Navegando Posts marcados como Santos

São Paulo 2 x 1 Santos

Data: 14/03/2020, sábado, 19h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público e renda: Não foi permitida entrada de torcedores.
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa.
Cartões amarelos: Tchê Tchê, Arboleda e Pablo (SP); Jobson e Arthur Gomes (S).
Cartão vermelho: Jobson (S, 45-1).
Gols: Arthur Gomes (29-1); Pablo (07-2) e Pablo (21-2).

SÃO PAULO
Lucas Perri; Juanfran, Bruno Alves (Pablo), Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes (Hernanes); Antony, Alexandre Pato e Vitor Bueno.
Técnico: Fernando Diniz

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Carlos Sánchez (Evandro) e Diego Pituca; Arthur Gomes, Soteldo (Tailson) e Yuri Alberto (Madson).
Técnico: Jesualdo Ferreira



São Paulo vira em cima do Santos graças a gols de Pablo e expulsão de Jobson

O São Paulo venceu seu primeiro clássico em 2020 na noite deste sábado, pela 10ª rodada do Campeonato Paulista. Com portões fechados para os torcedores devido ao Coronavírus, o Tricolor fez 2 a 1 em cima do Santos, de virada, no Morumbi praticamente vazio e encaminhou a vaga antecipada às quartas de final.

Pablo foi o nome do San-São. O camisa 9, que tinha apenas um gol na temporada, este anotado logo na estreia do time, entrou no segundo tempo e precisou de 21 minutos para ir às redes duas vezes. Primeiro, aproveitou falha de Everson na saída do gol. Depois, completou cruzamento de Pato e marcou, de cabeça, em lance oriundo de uma sobra de bola após batida de escanteio.

O Peixe jogava bem e estava à frente no placar graças a um belo gol de Arthur Gomes ao melhor estilo Fernando Diniz, técnico são-paulino. Antony saiu jogando errado, Felipe Jonatan tomou a bola e Arthur Gomes deu de letra para Sánchez, que serviu Pará. O lateral devolveu de primeira e o atacante completou.

No entanto, no último lance antes do intervalo, Jobson levou um lindo chapéu de Daniel Alves e ergueu demais a perna. A marca das travas da chuteira da coxa do camisa 10 tricolor renderam o cartão vermelho ao volante santista.

Jobson saiu de campo cobrindo o rosto e chegou a sentar na escadaria de acesso ao vestiário, desolado e inconformado. Nada que evitasse a pressão que o Peixe viria a sofrer até tomar a virada.

O Santos termina, assim, a primeira fase do Campeonato Paulista sem vencer clássicos. O time praiano acumulou derrotas para Corinthians e Santos, além de um empate com o Palmeiras. O gol de Arthur Gomes, neste sábado, foi o único anotado pela equipe contra os maiores rivais.

O resultado levou o São Paulo aos 18 pontos, na liderança geral do Grupo C. Se o Ituano não vencer o Corinthians neste domingo, na Arena, o Tricolor garante a vaga antecipada. O Peixe, apesar do revés, também tem a ponta do Grupo A, com 15 pontos.

Caso o Paulistão não seja interrompido por causa do Coronavírus, o São Paulo voltará a campo para pegar o Bragantino no sábado, de novo no Morumbi. No mesmo dia, o Santos receberá o Santo André na Arena Barueri.

Veríssimo responsabiliza “gols bestas” por derrota do Santos para o São Paulo

Depois de sair na frente, mas ficar com um a menos desde o primeiro tempo, o Santos levou a virada para o São Paulo, no Morumbi, neste sábado. Na saída de campo, Lucas Veríssimo não responsabilizou a expulsão de Jobson pela derrota, mas sim os gols sofridos de bola parada.

“Tomamos dois gols bestas, de bola parada. Acredito que a gente tem que corrigir isso porque não é de hoje. Vamos conversar com o professor e corrigir, porque não pode, em um clássico, a gente perder por dois gols de bola parada”, opinou o zagueiro do Peixe aos canais Premiere.

O Santos até abriu o placar, com Arthur Gomes, aos 29 da segunda etapa. Antes do intervalo, aos 45, Jobson deu entrada dura em Daniel Alves e acabou expulso.

Em desvantagem numérica no segundo tempo, o Peixe praticamente só se defendeu e levou dois gols de bola aérea. No primeiro, Everson saiu mal na cobrança de falta e Pablo empatou o jogo. No segundo, o atacante são-paulino recebeu sozinho o cruzamento de Pato para virar.

Com a derrota, o Santos perdeu a chance de se classificar de maneira antecipada para as quartas de final do Campeonato Paulista. O Peixe ainda lidera o Grupo A com 15 pontos.

Arthur Gomes comemora gol, mas lamenta derrota no San-São

O Santos levou a virada para o São Paulo, neste sábado, mas um atleta conseguiu destaque. Substituto de Sasha, que foi desfalque por lesão no músculo posterior da coxa esquerda, Arthur Gomes marcou o gol do Peixe. Depois da partida, o atacante comemorou o tento anotado, que foi o seu primeiro em clássico.

“É uma jogada que a gente treina bastante. Quando eu não jogo, vejo que o Sasha faz essa movimentação por dentro. O professor falou para eu vir de fora para dentro. Não conseguimos a vitória, que era o mais importante, mas estou feliz pelo gol. Meu primeiro gol em clássico, fico feliz por isso e vamos seguir trabalhando para fazer mais para a torcida”, disse o jogador após a partida.

O gol de Arthur Gomes, entretanto, não foi suficiente. Isso porque, ainda no primeiro tempo, Jobson acabou expulso e o Santos jogou a etapa final com um a menos. Em desvantagem numérica, o Peixe viu o São Paulo virar a partida com dois gols de Pablo.

O atacante santista ainda lamentou a derrota, que segundo ele foi decidida nos detalhes e nos erros do Alvinegro Praiano.

“O clássico é decidido em detalhes, e infelizmente a gente acabou perdendo em campo. São coisas do jogo. Eles aproveitaram os nossos erros nas bolas paradas, e acabamos perdendo. Vamos voltar, ver os vídeos que o professor vai passar para que a gente não volte a ter esses erros”.

Derrota no clássico adia classificação antecipada do Santos no Paulistão

Com a derrota de virada para o São Paulo, no último sábado, o Santos perdeu a chance de se tranquilizar no Campeonato Paulista. Sem os três pontos, o Peixe adiou a classificação para as quartas de final da competição.

O Grupo A da competição tem o Peixe na liderança com 15 pontos, seguido de Oeste e Água Santa com 10. A Ponte Preta aparece na lanterna com 7, mas ainda joga na rodada, contra o Guarani, na segunda-feira.

Uma vitória simples poderia garantir a vaga antecipada para o Santos, caso a Ponte não vencesse o clássico campineiro. Com o revés no San-São, entretanto, o Peixe ainda corre atrás de conseguir a classificação na próxima rodada.



Santos Futebol Clube x Delfín Sporting Club


Retrospecto:

01 jogo
01 vitória
00 empate
00 derrota
01 gol pró
00 gol contra
01 saldo

Resultados:

10/03/2020 – Santos 1 x 0 Delfín – Libertadores – Vila Belmiro


Santos 1 x 0 Delfín-EQU

Data: 10/03/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: portões fechados
Árbitro: Kevin Ortega (PER)
Auxiliares: Michael Orue e Jesus Sánchez (ambos do PER).
Cartões amarelos: Luan Peres, Jobson, Lucas Veríssimo, Felipe Jonatan e Jesualdo Ferreira (S); Cangá, Calderón e Alaníz (D).
Gol: Lucas Veríssimo (29-1).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez (Evandro); Kaio Jorge (Yuri Alberto), Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jesualdo Ferreira

DELFÍN SC (EQU)
Baroja; Jonathan González, Luis Canga, Agustín Ale, Nazareno; Noboa, Calderón (Benítez), Martin Alaníz, Rojas (Cifuentes), Corozo (Valencia) e Garcés.
Técnico: Carlos Ischia



Santos joga para o gasto e vence Delfín com gol de Veríssimo na Vila vazia

Nesta terça-feira, o Santos derrotou o Delfín-EQU por 1 a 0 e manteve o 100% de aproveitamento na Libertadores após duas rodadas disputadas. Respeitando a punição da Conmebol, o Peixe atuou sem o apoio de sua torcida e não precisou de uma atuação de destaque para bater os equatorianos. O único gol da partida foi marcado por Lucas Veríssimo.

O Alvinegro Praiano não contou com sua torcida, já que foi punido pela Conmebol com portões fechados por conta da confusão no Pacaembu em 2018, na eliminação da competição continental para o Independiente-ARG.

Com o resultado, o Santos se isolou na liderança do grupo G, com seis pontos somados. Na próxima rodada, a equipe recebe o Olímpia, na Vila Belmiro, na terça-feira que vem, às 21h30. Enquanto isso, o Delfín permaneceu com apenas um ponto, na terceira colocação. O próximo compromisso dos equatorianos será contra o Defensa y Justicia, na Argentina.

O jogo

O Santos iniciou a partida explorando principalmente o lado esquerdo, com Soteldo. A primeira chance perigosa do Peixe saiu dos pés do venezuelano, que levantou na cabeça de Kaio Jorge e o atacante testou pouco acima do travessão.

Aos 29 minutos da primeira etapa, o Santos abriu o placar com Lucas Veríssimo. Sánchez bateu falta pela esquerda e Veríssimo aproveitou a saída atabalhoada do goleiro do Delfín para cabecear para as redes.

Após balançar as redes, o Peixe teve duas boas oportunidades para ampliar. Primeiro, Sánchez puxou contra-ataque e encontrou Pituca, que finalizou de fora da área e exigiu defesa de Baroja. Na sequência, depois de jogada pela esquerda, Sánchez recebeu de frente para o gol e finalizou, parando novamente no goleiro. No entanto, o Delfín também assustou: após rebote de escanteio, Alaníz soltou a bomba e a bola tirou tinta da trave.

O Santos voltou em ritmo lento no segundo tempo e tomou um susto logo no início. Nazareno cruzou na entrada da área e Alaníz chegou batendo de primeira à direita da meta defendida por Everson. O meia voltou a assustar em novo chute de frente para o gol, dessa vez parando no goleiro do Peixe.

A primeira chance de gol do Santos na segunda etapa veio nos pés de Yuri Alberto, que entrou no lugar de Kaio Jorge no intervalo. Soteldo desceu pela esquerda e encontrou o atacante dentro da área, que finalizou cruzado de esquerda e a bola passou próxima da trave. Na sequência, Sánchez tentou cruzamento pela esquerda, ninguém tocou na bola e Baroja teve que cair para evitar o gol do Alvinegro.

O Delfín ensaio uma pressão no final da partida, porém não conseguiu ser efetivo e o Peixe saiu de campo com os três pontos, apesar de uma atuação apagada.

Bastidores – Santos TV:

Veríssimo minimiza atuação sem brilho do Santos e destaca 100% de aproveitamento

O Santos não esteve em uma de suas noites mais inspiradas, porém conseguiu vencer o Delfín por 1 a 0, na Vila Belmiro, com um gol marcado por Lucas Veríssimo. O zagueiro marcou de cabeça ainda no primeiro tempo, após cruzamento de Sánchez.

Na opinião do defensor, o mais importante neste momento é a pontuação do Peixe. Veríssimo reconhece que o Alvinegro Praiano “pode mais”, porém destaca o 100% de aproveitamento da equipe na Libertadores.

“Buscamos a vitória do início ao fim do jogo, infelizmente não fizemos uma grande exibição, mas o que importa na Libertadores é vencer. Conseguimos somar seis pontos em dois jogos, acredito que seja importante para a sequência do campeonato. A gente sabe que a equipe pode mais, vamos trabalhar para melhorar”, afirmou o zagueiro.

“Não em termos de concentração, mas perde a graça. O torcedor é muito importante, principalmente dentro de casa, mas infelizmente aconteceu de não poder vir. A gente entrou concentrado, mas infelizmente não fizemos um grande jogo”, completou.

Com o resultado, o Santos se isolou na liderança do grupo G, com seis pontos somados. Na próxima rodada, a equipe recebe o Olímpia, na Vila Belmiro, na terça-feira que vem, às 21h30. Antes disso, o Peixe visita o São Paulo, pelo Campeonato Paulista, no sábado, às 19h.

Lucas Veríssimo cita propostas e cobra “valorização” no Santos

Lucas Veríssimo foi o responsável por garantir a vitória do Santos sobre o Delfín, nesta terça-feira, na Vila Belmiro. O zagueiro marcou o único gol do Peixe na partida, completando de cabeça cruzamento de Sánchez em batida de falta.

Após o jogo, o defensor foi perguntado sobre um suposto interesse do Atlético-MG em sua contratação, já que Jorge Sampaoli assumiu o comando dos mineiros. Veríssimo não negou a sondagem do Galo, citou propostas já recebidas desde que passou a se destacar pelo Peixe e aproveitou para reivindicar uma valorização no clube.

“Trabalhei com o professor (Jorge Sampaoli), trabalhei bem. Ouvi esses rumores, a única coisa que peço é uma valorização, já tive propostas aqui no clube e ainda não fui valorizado. Digo isso diretamente para o Peres, mas aqui quero falar sobre o jogo”, afirmou o zagueiro ao Premiere.

Desde que se firmou na zaga do Santos, Veríssimo recebeu propostas do futebol europeu em 2017 e 2018. No entanto, o clube esperava receber ofertas vantajosas pelo jogador no final do ano passado, o que não aconteceu. Dessa forma, o defensor permaneceu no plantel do Peixe.

Luan Peres critica exposição desnecessária do Santos ao fim da partida

Se por um lado a vitória sobre o Delfín nesta terça-feira foi importante para o futuro do Santos na Libertadores, por outro o Peixe apresentou um futebol sem brilho na Vila Belmiro. Além de Jesualdo Ferreira, Luan Peres também reconheceu que o Alvinegro Praiano não mostrou o brilho dos últimos jogos.

O zagueiro concedeu entrevista coletiva ao lado do treinador e destacou a exposição desnecessária do Santos ao fim da partida desta terça. Mesmo com a vantagem de 1 a 0 no placar, o Peixe cedeu espaços para contra-ataques do Delfín na reta final do jogo.

“É um ponto que tocamos no jogo, estávamos cobrando o meio-campo. Não podemos tomar contra-ataque aos 40 minutos do segundo tempo em Libertadores. Estávamos mais preocupados em fazer o gol do que defender faltando pouco tempo. Faltou um pouco de equilíbrio, experiência, não precisava se expor. E faltando cinco minutos seria difícil”, analisou o zagueiro.

“Cansaço bateu também, claro, mas terminamos inteiros para a próxima partida. É o detalhe de ter mais experiência, são lances capitais. Professor colocou o Evandro para dar mais substância, ganhamos mais o meio-campo. Tentamos segurar a bola com Arthur e Yuri, mas era difícil, defesa forte, e no próximo jogo vamos entrar mais ligados”, completou.

Jesualdo destaca falta de controle e reconhece jogo abaixo da média do Santos

O Santos chegou a sua terceira vitória consecutiva ao derrotar o Delfín por 1 a 0, nesta terça-feira, na Vila Belmiro. Apesar do bom momento vivido pelo Peixe, a equipe não teve uma atuação de destaque e jogou apenas o suficiente para bater os equatorianos.

Na entrevista após a partida, Jesualdo Ferreira reconheceu que o Santos não esteve em uma noite inspirada e vitou a falta de controle como o principal problema na apresentação do Peixe na Vila Belmiro.

“Equipe nunca teve o jogo controlado, não controlou a bola como fizemos em outros jogos. Então passamos por problemas. Houve falta de controle e isso nós fazemos bem. Mas é preciso destacar a importância da vitória e a liderança do grupo”, pontuou o treinador.

Jesualdo destacou o cansaço acumulado das últimas partidas e a ausência de torcedores na Vila Belmiro como fatores que dificultaram a vida do Santos contra o Delfín.

“São três jogos a ganhar. Copo cheio ou vazio… São três vitórias. Não foi um jogo fácil, não atingimos o nível de outros jogos, com nossa qualidade. Jogadores sentiram uma pressão muito grande, com responsabilidade do jogo. Se sentiram mais à vontade na Argentina. Mas uma vitória, mais uma e num espaço curto de três dias, há o cansaço, claro, e outra parte que tem a ver com a pressão. Tenho experiência de jogar sem público e não é bom. É um campo neutro, sem pressão”, comentou o técnico.

Apesar do descontentamento com a atuação de sua equipe, Jesualdo ressaltou a boa pontuação do Santos nas duas competições que disputa nesta temporada. O treinador ainda lembrou que tem sofrido com desfalques nas últimas partidas.

“É nosso 11º jogo, Santos lidera o Campeonato Paulista e a Libertadores. Isso que é importante valorizar. Outra coisa: perdemos opções para mexer, valorizar os jogadores e ganhar até por mais. Tivemos que nos sujeitar ao jogo, e isso não é bom, mas fica a vitória. Tempo curto, difícil recuperar e estamos próximos de situação muito boa na Libertadores e Paulista. Tenho que dar os parabéns aos jogadores pela forma que trabalharam, lutaram, sofreram, nesse e em outros jogos. Sabem o quanto admiro e quanto espero que essa equipe pode chegar e fazer”, finalizou.


Santos 3 x 1 Mirassol

Data: 07/03/2020, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.762 pagantes
Renda: R$ 275.792,50
Árbitro: Ilbert Estevam da Silva
Auxiliares: Fabrini Bevilaqua Costa e Risser Jarussi Corrêa.
Cartões amarelos: Madson, Diego Pituca, Soteldo e Everson (S); Matheus Rocha e Luiz Otávio (M).
Gols: Diego Pituca (03-1), Yuri Alberto (18-1), Sasha (22-1) e Rafael Silva (31-1).

SANTOS
Everson; Madson (Pará), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Yuri Alberto (Kaio Jorge), Soteldo e Eduardo Sasha (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

MIRASSOL
Kewin; Daniel Borges, Luiz Otávio, Reniê e Ernandes; Luís Oyama, Neto Moura (André Castro) e Camilo; Matheus Rocha (Maranhão), Chico (Dellatorre) Rafael Silva.
Técnico: Ricardo Catalá



Santos vence Mirassol na Vila Belmiro e embala no Campeonato Paulista

O Santos embalou pela primeira vez na temporada. O Alvinegro recebeu o Mirassol neste sábado e venceu por 3 a 1, em duelo válido pela 9ª rodada do Campeonato Paulista. Após vitória de meio de semana pela estreia na Libertadores, o triunfo pelo Estadual consolida a melhor fase da equipe sob comando de Jesualdo Ferreira.

Com facilidade para criar espaços e chegar ao ataque, o Peixe amassou a equipe do interior no primeiro tempo, abrindo 3 a 0 de vantagem em 22 minutos. Os visitantes diminuíram em lance de bola parada ainda antes do intervalo.

No segundo tempo, o time da casa voltou pior; reduziu a velocidade, criou menos, mas fez o suficiente para manter o resultado e sair com a vitória.

Com a vitória, o Santos abriu vantagem na liderança do grupo A, com 15 pontos, contra o nove do 2º colocado Água Santa, que ainda joga na rodada. Em caso de tropeço da 3ª colocada Ponte Preta, o Peixe só precisará de uma vitória nos últimos três jogos para assegurar uma vaga para as quartas de final.

Já o Mirassol se manteve na vice-liderança do grupo C com 13 pontos, dois a menos que o São Paulo e quatro acima do 3º colocado Inter de Limeira.

O jogo

Embalado com a vitória de meio de semana sobre o Defensa y Justicia na Argentina, o Santos não demorou para achar o caminho das redes.

Na primeira chance do jogo, logo aos três minutos, Felipe Jonatan recuperou bola do adversário, deixou com o Soteldo e correu para receber em profundidade pelo corredor esquerdo. O lateral então tocou para Pituca, que cortou o marcador na entrada da área e bateu com perfeição no ângulo esquerdo. Golaço do volante.

Os mandantes seguiram pressionando e tiveram nova chance aos cinco minutos. Soteldo cruzou da esquerda, a bola acabou desviando no zagueiro do Mirassol e atrapalhou Yuri Alberto, que cabeceou para fora. O atacante, porém, teria nova chance aos 18. Sánchez abriu para Pituca na esquerda. O volante cruzou, a defesa do Mirassol cortou mal e a bola se ofereceu para Yuri Alberto. O atacante dominou e bateu firme no contrapé para ampliar.

O terceiro saiu ainda antes da primeira meia hora de jogo. Aos 22 minutos, Yuri Alberto encontrou Sasha na meia-lua. O atacante fez o domínio já girando o corpo e bateu firme, entre dois marcadores, para acertar o canto esquerdo da meta. 3 a 0 e monólogo santista.

Os visitantes descontaram aproveitando o ponto fraco da equipe de Jesualdo neste sábado: a bola parada. Aos 31, Camilo cobrou falta pela esquerda e Rafael Silva subiu sozinho entre quatro santistas. O atacante testou para baixo no canto direito de Everson, que até chegou na bola, mas não conseguiu fazer a defesa.

Na segunda etapa, menos emoção para os dois lados. Na primeira meia hora, o Mirassol foi para cima em busca do empate e foi o responsável pelas melhores chances, embora nenhuma muito clara. Aos 13, Camilo dominou na entrada da área e bateu com perigo, para boa defesa de Everson.

Sem conseguir reduzir o placar, os visitantes viram o time da casa retomar o controle do jogo nos minutos finais, aproveitando as entradas de Arthur Gomes e Kaio Jorge. Aos 36, Arthur Gomes recebeu na área, girou e cruzou para Sánchez empurrar para as redes. O uruguaio, porém, estava impedido e o lance foi anulado.

Ainda antes do fim, o goleiro Everson tentou aproveitar a noite artilheira da equipe para guardar o seu. O goleiro cobrou falta da entrada da área aos 43 minutos, mas o chute ficou na barreira. No último lance, Kaio Jorge recebeu com muito espaço, avançou para dentro da área, mas ao invés de rolar para Soteldo livre, tentou mais um corte e a batida para o gol. A bola subiu e passou por cima da meta.

Bastidores – Santos TV:

Felipe Jonatan comenta evolução do Santos e desentediamento de Pituca e Soteldo

O Santos venceu o Mirassol neste sábado pelo Campeonato Paulista. Em boa atuação, o time de Jesualdo Ferreira mostrou evolução em relação às primeiras rodadas e anotou três gols pela primeira vez no ano.

“A gente está feliz pelos três pontos, que era o mais importante no momento. A gente vem de uma sequência boa desde o clássico contra o Palmeiras, a gente vem evoluindo, crescendo com o trabalho do professor Jesualdo”, contou Felipe Jonatan aos canais Premiere na saída de campo.

O lateral ainda comentou sopre o desentendimento entre Soteldo e Pituca, na saída do time para o vestiário ao fim do primeiro tempo.

“Em questão do Soteldo e do Pituca, é cobrança normal de time. Time grande tem que ter cobrança. Mas está tudo resolvido, dentro do vestiário mesmo apaziguamos tudo e fizemos uma ótima atuação. Sabemos que tem que mudar muito ainda, mas aos poucos a gente vai evoluindo”, concluiu.

Jesualdo elogia poder ofensivo de Madson em estreia no Santos

Um dos poucos reforços para a temporada de 2020, o lateral direito Madson estreou pelo Santos neste sábado, pela 9ª rodada do Campeonato Paulista, na vitória contra o Mirassol, na Vila Belmiro. Apesar de ter começado a partida como titular, o jogador de 28 anos ainda se adapta ao trabalho do técnico Jesualdo Ferreira, que relatou estar conhecendo o atleta.

“Vocês conhecem o Madson melhor que eu. Conheço pouco, com todo respeito. Em dois dias de trabalho ele sentiu, e decidi que deveria fazer recuperação adequada. É um lateral diferente do Pará, que tem mais experiência. Ele entrou e nada ocorreu, é mais jovem, tem a profundidade que às vezes é necessária. Está com ele, no corpo e na cabeça, a resposta necessária da lesão que teve”, afirmou.

Mesmo assim, o treinador português comentou sobre as características do lateral-direito e elogiou o desempenho do elenco santista, assim como o poder ofensivo de Madson.

“(Ele é um) lateral para frente, que vai e vem, para trás é mais difícil. Na frente vai muito bem. É preciso tirar vantagens disso. Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo. Temos tido respostas dentro do elenco, é uma das coisas que mais têm me dado prazer. Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. Vamos chegar lá”, concluiu.

Madson chegou ao Santos no início de 2020, mas ainda não havia atuado, já que não possuía as melhores condições físicas para entrar em campo. O lateral-direito chegou ao Peixe após uma troca com o Grêmio por Victo Ferraz, mas foi jogador do Athletico-PR em 2019.

Jesualdo exalta Pituca no Santos: “Qualidade física e força mental”

O técnico Jesualdo Ferreira deu sequência para Diego Pituca no meio-campo do Santos mesmo em meio a atuações irregulares. E deu certo.

Pituca demorou a se adaptar à função mais ofensiva, mais próximo do gol adversário e às vezes até como ponta. Jesualdo explicou a mudança tática depois da vitória sobre o Mirassol, com o primeiro gol marcado pelo meio-campista, em bonito chute de fora da área.

“Pituca é curioso. Como é possível jogar com três volantes falaram…. E eu não entendi. O meio era esse ano passado. Santos jogava no ano passado com três volantes e era ofensivo? Querem ser um pouco treinador e me explicar isso? Sempre pensei no Pituca como interior, médio interior de características ofensivas. Box to box em 90 minutos, qualidade física e força mental. Por que volante? Tinha que estar mais posicional (no ano passado). Mas gosto dele assim, até na direita como na parte final do jogo (contra o Mirassol). É um jogador que gosto muito, tem vantagem de fazer ala esquerda no 4-4-2, lateral como fez se tiver problema… Quando é para jogar só um (volante), também joga”, explicou Jesualdo.

Pituca é meia de origem, mas se acostumou a atuar como primeiro ou segundo volante no Peixe nos últimos anos. Jesualdo Ferreira enxerga o esquema tático 4-3-3, seu preferido, com um camisa 5, um 8 e um 10, à moda antiga, com um meia pela esquerda e outro pela direita. Nesse desenho, Pituca foi à frente.

Jesualdo vê Alison e Jobson como o 5, Diego Pituca e Jobson como o 8 e Sánchez e Evandro como o 10. Diante da instabilidade nas últimas semanas e a ausência do capitão, o português fez algumas trocas, como Pituca ao lado de Jobson e Evandro de 5.

O treinador tem conversado com Diego Pituca para que resgate as características de armador do início da carreira e use sua força física pelo lado do campo. O jogador, antes desanimado com as críticas do torcedor, tem se sentido mais à vontade e espera por desempenho ainda melhor na sequência da temporada.

Jesualdo pede reforço, mas relata prazer em “achar respostas” no elenco do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira reforçou o pedido pela contratação de um lateral-esquerdo no Santos. Ao mesmo tempo, porém, falou em “prazer” por encontrar “respostas” dentro do próprio clube.

“Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo, vamos chegar se Deus quiser. Temos tido respostas dentro do elenco. É uma das coisas que mais têm me dado prazer. Muitos jovens, como o (Anderson) Ceará hoje (no banco). Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. E vamos chegar lá”, disse o técnico, em entrevista coletiva depois da vitória sobre o Mirassol.

Jesualdo tem avaliado diversos jogadores da base e do time B de perto. Anderson Ceará e Ivonei, meio-campistas, foram inscritos no Campeonato Paulista e devem ganhar oportunidade em breve.

Yuri Alberto e Kaio Jorge, desprestigiados em 2019, têm atuado com frequência, assim como Arthur Gomes, “reforço” depois do empréstimo à Chapecoense.

A diretoria do Santos busca uma “sombra” para Felipe Jonatan, mas a falta de dinheiro e a janela internacional de transferências fechada na maior parte dos países da Europa dificulta a contratação.

Jesualdo avalia trabalho após dois meses no Santos: “Nunca tive dúvida”

Jesualdo Ferreira avaliou o trabalho da comissão técnica após dois meses no Santos – o português foi apresentado oficialmente em 8 de janeiro e tem cinco vitórias, três empates e duas derrotas.

O treinador faz avaliação positiva e diz nunca ter duvidado de estar no caminho certo, mesmo em meio à pressão por melhor desempenho.

“Temos 50% de vitórias, gostaríamos de ter mais. Não há forma de conseguir sem tempo e trabalho. Fui claro no início quando falei sobre isso. Nunca tive dúvida sobre nosso trabalho, a cada dia sabia que esse é o caminho. Críticas aqui são normais, talvez aqui mais cedo do que estou acostumado. Equipe acreditou no que está a fazer. Quando olham para as imagens e veem o nível que não esperavam, percebem evolução, fica difícil olhar para trás. São passos para frente. É como defender, quando se perde a bola tem que pensar em passo à frente, não atrás, sem medo. São passos à frente para dar”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

“São 10 jogos, tempo de trabalho é pouco e jogos foram muitos. É preciso analisar o treino, melhorar, e espaço é curto. Jogador dificilmente consegue estar no 100%, limite sem recuperar, mas é a tônica do futebol brasileiro. Jogadores sabem o que existe e o que é futuro. Estou habituado, joguei a cada três dias com frequência. É preciso encontrar os equilíbrios da equipe para que o rendimento seja mais ou menos alto independentemente dos jogadores utilizados. É a nossa tarefa agora”, emendou.

Jesualdo cita Ceni ao falar de Everson como cobrador do Santos: “Brasil tem grande exemplo”

Everson chegou ao Santos no início de 2019 com status de bom goleiro e também com a fama de bom cobrador de faltas no Ceará. E a primeira tentativa só ocorreu no último sábado, contra o Mirassol, depois de um ano.

A falta parou na barreira, mas o goleiro “quebrou o gelo” e deve ter novas oportunidades. O técnico apoia e cita Rogério Ceni como argumento.

“Ele bate bem… Foi uma pena a falta não ser do outro lado (esquerdo). Se fosse na esquerda poderia ter entrado. Brasil tem grande exemplo como Ceni, ele bate bem e tem que continuar treinando. Alguns batem bem, como Soteldo e Sánchez também, mas está tudo no princípio. Não é fácil tirarmos conclusões”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

Aos 29 anos, Everson tem três gols na carreira: dois de pênalti e um de falta. O de falta foi marcado contra o Corinthians, em 2018, pelo Vozão.



Santos Futebol Clube x Club Social y Deportivo Defensa y Justicia


Retrospecto:

01 jogo
01 vitória
00 empate
00 derrota
02 gols pró
01 gol contra
01 saldo

Resultados:

03/03/2020 – Santos 2 x 1 Defensa y Justicia – Libertadores – Norberto Tomaghello