Navegando Posts marcados como Rodrigo Tabata

Santos 1 x 2 Grêmio Barueri

Data: 31/01/2008, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 4.309 pagantes
Renda: R$ 57.950,00
Árbitro: Otavio Correa da Silva (SP)
Auxiliares: Matheus Camolesi e Herman Brumel Vani (SP)
Cartões amarelos: Adaílton (S) e Alex Maranhão (B).
Gols: Alex Maranhão (26-2), Thiago (44-2) e Rodrigo Tabata (49-2).

SANTOS
Felipe; Adaílton, Anderson Salles e Betão; Adriano (Alex), Rodrigo Souto, Marcinho Guerreiro, Kléber (Rodrigo Tabata) e Thiago Carleto; Tiago Luís e Alemão (Fabiano).
Técnico: Emerson Leão

GRÊMIO BARUERI
René; Diego, Ávalos, Duílio e Guigov (Fernando); Rodrigo Pontes, Amaral, Flávio, Marcos Pimentel, Alberto (Tiago) e Alex Maranhão (Goeber).
Técnico: Gelson Silva



Jovens não resolvem, Santos cai ante Barueri e aprofunda crise

A aposta de Emerson Leão na dupla de ataque da Copa São Paulo, Alemão e Tiago Luís, ambos de 18 anos, não surtiu efeito esperado, e o Santos sofreu nova derrota no Estadual, desta vez para o Barueri, 2 a 1, na Vila Belmiro, resultado que deixou o time da Baixada na zona de descenso, ficando em 18º lugar.

A equipe alvinegra entrou em campo sem seu capitão Fábio Costa, sacado por Emerson Leão sob a justificativa de ter recebido seu “segundo cartão amarelo” no clube. O goleiro é esperado nesta sexta para acertar seu futuro.

Para piorar, outro medalhão, o ala Kléber, deixou o jogo no intervalo alegando problema muscular e preocupa para o duelo contra o Paulista, domingo. Foi o terceiro revés em cinco jogos.

Revoltada com o rendimento do Santos, a torcida protestou contra o treinador e presidente Marcelo Teixeira: “Leão, pede demissão”, “Marcelo Teixeira, você está de brincadeira” gritaram os torcedores.

O Santos começou a partida melhor que o Barueri, ameaçando o goleiro René aos 10 min, em contra-ataque puxado por Tiago Luís, que finalizou por cima do gol, na entrada da área.

Seis minutos depois, Tiago Luís novamente apareceu no ataque. Thiago Carleto arriscou chute com força. A bola desviou em Marcinho Guerreiro e sobrou para Tiago Luís. A arbitragem, porém, considerou que Guerreiro estava impedindo anulando o que seria o primeiro gol santista.

Em sua primeira boa jogada na etapa inicial, o Barueri foi eficiente. Aos 26 min, o atacante Alex Maranhão, de falta, chutou no canto esquerdo de Felipe, que chegou atrasado no lance.

O Santos desperdiçou ótima oportunidade de empate. Derrubado dentro da área pelo volante Amaral, Tabata cobrou a penalidade no canto esquerdo de René, que saltou para tirar a bola. Antes, o santista havia acertado a cobrança, mas o árbitro Otavio Correa da Silva mandou voltar, revoltando a equipe litorânea.

Estreante no time titular, Alemão teve atuação apagada, sendo substituído por Fabiano.

Em outra investida santista, René fez excelente defesa, aos 17 min da etapa complementar, em cabeceada de Alex na área. Oito minutos depois, em um chute espetacular de longa distância, Tiago Luís por pouco não encobriu o goleiro. O Barueri quase ampliou aos 31 min. Tiago tentou, em vão, encobrir o goleiro Felipe.

No contra-ataque, o time visitante sacramentou a vitória. Thiago superou Adaílton e arrematou sem dificuldade para o gol. Nos acréscimos, Tabata descontou.

Santos 3 x 0 Goiás

Data: 27/10/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.058 pagantes
Renda: R$ 145.130,00
Árbitro: Wilson Souza de Mendonça (PE)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (RN) e Altemir Hausmann (RS).
Cartões amarelos: Cristiano, Cléber Goiano, Fabiano e Paulo Henrique (G); Pedrinho (S)
Gols: Pedrinho (02-2), Rodrigo Tabata (29-2) e Vítor Júnior (36-2).

SANTOS
Fábio Costa; Dionísio, Domingos, Marcelo e Kléber; Adoniran (Adriano), Rodrigo Souto, Petkovic (Pedrinho) e Rodrigo Tabata (Vítor Júnior); Marcos Aurélio e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GOIÁS
Harlei; Vítor, Ernando, Paulo Henrique (Luiz Henrique) e André Leone; Amaral, Fábio Bahia, Cléber Goiano e Paulo Baier; Rinaldo (Fabiano) e Cristiano (Wendel).
Técnico: Márcio Araújo



Santos vence Goiás por 3 a 0 e adia título do São Paulo

O Santos venceu o Goiás por 3 a 0, na noite sábado, na Vila Belmiro, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com este resultado, o time alvinegro adiou o título do São Paulo, que neste domingo enfrenta o Sport, em Recife. O Santos subiu para 55 pontos, na segunda posição, e ainda segue com chances matemáticas de ser campeão.

Porém, mais importante que isso para a equipe de Vanderlei Luxemburgo é que a permanência no G-4 está garantida, independentemente dos outros resultados da rodada. Os gols santistas foram marcados por Pedrinho, Rodrigo Tabata e Vítor Júnior, todos no segundo tempo.

Já o Goiás continua com 41 pontos, na 16ª posição, e pode ser igualado pelo Corinthians, que soma 38 e está na zona do rebaixamento, em 17º lugar. Com isso, além de adiar o título tricolor, o Santos ajudou indiretamente o rival do Parque São Jorge.

O time de Luxemburgo entrou em campo precisando vencer para continuar com chances matemáticas de título e, principalmente, para não sair da zona de classificação à Copa Libertadores. Insatisfeito com a atuação da equipe na derrota para o Figueirense na última rodada, o técnico do clube do litoral promoveu alterações. A principal delas foi a entrada de Rodrigo Tabata na equipe titular.

O Goiás, por sua vez, precisava dos três pontos para se distanciar da zona do rebaixamento. A aposta da equipe do Centro-Oeste era Paulo Baier, que completou 33 anos durante a semana e passa por um bom momento no futebol.

Logo aos nove minutos, o volante Adoniran sentiu uma lesão e teve que ser substituído por Adriano. Apoiado pela torcida e sob forte calor, o Santos dominou o primeiro tempo, apesar da falta de objetividade. Enquanto isso, o Goiás se fechou na defesa e pouco se arriscou no ataque.

No intervalo, o meia Petkovic, que teve uma atuação discreta na etapa inicial, deu lugar a Pedrinho, sequer relacionado para o banco de reservas nas duas últimas rodadas por opção de Luxemburgo.

Nem mesmo o treinador esperava um resultado tão imediato. No primeiro minuto, o meia bateu cruzado e abriu o placar para alegria dos santistas. Foi o nono gol de Pedrinho na competição.

O técnico Márcio Araújo, do Goiás, que já havia substituído Cristiano por Wendel, no intervalo, colocou Luiz Henrique e Fabiano nos lugares de Paulo Henrique e Rinaldo, respectivamente, aos 15min do segundo tempo.

O Goiás melhorou. Mas a sorte do comandante esmeraldino não estava tão calibrada como a de Luxemburgo. Em sua primeira investida no ataque, Luiz Henrique carimbou o travessão. Rodrigo Tabata, aos 29min, e Vítor Júnior, aos 36min, ainda ampliaram para o time da casa.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta outra equipe ameaçada pela degola, o Náutico, na quarta-feira, às 20h30, fora de casa.

Botafogo 1 x 2 Santos

Data: 06/10/2007, sábado, 18h10
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 7.918 pagantes
Renda: R$ 112.160,00
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa)
Auxiliaress: Altemir Hausmann (Fifa/RS) e Paulo Ricardo Silva Conceição (RS)
Cartões amarelos: Juninho (B), Adaílton (S) e Dionísio (S)
Gols: Rodrigo Tabata (06-2), Dodô (21-2) e Renatinho (44-2).

BOTAFOGO
Julio César; Renato Silva (Reinaldo), Juninho e Alex; Alessandro (Adriano Felício), Leandro Guerreiro, Coutinho, Lúcio Flávio e Luciano Almeida (Moreno); Zé Roberto e Dodô.
Técnico: Mário Sérgio

SANTOS
Fábio Costa; Alessandro, Adaílton, Marcelo e Dionísio (Petkovic); Maldonado, Rodrigo Souto, Kléber e Rodrigo Tabata (Vitor Junior); Marcos Aurélio (Renatinho) e Moraes.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos bate Botafogo e mantém boa fase contra rivais diretos

O Santos confirmou sua boa fase contra adversários diretos por uma vaga na Copa Libertadores, neste sábado. Pela segunda vez consecutiva, o time conseguiu uma vitória no fim e derrotou o Botafogo por 2 a 1, no estádio João Havelange.

Esta foi a terceira vitória santista seguida contra rivais que disputam uma vaga no G-4. Primeiro, a equipe venceu o Vasco, depois o Cruzeiro e agora o Botafogo. Com isso, o time manteve o terceiro lugar, com 51 pontos.

“Foi uma grande vitória. Vencemos três concorrentes diretos que são postulantes à vaga na Libertadores. E conseguimos a dois resultados fora de casa que nos fizeram chegar junto do Cruzeiro [vice-líder], que ainda joga amanhã”, comemorou o técnico Vanderlei Luxemburgo.

O Botafogo, por outro lado, perdeu sua quarta partida consecutiva no Campeonato Brasileiro, a terceira sob o comando do técnico Mário Sérgio, que ainda não venceu com o time. A derrota foi a primeira da equipe no Engenhão.

“Procuro falar sempre da realidade. Não uso subterfúgios para qualquer coisa. Quando vim para cá, sabia o que ia enfrentar. Cheguei e vi um grupo de jogadores voltados para ganhar. Se não está vencendo, é porque é complicado”, lamentou Mário Sérgio.

Na próxima semana, as duas equipes têm clássicos pela frente. No sábado, às 18h10, o Santos encara o Palmeiras, mais um adversário direto, na Vila Belmiro. No domingo, no único jogo da rodada neste dia, o Botafogo enfrenta o Vasco no Maracanã, às 16h.

Dois tempos opostos
A primeira etapa não teve muitas emoções e nem muito trabalho para os goleiros Julio Cesar e Fabio Costa. O Santos foi um pouco superior que o muito defensivo Botafogo, mas não o suficiente para tornar a partida interessante.

O segundo tempo foi completamente diferente. Muita disposição, lances de perigo dos dois lados, bola na trave, grandes defesas. A emoção foi do início ao fim da etapa. Aos 6min, Rodrigo Tabata abriu o placar, Dodô empatou aos 21min e, aos 44min, Renatinho decidiu o jogo para o Santos.

São Paulo 2 x 1 Santos

Data: 15/09/2007, sábado, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 33.995
Renda: R$ 404.958,00
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa/SP) e Márcio Luiz Augusto (SP)
Cartões amarelos: Jorge Wagner, Breno e Rogério Ceni (SP); Domingos (S) e Baiano (S).
Gols: Breno (04-2), Borges (08-2) e Rodrigo Tabata (47-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Miranda, Breno e André Dias; Souza, Richarlyson (Jadílson), Hernanes, Leandro (Júnior) e Jorge Wagner; Dagoberto (Zé Luís) e Borges
Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS
Fábio Costa; Baiano, Domingos, Adailton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Pedrinho (Vitor Junior) e Petkovic (Rodrigo Tabata); Marcos Aurélio (Moraes) e Kléber Pereira
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



São Paulo vence Santos e já escuta gritos de ‘é campeão’

Com autoridade de campeão, o líder São Paulo deixou mais um aspirante a concorrente para trás. Na noite deste sábado, no estádio do Morumbi, a equipe tricolor não deu chances ao rival Santos e venceu por 2 a 1, gols de Breno e Borges. A superioridade na partida empolgou a torcida são-paulina, que já ensaiou os primeiros gritos de “é campeão”.

Depois dessa vitória, a 17ª na competição, a equipe da capital paulista abre 12 pontos para o vice-líder Cruzeiro, que joga neste domingo contra o Atlético-MG, restando 12 rodadas para o final do torneio. E mais: aumenta para 14 o número de jogos sem perder no Nacional. O gol santista, no entanto, encerra uma sequência de nove jogos do time da capital sem tomar gols. Não era vazado desde 2 de agosto.

O Santos, por sua vez, tropeça mais uma vez em clássicos – perdeu recentemente para o Corinthians – e vê a ascensão ser parada. Terceiro colocado com 42 pontos, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo ainda pode perder a posição na tabela ao final da 26ª rodada neste domingo. Para isso, basta o Palmeiras vencer.

O primeiro tempo foi totalmente do São Paulo. Trocando muitos passes e explorando as tabelas, a equipe do técnico Muricy Ramalho não deixou o adversário jogar. No entanto, as finalizações do ataque tricolor não foram boas. Somente Leandro, aos 32min, conseguiu acertar o gol. Fábio Costa defendeu.

Dagoberto, que deu um chute a gol na etapa inicial, elogiou o primeiro tempo do time do Morumbi: “Finalizamos bastante e isso foi ótimo”.

Perdido em campo, o Santos se posicionou apenas para tentar explorar os contra-ataques. Com Petkovic e Pedrinho apagados, e Marcos Aurélio sem se apresentar na frente, apenas Kléber Pereira levou um pouco de perigo ao gol de Rogério Ceni. Mas na melhor oportunidade, aos 33min, ele estava impedido.

“Infelizmente não conseguimos encaixar o contra-ataque. Precisamos manter a atenção no segundo tempo e lutarmos para não sofrer gol”, disse o santista Baiano.

Mas a atenção pedida por Baiano não existiu aos 4min da segunda etapa, quando Breno recebeu a bola no campo de ataque. O zagueiro dominou no peito com categoria, deixou os santistas para trás e, de dentro da área, chutou forte, sem chance de defesa para o goleiro santista.

A equipe santista não teve tempo para tentar se arrumar depois do primeiro gol sofrido. Aos 8min, depois de chute de Dagoberto de fora da área, a bola sobrou para Richarlyson na esquerda. O camisa 20 do São Paulo cruzou para Borges, que desviou da pequena área e ampliou a vantagem tricolor. Tabata descontou para o Santos aos 47min, mas já era tarde para reação.

América-RN 1 x 4 Santos

Data: 26/08/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Brasileiro – 21ª rodada
Local: Estádio Machadão, em Natal, RN.
Público: 5.043 pagantes
Renda: R$ 73.470,00
Árbitro: Cláudio Luciano Mercante Júnior (PE)
Auxiliares: Ubirajara Ferraz e Erich Bandeira (PE)
Cartões amarelos: Ney Santos, Reinaldo, Robson, Paulo Isidoro (A); Adaílton e Kléber (S).
Gols: Petkovic (20-1), Kléber Pereira (25-1); Kléber Pereira (01-2), Ney Santos (38-2) e Rodrigo Tabata (40-2).

AMÉRICA-RN
Gléguer, Robson Lopes (Ney Santos), Cris, Robson e Berg; Luís Maranhão, Reinaldo, Adãozinho e Souza (Wesley Brasília); Arlon (Wendes) e Paulo Isidoro.
Técnico: Marcelo Veiga

SANTOS
Fábio Costa; Baiano, Domingos, Adaílton e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto (Adoniran), Vítor Júnior (Rodrigo Tabata) e Petkovic; Marcos Aurélio (Renatinho) e Kléber Pereira.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos goleia América-RN e mantém-se próximo ao G-4

Em uma rodada na qual a maioria das equipes que está acima do Santos na tabela triunfou, o time alvinegro fez a sua parte e, com ótimas atuações de Petkovic e Kléber Pereira, derrotou o América-RN por 4 a 1 em Natal, pelo Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o clube mantém-se próximo da zona de classificação à Copa Libertadores.

O triunfo deixa o time do litoral paulista com 33 pontos, passando para o sexto lugar. A equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo tem agora três pontos de desvantagem para o Palmeiras, último time do chamado G-4.

O resultado ainda dá seqüência à ascensão santista no Nacional. Nas últimas seis rodadas da competição, a equipe venceu cinco jogos (América-RN, Sport, Paraná, Flamengo e Atlético-MG) e foi derrotada apenas para o Fluminense, no Maracanã. Assim, conquistou 15 de 18 pontos que estiveram em disputa.

De quebra, o Santos ainda mostra que superou mesmo o trauma diante de clubes nordestinos. Se no primeiro turno foram três reveses para os três times da região, no returno já são duas vitórias, pois também bateu o Sport na Vila Belmiro na última rodada.

O América-RN, por sua vez, segue com aproveitamento pífio na competição. A equipe potiguar permanece na lanterna com apenas dez pontos. O time somou ainda sua oitava derrota seguida no Brasileiro. Após o jogo, o técnico Marcelo Veiga colocou o cargo à disposição.

A partida começou morna no estádio Machadão. O América-RN mostrou bastante vontade nos minutos iniciais e chegou a assustar o goleiro Fábio Costa. No entanto, a qualidade da equipe da Baixada prevaleceu. Aos 20min, com um chute de fora da área, o sérvio Petkovic abriu o placar, marcando seu primeiro gol com a camisa alvinegra. Apenas cinco minutos depois, foi a vez de o avante Kléber Pereira, em uma bela jogada individual, ampliar.

Na etapa final, o panorama da partida não se alterou e, logo com 1min, Kléber Pereira, aproveitando bom lançamento de Pet, tocou sobre o goleiro e fez seu segundo gol na partida, e o terceiro do Santos.

Depois disso, os visitantes diminuíram o ritmo e pararam de atacar o adversário. O América-RN ainda criou algumas jogadas ofensivas e diminuiu com Ney Santos aos 38min. Mas sobrou tempo para Rodrigo Tabata marcar o quatro gol santista.