Navegando Posts marcados como Sandro

Fluminense 2 x 3 Santos

Data: 03/02/1998, terça-feira, 21h40.
Competição: Torneio Rio SP – Grupo – 4ª rodada
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 6.010 pagantes
Renda: R$ 59.850,00
Árbitro: Alfredo dos Santos Loebling (SP)
Cartões amarelos: Paulo César e Bebeto Campos (F); Élder, Argel e Ânderson Lima (S).
Gols: Roni (18-1); Jorginho (17-2), Magno Alves (36-2), Sandro (39-2) e Ânderson Lima (44-2).

FLUMINENSE
Fábio Noronha; Paulo César, Adriano, Adílson e Jorge Luís, Bebeto Campos, Gil Baiano (Nildo), Cadu e Yan (Flavinho); Roni (Fábio Costa) e Magno Alves.
Técnico: Edinho

SANTOS
Zetti; Ânderson Lima, Argel, Ronaldão e Dutra; Narciso, Élder (Sandro), Arinélson (Eduardo Marques) e Jorginho; Müller e Macedo (Caíco).
Técnico: Emerson Leão



Santos vence o Fluminense e fica próximo de semifinais

Com gol do lateral Ânderson aos 44min do segundo tempo, o Santos venceu o Fluminense por 3 a 2, ontem no Maracanã, e está próximo da classificação para as semifinais do torneio Rio-São Paulo.

Com o resultado o Santos passa a somar oito pontos e precisa de apenas um empate no próximos dois jogos – Flamengo e São Paulo.

A vitória do time paulista poderia ter sido por uma vantagem maior se não fosse o erro do juiz Alfredo dos Santos Loebling (SP). Aos 4min do primeiro tempo, o atacante Muller chutou de fora da área, a bola bateu no goleiro do Fluminense, no travessão, na rede e voltou para às mãos de Fábio Noronha.

Com a derrota, o Fluminense, que jogou pela primeira vez no Maracanã depois de ter sido rebaixado no Brasileiro, está praticamente eliminado da competição. Tem apenas dois pontos.

No primeiro tempo, o Fluminense deu impressão de que venceria a partida. Explorou com eficiência a velocidade dos atacantes Magno Alves e Roni, que perderam uma série de oportunidades.

Depois do susto da primeira etapa, o Santos voltou mais acertado e passou a dominar, marcando seus três gols.



Leão promove testes contra o ‘novo Flu’

O Santos experimenta uma nova formação em campo, enquanto o time carioca testa pela primeira vez o “novo Fluminense” em casa nesta temporada, às 21h40, pelo Torneio Rio-São Paulo.

O técnico santista, Emerson Leão, deve manter o volante Élder no lugar de Marcos Bazílio.

“Saímos de um desastre no primeiro tempo (no empate em 1 a 1 com o São Paulo, no último sábado) para uma exibição muito boa no segundo”, afirmou o treinador.

Entre Caíco ou Arinelson, no meio-campo, e Macedo ou Baez, no ataque, Leão disse que até a partida vai “amadurecer” a idéia.

Macedo, que defende o Santos há quatro anos, marcou 64 gols e é o sexto artilheiro do clube após a era Pelé, atrás de Serginho Chulapa, João Paulo, Juary, Guga e Giovanni.

“O Macedo tem a estrela do gol. Mas ora trabalha com a arte, ora trabalha com o coletivo”, afirmou Leão, que quer o jogador atuando mais em função do time.

O Fluminense testa seu prestígio após o fracasso no ano passado, quando foi rebaixado para a segunda divisão do Brasileiro. Confiantes na mudança, comissão técnica, jogadores e diretoria convocam os torcedores a comparecer ao estádio para ajudar o time.

“Estamos vivemos uma época diferente”, disse o meia Cadu, um dos novos ídolos da torcida.

Os novos contratados -Magno Alves, Gil Baiano e Bebeto Campos- estão garantidos.

Com apenas dois pontos, uma derrota praticamente elimina o Fluminense da competição.


Santos 3 x 2 Racing Club

Data: 28/10/1997, terça-feira, 21h55.
Competição: Supercopa da Libertadores – Grupo 3 – 6ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 1.593 pagantes
Renda: R$ 7.425,00
Árbitro:
Cartões amarelos: Rogério Seves e Marco Assunção (S); Cáceres, Facciuto e Brusco (R).
Gols: Macedo (22-1); Vilallonga (10-2), Sandro (27-2), Marcos Assunção (28-2) e Delgado (29-2).

SANTOS
Edinho; Baiano, Jean, Sandro e Rogério Seves (Cássio); Marcos Assunção, Elder (Marcos Bazílio), Alexandre e Arinelson (Baez); Macedo e Muller.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

RACING CLUB (ARG)
Cáceres; Navas, Brusco, Arce e Macallister; Garcia (Centeno), Michelini, Facciuto e Cápria; Delgado e Vilallonga.
Técnico: Carlos Babington


Santos 3 x 0 Peñarol

Data: 26/09/1996, quinta-feira, 20h30.
Competição: Supercopa dos Campeões da Libertadores – 1ª fase – Jogo de volta
Local: Estádio Ícaro de Castro Melo, o Ibirapuera, em São Paulo, SP.
Público: 2.603 pagantes
Renda: R$ 17.371,00
Árbitro: Javier Castrilli (ARG).
Cartão vermelho: Adinolfi (P).
Gols: Sandro (08-2), Vágner (19-2) e Alessandro (32-2).

SANTOS
Sérgio; Ânderson Lima, Sandro, Narciso (Jean) e Marcos Adriano; Marcos Assunção, Carlinhos, Vágner e Robert; Jamelli (Camanducaia) e Alessandro.
Técnico: José Teixeira

PEÑAROL
Navarro; Gutierrez, José Enrique De Los Santos, Lima e Adinolfi; Tais, Ruben Pereira e Gonzalo De Los Santos; Bengoechea (Gonzales), Pacheco (Rodrigues) e Sosa (Rotundo).
Técnico: Jorge Fossati


Fonte: Estadão

Flamengo 2 x 1 Santos

Data: 16/07/1996, terça-feira
Competição: Copa dos Campeões Mundiais – 1ª fase – 3ª rodada (última)
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília, DF.
Público: 18.143 pagantes
Renda: R$ 215.210,00
Árbitro: Luciano de Almeida
Gols: Marques (21-1) e Sandro (39-1); Nélio (12-2).

FLAMENGO
Roger; Alcir, Fabiano, Ronaldão e Gilberto; Márcio Costa, Djair, Nélio e Iranildo; Romário (Pingo) e Marques (Aloísio).
Técnico: Joel Santana

SANTOS
Edinho; Cláudio, Jean, Sandro e Marcos Adriano; Gallo, Baiano, Batista (Marcelo Passos) e Robert (Vágner); Macedo (Camanducaia) e Jamelli.
Técnico: Orlando Amarelo


Santos 6 x 2 Ferroviária

Data: 28/04/1996, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista – 2º turno – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.470 pagantes
Renda: R$ 42.065,00
Árbitro: Marcos Fábio Spironelli (SP)
Cartões amarelos: Narciso, Robert, Gallo e Baiano (S); Celso, Paulo Sérgio, Juari e Ricardo Dias (F).
Cartão vermelho: Adriano (F).
Gols: Sandro (06-1), Robert (28-1) e Marcelo Passos (38-1); Giovanni (02-2), Giovanni (08-2, de pênalti), Giovanni (30-2, de pênalti), Marco Antônio (39-2) e Otávio Augusto (44-2).

SANTOS
Gilberto; Cláudio, Sandro, Narciso (Ronaldo Marconato) e Marcos Adriano; Gallo, Baiano, Giovanni e Robert; Macedo (Camanducaia) e Marcelo Passos (Marcos Paulo).
Técnico: Orlando Amarelo

ferroviária
Paulo Sérgio; Celso (Otávio Augusto), Adriano, Marco Antônio e Bobô; Toninho, Ricardo Dias, Volnei (Luiz Carlos) e Kung (Serginho); Anderson e Juari.
Técnico: Sérgio Clérice



Santos goleia a Ferroviária na Vila com três gols de Giovanni

Giovanni comandou a goleada do Santos sobre a Ferroviária por 6 a 2, ontem, na Vila Belmiro, em Santos.

O meia marcou três gols e agora é vice-artilheiro do Campeonato Paulista com 17 gols, ao lado do corintiano Marcelinho Carioca.

“É importante chegar perto dos artilheiros. Ainda dá para encostar no Luizão”, disse ele.

O Santos dominou o jogo desde o início. A Ferroviária ficou na defesa, com marcação individual em Giovanni.

Só que, logo aos 6min, numa cobrança de falta com jogada ensaiada, Sandro chutou e fez 1 a 0.

Aos 11min, depois de cometer três faltas em Giovanni e receber cartão amarelo, o zagueiro Adriano foi expulso.

O Santos chegou a 3 a 0 ainda no primeiro tempo.

No segundo, prevaleceu o talento de Giovanni: marcou três gols, dois de pênalti.

O outro começou em jogada de Robert, que tocou para Giovanni chutar forte no canto.

No final, o Santos afrouxou a defesa e levou dois gols.

Santos volta à Vila contra Ferroviária

Pela primeira vez no segundo turno, o Santos joga na Vila Belmiro, com a Ferroviária.

Contra Juventus e Portuguesa, em que tinha o mando de campo, o Santos jogou em Santo André e São Paulo, porque o Tribunal de Justiça Desportiva da FPF (Federação Paulista de Futebol) interditou a Vila por duas partidas.

A interdição foi decorrente de a torcida ter atirado vários objetos no gramado na derrota por 6 a 0 para o Palmeiras.

O TJD não exigiu reformas no estádio, que foi vistoriado antes do início da temporada.



Créditos:
Vídeo: Wesley Miranda