Navegando Posts marcados como Rodrigo Tiuí

Santos 3 x 0 Deportivo Pasto

Data: 19/04/2007, quinta-feira, 21h30.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 8 – 6ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: R$ 44.1170,00
Público: 3.225 pagantes
Árbitro: Óscar Maldonado (BOL)
Auxiliares: Iván Gamboia e Juan Carlos Arroyo (ambos da BOL)
Cartões amarelos: Rebolledo (DP) e Jonas (S).
Gols: Carlinhos (07-1), Pedrinho (46-1) e Rodrigo Tiuí (42-2).

SANTOS
Fábio Costa; Denis, Leonardo, Marcelo e Carlinhos; Maldonado (Rodrigo Souto), Cléber Santana (Zé Roberto), Pedrinho e Rodrigo Tabata; Marcos Aurélio (Rodrigo Tiuí) e Jonas
Técnico: Wanderley Luxemburgo

DEPORTIVO PASTO
Carlos Barahona (Jamell Ramos); Viveros, Walden Vargas, Carlos Saa e Luis Lora; Juan Rebolledo, Jhonatan Rosero (Ferley Villamil), Luis Valencia e Rolan De la Cruz; Carlos Roda (Martínez) e Juan García
Técnico: Álvaro de Jesús Gómez



Santos vence e avança na Libertadores com 100% de aproveitamento

Time de melhor aproveitamento na Taça Libertadores-2007, o Santos se despediu da primeira fase do torneio com uma vitória sobre o Deportivo Pasto (Colômbia) por 3 a 0, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro.

Com a vitória, o Santos chegou aos 18 pontos no Grupo 8 e avançou com 100% de aproveitamento –como prêmio, terá a vantagem de pegar o pior segundo colocado no cruzamento das oitavas-de-final.

Além disso, o time de Vanderlei Luxemburgo igualou uma façanha que até então havia sido alcançada apenas pelo Vasco. Desde 2000, ano em que a fase principal da Libertadores sofreu um “inchaço” e aumentou de 20 para 32 participantes, apenas o time de São Januário, na edição de 2001, conseguiu vencer todos os seus jogos na fase de grupos.

Naquele ano, dirigido por Joel Santana, o Vasco obteve oito vitórias seguidas, já que venceu nas oitavas-de-final duas vezes o Deportes Concepción, do Chile, depois perdeu os dois jogos das quartas-de-final para o Boca Juniors, da Argentina.

A série vascaína de oito triunfos consecutivos foi alcançada pelos santistas hoje se forem considerados os dois jogos que o time fez contra o Blooming, da Bolívia, pela fase preliminar.

Em campo, o Santos mostrou desde o início que a preocupação do momento é a partida decisiva de domingo contra o Bragantino, que vale vaga na decisão do Campeonato Paulista-2007.

Por isso, Luxemburgo iniciou a partida preservando jogadores importantes como o lateral Kléber, o zagueiro Antônio Carlos, o meio-campista Zé Roberto e o atacante Rodrigo Tiuí.

Classificado e diante de um adversário já eliminado, o Santos iniciou o jogo no campo de ataque e precisou de apenas sete minutos para abrir o placar. O lateral Carlinhos tabelou, recebeu passe na frente, se livrou do goleiro e bateu para o gol vazio, 1 a 0.

Aos 21min, o time da Baixada quase ampliou num chute de Rodrigo Tabata, que passou raspando o travessão colombiano. Aos 39min, Tabata bateu forte e o goleiro Barahona evitou o gol.

Já nos acréscimos, aos 47min, o Santos chegou ao segundo gol. Pedrinho escapou livre pelo lado direito do ataque e bateu colocado, de pé esquerdo, sem chance de defesa para o goleiro adversário.

Para a etapa final, Luxemburgo colocou em campo Rodrigo Souto e Zé Roberto, pois Maldonado e Cléber Santana foram poupados nos 45 minutos finais. Aos 17min, Rodrigo Tiuí entrou na vaga de Marcos Aurélio.

O Santos passou a maior parte do segundo tempo no ataque e chegou ao terceiro gol aos 42min da etapa final, com Rodrigo Tiuí, que pegou um rebote dentro da área e bateu cruzado para marcar.


Santos 2 x 1 Rio Claro

Data: 25/03/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 15ª rodada
Local: Estádio Parque Antarctica, em São Paulo, SP.
Público: 13.853 pagantes
Renda: R$ 171.350,00
Árbitro: Anselmo da Costa
Auxiliares: Nilson de Souza Monçõo e Gilberto Corrale
Cartões amarelos: Rodrigo Tabata e Cleber Santana (S); Vieira e Daniel Rossi (RC).
Gols: Marcos Aurélio (11-1); Wagnão (50-2) e Rodrigo Tiuí (59-2).

SANTOS
Fábio Costa; Domingos, Leonardo e Marcelo (Rodrigo Tiuí); Pedro, Adriano, Zé Roberto, Pedrinho e Carlinhos; Rodrigo Tabata (Cleber Santana) e Marcos Aurélio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

RIO CLARO
Luiz Henrique; Éric, Edílson, Wagnão e Cazumba; Douglas Peruíbe, Vieira (Renatão), Daniel Rossi (Vagner) e Chumbinho; Mirandinha e Luciano (Élton Calé).
Técnico: Paulo César Catanoce



Santos supera ‘apagão’, vence e dispara no Estadual

A situação do Santos no Campeonato Paulista é cada vez mais tranqüila. Neste domingo, a boa fase da equipe alvinegra foi superior até aos desfalques e à fraca atuação. Em um jogo extremamente morno, o time do litoral mostrou superioridade técnica e venceu o Rio Claro por 2 a 1 no Parque Antarctica. Com isso, disparou na liderança do Estadual.

Beneficiado por conhecer o resultado do vice-líder São Paulo, que havia perdido por 1 a 0 para o São Caetano no estádio Anacleto Campanella, o Santos deixou o Rio Claro jogar neste domingo e apostou na movimentação em velocidade. Num lance assim, aos 11min da etapa inicial, Rodrigo Tabata conseguiu se livrar da marcação e lançou na esquerda para Marcos Aurélio, que recebeu dentro da área e chutou para dar a vitória ao time alvinegro.

“Foi um jogo de muita marcação e movimentação. Nós procuramos atrair o adversário, principalmente depois que fizemos o gol. E quando retomamos a posse de bola, apostamos em muita velocidade para criar oportunidades”, explicou o técnico Vanderlei Luxemburgo.

A vitória levou o Santos a 38 pontos ganhos no Campeonato Paulista. Dona do melhor ataque – já marcou 32 vezes, a equipe alvinegra abriu quatro pontos de vantagem para o vice-líder São Paulo e dez para o Paulista, primeiro colocado entre os que não estão na zona de classificação para as semifinais.

Com apenas uma derrota nesta temporada – 2 a 0 para o São Bento, na Vila Belmiro, o Santos alcançou neste domingo a décima partida consecutiva sem sofrer um revés. Nesse período, a equipe alvinegra acumulou nove triunfos e um empate. Diante do Rio Claro, a série positiva sobreviveu até a uma série de percalços, como os sete desfalques na escalação titular e o desempenho apático do clube do litoral.

A fase é tão favorável ao Santos que a equipe alvinegra foi “ajudada” por uma queda de energia no estádio Parque Antarctica. No segundo tempo, quando o Rio Claro era superior em campo, uma das torres de iluminação do estádio apagou e interrompeu a partida por 16 minutos.

“Nós estávamos em uma situação favorável e até conseguimos ganhar espaço, mas aí houve a queda e o Santos conseguiu se reorganizar. Foi uma infelicidade muito grande”, lamentou o treinador do time visitante, Paulo César Catanoce.

Depois da recuperação da iluminação, o Rio Claro seguiu melhor e até conseguiu o empate com um gol do zagueiro Wagnão, de cabeça, aos 50min do segundo tempo. No entanto, a fase positiva do Santos apareceu novamente e o atacante Rodrigo Tiuí, que havia entrado na retomada do confronto, aproveitou um contra-golpe aos 59min para definir a vitória e a situação confortável dos donos da casa no Campeonato Paulista.

Time com pior aproveitamento ofensivo do Campeonato Paulista de 2007 (só 12 gols marcados), o Rio Claro estacionou nos 12 pontos neste domingo. Com isso, perdeu a chance de deixar a zona de rebaixamento e se manteve na 17ª posição da tabela.

Agora, Santos e Rio Claro voltarão a campo na próxima quarta-feira, dia 28 de março. O time do interior receberá o Marília no estádio Augusto Schimidt, em Rio Claro, às 15h. Mais tarde, às 21h45, o Santos disputará um clássico contra o Corinthians na Vila Belmiro.

“Sabemos que o clássico vai ter uma importância enorme, até porque o Corinthians ainda está brigando por uma vaga nas semifinais. Além disso, podemos ganhar moral para a seqüência do Campeonato Paulista”, avisou o técnico Vanderlei Luxemburgo, que poupou alguns titulares neste domingo (o lateral-direito Denis e o zagueiro Antônio Carlos não foram utilizados, e o volante Cleber Santana e o atacante Rodrigo Tiuí entraram no segundo tempo) para preservar sua equipe para o jogo de quarta-feira.

Santos 2 x 1 Paulista

Data: 04/03/2007, domingo, 18h10.
Competição: Campeonato Paulista – 11ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.948 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Auxiliares: Nilson Monção e Danilo Manis
Cartões amarelos: Adaílton, Rodrigo Tiuí, Rodrigo Souto, Kléber e Zé Roberto (S); Victor Santana (P).
Gols: Marcos Aurélio (38-1); Victor Santana (08-2) e Rodrigo Tiuí (16-2).

SANTOS
Fábio Costa; Denis, Adaílton, Antônio Carlos e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto (Ávalos), Cléber Santana e Zé Roberto, Marcos Aurélio (Pedrinho) e Rodrigo Tiuí (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PAULISTA
Victor; Marco Aurélio (Eduardo), Dema, Marcus Vinícius e Fábio Vidal; Rever, Fábio Gomes, Diogo (Bruno) e Leandrinho; Victor Santana (Dauri) e Gilsinho.
Técnico: Vagner Mancini



Santos passa por cima das adversidades, vence e retoma liderança

Como previsto, muitas dificuldades. E, como vem sendo comum, o Santos conquistou os três pontos jogando diante de sua torcida. Neste domingo, perante pouco mais de cinco mil torcedores – e a presença ilustre de Pelé nas tribunas -, o Santos venceu o Paulista por 2 a 1 e reassumiu a liderança do torneio estadual.

Após ver o rival direto pelo primeiro posto do torneio ganhar seu compromisso no último sábado – no Pacaembu, o São Paulo bateu o Juventus-SP por 2 a 0 e assumiu a liderança provisória -, a equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo alcançou os 28 pontos e permaneceu um à frente do time tricolor, justamente seu adversário do próximo fim de semana. Já o Paulista estacionou nos 21, na quinta colocação.

Neste domingo, a opção dos visitantes era aproveitar-se da maratona de jogos pela qual passa o Santos nas últimas semanas. No entanto, com grande atuação do meia Zé Roberto, a equipe da Baixada não permitiu que a estratégia do adversário desse resultado. Mas foi por pouco.

Em um ritmo alucinante, ambas as equipes jogaram de forma aberta, buscando o gol inaugural. Marcando no campo de defesa santista, o Paulista assustava principalmente com Victor Santana, jogador mais perigoso do sistema ofensivo dos visitantes. Por outro lado, oferecia o contra-ataque para os anfitriões.

Marcos Aurélio, em um deles, recebeu lançamento de Rodrigo Tiuí e abriu o marcador, aos 38min. Na volta do intervalo, em lance casual, após bate-rebate no sistema defensivo da equipe da Baixada, o próprio Victor Santana bateu Fábio Costa, logo aos 8min. A partir daí, floresceu a capacidade de decisão de Zé Roberto.

Cadenciando a partida, o camisa 10 criou as melhores oportunidades de gol do time alvinegro. Sob os olhares do Rei do Futebol, o meia deu ótima assistência para Rodrigo Tiuí fazer o gol da vitória, aos 16min da segunda etapa. “Consegui dar uma boa arrancada e encontrei o Tiuí bem pela esquerda. É claro que ele poderia ter devolvido a bola, mas foi inteligente e marcou o gol. O importante é que a equipe foi guerreira e saímos de campo com a vitória”, declarou o jogador, ao final do confronto.

Contestado por boa parte da torcida até durante os 90 minutos, Tiuí também falou sobre a necessidade de ter de provar a cada dia sua qualidade para continuar no clube. “É importante não só para mim, como também para meus companheiros. Quero ficar aqui”, disse o atacante, em referência ao iminente término de seu contrato, ao final do Campeonato Paulista.

De seu camarote privativo, Pelé comemorou a maneira como seu time do coração vem jogando, ressaltou os percalços enfrentados pelo treinador e já previu o 17º título estadual. “Estamos em primeiro, felizmente. O time está atuando de maneira muito organizada. Não acabou o campeonato, mas o Santos tem tudo para ser campeão. De vez em quando, o Vanderlei [Luxemburgo] tem algum problema na frente, mas temos grandes possibilidades”, completou.

Santos 5 x 0 Blooming

Data: 07/02/2007
Competição: Copa Libertadores – 1ª Fase (Pré) – Jogo de volta
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Árbitro: Sérgio Pezzota (ARG)
Auxiliares: Pablo Lunati e Juan Carlos Rebollo (ambos da ARG)
Cartões amarelos: Vaca, Angulo, Suárez, Mendez e Ortiz (B); Rodrigo Souto e Pedro (S)
Gols: Cléber Santana (02-1), Cléber Santana (29-1), Rodrigo Tiuí (37-1); Marcos Aurélio (31-2) e Rodrigo Tiuí (38-2).

SANTOS
Fábio Costa; Pedro, Adaílton, Antônio Carlos e Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto (Pedrinho), Cléber Santana (Rodrio Tabata) e Zé Roberto; Marcos Aurélio e Rodrigo Tiuí
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

BLOOMING
Salazar; Ortiz, Dos Santos, Jáuregui e Germán Méndez; Alexandre, Angulo, Vaca (Alex) e Suárez; Limber Mendéz (Carlos Suárez) e Dimas
Técnico: Álvaro Peña

Santos goleia Blooming por 5 a 0 e avança na Copa Libertadores

Depois de vencer o rival por 1 a 0 fora de casa, o Santos confirmou na noite desta quarta-feira vaga na fase de grupos da Taça Libertadores-2007 ao golear o Blooming (Bolívia) por 5 a 0, em jogo disputado na Vila Belmiro.

Com a vitória, o Santos se classificou para o Grupo 8 do torneio sul-americano e enfrentará Gimnasia y Esgrima de La Plata (Argentina), Defensor (Uruguai) e Deportivo Pasto (Colômbia).

Os dois primeiros gols do Santos na partida foram de pênaltis convertidos pelo meia Cléber Santana, o primeiro aos 2min e o segundo aos 29min da etapa inicial.

Aos 37min, o time de Vanderlei Luxemburgo ampliou quando o atacante Rodrigo Tiuí recebeu a bola dentro da área e tocou na saída do goleiro do time boliviano.

Na etapa final, o Santos conseguiu ampliar aos 31min, num rápido contra-ataque. Marcos Aurélio dominou a bola fora da área, avançou e bateu cruzado para fazer o quarto gol santista.

Aos 38min, Rodrigo Tiuí chutou para o gol e a bola ainda tocou em Rodrigo Tabata antes de entrar, 5 a 0.

Com a vaga na Libertadores assegurada, o Santos volta a se concentrar no Campeonato Paulista, competição que lidera com 16 pontos.

O próximo jogo será contra o Santo André, domingo, no ABC paulista.


Bragantino 2 x 3 Santos

Data: 25/01/2007, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Estádio Marcelo Stéfani, em Bragança Paulista, SP.
Público: 4.051 pagantes
Renda: N/D
Árbitro: Phillipe Lombard
Auxiliares: Ana Paula Silva de Oliveira e Luiz Quirino da Costa
Cartões amarelos: Cris, Somália e Mário (B); Pedro, Adaílton, Rodrigo Souto e Domingos (S).
Gols: Cléber Santana (14-1) e Alex Afonso (36-1); Cléber Santana (20-2), Rodrigo Tiuí (26-2), e Zelão (28-2).

BRAGANTINO
Felipe, Cris, Zelão (Neizinho), Luis Henrique (Somália), Julio César, Moradei, Mário, Adriano (Bill) Thiago Vieira, Alex Afonso e Éverton.
Técnico: Marcelo Veiga

SANTOS
Fábio Costa, Pedro, Adaílton, Antônio Carlos (Avalos), Kléber; Maldonado, Rodrigo Souto, Cléber Santana (Rodrigo Tabata), Zé Roberto, Fabiano (Domingos) e Jonas (Rodrigo Tiuí).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Santos supera maratona, vence o Bragantino e é líder

Contra o Bragantino, o cansaço e o gramado alto, o Santos conseguiu manter 100% de aproveitamento no Campeonato Paulista. Com dificuldades, o time da Vila Belmiro venceu fora de casa por 3 a 2, em partida válida pela terceira rodada do Estadual.

A vitória foi a quarta da equipe alvinegra em 2007, em um intervalo de apenas nove dias. Devido à sua participação na fase preliminar da Copa Libertadores, que começa na próxima quarta-feira, o Santos teve seu jogo da quinta rodada, contra o Sertãozinho, antecipado.

Por isso, o técnico Vanderlei Luxemburgo tem tido problemas para descansar seus atletas. “Hoje nós vamos sair daqui e vamos direto para a concentração. Tem de ter sacrifício, sem sacrifício não se chega a lugar algum”, disse o treinador.

No entanto, mesmo com o cansaço, o Santos entrou em campo com força máxima. Antes do jogo, havia a expectativa de que o zagueiro Antônio Carlos fosse poupado, mas Luxemburgo resolveu utilizar o jogador. No gramado, o experiente defensor protagonizou o lance do gol do Bragantino, depois de errar um recuo para Fábio Costa.

“A gente conhece o gramado, sabe que enrosca um pouquinho, então a gente combinou que quando um zagueiro for recuar a gente aperta. Méritos para o Éverton que fez tudo certinho”, disse Alex Afonso, autor do gol, referindo-se ao companheiro que tomou a bola.

Mas o percalço não impediu que o Santos chegasse à sua quarta vitória no Campeonato Paulista. Com um jogo a mais que os demais clubes, o clube alvinegro assumiu a liderança do Estadual com 12 pontos, três a mais que Corinthians, Palmeiras e Noroeste. Já o Bragantino permanece na oitava posição, ainda com quatro pontos.

Em campo, porém, o resultado não aconteceu de maneira tão tranqüila quanto nas duas últimas rodadas (3 a 0 no São Caetano e 4 a 1 no Sertãozinho). Com dificuldades para superar a marcação do Bragantino, o Santos só chegou ao gol com Cléber Santana, aos 14min, mas sofreu o empate antes do intervalo, aos 36min.

Mas a conversa de Luxemburgo no intervalo mudou o jogo. Para a segunda etapa, Rodrigo Tiuí entrou na equipe, e protagonizou a virada alvinegra. Foi ele quem sofreu o pênalti, batido por Cléber Santana, aos 20min, e foi ele quem ampliou aos 26min, aproveitando bom passe de Rodrigo Tabata. Pouco depois, aos 28min, Zelão conseguiu diminuir, mas o Bragantino acabou mesmo perdendo por 3 a 2.