paulo Henrique) e Carleto; Wesley e Kléber Pereira.
Técnico: Emerson Leão



Santos perde para o lanterna e volta para a zona de rebaixamento

O Santos perdeu para o lanterna Rio Preto por 2 a 1 na noite deste domingo (17) e caiu da 16ª para a 18ª posição do Campeonato Paulista, voltando a figurar na zona de rebaixamento após uma partida em que projetava como o início de sua volta por cima no torneio.

“Hoje é um dia para reiniciar”, dizia Emerson Leão antes do confronto no interior do Estado. Com o resultado, a equipe alvinegra permaneceu com oito pontos e perdeu duas posições em relação à sua colocação antes da nona rodada do Estadual.

Esta foi a quinta derrota santista no Paulista, e veio em um confronto em que no treinador decidiu barrar os jovens Tiago Luís e Alemão, que nas palavras do comandante teriam se deslumbrado com a ascensão precoce. O Rio Preto, ainda lanterna, foi aos quatro pontos.

O colombiano Molina fez a sua segunda partida pelo clube do litoral, vestiu a camisa 10 e deu indícios de que ainda precisa mostrar futebol para tornar-se o meia de ligação da equipe. A estréia foi no meio da semana passada, no empate sem gols com o Cúcuta pela Libertadores.

Novamente, o atleta não conseguiu ajudar a sua nova equipe. O Peixe criou algumas chances de gol no primeiro tempo, mas foi incapaz de ultrapassar a defesa do lanterna da competição.

Na etapa complementar, ainda no intervalo, Emerson Leão trocou o ala Denis pelo volante Marcinho Guerreiro. E viu os donos da casa abrirem o placar logo aos 5min, quando Rafinha marcou em arremate de bico.

O resultado parecia surpreendente pelo que acontecera em campo até então, já que o Rio Preto dificilmente chegava à meta de Fábio Costa. Foi quando Leão trocou o zagueiro Marcelo pelo atacante Renatinho.

E também quando viu o Rio Preto crescer. Dez minutos depois do primeiro gol, Ricardinho aproveitou vacilo da zaga santista para ampliar para 2 a 0.

Renatinho ainda descontou aos 22min após jogada de Paulo Henrique, que deixou o atacante alvinegro livre para marcar. O Peixe acabou acordando tarde, e não teve tempo para chegar nem mesmo ao empate e com um jogador a mais a partir dos 30min, após expulsão de Rafinha, adiando o seu projeto de recuperação no Paulista.

Data: 19/12/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 46º rodada (última)
Local: Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto, SP.
Público: 36.000
Renda: R$ 445.000,00
Árbitro: Leonardo Garciba (RS)
Auxiliares: Sérgio Buttes Cordeiro Filho (RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)
Cartão amarelo: Ygor (V).
Gols: Ricardinho (05-1) e Elano (30-1); Marco Brito (01-2).

SANTOS
Mauro; Paulo César, Ávalos, Leonardo e Léo; Fabinho, Preto Casagrande, Ricardinho e Elano (Marcinho); Robinho (Basílio) e Deivid (William)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

VASCO
Everton; Henrique, Fabiano (Gomes) e Daniel; Claudemir, Ygor, Coutinho, Júnior (Rubens), Rodrigo Souto (Rafael) e Diego; Marco Brito
Técnico: Joel Santana



Santos vence o Vasco e conquista o bicampeonato brasileiro

Completo, inclusive com o atacante Robinho, o Santos venceu o Vasco por 2 a 1, neste domingo, no estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP), e tornou-se bicampeão do Campeonato Brasileiro, na última rodada da competição.

Com o triunfo, o time da Baixada Santista, clube que mais liderou o torneio (20 das 46 rodadas), totalizou 89 pontos. O Atlético-PR, único outro time que poderia levantar o troféu, ficou no 1 a 1 com o Botafogo, em Curitiba.

Herói do primeiro título santista, conquistado em 2002, Robinho voltou a ser o centro das atenções na partida decisiva por voltar ao time. O joigador ficou seis partidas afastado devido ao seqüestro de sua mãe, Marina, que terminou nna sexta após 41 dias.

O título nacional de 2004 rendeu ao Santos a melhor seqüência no topo do Brasileiro na história. Após ter sido campeão há dois anos, também foi vice em 2003, no primeiro ano da fórmula que premiou a equipe que computou mais pontos após turno e returno. Com isso, o time superou o São Paulo, que foi duas vezes vice e uma campeão entre 1989 e 1991.

O Santos também terminou a irretocável campanha deste ano com um recorde. Chegou a 103 gols e superou em um tento a marca do Cruzeiro, campeão em 2003, na época com Luxemburgo no comando.

Neste ano, Luxemburgo chegou a seu quinto título nacional e ampliou o recorde de treinador que mais conquistou Brasileiros na história. Além de ter ganho em 2003, foi campeão com o Palmeiras em 1993 e 1994 e com o Corinthians em 1998.

Apesar disso, o futuro de Luxemburgo na Vila Belmiro em 2005 ainda é incerto. Ele recebe R$ 400 mil por mês no Santos, mas tem proposta da MSI (Media Sports Investiments) para ir para o Corinthians, onde ganharia cerca de R$ 600 mil.

Outro que pode ter feito sua despedida do Santos é Robinho. O jogador tem propostas de clubes da Europa, como o Real Madrid, da Espanha.

Apesar disso, o presidente santista, Marcelo Teixeira quer a permanência do craque para o primeiro semestre de 2005, quando o clube irá disputar a Libertadores. O contrato de Robinho com o Santos vai até 2008 e multa rescisória de US$ 50 milhões.

1º tempo

Com o estádio cheio (mais de 36 mil torcedores) o Santos teve pela frente o Vasco, rival que após ter se livrado da ameaça de rebaixamento e garantido sua permanência na elite do Nacional na rodada passada, quando venceu o Atlético-PR (1 a 0), deu mostras de que não iria endurecer o jogo contra o Santos.

Prova disso, foi a ausência do craque do time carioca, o meia sérvio Petkovic, que estaria se transferindo para o Fluminense. Além disso, o técnico Joel Santana escalou a equipe com três zagueiros, seis no meio e apenas um na frente.

Apesar da falta de ritmo de jogo, Robinho –que jogou até os 20 minutos do segundo tempo para a entrada de Basílio–, teve a primeira chance de gol da partida. Aos 2min, Robinho, de cabeça, quase marcou, mas o goleiro vascaíno Everton defendeu à queima roupa.

“Graças a Deus ficou tudo bem. Meu negócio é jogar futebol”, dizia Robinho, antes do jogo, em referência ao fim do seqüestro de sua mãe, Maria de Souza, que ficou 41 dias no cativeiro e foi libertada na última sexta. Durante esse período, Robinho deixou de atuar em seis jogos do time no Nacional. Ele é co-artilheiro do time ao lado do atacante Deivid, ambos com 21 gols.

Aos 5min, o Santos chegou ao gol após cobrança de falta perto da área. O meia canhoto Ricardinho, capitão do time, colocou a bola no ângulo esquerdo.

O Vasco só assustou aos 14min, com Junior que arriscou da entrada da área, mas errou a mira.

O segundo gol santista surgiu aos 29min, quando Preto Casagrande cruzou da direita e Elano, de dentro da área, cabeceou para o fundo das redes. Na comemoração, ele homenageou Narciso, com uma camiseta com o nome do zagueiro, que está internado por problemas de saúde.

2º tempo

Aos 14min da etapa final, Robinho marcou após receber lançamento e pedalar para cima do goleiro Everton, mas o bandeira Paulo Ricardo Conceição, anulou o gol ao anotar impedimento inexistente do atacante, que estava na mesma linha do marcador.

Um minuto depois, o atacante vascaíno Marco Brito cortou o zagueiro e diminuiu.

O Santos teve que passar mandar o jogo no interior depois que o STJD lhe tirou o mando pelo mau comportamento de sua torcida, que lançou fogos de artifício e copos d’água no gramado da Vila Belmiro. Com isso, além de pagar multa, o Santos foi obrigado a jogar a 150 km de sua sede, no mínimo.

Santos 5 x 1 Grêmio

Data: 05/12/2004
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º Turno – 44ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto, SP.
Público: 12.620
Renda: R$ 169.571,00
Árbitro: Edílson Soares da Silva (RJ)
Cartões amarelos: Alex Xavier e Baloy (G).
Gols: Ricardinho (07-1), Ávalos (13-1), Baloy (23-1), Ricardinho (26-1), Deivid (28-1); Basílio (26-2).

SANTOS
Mauro; Paulo César, Ávalos, Leonardo e Léo; Fabinho, Preto Casagrande (Zé Elias), Marcinho e Ricardinho (Bóvio); Deivid (Luisinho) e Basílio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GRÊMIO
Márcio; Lucianinho, Baloy, Alex Xavier e Douglas; Cocito, Luciano Santos e Bruno Coutinho (Yan); Marcelinho (Renato), Roberto Santos e Claudio Pitbull (Anderson).
Técnico: Claudio Duarte



Santos goleia o Grêmio, mas continua atrás do líder Atlético-PR

O Santos goleou o rebaixado Grêmio por 5 a 1, neste domingo, no estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP), mas a vitória de virada do Atlético-PR sobre o São Caetano (5 a 2), em Curitiba, frustrou as pretensões santistas de reassumir a liderança do Brasileiro.

Após 44 rodadas e restando só mais duas para o fim da competição, o vice-líder Santos chegou a 83 pontos e continua dois atrás do time paranaense, que só depende de suas forças para ser campeão nacional.

Para o Santos erguer o troféu, será preciso vencer o São Caetano, no próximo domingo, no ABC, e o Vasco, no dia 19 (local a definir), além de torcer por um tropeço do primeiro colocado.

Com a derrota do São Caetano, somente Atlético-PR, Santos e São Paulo, que venceu o Vitória (4 a 1), em Salvador, e continua em terceiro com 81 pontos, permanecem como concorrentes ao título.

Para o Grêmio, apesar do vexaminoso resultado negativo, a partida não significou muita coisa: o time já fora rebaixado na 43ª rodada e continua na lanterna, com 39 pontos.

Neste domingo, Santos ganhou seu terceiro duelo fora da Vila Belmiro por imposição do STJD. Antes, havia goleado o Fluminense (5 a 0), também em São José do Rio Preto, e batido o Goiás (2 a 1), em Presidente Prudente.

Em ritmo de treino, o Santos, que teve cinco desfalques (Antônio Carlos, André Luís, Elano, Robinho e William), consolidou sua vitória com menos de 30 minutos de jogo. O primeiro tempo acabou com cinco gols no total, sendo quatro santistas.

O Santos marcou dois logo de cara. O meia Marcinho tocou para o atacante Basílio, que recebeu nas costas dos defensores, invadiu a área e trombou com o goleiro Márcio, num lance duvidoso em que o juiz Edílson Soares da Silva assinalou pênalti.

Aos 7min, o meia Ricardinho cobrou a penalidade no canto direito. Márcio ainda tocou na bola, que acabou entrando.

“O pênalti foi piada. Eu nem encostei no Basílio. O Santos merece o resultado, mas o pênalti não existiu”, reclamou Márcio.

Aos 13min, foi a vez de o zagueiro Ávalos pegar um rebote e fuzilar: 2 a 0. O Grêmio diminuiu com o zagueiro Baloy, aos 23min. Ele aproveitou o vacilo da defesa santista e surgiu como elemento surpresa para marcar.

Mas aos 26min, Ricardinho recebeu passe de Léo, matou no peito e tocou de pé esquerdo para o fundo das redes para fazer 3 a 1. Dois minutos depois, Basílio deu o drible da vaca em Baloy pela direita e cruzou na medida para Deivid, que pegou de voleio e ampliou: 4 a 1.

No segundo tempo, Basílio fez mais um aos 26min e fechou o placar em 5 a 1.

Santos 5 x 0 Fluminense

Data: 30/10/2004, sábado
Competição: Campeonato Brasileiro – 2º turno – 39ª rodada
Local: Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP)
Público: 21.760
Renda: R$ 297.906,00
Árbitro: Clever Assunção Gonçalves (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Gomes e Márcio Eustáquio Santiago (ambos de MG).
Gols: Robinho (07-1), Laerte (19-1, contra); Deivid (02-1), Robinho (10-2) e Deivid (36-2).

SANTOS:
Mauro, Paulo César, Leonardo, André Luís e, Léo; Fabínho, Ricardo Bóvio (Zé Elias), Ricardinho (Marcinho) e Elano; Robinho (Basílio) e Deivid.
Téc. Vanderlei Luxemburgo.

FLUMINENSE:
Fernando Henrique, Leonardo Moura, Antônio Carlos, Laerte e Júnior César (Mineiro); Marciel, Diego, Esquerdinha (Marcão) e Roger; Alessandro e Rodrigo Tiuí.
Téc. Alexandre Gama.



Com grande atuação de Robinho, Santos goleia o Fluminense e mantém a liderança

O Santos goleou o Fluminense por 5 a 0, neste sábado, no estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP), e manteve a liderança do Campeonato Brasileiro, com 72 pontos ganhos, em partida que teve como destaque o atacante Robinho, que marcou dois gols e fez ótimas jogadas.

A partida aconteceu no interior de São Paulo porque o time da Baixada perdeu o mando de dois jogos por causa da punição sofrida pela equipe após um torcedor ter atirado um copo d’água no treinador Hélio dos Anjos, então no Vitória, em partida realizada no dia 26 de setembro, em Santos.

Antes do jogo deste sábado, os jogadores das duas equipes se reuniram no centro do campo e rezaram abraçados em homenagem ao jogador Serginho, do São Caetano, que morreu na última quarta-feira, após parada cardíaca, durante a partida do time do Grande ABC contra o São Paulo.

A partida contra o Fluminense, pela 39ª rodada do Nacional, marcou também o jogo de número 200 do meia Elano com a camisa do Santos.

O primeiro gol da partida aconteceu logo aos 8min. Após falha da zaga carioca, Robinho partiu em velocidade e bateu com força, sem chances para o goleiro Fernando Henrique.

Aos 20min, após boa jogada de Robinho, que passou pelo lateral-direito Leonardo Moura, o zagueiro Laerte fez gol contra e a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo, amplamente superior, aumentou.

Após os 30min, os cariocas melhoraram. Aos 35min, Roger cruzou e Alessandro cabeceou com perfeição, mas o auxiliar marcou impedimento do atacante, que estava em posição duvidosa, anulando o gol do Fluminense.

No segundo tempo, a partida continuou aberta e o Santos aproveitou. Aos 3min, Zé Elias, que entrou no lugar de Bóvio, tocou para Deivid, na grande área, que tocou na saída do goleiro Fernando Henrique e marcou o terceiro gol santista.

Desanimado, o Fluminense permitiu o quarto gol santista logo depois. Aos 11min, Zé Elias fez boa jogada pela lateral e cruzou para Deivid. O atacante foi travado, mas, na sobra, Robinho chutou forte para marcar seu segundo na partida e o 21º no Brasileiro.

Aos 37min, o Santos fez mais um. Basílio cruzou com perfeição e Deivid concluiu com força para marcar o quinto gol da equipe paulista, sem chance para Fernando Henrique.