Navegando Posts marcados como Robgol

Data: 25/03/2004
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Manuel Ferreira, em Assunção, Paraguai.
Renda e público: N/D
Árbitro: Sergio Pezzota (ARG)
Cartões amarelos: Cabrera e Pablo Giménez (G); Alcides, André Luis, Paulo Almeida, Preto Casagrande e Robson (S).
Cartão vermelho: Velázquez (G).
Gols: Basílio (05-2), Robson (19-2) e Manzur (26-2).

GUARANÍ-PAR
Bernal, Velázquez, Pérez, Manzur, Torres, Edgar González, Irala, Gustavo Arce (Almirón), Cabrera (Kenji Fukuda), Osvaldo Díaz (Mendieta) e Pablo Giménez.
Técnico: Mario Jacquet

SANTOS
Doni; Marco Aurélio (Alcides), Alex, André Luis (Pereira) e Léo; Paulo Almeida (Preto Casagrande), Claiton, Renato e Luis Augusto; Basílio e Robson.
Técnico: Émerson Leão.



Santos vence o Guaraní e garante 1º lugar no Grupo 7 da Libertadores

Com boa atuação de Basílio, o Santos venceu o Guaraní por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, em Assunção, no Paraguai, e garantiu a classificação para as oitavas-de-final da Taça Libertadores e o primeiro lugar do Grupo 7 do torneio com uma rodada de antecipação.

A equipe da Baixada chegou a 13 pontos ganhos em cinco jogos, contra seis do time paraguaio, que é o vice-líder. Agora, pode até perder o último compromisso, no próximo dia 14, contra o Jorge Wilstermann.

Nas oitavas-de-final, o time do técnico Emerson Leão irá enfrentar o melhor segundo colocado dentre todos os grupos da competição e terá a vantagem de fazer o segundo jogo em casa. O único inconveniente para os santistas é que times fortes, como Cruzeiro e São Paulo, podem ser o adversário.

Na partida desta quinta, o Santos superou o desfalque de dois de seus principais jogadores, Diego (contundido) e Robinho (suspenso), para vencer a equipe paraguaia.

Fora de casa, o técnico Leão optou por um esquema cauteloso, com três volantes: Claiton, Paulo Almeida e Renato.

Após um começo de partida truncado, o Guaraní assustou a defesa santista. Aos 20min, Pablo Gimenez recebeu na entrada da grande área e chutou forte. A bola resvalou na trave direita do goleiro Doni, mas saiu em tiro de meta.

A resposta santista só aconteceu no final da primeira etapa, quando Basílio foi lançado e, na velocidade, ganhou dos zagueiros, mas chutou para fora, com perigo para o goleiro Nelson Bernal.

No segundo tempo, com um jogador a mais em campo (Velazques foi expulso), o Santos saiu na frente. Aos 4min, Léo lançou Basílio, que, da entrada da área, chutou na saída do goleiro paraguaio para marcar. Foi o nono gol do atacante com a camisa do Santos na temporada 2004. O jogador agora é também co-artilheiro da Libertadores, com quatro gols.

Superior, a equipe paulista não encontrou dificuldades para marcar o segundo gol. Aos 17min, Basílio sofreu pênalti. Na cobrança, Róbson bateu no ângulo, sem chances para o goleiro Bernal.

Oito minutos após o gol santista foi a vez de os paraguaios reagirem. Aos 25min, o zagueiro Manzur recebeu na entrada da área e chutou forte para vencer o goleiro Doni. A bola desviou no zagueiro André Luís.

Depois do gol, os paraguaios se lançaram de maneira desorganizada ao ataque e coube ao Santos apenas administrar o resultado.

Com a classificação assegurada, o Santos volta suas atenções para o Campeonato Paulista, em que irá enfrentar o São Caetano, na Vila Belmiro, no próximo final de semana. A equipe da Baixada não vence esta competição desde 1984.

Santos 2 x 1 Ituano

Data: 14/03/2004
Competição: Campeonato Paulista – 1ª Fase – Grupo B – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda e Público: N/D.
Árbitro: Eduardo Coronado Coelho (SP).
Cartões amarelos: Alex, Paulo Almeida (S); Lima, Jabá (I).
Gols: Renato (05-1), Jabá (43-1) e Róbson (23-2).

SANTOS
Doni; Marco Aurélio (Róbson), Alex (Pereira), André Luís, Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Daniel), Diego; Robinho e Basílio.
Técnico: Emerson Leão.

ITUANO
André Luís; Ricardo Lopes, Sérgio, André Leoni, Lima; Ricardo Araújo, Christian (Sales), Pierre (Erivélton), Jéferson; Jabá e Leandro (Tita).
Técnico: Diolei Cândido.



Santos vence o Ituano e garante a primeira posição do Grupo 2

O Santos garantiu a primeira colocação do grupo 2 do Campeonato Paulista. Neste domingo à tarde, o time alvinegro bateu o Ituano por 2 a 1, na Vila Belmiro, na última rodada da fase de classificação do estadual.

A vitória santista foi conquistada em duas jogadas aéreas. Renato e Róbson marcaram para o alvinegro. O Santos também segurou sua vitória graças ao goleiro Doni, antes muito criticado pela torcida. Quando o placar apontava 2 a 1, o goleiro defendeu um pênalti cobrando por Leandro.

O jogo

O jogo começou tranqüilo para a equipe do Santos. Partindo para cima do Ituano, a equipe da Vila Belmiro abriu o placar logo aos 5min. Após cobrança de escanteio, Renato subiu sem marcação e tocou de cabeça para o fundo do gol.

Com o gol logo no início do jogo, o Santos acabou tirando o pé do acelerador e diminuiu sua pressão. Apenas em poucas jogadas, principalmente com Basílio, o alvinegro chegou a ameaçar o gol do Ituano.

Aos poucos, o time do interior começou a sair mais para o jogo e chegar ao ataque. E acabou empatando no final do primeiro tempo. Aos 43min, após cruzamento na área, a zaga do Santos deu bobeira e o baixinho Jabá, de cabeça, empatou.

No segundo tempo, o Santos começou assustando e Robinho, aos 2min, perdeu boa chance chutando para fora do gol. Pressionando, a equipe alvinegra também esteve perto do gol num toque contra de Sérgio. O goleiro André Luís conseguiu salvar o Ituano.

Mesmo sem manter o mesmo ritmo do início do segundo tempo, o Santos continuou melhor. E chegou ao segundo gol novamente numa jogada aérea. Após cruzamento na área, Róbson, que entrou no intervalo, marcou de cabeça aos 23min.

Melhor em campo, o time alvinegro ainda chegou a acertar a trave do goleiro André Luís aos 30min, após conclusão de Diego. Como na etapa inicial, o Santos começou a permitir o crescimento do time de Itu.

E, aos 35min, a equipe visitante teve sua melhor chance para empatar a partida. Leandro cobrou penalidade e Doni fez a defesa.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro

Guarani 0 x 3 Santos

Data: 07/03/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 9ª rodada
Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, SP.
Público: 7.813 pagantes.
Renda: R$ 100.450,00.
Árbitro: Paulo José Danelon (SP).
Cartões amarelos: Carlinhos (G), Claiton, Elano (S).
Gols: Elano (20-1); Róbson (06-2) e Róbson (16-2).

GUARANI
Jean; Marlon, Paulo André, Carlinhos, Patrick; Alex, Roberto, Reinaldo (Ludemar), Loscri; Viola (Liberman) e Roncatto (Ricardo Lobo).]
Técnico: Joel Santana.

SANTOS
Mauro; Paulo César, Alex, Pereira, Léo; Claiton (Paulo Almeida), Renato (Lopes), Elano (Preto Casagrande), Diego; Basílio e Róbson.
Técnico: Emerson Leão.



Santos vence o Guarani e garante vaga na próxima fase do Paulista

O Santos venceu o Guarani por 3 a 0, neste domingo, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas, em jogo válido pelo Grupo 2, e garantiu, com uma rodada de antecedência, vaga para as quartas-de-final do Paulista-2004.

Com o resultado, o time de Emerson Leão atingiu os 20 pontos e retomou a vice-liderança da chave, dois pontos atrás do Paulista, que perdeu na rodada para o São Caetano por 5 a 1, no ABC.

Com o tropeço do líder, o Santos pode terminar em primeiro lugar do Grupo 2 caso ganhe do Ituano, no estádio da Vila Belmiro, no próximo domingo, na última rodada. O Paulista já encerrou sua participação.

O time da Baixada abriu o placar aos 20min do primeiro tempo. Elano cobrou escanteio e a bola desviou no atacante Viola. O juiz Paulo José Danelon assinalou o gol para meio-campista santista.

O Guarani, que entrou em campo já sem chances de obter uma vaga para a próxima fase, criou boas oportunidades na etapa inicial, mas parou no goleiro santista. O time campineiro chegou a acertar uma bola na trave.

Os comandados de Leão ampliaram o placar aos 8min do segundo tempo. O atacante Basílio recebeu lançamento na área e chutou cruzado. O goleiro do Guarani defendeu parcialmente e, no rebote, Róbson marcou.

O Santos definiu o placar oito minutos depois, novamente com Róbson. Após cobrança de escanteio de Diego pela esquerda, o atacante subiu mais alto que a defesa e desviou de cabeça, fazendo 3 a 0.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro

Data: 18/02/2004
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: R$ 97.420,00
Público: 8.587 pagantes
Árbitro: Sérgio Komjetan (URU)
Cartões amarelos: Doni, André Luís (S) González, Velázquez (G)
Gols: Róbson (02-1); Díaz (20-2), Díaz (40-2) e Lopes (45-2).

SANTOS
Doni; Paulo César, Alex (Pereira), André Luís e Léo; Claiton, Renato e Diego (Paulo Almeida); Robinho, Basílio e Robson (Lopes)
Técnico: Emerson Leão

GUARANÍ
Bernal; Velasquez, Pérez, Manzur e Torres; Irala, González, Gustavo Arce (Diaz) e Cabrera (Filippini); Giménez e Fukuda (Fábio Nunes).
Técnico: Mario Jacquet



Nervoso, Santos fica no 2 a 2 com o Guaraní pela Libertadores

Contra um adversário com seis jogadores que ajudaram o Paraguai a se classificar para a Olimpíada de Atenas, o Santos de Diego e Robinho sofreu para empatar nesta quarta por 2 a 2, na Vila Belmiro, pela Libertadores da América.

A igualdade com o Guaraní deixou o Santos na vice-liderança de sua chave, mas apenas o campeão de cada grupo avança com segurança ao mata-mata. Barcelona de Guayaquil e Santos têm quatro pontos, mas os equatorianos levam vantagem no saldo de gols. O Guaraní soma dois pontos.

O jogo até começou bem fácil para o Santos. Renato deu excelente lançamento para Robson, atacante que vinha tendo dificuldades para marcar. O “Robgol” tocou livre, de cabeça, no canto direito do goleiro Bernal, abrindo o placar logo no segundo minuto.

“Fizemos o gol em um lançamento no começo do jogo e insistimos nesse tipo de jogada. Mas nosso jogo é toque de bola, saída com rapidez para o ataque, fechar os espaços. Não precisa entender muito de futebol para saber no que erramos”, disse o técnico Leão ainda no intervalo.

O Santos chegou a criar chances para ampliar na primeira etapa, mas, quando não falhava na conclusão, a zaga paraguai salvava –foi assim em lance de Léo em que ele driblou o goleiro e tocou para o gol certo de que marcaria.

Na segunda etapa, o Santos caiu de ritmo, e o Guaraní ameaçou seguidamente o gol de Doni. Leão tirou o meia Diego e colocou o volante Paulo Almeida –Diego se converteu no alvo preferencial das broncas disparadas da beira do gramado pelo treinador.

De tanto insistir, o Guaraní chegou ao empate aos 20min. Diaz cobrou falta de longa distância e surpreendeu Doni, que estava adiantado e foi encoberto. O nervosismo santista aumentou. Robinho e André Luis agrediram adversários, mas só o zagueiro foi punido (com cartão amarelo).

Aos 40min, Diaz tabelou com Nunes e de pé esquerdo bateu Doni com um chute cruzado, virando o marcador. A derrota só não aconteceu porque Lopes, que entrou no final da partida no lugar de Robson, marcou de cabeça, após um escanteio, aos 45min.

Agora, fica a expectativa sobre o retorno de Elano ao time. O meio-campista se recupera de contusão, mas Leão já declarou que ele voltará como titular.

Até então, os principais candidatos a deixar o time eram os atacantes Basílio e Robson. Diego, que sucumbiu diante dos paraguaios no Pré-Olímpico, passa a ficar ameaçado após o jogo com o Guaraní. Outro que não agradou foi Doni. A torcida pede a saída dele do time.

Santos 8 x 3 União São João

Data: 15/02/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5 223 pagantes.
Renda: R$ 71 590,00.
Árbitro: Romildo Correia (SP).
Cartões amarelos: André Luís (S); Marcelinho, Luís Henrique e Osmar (U).
Gols: Basílio (04-1), Basílio (20-1), Paulo César (25-1), André Luís (31-1), Alex (35-1), Osmar (39-1), Marcelinho (46-1); Robinho (06-2), Róbgol (11-2), João Paulo (32-2) e Renato (42-2).

SANTOS
Doni; Paulo César, Alex, André Luís, Léo; Claiton, Renato, Diego (Paulo Almeida); Basílio, Robinho (Luís Augusto) e Róbson (Lopes).
Técnico: Emerson Leão.

UNIÃO SÃO JOÃO
Gilvan; Vágner (Roger), Diguinho, Félix, Eduardo (Luís Henrique); Lico, Wilson Matias, Gérson Lente, Marcelinho; Osmar e João Paulo.
Técnico: Arnaldo Lira.



Em jogo de onze gols, Santos faz oito e goleia o União São João

Até Robson marcou. Numa maratona de gols, o Santos goleou o União São João por 8 a 3, neste domingo à tarde, na Vila Belmiro. O resultado mantém o time santista na liderança do grupo 2 do Campeonato Paulista.

Esta foi a sétima partida de Robson com a camisa do Santos. O jogador, que foi contratado para resolver a ausência de um matador no ataque santista, não vinha conseguindo marcar, apesar de ter seu futebol constantemente elogiado pelo técnico Emerson Leão.

Neste domingo, as dificuldades de Robson continuaram até os 11min do segundo tempo. Quando o placar já apontava 6 a 2 para os donos da casa, o Santos teve um pênalti a seu favor. O camisa nove cobrou bem e acabou com sua maré de azar.

Com o resultado, o Santos chegou aos 14 pontos, um de vantagem para o Paulista, vice-líder. Já o União, que sofreu sua quinta derrota em cinco jogos, segue sem pontos e só não está mais ameaçado de rebaixamento devido aos pontos perdidos pelo Oeste.

Muitos gols

O show de gols do primeiro tempo começou logo aos 4min. Robinho lançou Renato pela direita. Sem deixar a bola tocar no chão, o meia cruzou de primeira para Basílio, livre, tocar para o fundo do gol.

Bem no ataque, o Santos deu muito espaço para o ataque do União. E, aos 15min, a equipe de Araras quase empatou. Wilson recebeu dentro da área, pelo lado esquerdo e, quase sem ângulo, bateu forte. Doni salvou o time da Vila.

Depois desse lance o Santos começou seu passeio. Aos 20min, após boa troca de passes, Robinho lançou Paulo César. O lateral cruzou rasteiro, para trás, e Basílio, de primeira, marcou seu segundo gol na partida, ampliando a vantagem santista.

A equipe de Araras voltou a ameaçar aos 22min. Marcelinho chutou de fora da área e acertou o travessão de Doni. Três minutos depois, o Santos marcou o terceiro. Paulo César cobrou falta pela direita, direto para o gol, enganando o goleiro Gilvan.

Aos 31min, o Santos fez o quarto gol. Diego deu linda assistência para Claiton. O meia bateu de virada e Gilvan mandou para escanteio. Após a cobrança, a bola foi desviada para o segundo pau e André Luís marcou.

Com tanta facilidade, faltava o primeiro gol de Robson com a camisa do Santos. Aos 35min, a bola foi cruzada da esquerda, o camisa nove desviou de cabeça e Gilvan defendeu. O goleiro, porém, falhou e largou nos pés de André, que fez o quinto santista.

No final, o União reagiu e marcou seus dois primeiros gols. Aos 39min, com a zaga do Santos ainda dando espaços, Osmar foi lançado livre, driblou o goleiro Doni, já fora da grande área, e tocou para o fundo do gol.

O Santos ainda teve boa chance, aos 43min, num chute de Robinho defendido por Gilvan. E, aos 46min, saiu o segundo gol da equipe de Araras. Marcelinho cobrou falta, Doni ainda tocou na bola, mas não evitou o gol.

Se o Santos se desligou nos minutos finais do primeiro tempo, o intervalo voltou a ligar a equipe da Vila Belmiro. E, aos 6min, Diego deu linda assistência para Robinho, que tirou um marcador da jogada com categoria e marcou um golaço.

O sétimo gol não demorou para sair. Aos 10min, Basílio foi lançado na área, pela direita e acabou empurrado por um marcador do União. A cobrança ficou com Robson. Aos 11min, o atacante bateu rasteiro, tirando Gilvan da bola, e fez mais um para o Santos.

Após o gol de Robson, o Santos tirou o pé do acelerador. E o União conseguiu chegar ao terceiro gol. Aos 32min, o veterano João Paulo aproveitou-se da moleza da zaga santista, recebeu livre, driblou Doni e marcou o seu.

O Santos voltou a chegar com perigo aos 39min. Basílio recebeu livre e, na saída do goleiro Gilvan, tocou por cobertura. A bola saiu por pouco. E, aos 42min, Renato fez o seu. O meia recebeu na direita, driblou um zagueiro do União e chutou forte, fazendo outro belo gol.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro